Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página68/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   64   65   66   67   68   69   70   71   ...   197

16. e ainda todo ouro e prata que você receber em toda a província da Babilônia, além dos donativos espontâneos que o povo e os sacerdotes oferecem para o Templo do seu Deus em Jerusalém.
17. Com esse dinheiro, você comprará bezerros, carneiros e cordeiros, bem como as oblações e libações que os acompanham, e os oferecerá no altar do Templo do seu Deus em Jerusalém.
18. E o que sobrar da prata e do ouro, empreguem tudo como você e seus irmãos acharem melhor, de acordo com a vontade do Deus de vocês.
19. Os objetos do culto do Templo de Deus que lhe foram entregues, você os levará de volta para o lugar da presença do seu Deus em Jerusalém.
20. Tudo o mais que for necessário para o Templo do seu Deus, e que ainda ficaria para você arrumar, tudo lhe será fornecido pelo tesouro do rei.
21. Eu mesmo, o rei Artaxerxes, determino a todos os tesoureiros da região do lado ocidental do rio Eufrates: Façam tudo o que lhes pedir o sacerdote Esdras, doutor da lei do Deus do céu,
22. até o limite de três mil e quatrocentos quilos de prata, cem sacos de trigo, cem barris de vinho, cem de azeite e sal à vontade.
23. Façam exatamente tudo o que o Deus do céu ordenar em relação ao seu Templo, para que a ira dele não caia sobre o império deste rei e de seus filhos.
24. Faço também saber que nenhum imposto, tributo ou pedágio deverá ser cobrado dos sacerdotes, levitas, cantores, porteiros, doados, enfim, de todos os que servem no Templo de Deus.
25. Quanto a você, Esdras, de acordo com a sabedoria do seu Deus, a qual você tem nas mãos, nomeie magistrados e juízes, que apliquem a justiça para todo o povo do lado ocidental do rio Eufrates, para todos os que conhecem a lei do seu Deus. E a ensine para os que não a conhecem.
26. Quem não obedecer a lei do seu Deus, que é a lei do rei, será castigado rigorosamente, com morte ou exílio, multa ou prisão".

UM NOVO ÊXODO
27. Seja bendito Javé, o Deus de nossos antepassados, que abriu o coração do rei para honrar o Templo de Javé em Jerusalém,
28. e que me concedeu o favor do rei, de seus conselheiros e de todas as autoridades militares. Fiquei, assim, cheio de coragem, porque senti que estava comigo a força de Javé, meu Deus. Então reuni alguns chefes de Israel para me acompanhar na viagem.

[Esdras 8]Esdras 8



1. Lista dos chefes de família - cada qual com a sua genealogia - que voltaram comigo da Babilônia durante o reinado de Artaxerxes:
2. Descendente de Finéias: Gersam. Descendente de Itamar: Daniel. Descendente de Davi: Hatus,
3. filho de Sequenias. Descendente de Faros: Zacarias (com quem estavam registrados cento e cinqüenta homens).
4. Descendente de Faat-Moab: Elioenai, filho de Zaraías, e mais duzentos homens.
5. Descendente de Zetua: Sequenias, filho de Jaaziel, e mais trezentos homens.
6. Descendente de Adin: Abed, filho de Jônatas, e mais cinqüenta homens.
7. Descendente de Elam: Isaías, filho de Atalia, e mais setenta homens.
8. Descendente de Safatias: Zebedias, filho de Miguel, e mais oitenta homens.
9. Descendente de Joab: Abdias, filho de Jaiel, e mais duzentos e dezoito homens.
10. Descendente de Bani: Salomit, filho de Josfias, mais cento e sessenta homens.
11. Descendente de Bebai: Zac

arias, filho de Bebai, e mais vinte e oito homens.


12. Descendente de Azgad: Joanã, filho de Ectã, e mais cento e dez homens.
13. Descendentes de Adonicam: os mais novos, cujos nomes são: Elifalet, Jeiel e Semeías, e mais sessenta homens.
14. Descendente de Beguai: Utai, filho de Zabud, e mais setenta homens.
15. Reuni todo esse pessoal à margem do rio que desce para Aava e aí acampamos por três dias. Consegui descobrir gente do povo e sacerdotes, mas não encontrei nenhum levita.
16. Então mandei procurar Eliezer, Ariel, Semeías, Elnatã, Jarib, Elnatã, Natã, Zacarias e Mosolam, homens sábios,
17. e os mandei para Ado, que era chefe do lugar chamado Casfia, dando-lhes um recado que iriam transmitir a Ado e seus irmãos, residentes em Casfia: pedi que nos mandassem ministros para o Templo do nosso Deus.
18. Dado que a mão bondosa de Javé estava conosco, eles nos mandaram Serebias, homem equilibrado, filho de Mooli e descendente de Levi, filho de Israel. Ele com seus filhos e irmãos somavam o total de dezoito homens.
19. Mandaram também Hasabias e Isaías, da família de Merari. Os dois irmãos com seus filhos somavam vinte homens.
20. Mandaram ainda duzentos e vinte doados, daqueles que Davi e os chefes tinham colocado a serviço dos levitas. Todos foram registrados nominalmente.
21. Junto ao rio Aava, proclamei um jejum como penitência diante do nosso Deus, a quem pedimos uma boa viagem para nós, para nossas crianças e todos os nossos bens.
22. Ficamos com vergonha de pedir ao rei uma escolta e cavalaria para nos proteger de inimigos, durante a viagem. Ao contrário, tínhamos declarado ao rei: "Nosso Deus protege aqueles que o servem, mas o poder e a ira dele recaem sobre todos aqueles que o abandonam".
23. Então jejuamos e suplicamos ao nosso Deus nessa intenção. E ele nos ouviu.
24. Escolhi doze chefes dos sacerdotes, que eram Serebias e Hasabias, com mais dez de seus irmãos.
25. Pesei diante deles a prata, o ouro e os objetos preciosos que o rei, seus conselheiros, príncipes e todos os israelitas, que lá estavam, tinham oferecido para o Templo do nosso Deus.
26. Pesei e entreguei a eles vinte e dois mil quilos de prata, cem objetos de prata pesando sessenta e oito quilos, três mil e quatrocentos quilos de ouro,
27. vinte taças de ouro valendo mil dáricos, e dois vasos de bronze fino dourado, preciosos como se fossem de ouro.
28. Depois eu disse a eles: "Vocês são consagrados a Javé. Também os objetos são sagrados. Esta prata e este ouro foram entregues a Javé, o Deus dos antepassados de vocês.
29. Tenham, portanto, muito cuidado e guardem bem todas essas coisas, até poderem pesá-las diante dos chefes dos sacerdotes, dos levitas e dos chefes de famílias de Israel, em Jerusalém, nas salas do Templo de Javé".
30. Os sacerdotes e levitas assumiram a responsabilidade pela prata, pelo ouro e pelos objetos que lhes foram entregues para serem levados ao Templo do nosso Deus em Jerusalém.
31. No dia doze do primeiro mês, deixamos o rio Aava e partimos para Jerusalém. Nosso Deus nos protegeu durante a viagem e nos livrou de inimigos e assaltantes.
32. Tendo chegado a Jerusalém, descansamos três dias.
33. No quarto dia, a prata, o ouro e os objetos foram pesados no Templo do nosso Deus e entregues ao sacerdote Meremot, filho de Urias, ajudado por Eleazar, filho de Finéias, e pelos levitas Jozabad, filho de Josué, e Noadaías, filho de Benui.
34. A quantidade e o peso estavam certos, e o peso total foi registrado.
35. Os exilados, que tinham voltado do cativeiro, ofereceram holocaustos ao Deus de Israel: doze bezerros por todo o Israel, noventa e seis carneiros, setenta e dois cordeiros, e doze bodes como sacrifício pelo pecado. Tudo foi queimado sobre o altar em honra de Javé.
36. Mais tarde, entregaram os decretos do rei aos sátrapas e governadores da região do lado ocidental do rio Eufrates. Eles então passaram a dar apoio ao povo e ao Templo de Deus.

[Esdras 9]Esdras 9



MEDIDA DRÁSTICA CONTRA OS MATRIMÔNIOS MISTOS
1. Depois disso, os chefes me procuraram e disseram: "O povo de Israel, os sacerdotes e os levitas cometeram as mesmas abominações que a população local, formada de cananeus, heteus, ferezeus, jebuseus, amonitas, moabitas, egípcios e amorreus:
2. eles e seus filhos se casaram com mulheres estrangeiras, e a raça santa misturou-se com a população local. Os chefes e os magistrados foram os primeiros a praticar essa infidelidade".
3. Ao receber essa notícia, rasguei as roupas e o manto, arranquei os cabelos da cabeça e da barba e me sentei desolado.
4. Todos os que respeitavam a lei do Deus de Israel reuniram-se comigo, por causa da infidelidade dos repatriados. Fiquei sentado e angustiado até a hora da oblação da tarde.
5. Na hora da oblação da tarde, levantei-me da minha desolação e, com a roupa e o manto rasgados, caí de joelhos e levantei as mãos para Javé, meu Deus,
6. e disse: "Meu Deus, eu estou envergonhado e sem jeito de levantar o rosto para ti, porque os nossos pecados ultrapassam nossa cabeça, e a nossa culpa chega até o céu.
7. Desde o tempo de nossos antepassados até hoje, uma grande culpa pesa sobre nós: por causa dos nossos pecados, nós, nossos reis e nossos sacerdotes, fomos todos entregues em mãos dos reis de outros países, fomos vítimas da espada, do exílio, do saque e da vergonha. E essa é a situação atual.
8. Agora, porém, Javé, o nosso Deus, nos concedeu um momento de graça, deixando-nos um resto de sobreviventes e nos abrigando em seu lugar santo. Desse modo, o nosso Deus dá brilho aos nossos olhos, e nós sentimos um pouco de vida no meio da escravidão.
9. Éramos escravos, mas o nosso Deus não nos abandonou na escravidão. Ao contrário, deu-nos o favor dos reis da Pérsia, e nos concedeu vida para reconstruirmos o Templo do nosso Deus e restaurarmos suas ruínas. Ele nos deu assim um abrigo em Judá e Jerusalém.
10. Mas agora, Deus nosso, o que podemos dizer depois disso? Abandonamos os mandamentos
11. que nos deste por meio dos teus servos, os profetas, dizendo: 'A terra que vocês vão possuir é uma terra impura, por causa da imundície da população local e das abominações com que a encheram de um extremo a outro com suas impurezas.
12. Portanto, não entreguem suas filhas aos filhos deles, nem casem seus filhos com as filhas deles. Não contribuam para a prosperidade e o bem-estar deles. Desse modo, vocês se tornarão fortes, comerão os frutos da terra e a deixarão como herança aos filhos de vocês para sempre'.
13. Depois de tudo o que nos aconteceu por causa do mal que praticamos e por causa dos nossos grandes crimes, tu, nosso Deus, ainda nos poupaste. Não levaste em consideração os nossos pecados, e deixaste este grupo sobreviver.
14. Será que ainda assim poderíamos violar teus mandamentos e nos aliar a esta gente abominável? Não te irritarás contra nós até acabar com tudo, sem deixar um resto de vida?
15. Javé, Deus de Israel, este resto, que hoje continua vivo, é uma prova de que tu és justo! Estamos diante de ti como réus, porque não podemos ficar em tua presença depois do que aconteceu!"

[Esdras 10]Esdras 10



1. Enquanto Esdras rezava e fazia essa confissão, chorando e prostrado diante do Templo de Deus, foi-se reunindo em torno dele uma grande multidão de israelitas, homens, mulheres e crianças, todos chorando sem parar.
2. Então Sequenias, filho de Jaiel, descendente de Elam, disse a Esdras: "Fomos infiéis ao nosso Deus, casando-nos com mulheres estrangeiras, tomadas da população local. Apesar disso, ainda há esperança para Israel.
3. Nós nos comprometemos, com o nosso Deus, a despedir todas as mulheres estrangeiras e os filhos que tivemos com elas, conforme o conselho do meu senhor e dos que observam o mandamento do nosso Deus. Que a lei seja cumprida!
4. Levante-se, porque este assunto compete a você. Estamos do seu lado. Coragem e mãos à obra!"
5. Esdras se levantou e convidou os chefes dos sacerdotes e dos levitas, e todo o Israel, a jurar que agiriam conforme o que fora dito. E eles juraram.
6. Então Esdras saiu do Templo de Deus e foi ao aposento de Joanã, filho de Eliasib, onde pernoitou. Ficou sem comer e sem beber, porque estava de luto por causa da infidelidade dos repatriados.
7. Proclamaram, em Judá e Jerusalém, que todos os repatriados se reunissem em Jerusalém.
8. Quem não comparecesse dentro de três dias, conforme a orientação dos chefes e dos anciãos, teria seus bens confiscados para Javé e seria expulso da comunidade dos repatriados.
9. No terceiro dia, todos os homens de Judá e de Benjamim estavam reunidos em Jerusalém. Era o dia vinte do nono mês. Todo o povo estava na praça do Templo de Deus, tremendo por causa do assunto e porque chovia forte.
10. Então Esdras se levantou e declarou: "Vocês foram infiéis ao se casarem com mulheres estrangeiras, agravando a culpa de Israel.
11. Agora, confessem isso a Javé, o Deus de seus antepassados, cumpram a vontade dele, e separem-se da população local e das mulheres estrangeiras".
12. Toda a comunidade respondeu em alta voz: "Faremos o que você está dizendo.
13. No entanto, somos muitos, é tempo de chuva e ninguém agüenta ficar ao relento. O problema não se resolve num dia ou dois, porque somos muitos que cometemos essa rebeldia.
14. Seria melhor que os nossos chefes representassem toda a comunidade. Todo aquele que, em qualquer de nossas cidades, tiver se casado com mulher estrangeira, virá aqui na data marcada, acompanhado dos anciãos e dos juízes de sua cidade, até que afastemos a ira de nosso Deus, que provocamos com esse comportamento".
15. Só Jônatas, filho de Asael, e Jaasias, filho de Tícua, ficaram contra a proposta, e foram sustentados por Mosolam e pelo levita Sebetai.
16. Os repatriados, porém, agiram conforme a proposta. O sacerdote Esdras escolheu alguns chefes de família, um por família, designados nominalmente. No dia primeiro do décimo mês, começaram a examinar os casos
17. e, no dia primeiro do primeiro mês, terminaram todos os processos dos homens que haviam se casado com mulheres estrangeiras.

O "PECADO" QUE TODOS ESTAVAM COMETENDO
18. Descobriu-se que os seguintes sacerdotes tinham se casado com mulheres estrangeiras: Maasias, Eliezer, Jarib e Godolias, que eram filhos de Josué, filho de Josedec, e dos irmãos de Josué.
19. Eles se comprometeram a mandar embora suas mulheres e a oferecer um carneiro em reparação pelo pecado.
20. Outros sacerdotes que tinham mulheres estrangeiras: Hanani e Zabadias, descendentes de Emer.
21. Maasias, Elias, Semeías, Jaiel e Ozias, descendentes de Harim.
22. Elioenai, Maasias, Ismael, Natanael, Jozabad e Elasa, descendentes de Fasur.
23. Entre os levitas: Jozabad, Semei, Celaías ou Calita, Petaías, Judá e Eliezer.
24. Entre os cantores: Eliasib e Zacur. Entre os porteiros: Selum, Telém e Uri.
25. Entre os israelitas: Remeías, Jezias, Melquias, Miamin, Eleazar, Melquias e Banaías, descendentes de Faros.
26. Matanias, Zacarias, Jaiel, Abdi, Jerimot e Elias, descendentes de Elam.
27. Elioenai, Eliasib, Matanias, Jerimot, Zabad e Aziza, descendentes de Zetua.
28. Joanã, Hananias, Zabai e Atlai, descendentes de Bebai.
29. Mosolam, Meluc, Adaías, Jasub, Saal e Jerimot, descendentes de Beguai.
30. Ednas, Calal, Banaías, Maasias, Matanias, Beseleel, descendentes de Faat-Moab.
31. Eliezer, Jesias, Melquias, Semeías, Simeão,
32. Benjamim, Meluc e Semerias, descendentes de Harim.
33. Matanai, Matatias, Zabad, Elifalet, Jermai, Manassés e Semei, descendentes de Hasum.
34. Maadai, Amram, Joel,
35. Banaías, Badaías, Quelias,
36. Vanias, Meremot, Eliasib,
37. Matanias, Matanai e Jasi, descendentes de Bani.
38. Semei,
39. Selemias, Natã e Adaías, descendentes de Benui.
40. Sisai, Sarai,
41. Azareel, Selemias, Semerias,
42. Selum, Amarias e José, descendentes de Zacai.
43. Jeiel, Matatias, Zabad, Zabina, Jedu, Joel e Banaías, descendentes de Nebo.
44. Todos eles tinham se casado com mulheres estrangeiras, e se separaram das mulheres e dos filhos.
[Neemias 1]I. RECONSTRUÇÃO DE JERUSALÉM

Neemias 1

A SOLIDARIEDADE DESACOMODA
1. Memórias de Neemias, filho de Hacalias. No mês de Casleu do vigésimo ano, eu estava na fortaleza de Susa,
2. quando chegou meu irmão Hanani com alguns homens de Judá. Pedi logo notícias dos judeus repatriados, e também de Jerusalém.
3. Eles me disseram: "Os sobreviventes do exílio estão lá, na província, em situação muito miserável e vergonhosa. As muralhas de Jerusalém estão em ruínas e suas portas foram devoradas pelo fogo".
4. Ao ouvir tais notícias, sentei-me, chorei e fiquei de luto vários dias, jejuando e rezando ao Deus do céu.
5. Eu disse: "Javé, Deus do céu, Deus grande e terrível, fiel à aliança e misericordioso com aqueles que te amam e observam teus mandamentos!
6. Estejam teus ouvidos atentos e teus olhos abertos para atender à súplica do teu servo. Dia e noite eu suplico a ti em favor dos israelitas, teus servos, confessando os pecados que nós, israelitas, cometemos contra ti. Também eu e a família do meu pai pecamos!
7. Nós agimos muito mal contigo, e não guardamos os mandamentos, estatutos e normas que transmitiste ao teu servo Moisés.
8. Lembra-te, porém, do que disseste ao teu servo Moisés: 'Se vocês forem infiéis, vou espalhá-los entre as nações.
9. Contudo, se vocês voltarem para mim e observarem e colocarem em prática os meus mandamentos, mesmo que seus exilados estejam espalhados pelos confins do mundo, eu os recolherei de lá e os reconduzirei ao lugar que escolhi para nele fazer habitar o meu Nome'.
10. Eles são teus servos e teu povo. Tu os resgataste com grande poder e mão forte!
11. Que os teus ouvidos, Senhor, estejam atentos à súplica do teu servo e dos outros servos teus, que desejam temer o teu Nome! Faze, então, que eu tenha sucesso e possa conquistar a boa vontade deste homem!" Eu era, então copeiro do rei.

[Neemias 2]Neemias 2



1. No mês de Nisã do vigésimo ano do reinado de Artaxerxes, como era eu o responsável pela bebida, peguei o vinho e fui servir ao rei. Eu nunca me apresentara triste na presença dele.
2. Então o rei me perguntou: "Por que você está com o rosto abatido? Você não está doente, mas tem o coração angustiado". Eu me assustei,
3. mas respondi ao rei: "Viva o rei para sempre! Como não iria ficar triste, quando a cidade onde estão enterrados os meus antepassados está em ruínas e suas portas devoradas pelo fogo?"
4. O rei então me disse: "O que você gostaria de fazer?" Rezei ao Deus do céu,
5. e respondi: "Se Vossa Majestade concorda e está satisfeito com o seu servo, deixe-me ir para Judá, a fim de reconstruir a cidade onde estão enterrados os meus antepassados".
6. O rei e a rainha, que estava sentada ao lado dele, me perguntaram: "Quanto tempo vai durar a sua viagem? Quando voltará?" Marquei uma data. O rei concordou e me deixou ir.
7. Então acrescentei: "Se Vossa Majestade estiver de acordo, dê-me cartas de recomendação para os governadores da região ocidental do rio Eufrates, a fim de que me facilitem a viagem até Judá.
8. Dê-me também uma carta para Asaf, guarda do parque florestal do rei, a fim de que ele me forneça a madeira necessária para reformar as portas da fortaleza do Templo, as portas da muralha e também a casa onde vou morar". O rei me deu as cartas, porque a mão bondosa do meu Deus estava do meu lado.
9. Cheguei até os governadores da região ocidental do rio Eufrates, e apresentei as cartas do rei. E o rei me concedeu também uma escolta formada por oficiais e cavaleiros do exército.
10. Quando o horonita Sanabalat e o ministro amonita Tobias souberam da minha chegada, ficaram aborrecidos porque alguém chegava para trabalhar em benefício dos israelitas.

MODELO PARA UMA ESTRATÉGIA POPULAR
11. Cheguei a Jerusalém e descansei três dias.
12. Depois me levantei à noite, acompanhado de alguns homens, sem falar a ninguém o que Deus me havia inspirado fazer em Jerusalém. Levava comigo apenas o jumento que eu montava.
13. Saí de noite pela porta do Vale, e fui até a fonte do Dragão e a porta do Esterco. Comprovei que as muralhas de Jerusalém estavam cheias de brechas e as portas consumidas pelo fogo.
14. Segui para a porta da Fonte e o reservatório de água do rei. Como não havia espaço para o animal,
15. continuei a pé córrego acima, pela noite adentro. Observei as muralhas, entrei de novo pela porta do Vale, e voltei para casa.
16. As autoridades não ficaram sabendo por onde eu tinha andado ou que coisa pensava fazer. Eu ainda não tinha contado nada aos judeus, nem aos sacerdotes, nem ao pessoal importante, nem às autoridades ou responsáveis pelas obras.
17. Mais tarde, falei a eles: "Vocês estão vendo a miséria em que nos encontramos. Jerusalém está em ruínas e suas portas foram queimadas. Vamos reconstruir as muralhas de Jerusalém, e essa vergonha acabará".
18. Então contei de que maneira o meu Deus me ajudava, e tudo o que o rei me havia dito. Eles disseram: "Vamos começar o trabalho". E arregaçaram as mangas para realizar esse bom projeto.
19. Quando o horonita Sanabalat, o ministro amonita de nome Tobias e o árabe Gosem souberam do fato, começaram a caçoar e a fazer pouco caso de nós, dizendo: "Que negócio é esse que vocês estão fazendo? Querem se revoltar contra o rei?"
20. Mas eu lhes respondi: "O Deus do céu nos dará sucesso. Nós, servos de Deus, continuaremos reconstruindo. Vocês, porém, não terão terrenos, nem direitos, nem lembrança em Jerusalém".

[Neemias 3]Neemias 3



PROVIDENCIANDO A DEFESA DA CIDADE
1. O sumo sacerdote Eliasib e seus irmãos sacerdotes começaram a reconstruir a porta das Ovelhas. Montaram os portais, colocaram os batentes, as fechaduras e as trancas, reformaram a muralha até a torre dos Cem e a torre de Hananeel.
2. Ao lado de Eliasib trabalharam os homens de Jericó e também Zacur, filho de Imri.
3. O pessoal de Asená reconstruiu a porta dos Peixes, montou os portais, colocou os batentes, as fechaduras e as trancas.
4. Ao lado deles trabalhavam na restauração Meremot, filho de Urias, da família de Acus, Mosolam, filho de Baraquias, da família de Mesezebel, e também Sadoc, filho de Baana.
5. O povo de Técua reformou o trecho seguinte das muralhas, mas o pessoal importante se negou a colaborar com os mestres de obras.
6. Joiada, filho de Fasea, e Mosolam, filho de Besodias, reformaram a porta do bairro Novo. Montaram os portais e colocaram os batentes, as fechaduras e as trancas.
7. Reformaram o trecho seguinte: Meltias de Gabaon e Jadon de Meronot, gente de Gabaon e Masfa, da jurisdição do governador da região ocidental do rio Eufrates.
8. Ao lado deles trabalhavam Oziel, que era ourives, e Hananias, que era perfumista; esses puseram Jerusalém em ordem até a muralha larga.
9. Ao lado deles trabalhava Rafaías, filho de Hur, chefe de um subdistrito de Jerusalém.
10. Jedaías, filho de Haromaf, reformou a parte da muralha que fica em frente da sua casa. Hatus, filho de Hasebonias, reformou o trecho ao lado.
11. O trecho seguinte, até a torre dos Fornos, foi reformado por Melquias, filho de Herem, e por Hasub, filho de Faat-Moab.
12. Outro chefe de subdistrito de Jerusalém, Selum, filho de Aloés, acompanhado de seus filhos, reformou o trecho ao lado.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   64   65   66   67   68   69   70   71   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal