Os 7 Máximos da Bíblia As profecias de Deus que anunciam a segunda vinda



Baixar 311.63 Kb.
Página1/7
Encontro02.08.2016
Tamanho311.63 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7



Os 7 Máximos da Bíblia
As profecias de Deus que anunciam a segunda vinda

Estudo Completo sobre as 7 Trombetas, os 7 Selos, as 7 Igrejas, as 7 Festas ou Sábados Anuais de Israel, os 7 Impérios perseguidores, as 7 Pragas, e os 7 Trovões.



Organizado por Adventismo em Foco
Índice


  1. O Resumo dos 7 Máximos /03




  1. As 7 Igrejas do Apocalipse / 12




  1. Os 7 Selos do Apocalipse / 21




  1. As 7 Trombetas do Apocalipse / 25




  1. As 7 Festas ou Sábados Anuais de Israel / 31




  1. Os 7 Impérios Perseguidores / 35




    1. A Profecia das Nações Parte 1 (Daniel 2) / 37




    1. A Profecia das Nações Parte 2 (Daniel 7) / 40




    1. A Profecia das Nações Parte 3 (O Anticristo) / 45




    1. A Profecia das Nações Parte 4 (O Último Império) / 49




    1. A Profecia das Nações Parte 5 (A Marca da Besta) / 52




    1. A Profecia das Nações Parte 6 (Daniel 11) / 54




    1. A Profecia das Nações Parte 7 (O deus das Fortalezas) / 63




  1. As 7 Pragas do Apocalipse / 68




  1. Os 7 Trovões do Apocalipse / 73



O Resumo dos 7 Máximos

Neste capítulo irei apresentar o resumo do estudo das 7 Trombetas, 7 Selos, 7 Igrejas, 7 Festas ou Sábados Anuais, 7 Impérios perseguidores, 7 Pragas, e 7 Trovões. Perfeito para aqueles que não gostam de estudos extensos.


As 7 Trombetas, Selos, Igrejas, Festas e Impérios se cumprem ao longo da história do Cristianismo. São profecias que demonstram o que aconteceria desde a ascenção de Cristo no ano 31 até sua segunda vinda.


Os 7 trovões e 7 Pragas se cumprem num curto espaço de tempo, na ùltima geração e terminam também com a segunda vinda.




1. As 7 Igrejas tratam das mudanças doutrinárias, ou seja, a paganização que a igreja sofreria ao longo dos séculos e a perseguição a minoria fiel que resistiria as investidas de Satanás através de Roma Imperial e depois Roma Papal.


2. Os 7 Selos tratam da situação espiritual da Igreja de Deus ao longo dos séculos. De um cavalo branco e puro ela se torna negra e assolada pelo pecado. Por fim o sexto selo trata dos acontecimentos naturais que anunciariam a segunda vinda.


3. As 7 Trombetas tratam das guerras que a Igreja enfrentaria ao longo dos séculos. As primeiras quatro trombetas ( Apocalipse 8:6-13 ) mostram a desintegração do império romano (tanto do oriente como do ocidente), fustigado pelas tribos bárbaras, as quais prepararam caminho para Roma papal. A quinta e sexta trombetas (Apocalipse 9:1-21) descrevem a investida das tribos maometanas, sob o comando de vários líderes, constituindo-se em outro poder que lutaria contra o cristianismo. A sétima trombeta enfoca a crise ecológica (Apoc 11:18) dos últimos dias e a validade da lei de Deus (Apoc 11:19) que seria questionada pela falsa religião [Roma Papal e suas Igrejas filhas]


4. As 7 Festas de Israel mostram o cumprimento profético impressionante das 'sombras cerimoniais de Israel' durante a história cristã.


5. Os 7 Impérios tratam das nações imperiais que durante a história perseguiriam o povo de Deus, culminando com o triste fim do Sonho Americano.
6- As 7 Pragas cairão na última geração sobre todos aqueles que não pararem de quebrar os mandamentos de Deus. Denota o castigo de Deus pela violação mundial do 4° mandamento (guarda do sétimo dia= sábado) e a aceitação do anticristo Papal através de seu dia falso de adoração (domingo= primeiro dia da semana). As 5 primeiras pragas levarão a uma perseguição oficial das nações para exterminar os santos. Na sétima Praga um terremoto mundial termina com os planos das nações, da mesma forma como Ester salvou os judeus no Império Persa.


7- Os 7 Trovões ocorrerão pouco antes, durante e após a queda da sétima praga nos quais serão ouvidas 7 sentenças da parte de Deus em todo o Planeta Terra. Elas anunciam a morte dos impios, abençoam os santos que resistiram a perseguição oficial da Igreja e do Estado e anunciam a data da segunda vinda, para terror dos impios e alegria dos salvos.

Vamos ao resumo:



Resumo: As Sete Igrejas (Apocalipse 2 e 3)

27 DC- Efeso (1): Desejável, batismo de Cristo Igreja pura. Durou: 73 anos


100- Esmirna (2) Mirra ou cheiro suave, princípio da perseguição pagã aos cristãos.
Igreja Perseguida, Durou: 223 anos


323- Pérgamo (3) Elevação, Constantino Magno eleva o cristianismo a Igreja estadual. Igreja Popular por 215 anos


538 Tiatira (4) Sacrifício de Contrição, grande apostasia doutrinária.

Política mundana durante 979 anos




1517- Sardo (5) O que resta ou cântico de alegria, a reforma.

Falta de zelo por 316 anos




1833- Filadélfia (6) Amor fraternal, conhecimento do Tempo do Fim.

Amor fraternal: 11 anos




1844- Laodicéia (7) Julgamento do povo, Início do Processo de conhecimento no Céu.

Igreja Morna. Período Atual



Ano Indeterminado: Fim do Tempo de Graça, vinda de Cristo. Igreja Perseguida. Aproximadamente 1 ano.


Resumo: Os Sete Selos ( Apocalipse 6 e 8:1)
1: 27DC- Cavalo Branco

Pureza dos cristãos primitivos. Começo da missão cristã para levar o evangelho ao mundo.



2: 100- Cavalo Vermelho

Segue as grandes e sangrentas perseguições aos cristãos feitas pelo Império Romano.



3: 323- Cavalo Preto

União da Igreja com o Estado. Corrupção doutrinária: veneração de imagens, santificação do domingo, doutrina da imortalidade da alma, batismo infantil, adoração aos santos, venda de relíquias e indulgências, confissão auricular etc...



4: 538- Cavalo Amarelo

A Idade média espiritualmente morta. A Igreja Romana passa a perseguir os cristãos. Proíbe-se que a Bíblia seja lida por leigos e estabelece a Inquisição. Estima-se 50 milhões de mártires em cerca de 1000 anos.




5: 1571- Quinto Selo: As almas simbolicamente pedem o juízo

A Reforma Protestante reconhece a opressão e a corrupção do clero e condena a Igreja Católica. O protestantismo condena a maioria das doutrinas católicas e começa a retornar a fé pura do primeiro século, que era baseada apenas na Bíblia. Os puritanos fogem para a América do Norte e ajudam a fundar os EUA.




6: 1755- Sexto Selo: Começam os fenômenos naturais que indicam a proximidade da segunda vinda

Ocorreram: O terremoto de Lisboa em 1755, O Dia do Escuro (EUA) em 1780 e a queda das estrelas em 1833 (EUA) como sinais do Tempo do Fim.



7- Sétimo Selo: Indeterminado.

O Silêncio no Céu por meia hora. Princípio 1 dia/ 1 ano usado em profecia transformam meia hora em 7 dias.: Fim do tempo da graça. A atmosfera se enrola como um livro. Segunda vinda de Cristo. Começo da eternidade.



Resumo das Sete Trombetas ( Apocalipse 8 a 11)

Trombetas em profecia simbolizam guerras, ver Jeremias 4:19-21 e I Coríntios 14:8.


As 4 Primeiras: A queda do Império Romano Ocidental pelos Bárbaros: acontecimentos


1 395DC-Primeira Trombeta: Invasão do Império Romano pelos Godos sob Alarico.

2 428- Segunda Trombeta: Conquistas e pilhagens dos Vândalos sob Genserico.

3 433- Terceira Trombeta: Devastação do Império Romano pelos Hunos sob Àtila.


4 476- Quarta Trombeta: Destruição do Império pelos Hérulos sob Odoacro.

As 3 Últimas: A queda do Império Romano Ortodoxo Oriental pelos Mulçumanos: acontecimentos

5
1° AI: Quinta Trombeta, Duração de 5 meses proféticos.

Em profecia um dia equivale a 1 ano (Números 14:34 e Ezequiel 4:6). Assim 5 meses de 30 dias do calendário judaico = 150 dias = 150 anos.

Em 27 de Julho de 1299 os Turcos sob Oatman começam a invadir o Império, e a invasão prossegue até 27 de Julho de 1449, exatos 150 anos.

6
2° AI: Sexta Trombeta, Duração de 1 ano, 1 mês, 1 dia e 1 hora proféticos.

1 ano= 360 dias do calendário judaico ou 360 anos, 1 mês = 30 dias ou 30 anos, 1 dia= 1 ano, 1 hora = 15 dias proféticos. Total de 391 anos e 15 dias.


De 27 de Julho de 1449 até 11 de agosto de 1840: domínio dos 4 sultões Otomanos sob o Império exatos 391 anos e 15 dias.

7
3° AI: Sétima Trombeta: Período Atual
Indeterminado: 1840- 1844: Início da proclamação da Volta de Jesus e do Juízo investigativo. A Ira das nações chega ao máximo, com as Grandes Guerras (1914-1945). Existe uma fantástica menção a ecologia em que Deus promete se vingar, dos que destroem seu planeta. Cumprimento visível a partir de 1970.


A Ira de Deus, As Sete pragas, a Vinda de Cristo.

Resumo: Os 7 Impérios que Perseguiriam o Povo de Deus

Países / Tempo de Domínio e descrição na profecia:




1
Egito

• Escravizou os judeus

Recebeu as 10 pragas

• Não é simbolizado por um animal




2
Assíria

• Destruiu a nação Israelita do norte, Samaria

• Levou muitos judeus cativos

• Não é simbolizado por um animal




3
Babilônia 608 AC- 538AC

• Destruiu o Reino do sul, Judá

• A cabeça de ouro da estátua em Daniel 2

• O Leão em Daniel 7




4
Medo- Pérsia 538AC- 331AC

• O peito de prata da estátua em Daniel 2

• O Urso em Daniel 7


5
Império Grego-Macedônico 331AC- 168 AC

• Os quadris de bronze da estátua em Daniel 2

• O Leopardo em Daniel 7


6
Império Romano 168AC- 476DC

Europa ocidental (10 chifres) e o poder papal (chifre pequeno)


• As pernas de ferro da estátua em Daniel 2

• O quarto e terrível animal de Daniel 7

• È dividido em 10 Chifres em Daniel 7 que simboliza a Europa ocidental. Em Daniel 2 a Europa dividida são os 10 dedos dos pés da estátua.

• Do Império Romano surge o décimo primeiro chifre, chamado de Chifre pequeno que simboliza o poder papal. O tempo de domínio do chifre pequeno sobre os 10 chifres ou a Europa é de 3 anos e meio, 42 meses ou 1260 dias-anos (538-1798)

• O Papado também é simbolizado pela Besta composta de Apocalipse 13 com poder quebrado em 1798 e 1870. Terá o poder restaurado pelo sétimo império.



7
Estados Unidos 1776- ... (em cumprimento)

Indeterminado:

• A Segunda Besta de Apocalipse 13.

• Poder global desde 1991, mas ainda não se tornou perseguidora.

• A constituição começou a se deteriorar em 2001.

Fará guerra aos santos, verá a queda das sete pragas, volta de Jesus.

Resumo: AS 7 FESTAS DE ISRAEL (SÁBADOS ANUAIS) E SEU CUMPRIMENTO NA HISTÓRIA CRISTÃ

FESTAS CUMPRIDAS NO PRIMEIRO SÉCULO

1- Páscoa: sacrifício de Cristo


2- Pães Asmos: O corpo de Cristo é entregue por nós.


3- Primícias: Jesus é o primeiro frutos dos que dormem a ressuscitar. Ele ressuscita um seleto grupo e leva ao Céu.


4- Pentecostes: 50 dias após a Páscoa, desce o Espírito de Deus.


FESTAS QUE SE CUMPRIRÃO plenamente NA ÚLTIMA GERAÇÃO:

5- Trombetas/ Lua Nova: Começa a proclamação da segunda vinda


6- Dia da Expiação: O julgamento que começou em 1844 termina. A graça de Deus termina.


7- Tabernáculos: A marca da besta está em vigor. Santos fogem das cidades. Perseguição ampliada.

8- Purim: Nações se reúnem para aplicar o decreto de morte.

9- Dedicação: Cristo volta para salvar seu povo, leva-os para o Céu e dedica após 8 dias ao Pai os ressuscitados e trasladados em vida.




Resumo: As 7 Pragas do Apocalipse

1- Ferida Maligna

2- Mar se torna sangue

3- Rios e águas doce se tornam sangue

4- Sol abrasador

5- Trevas sobre Roma

6- Armagedom: Nações se reúnem para aprovar o decreto de morte contra os santos

3 Grandes religiões controladas por demônios irão aos reis de toda a Terra os convencer da necessidade da guerra.

A- A QUE SAÍ DA BOCA DO DRAGÃO= Espiritismo/ Paganismo.

B- A QUE SAÍ DA BOCA DA BESTA = Catolicismo medieval.


C- A QUE SAÍ DA BOCA DO FALSO PROFETA = O falso profeta é símbolo das igrejas protestantes caídas.


Durante esta época SATANÁS SE DISFARÇARÁ DE CRISTO e induzirá o povo a matar os santos.



7- Grande Terremoto

Pedras de 35 kilos

Segunda Vinda + ressurreição + trasladação

Os 7 Trovões do Apocalipse

Resumo: Por volta da queda da sétima praga, poucas horas ou poucos dias antes da segunda vinda, serão ouvidas 7 sentenças da parte de Deus em todo o Planeta Terra.



As 7 Igrejas do Apocalipse

As 7 Igrejas do Apocalipse se encontram nos capítulos 2 e 3 do Livro. São uma profecia que demonstram as características, ou seja, qualidades e defeitos de 7 eras pelos quais passaria a Igreja Cristã, começando na era apostólica e culminando com a segunda vinda de Cristo.



1- Éfeso (27 a aproximadamente 100 DC)

»APOCALIPSE [2]



1 Ao anjo da igreja em Éfeso escreve: Isto diz aquele que tem na sua destra as sete estrelas, que anda no meio dos sete candeeiros de ouro:

2 Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua perseverança; sei que não podes suportar os maus, e que puseste à prova os que se dizem apóstolos e não o são, e os achaste mentirosos;
3 e tens perseverança e por amor do meu nome sofreste, e não desfaleceste.
4 Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor.


5 Lembra-te, pois, donde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; e se não, brevemente virei a ti, e removerei do seu lugar o teu candeeiro, se não te arrependeres.

6 Tens, porém, isto, que aborreces as obras dos nicolaítas, as quais eu também aborreço.

7 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no paraíso de Deus

Éfeso significa desejável. Tal era a condição perante Deus da Igreja do primeiro período que se estende de 27 à 100 DC. Neste tempo a simplicidade e o fervor predominavam na Igreja. Os crentes de esforçavam para obedecer fielmente a Palavra de Deus. Em sua vida revelavam um firme e sincero amor a Cristo, eram zelosos de boas obras e pacientes nas tribulações que sofriam por amor á verdade. Eram dotados de um espírito missionário, pois faziam oi que estava a seu alcançe para levar as boas novas da salvação a todas as partes. Estima-se que 6 milhões de pessoas se converteram durante esta época.

Mas depois de algum tempo, o zelo dos crentes começou a esfriar, o amor a Deus e ao próximo a descrecer e a mornidão espiritual a penetrar na Igreja. Os velhos e fiés porta-estandartes da verdade tombavam nos seus postos e obreiros jovens os substituiam. Estes poré, cansados das mesmas velhas verdades, tantas vezes repetidas, procuraram introduzir novos pontos doutrinários, a mais agradáveis a muitas mentes, porém em desacordo com os princípios fundamentais do evangelho. os sofismas apresentados causavam confusão e contenda, e muitos eram desviados de olhar para Jesus como autor e consumador de sua fé, para se ocuparem com questões de somenos importância. Assim a piedade começou a descrecer entre os seguidores de Cristo.

Os NICOLAÍTAS era uma seita que se dizia cristã, mas que seus costumes eram contrários aos ensinos de Cristo e dos apóstolos. (Exemplo: poligamia).



2- Esmirna (100 a 323 DC)

Apoc 2:8 Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Isto diz o primeiro e o último, que foi morto e reviveu:



9 Conheço a tua tribulação e a tua pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia dos que dizem ser judeus, e não o são, porém são sinagoga de Satanás.

10 Não temas o que hás de padecer. Eis que o Diabo está para lançar alguns de vós na prisão, para que sejais provados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida.

11 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. O que vencer, de modo algum sofrerá o dado da segunda morte.

Esmirna significa MIRRA, PERFUME SUAVE, qualificação apropriada para a Igreja que viveu neste período. Pela perseguição, os crentes eram torturados como a mirra, ato este que equivalia, espiritualmente, à oferta de incenso.


Até perto do fim do período de Éfeso, eram mormente os judeus que perseguiam os cristãos. Mas agora, diante do progresso do evangelho, as perseguições romanas suplantaram as judaicas. A autoridade imperial mandou cricificá-los, queimá-los vivos ou lançá-los as feras dos anfiteatros. Como os servos de Deus de outrora, "muitos foram torturados...e outros experimentaram escárnios e açoites, e ainda cadeias e prisões. Foram apedrejados e tentados; foram serrados ao meio; morreram ao fio da espada; andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, necessitados, aflitos e maltratados (dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos e montes, e pelas covas e cavernas da terra". (Hebreus 11:36-38)

O Período de esmirna é o período do martírio. Justino Mártir, com seis outros cristãos, foi açoitado e decapitado (165 DC). As catacumbas, sob as colinas, fora da cidade de Roma, serviram de refúgio aos inúmeros cristãos.


Satanás não podendo destruir a Cristo, concentrou todo o peso de suas hostes sobre a Igreja. Mas a implacável furia de suas investidas era debalde, pois quanto maior o número de trucidados pela sua fé, era maior o número de novos conversos. O sangue dos mártires era igual semente que, quanto mais se derramava, mais brotava. Satanás viu que seus esforços apenas traziam resultados contraproducentes.




A "tribulação de 10 dias" refere-se aos 10 anos de perseguição, de 302 a 312 sobre o governo de Diocleciano (profeticamente 1 dia, vale 1 ano. Veja Números 14:34 e Ezequiel 4:6)
3- Pérgamo (323 a 538)

Apoc 2:12 Ao anjo da igreja em Pérgamo escreve: Isto diz aquele que tem a espada aguda de dois gumes:



13 Sei onde habitas, que é onde está o trono de Satanás; mas reténs o meu nome e não negaste a minha fé, mesmo nos dias de Antipas, minha fiel testemunha, o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita.

14 entretanto, algumas coisas tenho contra ti; porque tens aí os que seguem a doutrina de Balaão, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, introduzindo-os a comerem das coisas sacrificadas a ídolos e a se prostituírem.

15 Assim tens também alguns que de igual modo seguem a doutrina dos nicolaítas.
16 Arrepende-te, pois; ou se não, virei a ti em breve, e contra eles batalharei com a espada da minha boca.


17 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao que vencer darei do maná escondido, e lhe darei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe.

Pérgamo quer dizer ELEVAÇÃO. É o período em que a Igreja se uniu ao Estado, crescendo em número de adeptos semi-convertidos, em popularidade, em pompa etc.

Vendo Satanás baldados todos os seus esforços para destruir a Igreja pela fúria de sua perseguição, resolveu lançar mão de um método bem mais perigoso: a apostasia, ou seja, o desvio da doutrina original, constante da palavra de Deus: a Bíblia Sagrada.
O SENHOR acusou esta Igreja se sustentar a doutrina de Balaão. Balaão sabia que Israel era o povo de Deus e este conhecimento o fez responsável. De acordo com o costume das nações pagãs, ele fora chamado para amaldiçoar Israel. Se bem que ele soubesse o que era certo, errou em não recusar imediatamente o pedido, mas pediu a Deus que lhe mostrasse o que devia fazer- se devia ou não ir com os mensageiros de Balaque. Mediante lisonjas e promessas de recompensa o inimigo foi bem sucedido em entorpecer o juízo de Balaão. Ele não desejava ofender a Deus, nem por outro lado, os inimigos declarados de Deus. O Senhor declarou que não devia ir com eles e nem amaldiçoar o povo que a quem havia abençoado.

Evidentemente Balaão ficou desapontado com esta resposta e expressou seu pesar aos servos de Balaque. O Senhor permitiu que esta prova se repetisse. Ele poderia dizer que não estava disposto a fazer tal obra de traição. Ao invés disso apresentou o assunto novamente ao Senhor, para uma descisão. Os inimigos continuaram a insistir e o Senhor cumpriu o desejo de Balaão, mas isso o levou a perdição. O mesmo espírito prevaleceu na Igreja de Pérgamo. A Igreja adotou uma religião formal, que mostrava simpatia pelos pagãos semi-convertidos do que para aqueles que eram fieis aos princípios.




Como Balaão se seduziu pelo dinheiro e ensinou os moabitas a porem tropeços perante os filhos de Israel (contrataram prostitutas), agora os dirigentes das igrejas colocaram tropeços perante os cristãos: a simpatia e o apoio dos Imperadores, a popularidade, a proesperidade mundana, a multiplicação de belos templos etc.

A Igreja viu a sua frente a oportunidade de atrair os pagãos do Império, mas isso não seria fácil se fossem mantidos os princípios bíblicos. os que vinham crus do paganismo, eram batizados e admitidos na Igreja sem um novo nascimento, uma regeração de vida e princípios. O que mudava era somente a profissão de fé e não fazer o HOMEM UMA NOVA CRIATURA (Galátas 6:15)


Para atrair os pagãos, os chefes das igrejas adaptaram várias cerimônias e crenças pagãs ao cristianismo. A palavra de Deus foi soterrada por uma tonelada de práticas e superstições pagãs.

Enumeramos abaixo as inovações que entraram na Igreja:




252- Surgiu o Batismo Infantil, ignorando o testemunho das escrituras de que é necessário a fé em Cristo e o arrependimento dos pecados para o batismo (Atos 8:36-37 e 2:37,38)

300- Imagens de Escultura: Por volta do ano 300 imagens foram colocadas nas igrejas apenas como adorno. Em 787 o II Concílio de Nicéia deu-lhe a sanção. A idolatria fora institucionalizada. A doutrina da imortalidade da alma, vinda dos gregos, favoreceu a idéia de que os santos estão vivos nos céus e recebem orações. Uma violação clara do segundo mandamento (Exodo 20:4-6) e da doutrina cristã da ressurreição que ocorreria apenas na segunda vinda (I Tessalonicesnes 4:13-18) e nunca após a morte.


7 de Março de 321- Decreto Dominical: Promulgado pelo Imperador Constantino o Decreto Dominical. Derrubou por terra o 4° mandamento da lei de Deus (Exodo 20:8-11). Os cristãos fiéis passaram a ser perseguidos.

  1   2   3   4   5   6   7


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal