Pelas estradas da vida



Baixar 11.3 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho11.3 Kb.
ORAÇÃO COM PROFESSORES

Reunião pedagógica – 25/6/5

Local: Capela

Fundo Musical

Acolhida

Tomada de consciência da presença de Deus

Contextualização do episódio: Os discípulos de Emaús

Reflexão com o texto abaixo



PELAS ESTRADAS DA VIDA...
Eis que dois deles viajavam neste mesmo dia para uma aldeia chamada Emaús, a sessenta estádios de Jerusalém, e conversavam sobre todos esses acontecimentos.Ora, enquanto conversavam e discutiam entre si, o próprio Jesus aproximou-se e pôs-se a caminhar com eles” (Lc. 24,13-15)

Lucas gosta de apresentar Jesus a caminho. No relato dos discípulos de Emaús, os termos “caminhar/caminho” aparecem no início, no meio e no fim. No livro dos Atos dos Apóstolos, a palavra “caminho” designará a identidade e o modo de vida das comunidades cristãs.

Lucas prolonga o tempo do “caminho” e retarda o momento do reconhecimento, para mostrar que o Senhor só é reconhecido no fim do “itinerário da fé pascal”. O Ressuscitado não tem pressa. Gasta horas na companhia dos que foram e continuam a ser seus amigos. Conversa com eles,deixando para trás os quilômetros do caminho. Sua alegria é devolver-lhes o dom da alegria.
“O Mestre caminhava com eles no caminho, e Ele próprio era o Caminho. Viam-no com os olhos, mas não o reconheceram. Cristo, vivo, encontra mortos os corações dos discípulos, por cujos olhos foi visto e não foi visto. Viam-no e permanecia oculto para eles. Ia com eles como companheiro de caminho, e Ele próprio era o Guia. Certamente o viam, mas não o reconheciam. Haviam perdido a fé, haviam perdido a esperança.

Mortos eles, caminhavam com o Vivente, caminhavam mortos com a própria Vida.

A Vida caminhava com eles, mas nos seus corações ainda não havia vida.

Seus olhos estavam impedidos de reconhecê-lo. Porque era conveniente que seu coração fosse melhor instruído, retarda o dar-se a conhecer” (S. Agostinho).


PAUSA PARA REFLEXÃO
Para ser discípulos e seguidores de Jesus precisamos fazer, como fizeram os discípulos de Emaús, a experiência de caminhar longamente com Ele, de ser companheiro de estrada com Ele...

Os caminhos que levam ao encontro com Jesus podem ser os mais diversos e mais ou menos longos, mas a experiência do encontro pessoal com Ele é imprescindível para conhecê-lo.

É essa experiência que muda nosso modo de pensar, de sentir e de agir; é esta experiência que nos converte em seus discípulos e seguidores.

A história dos dois discípulos é também nossa história.

Quando nos afastamos dos lugares nos quais e das pessoas com as quais fizemos a experiência do conhecimento e do seguimento de Jesus, quando desistimos de seguí-lo e empreendemos “outro caminho” que vai justamente na direção contrária, quando renunciamos ao seguimento de Jesus por achar que estávamos enganados, quando cremos que tudo terminou, quando já não cremos em mais nada, então é “o próprio Jesus” quem nos segue, caminhando ao nosso encalço.

E, depois de alcançar-nos, caminha ao nosso lado com o mesmo ritmo cardio-vascular, esperando o momento propício para retomar o diálogo conosco e para fazer arder de novo nosso coração com o calor da fé, da esperança e do amor.

A Graça de Deus pode atingir-nos pelos caminhos mais variados e inesperados: penetrando pelas rachaduras de nossas quedas, pelas brechas abertas em nós pelas fragilidades e pelas grandes decepções ou soprando as últimas brasas que, sob as cinzas da desilusão, ainda permanecem acesas.

Não poucas vezes é por meio do vazio deixado em nós pelas crises e perdas que Deus se introduz em nossas vidas e acaba por transformá-las radicalmente.


Na oração: Só o “olhar amoroso” de Deus, que nunca desiste de buscar-nos para reconstruir-nos, conhece as lonjuras dos caminhos que temos de percorrer para que nossos olhos sejam abertos.

Só o CORAÇÃO DE DEUS conhece a hora e o lugar em que nossos corações, mesmo estando duros e desesperançados, podem ser enternecidos e entusiasmados de novo.

Sejam quais forem os motivos que nos levaram ao afastamento do Senhor, Ele vem ao nosso encontro percorrendo exatamente os mesmos caminhos que percorremos para nos afastarmos d’Ele. Ele deseja o encontro.
FUNDO MUSICAL
Os professores receberão uma folha para desenharem o seu “caminho pessoal”: Em seu caminho quais são os sinais de morte? E os de vida? Há beleza? Quem são seus companheiros? Jesus faz parte dele? Se fizer, que lugar ocupa: Conhecido? Enfeite? Amuleto? Luz? Companheiro? Para onde vai?
Após terminarem, pedir que falem com Jesus a respeito do que desenharam.

O Coração de Jesus também é considerado uma “fornalha ardente de caridade”, por isso, os “caminhos” serão depositados numa vasilha própria para serem queimados: deixar-nos envolver pelo Amor de Deus.



De mãos dadas, rezaremos o Pai Nosso e a Ave Maria

Abraço da paz
Catálogo: system -> files
files -> Objetivos objetivo Geral: Promover a valorização e a integração das etnias e o respeito à diversidade cultural, fortalecendo a identidade afro- brasileira, a cidadania e a equidade social. Objetivos específicos
files -> Algumas Notas Gramaticais sobre Cinyungwe
files -> Secretaria geral dos cursos programa de componentes curriculares
files -> Roteiro das Atividades Complementares 26 de outubro a 04 de dezembro de 2015
files -> Iii- 292– geraçÃo de líquidos lixiviados em aterros de rsu – proposta de modelagem e comparaçÃo com métodos utilizados para avaliaçÃo do balanço hídrico
files -> A história do grande oriente do distrito federal uma semente foi plantada
files -> Prefeitura municipal de valente
files -> Família, espaço e poder: notas sobre a gênese da ocupação e a construção de hierarquias na Curitiba setecentista1
files -> Edital de convocaçÃo cargo –Professor o secretário da educaçÃo do estado da bahia
files -> Estado da bahia procuradoria geral do estado


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal