Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


Os oficiais edomitas, os chefes moabitas e os generais do litoral disseram a Holofernes: 9



Baixar 5.7 Mb.
Página74/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   70   71   72   73   74   75   76   77   ...   197

8. Os oficiais edomitas, os chefes moabitas e

os generais do litoral disseram a Holofernes:


9. "Senhor, ouça o nosso palpite, e o exército não sofrerá um só arranhão.
10. Esses israelitas não confiam tanto nas armas. Eles confiam na altura dos montes onde vivem, porque não é fácil escalar o topo desses montes.
11. Por isso, senhor, não os combata como se faz em campo aberto, e não haverá nenhuma baixa em seu exército.
12. Fique no acampamento com todo o exército e deixe que ocupemos a fonte que brota ao pé do monte.
13. É dela que os habitantes de Betúlia tiram água. A sede os forçará a entregar a cidade ao senhor. Nós subiremos com nossos soldados ao topo dos montes vizinhos e montaremos acampamento, para impedir que alguém saia da cidade.
14. A fome tomará conta deles, com suas mulheres e crianças. O senhor nem precisará usar a espada: eles cairão sozinhos pelas ruas da cidade.
15. Desse modo, o senhor os fará pagar bem caro por não terem ido pacificamente ao seu encontro".
16. Holofernes e seus oficiais gostaram da proposta, e ele deu ordem para agir de acordo.
17. Então uma tropa de moabitas e cinco mil assírios avançaram. Acamparam no vale e ocuparam as minas e fontes dos israelitas.
18. Os edomitas e os amonitas subiram a serra, acamparam diante de Dotain e mandaram destacamentos para o sul e para o leste, diante de Egrebel, perto de Cuch, sobre a torrente de Mocmur. O grosso do exército assírio acampou na planície, cobrindo toda a região. As tendas e equipamentos formavam um acampamento enorme, pois a multidão era imensa.
19. Vendo-se cercados pelo inimigo e sem possibilidades de escapar, os israelitas ficaram desanimados e clamaram ao Senhor seu Deus.
20. O exército assírio, com infantaria, cavalaria e carros, manteve o cerco por trinta e quatro dias. A provisão de água dos habitantes de Betúlia se esgotou,
21. e os poços ficaram vazios. Ninguém tinha como saciar a sede nem por um dia sequer, porque a água estava racionada.
22. As crianças desmaiavam e as mulheres e jovens desfaleciam de sede. Caíam pelas ruas e saídas das portas da cidade, completamente esgotados.
23. Então todo o povo se reuniu contra Ozias e os chefes da cidade, junto com jovens, mulheres e crianças, gritando e dizendo a todos os anciãos:
24. "Que o Senhor seja o nosso juiz, porque vocês causaram um grande mal, não querendo negociar a paz com os assírios.
25. Agora não temos a quem recorrer, porque Deus nos entregou nas mãos deles e estamos morrendo de sede e grande destruição.
26. Agora chamem os assírios e entreguem a cidade inteira, para que o exército de Holofernes a saqueie.
27. É preferível sermos saqueados. Seremos escravos deles, mas salvaremos a nossa vida, e não veremos nossas crianças morrer e nossas mulheres e filhos expirar.
28. Se vocês não fizerem isso hoje mesmo, nós convocaremos o céu e a terra como testemunhas contra vocês diante do nosso Deus, Senhor de nossos antepassados, que nos está castigando por causa de nossos pecados e os pecados de nossos antepassados".
29. Então levantou-se da assembléia um pranto geral, e todos gritaram súplicas ao Senhor Deus.
30. Então Ozias procurou animá-los: "Tenham confiança, irmãos. Vamos resistir por mais cinco dias. O Senhor nosso Deus terá compaixão de nós. Ele não vai nos abandonar até o fim.
31. Depois desse prazo, se ele não nos socorrer, farei o que vocês estão propondo".
32. Então dispersou o povo, cada um para seu lugar: os homens voltaram para as muralhas e torres da cidade, e mandaram as mulheres e crianças para casa. A cidade estava tomada pela angústia.

[Judite 8]II. A FORÇA DOS FRACOS



Judite 8

CONFIAR EM DEUS E AGIR COM DISCERNIMENTO
1. Nesses dias, a notícia chegou até Judite. Ela era filha de Merari, filho de Ox, filho de José, filho de Oziel, filho de Elquias, filho de Ananias, filho de Gedeão, filho de Rafaim, filho de Aquitob, filho de Elias, filho de Helcias, filho de Eliab, filho de Natanael, filho de Salamiel, filho de Surisadai, filho de Israel.
2. Seu marido Manassés, da mesma tribo e parentela, tinha morrido durante a colheita da cevada.
3. Ele estava dirigindo os que amarravam feixes no campo, e teve uma insolação. Caiu de cama e morreu em Betúlia, sua cidade. E foi enterrado na sepultura da família, que ficava em sua propriedade, entre Dotain e Balamon.
4. Judite era viúva fazia três anos e quatro meses. Vivia em sua casa,
5. num quarto que mandara fazer no terraço. Vestia pano de saco e usava roupas de viúva.
6. Desde que ficou viúva, jejuava diariamente, menos no dia de sábado e na véspera, no primeiro e último dia do mês, nas festas e comemorações israelitas.
7. Era muito bonita e atraente. Manassés, seu marido, lhe havia deixado ouro e prata, servos e servas, rebanhos e terras. E ela vivia disso.
8. Ninguém podia fazer-lhe a mínima crítica, pois era muito temente a Deus.
9. Judite ficou sabendo das palavras desesperadas que o povo tinha dito ao governador, porque estava desanimado com a falta d'água. Soube também que Ozias tinha jurado entregar a cidade aos assírios dentro de cinco dias.
10. Então Judite mandou a serva, que administrava seus bens, chamar Cabris e Carmis, anciãos da cidade.
11. Quando chegaram, ela disse: "Ouçam-me, chefes do povo de Betúlia. O que vocês disseram ao povo hoje foi um erro. Vocês juraram, obrigando-se diante de Deus a entregar a cidade ao inimigo, caso o Senhor não socorra vocês dentro de cinco dias.
12. Quem são vocês para tentar a Deus, colocando-se hoje publicamente acima dele?
13. Vocês, que nunca entenderão nada, estão pondo à prova o Senhor Todo-poderoso.
14. Se são incapazes de sondar a profundidade do coração humano e entender as razões dos pensamentos dele, como podem sondar a Deus, criador de tudo, e compreender sua mente e entender seu projeto? Não, irmãos, não queiram irritar o Senhor nosso Deus.
15. Ainda que não nos queira socorrer nesses cinco dias, ele tem poder para nos proteger no dia que quiser, ou nos destruir diante de nossos inimigos.
16. Não pretendam exigir garantias sobre os planos do Senhor nosso Deus, porque Deus não é um homem que possa ser intimidado, nem algum ser humano que possa ser pressionado.
17. Por isso, enquanto esperamos pacientemente que ele nos salve, vamos suplicar-lhe que venha em nosso auxílio. Se ele quiser, vai ouvir a nossa voz.
18. É verdade que em nosso tempo, e hoje mesmo, não tem havido entre nós nenhuma tribo, família, povo ou cidade que tenha adorado deuses feitos por mãos humanas, como acontecia outrora.
19. Foi por isso que nossos antepassados foram entregues à espada e ao saque, e caíram miseravelmente diante de seus inimigos.
20. Nós, pelo contrário, não conhecemos outro Deus além dele. Por isso confiamos que ele não nos vai desprezar, nem se afastar de nossa gente.
21. Se formos capturados, o mesmo acontecerá com toda a Judéia, e o santuário será saqueado. Então deveremos pagar essa profanação com o nosso próprio sangue.
22. Nas nações onde estivermos como escravos, seremos responsáveis pela morte de nossos compatriotas, pelo exílio do povo da terra e pela desolação de nossa herança. Seremos assim motivo de caçoada e desprezo diante de nossos dominadores.
23. Nossa escravidão não nos fará ganhar o favor de nossos dominadores. Pelo contrário, o Senhor nosso Deus a transformará em desonra para nós.
24. Portanto, irmãos, mostremos aos nossos irmãos que a vida deles depende de nós, e que de nós depende a segurança do santuário, do Templo e do altar.
25. Agradeçamos ao Senhor nosso

Deus por tudo isso, porque ele nos está pondo à prova, como fez com os nossos antepassados.


26. Lembrem-se do que ele fez com Abraão, como provou Isaac, e o que aconteceu com Jacó na Mesopotâmia da Síria, quando ele apascentava os rebanhos de Labão, seu tio materno.
27. Deus os provou com fogo para avaliar o coração deles, e está fazendo o mesmo conosco. O Senhor açoita os que dele se aproximam, não para se vingar, mas para torná-los conscientes".
28. Então Ozias lhe disse: "Tudo o que você disse é muito sensato, e ninguém poderá dizer o contrário.
29. Não é de hoje que todo mundo percebe que você é sábia. Desde pequena, todos conhecem a sua inteligência e o seu bom coração.
30. Mas o povo estava morrendo de sede e nos obrigou a fazer o que fizemos, forçando-nos a um juramento que não podemos violar.
31. Agora, você que é mulher piedosa, suplique por nós. O Senhor mandará chuva para encher os poços, e nós não morreremos".
32. Judite respondeu: "Escutem-me com atenção. Vou fazer uma coisa que será comentada de geração em geração pelos filhos de nossa gente.
33. Esta noite vocês ficarão vigiando na porta da cidade. Eu sairei com minha serva e, antes do prazo que vocês estabeleceram para entregar a cidade ao inimigo, o Senhor virá socorrer Israel através de mim.
34. Quanto a vocês, não perguntem o que vou fazer. Só contarei depois que tiver feito".
35. Ozias e os chefes lhe disseram: "Vá em paz. Que o Senhor Deus acompanhe você, para que possa vingar-se do nosso inimigo".
36. E deixando o aposento dela, eles voltaram para seus postos.

[Judite 9]Judite 9



UNIR-SE A DEUS PARA AGIR COM EFICÁCIA
1. Era o momento em que acabavam de oferecer o incenso da tarde, no Templo de Jerusalém. Judite colocou cinza sobre a cabeça, tirou as roupas e prostrou-se no chão, vestida apenas com o pano de saco. Levantou a voz e gritou ao Senhor, dizendo:
2. "Senhor, Deus de meu pai Simeão, em cuja mão colocaste uma espada, para vingar-se dos estrangeiros que violentaram vergonhosamente uma jovem, tiraram suas roupas para a estuprar, e profanaram o seio dela para sua desonra. E tu havias dito: 'Não façam isso'. Mas eles o fizeram.
3. Por isso, entregaste seus chefes à morte. E o leito deles, manchado pelo engano, pelo engano ficou ensangüentado. Feriste os servos junto com os chefes, e os chefes junto com seus servos.
4. Entregaste suas mulheres ao rapto e suas filhas à escravidão. Entregaste seus despojos à partilha,

em proveito dos filhos que amavas, e que, ardendo de zelo por ti, abominaram a mancha do sangue deles e invocaram o teu socorro. Deus, meu Deus, ouve esta pobre viúva.


5. Tu fizeste o passado, e o que vem agora e o que virá depois. Tu projetas o presente e o futuro, e o que desejas acontece.
6. Teus projetos se apresentam e dizem: 'Aqui estamos'. Pois teus caminhos estão todos preparados, e teus projetos foram feitos de antemão.
7. Aí estão os assírios! Eles se apóiam em sua força, orgulhosos de seus cavalos e cavaleiros, e se gabam com a força de sua infantaria. Eles confiam no escudo e na lança, no arco e na funda, e não sabem que tu és o Senhor que acaba com as guerras.
8. Teu nome é: 'o Senhor'! Quebra a força deles com teu poder, e, com tua cólera, despedaça o domínio deles. Porque decidiram profanar o teu santuário, manchar a tenda onde repousa o teu Nome glorioso e derrubar a ferro as pontas do teu altar.
9. Olha a soberba deles e descarrega tua ira em suas cabeças. Dá força a esta viúva, para fazer aquilo que ela decidiu.
10. Através de minha língua sedutora, fere o servo junto com o chefe e o chefe com seu servo. Quebra a altivez deles pela mão de uma mulher.
11. Tua força não está no número, nem tua autoridade nos guerreiros. Tu és o Deus dos humildes, o socorro dos oprimidos, o protetor

dos fracos, o abrigo dos abandonados, o salvador dos desesperados.


12. Sim, Deus de meu pai, Deus da herança de Israel, Senhor do céu e da terra, Criador das águas, Rei de toda a criação. Ouve a minha súplica,
13. e concede-me falar com sedução, para ferir mortalmente os que planejaram uma vingança cruel contra teus fiéis, contra tua morada santa, o monte Sião, e a casa de teus filhos.
14. Faze que todo o povo e todas as tribos reconheçam que tu és o único Deus, o Deus de toda força e de todo poder, e que o povo de Israel só tem a ti como protetor".

[Judite 10]Judite 10



POR QUE O POVO DE DEUS FASCINA?
1. Quando parou de suplicar ao Deus de Israel e terminou o que estava dizendo,
2. Judite se levantou, chamou a serva e foi para a casa em que ficava nos dias de sábado e de festa.
3. Tirou o pano de saco e o vestido de viúva, tomou banho, passou perfume caro, penteou os cabelos, colocou um turbante na cabeça e se vestiu com a roupa de festa, que usava enquanto seu marido Manassés era vivo.
4. Calçou sandálias e enfeitou-se com braceletes, colares, anéis, brincos e todas as suas jóias. Ficou belíssima, capaz de seduzir os homens que a vissem.
5. Depois entregou à serva uma vasilha de vinho e uma jarra de óleo, encheu uma sacola com farinha de cevada, bolos de frutas secas e pães puros. Embrulhou as provisões e as entregou à serva.
6. Em seguida, saíram para a porta da cidade de Betúlia e encontraram aí Ozias, Cabris e Carmis, dois anciãos da cidade.
7. Ao vê-la com o rosto transformado e outros vestidos, ficaram pasmos com tanta beleza, e lhe disseram:
8. "Que o Deus de nossos antepassados ajude você e permita que seja bem-sucedida em seus planos, para a glória dos israelitas e a exaltação de Jerusalém".
9. Judite adorou a Deus, e lhes disse: "Mandem abrir para mim a porta da cidade. Sairemos para realizar o que vocês estão desejando". Eles ordenaram que os soldados lhe abrissem a porta, conforme ela tinha pedido.
10. Assim fizeram, e Judite saiu com a serva. Os homens da cidade a seguiram com o olhar, enquanto ela descia a encosta, até que atravessou o vale e desapareceu.
11. Estavam caminhando direto pelo vale, quando as sentinelas dos assírios foram ao encontro delas.
12. Detiveram Judite e lhe perguntaram: "De que lado você está? De onde vem? Para onde vai?" Judite respondeu: "Sou hebréia, e estou fugindo do meu povo, porque falta pouco para ele ser devorado por vocês.
13. Gostaria de apresentar-me a Holofernes, general do exército de vocês, para dar-lhe informações seguras. Vou mostrar a ele o caminho por onde poderá passar e conquistar toda a serra, sem arriscar um só de seus homens".
14. Enquanto a escutavam, as sentinelas ficaram observando o rosto dela, admirados com tanta beleza. E lhe disseram:
15. "Você salvou a vida, vindo ao encontro do senhor nosso general. Pode ir até a tenda dele; alguns dos nossos vão escoltar você até lá.
16. Quando estiver diante dele, não tenha medo, diga-lhe o que disse a nós, e ele a tratará bem".
17. Então eles destacaram cem homens, que escoltaram Judite e sua serva até a tenda de Holofernes.
18. Ao correr pelas tendas a notícia da chegada de Judite, o acampamento ficou em alvoroço. Judite estava do lado de fora da tenda de Holofernes, esperando ser anunciada, e todos a rodearam.
19. Estavam admirados com sua beleza e, olhando para ela, ficavam admirando os israelitas. E comentavam: "Não podemos desprezar uma nação que tem mulheres tão bonitas. Não podemos poupar nenhum homem deles. Os que ficassem, seriam capazes de conquistar o mundo inteiro".
20. Os guarda-costas de Holofernes e os oficiais saíram e introduziram Judite na tenda.
21. Holofernes estava descansando em sua cama, debaixo de um mosquiteiro de púrpura, bordado a ouro e recamado com esmeraldas e pedras preciosas.
22. Anunciaram Judite. Então ele saiu para a parte da frente da tenda, precedido de portadores de lâmpadas de prata.
23. Quando Judite ficou na frente de Holofernes e dos oficiais, todos ficaram admirados com a beleza do rosto dela, que se prostrou diante de Holofernes. Mas os escravos a levantaram.

[Judite 11]Judite 11



PENETRANDO O ESPAÇO DO OPRESSOR
1. Holofernes disse a Judite: "Coragem, mulher. Não tenha medo. Nunca maltratei ninguém que estivesse disposto a servir a Nabucodonosor, rei do mundo inteiro.
2. Até seu povo que mora na serra: se ele não me tivesse desprezado, eu não estaria lutando contra ele. Eles é que provocaram isso.
3. Agora, diga-me: Por que fugiu e passou para o nosso lado? Vindo até nós, você salvou a própria vida. Pode confiar. Você não correrá perigo, nem esta noite, nem depois.
4. Ninguém vai maltratá-la. Pelo contrário, nós a trataremos bem, como fazemos com os servos do rei Nabucodonosor, o meu senhor".
5. Então Judite lhe falou: "Permita-me falar-lhe e acolha as palavras desta sua serva. Esta noite não vou dizer mentira nenhuma.
6. Se o senhor seguir os conselhos desta sua serva, Deus o ajudará em sua campanha, e seus planos não falharão.
7. Viva Nabucodonosor, rei de toda a terra, que enviou o senhor para colocar todos em ordem. Viva o seu poder! Graças ao senhor, não são apenas os homens que servem o rei. Graças ao seu poder, também as feras, os rebanhos e as aves do céu viverão à disposição de Nabucodonosor e do seu palácio.
8. Ouvimos falar da sabedoria e astúcia que o senhor tem. Todos comentam que o senhor é o melhor em todo o império, o conselheiro mais hábil e o estrategista mais admirado.
9. Nós ficamos sabendo do relatório que Aquior fez em seu conselho. Os habitantes de Betúlia o pouparam, e ele contou tudo o que havia dito diante do senhor.
10. Por isso, senhor poderoso, não despreze a opinião dele. Pode crer nela, porque é verdadeira: nossa gente não sofrerá castigo, nem as armas poderão submetê-la, a não ser que ela cometa pecado contra Deus.
11. Agora, para que o meu senhor não fique decepcionado e de mãos vazias, saiba que a morte cairá sobre eles, porque são réus de um pecado com que irritam seu Deus toda vez que o cometem.
12. Quando lhes faltaram víveres e água, resolveram lançar mão do rebanho e consumir tudo o que Deus, por suas leis, tinha proibido a eles de comer.
13. Resolveram consumir até os primeiros frutos do trigo e os dízimos do vinho e do azeite, coisas consagradas aos sacerdotes que ministram diante do nosso Deus em Jerusalém, e que nenhum leigo pode jamais tocar.
14. E como os habitantes de Jerusalém já estão fazendo o mesmo, mandaram até lá uma comissão, para que o conselho permita fazer isso.
15. Logo que receberem a permissão e a puserem em prática, nesse mesmo dia cairão em seu poder, meu senhor, e serão aniquilados.
16. Quando percebi tudo isso, tratei de fugir. Deus me mandou para realizar com o senhor uma façanha que assombrará todos os que dela ficarem sabendo.
17. Esta sua serva é piedosa e serve ao Deus do céu dia e noite. Agora, eu gostaria de ficar junto com o senhor. Sairei toda noite pelo vale, rezarei a Deus, e ele me dirá quando a minha gente cometer o pecado.
18. Eu contarei ao senhor, e então o senhor sairá com todo o seu exército, e nenhum deles lhe poderá resistir.
19. Eu guiarei o senhor através da Judéia, até chegar a Jerusalém, e colocarei seu trono bem no meio da cidade. Então o senhor os manejará como ovelhas sem pastor, e não haverá nem mesmo um cão para latir diante do senhor. Já estou prevendo todas essas coisas. Tudo foi anunciado a mim, e eu fui enviada para contá-las ao senhor".
20. As palavras de Judite agradaram a Holofernes e seus oficiais. Admirados com a sabedoria dela, disseram:
21. "De um extremo a outro da terra, não existe mulher tão bonita e que saiba falar tão bem".
22. Holofernes lhe disse: "Deus fez bem mandando você na frente do povo, para colocar o poder em nossas mãos e destruir todos os que desprezaram o meu senhor.
23. Você é bela e eloqüente. Se fizer o que me disse, o seu Deus será o meu Deus, você viverá no palácio do rei Nabucodonosor e será famosa no mundo inteiro".

[Judite 12]Judite 12



1. Holofernes mandou levar Judite para o lugar onde era colocada sua baixela de prata, e ordenou que servissem a ela a mesma comida e o mesmo vinho que ele tomava.
2. Judite, porém

, disse: "Não provarei nada disso, para não cair em pecado. Eu trouxe minhas provisões".


3. Holofernes lhe perguntou: "E se acabar o que você trouxe, onde poderemos arrumar comida igual? Entre nós, não há ninguém da sua gente".
4. Judite respondeu: "Pela sua vida, meu senhor, o que eu trouxe comigo não acabará antes que o senhor realize seu plano através de mim".
5. Os oficiais de Holofernes levaram Judite para a tenda, e ela repousou até a meia-noite. Depois se levantou antes do amanhecer,
6. e mandou dizer a Holofernes: "Senhor, ordene que me deixem sair para rezar".
7. Holofernes ordenou aos guardas que a deixassem sair. E assim Judite passou três dias no acampamento. De noite, ela ia em direção ao vale de Betúlia e tomava banho na fonte, no posto avançado do acampamento.
8. Depois do banho, ela suplicava ao Senhor Deus de Israel que dirigisse o plano dela, para reerguer o seu povo.
9. Depois de purificar-se, voltava para a tenda e aí ficava até que lhe trouxessem o alimento à tarde.

CORTANDO A CABEÇA DO PODER OPRESSOR
10. No quarto dia, Holofernes ofereceu um banquete somente para o seu pessoal de serviço, sem convidar nenhum oficial.
11. Disse a Bagoas, seu mordomo: "Vá e veja se você consegue convencer essa mulher hebréia, que está a seu cuidado, para que venha comer e beber conosco.
12. Seria uma vergonha não aproveitar a ocasião de ter relações com essa mulher. Se eu não a conquistar, vão caçoar de mim".
13. Bagoas saiu da presença de Holofernes, foi até Judite, e lhe disse: "Que esta bela jovem não tenha medo de se apresentar ao meu senhor como hóspede de honra. Você beberá conosco, se alegrará e passará o dia como uma das mulheres assírias, que vivem no palácio de Nabucodonosor".
14. Judite respondeu: "Quem sou eu para contrariar o meu senhor? Farei tudo o que lhe agradar, e isto será para mim uma lembrança agradável até o dia de minha morte".
15. Então Judite se levantou e se enfeitou com suas roupas e jóias. Sua serva foi na frente e estendeu no chão, diante de Holofernes, as peles que Bagoas lhe tinha dado, para que se reclinasse enquanto comia.
16. Judite entrou e se acomodou. Ao vê-la, Holofernes ficou arrebatado, e a paixão o agitou com o desejo violento de se unir a ela. De fato, desde a primeira vez que a viu, ele espreitava uma ocasião para seduzi-la.
17. E Holofernes disse a Judite: "Vamos, beba e se alegre conosco".
18. Judite respondeu: "Claro que vou beber, meu senhor. Hoje é o dia mais feliz de toda a minha vida".
19. E Judite comeu e bebeu diante de Holofernes, servindo-se do que a sua serva tinha preparado para ela.
20. Holofernes, entusiasmado com ela, bebeu muitíssimo vinho, como nunca havia feito antes, em toda a vida.

[Judite 13]Judite 13



1. Quando ficou tarde, o pessoal de Holofernes se retirou. Bagoas fechou a tenda por fora, depois de fazer com que todos os servos saíssem. Todos foram repousar, entregues pelo excesso de bebida.
2. Na tenda, ficaram apenas Judite e Holofernes caído na cama, completamente embriagado.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   70   71   72   73   74   75   76   77   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal