Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


Maldita seja a cólera deles por seu rigor, maldito seu furor por sua dureza. Eu os dividirei em Jacó e os dispersarei em Israel. 8



Baixar 5.7 Mb.
Página9/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   197

7. Maldita seja a cólera deles por seu rigor, maldito seu furor por sua dureza. Eu os dividirei em Jacó e os dispersarei em Israel.
8. Judá, seus irmãos o louvarão. Você colocará a mão sobre a nuca de seus inimigos, e diante de você se prostrarão os filhos de seu pai.
9. Judá é um leãozinho. Você voltou da caçada, meu filho; agacha-se e deita-se como leão e como leoa: quem se atreve a desafiá-lo?
10. O cetro não se afastará de Judá, nem o bastão de comando do meio de seus pés, até que o tributo lhe seja trazido e os povos lhe obedeçam.
11. Ele amarra a seu jumentinho junto à vinha, e o filhote de jumenta perto da videira; lava sua roupa no vinho e seu manto no sangue das uvas.
12. Seus olhos são mais escuros do que o vinho, e seus dentes mais brancos que o leite.
13. Zabulon reside à beira-mar: é um porto para os barcos, e sua fronteira chegará até Sidônia.
14. Issacar é um jumento robusto, deitado entre dois muros.
15. Ele viu que o estábulo era bom e que a terra era agradável: baixou o ombro sob a carga e sujeitou-se ao trabalho escravo.
16. Dã julga seu povo, e também as outras tribos de Israel.
17. Dã é uma serpente no caminho, uma víbora no atalho: morde o cavalo nos calcanhares, e o cavaleiro cai para trás.
18. Em tua salvação eu espero, Javé!
19. Gad, os guerrilheiros o atacarão, e ele os atacará pelas costas.
20. Aser, seu pão é abundante e fornece delícias de reis.
21. Neftali é gazela solta que tem crias formosas.
22. José é potro selvagem, potro junto à fonte, burros selvagens junto ao muro.
23. Os arqueiros os irritam, desafiam e atacam.
24. Mas o seu arco fica intacto e seus braços se movem velozes, pelas mãos do Poderoso de Jacó, do Pastor e Pedra de Israel,
25. pelo Deus de seu pai que o socorre, pelo Todo-poderoso que o abençoa: as bênçãos que descem do céu e as bênçãos do oceano em baixo, bênçãos das mamas e dos seios.
26. As bênçãos de seu pai são superiores às bênçãos dos montes antigos e às atrações das colinas eternas. Que elas venham sobre a cabeça de José, sobre a fronte do consagrado entre os irmãos.
27. Benjamim é um lobo voraz: de manhã devora a presa, e à tarde reparte os despojos.
28. Todos esses formam as doze tribos de Israel. E tudo isso foi o que disse o pai deles ao abençoá-los; abençoou cada um com a bênção que convinha.
29. Depois Jacó ordenou a eles: "Quando eu me reunir com os meus, enterrem-me com os meus pais na gruta do campo de Efron, o heteu,
30. na gruta do campo de Macpela, diante de Mambré, na terra de Canaã, que Abraão comprou de Efron, o heteu, como propriedade sepulcral.
31. Aí foram enterrados Abraão e sua mulher Sara; aí também foram enterrados Isaac e sua mulher Rebeca, e aí eu enterrei Lia.
32. O campo e a gruta que nele está foram comprados dos filhos de Het".
33. Quando Jacó acabou de dar instruções aos filhos, recolheu os pés na cama, expirou e se reuniu com seus antepassados.

[Gênesis 50]Gênesis 50



O EGITO NÃO É A TERRA PROMETIDA
1. José lançou-se sobre o rosto do pai, chorando e beijando.
2. Em seguida, ordenou aos médicos que estavam a seu serviço para embalsamar seu pai; e os médicos embalsamaram Israel.
3. Isso durou quarenta dias, que é o tempo que costuma demorar o embalsamamento. Os egípcios guardaram luto por setenta dias.
4. Quando terminou o tempo do luto, José disse aos cortesãos do Faraó: "Se vocês são meus amigos, digam pessoalmente ao Faraó:
5. 'Meu pai me fez prestar este juramento: Quando eu morrer, enterre-me no túmulo que eu mandei cavar na terra de Canaã'. Portanto, deixe-me subir para enterrar meu pai; depois, eu voltarei".
6. O Faraó respondeu: "Suba e enterre seu pai conforme o juramento que você fez".
7. José subiu para enterrar seu pai e com ele foram todos os oficiais do Faraó, os anciãos da corte e todos os dignitários da terra do Egito,
8. bem como toda a família de José, seus irmãos e a família de seu pai. Deixaram na terra de Gessen somente as crianças, as ovelhas e os bois.
9. Com José subiram também carros e cavaleiros; era um cortejo muito importante.
10. Chegando a Goren-Atad, no outro lado do Jordão, fizeram um funeral grandioso e solene, e José guardou por seu pai um luto de sete dias.
11. Os cananeus, que habitavam na região, viram o luto em Goren-Atad, e comentaram: "O funeral dos egípcios é solene!" Por isso, deram ao lugar o nome de Luto do Egito, lugar esse que está no outro lado do Jordão.
12. Os filhos de Jacó fizeram o que ele havia ordenado:
13. levaram-no para a terra de Canaã e o enterraram na gruta do campo de Macpela, diante de Mambré, campo que Abraão havia comprado de Efron, o heteu, como propriedade sepulcral.
14. Então José voltou ao Egito junto com seus irmãos e todos os que o acompanharam para enterrar seu pai.
15. Vendo que o pai havia morrido, os irmãos de José disseram: "E se José guardou rancor contra nós e quer nos devolver todo o mal que lhe fizemos?"
16. Então mandaram dizer a José: "Antes de morrer, seu pai expressou esta vontade:
17. "Digam a José: perdoe a seus irmãos o crime e o pecado que cometeram, todo o mal que fizeram a você'. Portanto, perdoe o crime dos servos do Deus de seu pai". Ao ouvir o que eles mandaram dizer, José chorou.
18. Então chegaram os irmãos, prostraram-se diante de José e disseram: "Aqui estamos. Somos seus escravos".
19. José respondeu: "Não tenham medo. Por acaso eu estou no lugar de Deus?
20. Vocês pretendiam o mal contra mim, mas o projeto de Deus o transformou em bem, a fim de cumprir o que se realiza hoje: salvar a vida de um povo numeroso.
21. Portanto, não tenham medo. Eu sustentarei vocês e seus filhos". José os tranqüilizou e lhes falou afetuosamente.
22. José viveu no Egito com a família de seu pai, e chegou aos cento e dez anos.
23. Conheceu os filhos de Efraim até a terceira geração, e também os filhos de Maquir, filho de Manassés, e os carregou no colo.
24. Por fim, José disse aos irmãos: "Estou para morrer, mas Deus cuidará de vocês e os fará subir daqui para a terra que ele prometeu, com juramento, dar a Abraão, Isaac e Jacó".
25. E José fez os filhos de Israel jurarem: "Quando Deus intervier em favor de vocês, levem meus ossos daqui".
26. José morreu com cento e dez anos. E eles o embalsamaram e colocaram num sarcófago no Egito.

[Êxodo 1]I. A OPRESSÃO: PROJETO DE MORTE


Êxodo 1

SURGIMENTO DE UM POVO
1. Nomes dos filhos de Israel que foram para o Egito com Jacó, cada qual com sua família:
2. Rúben, Simeão, Levi e Judá;
3. Issacar, Zabulon e Benjamim;
4. Dã e Neftali; Gad e Aser.
5. Os descendentes de Jacó eram ao todo setenta pessoas. José, porém, já estava no Egito.
6. Depois, morreu José, assim como seus irmãos e toda essa geração.
7. Os filhos de Israel se tornavam fecundos e se multiplicavam; tornaram-se cada vez mais numerosos e poderosos, a tal ponto que o país ficou repleto deles.

LUTA ENTRE A MORTE E A VIDA

A OPRESSÃO PARALISA O POVO
8. Subiu ao trono do Egito um novo rei que não tinha conhecido José.
9. Ele disse ao seu povo: "Vejam! O povo dos filhos de Israel está se tornando mais numeroso e poderoso do que nós.
10. Vamos vencê-los com astúcia, para impedir que eles se multipliquem; do contrário, em caso de guerra, eles se aliarão com o inimigo, nos atacarão e depois sairão do país".
11. Então impuseram sobre Israel capatazes, que os exploravam em trabalhos forçados. E assim construíram para o Faraó as cidades-armazéns de Pitom e Ramsés.
12. Contudo, quanto mais oprimiam o povo, mais ele crescia e se multiplicava. Os filhos de Israel começaram a se tornar um pesadelo para os egípcios.
13. Por isso, os egípcios impuseram sobre eles trabalhos duros,
14. e lhes amargaram a vida com dura escravidão: preparação de argila, fabricação de tijolos, vários trabalhos nos campos; enfim, com dureza os obrigaram a todos esses trabalhos.

O OPRESSOR NÃO CONSEGUE ELIMINAR A VIDA
15. O rei do Egito ordenou às parteiras dos hebreus, que se chamavam Sefra e Fua:
16. "Quando vocês ajudarem as hebréias a dar à luz, observem se é menino ou menina: se for menino, matem; se for menina, deixem viver".
17. As parteiras, porém, temeram a Deus e não fizeram o que o rei do Egito lhes havia ordenado; e deixaram os meninos viver.
18. Então o rei do Egito chamou as parteiras e lhes disse: "Por que vocês fizeram isso, deixando os meninos viver?"
19. Elas responderam ao Faraó: "As mulheres hebréias não são como as egípcias: são cheias de vida, e dão à luz antes que as parteiras cheguem".
20. Por isso, Deus favoreceu as parteiras. E o povo se multiplicou e tornou-se muito poderoso.
21. E como as parteiras temeram a Deus, ele deu a elas uma família numerosa.
22. Então o Faraó ordenou a todo o seu povo: "Joguem no rio Nilo todo menino que nascer; e se for menina, deixem viver".

[Êxodo 2]Êxodo 2



A VIDA DENTRO DA CASA DO OPRESSOR
1. Um homem da tribo de Levi casou-se com uma mulher da mesma tribo:
2. ela concebeu e deu à luz um filho. Vendo que era belo, o escondeu por três meses.
3. Quando não pôde mais escondê-lo, pegou um cesto de papiro, vedou com betume e piche, colocou dentro a criança, e a depositou entre os juncos na margem do rio.
4. A irmã da criança observava de longe para ver o que aconteceria.
5. Nesse momento, a filha do Faraó desceu para tomar banho no rio, enquanto suas servas andavam pela margem. Ela viu o cesto entre os juncos e mandou a criada apanhá-lo.
6. Ao abrir o cesto, viu a criança: era um menino que chorava. Ela se compadeceu e disse: "É uma criança dos hebreus!"
7. Então a irmã do menino disse à filha do Faraó: "A senhora quer que eu vá chamar uma hebréia para criar este menino?"
8. A filha do Faraó respondeu: "Pode ir". A menina foi e chamou a mãe da criança.
9. Então a filha do Faraó disse para a mulher: "Leve este menino, e o amamente para mim, que eu lhe pagarei". A mulher recebeu o menino e o criou.
10. Quando o menino cresceu, a mulher o entregou à filha do Faraó, que o adotou e lhe deu o nome de Moisés, dizendo: "Eu o tirei das águas".

SOLIDARIEDADE COM O OPRIMIDO
11. Passaram os anos. Moisés cresceu e saiu para ver seus irmãos. E notou que eram submetidos a trabalhos forçados. Viu também que um dos seus irmãos hebreus estava sendo maltratado por um egípcio.
12. Olhou para um lado e para outro, e vendo que não havia ninguém, matou o egípcio e o enterrou na areia.
13. No dia seguinte, Moisés saiu e encontrou dois hebreus brigando. E disse para o agressor: "Por que você está ferindo seu próximo?"
14. Ele respondeu: "E quem foi que nomeou você para ser chefe e juiz sobre nós? Está querendo me matar como matou o egípcio ontem?" Moisés sentiu medo e pensou: "Certamente a coisa já é conhecida".
15. O Faraó ouviu falar do fato e procurou matar Moisés. Moisés, porém, fugiu do Faraó e se refugiou no país de Madiã. E aí se sentou junto a um poço.
16. O sacerdote de Madiã tinha sete filhas. Elas foram buscar água para encher os bebedouros e dar de beber ao rebanho de seu pai.
17. Nisso, chegaram uns pastores e tentavam expulsá-las. Então Moisés se levantou para defendê-las e deu de beber ao rebanho delas.
18. E elas voltaram para seu pai Ragüel, e este lhes perguntou: "Por que vocês voltaram hoje mais cedo?"
19. Elas responderam: "Um egípcio nos livrou dos pastores, tirou água e deu de beber ao rebanho".
20. O pai perguntou: "Onde está ele? Por que o deixaram ir embora? Vão chamá-lo para que venha comer".
21. Moisés concordou em morar com ele. E ele deu a Moisés sua filha Séfora.
22. Ela deu à luz um menino, a quem Moisés deu o nome de Gérson, dizendo: "Sou imigrante em terra estrangeira".

II. A LIBERTAÇÃO: PROJETO DE VIDA

1. DEUS OUVE O CLAMOR DO OPRIMIDO

O OPRIMIDO TOMA CONSCIÊNCIA
23. Muito tempo depois, o rei do Egito morreu. Os filhos de Israel gemiam sob o peso da escravidão, e clamaram; e do fundo da escravidão, o seu clamor chegou até Deus.
24. Deus ouviu as queixas deles e lembrou-se da aliança que fizera com Abraão, Isaac e Jacó.
25. Deus viu a condição dos filhos de Israel e a levou em consideração.

[Êxodo 3]2. DEUS RESPONDE AO CLAMOR



Êxodo 3

EXPERIÊNCIA QUE PROVOCA DECISÃO
1. Moisés estava pastoreando o rebanho do seu sogro Jetro, sacerdote de Madiã. Levou as ovelhas além do deserto e chegou ao Horeb, a montanha de Deus.
2. O anjo de Javé apareceu a Moisés numa chama de fogo do meio de uma sarça. Moisés prestou atenção: a sarça ardia no fogo, mas não se consumia.
3. Então Moisés pensou: "Vou chegar mais perto e ver essa coisa estranha: por que será que a sarça não se consome?"
4. Javé viu Moisés que se aproximava para olhar. E do meio da sarça Deus o chamou: "Moisés, Moisés!" Ele respondeu: "Aqui estou".
5. Deus disse: "Não se aproxime. Tire as sandálias dos pés, porque o lugar onde você está pisando é um lugar sagrado".
6. E continuou: "Eu sou o Deus de seus antepassados, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac, o Deus de Jacó". Então Moisés cobriu o rosto, pois tinha medo de olhar para Deus.

OBJETIVO DA LIBERTAÇÃO
7. Javé disse: "Eu vi muito bem a miséria do meu povo que está no Egito. Ouvi o seu clamor contra seus opressores, e conheço os seus sofrimentos.
8. Por isso, desci para libertá-lo do poder dos egípcios e para fazê-lo subir dessa terra para uma terra fértil e espaçosa, terra onde corre leite e mel, o território dos cananeus, heteus, amorreus, ferezeus, heveus e jebuseus.
9. O clamor dos filhos de Israel chegou até mim, e eu estou vendo a opressão com que os egípcios os atormentam.
10. Por isso, vá. Eu envio você ao Faraó, para tirar do Egito o meu povo, os filhos de Israel".

O NOME DE DEUS
11. Então Moisés disse a Deus: "Quem sou eu para ir até o Faraó e tirar os filhos de Israel lá do Egito?"
12. Deus respondeu: "Eu estou com você, e este é o sinal de que eu o envio: quando você tirar o povo do Egito, vocês vão servir a Deus nesta montanha".
13. Moisés replicou a Deus: "Quando eu me dirigir aos filhos de Israel, eu direi: 'O Deus dos antepassados de vocês me enviou até vocês'; e se eles me perguntarem: 'Qual é o nome dele?' O que é que eu vou responder?"
14. Deus disse a Moisés: "Eu sou aquele que sou". E continuou: "Você falará assim aos filhos de Israel: 'Eu Sou me enviou até vocês' ".
15. Deus disse ainda a Moisés: "Você falará assim aos filhos de Israel: 'Javé, o Deus dos antepassados de vocês, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac, o Deus de Jacó, foi quem me enviou até vocês'. Esse é o meu nome para sempre, e assim eu serei lembrado de geração em geração".

O PROJETO DA LIBERTAÇÃO
16. "Vá, reúna os anciãos de Israel e diga a eles: 'Javé, o Deus dos antepassados de vocês, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac, o Deus de Jacó, ele me apareceu e disse: Eu vim ver vocês e como estão tratando vocês aqui no Egito.
17. Então eu disse: Eu decidi tirar vocês da opressão egípcia e levá-los para a terra dos cananeus, heteus, amorreus, ferezeus, heveus e jebuseus, para uma terra onde corre leite e mel'.
18. Os anciãos de Israel darão ouvidos a você. Então você irá com eles até o rei do Egito e lhe dirá: 'Javé, o Deus dos hebreus, veio ao nosso encontro. Por isso, deixe-nos agora fazer uma viagem de três dias no deserto, para oferecermos sacrifícios a Javé nosso Deus'.
19. Entretanto, eu sei que o rei do Egito não os deixará ir, se não for obrigado por mão forte.
20. Portanto, vou estender a mão e ferir o Egito com todas as maravilhas que farei no país. Então ele deixará vocês partir.
21. Farei com que o povo conquiste a simpatia dos egípcios, de modo que, ao partir, não saiam de mãos vazias.
22. As mulheres pedirão a suas vizinhas e às donas de casa, com quem estiverem alojadas, objetos de prata e ouro e roupas para vestir seus filhos e filhas; assim, vocês vão despojar os egípcios".

[Êxodo 4]Êxodo 4



MOISÉS PODERÁ DEMITIFICAR A IDEOLOGIA DO OPRESSOR
1. Moisés replicou: "E se eles não acreditarem em mim, nem fizerem caso, dizendo: 'Javé não apareceu a você'?"
2. Javé perguntou-lhe: "O que você tem aí na mão?" Moisés respondeu: "Uma vara".
3. Então Javé lhe disse: "Jogue-a no chão". Moisés jogou a vara no chão e ela se transformou em cobra. Moisés, assustado, saiu correndo.
4. Javé disse a Moisés: "Estenda a mão e pegue-a pela cauda". Ele estendeu a mão, pegou-a pela cauda e ela se transformou em vara.
5. Então Javé disse: "Isso é para acreditarem que Javé, o Deus dos antepassados deles, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac, o Deus de Jacó, apareceu a você".
6. Javé disse-lhe ainda: "Coloque a mão no peito". Moisés colocou a mão no peito; ao retirá-la, a mão estava leprosa, branca como a neve.
7. Javé lhe disse: "Coloque de novo a mão no peito". Moisés colocou de novo a mão no peito e, ao retirá-la, estava normal como o resto do corpo.
8. E Javé disse: "Se eles não acreditarem e não fizerem caso de você no primeiro sinal, acreditarão em você no segundo.
9. Se não acreditarem nem fizerem caso de você em nenhum dos dois sinais, pegue água do rio Nilo e derrame-a na terra seca: a água que você pegar do rio se transformará em sangue sobre a terra seca".

O PORTA-VOZ DE MOISÉS
10. Moisés insistiu com Javé: "Meu Senhor, eu não tenho facilidade para falar, nem ontem, nem anteontem, nem depois que falaste ao teu servo; minha boca e minha língua são pesadas".
11. Javé replicou: "Quem dá a boca para o homem? Quem o torna mudo ou surdo, capaz de ver ou cego? Não sou eu, Javé?
12. Agora vá, e eu estarei em sua boca e lhe ensinarei o que você há de falar".
13. Moisés, porém, insistiu: "Não, meu Senhor, envia o intermediário que quiseres".
14. Javé ficou irritado com Moisés e lhe disse: "Você não tem o seu irmão Aarão, o levita? Sei que ele sabe falar bem. Ele está vindo ao seu encontro e ficará alegre em ver você.
15. Você vai falar com ele e transmitirá a ele as mensagens. Eu estarei na sua boca e na dele, e ensinarei a vocês o que deverão fazer.
16. Ele falará ao povo no lugar de você: ele será a sua boca, e você será um deus para ele.
17. Pegue esta vara na mão: é com ela que você fará os sinais".

MOISÉS PARTE PARA O EGITO
18. Moisés voltou para a casa de seu sogro Jetro, e lhe disse: "Vou voltar para o Egito, para ver se meus irmãos ainda vivem". Jetro respondeu: "Vá em paz".
19. Em Madiã, Javé disse a Moisés: "Volte para o Egito, porque morreram todos os que projetavam matar você".
20. Então Moisés tomou sua mulher e seu filho, os fez montar num jumento, e voltou para a terra do Egito. Moisés levava na mão a vara de Deus.
21. E Javé disse a Moisés: "Quando você voltar ao Egito, procure fazer na presença do Faraó os prodígios que coloquei à sua disposição. Mas eu vou endurecer o coração do Faraó, para que ele não deixe o povo partir.
22. Então você dirá ao Faraó: Assim diz Javé: Israel é o meu filho primogênito
23. e eu ordeno a você que deixe meu filho sair para que me sirva. Se você se recusar a deixá-lo partir, eu matarei o filho primogênito de você".

A CIRCUNCISÃO DO FILHO DE MOISÉS
24. Durante a viagem, numa hospedaria, Javé foi ao encontro de Moisés e procurava matá-lo.
25. Séfora pegou uma pedra aguda, cortou o prepúcio de seu filho, com ele tocou os órgãos sexuais de Moisés, e disse: "Você é para mim um esposo de sangue".
26. E Javé o deixou quando ela disse: "esposo de sangue", por causa da circuncisão.

O POVO ADERE AO PROJETO DE JAVÉ
27. Javé disse a Aarão: "Vá até o deserto para encontrar-se com Moisés". Ele foi, o encontrou na montanha de Deus e o beijou.
28. Moisés contou para Aarão tudo o que Javé lhe havia dito quando lhe dera a missão. E falou de todos os sinais que Javé lhe havia mandado realizar.
29. Então Moisés e Aarão foram reunir todos os anciãos dos filhos de Israel.
30. Aarão repetiu tudo o que Javé tinha dito a Moisés, e este realizou os sinais diante do povo.
31. O povo acreditou. E, ouvindo que Javé se ocupava dos filhos de Israel e vira a opressão sobre eles, todos se ajoelharam e se prostraram.

[Êxodo 5]3. FRACASSO DA VIA LEGAL



Êxodo 5

O DEUS DOS MARGINALIZADOS
1. Depois disso, Moisés e Aarão se apresentaram diante do Faraó e disseram: "Assim diz Javé, o Deus de Israel: Deixe meu povo partir para que celebre uma festa para mim no deserto".
2. O Faraó respondeu: "Quem é Javé, para que eu tenha de obedecer a ele e deixar Israel partir? Não reconheço Javé, nem deixarei Israel partir".
3. Eles disseram: "O Deus dos hebreus veio ao nosso encontro. Deixe-nos fazer uma viagem de três dias pelo deserto para oferecermos sacrifícios a Javé nosso Deus; caso contrário, ele nos ferirá com peste ou espada".
4. Então o rei do Egito lhes disse: "Moisés e Aarão, por que vocês subvertem o povo que trabalha? Voltem já para o trabalho!"
5. E o Faraó acrescentou: "Eles já são mais numerosos que os nativos do país, e vocês ainda querem que eles deixem de trabalhar?"

O REVIDE DO OPRESSOR
6. Nesse mesmo dia, o Faraó deu ordem aos capatazes e inspetores, dizendo:
7". Não dêem ao povo palha para fazer tijolos, como vocês faziam antes. Que eles próprios providenciem a palha.
8. E mais: exijam deles a mesma quantia de tijolos que faziam antes. Não diminuam nada, porque eles são preguiçosos e por isso andam clamando: 'Vamos sacrificar ao nosso Deus'.
9. Carreguem esses homens com mais trabalho, para que fiquem ocupados e não dêem atenção a palavras mentirosas".
10. Os capatazes e inspetores saíram e falaram ao povo: "Assim disse o Faraó: 'Não darei mais palha para vocês;
11. vão vocês mesmos buscá-la onde a puderem encontrar. E o trabalho não será diminuído em nada' ".
12. Então o povo se espalhou por todo o território egípcio para recolher palha.
13. Os capatazes os pressionavam, dizendo: "Acabem o trabalho de vocês, a tarefa de cada dia, do mesmo jeito de antes, quando havia palha".
14. E os capatazes açoitavam os inspetores israelitas, que os mesmos capatazes do Faraó haviam colocado sobre eles. E lhes diziam: "Por que vocês não acabaram, nem ontem nem hoje, a quantidade de tijolos que faziam antes?"



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal