Pesquisador: marta leone costa santos



Baixar 43.68 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho43.68 Kb.
PESQUISADOR: MARTA LEONE COSTA SANTOS

INSTITUIÇÃO: UFMG / MINAS GERAIS

GRUPO DE PESQUISA DA ABHR: MULHER E RELIGIÃO

TÍTULO: Religiäo e tradução da Bíblia: onde estão as mulheres?

ORIENTAÇÃO: Prof. Dr. Carlos Alberto Gohn - UFMG

Resgatando um pouco da história que permeia os estudos de tradução e religião, o presente trabalho visa comparar traduções da Bíblia, mais detidamente as versões inglesa e portuguesa, retratando, brevemente, questões ligadas à linguagem da mulher. A linguagem inclusiva, entendida como a linguagem da mulher, traz discussões pertinentes que visam contemplar a questão de gênero. Não se trata de uma coisa que possa se reduzir à discussão se 'Deus é feminino ou masculino'.

A Bíblia é bastante conservadora ao apresentar a figura feminina e este problema é muito mais cultural que propriamente de gênero. Em outras palavras, a cultura implantada pelo cristianismo determina o papel da mulher na sociedade em que ela se estabelece, padronizando-o inclusive, o que será evidenciado também através da escrita. Na Idade Média as mulheres eram apresentadas como inferiores aos homens e no decorrer da história elas sempre sofreram todo tipo de preconceito. São Tomás disse certa vez que somente o homem foi feito à semelhança de Deus, e não as mulheres"1. Este trabalho está relacionado à língua, a partir do momento que ele compara as traduções da Bíblia, versões inglesa e portuguesa. Segundo Grootius (1997), a Sagrada Escritura é machista em sua língua, preservando termos como "homem" para se referir a Deus em vez de "mulher". Pode-se dizer que na tradução da Bíblia portuguesa o uso generalizado do termo "homem" ainda é pouco polêmico, devido à abrangência do termo na cultura brasileira. Grootius questiona ainda o fato de não haver termos neutros para contemplar a questão de gênero na Bíblia. Abaixo apresento um texto que ilustra bem o problema, apresentando-se nas versões em inglês e em português.

NIV (New International Version)

NRSV (New Revised Standard Version)

We have different gifts, according to the grace given us. If a man's gift is prophesying, let him use it in proportion to his faith. If it is serving, let him serve; if it is teaching, let him teach; if it is encouraging, let him encourage; if it is contributing to the needs of others, let him give generously; if it is leadership, let him govern diligently; if it is showing mercy, let him do it cheerfully. (Rom. 12: 6-8)

We have gifts that differ according to the grace given to us: prophecy, in proportion to faith; ministry, in ministering; the teacher, in teaching; the exhorter, in exhortation; the giver, in generosity; the leader, in diligence; the compassionate, in cheerfulness.

(Rom. 12: 6-8)



Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil (1997) - Tradução de João Ferreira de Almeida Tradução de João Ferreira de Almeida

6 De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; 7 Se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino. (Rm. 12:6-8)

Comparando as duas passagens em inglês, Herbi Drake (1997) coloca que o problema é muito mais cultural que propriamente de gênero. Considerar Deus como uma figura feminina não soluciona o problema, pelas seguintes motivos:a) Deus é espírito e não um ser humano, b) se todas as traduções da Bíblia são consideradas "machistas" pela linguagem inclusiva, provavelmente o uso extremado de linguagem inclusiva apontaria para o problema do feminismo.

Nas traduções em inglês, pode-se desvendar o uso de termos neutros, como, por exemplo, ‘teacher’ não é necessariamente um termo feminino. Nas traduções em português pode-se observar o mesmo, embora absorvemos a menção ao homem como referência à humanidade e não necessariamente ao sexo masculino. Na versão portuguesa, a versão da Bíblia da Sociedade Trinitariana, considerada uma das mais fiéis ao original, não se observa nenhuma referência ao homem, e sim uma linguagem mais neutra.

No Velho Testamento, o livro do Gênesis diz: "So God created man in his own image, in the image of God he created him, male and female he created them". Ou seja, homens e mulheres são iguais. Porém em outra passagem do mesmo livro, pode-se notar que as mulheres são submissas aos homens "O Senhor disse:não é bom para o homem viver sozinho. Farei uma ajudante para ele. (Gen,2:18). Comparando ambas as versões, podemos observar o quanto são semelhantes no tratamento da questão de gênero (Gen, 5:2):

"He created them male and female. "(…) macho e fêmea os criou,

And when they were created, abençoou-os e lhes deu o nome

He blessed them and named them 'man'" de homem no dia de sua criação"
Por outro lado, retomaremos aqui o que significa linguagem inclusiva. Conforme Akin (1998) linguagem inclusiva pode ser entendida como

(...) uma tentativa de levar as pessoas a usar um novo tipo de inglês, cuja revisão se dá conforme uma ordem sócio-político própria, o qual acredita haver uma necessidade extrema de revisar como os gêneros masculino e feminino historicamente se relacionam.

“Linguagem Inclusiva” defende a típica afirmação que o inglês padrão, que usa pronomes masculinos e outras referências masculinas à revelia, cria uma estrutura de opressão contra as mulheres, e que esta estrutura deve ser eliminada através da remoção destas referências masculinas da língua inglesa. Isto é uma tentativa de reestruturar o pensamento pela reestruturação da linguagem, o que George Orwell descreveu em seu romance “1984” como “uma nova fala” 2. (tradução minha)

É importante lembrarmos que ao ler a Bíblia, não concebemos Deus como espírito, mas como um sujeito humano. A linguagem inclusiva tenta encontrar uma solução para incluir a linguagem da mulher na Bíblia. Se lermos livros como Ester, Judite e Rute veremos que elas foram mulheres inteligentes e em algum momento alteraram o curso da história. Logo, por que o mérito de destaque e reconhecimento foi concedido somente aos homens? Drake (1997) ressalta que

"The English language reader, in other words, was condicioned to interpret masculine pronouns (and such words as 'man' and 'mankind') in a manner that would use context to determine whether to decote them in a gender-insensitive or gender-specific way"

Ver figura 1 (Comparação de uma passagem da Bíblia, de acordo com a Bíblia TEB e NAB)

Figura 1


UMA MULHER DE VALOR

Uma mulher de valor, quem a encontrará?

Ela vale muito mais que o coral.

Nela confia plenamente seu marido e a ele não faltará proveito. Ela lhe proporciona felicidade, e não ruína, / todos os dias de sua vida.

Procura diligentemente a lã e o linho e

suas mãos trabalham com alegria.

É como os navios mercantes: de longe faz vir seu alimento. Noite ainda, ela se levanta, /

para preparar a refeição para a família e



distribuir tarefas às criadas.

Põe suas vistas num terreno e compra-o; /

com o fruto do seu trabalho planta uma vinha.

Cinge seus rins de força e firma os seus braços.

Verifica se seus negócios vão bem, e

sua lâmpada não se apaga de noite.

Põe a mão à sua roca, maneja na palma o fuso.

Abre suas palmas ao miserável

estende as mãos ao pobre.

Quando neva, não teme por sua família, /

pois todos usam roupa forrada. Confecciona para si cobertas

e veste linho fino e púrpura.

Nas reuniões sociais, seu marido é respeitado,

ao sentar-se com os anciãos do lugar.

Ela fabrica tecidos para vender

e fornece cintos ao negociante.

Fortaleza e honra são suas vestes;

sorridente ela pensa no porvir.

Com sabedoria, abre sua boca

e sua língua ensina amavelmente.

Vigia o andamento do lar

e não come o pão na preguiça.

Em alta voz, os filhos proclamam-na feliz, /

e seu marido a elogia.

“ Existem muitas mulheres de valor;

tu, porém, a todas superas!”

A graça engana, e fugaz é a formosura.

/ A mulher que teme ao Senhor, essa é preciso louvar.

A ela o fruto do seu trabalho e

que suas obras publiquem seu louvor”.

(Provérbios IX: 31:10-31)



THE IDEAL WIFE

“When one finds a worthy wife,

her value is far beyond pearls.

Her husband, entrusting, his heart to her, has an unfailing prize. She brings him good, and

not evil, all the days of her life.

She obtains wool and flax and makes cloth with skillful hands.

Like merchant ships, she secures her provisions from afar. She rises while it is still night,

And distributes food to her household.


She picks out a field to purchase;

out of her earnings she plants a vineyard.

She is girt about with strength, and sturdy are her arms. She enyoys the success of her dealings;

at night her lamp is undimmed.

She puts her hands to the distaff, and her fingers ply the spindle. She reaches out her hands to the poor, and extends her arms to the needy.

She fears not the snow for her household;

all her charges are doubly clothed.

She makes her own coverlets;

fine linen and purple are her clothing.

Her husband is prominent at the city gates

as he sits with the elders of the land.

She makes garments and sells them,

and stocks the merchants with belts.

She is clothed with strength and dignity,

and she laughs at the days to come.

She opens her mouth in wisdom,

and on her tongue is dindly counsel.

She watches the conduct of her household,

and eats not her food in idleness.

Her children rise up and praise her;


“ Many are the women of proven worth,

but you have excelled them all.”

Charm is deceptive and beauty fleeting;

the woman who fears the Lord is to

be praised.

Give her a reward of her labors,

and let her works praise her at the city gates”.

(Proverbs, IX: 31:10-31)




Observem nesta passagem em que nível se estabelece a diferença de gênero na Bíblia, tanto inglesa quanto portuguesa:

Comparando os textos, podemos observar problemas relativos às suas traduções. Partindo do título, podemos perceber que elas se referem a dois tipos de mulher. Antes de explicar as notas de pé de página contidas na Bíblia sobre o tema, é relevante dizer que o texto em português vem da Bíblia TEB (Tradução Ecumênica Brasileira), uma das mais recentes traduções da Bíblia pelos pesquisadores católicos, protestantes e ortodoxos 3. Por outro lado, temos um texto em inglês traduzido pela NAB (Nova Bíblia Americana), traduzida somente por católicos. Ambos os textos são bastante conservadores na forma como apresentam a mulher. A mulher é igualmente submissa ao homem, à família e à religião, se ela é uma mulher boa e piedosa. Estabelecer diferenças entre os dois textos é uma tanto difícil, embora lendo-os percebe-se que eles são bastante similares e estão se referindo à mesma mulher. Porém, se atentarmo-nos para as notas de pé de página de cada Bíblia, notam-se as diferenças. A Bíblia NAB escreveu: "The true charm of the ideal wife is her religious spirit, for she fears the Lord" (31,30). Em outras palavras, a beleza da esposa ideal é seu espírito religioso, porque ela teme ao Senhor. Já a Bíblia TEB diz em suas notas: “As imagens usadas neste v. sugerem a idéia de uma mulher trabalhadora, que não tem medo da vida dura. Os vv. 16 e 18 levam a pensar, sobretudo, numa mulher, numa mulher com jeito para os negócios” (31,17).

E acrescenta "Uma mulher de valor: em hebr., o termo contém a raiz sugerindo força ou fortuna". (31,10). Ou seja, as duas Bíblias não estão falando da mesma mulher. A mulher na Bíblia portuguesa é mais abrangente (mulher trabalhadora), enquanto que na inglesa, é uma mulher mais específica (que é esposa). Também, há alguns versículos que constam na Bíblia portuguesa que foram omitidos na Bíblia inglesa, como: "distribuir tarefa às criadas", o que gera a idéia de a mulher poder administrar os negócios, e "seu marido a elogia", que o homem reconhece o valor de sua esposa.

A partir da leitura dos três livros da Bíblia relacionados à mulheres - Rute, Éster e Judite, pode-se dizer o seguinte: Rute é apresentada como uma mulher piedosa e generosa. Ela é a mulher sábia, viúva e jovem, que ao seguir sua sogra, igualmente viúva e sábia, em direção a uma nova terra, receberá a proteção divina e conseqüentemente, virá a casar-se novamente. Quando Rute chega à nova terra, ela já se dirige para o campo de trabalho, de forma a não depender de ninguém para o seu sustento e de sua sogra. Se conceituarmos sua atitude, veremos que ela foi bastante moderna ao não retornar para a casa de seus pais (como era de costume na época) e ao partir para uma terra estranha. Chegando à terra, sua primeira atitude é procurar um trabalho, ou seja, sua intenção foi não depender da piedade das pessoas. Nota-se uma mudança na atitude de Rute, após seu casamento com Boaz. Antes que o dito se concretizasse, assim como Naomi pediu, Rute foi ao quarto de Boaz e deitou-se na cama dele. Embora ela costumasse tomar suas próprias atitudes, depois de casar-se com Boaz, ela passou a ser bastante submissa a ele. E a cerimônia matrimonial se dá de acordo com a visão cristã, inclusive quando a função da mulher na relação sexual é a reprodução da espécie, e não o prazer. Ainda nesta passagem Boaz compara Rute a uma mulher de valor, nos termos da definição dada em Provérbios IX (31:10-31) e Ruth (3:11, p. 240)

Outro dado que pode ser suscitado, ao se ler a introdução do livro de Éster, nas versões portuguesa e inglesa, é que os autores advertem que podem haver distorções do original, principalmente ao traduzir do grego para o hebraico. Ele diz que o hebraico é mais literal que o grego e, muitas vezes, eles acrescentaram alguns detalhes que tornaram o texto incompreensível. Ambas as Bíblias aqui fazem uso do texto grego. Atentemos aqui para um breve resumo da história de Éster. Éster é prima de Mordecai, seu tutor. Quando a rainha Vashti desobedeceu ao seu marido, o rei Ahasuerus, ela perdeu seu reinado. Todos os ministros do rei sugeriram que a rainha deveria ser punida pela sua atitude. Se o rei não a punisse, todas as esposas não respeitariam seus maridos. Imediatamente ela foi destituída do trono e Éster foi escolhida pelo rei para ser sua próxima esposa e rainha. Porém Éster era judia, embora ninguém soubesse disso até o momento do casamento. Várias coisas aconteceram, até o momento que Haman, o primeiro ministro do rei, ameaçou matar todos os judeus. A rainha Éster, uma mulher inteligente, inverteu toda a situação, dando poder a Mordecai e defendendo seu poder. Haman foi enforcado no mesmo local que ele próprio havia construído para enforcar Mordecai. Os judeus venceram e aumentaram seu poder na cidade de Susa. É interessante como a Bíblia reconhece o poder de Mordecai muito mais do que de Éster frente a tudo que aconteceu na cidade de Susa. Se Éster não tivesse planejado formas de mudar toda a situação, inclusive com toda a astúcia que usou, possivelmente Mordecai teria sido enforcado por Haman. Mas, como o reconhecimento é dado ao homem, Mordecai foi homenageado pelo povo judeu.

Uma outra mulher, Judite, foi uma mulher combativa, que lutou também pelo povo judeu. Como Éster, ela era uma mulher bonita, inteligente e atraente, atributos estes que serviram para que ela matasse Holófones, um comandante do rei Nebuchadnezzar, o qual queria matar todos os povos judeus na cidade de Bethulia. Holófones foi atraido pela beleza de Judite. Tendo ele bebido muito, Judite cortou sua cabeça e a entregou para o seu povo. Em outras palavras, em tempos passados havia mulheres capazes de mudar todo o cenário imposto pelos homens, bem como a idéia de que elas deviam ser devotas a Deus, à família e especialmente aos homens. Judite, embora fosse uma mulher sábia, jovem e bonita, era tão forte e poderosa quanto os homens.

Enfim, há mais passagens na Bíblia, tanto nas versões inglesa e portuguesa, que apresentam visões da posição da mulher. Nas novas traduções da Bíblia, como exemplo a Bíblia TEB, embora haja mudanças na estrutura, a questão de gênero ainda não é tratada de forma satisfatória, pois as mudanças são muito insipientes. Existe ainda, pode-se dizer, muito preconceito para alterar um documento que já é tradição na cultura dos povos. A discussão da linguagem inclusiva dá-se no plano da linguagem devido aos trabalhos de tradução que vivem o dilema de romper ou não com esta estrutura e visão difusas na sociedade. É saudável a crítica feita em torno da questão de gênero, porém é importante estabelecer em que bases ele vai se dar, seja criando um novo tipo de relação lingüística, seja na esfera do real ou da utopia que move o pensamento e todas as ações da humanidade.



Bibliographical References:

A Bíblia TEB. São Paulo: Edições Loyola, 1995.


A Bíblia Trinitariana do Brasil. Trad. João Ferreira de Almeida. Edição Corrigida Fiel Copyright © 1997 Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil
AKIN, Jame, Mass Confusion: The Do’s and Don’ts of Catholic Worship (San Diego: Catholic Answers, 1998. http://www.catholic.com/ANSWERS/FAQs/inclusive_language.html
ARMSTRONG, Karen. Uma História de Deus: quatro milênios em busca do judaísmo, cristianismo e islamismo. Trad. Marcos Santarrita. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

DRAKE, Herb. Inclusive Language Bibles. http://www.hccentral.com/magazine/inclusive.html. June 16, 1997



GROOTHUIS, Rebecca Merrill. Inclusive Language Bible Translations. http://www.gospelcom.net/ivpress/groothuis/nivi.htm. November, 1997.
MORAES, Maria Lygia Quartim de. Mulheres em Movimento: o balanço da década da mulher do ponto de vista do feminismo, das religiões e da política. São Paulo: Nobel, Conselho Estadual da Condição Feminina, 1985.
SIAT, Jeannine. Religiões Monoteístas: uma brevíssima introdução. Trad. Lucy Magalhães. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1999. p. 66
The New American Bible: The new catholic translation. USA:Catholic Bible Press, 1987.



1 MORAES, Maria Lygia Quartim de. Mulheres em movimento: o balanço da década da mulher do ponto de vista do feminismo, das religiões e da política. São Paulo: Nobel, Conselho Estadual da Condição Feminina, 1985.

2 James Akin, Mass Confusion: The Do’s and Don’ts of Catholic Worship (San Diego: Catholic Answers, 1998. http://www.catholic.com/ANSWERS/FAQs/inclusive_language.html


3 SIAT, Jeannine. Religiões Monoteístas: uma brevíssima introdução. Trad. Lucy Magalhães. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1999. p. 66.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal