Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


Os seus pés... como são belos nas sandálias, ó filhas de nobres! As curvas de seus quadris, que parecem colares, obras de um artista. 3



Baixar 5.7 Mb.
Página98/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   94   95   96   97   98   99   100   101   ...   197

2. Os seus pés... como são belos nas sandálias, ó filhas de nobres! As curvas de seus quadris, que parecem colares, obras de um artista.
3. Seu umbigo... essa taça redonda onde o vinho nunca falta. Seu ventre, monte de trigo rodeado de açucenas.
4. Seus seios, dois filhotes, filhos gêmeos de gazela.
5. Seu pescoço, uma torre de marfim. Seus olhos, as piscinas de Hesebon junto às portas de Bat-Rabim. Seu nariz, como a torre do Líbano voltada para Damasco.
6. Sua cabeça que se alteia como o Carmelo, e seus cabelos cor de púrpura, enlaçando um rei nas tranças.
7. Como você é bela, como você é formosa, que amor delicioso!
8. Você tem o talhe da palmeira, e seus seios são os cachos.
9. E eu pensei: "Vou subir à palmeira para colher dos seus frutos!" Sim, seus seios são cachos de uva, e o sopro das suas narinas perfuma como o aroma das maçãs.
10. Sua boca é um vinho delicioso que se derrama na minha, molhando-me lábios e dentes.

O CAMINHO DO AMOR

A amada:
11. Eu sou do meu amado, seu desejo o traz para mim.
12. Venha, meu amado, vamos ao campo, vamos pernoitar debaixo dos cedros,
13. madrugar pelas vinhas. Vamos ver se a vinha floresce, se os botões estão se abrindo, se as romãzeiras vão florindo: aí lhe darei o meu amor...
14. As mandrágoras exalam seu perfume; à nossa porta há frutos de todo tipo: frutos novos, frutos secos, que eu tinha guardado, meu amado, pra você.

[Cântico dos Cânticos 8]Cântico dos Cânticos 8



1. Ah! Se você fosse meu irmão, amamentado aos seios de minha mãe! Encontrando você lá fora, o beijaria, sem ninguém me desprezar.
2. Eu o levaria e introduziria na casa de minha mãe, e você me iniciaria. Eu lhe daria a beber vinho perfumado e licor de minhas romãzeiras.
3. Sua mão esquerda está sob a minha cabeça, e com a direita me abraça.

O amado:
4. Filhas de Jerusalém, eu conjuro vocês: não despertem, não acordem o amor, até que ele o queira!

O MISTÉRIO DO AMOR
5. Quem é essa que sobe do deserto apoiada em seu amado? Sob a macieira eu despertei você, lá onde sua mãe a concebeu, concebeu e deu à luz.

A amada:
6. Grave-me, como selo em seu coração, como selo em seu braço; pois o amor é forte, é como a morte! Cruel como o abismo é a paixão. Suas chamas são chamas de fogo, uma faísca de Javé!
7. As águas da torrente jamais poderão apagar o amor, nem os rios afogá-lo. Quisesse alguém dar tudo o que tem para comprar o amor... seria tratado com desprezo.

APÊNDICES

O AMOR NÃO TEM PREÇO
8. Nossa irmã é pequenina e ainda não tem seios. Que faremos à nossa irmãzinha, quando vierem pedi-la?
9. Se ela é muralha, nela faremos ameias de prata. Se ela é uma porta, nela poremos pranchas de cedro.
10. Eu sou muralha e meus seios são torres; aos olhos dele, porém, sou a mensageira da paz.
11. Salomão tinha uma vinha em Baal-Hamon: deu a vinha aos meeiros e do fruto dela cada um lhe traz mil moedas de prata.
12. Minha vinha é só minha. Para você, Salomão, as mil moedas, e duzentas aos que guardam o fruto dela.

O AMOR NÃO TEM FIM
13. Você que habita nos jardins, meus amigos a ouvem atentos: faça-me ouvir sua voz!
14. Fuja logo, meu amado, como gamo, um filhote de gazela pelos montes perfumados...
A JUSTIÇA É IMORTAL

Sabedoria 1

1. Amem a justiça, vocês que governam a terra. Pensem corretamente no Senhor e o procurem de coração sincero.
2. Pois ele se deixa encontrar por aqueles que não o tentam, e se manifesta para aqueles que não recusam acreditar nele.
3. Os pensamentos tortuosos separam de Deus, e o poder dele, posto à prova, confunde os insensatos.
4. A sabedoria não entra na alma que pratica o mal, nem habita num corpo que é escravo do pecado.
5. O espírito santo, que educa, foge da fraude, afasta-se dos pensamentos insensatos, e é expulso quando sobrevém a injustiça.
6. A sabedoria é um espírito amigo dos homens, mas não deixa impune quem blasfema com os lábios, porque Deus é testemunha de seus sentimentos, observa de fato a sua consciência e ouve as palavras de sua boca.
7. O espírito do Senhor enche o universo, dá consistência a todas as coisas e tem conhecimento de tudo o que se diz.
8. Por esse motivo, quem fala coisas injustas não escapará dele, e a justiça vingadora não o poupará.
9. Haverá investigação sobre os projetos do injusto, e o rumor das palavras dele chegará até o Senhor, e seus crimes ficarão comprovados.
10. Um ouvido atento tudo escuta: nem mesmo o sussurro das murmurações lhe escapa.
11. Portanto, tomem cuidado com a murmuração inútil, e evitem a maledicência. Mesmo secreta, a palavra não fica sem conseqüências, e a boca mentirosa mata a alma.
12. Não procurem a morte, desviando a própria vida de vocês, nem provoquem a ruína com as obras que vocês praticam,
13. pois Deus não fez a morte, nem se alegra com a perdição dos seres vivos.
14. Ele criou tudo para a existência, e as criaturas do mundo são sadias: nelas não há veneno de morte, nem o mundo dos mortos reina sobre a terra,
15. porque a justiça é imortal.

I. A SABEDORIA E O SENTIDO DA VIDA

A FILOSOFIA DE VIDA DOS INJUSTOS
16. Com gestos e palavras, os injustos invocam a morte para si mesmos. Eles pensam que a morte é amiga e a desejam ardentemente, chegando a fazer aliança com ela. São realmente dignos de pertencer à morte.

[Sabedoria 2]Sabedoria 2



1. Raciocinando de forma errada, eles comentam entre si: "Nossa vida é curta e triste: quando chega o fim, não há remédio, e não se conhece ninguém que tenha voltado do mundo dos mortos.
2. Nascemos por acaso, e depois seremos como se nunca tivéssemos existido. Nossa respiração é fumaça, e o pensamento é uma faísca produzida pelo pulsar do coração.
3. Quando a faísca se apaga, o corpo se transforma em cinza e o espírito se espalha como ar sem consistência.
4. Com o tempo, o nosso nome fica esquecido, e ninguém mais se lembra do que fizemos. Nossa vida passa como rastro de nuvem, e se dissipa como neblina expulsa pelos raios do sol e dissolvida pelo seu calor.
5. Nossa vida é uma sombra que passa, e depois de morrer não voltaremos. Colocado o lacre, ninguém mais poderá retornar.
6. Sendo assim, vamos gozar os bens presentes e usar as criaturas com ardor juvenil.
7. Vamos embriagar-nos com os melhores vinhos e perfumes, e não deixar que a flor da primavera escape de nós.
8. Vamos coroar-nos com botões de rosa, antes que murchem.
9. Que nenhum de nós fique fora de nossas orgias. Vamos deixar por toda parte sinais de nossa alegria, porque essa é a nossa sorte e o nosso destino.
10. Vamos oprimir o pobre inocente e não vamos poupar as viúvas, nem respeitar os cabelos brancos do ancião.
11. A nossa força será regra da justiça, porque o fraco é claramente coisa inútil.
12. Vamos armar ciladas para o justo, porque ele nos incomoda e se opõe às nossas ações. O justo reprova as transgressões que cometemos contra a Lei, e nos acusa de faltas contra a educação que recebemos.
13. Ele declara ter o conhecimento de Deus, e se diz filho do Senhor.
14. Ele se tornou uma condenação para os nossos pensamentos, e somente vê-lo já é coisa insuportável.
15. Sua vida não se parece com a dos outros, e seus caminhos são todos diferentes.
16. Ele nos considera moeda falsa e se afasta de nossos caminhos para não se contaminar. Proclama feliz o destino dos justos e se gaba de ter Deus como pai.
17. Vejamos se é verdadeiro o que ele diz, e comprovemos o que lhe vai acontecer no fim.
18. Se o justo é filho de Deus, Deus cuidará dele e o livrará da mão dos seus adversários.
19. Vamos prová-lo com insultos e torturas, para verificar a sua serenidade e examinar a sua resistência.
20. Vamos condená-lo a sofrer morte vergonhosa, porque ele mesmo diz que não lhe faltará socorro".
21. Eles pensam assim, porém estão enganados, porque a maldade deles os deixa cegos.
22. Não conhecem os segredos de Deus, não esperam o pagamento pela santidade, nem acreditam na recompensa das vidas puras.
23. Sim, Deus criou o homem para ser incorruptível e o fez à imagem da sua própria natureza.
24. Mas, pela inveja do diabo, entrou no mundo a morte, que é experimentada por aqueles que pertencem a ele.

[Sabedoria 3]Sabedoria 3



O JUSTO É IMORTAL
1. A vida dos justos, ao contrário, está nas mãos de Deus, e nenhum tormento os atingirá.
2. Aos olhos dos insensatos, aqueles pareciam ter morrido, e o seu fim foi considerado como desgraça.
3. Os insensatos pensavam que a partida dos justos do nosso meio era um aniquilamento, mas agora estão na paz.
4. As pessoas pensavam que os justos estavam cumprindo uma pena, mas esperavam a imortalidade.
5. Por uma breve pena receberão grandes benefícios, porque Deus os provou e os encontrou dignos dele.
6. Deus examinou-os como ouro no crisol, e os aceitou como holocausto perfeito.
7. No dia do julgamento, eles resplandecerão, correndo como fagulhas no meio da palha.
8. Eles governarão as nações, submeterão os povos, e o Senhor reinará para sempre sobre eles.
9. Os que nele confiam compreenderão a verdade, e os que lhe são fiéis viverão junto dele no amor, pois a graça e a misericórdia estão reservadas para os seus escolhidos.
10. Os injustos, porém, serão castigados por sua maneira de pensar, porque desprezaram o justo e se afastaram do Senhor.
11. É infeliz quem despreza a sabedoria e a disciplina. Sua esperança é vazia, suas fadigas não produzem fruto, e suas obras são inúteis.
12. Suas mulheres são insensatas, seus filhos depravados, e sua descendência é maldita.

A LEMBRANÇA DO JUSTO PERMANECE
13. Feliz a mulher estéril que permanece irrepreensível e desconhece união pecaminosa, porque ela receberá seu fruto no julgamento das almas.
14. Feliz também o eunuco, que não cometeu injustiça, nem pensou coisas más contra o Senhor. Ele, por sua fidelidade, receberá uma graça especial e uma recompensa invejável no templo do Senhor.
15. Pois o fruto das boas obras é glorioso e a raiz da sabedoria é imperecível.
16. Os filhos dos adúlteros não chegarão à maturidade, e a descendência de uma união ilegítima desaparecerá.
17. Mesmo que tenham vida longa, ninguém fará caso deles, e sua velhice no fim será sem honra.
18. Se morrerem cedo, não terão esperança nenhuma, nem consolação no dia do julgamento,
19. porque é terrível o fim de uma geração perversa.

[Sabedoria 4]Sabedoria 4



1. É melhor não ter filhos e possuir a virtude, porque a memória da virtude é imortal, e tanto Deus como os homens a conhecem.
2. Quando está presente, todos a imitam. Se está ausente, todos a desejam. E, por fim, ela triunfa na eternidade, coroada e vitoriosa, por ter vencido com limpidez no campo de combate.
3. A descendência numerosa dos injustos não servirá para nada; nascida de ramos bastardos, não lançará raízes profundas, nem terá base firme.
4. Mesmo que por algum tempo seus ramos estejam verdes, ela está mal fixada no solo, será abalada pelo vento e arrancada pela violência do furacão.
5. Seus frágeis ramos serão quebrados, seu fruto será inútil e intragável, e ela não servirá para nada.
6. De fato, os filhos nascidos de uniões ilegais testemunharão a perversidade de seus pais, quando estes forem julgados.

POR QUE O JUSTO MORRE PREMATURAMENTE?
7. Ainda que morra prematuramente, o justo encontrará repouso.
8. Velhice honrada não consiste em ter vida longa, nem é medida pelo número de anos.
9. Os cabelos brancos do homem valem pela sua sabedoria, e a velhice pela sua vida sem manchas.
10. O justo agradou a Deus, e Deus o amou. Como ele vivia entre os pecadores, Deus o transferiu.
11. Foi arrebatado, para que a malícia não lhe pervertesse os sentimentos, ou para que o engano não o seduzisse.
12. De fato, o fascínio do vício obscurece os verdadeiros valores, e a força da paixão perverte a mente que não tem malícia.
13. Amadurecido em pouco tempo, o justo atingiu a plenitude de uma vida longa.
14. A alma dele era agradável ao Senhor, e este se apressou em tirá-lo do meio da maldade. Muita gente vê isso, mas não compreende nada; não reflete
15. que a graça e a misericórdia de Deus são para os seus escolhidos, e a proteção dele é para os seus santos.
16. Quando morre, o justo condena os injustos que continuam a viver, e a juventude que chegou rapidamente à perfeição condena a longa velhice do injusto.
17. Muita gente verá o fim do sábio, mas não compreenderá o que Deus queria a respeito dele, nem por que o colocou em segurança.
18. Tais pessoas verão e mostrarão seu desprezo, mas o Senhor se rirá delas.
19. Essas pessoas, porém, se tornarão para sempre cadáveres desonrados e objetos de zombaria entre os mortos. De fato, Deus vai jogá-las de cabeça para baixo, sem que possam dizer uma palavra sequer, e as arrancará de seus alicerces. Ficarão completamente arruinadas, viverão na aflição, e a memória delas desaparecerá.

O JULGAMENTO
20. Os injustos, quando forem prestar conta de seus pecados, chegarão cheios de terror, e seus crimes os acusarão cara a cara.

[Sabedoria 5]Sabedoria 5



1. O justo, porém, ficará de pé, sem temor, diante dos que o oprimiram e desprezaram seus sofrimentos.
2. Ao ver o justo, esses ficarão tomados de terrível pavor, espantados diante da salvação inesperada.
3. Arrependidos, dirão entre si, entre soluços e gemidos de angústia:
4. "Esse é aquele de quem antes nós ríamos. Nós o tomávamos como objeto de zombaria. Insensatos que fomos! Consideramos uma loucura a vida dele e a sua morte para nós era uma vergonha!
5. Por que ele agora é considerado entre os filhos de Deus e participa da herança dos santos?
6. Nós portanto nos desviamos do caminho da verdade. A luz da justiça não brilhou para nós, nem o sol para nós se levantou.
7. Nós nos fartamos nos caminhos da injustiça e da perdição. Percorremos desertos intransitáveis, e não conhecemos o caminho do Senhor.
8. De que adiantou o nosso orgulho? Que vantagem tiramos de nossa riqueza arrogante?
9. Tudo passou como sombra e como notícia fugaz.
10. Passou como navio que corta as águas agitadas, sem que se possa encontrar vestígios de sua passagem, nem o sulco de seu casco nas ondas.
11. Foi embora como pássaro que voa pelos ares, sem deixar qualquer sinal de sua rota: o ar leve, ferido pelo toque das penas e dividido pelo ímpeto vigoroso, é atravessado pelas asas em movimento, mas depois não fica sinal nenhum de sua passagem.
12. Tudo passou como flecha disparada para o alvo: o ar cortado volta imediatamente sobre si mesmo, e já não se sabe mais a trajetória dela.
13. O mesmo acontece conosco: mal nascemos e já desaparecemos, sem mostrar nenhum sinal de virtude, porque nós nos consumimos em nossa maldade!"
14. Sim, a esperança do injusto é como palha arrebatada pelo vento, como leve espuma que a tempestade levanta. Esperança que se desfaz como fumaça espalhada pelo vento, e é fugaz como a lembrança do hóspede que fica um dia só.
15. Os justos, porém, vivem para sempre, recebem do Senhor a recompensa, e o Altíssimo cuida deles.
16. Por isso, receberão das mãos do Senhor a gloriosa coroa real e o diadema do esplendor, porque ele os protegerá com a mão direita e os cobrirá com seu braço, como escudo.
17. Tomará seu próprio zelo como armadura e armará a criação para castigar os inimigos.
18. Vestirá a couraça da justiça e colocará o capacete do julgamento que não admite suborno.
19. Tomará como escudo a santidade invencível,
20. afiará a espada de sua ira implacável, e o universo combaterá a seu lado contra os insensatos.
21. Os raios partirão das nuvens como flechas bem apontadas e voarão sobre o alvo como de um arco bem retesado.
22. Sua funda lançará furiosa saraivada, a água do mar se enfurecerá contra eles, e os rios sem piedade os afogarão.
23. O sopro do poder divino se levantará contra eles e os dispersará como furacão. É assim que a injustiça devastará a terra toda, e a maldade derrubará o trono dos poderosos.

[Sabedoria 6]II. A NATUREZA DA SABEDORIA



Sabedoria 6

RESPONSABILIDADE DOS GOVERNANTES
1. Escutem, reis, e procurem compreender. Aprendam, governantes de toda a terra.
2. Prestem atenção, vocês que dominam os povos e estão orgulhosos pelo grande número de súditos.
3. O poder de vocês vem do Senhor, e o domínio vem do Altíssimo. Ele examinará as obras que vocês praticarem e sondará as intenções que vocês têm.
4. No entanto, apesar de serem ministros do reino dele, vocês não julgaram com retidão, não observaram a lei, nem procederam conforme a vontade de Deus.
5. Por isso, ele cairá sobre vocês de modo repentino e terrível, porque um julgamento implacável se realiza contra aqueles que ocupam altos cargos.
6. Os pequenos serão perdoados com misericórdia, mas os poderosos serão examinados com rigor.
7. O Senhor de todos não recua diante de ninguém, nem se impressiona com a grandeza, porque ele criou tanto o pequeno como o grande, e a sua providência é igual para todos.
8. Mas um exame severo aguarda os poderosos.
9. É para vocês, soberanos, que eu dirijo as minhas palavras, para que aprendam a sabedoria e não venham a cair.
10. Os que observam santamente a santa vontade dele, serão declarados santos. E aqueles que a aprendem, encontrarão quem os defenda.
11. Desejem, portanto, ouvir as minhas palavras, anseiem por elas, e vocês receberão a instrução.

A APRENDIZAGEM DA SABEDORIA
12. A Sabedoria é resplandecente, não murcha, mostra-se facilmente para aqueles que a amam. Ela se deixa encontrar por aqueles que a buscam.
13. Ela se antecipa, revelando-se espontaneamente aos que a desejam.
14. Quem por ela madruga, não terá grande trabalho, pois a encontrará sentada junto à porta da sua casa.
15. Refletir sobre ela é a perfeição da inteligência, e quem cuida dela ficará logo sem preocupações.
16. Ela mesma vai por toda parte, procurando os que são dignos dela: aparece a eles bondosamente pelos caminhos, e lhes vai ao encontro em cada um dos pensamentos deles.
17. O princípio da Sabedoria é o desejo autêntico de instrução, e a preocupação pela instrução é o amor.
18. O amor é a observância das leis da Sabedoria. Por sua vez, a observância das leis é garantia de imortalidade.
19. E a imortalidade faz com que a pessoa fique perto de Deus.
20. Portanto, o desejo pela sabedoria conduz ao reino.
21. Chefes dos povos, se vocês gostam de tronos e cetros, honrem a sabedoria, e vocês reinarão para sempre.

TODOS PODEM TER A SABEDORIA
22. Vou dizer a vocês o que é a sabedoria, e qual a sua origem. Não esconderei seus mistérios. Investigarei suas manifestações desde o princípio da criação, colocarei a descoberto o seu conhecimento, sem me desviar da verdade.
23. Não vou caminhar com a inveja corrosiva, pois esta nada tem em comum com a sabedoria.
24. O grande número de sábios é que salva o mundo, e um rei sábio traz prosperidade para o povo.
25. Deixem, portanto, que as minhas palavras os instruam, e vocês tirarão proveito disso.

[Sabedoria 7]Sabedoria 7



1. Eu também sou mortal como todos os outros, descendente do primeiro ser que foi formado da terra. Fui formado de carne no seio de minha mãe,
2. e durante dez meses me solidifiquei no sangue, fruto do sêmen de um homem e do prazer que acompanha o sono.
3. Quando nasci, eu também respirei o ar comum. Caí sobre a terra que recebe a todos igualmente e, como todos os outros, estreei minha voz chorando.
4. Fui envolto em fraldas e cercado de cuidados,
5. porque nenhum rei começou a viver de outra forma.
6. A entrada e a saída da vida é igual para todos.
7. Por isso, eu supliquei e a inteligência me foi dada. Invoquei, e o espírito da sabedoria veio até mim.
8. Eu a preferi aos cetros e tronos e, em comparação com ela, considerei a riqueza como um nada.
9. Não a comparei com a pedra mais preciosa, porque todo o ouro, ao lado dela, é como um punhado de areia. E junto dela, a prata vale o mesmo que um punhado de barro.
10. Amei a sabedoria mais do que a saúde e a beleza, e resolvi tê-la como luz, porque o brilho dela nunca se apaga.
11. Com ela me vieram todos os bens, e em suas mãos existe riqueza incalculável.
12. Gozei de todos esses bens, porque é a sabedoria que os traz, mas eu ignorava que fosse ela a mãe de todos eles.
13. Sem malícia, aprendi a sabedoria, e agora a distribuo sem inveja nenhuma. Não vou esconder sua riqueza,
14. porque ela é um tesouro inesgotável para os homens. Aqueles que a adquirem, atraem a amizade de Deus, porque são recomendados pelo dom da instrução dela.

A SABEDORIA PRODUZ HARMONIA
15. Deus me conceda falar com propriedade e pensar de forma correspondente aos dons que me foram dados, porque ele é o guia da sabedoria e o orientador dos sábios.
16. Em seu poder estamos nós, as nossas palavras, a nossa inteligência e as nossas habilidades.
17. Ele me concedeu o conhecimento exato de tudo o que existe, para eu compreender a estrutura do mundo e a propriedade dos elementos,
18. o começo, o meio e o fim dos tempos, a alternância dos solstícios e as mudanças de estações,
19. os ciclos do ano e a posição dos astros,
20. a natureza dos animais e o instinto das feras, o poder dos espíritos e o raciocínio dos homens, a variedade das plantas e a propriedade das raízes.
21. Aprendi tudo o que está oculto e tudo o que se pode ver, porque a sabedoria, artífice de todas as coisas, foi quem me ensinou.

O MISTÉRIO DA SABEDORIA
22. Na sabedoria há um espírito inteligente, santo, único, múltiplo, sutil, móvel, penetrante, imaculado, lúcido, invulnerável, amigo do bem, agudo,
23. livre, benéfico, amigo dos homens, estável, seguro, sereno, que tudo pode e tudo abrange, que penetra todos os espíritos inteligentes, puros e sutilíssimos.
24. A sabedoria é mais ágil que qualquer movimento, atravessando e penetrando tudo por causa da sua pureza.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   94   95   96   97   98   99   100   101   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal