Paulo rubens soares hungria



Baixar 16.56 Kb.
Encontro25.07.2016
Tamanho16.56 Kb.
PROJETO DE LEI N.º 25 , DE 2002


Dá denominação ao Viaduto no trevo de intersecção da

Rodovia Raposo Tavares, em itapetininga.

A Assembléia Legislativa do estado de São Paulo decreta:




artigo 1º - Passa a denominar-se " PAULO RUBENS SOARES HUNGRIA " , o viaduto construído no trevo de intersecção da Rodovia Raposo Tavares , altura do Quilômetro 166, com as avenidas 5 de Novembro e Rubens Brasi, em Itapetininga.

artigo 2º - Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação.


JUSTIFICATIVA


O homenageado nasceu em Itapetininga, em 28 de novembro de 1925, filho de Gumercindo Soares Hungria e de Maria Dulce de Lima Hungria, integrantes de tradicionais famílias da região.


Gumercindo viveu em Itapetininga, onde desenvolveu atividades comerciais, políticas e sociais, tendo sido presidente do Clube Venâncio Ayres, o mais antigo e tradicional da cidade, enquanto Maria Dulce, sobrinha e afilhada de Paulo Setúbal, famoso escritor de Tatuí, participou de atividades filantrópicas e religiosas na comunidade. Viveram mais de 90 anos e depois de falecidos, foram alvo de inúmeras homenagens do povo itapetiningano, inclusive com a denominação de importantes avenidas e praças da cidade.
Paulo Rubens teve cinco irmãos: Maria Helena (Lenita), casada com o Dr. Otílio Meira Lara Filho, famoso médico da cidade; Maria Auxiliadora (Zita), viúva de Rubens Brasi, conhecido comerciante local; Gumercindo Filho, agente estadual da fiscalização tributária; José Cássio Procurador de Justiça aposentado e um dos instituidores da FIEO - Fundação Instituto de Ensino Para Osasco, da qual foi Reitor da Universidade, e Roberto que exerce a profissão de dentista e integra diversas

entidades de Itapetininga, dirigindo, atualmente, o museu da Imagem e do Som da cidade.


Casou-se com Ceres Rolim Leme Hungria, professora, filha do Dr. antonio de Almeida Leme Júnior, engenheiro e líder político itapetiningano, tendo exercido o cargo de Prefeito do município.
Paulo Rubens Soares Hungria teve cinco filhos: Paulo Rubens Júnior, Desembargador do Tribunal de Justiça de São paulo, casado com Maria Lygia Ferragi Soares Hungria, psicopedagoga; Maria Dulce, artista plástica e orientadora educacional, casada com o Dr. José Lauro Nalesso, engenheiro civil e diretor da patrulha rodoviária do DER de Itapetininga; Maria Lúcia, administradora postal; Maria Cristina, psicanalista e Maria Elisa, casada com o Dr. Carlos Eduardo Campos de Camargo, ambos advogados na cidade.
Concluiu os cursos primário e ginasial no Instituto de Educação Peixoto Gomide de Itapetininga e cursou o colegial no tradicional Liceu Pasteur, atual colégio Franco Brasileiro, na capital, ingressando a seguir na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, recebendo o grau de bacharel em ciências jurídicas no ano de 1948.
Aprovado em primeiro lugar no concurso de ingresso à carreira de Advogado do Estado, no ano de 1950, exerceu essa função, depois denominado cargo de Procurador do Estado de São Paulo, durante 15 anos, inicialmente na capital, cuidando da Procuradoria de Assistência Judiciária, e depois, em Itapetininga, onde respondeu por todas as questões tributárias e administrativas de interesse do Estado de São Paulo.
Dedicou-se, durante todo esse período, também à advocacia particular, em escritório próprio, com atuação destacada em toda a região sul do Estado.
Em 1965, foi aprovado no concurso de ingresso à Magistratura do Estado de São apulo, judicando, sucessivamente, nas comarcas de Assis, Angatuba, Tietê e Sorocaba, aposentando-se em 1976, como Juiz de Direito da Capital. De todas as comarcas onde atuou, Paulo Rubens recebeu expressivas homenagens, inclusive a de cidadão angatubense, prova iniquívoca do reconhecimento, pelos comarcanos, da dedicação, da integridade e da competência demonstradas no desempenho de suas funções.
Retornando, a seguir, à advocacia particular, exerceu essa profissão até o seu falecimento, em 26 de julho de 1990, logrando transformar o seu escritório, em razão da seriedade e da qualidade profissional, num dos mais conhecidos e prestigiados de toda a região.

Ainda no campo profissional, foi professor titular da Faculdade de Direito da Fundação Karnig Bazarian, em Itapetininga, desde a primeira turma, lecionando as disciplinas de Prática Forense e Direito Processual Civil com invulgares brilho e competência. Mercê de sua grande dedicação à docência e de todos os méritos demonstrados ao longo de mais de 20 anos de magistério, os alunos daquela faculdade, que o elegeram, durante vários anos, como paraninfo, patrono e nome de turma, bem assim os dirigentes da instituição, prestaram significativa homenagem em sua memória, emprestando o nome de Paulo Rubens Soares hungria a uma das salas da faculdade de direito.


além de profissional talentoso e competente. paulo Rubens Soares hungria exerceu inúmeras atividades beneméritas e filantrópicas, inclusive junto à Santa Casa de Misericórdia de Itapetininga, da qual foi, durante vários anos, conselheiro e mesário. Colaborou ativamente ainda, com as campanhas vicentinas, revelando, sempre, sua preocupação com as camadas menos favorecidas da sociedade.
Seu comportamente exemplar, como cidadão prestante, ótimo chefe de família e brilhante profissional, sempre reconhecido por toda a comunidade itapetiningana, são atributos da personalidade singular do Dr. Paulo Rubens Soares hungria, a justificar, por todas essas razões, a homenagem que se pretende tributar em sua memória, com a denominação de importante obra viária, situada, por sinal, na interligação do centro da cidade ao bairro que o homenageado sempre frequentou e onde residem seus filhos, familiares e amigos.
Em assim sendo, e pelo alcance da presente propositura, aguardamos seu acolhimentos pelos nossos Nobre Pares, como forma de esta Casa prestar um justo reconhecimento ao homenageado.

SALA DAS SESSÕES EM



Deputado WILLIANS RAFAEL


Sistema STL - Código de Originalidade:0602021746004.903


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal