Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


CONFESSAR A VERDADE E CONVERTER-SE



Baixar 5.7 Mb.
Página70/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   66   67   68   69   70   71   72   73   ...   197

CONFESSAR A VERDADE E CONVERTER-SE
1. No dia vinte e quatro desse mesmo mês, os israelitas se reuniram para um jejum, vestidos de pano de saco e com a cabeça coberta de pó.
2. As pessoas de origem israelita se separaram de todos os estrangeiros e, de pé, puseram-se a confessar os próprios pecados e as culpas de seus antepassados.
3. Num quarto do dia, o povo ficava de pé onde estava, e era feita a leitura da Lei de Javé, seu Deus. No outro quarto do dia, eles confessavam seus pecados, prostrando-se diante de Javé, seu Deus.
4. Josué, Benui, Cadmiel, Sebanias, Buni, Serebias, Bani e Canani subiram ao palanque dos levitas e invocaram a Javé, seu Deus.
5. Os levitas Josué, Cadmiel, Bani, Hasabnéias, Serebias, Hodias, Sebanias e Fetaías disseram: "Levantem-se e bendigam a Javé, seu Deus". Bendito sejas tu, Javé, nosso Deus, desde sempre e para sempre. Bendito seja o teu Nome glorioso, que supera toda bênção e louvor!
6. Javé, tu és o único Deus! Fizeste o céu e o mais alto dos céus, e todos os seus exércitos. Fizeste a terra e o que ela contém. Fizeste os mares e o que neles existe. Dás vida a tudo isso, e o exército do céu te adora.
7. Tu és Javé, o Deus que escolheu Abrão. Tu o tiraste de Ur dos Caldeus e lhe deste o nome de Abraão.
8. Viste que o coração dele era fiel a ti, e com ele fizeste aliança, para dar a ele e à sua descendência a terra dos cananeus, heteus e amorreus, dos ferezeus, jebuseus e gergeseus. E cumpriste a tua promessa, porque tu és justo.
9. Viste a aflição de nossos antepassados no Egito, ouviste o clamor deles junto ao mar Vermelho.
10. Realizaste sinais e prodígios contra o Faraó, contra seus ministros e todo o povo do país, pois sabias que tinham oprimido nossos antepassados, e ganhaste uma fama que dura até hoje.
11. Abriste o mar diante deles, e atravessaram o mar a pé enxuto. Jogaste no abismo seus perseguidores, como pedra em águas profundas.
12. De dia, tu os guiaste na coluna de nuvem, e de noite, na coluna de fogo, para iluminar na frente deles o caminho que deviam percorrer.
13. Desceste ao monte Sinai, e do céu falaste com eles. Tu lhes deste normas justas e leis verdadeiras, estatutos e mandamentos excelentes.
14. Revelaste a eles teu santo sábado, e, por meio do teu servo Moisés, tu lhes deste mandamentos, estatutos e a lei.
15. Quando tinham fome, tu lhes deste o pão do céu. Quando tinham sede, fizeste brotar água do rochedo. Tu os mandaste tomar posse da terra, que tinhas jurado dar a eles.
16. Nossos antepassados, porém, se encheram de orgulho, se tornaram altivos e desobedeceram aos teus mandamentos.
17. Não quiseram ouvir, nem lembrar as maravilhas que realizaste em favor deles. Ficaram altivos e se empenharam em voltar para a escravidão do Egito. Tu, porém, és o Deus que perdoa, cheio de piedade e compaixão, lento para a cólera e cheio de amor, e não os abandonaste.
18. Fizeram um bezerro de metal e disseram: "Este é o seu Deus que tirou você do Egito!" Cometeram uma ofensa terrível.
19. Tu, porém, com grande compaixão, não os abandonaste no deserto. Não se afastou deles a coluna de nuvem, que os guiava de dia pelo caminho, nem a coluna de fogo, que de noite lhes iluminava o caminho que deviam percorrer.
20. Deste a eles teu bom espírito para torná-los prudentes. Não lhes tiraste da boca o maná, e, na sede, lhes deste água.
21. Quarenta anos tu os sustentaste no deserto, e de nada sentiram falta. Suas roupas não se gastaram e seus pés não ficaram inchados.
22. A eles entregaste reinos e povos, e entre eles repartiste o território. Tomaram posse da terra de Seon, rei de Hesebon, e da terra de Og, rei de Basã.
23. Multiplicaste seus filhos como as estrelas do céu, e os introduziste na terra, cuja posse tinhas prometido a seus antepassados.
24. Os filhos invadiram e tomaram posse da terra, e tu derrotaste diante deles os cananeus que moravam no país. Tu os entregaste na mão deles, e também os reis e os povos do país, para que os tratassem como bem entendessem.
25. Eles conquistaram cidades fortificadas e terra fértil. Tomaram posse de casas bem abastecidas, cisternas prontas, vinhas e olivais, e muitas árvores frutíferas. Eles comeram, se fartaram e engordaram, desfrutando dos teus dons generosos.
26. Depois disso, ficaram indóceis e se revoltaram contra ti. Desprezaram tua Lei e mataram os profetas que os advertiam a se converterem para ti. E cometeram graves ofensas.
27. Então tu os entregaste aos inimigos que os oprimiram. Na angústia, porém, eles clamaram a ti, e do céu tu os escutaste. Com tua grande compaixão enviaste salvadores que os libertaram dos inimigos.
28. Mas logo que recuperavam a paz, faziam de novo aquilo que reprovas, e tu os abandonavas aos inimigos que os oprimiam. De novo, eles clamavam a ti, e do céu tu os escutavas. Tu os libertaste muitas vezes, por causa de tua grande compaixão.
29. Chamaste a atenção deles, a fim de que voltassem para tua Lei. Mas eles se encheram de orgulho e não obedeceram aos teus mandamentos. Pecaram contra as tuas normas, que dão vida a quem as observa. Voltaram as costas com rebeldia, ficaram altivos e não obedeceram.
30. Por muitos anos, foste paciente com eles, e teu espírito os advertiu por meio dos profetas, mas eles não prestaram atenção. Por isso, os entregaste aos povos pagãos.
31. Tu, porém, com tua grande compaixão, não os aniquilaste, nem os abandonaste, pois és um Deus de piedade e compaixão.
32. E agora, Deus nosso, Deus grande, poderoso e terrível, fiel à aliança e ao amor, não fiques indiferente às aflições que se abateram sobre nossos reis, sobre nossos chefes, sacerdotes e profetas, sobre nossos antepassados e todo o teu povo, desde o tempo dos reis da Assíria, até o dia de hoje.
33. És inocente de tudo o que nos aconteceu, porque tu agiste com fidelidade, enquanto nós praticávamos o mal.
34. Sim! Nossos reis, chefes, sacerdotes e nossos antepassados não seguiram tua Lei, nem deram atenção aos teus mandamentos, nem às advertências com que os avisavas.
35. Mesmo durante o reinado deles, apesar dos bens que lhes concedias e da terra vasta e fértil que lhes deste, não serviram a ti, nem se converteram de seu mal.
36. Por isso, agora estamos escravizados. Hoje nós somos escravos na terra que deste a nossos antepassados para gozarem de seus frutos e bens.
37. Seus produtos abundantes vão para os reis, aos quais tu nos sujeitaste por causa dos nossos pecados. Eles dominam como querem, tanto a nós, como a nossos rebanhos. Estamos em grande aflição!

[Neemias 10]Neemias 10



A FÉ LEVA AO COMPROMISSO
1. Por tudo isso, assumimos por escrito um compromisso sério. O documento foi assinado por nossos chefes, nossos levitas e sacerdotes.
2. O documento foi assinado por Neemias, filho de Hacalias, por Sedecias,
3. Saraías, Azarias, Jeremias,
4. Fasur, Amarias, Melquias,
5. Hatus, Sebanias, Meluc,
6. Harim, Meremot, Abdias,
7. Daniel, Genton, Baruc,
8. Mosolam, Abias, Miamin,
9. Maazias, Belgai e Semeías, que eram sacerdotes.
10. Os levitas que assinaram foram: Josué, filho de Azanias, Benui, dos filhos de Henadad, Cadmiel
11. e seus irmãos, Sequenias, Odovias, Celita, Falaías, Hanã,
12. Micas, Roob, Hasebias,
13. Zacur, Serebias, Sebanias,
14. Odias, Bani e Canani.
15. Os chefes do povo que assinaram foram: Faros, Faat-Moab, Elam, Zetu, Bani,
16. Buni, Azgad, Bebai,
17. Adonias, Beguai, Adin,
18. Ater, Ezequias, Azur,
19. Adias, Hasum, Besai,
20. Haref, Anatot, Nebai,
21. Megfias, Mosolam, Hazir,
22. Mesezebel, Sadoc, Jedua,
23. Feltias, Hanã, Anaías,
24. Oséias, Hananias, Hasub,
25. Aloés, Falea, Sobec,
26. Reum, Hasabna, Maasias,
27. Aías, Hanã, Anã,
28. Meluc, Harim, Baana.
29. O resto do povo, os sacerdotes, os levitas, os porteiros, os cantores, os doados e todos os que se separaram da população local para se converter à Lei de Deus, junto com suas mulheres, filhos, filhas e todos os que tinham uso da razão,
30. se uniram a seus irmãos e chefes, e se comprometeram solenemente a proceder segundo a Lei de Deus, dada por Moisés, servo de Deus, e a praticar todos os mandamentos, normas e estatutos de Javé, nosso Deus.
31. Não dar nossas filhas à população local e não casar nossos filhos com as filhas deles.
32. Não comprar em dia de sábado e dias de festa as mercadorias, principalmente o trigo que a população local vende no dia de sábado. A cada sete anos, renunciar à colheita e perdoar qualquer tipo de dívida.
33. Nós nos comprometemos também a entregar todo ano a terça parte de um siclo para o culto do Templo do nosso Deus.
34. Isso servirá para os pães oferecidos a Deus, para a oferta diária, para o holocausto diário, para as solenidades dos sábados, luas novas e festas, para as consagrações e sacrifícios pelo pecado de Israel, e para todo o serviço do Templo do nosso Deus.
35. Nós, sacerdotes, levitas e povo, divididos por famílias, tiramos sorte para ver quem ofereceria lenha a ser levada ao Templo nas épocas certas, todos os anos, a fim de acender o fogo no altar de Javé, nosso Deus, conforme está escrito na Lei.
36. Nós nos comprometemos também a levar para o Templo de Javé, todos os anos, os primeiros frutos de nossas lavouras, os primeiros frutos de todas as árvores frutíferas,
37. e os primogênitos de nossos filhos e rebanhos, conforme está escrito na Lei; e a entregar aos sacerdotes, que servem no Templo, os primogênitos de nossos rebanhos graúdos e miúdos.
38. A flor de nossa farinha de trigo, nossas ofertas, toda espécie de frutas, nosso vinho e óleo, também vamos levar para os sacerdotes aos armazéns do Templo do nosso Deus. Daremos o dízimo de nossa terra aos levitas. Os próprios levitas recolherão esse dízimo nos lugares cultivados por nós.
39. Um sacerdote, da descendência de Aarão, estará com os levitas, quando estes estiverem recolhendo o dízimo. Os levitas levarão um décimo do dízimo para a sala do tesouro do Templo de Deus.
40. É para essas mesmas salas do Templo de Deus que os israelitas e levitas levarão as oferendas de trigo, vinho e óleo. É aí também que ficam os objetos sagrados e os sacerdotes encarregados de guardá-los, além dos porteiros e cantores. Nunca mais descuidaremos do Templo do nosso Deus!

[Neemias 11]Neemias 11



REPOVOAMENTO DE JERUSALÉM
1. Os chefes do povo ficaram morando em Jerusalém. O resto do povo tirou sorte para que, de cada dez, um morasse na cidade santa de Jerusalém, e os outros nove nas outras cidades.
2. O povo abençoou a todos os que se ofereceram para morar em Jerusalém.
3. São estes os chefes de família da província que ficaram morando em Jerusalém. Os sacerdotes, levitas, doados e descendentes dos escravos de Salomão ficaram morando nas várias cidades de Judá, cada qual na sua propriedade.
4. Em Jerusalém ficaram morando os descendentes de Judá e Benjamim. Descendentes de Judá: Ataías, filho de Ozias, filho de Zacarias, filho de Amarias, filho de Safatias, filho de Malaleel, descendente de Farés.
5. Maasias, filho de Baruc, filho de Col-Hoza, filho de Hazias, filho de Adaías, filho de Joiarib, filho de Zacarias, descendente de Sela.
6. Total dos descendentes de Farés que ficaram morando em Jerusalém: quatrocentos e sessenta e oito homens valentes.
7. Descendentes de Benjamim: Salu, filho de Mosolam, filho de Joed, filho de Fadaías, filho de Calaías, filho de Maasias, filho de Eteel, filho de Isaías,
8. com seus irmãos Gabai e Salai. Ao todo, novecentos e vinte e oito.
9. Joel, filho de Zecri, era chefe deles. Como segunda autoridade na cidade, ficou Judá, filho de Senua.
10. Sacerdotes: Jedaías, filho de Joaquim,
11. filho de Saraías, filho de Helcias, filho de Mosolam, filho de Sadoc, filho de Maraiot, filho de Aquitob, chefe do Templo de Deus,
12. e seus irmãos que exerciam suas funções no Templo. Ao todo, oitocentos e vinte e dois. Além desses, havia ainda Adaías, filho de Jeroam, filho de Felelias, filho de Amsi, filho de Zacarias, filho de Fasur, filho de Melquias,
13. com seus irmãos, chefes de família. Ao todo, duzentos e quarenta e dois. Ficaram ainda: Amasai, filho de Azareel, filho de Aazi, filho de Mosolamot, filho de Emer,
14. e seus irmãos, perfazendo um total de cento e vinte e oito homens valentes. O chefe deles era Zabdiel, filho de Agadol.
15. Levitas: Semeías, filho de Asub, filho de Ezricam, filho de Hasabias, filho de Buni;
16. Sabatai e Jozabad, entre os chefes levitas, eram os encarregados dos serviços externos do Templo de Deus;
17. Matanias, filho de Micas, filho de Zabdi, filho de Asaf, dirigia os hinos e cantava a ação de graças na oração; Becbecias, que era o segundo da família, e Abdias, filho de Samua, filho de Galal, filho de Iditun.
18. Havia duzentos e oitenta e quatro levitas na cidade santa.
19. Porteiros: Acub, Telmon e seus irmãos. Ao todo, cento e setenta e dois, que montavam guarda nas portas.
20. Os outros israelitas, sacerdotes e levitas, ficaram espalhados pelas cidades de Judá, cada qual na sua propriedade.
21. Os doados ficaram morando no Ofel. À frente deles estavam Sia e Gasfa.
22. O chefe dos levitas em Jerusalém era Ozi, filho de Bani, filho de Hasabias, filho de Matanias, filho de Micas. Ele fazia parte dos filhos de Asaf, cantores encarregados do serviço no Templo de Deus.
23. Uma ordem do rei e um regulamento fixavam a tarefa diária dos cantores.
24. Fetaías, filho de Mesezebel, descendente de Zara, filho de Judá, estava a serviço do rei, para todos os assuntos relativos ao povo.
25. Também nas aldeias e campos moravam judeus. Os descendentes de Judá ficaram morando em Cariat-Arbe e suas aldeias, em Dibon e suas aldeias, em Cabseel e suas aldeias,
26. em Jesua, Molada, Bet-Falet,
27. Haser-Sual, Bersabéia e suas aldeias,
28. em Siceleg, Mecona e suas aldeias,
29. em En-Remon, Saraá, Jarmut,
30. Zanoe, Odolam e suas aldeias, em Laquis e seus campos, em Azeca e suas aldeias. Eles ocuparam toda a região, desde Bersabéia até o vale de Enom.
31. Os descendentes de Benjamim ficaram morando em Gaba, Macmas, Aía, Betel e suas aldeias,
32. em Anatot, Nob, Ananias,
33. Hasor, Ramá, Getaim,
34. Hadid, Seboim, Nebalat,
35. Lod e Ono, e vale dos Artesãos.
36. Um grupo de levitas ficou morando na região de Judá e Benjamim.

[Neemias 12]Neemias 12



OS LEVITAS DEPOIS DO EXÍLIO
1. Lista dos sacerdotes e levitas que chegaram com Zorobabel, filho de Salatiel, e com Josué: Saraías, Jeremias, Esdras,
2. Amarias, Meluc, Hatus,
3. Sequenias, Reum, Meremot,
4. Ado, Genton, Abias,
5. Miamin, Madias, Belga,
6. Semeías, Joiarib, Jedaías,
7. Salu, Amoc, Helcias, Jedaías. Esses eram os chefes dos sacerdotes e seus irmãos, no tempo de Josué.
8. Os levitas eram: Josué, Benui, Cadmiel, Serebias, Judá e Matanias, o qual com seus irmãos, dirigia os hinos de ação de graças,
9. enquanto os outros seus irmãos Becbecias e Ani ficavam em frente deles para entoar os cânticos.
10. Josué foi o pai de Joaquim; Joaquim, o pai de Eliasib; Eliasib, o pai de Joiada;
11. Joiada, o pai de Joanã; e Joanã, o pai de Jedua.
12. No tempo de Joaquim, os chefes das famílias sacerdotais eram: Maraías, chefe da família de Saraías; Hananias, da família de Jeremias;
13. Mosolam, da família de Esdras; Joanã, da família de Amarias;
14. Jônatas, da família de Meluc; José, da família de Sebanias;
15. Ednas, da família de Harim; Helci, da família de Maraiot,
16. Zacarias, da família de Ado; Mosolam, da família de Genton;
17. Zecri, da família de Abias; ... da família de Miniamin; Felti, da família de Moadias;
18. Samua, da família de Belga; Jônatas, da família de Semeías;
19. Matanai, da família de Joiarib; Ozi, da família de Jedaías;
20. Celai, da família de Selai; Héber, da família de Amoc;
21. Hasabias, da família de Helcias; e Natanael, da família de Zedaías.
22. No tempo de Eliasib, Joiada, Joanã e Jedua, foi feita uma lista dos chefes das famílias sacerdotais até o começo do reinado de Dario, o persa.
23. Levitas: Os chefes das famílias estão registrados no Livro das Crônicas, mas só até o tempo de Joanã, neto de Eliasib.
24. Eram eles: Hasabias, Serebias, Josué, Benui, Cadmiel e seus irmãos, que ficavam em frente deles para entoar os hinos de louvor e ação de graças, conforme às determinações de Davi, homem de Deus, um grupo alternando com o outro.
25. Esses eram Matanias, Becbecias e Abdias. Mosolam, Telmon e Acub eram porteiros, que ficavam vigiando nos armazéns perto das portas da cidade.
26. Esse pessoal é do tempo de Joaquim, filho de Josué, filho de Josedec, do tempo do governador Neemias e do sacerdote Esdras, doutor da Lei.

FESTEJANDO A RESTAURAÇÃO
27. Por ocasião da dedicação das muralhas de Jerusalém, os levitas foram convocados de todos os lugares onde moravam, para irem a Jerusalém, a fim de celebrar a dedicação com festa e ação de graças, ao som de címbalos, cítaras e harpas.
28. Reuniram-se, então, levitas encarregados dos cânticos, vindos do distrito de Jerusalém e redondezas, das cidades dos netofatitas,
29. de Bet-Guilgal, da zona rural de Gaba e de Azmot, pois os cantores tinham construído aldeias nos arredores de Jerusalém.
30. Os sacerdotes e levitas se purificaram, e depois purificaram o povo, as portas e a muralha.
31. Então mandei que os chefes de Judá subissem à muralha. E organizei duas grandes alas. Uma deveria caminhar pela direita, na direção da porta do Esterco.
32. Atrás dela, iam Osaías e a metade dos chefes de Judá.
33. Iam também Azarias, Esdras, Mosolam,
34. Judá, Benjamim, Semeías e Jeremias,
35. pertencentes ao coro dos sacerdotes com as trombetas. Depois, vinham Zacarias, filho de Jônatas, filho de Semeías, filho de Matanias, filho de Micas, filho de Zacur, filho de Asaf,
36. com seus irmãos Semeías, Azareel, Malalai, Galalai, Maai, Natanael, Judá e Hanani, levando os instrumentos musicais de Davi, homem de Deus. Esdras, doutor da Lei, ia na frente deles.
37. Passaram pela porta da Fonte e, seguindo em linha reta, subiram as escadas da Cidade de Davi, e desceram pela encosta da muralha, junto ao palácio de Davi, até a porta das Águas, ao leste.
38. A outra ala ia pela esquerda. Eu a seguia com a outra metade dos chefes do povo. Fomos por cima da muralha, passamos pela torre dos Fornos e chegamos à muralha larga.
39. Passamos depois por cima da porta de Efraim, da porta Velha, da porta dos Peixes, da torre de Hananeel, da torre dos Cem, da porta das Ovelhas, e paramos na porta da Guarda.
40. Depois, as duas alas entraram no Templo de Deus. Junto comigo estava a metade dos chefes,
41. e também os sacerdotes Eliaquim, Maasias, Miniamin, Micas, Elioenai, Zacarias e Hananias, que levavam trombetas,
42. e também Maasias, Semeías, Eleazar, Ozi, Joanã, Melquias, Elam e Ezer. Os cantores entoaram um hino sob a direção de Jezraías.
43. Nesse dia, oferecemos sacrifícios solenes. E o povo festejou, pois Deus lhe havia dado grande motivo de alegria. Até as mulheres e crianças participaram da festa. Ouvia-se ao longe o barulho da festa em Jerusalém.

UMA ÉPOCA IDEAL
44. Nesse tempo foram nomeados alguns homens para guardar as salas reservadas para as provisões, donativos, primeiros frutos e dízimo. Aí esses homens deviam recolher, da zona rural das cidades, as partes devidas por lei aos sacerdotes e levitas. Os judeus estavam contentes com a função dos sacerdotes e levitas,
45. pois eles se ocupavam do culto do seu Deus e do ritual de purificação, conforme as instruções de Davi e de seu filho Salomão. Também estavam contentes com os cantores e porteiros.
46. Desde os tempos de Davi e Asaf, havia chefe de cantores e dos cânticos de louvor e ação de graças a Deus.
47. É por isso que, nos tempos de Zorobabel e Neemias, os israelitas proviam diariamente às necessidades dos cantores e porteiros. Também faziam ofertas aos levitas que, por sua vez, entregavam aos descendentes de Aarão a parte que cabia a estes.

[Neemias 13]Neemias 13



DEFENDER A COMUNIDADE DE INFLUÊNCIAS ESTRANGEIRAS
1. Nesse tempo, lendo ao povo o livro de Moisés, encontramos escrito o seguinte: "O amonita e o moabita nunca poderão entrar na assembléia de Deus,
2. porque não foram com pão e água ao encontro dos filhos de Israel. Contrataram Balaão para os amaldiçoar, mas o nosso Deus transformou a maldição em bênção".
3. Quando ouviram a Lei, separaram de Israel todo elemento estrangeiro que com ele estava misturado.
4. Antes disso, porém, o sacerdote Eliasib tinha sido encarregado das salas do Templo do nosso Deus. Sendo parente de Tobias,
5. arranjou para este uma sala bem grande, onde antes se colocavam as ofertas, o incenso e os objetos do culto, o dízimo do trigo, do vinho e do azeite, isto é, as partes que cabiam aos levitas, aos cantores e aos porteiros, e o que era reservado para os sacerdotes.
6. Enquanto isso acontecia, eu estava fora de Jerusalém, pois no trigésimo segundo ano de Artaxerxes, rei da Babilônia, eu tinha voltado para junto do rei. Depois de algum tempo, pedi licença ao rei,
7. e voltei para Jerusalém. Então fiquei sabendo do mal que Eliasib tinha cometido em favor de Tobias, cedendo-lhe uma sala nas dependências do Templo de Deus.
8. Fiquei indignado, e joguei na rua toda a mobília de Tobias.
9. Mandei purificar a sala e, depois, recolocar nela os objetos do Templo de Deus, as ofertas e o incenso.
10. Também fiquei sabendo que não estavam mais dando aos levitas as contribuições devidas, e que os levitas e cantores, encarregados do culto, tinham fugido cada qual para a sua propriedade.
11. Enfrentei os ministros e lhes disse: "Por que o Templo de Deus está abandonado?" Reuni de novo os levitas e os reintegrei nas suas funções.
12. Então, todos os judeus começaram a trazer de novo para os armazéns o dízimo do trigo, do vinho e do azeite.
13. Coloquei, como encarregados dos armazéns, o sacerdote Selemias, o escrivão Sadoc e o levita Fadaías, ajudados por Hanã, filho de Zacur, filho de Matanias, pois eles tinham fama de serem íntegros. A função deles era distribuir as porções para seus irmãos.
14. Por tudo isso, lembra-te de mim, ó meu Deus! Não deixes apagar da tua lembrança as boas ações que realizei pelo Templo de Deus e pelo seu culto.

O DIA DE DEUS E DO HOMEM


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   66   67   68   69   70   71   72   73   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal