Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


todas as criaturas morreriam no mesmo instante, e o homem voltaria ao pó. 16



Baixar 5.7 Mb.
Página81/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   77   78   79   80   81   82   83   84   ...   197

15. todas as criaturas morreriam no mesmo instante, e o homem voltaria ao pó.
16. Se você é inteligente, escute-me, preste atenção ao que vou falar.
17. Quem é inimigo do direito conseguiria governar? Você se atreve a condenar o supremo Justo?
18. Ele é capaz de dizer a um rei: 'Você é um homem vil'. E a um príncipe: 'Você é um homem injusto'.
19. Deus não é parcial a favor dos poderosos, nem favorece o rico contra o pobre, porque todos são obras de suas mãos.
20. Eles morrem de repente no meio da noite, os grandes perecem e desaparecem, e o poderoso é derrubado sem esforço humano.
21. Porque os olhos de Deus vêem a conduta do homem e vigiam todos os seus passos.
22. Não há trevas nem sombras onde os malfeitores possam esconder-se.
23. Não cabe ao homem marcar prazo para comparecer perante o tribunal de Deus.
24. Ele aniquila os poderosos sem muitos inquéritos e, no lugar deles, nomeia outros.
25. Deus conhece a fundo as ações deles. Ele os derruba numa noite, e são destruídos.
26. Ele os açoita como criminosos, e os prende em público,
27. porque se afastaram dele, e não seguiram os seus caminhos,
28. fazendo com que o clamor dos fracos chegasse até Deus, e ele ouvisse o clamor dos pobres.
29. Se Deus permanece quieto, quem poderá condená-lo? Se ele esconde o rosto, quem poderá vê-lo? Todavia, ele cuida dos povos e das pessoas,
30. para que não reine o perverso nem alguém que engane o povo.
31. Diga apenas isto a Deus: 'Eu me enganei, não farei mais o mal.
32. Ensina-me aquilo que eu não vejo. Se pratiquei o mal, não voltarei a fazê-lo'.
33. Será que ele deveria retribuir-lhe segundo as idéias que você tem, já que você rejeita o julgamento dele? Quem deve escolher é você, e não eu. Vamos, diga o que você sabe.
34. Os homens sensatos e os sábios que me escutam confessarão:
35. 'Jó está falando sem saber. Suas palavras não têm sentido'.
36. Quero que Jó seja examinado até o fim por suas respostas, dignas de um descrente,
37. porque ao pecado ele ajunta a revolta. Ele semeia a dúvida entre nós e multiplica seus protestos contra Deus".

[Jó 35]3. DEUS NÃO ATENDE OS ORGULHOSOS



Jó 35

1. Eliú continuou dizendo:
2. "Será que você pretende ter razão, quando diz: 'Sou mais justo do que Deus'?
3. Ou quando diz: 'De que me serviu, e o que foi que eu ganhei em não pecar?'
4. Vou responder a você e também a seus amigos.
5. Olhe atentamente para o céu e observe as nuvens que estão bem acima de você.
6. Se você pecar, que mal estará fazendo a Deus? Se você amontoa crimes, que danos está causando para ele?
7. E se você é justo, o que é que está dando a ele? O que é que ele recebe de sua mão?
8. Sua maldade só pode afetar outro homem igual a você. Sua justiça só atinge outro ser humano como você.
9. As pessoas gemem sob o peso da opressão, e pedem socorro contra os poderosos.
10. Mas ninguém diz: 'Onde está o nosso Deus criador, que restaura as nossas forças durante a noite,
11. que nos instrui mais do que aos animais da terra e nos torna mais sábios do que as aves do céu?'
12. Alguns clamam, porém Deus não responde ao orgulho dos injustos.
13. Não, Deus não ouve a falsidade, e o Todo-poderoso não presta atenção nisso.
14. E você ainda se atreve a dizer que não o vê, que sua causa foi submetida a ele, que você está esperando,
15. que a ira dele não intervém e que ele não cuida de nada.
16. Ora, Jó está abrindo a boca inutilmente e multiplicando palavras sem sentido".

[Jó 36]4. JUSTIÇA E GRANDEZA DE DEUS



Jó 36

DEUS EDUCA PARA A JUSTIÇA
1. Eliú continuou dizendo:
2. "Tenha um pouco de paciência, e eu ensinarei a você, porque ainda existem outros argumentos para a defesa de Deus.
3. Irei longe para buscar a minha ciência, a fim de dar razão ao meu Criador.
4. Meus argumentos não são falsos; você tem diante de si um sábio consumado.
5. Veja! Deus é poderoso e não despreza o coração sincero.
6. Ele não deixa o ímpio viver; e faz justiça aos pobres.
7. Não afasta seus olhos dos justos. Ao contrário, ele os faz sentar em tronos reais e os exalta para sempre.
8. Quando os prende em correntes e amarra com os laços da aflição,
9. é porque ele só quer denunciar suas ações e seus pecados causados pelo orgulho.
10. E assim, Deus abre os ouvidos deles para a correção e os aconselha a se converterem da injustiça.
11. Se eles derem atenção e se submeterem, terminarão seus dias na prosperidade e seus anos no bem-estar.
12. Se não obedecerem, atravessarão a fronteira da morte e morrerão sem perceber.
13. Os injustos, quando Deus os aflige, acumulam rancor em lugar de pedir auxílio.
14. Eles perdem a vida em plena juventude e morrem com a idade das prostitutas.
15. Deus, porém, salva o pobre através da aflição e lhe abre o ouvido por meio do sofrimento.
16. Ele quer arrancar também você da angústia e levá-lo a um lugar espaçoso e aberto, para servir a você com mesa farta.
17. Você, porém, não faz justiça contra o injusto, nem defende o direito do órfão.
18. Não se deixe seduzir por um presente, nem se perverter com rico suborno.
19. Por acaso, no perigo, suas riquezas e posses valerão alguma coisa diante de Deus?
20. Não esmague pessoas estranhas, para colocar seus parentes no lugar delas.
21. Cuide em não se voltar para a injustiça, porque é por causa dela que você foi provado através da aflição.
22. Veja como Deus é sublime em seu poder! Que mestre pode comparar-se a ele?
23. Quem é que ensina o caminho para ele, ou pode acusá-lo de injustiça?
24. Lembre-se de celebrar as obras dele, que a humanidade cantou.
25. Todos os homens as contemplam, todos os mortais as admiram de longe.

O SENHOR DO OUTONO
26. A grandeza de Deus supera todo conhecimento, e o número de seus anos é incalculável.
27. Ele reúne as gotas d'água, e de suas fontes destila a chuva.
28. As nuvens se derramam em chuvisco, e a chuva cai abundante sobre o solo.
29. Quem pode calcular a extensão das nuvens e a altura de sua tenda celeste?
30. Ele espalha diante de si uma neblina, que cobre o topo das montanhas.
31. Com a chuva, alimenta os povos, dando-lhes comida abundante.
32. Enche as mãos com raios e atira-os no alvo certo.
33. O trovão anuncia a chegada dele, e a sua ira se acende contra a injustiça.

[Jó 37]Jó 37



1. Ao ver tudo isso, o meu coração treme e salta fora do peito.
2. Atenção! Ouçam o trovão de sua voz e o estrondo que sai de sua boca.
3. Seu relâmpago brilha do céu, atingindo a extremidade da terra.
4. Depois dele, sua voz estronda, ribombando com fragor majestoso. Nada detém os seus raios, depois que se ouve o seu trovão.
5. Deus troveja com voz prodigiosa e realiza maravilhas que não compreendemos.

O SENHOR DO INVERNO
6. Deus ordena à neve: 'Caia sobre a terra'. E à chuva torrencial: 'Desça com violência'.
7. Ele interrompe a atividade dos homens, para que todos reconheçam a sua obra.
8. As feras entram nos seus esconderijos e permanecem nas suas tocas.
9. O furacão avança do sul, e do norte se aproxima o frio.
10. Ao sopro de Deus se forma o gelo, e a superfície das águas se congela.
11. Ele enche as nuvens de umidade e espalha as nuvens de tempestade.
12. Estas, guiadas por ele, giram e circulam, para cumprir todas as suas ordens no mundo inteiro.
13. Ele as envia aos povos da terra para castigá-los ou para beneficiá-los.

O SENHOR DO VERÃO
14. Ouça bem, Jó. Pare, e considere as maravilhas de Deus!
15. Você sabe como Deus dirige as nuvens, fazendo uma nuvem brilhar de relâmpagos?
16. Você sabe como ele equilibra as nuvens, maravilhas de sabedoria consumada?
17. Você sabe por que suas roupas ficam quentes, quando a terra desfalece por causa do vento sul?
18. Por acaso você já estendeu com ele o firmamento, sólido como espelho de metal fundido?
19. Fale-me o que devemos dizer para Deus, pois não podemos argumentar às escuras.
20. Seria preciso avisar a ele que pretendo falar? Ficaria ele informado com o que um homem diz?
21. De repente não se vê mais a luz, escurecida pelas nuvens. No entanto, o vento sopra e as espalha.
22. Do norte chega um clarão dourado, Deus se envolve de majestade terrível.
23. Não podemos alcançar o Todo-poderoso. Ele é sublime em poder, rico de justiça, e não oprime ninguém.
24. Por isso, todos os homens o temem, e ele não leva em conta aqueles que se consideram sábios".

[Jó 38]IV. O DESAFIO DE DEUS



1. DEUS É O SENHOR DA VIDA

Jó 38

JAVÉ FALA POR DENTRO DO SOFRIMENTO HUMANO
1. Então Javé, do meio da tempestade, respondeu a Jó e disse:
2. "Quem é esse que escurece o meu projeto com palavras sem sentido?
3. Se você é homem, esteja pronto: vou interrogá-lo, e você me responderá.

O SENHOR DA NATUREZA
4. Onde você estava quando eu colocava os fundamentos da terra? Diga-me, se é que você tem tanta inteligência!
5. Você sabe quem fixou as dimensões da terra? Quem a mediu com a trena?
6. Onde se encaixam suas bases, ou quem foi que assentou sua pedra angular,
7. enquanto os astros da manhã aclamavam e todos os filhos de Deus aplaudiam?
8. Quem fechou o mar com uma porta, quando ele irrompeu, jorrando do seio materno?
9. Quando eu coloquei as nuvens como roupas dele e névoas espessas como cueiros?
10. Quando lhe coloquei limites com portas e trancas,
11. e lhe disse: 'Você vai chegar até aqui, e não passará. Aqui se quebrará a soberba de suas ondas'?
12. Alguma vez em sua vida você deu ordens para o amanhecer, ou marcou um lugar para a aurora,
13. a fim de que ela agarre as bordas da terra, e dela sacuda os injustos?
14. Por acaso você deu ordens à terra para ela se transformar como argila debaixo do sinete e se tingir como vestido,
15. negando luz para os injustos e quebrando o braço que ameaça golpear?
16. Você já chegou até as fontes do mar, ou passeou pelas profundezas do oceano?
17. Já mostraram a você as portas da morte, ou por acaso você já viu os portais das sombras?
18. Você examinou a extensão da terra? Se você sabe tudo isso, me diga.
19. Por onde se vai até a casa da luz, e onde é que vivem as trevas,
20. para que você as leve ao território delas e lhes ensine o caminho para casa?
21. Certamente você sabe disso tudo, pois já então havia nascido e já viveu muitíssimos anos.
22. Você entrou nos reservatórios da neve e observou os celeiros do granizo,
23. que eu reservo para o tempo da calamidade, para os dias de guerra e batalha?
24. Por onde se espalha o calor, e se difunde sobre a terra o vento leste?
25. Quem abriu um canal para o aguaceiro, e o caminho para o relâmpago e o trovão,
26. para chover em terras despovoadas e no deserto, onde os homens não habitam,
27. para que as regiões desoladas se saciem, e façam germinar e brotar a erva?
28. Por acaso a chuva tem pai? Quem gera as gotas do orvalho?
29. De que seio vem o gelo, e quem dá à luz a geada do céu?
30. As águas ficam como pedra, e a superfície do lago se congela.
31. Você pode amarrar o laço das Plêiades, ou desatar as ligações de Órion?
32. Você pode fazer que apareçam as constelações do zodíaco na sua estação própria, ou guiar a Ursa com os seus filhos?
33. Você conhece as leis do céu, ou determina as funções delas sobre a terra?
34. Você é capaz de levantar a voz até as nuvens, para que um aguaceiro cubra você?
35. Por acaso você atira os raios e eles partem, dizendo a você: 'Aqui estamos'?
36. Quem deu sabedoria ao íbis e inteligência ao galo?
37. Quem está em grau de contar exatamente as nuvens, e quem entorna os cântaros do céu,
38. quando o pó do chão se transforma em barro e os terrões se amontoam?

O SENHOR DOS ANIMAIS
39. É você, por acaso, que caça a presa para a leoa ou sacia a fome dos leõezinhos,
40. quando eles se recolhem nas tocas ou ficam de emboscada nas moitas?
41. É você que dá alimento ao corvo, quando os filhotes dele gritam a Deus e se agitam por falta de comida?

[Jó 39]Jó 39



1. Você sabe quando é que as camurças dão cria? Já assistiu o parto das corças?
2. Você conta os meses de gravidez delas ou conhece o momento do parto?
3. Elas se agacham, dão cria e se livram das dores.
4. Os filhotes crescem e ficam fortes, saem para o campo aberto e não voltam mais.
5. Quem dá liberdade ao asno selvagem e solta as rédeas do burro xucro,
6. ao qual dei o deserto como habitação e a planície salgada como moradia?
7. Ele se ri do barulho da cidade e não dá atenção aos xingos de quem o arreia.
8. Ele explora as montanhas em busca de pasto, à procura de lugares verdes.
9. Será que o búfalo aceita servir a você e passar a noite em seu estábulo?
10. Você pode colocar nele uma canga, para que ele are a terra atrás de você?
11. Ele é forte. Mas será que você pode confiar nele para fazer o seu trabalho?
12. Você pode contar com ele, para que volte e venha moer o grão no terreiro?
13. O avestruz bate asas alegremente, como se tivesse penas e plumas de cegonha.
14. Ele deixa seus ovos no chão, para chocá-los na areia,
15. sem pensar que algum pé poderá quebrá-los ou serem pisados por alguma fera.
16. Ele é cruel com os filhotes, como se não fossem seus, e não se importa com a inútil fadiga deles,
17. porque Deus o privou de sabedoria e não lhe concedeu inteligência.
18. Contudo, quando se levanta batendo os flancos, ele se ri de cavalos e cavaleiros.
19. Você pode dar força ao cavalo e vestir de crina o pescoço dele?
20. Você o ensina a saltar como um gafanhoto, relinchando com majestade e terror?
21. Cheio de força, ele pateia o chão e se lança ao encontro das armas.
22. Ele ri do medo, não se assusta e diante da espada não volta para trás.
23. Sobre ele ressoam o barulho do escudo, a lança faiscante e o dardo.
24. Com ímpeto e estrondo, ele devora a distância e não pára, mesmo que soe o clarim.
25. Ao toque da trombeta, ele relincha; fareja de longe a batalha, as ordens de comando e os gritos de guerra.
26. Será pela sabedoria que você tem, que o falcão levanta vôo, estendendo as asas para o sul?
27. Por acaso é com sua ordem que a águia levanta vôo e constrói seu ninho nas alturas?
28. Ela mora nos rochedos, e aí pernoita numa fortaleza de rocha inatingível.
29. Do alto ela espia a sua presa; seus olhos a enxergam de longe.
30. Seus filhotes bebem o sangue, e onde há cadáveres ela aí está".

[Jó 40]Jó 40



1. Javé continuou falando a Jó, e perguntou:
2. "O adversário vai querer discutir com o Todo-poderoso? Quem critica a Deus irá responder?"

PRIMEIRA RESPOSTA DE JÓ A DEUS

SILÊNCIO DIANTE DO MISTÉRIO
3. Então Jó respondeu a Javé:
4. "Eu me sinto arrasado. O que posso replicar? Vou tapar a boca com a mão.
5. Falei uma vez e não insistirei; falei duas vezes, e não vou acrescentar mais nada".

2. DEUS TRIUNFA SOBRE O MAL

O GRANDE DESAFIO: DEUS É DEUS, E O HOMEM NÃO É DEUS
6. Do meio da tempestade, Javé replicou a Jó:
7. "Se você é homem, esteja pronto: vou interrogá-lo, e você me responderá.
8. Você se atreve a anular a minha justiça e condenar-me, para justificar a si mesmo?
9. Você tem braço como o braço de Deus? Sua voz troveja como a voz de Deus?
10. Então revista-se de majestade e grandeza, e cubra-se de esplendor e glória!
11. Derrame o ardor de sua ira e, com um olhar só, rebaixe todos os orgulhosos.
12. Humilhe com seu olhar o arrogante, e esmague os injustos onde quer que se encontrem.
13. Enterre-os todos juntos no pó, e amarre-os todos juntos na prisão.
14. Então também eu louvarei a você, porque conseguiu a vitória com sua própria mão direita.

DEUS DOMINA A FORÇA BRUTA
15. Veja o Beemot: fui eu que o criei, como criei você. Ele come grama como faz o boi.
16. Veja a força de suas ancas, o vigor do seu ventre musculoso,
17. quando ergue a cauda como cedro, trançando os tendões de suas coxas.
18. Seus ossos são como tubos de bronze, e sua carcaça parece feita de barras de ferro.
19. Ele é a obra-prima de Deus, e somente o seu Criador pode ameaçá-lo com a espada.
20. Deus lhe proíbe a região das montanhas, onde as feras se divertem.
21. Ele se deita debaixo do lótus, e se esconde entre os juncos do pântano.
22. O lótus o cobre de sombra, e os salgueiros da torrente o envolvem.
23. Ainda que o rio transborde, ele não se assusta. Ao contrário, fica tranqüilo, mesmo que o Jordão faça espuma em sua boca.
24. Quem poderá agarrá-lo pela frente ou perfurar suas narinas com o gancho?

DEUS DOMINA O MAL QUE AMEAÇA O HOMEM
25. Por acaso você é capaz de pescar o Leviatã com anzol e amarrar-lhe a língua com uma corda?
26. Você é capaz de furar as narinas dele com junco e perfurar sua mandíbula com gancho?
27. Será que ele viria até você com muitas súplicas ou lhe falaria com ternura?
28. Será que faria uma aliança com você, para você fazer dele o seu criado perpétuo?
29. Você brincará com ele como se fosse um pássaro, ou você o amarrará para suas filhas?
30. Será que os pescadores o negociarão, ou os negociantes o dividirão entre si?
31. Poderá você crivar a pele dele com dardos ou a cabeça com arpão de pesca?
32. Experimente colocar a mão em cima dele: você se lembrará da luta, e nunca mais repetirá isso!

[Jó 41]Jó 41



1. Veja! Diante dele, toda segurança é apenas ilusão, pois basta alguém vê-lo para ficar com medo.
2. Ninguém é tão corajoso para provocá-lo. Quem poderia enfrentá-lo cara a cara?
3. Quem jamais se atreveu a desafiá-lo, e saiu ileso? Ninguém debaixo de todo o céu.
4. Não deixarei de descrever os membros dele, nem sua força incomparável.
5. Quem abriu sua couraça e penetrou por sua dupla armadura?
6. Quem abriu as duas portas de sua boca, rodeadas de dentes terríveis?
7. Suas costas são fileiras de escudos, ligados com lacre de pedra;
8. são tão unidos uns com os outros, que nem ar passa entre eles;
9. cada um é tão ligado com o outro, que ficam travados e não se podem separar.
10. Seus espirros lançam faíscas, e seus olhos são como a cor rosa da aurora.
11. De sua boca irrompem tochas acesas e saltam centelhas de fogo.
12. De suas narinas jorra fumaça, como de caldeira acesa e fervente.
13. Seu bafo queima como brasa, e sua boca lança chamas.
14. Em seu pescoço reside a força, e diante dele dança o terror.
15. Os músculos do seu corpo são compactos, são sólidos e imóveis.
16. Seu coração é duro como rocha e sólido como pedra de moinho.
17. Quando ele se ergue, os heróis tremem e fogem apavorados.
18. A espada que o atinge não penetra, nem a lança, nem o dardo, nem o arpão.
19. Para ele o ferro é como palha, e o bronze como madeira podre.
20. A flecha não o afugenta, e as pedras da funda se transformam em palha para ele.
21. A maça é para ele como estopa, e ele zomba dos dardos que assobiam.
22. Seu ventre, coberto de escamas pontudas, é uma grade de ferro que se arrasta sobre o lodo.
23. Ele faz ferver o fundo do mar como caldeira, e a água fumegar como vasilha quente cheia de ungüentos.
24. Atrás de si deixa uma esteira brilhante, e a água parece cabeleira branca.
25. Na terra ninguém se iguala a ele, pois foi criado para não ter medo.
26. Ele se confronta com os seres mais altivos, e é o rei das feras soberbas".

[Jó 42]ÚLTIMA RESPOSTA DE JÓ A DEUS



Jó 42

A EXPERIÊNCIA DO DEUS VIVO
1. Então Jó respondeu a Javé:
2. "Eu reconheço que tudo podes e que nenhum dos teus projetos fica sem realização.
3. Tu disseste: 'Quem é esse que escurece os meus projetos com palavras sem sentido?' Pois bem! Eu falei, sem entender, de maravilhas que superam a minha compreensão.
4. Tu disseste: 'Escute-me, porque vou falar. Vou interrogá-lo, e você me responderá'.
5. Eu te conhecia só de ouvir. Agora, porém, os meus olhos te vêem.
6. Por isso, eu me retrato e me arrependo, sobre o pó e a cinza".

V. APÊNDICE

A INTERCESSÃO DO POBRE
7. Javé terminou de falar com Jó, e se dirigiu a Elifaz de Temã, dizendo: "Estou irritado contra você e seus dois companheiros, porque vocês não falaram corretamente de mim como falou o meu servo Jó.
8. Portanto, peguem sete bezerros e sete carneiros, e vão até o meu servo Jó. Ofereçam os animais em holocausto, e o meu servo Jó intercederá por vocês. Em atenção a ele, eu não os tratarei como a insensatez de vocês merece, porque vocês não falaram corretamente de mim, como falou o meu servo Jó".
9. Então, Elifaz de Temã, Baldad de Suás e Sofar de Naamat fizeram o que Javé lhes tinha ordenado. E Javé atendeu às orações de Jó.

O RETORNO DA FELICIDADE
10. Quando Jó intercedeu por seus companheiros, Javé lhe mudou a sorte e duplicou todas as posses.
11. Seus irmãos e irmãs e os antigos conhecidos foram visitá-lo. Almoçaram em sua casa e o consolaram e confortaram pela desgraça que Javé lhe tinha enviado. Cada um ofereceu a Jó uma soma de dinheiro e um anel de ouro.
12. E Javé abençoou a Jó, mais ainda do que antes. Ele possuía agora catorze mil ovelhas, seis mil camelos, mil juntas de bois e mil jumentas.
13. Teve sete filhos e três filhas:
14. a primeira chamava-se Rola, a segunda Cássia e a terceira Azeviche.
15. Em toda a terra não havia mulheres mais belas do que as filhas de Jó. E o seu pai repartiu a herança entre elas e os irmãos delas.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   77   78   79   80   81   82   83   84   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal