Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página71/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   67   68   69   70   71   72   73   74   ...   197

15. Nessa ocasião, vi em Judá gente pisando uvas no tanque, em dia de sábado; gente que transportava trigo e o colocava sobre jumentos, e também vinho, uva, figo e toda espécie de carga, e levavam isso para Jerusalém em dia de sábado! Chamei a atenção deles, para que não vendessem seus produtos.
16. Havia em Jerusalém até gente de Tiro, que trazia peixe e outras mercadorias, que eram vendidas aos judeus em dia de sábado.
17. Repreendi o pessoal importante de Judá, dizendo-lhes: "Vocês estão fazendo uma coisa abominável, profanando o dia de sábado.
18. Não foi isso que seus antepassados fizeram? Então Deus mandou toda essa desgraça sobre nós e sobre esta cidade. Com essa profanação do sábado, vocês estão aumentando a ira de Deus contra Israel".
19. Mandei que fechassem as portas de Jerusalém ao cair da tarde, antes do sábado, com ordem de não abri-las enquanto o sábado não tivesse passado. Coloquei alguns dos meus homens perto das portas da cidade, para não deixar que entrasse nenhum carregamento na cidade durante o sábado.
20. Por uma ou duas vezes, alguns mascates e negociantes de artigos tiveram de passar a noite do lado de fora de Jerusalém.
21. Então, eu os avisei: "Por que vocês estão dormindo ao pé da muralha? Se fizerem isso de novo, vou prender vocês". Daí por diante, não voltaram mais aos sábados.
22. Mandei também que os levitas se purificassem e vigiassem as portas da cidade, para santificar o dia de sábado. Por tudo isso, lembra-te de mim, ó meu Deus, e tem piedade de mim, por tua grande misericórdia!

PRESERVAR A IDENTIDADE ORIGINAL DO POVO
23. Nessa mesma ocasião, notei que os judeus estavam se casando com mulheres azotitas, amonitas e moabitas.
24. Metade de seus filhos falava a língua de Azoto e outras línguas estrangeiras, e não sabiam mais falar a língua dos judeus.
25. Eu os reprovei e amaldiçoei, bati em alguns, arranquei cabelos de outros e os fiz jurar em nome de Deus que não dariam suas filhas em casamento aos filhos deles, nem tomariam as filhas deles para seus filhos ou para si próprios.
26. Eu disse: "Não foi esse o pecado de Salomão, rei de Israel? Entre numerosas nações, não havia um rei como ele. E Deus o amava tanto que o tornou rei de todo o Israel. Pois até a ele, as mulheres estrangeiras o fizeram pecar!
27. E agora, casando-se com mulheres estrangeiras, vocês cometem esse grande crime de trair nosso Deus!"
28. Um dos filhos de Joiada, filho de Eliasib, o sumo sacerdote, tinha-se tornado genro do horonita Sanabalat. Expulsei-o para longe.
29. Lembra-te, ó meu Deus, da profanação que essa gente cometeu contra o sacerdócio e contra a aliança dos sacerdotes e levitas.
30. Então purifiquei o povo de todo costume estrangeiro, e restabeleci as funções dos sacerdotes e levitas, determinando a tarefa de cada um.
31. Também dei as normas sobre o fornecimento de lenha no tempo certo e sobre os primeiros frutos. Lembra-te de mim, ó meu Deus, para o meu bem!

[Tobias 1]Tobias 1



TEMA DO LIVRO
1. História de Tobit, filho de Tobiel, filho de Ananiel, filho de Aduel, filho de Gabael, descendente de Asiel, da tribo de Neftali.
2. No tempo de Salmanasar, rei da Assíria, Tobit foi exilado de Tisbé, que fica ao sul de Cedes, em Neftali, na Galiléia do norte, acima de Hasor, a ocidente, ao norte de Sefat.

I. O SOFRIMENTO DOS JUSTOS

FIDELIDADE NA PRÓPRIA TERRA
3. Eu, Tobit, durante toda a minha vida, andei pelos caminhos da verdade e da justiça. Sempre dei ajuda aos meus irmãos e compatriotas, exilados comigo em Nínive, no país da Assíria.
4. Quando eu era moço e estava na minha terra, no país de Israel, toda a tribo do meu antepassado Neftali se separou da dinastia de Davi e de Jerusalém, cidade escolhida por Deus, entre todas as tribos de Israel, para os sacrifícios. Aí foi construído e consagrado o Templo para ser a morada perpétua de Deus.
5. Todos os meus irmãos e a tribo de Neftali ofereciam sacrifícios ao bezerro que Jeroboão, rei de Israel, tinha colocado em Dã, na região montanhosa da Galiléia.
6. Muitas vezes, eu era o único a ir em peregrinação a Jerusalém, por ocasião das festas, a fim de cumprir a Lei perpétua que obriga todo o Israel. Eu corria a Jerusalém com os primeiros produtos da lavoura e as primeiras crias dos animais, com o dízimo do gado e a primeira lã das ovelhas,
7. e os entregava aos sacerdotes, filhos de Aarão, para o altar. Aos levitas que estavam exercendo função em Jerusalém, eu entregava o dízimo do trigo, do vinho, do óleo, das romãs, dos figos e das frutas. Por seis anos consecutivos, eu converti o segundo dízimo em dinheiro e o gastava a cada ano em Jerusalém.
8. O terceiro dízimo, eu dava para os órfãos, as viúvas e os estrangeiros convertidos que viviam com os israelitas, e o dava a eles de três em três anos. Então nós comíamos juntos, conforme a lei de Moisés e a orientação que nos deixou Débora, mãe do nosso pai Ananiel, pois meu pai tinha morrido, deixando-me órfão.
9. Homem feito, casei-me com uma mulher parente nossa, de nome Ana. Ela me deu um filho, a quem chamei com o nome de Tobias.

FIDELIDADE NO EXÍLIO
10. Exilado na Assíria, levado como prisioneiro, eu cheguei a Nínive. Meus irmãos e compatriotas comiam alimentos dos pagãos,
11. mas eu tomei cuidado para não fazer o mesmo.
12. Porque permaneci fiel a Deus com todo o meu coração,
13. o Altíssimo me fez ganhar o favor de Salmanasar, e cheguei a ser procurador dele.
14. Até à sua morte, eu costumava ir à Média e aí fazia as compras na casa de Gabael, irmão de Gabri, em Rages, na Média, onde deixei em depósito algumas sacolas com trezentos quilos de prata.
15. Depois Salmanasar morreu, e seu filho Senaquerib lhe sucedeu no trono. Os caminhos para a Média foram fechados, e eu não pude mais viajar para lá.
16. No tempo de Salmanasar, dei muita esmola aos meus compatriotas.
17. Eu dava o meu próprio alimento para os que estavam com fome, roupa aos que estavam mal vestidos, e quando via o cadáver de algum compatriota jogado fora das muralhas de Nínive, eu o enterrava.
18. Também sepultei os que Senaquerib matou, quando voltou fugindo da Judéia, por ocasião do castigo que o Rei do céu lhe aplicou por causa das blasfêmias que ele disse. Nessa ocasião, enfurecido, ele matou muitos israelitas. Eu recolhia os corpos às escondidas e os enterrava. Senaquerib mandava procurá-los, mas não os encontrava.
19. Alguém de Nínive foi denunciar ao rei que era eu quem os enterrava às escondidas. Quando fiquei sabendo que o rei estava informado a meu respeito e que me procuravam para me matar, fiquei com medo e fugi.
20. Tudo o que eu possuía foi confiscado, e nada restou que não fosse levado para o tesouro do rei. Só ficaram minha mulher Ana e meu filho Tobias.
21. Não se passaram quarenta dias, e os dois filhos de Senaquerib o assassinaram e fugiram para os montes de Ararat. Seu filho Asaradon lhe sucedeu no trono. Asaradon nomeou Aicar, filho de meu irmão Anael, para dirigir toda a economia do país, de modo que ele tinha poder sobre toda a administração.
22. Então Aicar interferiu em meu favor, e eu pude voltar para Nínive. O fato é que Aicar tinha sido chefe dos copeiros, chanceler, administrador e encarregado das finanças durante o governo de Senaquerib, rei da Assíria. Por isso, Asaradon o manteve no cargo. Aicar era da minha família, era meu sobrinho.

[Tobias 2]Tobias 2



FIDELIDADE E CORAGEM
1. Durante o reinado de Asaradon, eu pude voltar para a minha casa e ter de novo minha mulher Ana e meu filho Tobias. Em nossa festa de Pentecostes, isto é, na festa das Semanas, foi-me preparado um belo almoço e eu me sentei à mesa para comer.
2. Enquanto serviam a mesa e preparavam vários pratos, eu disse ao meu filho Tobias: "Filho, vá ver se encontra algum pobre entre os nossos compatriotas exilados em Nínive, alguém que permanece fiel a Deus de todo o coração, e traga-o aqui para almoçar conosco. Vou esperar você voltar, meu filho!"
3. Então Tobias foi procurar um pobre entre os nossos compatriotas. Ao voltar, disse: "Meu pai!" E eu perguntei: "O que foi, meu filho?" Ele continuou: "Pai, assassinaram um compatriota nosso. Foi estrangulado e jogado na praça do mercado. Ainda está lá".
4. Imediatamente deixei a mesa, sem ao menos provar o almoço. Fui buscar o corpo e o coloquei num quarto, esperando o pôr-do-sol para enterrá-lo.
5. Voltando, lavei-me e fui almoçar cheio de tristeza,
6. lembrando-me das palavras que o profeta Amós disse contra Betel: "As festas de vocês vão se transformar em luto, e seus cânticos alegres em lamentações".
7. E comecei a chorar. Logo que o sol se pôs, saí de casa, fiz uma cova e enterrei o corpo.
8. Os meus vizinhos caçoavam de mim, dizendo: "Ele não tem mais medo! Por esse motivo, já foi procurado para ser morto. Da primeira vez, conseguiu fugir. Agora, está aí de novo enterrando os mortos!"

DESESPERO DO HOMEM JUSTO
9. Nessa mesma noite, depois de tomar banho, fui para o pátio de minha casa e deitei-me junto ao muro do pátio, com o rosto descoberto por causa do calor.
10. Não tinha notado, porém, que havia uns pardais no muro, bem acima de mim. Caiu excremento quente nos meus olhos, produzindo neles manchas brancas. Fui aos médicos para me tratar. Porém, quanto mais pomadas aplicavam, mais as manchas aumentavam, até que fiquei completamente cego. Fiquei cego durante quatro anos. Todos os meus irmãos lamentaram muito a minha sorte. Aicar me sustentou por dois anos, até que se mudou para Elimaida.
11. Nessa situação, minha mulher Ana começou a trabalhar para ganhar dinheiro. Fiava lã e recebia tela para tecer.
12. Entregava as encomendas, e os fregueses lhe pagavam o trabalho. No dia sete do mês Distros, ela terminou uma dessas encomendas e a entregou aos fregueses. Eles lhe pagaram tudo e ainda lhe deram um cabrito para o almoço.
13. Quando ela chegou em casa e o cabrito começou a berrar, eu a chamei e lhe perguntei: "De onde veio esse cabrito?! Será que não foi roubado? Devolva ao dono! Não podemos comer nada que seja roubado!"
14. Ana me respondeu: "Eles me deram o cabrito, além do pagamento". Eu não acreditei, e insisti para que devolvesse o cabrito aos donos. Eu estava envergonhado por causa dela. Então ela me disse: "Onde estão as suas esmolas? Onde está o bem que você fez? Está vendo a que ponto chegou?!"

[Tobias 3]Tobias 3



1. Muito entristecido com tudo isso, soluçando e chorando, comecei a rezar:
2. "Senhor, tu és justo, e tuas obras todas são justas. Tu ages com misericórdia e fidelidade. Tu és o juiz do mundo.
3. Agora, Senhor, lembra-te de mim e olha para mim. Não me castigues pelos pecados e erros, meus e de meus antepassados,
4. que cometemos em tua presença, desobedecendo aos teus mandamentos. Tu nos entregaste ao saque, ao exílio e à morte, transformando-nos em piada, comentário e desprezo de todas as nações, por onde nos espalhaste.
5. Sim, todas as tuas sentenças são justas, quando me tratas segundo as minhas faltas, porque não cumprimos teus mandamentos, nem procedemos lealmente em tua presença.
6. Agora, faze de mim o que desejares. Manda que me tirem a vida, e eu desaparecerei da face da terra, e em terra me transformarei. Sim, é melhor morrer do que viver, pois sofro ultrajes que não mereço, e a tristeza me invade. Manda, Senhor, que eu seja liberto dessa prova. Deixa-me partir para a morada eterna, e não afastes o teu rosto de mim, Senhor. Sim, é melhor morrer do que viver agüentando esta prova e ouvindo tantos ultrajes".

DESESPERO DA MULHER JUSTA
7. Nesse mesmo dia, Sara, filha de Ragüel, que morava na Média, em Ecbátana, também teve que suportar os insultos de uma empregada do seu pai.
8. Sara tinha-se casado com sete homens, porém, Asmodeu, o pior dos demônios, tinha matado cada um deles, antes que tivessem relações conjugais com ela. A empregada lhe dizia: "É você mesma que mata seus maridos. Já se casou com sete homens, e nenhum deles consumou o casamento!
9. Você quer castigar a nós pela morte de seus maridos? Pois vá com eles, e que nunca você tenha filho ou filha".
10. Então Sara, abatida, começou a chorar e subiu ao quarto do seu pai, pensando em se enforcar. Depois, refletiu melhor e pensou: "Ainda vão jogar isso na cara de meu pai. Vão dizer que sua única e querida filha se enforcou de tanta infelicidade! Desse jeito, eu causaria tanta dor ao meu velho pai, que ele morreria. Em vez de me enforcar, é melhor pedir que o Senhor me tire a vida, e eu nunca mais terei de ouvir esses insultos".
11. Nesse momento, ela estendeu os braços para a janela, e suplicou: "Bendito sejas tu, Deus misericordioso! Bendito seja o teu Nome eternamente, e que tuas obras te bendigam para sempre.
12. Para ti levanto meu rosto e meus olhos.
13. Manda que eu desapareça da terra, para não ouvir mais insultos.
14. Tu sabes, Senhor, que eu estou pura e que homem algum me tocou.
15. Nunca desonrei o meu nome, nem o nome de meu pai, na terra do meu exílio. Sou filha única, e meu pai não tem outro filho como herdeiro, nem irmão ou parente próximo com quem eu possa me casar. Já perdi sete maridos. Para que viver mais? Se não me quiseres tirar a vida, Senhor, trata-me com compaixão, para que eu não ouça mais insultos".

DEUS ATENDE À SÚPLICA DOS JUSTOS
16. No mesmo instante, o Deus da glória escutou a oração dos dois,
17. e mandou Rafael para curá-los: tirar as manchas dos olhos de Tobit, a fim de que ele pudesse ver a luz de Deus; e fazer com que Sara, filha de Ragüel, se casasse com Tobias, filho de Tobit, livrando-a de Asmodeu, o pior dos demônios. De fato, Tobias tinha mais direito de casar-se com ela do que todos os outros pretendentes. No mesmo momento, Tobit voltava do pátio para dentro de casa, e Sara, filha de Ragüel, descia do quarto do pai.

[Tobias 4]II. DEUS ATENDE À SÚPLICA DOS JUSTOS



Tobias 4

EDUCAÇÃO PARA A JUSTIÇA
1. Nesse dia, Tobit lembrou-se do dinheiro que tinha deixado com Gabael em Rages, na Média,
2. e pensou: "Eu pedi a morte. Por que não chamar o meu filho Tobias e não informá-lo sobre esse dinheiro, antes de morrer?"
3. Então chamou o filho Tobias, e lhe disse: "Quando eu morrer me dê uma sepultura digna. Honre sua mãe, e não a abandone nunca, enquanto ela viver. Faça sempre o que for do agrado dela, e por nada lhe cause tristeza.
4. Lembre-se, meu filho, de que ela passou muitos perigos por sua causa, quando você estava no ventre dela. Quando ela morrer, sepulte-a junto de mim, no mesmo túmulo.
5. Meu filho, lembre-se do Senhor todos os dias. Não peque, nem transgrida seus mandamentos. Pratique a justiça todos os dias da vida, e jamais ande pelos caminhos da injustiça.
6. Se você agir conforme a verdade, será bem-sucedido em tudo o que fizer, como todos os que praticam a justiça.
7. Dê esmolas daquilo que você possui, e não seja mesquinho. Se você vê um pobre, não desvie o rosto, e Deus não afastará seu rosto de você.
8. Que sua esmola seja proporcional aos bens que você possui: se você tem muito, dê muito; se você tem pouco, não tenha receio de dar conforme esse pouco.
9. Assim você estará guardando um tesouro para o dia da necessidade,
10. pois a esmola livra da morte e não deixa cair nas trevas.
11. Quem dá esmola, apresenta uma boa oferta ao Altíssimo.
12. Meu filho, afaste-se de qualquer união ilegal. Em primeiro lugar, escolha uma esposa que pertença à família de seus antepassados. Não se case com mulher estrangeira, que não seja da tribo do seu pai, porque somos filhos de profetas. Lembre-se de Noé, Abraão, Isaac e Jacó, nossos antepassados mais antigos. Todos eles se casaram com mulheres da sua parentela, foram abençoados em seus filhos, e sua descendência possuirá a terra como herança.
13. Meu filho, ame seus parentes, não se mostre orgulhoso diante de seus irmãos, os filhos e filhas do seu povo, e escolha entre elas a sua mulher. De fato, o orgulho é causa de ruína e muita inquietação. A preguiça traz pobreza e miséria, porque a preguiça é mãe da fome.
14. Não atrase o pagamento de quem trabalha para você. Pague sem demora, e se você estiver sendo justo, Deus o recompensará. Meu filho, seja reservado em tudo o que fizer, e bem-educado em todo o seu comportamento.
15. Não faça para ninguém aquilo que você não gosta que façam para você. Não beba vinho até se embriagar, e não deixe que a embriaguez seja sua companheira de caminho.
16. Reparta seu pão com quem tem fome e suas roupas com quem está nu. Dê como esmola tudo o que você tem de supérfluo, e não seja mesquinho.
17. Ofereça seu pão e vinho sobre o túmulo dos justos, ao invés de dá-los aos infiéis.
18. Procure aconselhar-se com pessoas sensatas, e nunca despreze um conselho útil.
19. Bendiga ao Senhor Deus em todas as circunstâncias. Peça que ele guie você em todos os caminhos, e que ele faça você ter sucesso em todas as iniciativas e projetos, pois nenhum povo possui a sabedoria. Somente o Senhor é quem dá seus bens. Segundo o projeto dele, o Senhor exalta ou rebaixa até o fundo da mansão dos mortos. Portanto, meu filho, lembre-se dessas normas, e não permita que elas desapareçam de sua memória.
20. Meu filho, quero ainda contar-lhe que deixei trezentos quilos de prata com Gabael, filho de Gabri, na cidade de Rages, na Média.
21. Não tenha medo, meu filho, se nós ficamos pobres. Se você temer a Deus, se evitar todo tipo de pecado e se você fizer o que agrada ao Senhor seu Deus, você terá uma grande riqueza".

[Tobias 5]Tobias 5



O DRAMA FAMILIAR
1. Tobias perguntou a seu pai: "Meu pai, vou fazer tudo o que o senhor me mandou.
2. Mas como posso recuperar esse dinheiro? Gabael não me conhece e eu não o conheço. Que sinal posso dar-lhe para que ele me reconheça, acredite em mim e me entregue o dinheiro? Além disso, não conheço o caminho para ir até a Média".
3. Tobit respondeu: "Gabael me deu um documento e eu dei outro a ele. Dividi o documento em duas partes, e cada um ficou com uma delas. Uma parte, eu deixei lá com o dinheiro, e a outra está comigo. Já se passaram vinte anos, desde que eu depositei esse dinheiro! Agora, meu filho, vá procurar uma pessoa de confiança que possa acompanhá-lo na viagem, e nós pagaremos a ela quando vocês voltarem. Vá e recupere esse dinheiro que está com Gabael".
4. Tobias saiu para procurar uma pessoa que pudesse ir com ele até a Média e conhecesse o caminho. Logo que saiu, encontrou o anjo Rafael bem à frente dele, mas não sabia que era um anjo de Deus.
5. Tobias lhe perguntou: "De onde você é, rapaz?" Ele respondeu: "Sou israelita, seu compatriota, e estou aqui procurando trabalho". Tobias lhe perguntou: "Você sabe o caminho para a Média?"
6. Ele respondeu: "Sim. Já estive lá muitas vezes e conheço bem todos os caminhos. Fui muitas vezes à Média, e me hospedei na casa do nosso compatriota Gabael, que mora em Rages, na Média. São dois dias de viagem de Ecbátana até Rages, pois Rages fica na região montanhosa e Ecbátana fica na planície".
7. Tobias disse: "Espere aqui, rapaz, enquanto vou contar isso a meu pai. Estou precisando que você viaje comigo. Eu lhe pago depois".
8. Rafael disse: "Está bem. Ficarei esperando, mas não demore".
9. Tobias entrou em casa e contou a seu pai Tobit: "Pai, encontrei um israelita, que é nosso compatriota!" Tobit lhe disse: "Chame-o para que eu saiba de que família e tribo ele é, e se é de confiança para viajar com você, meu filho".
10. Tobias saiu para chamá-lo e disse: "Rapaz, meu pai está chamando você!" O anjo entrou na casa, e Tobit se apressou em cumprimentá-lo. O anjo disse: "Desejo-lhe muita alegria". Tobit respondeu: "Que alegria ainda posso ter? Sou cego, não enxergo a luz do dia, vivo na escuridão com os mortos, que já não enxergam a luz. Escuto a voz das pessoas, mas não posso vê-las". Rafael disse-lhe: "Coragem! Em breve, Deus vai curá-lo. Tenha confiança". Tobit disse a ele: "Meu filho Tobias quer ir até a Média. Você pode ir com ele para ensinar o caminho? Eu lhe pagarei por isso, meu irmão". Ele respondeu: "Posso ir. Conheço todas as estradas. Muitas vezes viajei até a Média e já percorri todas as suas planícies e montanhas, e conheço todos os caminhos por lá".
11. Tobit lhe perguntou: "Meu irmão, de que família e tribo você é? Conte para mim".
12. O anjo respondeu: "Para que você quer saber sobre minha família e tribo?" Tobit insistiu: "Gostaria de saber de quem você é filho e qual é o seu nome."
13. Rafael respondeu: "Sou Azarias, filho do grande Ananias, um compatriota seu".
14. Tobit disse: "Seja bem-vindo, meu irmão. Não leve a mal se eu procuro saber exatamente seu nome e sua família. Acontece que você é parente meu e vem de uma família honesta e honrada. Conheço bem Ananias e Natã, os dois filhos do grande Semeías. Eles costumavam ir comigo a Jerusalém, para juntos adorarmos a Deus. Eles nunca se desviaram do caminho certo. Seus parentes são homens de bem. Seja bem-vindo, porque você vem de uma raiz muito boa".
15. E acrescentou: "Vou lhe pagar uma dracma por dia, além do necessário para você e meu filho.
16. Acompanhe meu filho, que depois eu ainda posso lhe aumentar o pagamento".
17. O rapaz respondeu: "Vou com ele. Não tenha medo. Iremos e voltaremos sãos e salvos. O caminho é seguro". Tobit disse: "Deus lhe pague, meu irmão". Então Tobit chamou o filho e recomendou: "Filho, prepare o necessário para a viagem e parta com o seu parente. Que o Deus do céu proteja vocês e os traga sãos e salvos. Que seu anjo os acompanhe com sua proteção, meu filho". Tobias beijou seu pai e sua mãe e partiu para a viagem, enquanto Tobit lhe dizia: "Boa viagem!"
18. Sua mãe começou a chorar, e disse a Tobit: "Por que você mandou o meu filho? Ele era o nosso apoio e sempre estava perto de nós!
19. O dinheiro não vale nada em comparação com o nosso filho.
20. O que Deus nos dava era o bastante".
21. Tobit disse: "Não se preocupe! Nosso filho partiu e voltará são e salvo. Você verá com seus próprios olhos, quando ele voltar são e salvo.
22. Não se preocupe nem se atormente, minha irmã. Um anjo bom o acompanhará, lhe dará uma viagem tranqüila e o trará são e salvo".
23. Então, ela parou de chorar.
Tobias 6

OS PROBLEMAS SERÃO RESOLVIDOS
1. Tobias partiu com o anjo, e o cachorro os acompanhou. Caminharam até o anoitecer e acamparam junto ao rio Tigre.
2. Tobias foi lavar os pés no rio, quando um grande peixe saltou da água, tentando devorar-lhe o pé. Tobias deu um grito.
3. Mas o anjo lhe disse: "Pegue o peixe. Não o deixe fugir". Tobias conseguiu agarrar o peixe e o tirou para fora da água.
4. O anjo lhe disse: "Abra o peixe, tire o fel, o coração e o fígado e os guarde. Jogue fora as tripas. O fel, o coração e o fígado desse peixe são excelentes remédios".
5. Tobias, então, abriu o peixe e tirou o fel, o coração e o fígado. Depois assou um pedaço, comeu e salgou o resto.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   67   68   69   70   71   72   73   74   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal