Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


Josafá se comportou como seu pai Asa, e não se desviou, mas fez o que Javé aprova. 33



Baixar 5.7 Mb.
Página64/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   60   61   62   63   64   65   66   67   ...   197

32. Josafá se comportou como seu pai Asa, e não se desviou, mas fez o que Javé aprova.
33. Os lugares altos, porém, não foram eliminados, e o povo não foi fiel ao Deus de seus antepassados.
34. O resto da história de Josafá, do começo ao fim, está escrito na História de Jeú, filho de Hanani, incluída no Livro dos Reis de Israel.
35. Josafá, rei de Judá, aliou-se com Ocozias, rei de Israel, que o levou a praticar o mal.
36. Aliou-se com ele para construir navios que fossem a Társis, e os construíram em Asiongaber.
37. Então o profeta Eliezer, filho de Dodias, da cidade de Maresa, profetizou assim contra Josafá: "Dado que você fez aliança com Ocozias, Javé destruirá o que você está fazendo". De fato, os navios naufragaram e não puderam seguir para Társis.

[II Crônicas 21]II Crônicas 21



1. Josafá morreu e foi enterrado com seus antepassados na Cidade de Davi. E seu filho Jorão lhe sucedeu no trono.

VI. TEMPOS DIFÍCEIS

JORÃO: GOVERNO DESASTROSO
2. Jorão tinha os seguintes irmãos, todos filhos de Josafá, rei de Israel: Azaria, Jaiel, Zacarias, Azarias, Miguel e Safatias.
3. Seu pai tinha dado a todos eles muitos presentes de prata, ouro e jóias, além de cidades fortificadas em Judá. Mas deixou o trono para Jorão, que era o mais velho.
4. Ao sentir-se seguro, após assumir o trono de seu pai, Jorão assassinou à espada todos os seus irmãos, além de alguns chefes de Israel.
5. Jorão tinha trinta e dois anos quando começou a reinar. E reinou oito anos em Jerusalém.
6. Imitou o comportamento dos reis de Israel, agindo como a casa de Acab, pois se havia casado com uma filha de Acab. Fez o que Javé reprova.
7. Javé não quis destruir a dinastia de Davi, por causa da aliança que tinha feito com ele e a promessa de manter sempre acesa sua lâmpada e a de seus filhos.
8. Durante o governo de Jorão, Edom proclamou-se independente de Judá e estabeleceu rei próprio.
9. Com seus comandantes e todos os carros de guerra, Jorão atravessou a fronteira. À noite, ele teve de se levantar para enfrentar os edomitas, que o cercaram e a todos os seus comandantes de carros.
10. Foi assim que Edom ficou independente de Judá, até o dia de hoje. Nessa mesma ocasião também Lebna se tornou independente. Jorão tinha abandonado Javé, o Deus dos seus antepassados.
11. Construiu lugares altos nas colinas de Judá, fez os moradores de Jerusalém tornar-se infiéis e levou Judá a se extraviar.
12. Entregaram-lhe um escrito do profeta Elias, que dizia o seguinte: "Assim diz Javé, o Deus de seu pai Davi: Você não seguiu o comportamento de seu pai Josafá, nem de Asa, rei de Judá.
13. Ao contrário, você imitou o exemplo dos reis de Israel. Você provocou a idolatria em Judá e entre os habitantes de Jerusalém, copiando as práticas idolátricas da casa de Acab. Além disso, matou seus próprios irmãos, a família do seu pai, que eram melhores do que você!
14. Por esse motivo, Javé provocará uma chaga enorme no seu povo, em seus filhos, em suas mulheres e em tudo o que é seu.
15. Você mesmo ficará com doença grave, doença que consumirá seus intestinos dia após dia".
16. Javé provocou contra Jorão a hostilidade dos filisteus e também dos árabes, vizinhos dos etíopes.
17. Eles atacaram, invadiram Judá, e levaram embora toda a riqueza que encontraram no palácio do rei e até suas mulheres e filhos. Só ficou Ocozias, o caçula.
18. Depois, Javé o feriu com incurável doença dos intestinos.
19. Os dias foram passando e, dois anos depois, a doença consumiu os intestinos dele, que morreu em meio a dores terríveis. O povo não acendeu fogueira para ele, como havia feito em homenagem aos seus antecessores.
20. Jorão tinha trinta e dois anos quando subiu ao trono. E reinou oito anos em Jerusalém. Desapareceu, e ninguém chorou por ele. Foi enterrado na Cidade de Davi, mas não na sepultura dos reis.

[II Crônicas 22]II Crônicas 22



OCOZIAS: ALIANÇA INFELIZ
1. Como sucessor de Jorão, os moradores de Jerusalém proclamaram rei a Ocozias, seu filho caçula, pois todos os outros tinham sido mortos pelo bando que tinha invadido o acampamento, juntamente com os árabes. Foi assim que Ocozias, filho de Jorão, acabou tornando-se rei de Judá.
2. Tinha quarenta e dois anos quando começou a reinar, e reinou um ano em Jerusalém. Sua mãe chamava-se Atalia e era filha de Amri.
3. Ocozias também imitou o comportamento da casa de Acab, pois sua mãe o aconselhava a cometer injustiças.
4. Ele fez o que Javé reprova, como fizeram os da casa de Acab, pois foram estes que, para sua perdição, se haviam tornado conselheiros de Ocozias, depois da morte do seu pai.
5. Seguindo o conselho deles, Ocozias acompanhou Jorão, filho de Acab, rei de Israel, para juntos guerrearem contra Hazael, rei de Aram, em Ramot de Galaad. Os arameus feriram Jorão,
6. e ele voltou para Jezrael, a fim de se recuperar dos ferimentos que tinha sofrido em Ramot de Galaad na guerra contra Hazael, rei de Aram. Então Ocozias, filho de Jorão, rei de Judá, foi a Jezrael para visitar Jorão, filho de Acab, porque ele estava doente.
7. Com essa visita, Deus provocou a ruína de Ocozias. Foi durante a visita que ele acompanhou Jorão para combater Jeú, filho de Namsi, a quem Javé tinha ungido para exterminar a dinastia de Acab.
8. Quando Jeú chegou para acertar as contas com a casa de Acab, encontrou também comandantes de Judá e sobrinhos de Ocozias que estavam a serviço deste. E os matou a todos.
9. Procurou também Ocozias. Conseguiram prendê-lo em Samaria, onde tinha se escondido. E o levaram a Jeú, que o matou. Eles porém, o enterraram, dizendo: "Ele era filho de Josafá, que buscou Javé de todo o coração". Não havia ninguém da família de Ocozias capaz de reinar.

ATALIA: FIM DO ARBÍTRIO
10. Quando Atalia, mãe de Ocozias, soube que seu filho estava morto, resolveu acabar com a descendência real da casa de Judá.
11. Mas Josaba, filha do rei, pegou Joás, filho de Ocozias, dentre os filhos do rei que estavam sendo massacrados, e o escondeu, com a ama dele, no quarto dos leitos. Assim Josaba, filha do rei Jorão, esposa do sacerdote Joiada e irmã de Ocozias, escondeu Joás da vista de Atalia, evitando assim que ela o matasse.
12. Joás ficou seis anos com ela escondido no Templo de Deus, enquanto Atalia reinava no país.

[II Crônicas 23]II Crônicas 23



1. No sétimo ano, Joiada criou coragem e chamou os oficiais de cem. Eram eles: Azarias, filho de Jeroam; Ismael, filho de Joanã; Azarias, filho de Obed; Maasias, filho de Adaías; Elisafat, filho de Zecri. E fizeram entre si uma aliança.
2. Percorreram Judá e reuniram os levitas de todas as cidades de Judá e os chefes de famílias de Israel. Em seguida, voltaram para Jerusalém.
3. Então toda a assembléia fez uma aliança com o rei, no Templo de Deus. Joiada disse a todos: "Este é o filho do rei. É ele que deve reinar, conforme a promessa feita por Javé à descendência de Davi.
4. Vocês vão fazer o seguinte: um terço de vocês, sacerdotes e levitas, que entram de serviço no sábado, montará guarda nas entradas;
5. outra terça parte ficará no palácio real, e a outra na porta do Fundamento. Todo o povo ficará nos pátios do Templo de Javé.
6. Ninguém entrará no Templo de Javé, a não ser os sacerdotes e levitas em serviço; eles podem entrar, porque são consagrados. O povo deverá observar as prescrições de Javé.
7. Os levitas farão um círculo em torno do rei, com armas em punho, e o acompanharão aonde quer que ele vá. Matem todo aquele que quiser entrar no Templo".
8. Os levitas e todos os de Judá fizeram como o sacerdote Joiada tinha mandado. Cada um deles reuniu seus homens, tanto os que entravam de serviço no sábado, como os que saíam, pois o sacerdote Joiada não dispensou nenhuma classe.
9. O sacerdote Joiada entregou aos oficiais de cem as lanças, com os escudos pequenos e grandes do rei Davi, que estavam no Templo de Deus.
10. Colocou todo o povo, de armas em punho, desde o ângulo sul até o ângulo norte do Templo, rodeando o altar e o Templo, para proteger o rei.
11. Em seguida, levaram o filho do rei, colocaram nele a coroa e lhe entregaram o documento da aliança. E o proclamaram rei. Depois Joiada e seus filhos o ungiram, e aclamaram: "Viva o rei!"
12. Ouvindo os gritos do povo que corria e aclamava o rei, Atalia foi ao encontro do povo no Templo de Javé.
13. E, na entrada, quando viu o rei de pé no estrado, os oficiais e os tocadores de trombeta junto ao rei, e todo o povo da terra gritando de alegria, as trombetas tocando, e os cantores com seus instrumentos acompanhando os cânticos de louvor, Atalia rasgou a roupa e disse: "Traição! Traição!"
14. Então Joiada ordenou aos oficiais de cem, que comandavam as tropas: "Arrastem Atalia para fora, por entre as fileiras. Se alguém a seguir, passem a fio de espada". O sacerdote, de fato, havia dito: "Não a matem dentro do Templo de Javé".
15. Agarraram Atalia e, chegando ao palácio real, na entrada da porta dos Cavalos, aí a mataram.
16. Joiada concluiu entre o povo e o rei uma aliança, na qual o povo se comprometia a ser o povo de Javé.
17. Em seguida, todo o povo foi até o templo de Baal e o arrasou: demoliram os altares e imagens e mataram Matã, sacerdote de Baal, diante dos altares.
18. Joiada colocou guardas no Templo de Javé, sob as ordens dos sacerdotes e levitas. Para eles é que Davi tinha entregue o Templo de Javé, para aí oferecerem, conforme está escrito na Lei de Moisés, holocaustos a Javé na alegria e com cânticos compostos por Davi.
19. Joiada também colocou porteiros em cada entrada do Templo de Javé, para que nele não entrasse nada de impuro.
20. Depois, reuniu os oficiais de cem, os notáveis, as autoridades do povo e todo o povo da terra, e pediu ao rei que saísse do Templo de Javé. Levaram o rei ao palácio real pela porta Superior e o fizeram sentar-se no trono dos reis.
21. Todo o povo da terra festejou, e a cidade ficou tranqüila, porque Atalia tinha sido morta a fio de espada.

[II Crônicas 24]II Crônicas 24



JOÁS: A IMPORTÂNCIA DO TEMPLO
1. Joás tinha sete anos quando subiu ao trono e reinou quarenta anos em Jerusalém. Sua mãe se chamava Sebias e era natural de Bersabéia.
2. Enquanto o sacerdote Joiada viveu, Joás fez o que Javé aprova.
3. Joiada lhe arranjou duas mulheres, que lhe deram filhos e filhas.
4. Mais tarde, Joás resolveu restaurar o Templo de Javé.
5. Reuniu os sacerdotes e levitas e lhes disse: "Saiam pelas cidades de Judá recolhendo dinheiro de todo o Israel, para restaurar o Templo do seu Deus, a cada ano, conforme a necessidade. Cuidem disso com urgência". Mas os levitas não se apressaram.
6. Então o rei chamou Joiada, o chefe deles, e lhe disse: "Por que você não exigiu que os levitas recolhessem em Judá e Jerusalém o tributo imposto por Moisés, servo de Javé, e pela assembléia de Israel, em favor da Tenda do Testemunho?
7. Você não sabe que a perversa Atalia e seus filhos arruinaram o Templo de Deus e colocaram a serviço dos ídolos tudo o que havia de sagrado no Templo de Javé?"
8. Então, por ordem do rei, fizeram um cofre e o colocaram na porta do Templo de Javé, do lado de fora.
9. Depois anunciaram, em Judá e Jerusalém, que levassem a Javé o tributo que Moisés, servo de Deus, exigia de Israel no deserto.
10. As autoridades e todo o povo levaram com alegria o seu tributo e o colocaram no cofre, que ficou cheio.
11. Toda vez que os levitas levavam o cofre para a inspeção real, e viam que havia muito dinheiro, o secretário do rei e o inspetor do sumo sacerdote esvaziavam o cofre e o colocavam novamente no mesmo lugar. Assim foram fazendo diariamente, e ajuntaram muito dinheiro.
12. O rei e Joiada entregavam o dinheiro aos mestres de obras encarregados do Templo de Javé, e estes pagavam os pedreiros e carpinteiros que trabalhavam no Templo de Javé, e também os artesãos do ferro e bronze que restauravam o Templo de Javé.
13. Os operários se puseram a trabalhar, e as obras progrediram em suas mãos. Eles reformaram o Templo de Deus e lhe deram a estrutura primitiva e sólida.
14. Terminado o serviço, levaram para o rei e para Joiada o dinheiro que sobrou. E com a sobra mandaram fazer utensílios para o Templo de Javé, objetos para o serviço e os holocaustos, taças e objetos de ouro e prata. Enquanto Joiada viveu, ofereceram continuamente holocaustos no Templo de Javé.
15. Joiada ficou velho e morreu em idade avançada, com cento e trinta anos.
16. Ele foi enterrado na Cidade de Davi, ao lado dos reis, pois só tinha feito o bem para Israel, para Deus e para o seu Templo.

NÃO ADIANTA MATAR O PROFETA
17. Depois da morte de Joiada, os chefes de Judá foram prostrar-se diante do rei, e este seguiu o conselho deles.
18. Abandonaram o Templo de Javé, o Deus de seus antepassados, prestaram culto aos postes sagrados e aos ídolos. Por causa desse pecado, a ira de Deus se inflamou contra Judá e Jerusalém.
19. Deus mandou profetas para eles, a fim de os converter, mas eles não fizeram caso de suas críticas.
20. Então o espírito de Deus se apoderou de Zacarias, filho do sacerdote Joiada. Ele se dirigiu ao povo e disse: "Assim fala Deus: Por que é que vocês estão desobedecendo aos mandamentos de Javé? Vocês vão se arruinar. Vocês abandonaram Javé, e ele também os abandona!"
21. Então eles se reuniram contra o profeta e, por ordem do rei, o apedrejaram no pátio do Templo de Javé.
22. Assim, o rei Joás, sem consideração por tudo de bom que lhe tinha feito Joiada, pai de Zacarias, mandou matar o filho dele. Ao morrer, o profeta disse: "Que Javé julgue e dê a sentença".
23. Um ano depois, o exército arameu atacou Joás, invadiu Judá até Jerusalém, eliminou todos os chefes do povo e mandou para o rei de Damasco tudo o que tinha saqueado.
24. O exército arameu tinha vindo com poucos homens, mas Javé entregou em seu poder um exército muito mais numeroso, porque o povo tinha abandonado Javé, o Deus de seus antepassados. Quanto a Joás, os arameus o castigaram:
25. ao partir, deixaram Joás muito ferido. Seus ministros se rebelaram contra ele para vingar o filho do sacerdote Joiada, e o mataram na sua própria cama. Morto o rei, eles o enterraram na Cidade de Davi, mas não na sepultura dos reis.
26. Aqueles que conspiraram contra o rei foram Zabad, filho da amonita Semaat, e Jozabad, filho da moabita Semarit.
27. Quanto aos filhos de Joás, quanto aos tributos pesados que teve de pagar e quanto à reforma do Templo de Deus, tudo está escrito no Comentário do Livro dos Reis. Seu filho Amasias lhe sucedeu no trono.

[II Crônicas 25]II Crônicas 25



DEUS NÃO SE DEIXA MANIPULAR
1. Amasias tinha vinte e cinco anos quando subiu ao trono. E reinou vinte e nove anos em Jerusalém. Sua mãe se chamava Joaden e era natural de Jerusalém.
2. Fez o que Javé aprova, mas não com integridade de coração.
3. Tendo consolidado o poder em suas mãos, mandou matar os ministros que tinham assassinado o rei, seu pai.
4. Mas não mandou matar os filhos dos assassinos, respeitando assim o que está escrito no livro da Lei de Moisés, onde Javé ordena: "Os pais não serão mortos pela culpa dos filhos, nem os filhos pela culpa dos pais. Cada um será executado por causa de seu próprio crime".
5. Amasias reuniu os homens de Judá e nomeou oficiais de cem e de mil, segundo as famílias, para todo Judá e Benjamim. Fez o recenseamento dos maiores de vinte anos: havia trezentos mil homens aptos para a guerra, equipados com lanças e escudos.
6. Também contratou em Israel cem mil mercenários, por três mil e quatrocentos quilos de prata.
7. Um homem de Deus foi procurá-lo e disse: "Ó rei, a tropa de Israel não deve acompanhá-lo, porque Javé não está com Israel, nem com os efraimitas.
8. Se você depositar neles a força para a guerra, Deus o derrotará diante de seus inimigos, porque Deus é que tem a força para derrotar ou dar a vitória".
9. Amasias perguntou ao homem de Deus: "E como ficam os três mil e quatrocentos quilos de prata que dei às tropas israelitas?" O homem de Deus respondeu: "Javé tem muito mais do que isso para lhe dar".
10. Então Amasias dispensou o contingente que tinha vindo de Efraim, mandando-o de volta. Eles ficaram indignados contra Judá, e voltaram para casa enfurecidos.
11. Amasias criou coragem e assumiu o comando do seu exército. Foi até o vale do Sal, onde matou dez mil soldados de Seir.
12. Judá prendeu vivos outros dez mil; levaram esses dez mil até o alto de um rochedo e os jogaram de lá de cima, e eles morreram despedaçados.
13. A tropa que Amasias tinha dispensado de ir para a guerra se espalhou pelas cidades de Judá, desde Samaria até Bet-Horon, matando três mil pessoas e se apossando de muitos despojos.
14. Quando voltou da guerra contra os edomitas, Amasias trouxe consigo os deuses dos habitantes de Seir, os adotou como seus próprios deuses, os adorou e queimou incenso para eles.
15. Então a ira de Javé se inflamou contra Amasias, e enviou um profeta para lhe dizer: "Por que você honra esses deuses que não foram capazes de livrar das mãos de você o povo deles?"
16. O profeta nem terminara de falar, e Amasias respondeu: "Quem é que fez de você conselheiro do rei? Pare com isso, se não quiser morrer". O profeta não insistiu mais e concluiu: "Por aquilo que você fez e por não ter escutado o meu conselho, tenho certeza de que Deus decretou a sua ruína".
17. Amasias, rei de Judá, depois de pedir conselhos, mandou emissários a Joás, filho de Joacaz e neto de Jeú, rei de Israel, com esta mensagem: "Venha me enfrentar".
18. Joás, rei de Israel, respondeu a Amasias, rei de Judá, com esta mensagem: "O espinheiro do Líbano mandou dizer ao cedro do Líbano: 'Dê-me sua filha como esposa para meu filho'. Mas as feras do Líbano passaram e pisaram no espinheiro.
19. Você diz: 'Eu derrotei Edom'. E se enche de orgulho. Celebre sua glória, mas fique em sua casa. Por que você quer se meter numa guerra desastrosa, provocando a sua ruína e a ruína de Judá?"
20. Amasias, porém, não fez caso, porque Deus queria entregá-lo nas mãos de Joás, por ter adorado os deuses de Edom.
21. Então Joás, rei de Israel, foi enfrentar Amasias, rei de Judá, em Bet-Sames, que pertence a Judá.
22. E Judá foi derrotado por Israel, e cada um fugiu para a sua tenda.
23. Em Bet-Sames, Joás, rei de Israel, prendeu Amasias, rei de Judá, filho de Joás e neto de Joacaz, e o levou para Jerusalém. Fez uma brecha de duzentos metros na muralha de Jerusalém, desde a porta de Efraim até a porta do Ângulo.
24. Tomou posse do ouro, da prata e de todos os objetos que estavam no Templo de Deus, confiados a Obed-Edom, e no tesouro do palácio real. Além disso, tomou reféns, e voltou para Samaria.
25. Amasias, filho de Joás, rei de Judá, viveu ainda quinze anos depois da morte de Joás, filho de Joacaz, rei de Israel.
26. O resto da história de Amasias, do começo ao fim, está tudo escrito no Livro dos Reis de Judá e de Israel.
27. Desde o momento em que abandonou Javé, Amasias foi vítima de uma conspiração em Jerusalém. Ele fugiu para Laquis. E perseguido até Laquis, aí o mataram.
28. Transportaram seu corpo a cavalo, e o enterraram na capital de Judá, junto com seus antepassados.

[II Crônicas 26]II Crônicas 26



A POLÍTICA NÃO ESTÁ ACIMA DA RELIGIÃO
1. Todo o povo de Judá escolheu Ozias, que tinha dezesseis anos, e o proclamou rei no lugar de seu pai Amasias.
2. Foi ele quem reconstruiu Elat, que a reconquistou para Judá, depois que Amasias morreu.
3. Ozias tinha dezesseis anos quando subiu ao trono. E reinou cinqüenta e dois anos em Jerusalém. Sua mãe se chamava Jequelias e era natural de Jerusalém.
4. Fez o que Javé aprova, como seu pai Amasias tinha feito.
5. Ele buscou a Deus enquanto viveu Zacarias, que o instruía no temor de Deus. E enquanto buscava a Javé, Deus fez que ele prosperasse.
6. Ozias partiu para guerrear contra os filisteus e derrubou as muralhas de Gat, de Jabne e de Azoto. E reconstruiu cidades na região de Azoto e dos filisteus.
7. Deus o ajudou contra os filisteus, contra os árabes que moravam em Gur-Baal e contra os meunitas.
8. Os amonitas pagaram tributo a Ozias. E a fama dele se espalhou até à Entrada do Egito, pois ele se tornou muito poderoso.
9. Ozias construiu torres em Jerusalém, junto à porta do Ângulo, junto à porta do Vale e na Esquina, e as fortificou.
10. Construiu torres no deserto. Cavou muitos poços para seus numerosos rebanhos, que tinha na Planície e no Planalto. Possuía lavradores e vinhateiros na região montanhosa e nas terras de cultivo, porque gostava da agricultura.
11. Ozias tinha um exército treinado e pronto para a guerra, agrupado em batalhões, conforme o recenseamento feito pelo secretário Jeiel e pelo comissário Maasias. O exército estava sob as ordens de Hananias, um dos oficiais do rei.
12. Era de dois mil e seiscentos o número total dos chefes de família desses valentes guerreiros.
13. Sob o comando deles havia um exército bem treinado, composto de trezentos e sete mil e quinhentos homens aptos para a guerra, com força e coragem para defender o rei contra os inimigos.
14. E para todo o exército, Ozias providenciou escudos, lanças, capacetes, couraças, arcos, pedras e atiradeiras de pedras.
15. Em Jerusalém, mandou fazer máquinas especialmente inventadas para se colocar nas torres e ângulos, a fim de atirar flechas e pedras grandes. Assim, a fama de Ozias se espalhou até bem longe, pois a ajuda maravilhosa de Deus o fez poderoso.
16. Tornando-se ele poderoso, seu coração ficou cheio de orgulho, até se perder. Ele foi infiel a Javé seu Deus, e entrou no Santo de Javé para queimar incenso no altar dos perfumes.
17. O sacerdote Azarias e oitenta corajosos sacerdotes de Javé foram ao encontro dele,
18. colocaram-se frente a frente com o rei Ozias e lhe disseram: "Ozias, não é sua função queimar incenso para Javé. Somente os sacerdotes, descendentes de Aarão, foram consagrados para essa função. Saia do santuário, porque você pecou e já não tem direito à glória de Javé Deus!"
19. Ozias, que já estava com o incensório na mão, ficou indignado. Na mesma hora em que ele se indignava diante dos sacerdotes, no Templo de Javé, junto ao altar dos perfumes, a lepra surgiu em sua testa.
20. O sumo sacerdote Azarias e os outros sacerdotes olharam e viram que a testa dele estava coberta de lepra. Imediatamente o expulsaram daí. O próprio Ozias se apressou em sair, porque Javé o tinha castigado.
21. O rei Ozias ficou leproso até o fim da vida. Por isso, permaneceu fechado num quarto, e foi proibido de entrar no Templo de Javé. Seu filho Joatão era chefe do palácio e governava o povo.
22. O resto da história de Ozias, do começo ao fim, está escrito no Livro do profeta Isaías, filho de Amós.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   60   61   62   63   64   65   66   67   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal