Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


Então refleti para compreender, mas que fadiga era isso para os meus olhos! 17



Baixar 5.7 Mb.
Página87/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   83   84   85   86   87   88   89   90   ...   197

16. Então refleti para compreender, mas que fadiga era isso para os meus olhos!
17. Até que fui penetrando no mistério de Deus, e então compreendi o destino deles.
18. De fato, tu os colocas em ladeiras, tu os fazes cair em ruínas.
19. Vejam: num instante são reduzidos ao terror, deixam de existir e perecem, presas do pavor!
20. Como um sonho ao despertar, ó Senhor, ao acordar, tu desprezas a imagem deles.
21. Se o meu coração se azedava e eu espicaçava meus rins,
22. é porque eu era imbecil e nada entendia. Eu era um animal junto a ti.
23. Eu, porém, estou sempre contigo. Tu me agarraste pela mão direita.
24. Tu me guias com o teu conselho e com glória me conduzes.
25. Contigo, de quem necessitarei no céu? Contigo, nada mais me satisfaz na terra.
26. Minha carne e meu coração podem se consumir: minha rocha e porção é Deus para sempre!
27. Sim, os que se afastam de ti se perdem, tu rejeitas todos os teus adúlteros.
28. Eu, porém, estou feliz de estar com Deus, e em Deus colocar o meu abrigo, para contar as tuas obras todas (junto às portas de Sião).

[Salmos 74]Salmos 74



SERÁ QUE DEUS NOS REJEITOU?
1. Poema. De Asaf. Por que, ó Deus, rejeitar-nos até o fim? Por que arder em ira contra as ovelhas do teu rebanho?
2. Lembra-te da comunidade que adquiriste desde a origem, da tribo que redimiste como tua herança; do monte Sião, onde puseste a tua moradia.
3. Dirige teus passos para estas ruínas sem fim: o inimigo arrasou completamente o santuário.
4. Os opressores rugiram no lugar das tuas assembléias, e puseram suas insígnias no frontão da entrada,
5. insígnias que não eram conhecidas. Como quem brande o machado no bosque,
6. eles destroçaram as esculturas, golpeando com machado e com martelo.
7. Atearam fogo no teu santuário, profanaram até ao chão a moradia do teu nome.
8. Eles pensavam: "Vamos arrasá-los de uma vez!" E incendiaram todos os templos da terra.
9. Já não vemos nossos sinais, já não existem profetas, e ninguém de nós sabe até quando.
10. Até quando, ó Deus, o opressor vai blasfemar? O inimigo irá desprezar o teu nome até o fim?
11. Por que retiras tua mão esquerda e manténs a direita escondida no peito?
12. Tu, porém, ó Deus, és rei desde a origem, e operas libertações por toda a terra.
13. Tu dividiste o mar com teu poder, quebraste a cabeça do monstro do mar.
14. Tu esmagaste as cabeças do Leviatã, dando-o como alimento às feras do mar.
15. Tu abriste fontes e torrentes e secaste rios inesgotáveis.
16. O dia te pertence, e tua é a noite. Tu firmaste a lua e o sol.
17. Estabeleceste os limites da terra, e formaste o verão e o inverno.
18. Lembra-te, Javé, do inimigo que blasfema, do povo insensato que ultraja o teu nome.
19. Não entregues para a fera a vida de tua rola. Não esqueças até o fim a vida dos teus pobres.
20. Olha para a tua aliança, pois os recantos da terra estão cheios de violência.
21. Que o oprimido não volte coberto de confusão, e o pobre e o indigente louvem o teu nome.
22. Levanta-te, ó Deus! Defende a tua causa! Lembra-te do insensato que te ultraja o dia todo!
23. Não te esqueças do rumor de teus opressores, do tumulto crescente dos que se rebelam contra ti.

[Salmos 75]Salmos 75



DEUS VEM COMO JUIZ
1. Do mestre de canto. "Não destruas". Salmo. De Asaf. Cântico.
2. Nós te celebramos, ó Deus, nós te celebramos, invocando o teu nome e contando as tuas maravilhas.
3. "No momento que eu tiver decidido, eu mesmo vou julgar com retidão.
4. Trema a terra com seus habitantes todos, eu mesmo firmei as suas colunas".
5. Eu digo aos arrogantes: Não sejam arrogantes! E aos injustos: Não levantem a fronte!
6. Não ergam altivamente a fronte, não digam insolências contra a Rocha!
7. Não é do nascente, nem do poente, nem do deserto, nem das montanhas,
8. que Deus vem como juiz: a um ele abaixa, a outro eleva.
9. Na mão de Javé existe uma taça, com vinho espumando, cheio de mistura. Ele o derrama, e eles o sugarão até o fim, todos os injustos da terra o beberão.
10. Quanto a mim, vou proclamar sempre a grandeza dele, e tocarei para o Deus de Jacó.
11. Ele quebrará o poder de todos os injustos, e o poder dos justos se levantará.

[Salmos 76]Salmos 76



DEUS SALVA OS POBRES DA TERRA
1. Do mestre de canto. Com instrumentos de corda. Salmo. De Asaf. Cântico.
2. Deus se manifesta em Judá, sua fama é grande em Israel.
3. Sua tenda está em Jerusalém, e em Sião a sua moradia.
4. Aí quebrou os relâmpagos do arco, o escudo, a espada e a guerra.
5. Tu és luminoso e célebre, com montes de despojos conquistados.
6. Os valentes dormem o seu sono, e os braços falham aos guerreiros todos.
7. Com tua ameaça, ó Deus de Jacó, carro e cavalo ficaram parados.
8. Tu és terrível! Quem pode resistir à tua frente, quando ficas irado?
9. Do céu proclamas a sentença: a terra se paralisa de medo,
10. quando Deus se levanta para julgar e salvar todos os pobres da terra.
11. Atingido pela tua ira, o homem te louva, e os que escapam do castigo te rodearão.
12. Façam votos a Javé seu Deus, e os cumpram, e que os vassalos paguem tributo ao Terrível.
13. Ele deixa os príncipes sem alento, ele é terrível para os reis da terra!

[Salmos 77]Salmos 77



SERÁ QUE DEUS MUDOU?
1. Do mestre de canto... Iditun. De Asaf. Salmo.
2. A Deus levanto a minha voz, e grito! A Deus ergo a minha voz, e ele me ouve!
3. No dia da angústia eu procuro pelo Senhor. À noite estendo a mão, sem descanso, e minha alma recusa consolo.
4. Lembro-me de Deus e fico gemendo, medito e sinto-me desfalecer.
5. Tu me seguras as pálpebras dos olhos, fico agitado e nem posso falar.
6. Penso nos dias de outrora, recordo os anos longínquos.
7. De noite reflito em meu coração, fico meditando, e me pergunto:
8. O Senhor vai rejeitar-nos para sempre? Nunca mais será favorável a nós?
9. Sua misericórdia já se esgotou? Sua promessa terminou para sempre?
10. Será que Deus se esqueceu da sua bondade, ou fechou as entranhas com ira?
11. E eu digo: "Este é o meu mal: a direita do Altíssimo mudou!"
12. Lembro-me das proezas de Javé, recordo tuas maravilhas de outrora,
13. medito tuas obras todas, e considero tuas façanhas.
14. Ó Deus, o teu caminho é santo! Que deus é grande como o nosso Deus?
15. Tu és o Deus que opera maravilhas, mostrando às nações a tua força.
16. Com teu braço resgataste o teu povo, os filhos de Jacó e de José.
17. O mar te viu, ó Deus, o mar te viu e tremeu, e as ondas estremeceram.
18. As nuvens derramaram suas águas, as nuvens pesadas trovejaram, e tuas flechas ziguezagueavam.
19. O estrondo do teu trovão rondava, teus relâmpagos iluminavam o mundo, e a terra se agitou, estremecida.
20. Abriste um caminho entre as águas, uma senda nas águas torrenciais, sem deixar rastro dos teus passos.
21. Guiaste o teu povo como a um rebanho, pela mão de Moisés e de Aarão.

[Salmos 78]Salmos 78



SEM MEMÓRIA NÃO HÁ FIDELIDADE
1. Poema. De Asaf. Povo meu, escuta a minha instrução, dá ouvidos às palavras da minha boca.
2. Vou abrir minha boca em parábolas, vou expor enigmas do passado.
3. O que nós ouvimos e aprendemos, o que nos contaram nossos pais,
4. não o esconderemos aos filhos deles, nós o contaremos à geração futura: os louvores de Javé, seu poder e as maravilhas que realizou.
5. Porque ele estabeleceu uma norma para Jacó e deu uma lei para Israel: ordenou aos nossos pais que as transmitissem a seus filhos,
6. para que a geração seguinte as conhecesse, os filhos que iriam nascer. Que se levantem e as contem a seus filhos,
7. para que ponham em Deus a sua confiança, não se esqueçam dos feitos de Deus e observem os seus mandamentos.
8. Para que não sejam como seus pais, uma geração desobediente e rebelde, geração de coração inconstante, que não tem espírito fiel a Deus.
9. Os filhos de Efraim, arqueiros equipados, voltaram as costas no dia da batalha,
10. não guardaram a aliança de Deus, recusaram seguir a sua lei.
11. Esqueceram os grandes feitos dele e as maravilhas que lhes mostrara,
12. quando realizou a maravilha diante de seus pais, na terra do Egito, no campo de Tânis:
13. ele dividiu o mar e os fez atravessar, barrando as águas como num dique.
14. De dia os guiou com a nuvem, e de noite com a luz de um fogo.
15. Fendeu a rocha no deserto e lhes deu a beber águas abundantes.
16. Da pedra fez brotar torrentes, e as águas desceram como rios.
17. Mas continuaram pecando contra ele, rebelando-se contra o Altíssimo no deserto.
18. Tentaram a Deus em seus corações, pedindo comida conforme seu próprio gosto.
19. E falaram contra Deus: "Poderá Deus preparar uma mesa no deserto?"
20. Então ele feriu a rocha, a água brotou, e as torrentes transbordaram. "Acaso poderá também nos dar pão ou fornecer carne ao seu povo?"
21. Ouvindo isso, Javé se enfureceu; um fogo acendeu-se contra Jacó e a ira se ergueu contra Israel.
22. Porque eles não tinham fé em Deus, nem confiavam no auxílio dele.
23. Entretanto, ele ordenou às altas nuvens e abriu as comportas do céu:
24. fez chover sobre eles o maná, deu-lhes um trigo do céu.
25. O homem comeu pão dos anjos, Deus mandou-lhes provisões em fartura.
26. Fez soprar no céu o vento leste, e com seu poder trouxe o vento sul:
27. sobre eles fez chover carne como pó, aves numerosas como areia do mar,
28. fazendo-as cair no meio do acampamento, ao redor de suas tendas.
29. Eles comeram e ficaram saciados, pois ele os atendeu conforme queriam.
30. Mas não haviam satisfeito o apetite, tinham ainda a comida na boca,
31. quando a ira de Deus contra eles se ergueu: ele massacrou os mais fortes, e prostrou a juventude de Israel.
32. Apesar disso, continuaram a pecar, e não tinham fé nas maravilhas dele.
33. Consumiu-lhes os dias num sopro e seus anos num momento.
34. Quando os matava, então o buscavam, madrugando para voltar-se para Deus.
35. Recordavam que Deus era sua rocha, que o Deus Altíssimo era o seu redentor.
36. Eles o adulavam com a boca, mas com a língua o enganavam.
37. O coração deles não era sincero com Deus, não eram fiéis à sua aliança.
38. Ele, porém, compassivo, perdoava as faltas e não os destruía. Reprimia sua ira muitas vezes, e não despertava todo o seu furor.
39. Lembrava-se de que eles eram apenas carne, um vento que se vai, para nunca mais voltar.
40. Quantas vezes o afrontaram no deserto e o ofenderam em lugares solitários!
41. Voltaram a tentar a Deus, a irritar o Santo de Israel.
42. Não se lembravam de sua mão, que um dia os resgatou da opressão:
43. quando operou seus sinais no Egito, e seus prodígios no campo de Tânis.
44. Quando transformou em sangue seus canais e suas torrentes, privando-os de beber.
45. Quando lhes mandou moscas que os devoravam, e rãs que os devastavam.
46. Quando entregou às larvas suas colheitas, e seu trabalho aos gafanhotos.
47. Quando destruiu sua vinha com granizo, e seus sicômoros com geada.
48. Quando abandonou seu gado à saraiva, e aos relâmpagos o seu rebanho.
49. Quando lançou contra eles o fogo de sua ira: cólera, furor e aflição, anjos portadores de desgraças;
50. ele deu livre curso à sua ira, não mais os preservou da morte, mas à peste entregou suas vidas.
51. Quando feriu todo primogênito no Egito, as primícias da raça nas tendas de Cam.
52. Fez seu povo partir como rebanho, e como ovelhas conduziu-os pelo deserto.
53. Guiou-os com segurança, sem alarme, enquanto o mar cobria seus inimigos.
54. Introduziu-os pelas fronteiras santas, até a montanha que sua direita conquistara.
55. Expulsou da frente deles as nações, e designou por sorte uma herança para eles, colocando em suas tendas as tribos de Israel.
56. Ainda assim tentavam e afrontavam o Deus Altíssimo, recusando guardar seus preceitos.
57. Desviaram-se, traíam como seus pais, voltavam atrás como arco infiel.
58. Com seus lugares altos o indignavam, e o enciumavam com seus ídolos.
59. Deus ouviu e ficou enfurecido, e rejeitou Israel completamente.
60. Abandonou sua moradia em Silo, a tenda onde habitava entre os homens.
61. Entregou seus valentes ao cativeiro, e seu esplendor à mão do opressor.
62. Abandonou seu povo à espada, e se enfureceu contra a sua herança.
63. Seus jovens foram devorados pelo fogo, e suas virgens não tiveram canto de núpcias.
64. Seus sacerdotes caíram sob a espada, e suas viúvas não entoaram lamentações.
65. E o Senhor acordou como alguém que dormia, como valente embriagado pelo vinho.
66. Feriu seus opressores pelas costas e para sempre os entregou à vergonha.
67. Rejeitou a tenda de José, e não elegeu a tribo de Efraim.
68. Escolheu a tribo de Judá, e o monte Sião, seu preferido.
69. Construiu seu santuário como o céu, e o firmou para sempre, como a terra.
70. Escolheu Davi, seu servo, e o tirou do aprisco das ovelhas.
71. Da companhia das ovelhas o tirou para apascentar Jacó, seu povo, e Israel, sua herança.
72. Ele os apascentou de coração íntegro, e os conduziu com mão inteligente.

[Salmos 79]Salmos 79



A HONRA DE DEUS ESTÁ EM JOGO
1. Salmo. De Asaf. Ó Deus, as nações invadiram a tua herança, profanaram o teu templo santo, reduziram Jerusalém a ruínas.
2. Deram os cadáveres dos teus servos como alimento às aves do céu, e a carne dos teus fiéis às feras da terra.
3. Derramaram o sangue deles como água ao redor de Jerusalém, e ninguém o enterrava.
4. Nós nos tornamos ultraje para os nossos vizinhos, divertimento e zombaria para aqueles que nos cercam.
5. Até quando, Javé? Ficarás irado até o fim? Teu ciúme vai arder como fogo?
6. Derrama o teu furor sobre essas nações que não te reconhecem, sobre esses reinos que não invocam o teu nome.
7. Eles devoraram Jacó e devastaram a sua moradia.
8. Não recordes contra nós as faltas de nossos antepassados. Que tua compaixão venha logo até nós, pois estamos muito enfraquecidos.
9. Socorre-nos, ó Deus salvador nosso, pela honra do teu nome! Liberta e perdoa os nossos pecados por causa do teu nome!
10. Por que diriam as nações: "Onde está o Deus deles?" Que diante dos nossos olhos as nações reconheçam a vingança do sangue derramado dos teus servos.
11. Chegue à tua presença o gemido do cativo: com teu braço poderoso salva os condenados à morte,
12. e aos nossos vizinhos devolve sete vezes a afronta com que te afrontaram, Senhor!
13. Quanto a nós, o teu povo, ovelhas do teu rebanho, nós te celebramos para sempre, e de geração em geração vamos proclamar o teu louvor!

[Salmos 80]Salmos 80



DEUS RESTAURA O SEU POVO
1. Do mestre de canto. Sobre a ária: "Os lírios são os preceitos". De Asaf. Salmo.
2. Pastor de Israel, dá ouvidos, tu que diriges a José como a um rebanho; tu que te assentas sobre os querubins, resplandece
3. perante Efraim, Benjamim e Manassés! Desperta o teu poder e vem socorrer-nos.
4. Restaura-nos, ó Deus! Faze brilhar a tua face, e seremos salvos!
5. Javé Deus dos Exércitos, até quando ficarás irado enquanto o teu povo suplica?
6. Tu lhe deste pranto a comer e lágrimas aos tragos para beber.
7. Tu nos tornaste a disputa dos nossos vizinhos, e os nossos inimigos zombam de nós.
8. Restaura-nos, Deus dos Exércitos! Faze brilhar a tua face, e seremos salvos!
9. Tiraste uma videira do Egito, expulsaste nações, e a transplantaste.
10. Preparaste o terreno e, lançando raízes, ela encheu a terra.
11. Sua sombra cobria as montanhas, e seus ramos, os cedros de Deus.
12. Ela estendia os galhos até o mar, e até o rio os seus rebentos.
13. Por que lhe derrubaste as cercas? Para que os viandantes a saqueiem,
14. e os javalis da floresta a devastem, e as feras do campo a devorem?
15. Volta atrás, ó Deus dos Exércitos! Olha do céu e vê! Vem visitar tua vinha,
16. a muda que a tua direita plantou, e que tornaste vigorosa.
17. Eles a queimavam como lixo, mas vão perecer com a ameaça de tua face.
18. Que tua mão proteja o teu escolhido, o homem que tu confirmaste.
19. Nunca mais nos afastaremos de ti. Faze-nos viver, para invocarmos o teu nome.
20. Restaura-nos, Javé, Deus dos Exércitos! Faze brilhar a tua face, e seremos salvos!

[Salmos 81]Salmos 81



POR QUE VOCÊ ME ABANDONOU?
1. Do mestre de canto. Sobre a harpa de Gat. De Asaf.
2. Aclamem a Deus, nossa força, aclamem ao Deus de Jacó.
3. Acompanhem, toquem os pandeiros, a harpa melodiosa e a cítara.
4. Toquem a trombeta pelo novo mês, na lua cheia, dia da nossa festa.
5. Porque é uma lei para Israel, um preceito do Deus de Jacó,
6. uma norma estabelecida para José, quando ele saiu da terra do Egito. Ouço uma linguagem desconhecida:
7. "Eu removi a carga de seus ombros, e suas mãos deixaram o cesto.
8. Você clamou na opressão, e eu o libertei. Escondido no trovão, eu lhe respondi, e o provei nas águas de Meriba".
9. Escute, povo meu, eu vou testemunhar contra você. Oxalá você me ouvisse, Israel!
10. "Nunca haja em você um deus estranho, nunca adore um deus estrangeiro.
11. Eu sou Javé seu Deus, que o tirei da terra do Egito. Abra sua boca, e eu a encherei".
12. E o meu povo não escutou a minha voz, Israel não quis me obedecer.
13. Então eu os entreguei ao seu coração endurecido: que sigam seus próprios caminhos!
14. Ah! Se meu povo me escutasse, se Israel andasse em meus caminhos...
15. Eu derrotaria seus inimigos num momento, e contra seus opressores voltaria a minha mão.
16. Os que odeiam Javé o adulariam, e o tempo deles teria passado para sempre.
17. Eu alimentaria você com a flor do trigo e o saciaria com o mel do rochedo.

[Salmos 82]Salmos 82



DEUS ADVERTE AS AUTORIDADES
1. Salmo. De Asaf. Deus se levanta no conselho divino, em meio aos deuses ele julga:
2. "Até quando vocês julgarão injustamente, sustentando a causa dos injustos?
3. Protejam o fraco e o órfão, façam justiça ao pobre e ao necessitado,
4. libertem o fraco e o indigente, e os livrem da mão dos injustos!"
5. Eles não sabem, não entendem, vagueiam nas trevas: todos os fundamentos da terra se abalam.
6. Eu declaro: "Embora vocês sejam deuses, e todos filhos do Altíssimo,
7. vocês morrerão como qualquer homem. Vocês, príncipes, cairão como qualquer outro".
8. Levanta-te, ó Deus, e julga a terra, pois as nações todas pertencem a ti!

[Salmos 83]Salmos 83



Ó DEUS, NÃO TE CALES!
1. Salmo. Cântico. De Asaf.
2. Ó Deus, não te cales, não fiques mudo e imóvel, ó Deus!
3. Eis que os teus inimigos se agitam, os que te odeiam levantam a cabeça.
4. Eles tramam um plano contra o teu povo, conspiram contra os teus protegidos:
5. "Venham, vamos removê-los do meio das nações, e o nome de Israel nunca mais será lembrado!"
6. Todos em acordo conspiram e fazem aliança contra ti:
7. os beduínos edomitas e os ismaelitas, moabitas e agarenos,
8. Gebal, Amon e Amalec, os filisteus com os habitantes de Tiro;
9. também os assírios a eles se aliaram, dando reforço aos filhos de Ló.
10. Faze com eles como fizeste com Madiã e Sísara, e com Jabin na torrente Quison.
11. Foram aniquilados em Endor, tornaram-se esterco para a terra.
12. Trata seus príncipes como a Oreb e Zeb, como a Zebá e Sálmana, todos os seus chefes.
13. Esses diziam: "Tomemos posse dos territórios de Deus!"
14. Meu Deus, trata-os como folhas que voam, como a palha diante do vento;
15. como o fogo devorando uma floresta, e a chama abrasando as montanhas.
16. Persegue-os com a tua tempestade, aterroriza-os com o teu furacão.
17. Cobre de infâmia a face deles, para que busquem o teu nome, ó Javé!
18. Fiquem envergonhados e perturbados para sempre, sejam confundidos e arruinados.
19. Saberão assim que só tu tens o nome de Javé, o Altíssimo sobre toda a terra!

[Salmos 84]Salmos 84



A CASA DE DEUS É CASA DO POVO
1. Do mestre do coro. Sobre a harpa de Gat. Dos filhos de Coré. Salmo.
2. Como são desejáveis as tuas moradas, Javé dos Exércitos!
3. Minha alma suspira e desfalece pelos átrios de Javé. Meu coração e minha carne exultam pelo Deus vivo.
4. Até o pássaro encontrou uma casa, e a andorinha, um ninho, onde põe seus filhotes: os teus altares, Javé dos Exércitos, meu rei e meu Deus!
5. Felizes os que habitam em tua casa: eles te louvam sem cessar.
6. Felizes os que encontram em ti a sua força ao preparar sua peregrinação:
7. quando atravessam vales áridos, eles os transformam em oásis, como se a primeira chuva os cobrisse de bênção.
8. Eles caminham de fortaleza em fortaleza até verem Deus em Sião.
9. Javé, Deus dos Exércitos, ouve a minha súplica, dá ouvidos, ó Deus de Jacó.
10. Vê o nosso escudo, ó Deus, olha a face do teu ungido.
11. Sim, mais vale um dia em teus átrios, do que milhares em minha casa. Prefiro o umbral da casa de Deus do que habitar na tenda dos injustos.
12. Porque Javé é sol e escudo, Deus concede graça e glória. Javé não recusa nenhum bem aos que andam na integridade.
13. Javé dos Exércitos, feliz o homem que confia em ti!

[Salmos 85]Salmos 85



RESTAURA-NOS, Ó DEUS!
1. Do mestre de canto. Dos filhos de Coré. Salmo.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   83   84   85   86   87   88   89   90   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal