Pequenos leitores: ler para quê e para quem?



Baixar 8.75 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho8.75 Kb.
PEQUENOS LEITORES: LER PARA QUÊ E PARA QUEM?

Silmara Helena Zago

Escola do Sítio – Campinas SP

O relato a seguir é um recorte do trabalho realizado com crianças de 4a. série e está diretamente relacionado com o projeto do grupo. Antes de contar a minha experiência, é necessário explicitar a prática pedagógica da escola que optou por um trabalho com projetos. No início do ano, cada professor escolhe um objeto disparador que norteará o projeto a ser construído com as crianças ao longo do ano. O objeto é uma escolha exclusiva da professora que sabe de antemão que ele dever permitir flexibilidade. No primeiro dia de aula inicia-se a roda com a apresentação do objeto e com o levantamento dos possíveis caminhos que poderemos percorrer ao longo do ano. Disparado o grande projeto, diferentes caminhos são tramados, alguns revistos, outros abrem ainda mais para outros temas dentro do projeto.

Ao longo da história da escola, quando ainda não era professora dela, uma turma de 4a. série começou o que hoje chamamos de Projeto de Leitura porque a professora percebeu que poderia incluir o resgate da história de leitor de cada criança dentro do projeto daquele ano, mas, o tempo passou e o projeto ficou como uma “marca” da quarta série. Acredito que gostam tanto porque foram ouvintes por vários anos antes de chegarem na 4a. série. É este projeto que quero compartilhar com meus interlocutores. Assim que as crianças chegam na 4a. série já me perguntam quando que irão ler para as outras salas. O projeto acabou se institucionalizando como uma prática da 4a. série e não mais daquela determinada turma que realizou o projeto pela primeira vez. Mas, afinal, como é o Projeto de Leitura?

Resgatar a história de leitor de cada criança é o disparador do projeto. Começamos com a investigação, junto aos pais, das histórias que cada criança ouvia e lia quando tinha de 2 a 9 anos e também quais os critérios de escolhas que criança e pais utilizavam para selecionar os livros lidos. Este resgate da memória de leitor é socializado com todos do grupo e a constatação que alguns livros eram comuns é imediata. Saber o porquê que alguns livros são comuns já é uma outra história que não cabe neste momento.

Após este momento de resgate da história de leitor, as crianças recebem um desafio: como ler para as salas do maternal, jardim, pré, primeira, segunda e terceira séries uma vez por semana, sendo que cada criança necessariamente será leitor e só poderá ler uma vez em cada sala? Lançado o desafio e crianças em pequenos grupos, tabelas são elaboradas e socializadas. Escolhida a tabela que permite uma leitura horizontal e vertical, é iniciado o projeto que consiste em uma seqüência de etapas que será descrita a seguir.

Escolhido o dia da semana em que as crianças da 4a. série entrarão nas rodas das salas já citadas, começamos o dia da leitura nas outras classes com uma roda em que sou a mediadora. Seis crianças foram sorteadas para comporem o primeiro grupo de leitores e as outras crianças da classe cumprem o papel de observadores do leitor ou das crianças que ouvem a história. Os leitores, que já escolheram com antecedência o livro que será lido para a turma daquela semana, preparou em casa a leitura. Cada leitor com 4 observadores se encaminha à sala determinada na tabela, se apresenta para os menores e começa a sua leitura. Durante a leitura, os observadores registram os aspectos que serão avaliados posteriormente na roda da 4a. série. Terminada a leitura, o leitor propõe uma atividade para ser realizada de acordo com a história que foi lida. As atividades são muito diversificadas e tenho que dizer, muito criativas; construir um castelo de areia no parque, culinária, pintura, escrita, desenho até confecção de livrinhos. Quando todos os leitores encerram as leituras, voltamos para a sala e fazemos a roda de avaliação da leitura do dia. Os observadores lêem os registros em que priorizam alguns aspectos que o próprio grupo elegeu como importantes para uma boa leitura: ter boa entonação, respeitar pontuação, mostrar as ilustrações, ler alto e sem parar entre as sílabas e o mais importante, interagir com as crianças durante a leitura. Os leitores ouvem as críticas, fazem uma avaliação da leitura realizada e se propõem a rever os aspectos que foram assinalados e que são pertinentes para a melhora da leitura. Terminado o primeiro grupo de leitores, realizamos uma reflexão individual, que depois é compartilhada com o grupo todo, enfocada na seguinte questão: o que mudou na minha vida depois que fui leitor ou observador no projeto de leitura? As reflexões são interessantes e permeiam não só a vida escolar das crianças, mas principalmente a vida no mundo. É comum ouvir delas que depois que foram leitores perderam um pouco a vergonha de falar em público, passaram a prestar mais atenção na hora de escolher um livro para ler entre outras.



Compromisso, responsabilidade, prazer, desejo, escolhas, são aspectos que permeiam o projeto e fazem com que as crianças saibam o porquê e para quê lêem.
Catálogo: arquivo-morto -> edicoes anteriores -> anais14 -> Sem03
Sem03 -> As marcas da submissão em através da vida, de amélia bevilaqua
Sem03 -> Livro, leituras e leitores em braile
Sem03 -> Otávio Cândido da Silva Júnior Analistas de Desenvolvimento Agrário Formação e Capacitação, da Fundação Itesp
Sem03 -> Faces múltiplas de uma docente: a presença de júlia medeiros
Sem03 -> Ema bovary, leitora de romances
Sem03 -> Leitura, interdisciplinaridade e inserçÃo social: o ensino em ciências e saúde em foco
Sem03 -> Entre a leitora e a historiadora : um olhar à revista seleçÕes do reader’s digest1
Sem03 -> Denise Fujihara Piccoli Maria Rosa Rodrigues Martins de Camargo Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – unesp
Sem03 -> Escola e cultura: as representaçÕes dos professores sobre o erro na leitura
Sem03 -> A imagem da mulher no romance contemporâneo: uma leitura de a república dos sonhos, de nélida piñON


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal