Osteoartrose Fatores de risco: obesidade, traumatismo, casos na família. Sintomas: dores nas juntas de sustentação (joelhos, tornozelos e colunas), nas mãos. Prevenção: controlar peso e praticar atividades físicas



Baixar 204.19 Kb.
Página1/3
Encontro23.07.2016
Tamanho204.19 Kb.
  1   2   3
Prevenção: praticar atividade física de forma regular/sistemática, não fumar, comer alimentos ricos em Ca+.
Osteoartrose
Fatores de risco: obesidade, traumatismo, casos na família.

Sintomas: dores nas juntas de sustentação (joelhos, tornozelos e colunas), nas mãos.

Prevenção: controlar peso e praticar atividades físicas.
Hipertensão Arterial (HAS)
A pressão arterial e a forca com a qual o coração bombeia o sangue através dos vasos. E determinada pelo volume de sangue que sai do coração e a resistência que ele encontra para circular no corpo.

Hipertensão arterial e a pressão arterial acima de 140x90 mmhg em adultos com mais de 18 anos, medida em repouso de 15 minutos e confirmada em 3 vezes consecutivas e em varias visitas medicas. As elevações ocasionais da pressão podem ocorrer com exercícios físicos, nervosismo, preocupações, drogas, alimentos, fumo, álcool e café.


Alguns cuidados devem ser tomados quando se verifica a pressão arterial:
* repouso de 15 minutos em ambiente calmo e agradável

* após a ingestão de café, fumo, álcool ou realização de exercício aguardar 30 minutos para aferir.


Níveis de pressão arterial



SISTOLICA

DIASTOLICA

NIVEL

< 130

<85

Normal

130-139

85-89

Normal limítrofe

140-159

90-99

Hipertensão leve

160-179

100-109

Hipertensão moderada

>179

>109

Hipertensão grave

>140

>90

Hipertensão sistólica ou máxima

A hipertensão arterial e uma doença crônica que, quando não tratada e controlada adequadamente, pode levar a complicação que podem atingir órgãos e sistemas, tais como infarto, hemorragias, encefalopatias hipertensivas, angina, aneurisma da aorta, doença vascular periférica dos membros inferiores.


Prevenção e tratamento
Ha duas formas de tratamento sem e com medicamentos.

O tratamento sem medicamento tem o objetivo auxiliar na diminuição da pressão e se possível evitar complicações e os riscos por meio de modificações e formas de viver, são elas:

_ Reduzir o peso corporal

_ Reduzir o sal de cozinha

_ Reduzir o consumo de álcool

_ Exercitar-se regularmente de 30 a 45 minutos, de 3 a 5 vezes por semana.

_ Abandonar o tabagismo
O tratamento medicamentoso visa reduzir as doenças cardiovasculares e a mortalidade dos pacientes hipertensos.


Insuficiência cardíaca
A insuficiência cardíaca ocorre quando o coração não consegue cumprir suas funções adequadamente. Pode ser causada por vários fatores, como: hipertensão arterial, enfisema pulmonar, bronquite crônica, doenças da tiroide, etc. Se o coração não faz seu trabalho como deveria, o idoso pode sentir cansaço, fadiga, falta de ar, inchaço nas pernas e tosse.

Para aliviar a sobrecarga do coração, o idoso deve estar sempre com a cabeceira elevada em relação ao corpo, principalmente durante a noite, quando permanece deitado por tempo mais prolongado.

A insuficiência cardíaca não permite que a idosa faca esforço físico, ou coma sal em excesso, pois, e preciso manter a pressão controlada e tomar a medicação correta e rigorosamente.

É necessário ficar atento para:


_ Evitar que a idosa faca esforço físico

_ Evitar excessos de alimentos

_ Diminuição do sal e condimentos artificiais

_ Uso da medicação rigorosamente correta (horário/dose)


Infarto Agudo do Miocárdio
E uma doença aguda causada por falta de oxigênio numa parte do coração. Dependendo da parte acometida, as consequências podem ser menores de idade ou maior gravidade. Quando o paciente não morre, pode necessitar de cuidados especiais da UTI por vários dias, ou apenas ficar em observação por algum período.

Após a recuperação do infarto, o idoso pode permanecer com insuficiência cardíaca e ter limitação maior ou menor, dependendo da gravidade do caso.


Diabetes
E uma doença crônica causada por falência do pâncreas. Este deixa de fabricar ou diminui muito a fabricação de insulina, o que provoca acumulo de açúcar no sangue. Se não tratada pode levar a complicações como problemas nos rins, visão, desidratação, coma e ate a morte.
Apresenta diversas formas clínicas, sendo classificado em:
_ Diabetes Milicos tipo I: Ocasionado pela distribuição da célula beta do pâncreas, em geral por doença autoimune, levando a deficiência absoluta de insulina.

_ Diabetes Milicos tipo II: Provocado predominantemente por um estado de resistência a ação da insulina associado a uma relativa deficiência de sua secreção. E mais comum em obesos.

_ Os sintomas da diabete são decorrentes do aumento da glicemia e das complicações crônicas que se desenvolvem a longo prazo.


Os sintomas do aumento da glicemia são:
_ Sede excessiva

_ Aumento do volume de urina

_ Aumento do numero de micções

_ Surgimento do habito de urinar a noite

_ Fadiga, fraqueza, tonturas

_ Visão borrada

_ Aumento de apetite

_ Perda de peso


Estes sintomas tendem a se agravar progressivamente e pode levar a complicação severa como o coma. E o tratamento tem como objetivo obter uma glicemia normal tanto em jejum quanto no período pós-prandial, e controlar as alterações metabólicas associadas e que envolve sempre quatro aspectos importantes: alimentação, atividade física, medicamentos, rastreamento (controle).
AVC (Acidente Vascular Cerebral)


Também conhecido como derrame cerebral, e causado por problemas na circulação cerebral, muitas vezes deixando o idoso com metade do corpo paralisado, sem falar, sem conseguir engolir, etc. Com isso o idoso torna-se dependente de uma hora para outra. A vida do idoso muda rapidamente, tornando difícil sua adaptação. Alem de todas as consequências do AVC, o idoso pode tornar-se depressivo, por não conseguir aceitar essa nova realidade. Passa então a se comportar com revolta e agressividade.

Como parte do corpo fica paralisada, e preciso mobilizar as articulações, estimular os músculos e evitar as ulcera de decúbito.
O cuidador tem como papel:
_ Estimular e valorizar ações que o idoso possa realizar (auto-cuidado)

_ Mudança de posições do idoso acamado varia vezes ao dia, para evitar o aparecimento de escaras.

_ Auxiliar na higiene pessoal.
Mal de Alzheimer
E uma doença crônica e progressiva, que faz com que o idoso perca suas capacidades mentais. Fica lento sem condições de dialogar, de fazer cálculos, nem tomar decisões. Com a evolução da doença, vai perdendo os movimentos, a capacidade de controlar a urina e as fezes e não mais consegue engolir. O idoso confunde tudo e todos. Não tem noção de onde esta com quem esta e nem porque esta. Esta doença exige companhia constante. E um idoso dependente total.

Quando se trata de um idoso com Mal de Alzheimer que caminha só, sempre exige risco de fuga. Para evitar aborrecimentos, deve-se ter uma foto recente do idoso e uma identificação contendo enderece/fone, com o idoso. Desta forma, caso ele desapareça, e bem mais fácil encontra-lo. Em geral, o idoso em tratamento, mantém uma rotina, dentro de suas características.

O cuidador de idoso deve estar atento a qualquer informação do idoso e alteração de seus hábitos.
Doença de Parkinson
E uma doença degenerativa do sistema nervoso central, lentamente progressiva, idiopática (sem causa conhecida), raramente acontecendo antes dos 50 anos, comprometendo ambos os sexos igualmente. Se caracterizando por:

_ Rigidez muscular

_ Tremor de repouso

_ Hipocinesia (diminuição da mobilidade)

_ Instabilidade postural
Esta doença e insidiosa, podendo começar às vezes com tremor, outras vezes com falta de mímica facial, diminuição do piscar, olhar fixo, movimentos lentos. A voz poderá ser monótona, escorrendo com facilidade saliva pelos cantos da boca. A pele, principalmente a facial, e lustrosa, “graxenta” e seborreia. A marcha fica cada vez mais difícil, com passos pequenos, arrastando os pés, com os braços encolhidos, tronco inclinado e, em casos avançados a pessoa aumenta a velocidade da marcha para não cair. Outras vezes, pode ficar parado (congelado) com enorme dificuldade para se locomover. E os tremores, que são involuntários, em uma ou em varias partes do corpo, se caracterizam pelos três “R” – regular rítmico e de repouso. Também se caracterizam por diminuir com os movimentos voluntários, se manifestando, sobretudo nas mãos. Como existe uma hipocinesia, que se caracteriza por um déficit dos movimentos automáticos, o paciente fica como que parado, estático, com os movimentos voluntários lentos, diminuindo a capacidade inclusive de escrever, ficando a letra pequena e a linguagem monótona e às vezes ininteligível.

Cada individuo responde diferentemente ao tratamento, o que favorece um paciente pode desfavorecer outro. O tratamento consiste no uso de medicamentos, fisioterapia, psicoterapia e, em alguns casos selecionados, cirurgia.


Artrose


E uma degeneração da cartilagem da articulação, isto e, um desgaste da parte do osso que esta nas articulações, levando ao desconforto e dor de grau variado.

Esta doença não e causada pelo envelhecimento e sim pelo mau uso das articulações, pelo excesso de peso, por ma postura e por fatores familiares. Ser idoso não significa ter artrose.

Pode ser diagnosticada na velhice, mas a artrose tem inicio em fases anteriores da vida. E progressiva e pode determinar deformações e limitações importantes.

As articulações que tem artrose devem sempre estar livres de sobrecargas. A fisioterapia auxilia muito no tratamento da artrose. Com orientação do fisioterapeuta para cada localização e grau da artrose, deve-se estimular e auxiliar o idoso a se movimentar.
Osteoporose
E a doença óssea metabólica mais frequente, sendo a fratura a sua manifestação clinica. E definida patologicamente como “diminuição absoluta da quantidade de ossos e desestruturação da sua microarquitetura levando a um estado de fragilidade em que podem ocorrer fraturas após traumas mínimos”. E considerado um grave problema de saúde publica, sendo uma das mais importantes doenças associadas com o envelhecimento.

E uma doença crônica que evolui lentamente e com graus de gravidade que vai de leve a moderada e grave. Pode ou não doer.

E mais comum em mulheres, pos-menopausa, magra, de pele clara, que não faz atividade física, fumante e consumidora de café.

O diagnostico e o controle é feitos através de um exame chamado densitometria óssea, e o mais importante e que o idoso tenha uma alimentação rica em cálcio, tome sol frequentemente e se movimente sempre que for possível.


Saúde dos olhos:
Catarata e uma doença que atinge o cristalino do olho, estrutura que serve como uma lente para enxergarmos. A Catarata faz com que o cristalino fique opaco e a visão seja prejudicada.
Causas da Catarata:
Acontece quando ha um acumulo de proteína no cristalino que faz com que ele fique embaçado. Isso faz com que a luz não passe mais por essa lente (cristal) como antes e causa problemas de visão, como falta de nitidez.
Tipos:
Senil – aparece nos idosos.

Congênita – alguns já nascem com a doença, decorrente de uma infecção.

Secundaria – resultado de doenças, medicações (corticoides diuréticos).

Diabetes e a Saúde dos Olhos
Diabetes – pode iniciar quando jovens e se acentua com o passar dos anos, a perda visual e mais rápida que a catarata senil.

Fatores de Riscos:
_ Ambientes

_ Álcool mais fumo.

_ Poluição

_ Trauma.


Sintomas: visão embaçada, Miopia repentina, mudança na visão das cores, especialmente a amarela, problema para dirigir a noite, visão dupla, incomodo com a claridade.
Diagnóstico: testes e exames feitos pelo oftalmologista. Dilatação da pupila para examinar mais profundamente.
Tratamento: exames clínicos ajudam a determinar como a catarata afetou sua visão. Se ainda são aceitáveis óculos, com lentes bifocais que podem eliminar a cirurgia. Se a perda for muito grande e continuar mesmo com uso dos óculos após a cirurgia. O método remove o cristalino danificado e o substitui, por um de plástico.

É possível prevenir? Como a causa e desconhecida, não ha método de prevenção. Visitar o oftalmologista para tratar algum problema no inicio, reduz os efeitos negativos.


Saúde Bucal no Idoso


Mesmo que a saúde bucal do idoso não tenha sido boa durante a vida, existe a necessidade de cuidados para melhorar a situação atual e prevenir futuros problemas. Assim, a gengiva, língua e parte interna da boca, dentes e próteses devem ser examinadas regularmente. Lembrar sempre aos idosos e seus familiares que a consulta com o dentista deve ser realizada a cada seis meses. Alertar que deve procurar o dentista mesmo que não esteja sentindo dor, já que muito tem historias passadas de visitas ao dentista só em casos de dor. Por isso, informações são importantes para aliviar o medo dos pacientes, permitindo assim a realização do tratamento adequado, seja este preventivo ou curativo.

E importante que o ACS oriente a procura da Unidade Básica de Saúde para realização de tratamento curativo ou preventivo. E importante também estar atento aos problemas que podem provocar dor ou complicações mais serias. Muitos não se queixam tentando evitar o tratamento por medo ou por não saber explicar o que estão sentindo. Por isso e muito importante que o ACS e familiares observem o aparecimento de alguns sinais, como: dificuldades para comer, não sorrir, falar pouco, comer só alimentos muito moles. Todas essas situações podem ter como causa a dor nos dentes naturais provocada por alimentos ou bebidas frias ou quentes, por raízes expostas, feridas na língua ou noutra região da boca e próteses que machucam ou estão frouxas.
O câncer bucal e um problema frequente nessa faixa etária.
_ Higiene bucal:
Orienta-se escovação com creme dental e uso do fio dental. Nessa faixa etária, são frequentes os distúrbios de audição, visão, déficit da memória e confusão mental. A coordenação motora do idoso deve ser observada pela família, pois pode interferir na correta remoção da placa bacteriana, portanto, se necessário, deve-se orientar o cuidador para realiza-la. E essencial dar atenção especial ao idoso portador de prótese dentaria. A higiene da prótese previne doenças bucais, como a cândida bucal, e promove melhor qualidade de vida. Orientar para oferecer bastante água durante todo o dia e muito importante para evitar a desidratação e manter a boca sempre úmida, diminuindo assim o aumento na concentração de bactérias que se instalam nela.


_ Alterações em saúde bucais mais frequentes nos idosos:
Alterações na parte interna da boca: se aparecer feridas, machucados brancos etc., deverão ser orientados a procurar o serviço de saúde bucal para serem examinados pelo dentista para diagnostico e tratamento adequado.

Gengivas que sangram: se o sangramento e em pequena quantidade, orientar a fazer uma boa escovação (dentes, gengivas e língua), com pasta e fio dental; pode promover uma melhora. Se isso não ocorrer em duas ou três semanas, orientar que procurem o dentista da unidade básica.


Doença periodontal: e uma doença sem dor e o único sinal e o sangramento durante a escovação e, se a pessoa deixa de escovar o local, pode piorar ainda mais a situação. Como consequência, o dente fica mole e poderá cair. A escovação correta e frequente evita esse tipo de problema. Orientar que procure o serviço de saúde bucal.
Candidíase: e causada por fungos e aparece na forma de placas brancas que podem cobrir boa parte da boca. Podem ser causadas pela baixa resistência da pessoa ou pela higiene deficiente das dentaduras, que devem estar sempre bem escovadas. Nesses casos e importante a boa higiene Raízes dentárias expostas: as raízes dos dentes para fora da gengiva podem deixar o local muito sensível ao frio e as substancias azedas – acidas. Pastas de dente especiais para tirar a sensibilidade podem ser usadas.
Feridas de longa duração: podem ser causadas por dentes quebrados, dentaduras com lados afiados ou quebrados. Oriente para procurar o dentista da Unidade Básica de Saúde.
Boca seca: geralmente e causada por certos medicamentos e doenças (diabetes) que podem diminuir a produção de saliva. O idoso 17tera mais dificuldade para mastigar e engolir e há dificuldade de fixar a dentadura. Pode-se estimular a mastigação, por exemplo, mascar chicletes sem açúcar, pedaços de borracha etc., alem de beber água com frequência.
Escorrimento de saliva: pode ser consequência de algumas doenças (Parkinson) ou por dentaduras mal feitas. Nesses casos orientar que procure o dentista da Unidade Básica de Saúde para orientações.
Déficit alimentar: nessa fase da vida, a falta dos dentes pode contribuir para uma alimentação inadequada devido ao consumo exagerado de alimentos pastosos ou líquidos (geralmente ricos em carboidratos e pobres em vitaminas e fibras), prejudicando sua saúde. Nesses casos e importante orientar a procurar a Unidade Básica de Saúde.

ATENÇÃO: verificar na visita mudanças no comportamento ao comer, falar, sorrir e dar atenção aos comentários de parentes e amigos, pois podem trazer informações importantes sobre problemas dentários. Nesse caso você deve orientar o idoso ou quem cuida dele a buscar orientações da equipe de Saúde Bucal da Unidade Básica de Saúde.

Doenças da boca


Algumas doenças e alguns medicamentos podem provocar sangramento e inflamação nas gengivas. Alem disso, a boca da pessoa doente ou incapacitada esta mais sujeita as feridas, as manchas esbranquiçadas ou vermelhas e carie nos dentes.



Cárie dental
A carie e a doença causada pelas bactérias que se fixam nos dentes. Essas bactérias transformam em ácidos os restos de alimentos, principalmente doces, que ficam grudados nos dentes. Os ácidos corroem e furam o esmalte dos dentes.

A alimentação saudável e boa higiene da boca e dentes ainda e a melhor e mais eficiente maneira de se prevenir a carie dos dentes.


Sangramento das gengivas
Quando não e feita uma boa limpeza da boca, dentes e prótese, as bactérias presentes na boca formam uma massa amarelada que irrita a gengiva provocando inflamação e sangramento.

Para prevenir e tratar a irritação das gengivas e acabar com o sangramento e necessário melhorar a escovação no local da gengiva que esta vermelha e sangrando. Durante a limpeza haverá sangramento, mas à medida que for sendo retirada a placa de bactérias e melhorada a escovação, o sangramento diminui ate desaparecer.




Fique atento: Durante doenças graves e de longa duração pode ocorrer sangramento nas gengivas, por isso é preciso que o cuidador tenha uma atenção redobrada com a higiene bucal da pessoa cuidada. Ao observar sangramento mais constante e presença de pus nas gengivas o cuidador precisa comunicar o fato à equipe de saúde.


Feridas na boca
Durante a limpeza da boca o cuidador deve observar a presença de ferida nas bochechas, gengivas, lábios e embaixo da língua e comunicar a equipe de saúde.


Fique atento: - É comum a pessoa idosa ter uma diminuição da estrutura óssea da boca. Essa perda óssea faz com que a prótese fique frouxa, aumentando o movimento, o desconforto e a possibilidade de lesões na gengiva. Lembramos que dentes quebrados podem ferir a boca.
- É comum que pessoas doentes tenham o apetite diminuído, mas é preciso estar atento, a recusa em se alimentar ou a agitação no horário das refeições pode ser decorrente de prótese mal adaptada, cárie, dentes fraturados, feridas, alterações e inflamações das gengivas.


Úlcera de Pressão/ Escaras/ Feridas
As escaras são feridas que surgem na pele quando da pessoa que permanece muito tempo numa mesma posição. E causada pela diminuição da circulação do sangue nas áreas do corpo que ficam em contato com a cama ou com a cadeira.

Os locais mais comuns onde se formam as escaras são: região final da coluna, calcanhares, quadril, tornozelos, entre outros, conforme indica a figura a seguir:








Como prevenir as escaras
Estimule a pessoa cuidada a mudar de posição pelo menos a cada 2 horas. À noite, o cuidador pode mudar a pessoa de posição quando acordar a pessoa cuidada para dar medicação, ou fizer outro cuidado.

• Ao mudar a pessoa de lugar ou de posição, faca isso com muito cuidado, evitando que a pele roce no lençol ou na cadeira, pois a pele esta muito fina e frágil e pode se ferir. Mantenha a roupa da cama e da pessoa bem esticada, pois as rugas e dobras da roupa podem ferir a pele.


• Cuidador, se a pessoa cuidada fica a maior parte do tempo em cadeira de rodas ou poltrona, e preciso ajuda-la a aliviar o peso do corpo sobre as nadegas, da seguinte maneira:

  • Se a pessoa tem forca nos braços: oriente a pessoa cuidada a sustentar o peso do corpo ora sobre uma nadega, ora sobre a outra.

  • Se a pessoa não consegue se apoiar nos braços: o cuidador deve ajuda-la a se movimentar. Procure orientações da equipe de saúde como auxiliar a pessoa cuidada nessa movimentação.

• Alguns apoios podem ajudar a pessoa a se segurar e mudar de posição sozinha pode ser comprados ou improvisados em casa: barras de apoio para cabeceiras da cama, faixas de pano amarradas na cabeceira, nas laterais ou nos pés da cama ajudam a pessoa a levantar ou mudar de posição na cama.


O colchão de espuma tipo “caixa de ovo” ou piramidal ajuda a prevenir as escaras, pois protege os locais do corpo onde os ossos são mais salientes e ficam em contato com o colchão ou a cadeira. Quando a pessoa não consegue controlar a saída de urina e/ou fezes, e necessário proteger o colchão com plástico, apenas na região das nadegas, e por cima do plástico colocar um lençol de algodão. A pele não deve ficar em contato com o plástico.
• Proteja os locais do corpo onde os ossos são mais salientes com travesseiros, almofadas, lençóis ou toalhas dobradas em forma de rolo, entre outros.

• Leve a pessoa a um local onde possa tomar sol por 15 a 30 minutos, de preferência antes das 10 e depois das 16 horas, com a pele protegida por filtro solar. O sol fortalece a pele, fixa as vitaminas no corpo e ajuda na cicatrização das escaras.


• Ao colocar a comadre, peca ajuda a outra pessoa e cuide para não roçar a pele da pessoa na comadre.
• A pele de a pessoa cuidada precisa ser frequentemente avaliada e bem hidratada.
Para manter a hidratação da pele e preciso:

  • Oferecer líquidos em pequenas quantidades na forma de água, sucos e chás varias vezes ao dia, mesmo que a pessoa cuidada não demonstre sentir sede.

  • Esse cuidado e importante, principalmente para crianças e idosos, pois esses podem rapidamente ficar desidratados.

  • Após o banho, massagear a pele da pessoa cuidada com creme ou óleo apropriado, esse cuidado alem de hidratar a pele melhora a circulação do sangue.

• Se a pessoa cuidada utilizar fraldas, e necessário troca-las cada vez que urinar e evacuar, para evitar que a pele fique úmida.


• Procure alimentar a pessoa fora da cama para evitar que os resíduos de alimentos caídos no lençol machuquem a pele e possam provocar escaras. Caso seja necessário alimentar a pessoa na cama, e preciso catar todos os farelos e resíduos de alimentos que possam ter caído.


Fique atento: Ao fazer a higiene corporal, evite esfregar a pele com força, pois isso pode romper a pele. Faça movimentos suaves, use pouca quantidade de sabonete e enxágue bem, para que a pele da pessoa não fique ressecada.


Fique atento: A escara surge de uma hora para outra e pode levar meses para cicatrizar.
  1   2   3


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal