Peugeot 307 6 hdi 110 cv



Baixar 88.11 Kb.
Encontro27.07.2016
Tamanho88.11 Kb.













Peugeot 307 1.6 HDi 110 cv


26 de Abril de 2004

Estreia no 307

Melhores performances com menor cilindrada

Em Abril, a Peugeot alarga a oferta 307, através da comercialização do novo motor 1.6 HDi de 16 válvulas FAP. Este novo motor que equipa as versões XS Premium, XT Premium e SW, vai também surgir associado à série especial Navtech (com sistema de navegação a cores), um trunfo de peso para uma gama que é já considerada uma referência na relação preço/ equipamento.

O Peugeot 307 é o primeiro modelo da Peugeot a receber o novo motor 1.6 HDi, resultante da segunda fase de cooperação entre a PSA Peugeot Citroen e a Ford Motor Company. Esta motorização de 80 kW (cerca de 110 cv) representa uma evolução do 1.4 HDi de 50 Kw (70 cv), um dos grandes responsáveis pelo enorme sucesso comercial da gama 307.


Com uma cilindrada de 1.560 cm3, este motor desenvolve uma potência máxima de 80 kW a 4.000 rpm e um binário máximo de 240 Nm a 1.750 rpm. Nas três mudanças superiores, o binário pode atingir 260 Nm a 1.750 rpm graças à função «overboost», activada quando o motor se encontra em plena carga, entre 1.500 e 3.750 rpm. Nestas condições, o binário máximo é aumentado temporariamente em 8,3%.
Posicionando-se a meio da estrutura da gama de motorizações, não sendo uma alternativa ao motor 1.4 HDi, mas sim o complemento ideal da oferta diesel do 307, este novo motor substitui o actual 2.0 HDi de 110 cv (DW10ATED) e promete desempenhar um papel fundamental, não só pela relação preço/potência, como pelo avanço tecnológico que contém:


  • Turbo compressor de geometria variável

  • Cabeça do motor de 16 V

  • Sistema de injecção directa «Common Rail» Bosch de segunda geração, com pressão de injecção até 1.600 bars

  • Função “Overboost” que permite elevar temporariamente o binário de 240 Nm para 260 Nm

  • F.A.P. – Filtro de Partículas de 2ª geração, com operação de manutenção mais alargada (120.000 km).

Face ao 2.0 HDi, este motor com injecção directa de alta pressão apresenta consumos mais reduzidos, como atestam os menos 0,9l em circuito urbano ou os menos 0,3l em circuito misto; e melhores performances, com a aceleração dos 0-100 km/h a fazer-se em 11,2 seg. (11,8 no 2.0 HDi 110).







307

1.6 HDi 110

307

2.0 HDi 110

Cilindrada cm3

1.560

1.997

Nº cilindros / válvulas

4 / 16

4 / 8

Potência (kW (cv)/rpm)

80 (110) / 4000

79 (110) / 4000

Binário (Nm / rpm)

240 (260*) / 1750

250 / 1750

Performances







Velocidade máx. (km/h)

188

188

Aceleração 0-100 km/h (s)

11,2

11,8

Consumos (l / 100 km)

Urbano


Extra urbano

Combinado


6,1


4,3

4,9

7,0

4,2


5,2

Emissões de CO2 (g / km)

129

138

* Binário temporário (Overboost)

Em resumo, apesar da sua menor cilindrada, proporciona subidas de regime mais vivas e ainda mais lineares, permitindo uma extraordinária continuidade na aceleração. Os clientes portugueses passam assim a usufruir de uma vantagem imediata, não só ao nível do consumo de combustível, como também ao nível do preço, através das reduções do I.A e do IVA (redução na ordem dos € 4.500).


Este motor de última geração confere ainda ao 307 performances ambientais de elevado nível, cumprindo as futuras normas EURO 4 e dispondo do filtro de partículas.
De agora em diante, a gama de motores dos 307 turbo diesel HDI passa a ser assim constituída:


  • 1,4 HDi 50 kW (70 cv) 150 Nm

  • 1,6 HDi 16V 80 kW (110 cv) 240 Nm

  • 2,0 HDi 16V 100 kW (136 cv) 320 Nm



A gama em Portugal
O novo motor 1.6 HDi vai equipar as versões XS Premium e XT Premium nas carroçarias 5 portas e Break, assim como a SW e SW Cuir.
Para além disso, a Peugeot associa esta nova motorização à série especial Navtech. Disponível nas próximas semanas em 5 portas e Break, vai incrementar ainda mais o nível tecnológico do modelo, dando sequência ao enorme êxito que tem constituído esta série especial.
O 307 Navtech 5 portas e Break, possui um nível de equipamento que tem por base o XS Premium, mas oferece de série um sistema telemático, designado RT3, que integra:


  • Sistema de navegação GPS;

  • Rádio-telefone dotado de sistema mãos-livres e comandos junto ao volante

  • Écran a cores de 7” formato 16/9 no topo do tablier;

  • CD Rom cartográfico Portugal/Espanha e

  • Carregador frontal de 5 CD's

  • Botão para acesso directo a serviços telemáticos para situações de assistência e de emergência



Quanto ao equipamento presente nas versões XS Premium, XT Premium, Navtech, SW e SW Cuir equipadas com o novo motor 1.6 HDi de 110 cv, destaca-se o facto de todas elas incluirem, entre outros, os seguintes elementos de série:

- ABS com repartidor electónico de travagem

- Airbags laterais, frontais e cortina (6)

- Ar condicionado automático com ecrã digital e filtro de pólenes

- Auto-rádio com mono CD frontal, seis altifalantes e comando sob o volante

- Banco do condutor regulável em altura

- Computador de bordo

- Fecho central das portas com comando à distância

- Jantes em liga leve de 16’’

- Pára-brisas atérmico

- Vidros dianteiros e traseiros com comando eléctrico,

sequenciais e anti-entalamento




A versão SW Cuir, mais equipada, acrescenta ainda:





  • Bancos dianteiros aquecidos, com apoio de braços

  • Barras no tejadilho em cromado acetinado

  • 3 bancos individuais na segunda fila

  • Carregador de 5 CD’s na fachada central

  • Faróis de nevoeiro dianteiros

  • Lava-faróis

  • Óculo traseiro escurecido

  • Tecto panorâmico em vidro com cortina de comando eléctrico

  • Volante, estofos, punho e fole da alavanca de velocidades em

couro

Entre as opções disponíveis, destaca-se o alarme perimétrico e volumétrico com supertrancamento, o ESP, o pack de navegação a cores e o sistema de ajuda ao estacionamento.



Preços

Comportando grandes vantagens para os clientes, em virtude da redução da cilindrada, face ao motor 2.0 HDi de 110 cv, esta nova motorização custa € 24.495 nas versões 307 XS Premium e XT Premium de 5 portas e € 25.255 nas Breaks.


Por apenas mais € 700, o cliente tem acesso à série especial Navtech que custa € 25.195 em 5 portas e € 25.955 na break.
Quanto às versões SW, o 307 SW 1.6 HDi de 110 cv está disponível por € 25.715, enquanto a SW Cuir vai custar € 26.985.
Dossier Técnico

O Motor

Este motor de quatro cilindros, totalmente em alumínio, constitui uma evolução da motorização DV4 de 1,4 l que equipava já o 307, tendo a cilindrada sido elevada para 1,6 l através do aumento do curso (+ 6,3 mm) e do diâmetro (+ 1,3 mm). O DV6 TED4 recebe uma cabeça com dezasseis válvulas e dupla árvore de cames. Dispõe de uma sobrealimentação produzida por um turbo compressor de geometria variável e de um sistema de injecção «Common Rail» Bosch de segunda geração, o qual lhe permite reduzir significativamente o consumo de combustível e, em consequência, as emissões poluentes, quando comparado com o motor DW10 ATED de 2,0 l que vem substituir.


Deste modo, a nova motorização equipada com filtro de partículas (FAP) de segunda geração cumpre as futuras normas EURO 4.
Com uma cilindrada de 1.560 cm3 (diâmetro 75 mm, curso 88,6 mm), este motor equipado com um turbo compressor de geometria variável Garrett (GT15) dispõe de um permutador ar/ar na fachada. Desenvolve uma potência máxima de 80 kW a 4.000 rpm e um binário máximo de 240 Nm a 1.750 rpm. Nas três mudanças superiores, o binário pode atingir 260 Nm a 1.750 rpm graças à função «overboost», activada quando o motor se encontra em plena carga, entre 1.500 e 3.750 rpm. Nestas condições, o binário máximo é aumentado temporariamente em 8,3%.


  • Bloco de cilindros

O motor DV6 TED4 apresenta um cárter de cilindros e um chapéu em alumínio vazados sob pressão, com chumaceiras e camisas fundidas inseridas por vazamento. A concepção e a geometria do cárter garantem uma fiabilidade, uma longevidade e performances acústicas de elevado nível. O vazamento sob pressão desta peça permite obter nervuras exteriores muito trabalhadas que contribuem, por um lado, para a resistência do cárter face aos constrangimentos termo mecânicos e, por outro, para a redução das emissões acústicas das paredes. Do mesmo modo, a estrutura «em coque» da zona inferior do cárter de cilindros confere ao conjunto uma notável rigidez, da qual resulta também uma redução das emissões sonoras e vibratórias do motor.


A cambota em aço forjado com cinco apoios possui, do lado da distribuição, uma polia AVT («Amortissement Vibration Torsion») que comanda o compressor da climatização e o alternador.
Do lado oposto, o duplo volante de motor de inércia acrescida absorve, graças à sua concepção, os aciclismos naturalmente provocados por qualquer motor de quatro cilindros.
Os pistões em liga leve e de cabeça plana desempenham o papel de câmara de combustão, apresentando quatro entalhes para evitar qualquer possível contacto com as válvulas. Para optimizar o rendimento do motor, através da melhoria da mistura ar / combustível, a câmara de combustão foi redesenhada no sentido de reduzir o SWIRL, ou seja, o movimento do ar na câmara. A câmara caracteriza-se pelo seu desenho específico, com um ângulo mais aberto do leque de injecção. O arrefecimento da câmara é assegurado por óleo que circula numa galeria localizada na espessura da saia, sendo alimentado por um injector de fundo de pistão.
As bielas em aço forjado granulado de tipo «aparafusado» apresentam um pé trapezoidal que permite aumentar a superfície de arrastamento do eixo no pistão.


  • A cabeça

A cabeça, do tipo «cross flow» e com quatro válvulas por cilindro, é realizada em alumínio AS7 temperado, sendo formada por duas partes:




  • uma zona inferior que recebe as válvulas – diâmetro de 24,4 mm (admissão) e 22 mm (escape) – posicionadas verticalmente, bem como dois tipos de conduta de ar de admissão independentes por cilindro, designadas por «helicoidal», para o circuito curto, e «tangencial», para o circuito mais longo.




  • uma zona superior onde se apoiam as árvores de cames, cuja concepção foi alterada, passando a ser realizadas pela montagem de cames em material vitrificado sobre um tubo de aço, em vez de fundidas por vazamento.

A árvore de cames de escape é comandada por uma correia dentada com uma largura de 25,4 mm, ligada à cambota e à bomba de água. Um rolamento «tensor» e um rolamento «enrolador» completam o dispositivo de comando. A árvore de cames de admissão é, por seu turno, comandada por intermédio de uma corrente metálica de distribuição ligada à árvore de cames de escape, sendo a sua tensão assegurada por um tensor hidráulico. As árvores de cames accionam as válvulas através de linguetes de rolamentos, enquanto que êmbolos hidráulicos asseguram uma afinação automática.




  • Injecção de alta pressão

O motor DV6 TED4 beneficia de um sistema de injecção directa «Common Rail» Bosch de segunda geração. As pressões podem variar entre 250 bars ao ralenti e um máximo de 1.600 bars, segundo a solicitação formulada pelo «soft» do processador em função do regime e da carga do motor. O rail encontra-se ligado a injectores cuja cabeça de pulverização apresenta seis orifícios de injecção com um diâmetro de 120 mícron, dispositivo que assegura uma pulverização muito fina directamente na câmara de combustão, permitindo assim homogeneizar a mistura e reduzir as emissões na origem. Por outro lado, o sistema «Common Rail» exprime aqui todo o seu potencial, dada a utilização de uma técnica de injecção múltipla que consiste numa gestão de seis injecções diferentes e não coincidentes no tempo:

- duas pré-injecções para controlar o ruído da combustão,

- duas injecções principais,



- duas pós-injecções para a regeneração do filtro de partículas.
Este motor tem associado um filtro de partículas (FAP) de segunda geração, o qual retém as partículas e as queima mais tarde, sensivelmente a cada 1.200 quilómetros. A periodicidade da mudança do filtro foi aumentada, efectuando-se agora a troca durante a operação de manutenção dos 120.000 quilómetros.
Para diminuir a quantidade de óxido de azoto (NOx) presente nos gases de escape, o DV6 é também equipado com um dispositivo (EGR) de reciclagem dos gases. Finalmente, para completar o tratamento dos gases, o catalisador de oxidação encontra-se implantado tão perto quanto possível do turbo compressor, de modo a beneficiar das mais elevadas temperaturas de escape. Um permutador água / óleo colocado sobre o bloco do motor encontra-se ligado ao cartucho filtrante denominado «ecológico». Este sistema, no qual, para uma mais fácil reciclagem, apenas se muda o elemento filtrante, permite evitar os escorrimentos de óleo durante as intervenções.
O arrefecimento é assegurado por um radiador em alumínio com uma superfície de 21 dm2, equipado com um moto-ventilador de 460 W e duas velocidades, cuja entrada em funcionamento é gerida pelo processador do motor.


Principais características técnicas ligadas às transmissões e ao motor

Tipo de motor

DV6 TED4 – FAP


Cilindrada (cm3)

1.560


Potência (kW)

80 a 4.000 rpm

Potência específica (kW/l)

51,28


Binário (Nm)

240 / 260 (*) a 1.750 rpm

Tipo de carroçaria

5 portas

SW

Break


Performances (1)

Velocidade máxima (km/h)

188

183

183


0-100 km/h (seco)

12,3

13,5

12,8


0-1.000 m (seco)

34,0

35,1

34,5


Recuperação 80/120 em 5a (seco)

13,3

15,2

14,1


Consumos (l/100 km)

- ECE

6,1

6,3

6,2


- EUDC

4,3

4,5

4,4


- Misto

4,9

5,1

5,0


- CO2

129

134

131


Peso em vazio (kg)

Repartição :



  • À frente

  • Atrás

1.255 / 1.272

773 / 782

482 / 490

1.402

802


600

1.318

785


533

Relação peso/potência (kg/kW)

15,68 / 15,90

17,53


16,48

Transmissão

Mecânica de 5 velocidades


Tipo de caixa de velocidades

BE4 / 5-L


Relação final

19 x 72 (0,2639)


Rodas

6 ½ J 16


Pneus

205 / 55 R16 V


Perímetro de rolamento (m)

1,924


Velocidade – 1 000 rpm (km/h)

- 1a

8,82


- 2a

16,32


- 3a

26,35


- 4a

37,06


- 5a

46,20


  1. Todas as performances medidas com ½ carga útil

(*) Binário temporário

Características dinâmicas

Para lá do cumprimento antecipado da norma EURO 4 referente a emissões e da erradicação das partículas conseguida graças ao filtro de partículas (FAP), este novo motor confere ao 307 um sensível progresso em termos de sobriedade.


Comparativamente com a versão DW10ATED de 79 kW, o consumo misto da berlina reduz-se de 0,3 litros, atingindo agora 4,9 l/100 km.
Na cidade, a redução é de 0,9 litros, passando o consumo para 6,1 l/100 km.
Também as performances apresentam uma melhoria generalizada, com os 0 a 100 km/h a serem atingidos em 12,3 segundos (12,7 segundos com o DW10ATED) e a recuperação 80-120 km/h em 5ª velocidade a demorar 13,3 segundos (13,8 segundos com o DW10ATED).
Para além da suavidade e do prazer de condução já reconhecidos no DW10ATED, este novo motor oferece melhores performances subjectivas, com subidas em regime mais vivas e mais lineares, que proporcionam uma notável continuidade da aceleração.



/9
IOC.COM.01.02b



Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal