Planejamento 2013 FÍsica



Baixar 25.91 Kb.
Encontro04.08.2016
Tamanho25.91 Kb.

planejamento 2013

FÍSICA


Bahiense




U
ma das mais importantes capacidades do homem é acumular conhecimentos. Isso permite a cada geração partir do ponto em que a anterior chegou, sem precisar recomeçar do zero.

A primeira tarefa do estudioso é, então, conhecer o que já foi feito na sua área de estudo para então ampliar as competências e dar sua contribuição à construção do conhecimento. Todavia o progresso do conhecimento não se faz por simples acúmulo, pois não herdamos apenas a sabedoria do passado, mas também os erros.

A história da Física nos oferece muitos exemplos disso. Copérnico, Galileu e Einstein entre outros, se notabilizaram tanto pelas proposições novas como pela negação do que era aceito como verdade.

Como toda ciência, a Física, é uma forma de conhecimento, uma das maneiras de que o ser humano dispõe para descrever e controlar os fenômenos naturais. Ela não é única, mas é, sem contestação, a mais eficiente. As suas aplicações tecnológicas se multiplicam vertiginosamente e pode-se dizer que não há campo da atividade humana que ele não influa de modo decisivo nos dias de hoje. Uma relação de todas essas aplicações seria impossível, mas vamos dar a seguir um panorama das aplicações da Física no mundo contemporâneo por área ou setor da atividade humana:



  • Na geração e produção de energia: A energia elétrica, nossa principal fonte de energia, é produzida a partir da indução eletromagnética – fenômeno físico descoberto em meados do século XIX, pelo qual a energia de rotação de turbinas se transforma em energia elétrica. Essa energia de rotação, por sua vez, se origina das águas em desnível ou do vapor gerado pela queima de combustível fóssil – carvão ou derivados de petróleo – ou energia nuclear.

  • Nos transportes: Os motores a explosão de todos os veículos automotores, assim como as turbinas dos aviões, são aplicações de um ramo específico da física – a termodinâmica. Alguns trens mais modernos estão sendo construídos para flutuar magneticamente sobre os trilhos, aplicação de uma descoberta recente – a supercondutividade. Os túneis de vento, aplicação da fluidodinâmica, possibilitam a construção de veículos de forma aerodinâmica, que lhes facilita movimentação através do ar, reduzindo o consumo de energia e aumentando a sua velocidade.

  • Nas telecomunicações e na eletrônica: O eletromagnetismo possibilitou o envio das primeiras mensagens através de fios, quando surgiu o telégrafo e o telefone, e também a geração e recepção de ondas eletromagnéticas, dando origem ao rádio e à televisão. A física moderna propiciou a descoberta do laser e de novos materiais próprios à confecção de transistores, circuitos integrados, chips e à criação de dezenas de diferentes equipamentos eletrônicos, do telefone celular aos relógios e computadores, que modificam sensivelmente a vida em nosso planeta.

  • Na medicina: Os raios X revolucionaram a forma de fazer diagnósticos e, mais tarde, a ultra-sonografia e a ressonância magnética vieram ampliar ainda mais essa possibilidade. A contribuição da física à medicina se aplica a todas as suas áreas e especialidades: marcapassos, próteses, equipamentos para monitoramento de pacientes e para cirurgias tornaram as clínicas e hospitais modernos mais parecidos com instituições de pesquisa em física do que com casas de saúde.

  • Na pesquisa científica: A pesquisa científica, em qualquer área, utiliza ferramentas e equipamentos específicos como detectores e instrumentos de medida de precisão. A própria pesquisa em física utiliza dezenas de equipamentos que ela mesma tornou possível, entre eles os aceleradores de partículas – as maiores e mais fantásticas máquinas do planeta – com os quais os físicos procuram descobrir a estrutura íntima da matéria e a origem do universo.

É claro que uma lista como esta será sempre incompleta. Não só porque seria desnecessariamente extensa como também porque, a todo momento, surgem novas descobertas e aplicações.






Unidade I


  1. Dinâmica. (continuação)

1.1. Energia.

1.1.1. Energia cinética.

1.1.2. Energia potencial.

1.1.3. Energia mecânica.

1.2. Quantidade de movimento.

1.3. Impulso.

1.4. Teorema do impulso.

1.5. Conservação da quantidade de movimento.

1.6. Colisões.

1.7. Gravitação universal.


Unidade II


1.8. Hidrostática.

1.9. Movimento harmônico simples.



  1. Óptica geométrica.

2.1. Definições, conceitos e princípios.

2.2. Reflexão – Leis da reflexão.

2.2.1. Espelhos planos.

2.2.2. Espelhos esféricos.

2.3. Refração – Leis da refração.

2.3.1. Reflexão total, dioptro plano, lâmina de faces paralelas e prisma.

2.4. Lentes esféricas.

Unidade III


  1. Eletrostática.

3.1. Princípios da eletrostática.

3.2. Processos de eletrização.

3.3. Lei de Coulomb.

3.4. Campo elétrico.

3.5. Potencial elétrico.

3.6. Trabalho da força elétrica.



  1. Eletrodinâmica.

4.1. Corrente elétrica.

4.2. Resistores.

4.2.1. Resistência elétrica.

4.2.2. Lei de Joule.

4.2.3. Resistividade.

4.2.4. Associação de resistores.


SITES


  • www.fisica.net

  • www.fisicafacil.pro.br

  • www.fisicainterativa.com

  • www.sbfisica.org.br

  • www.sbf1.sbfisica.org.br/olimpiadas

  • www.fis.ufba.br

Bibliografia


  • Moderna Plus Vol. 1 e 2 – Ed. Moderna (Ramalho, Nicolau e Toledo).


COMO VOCÊ DEVE ESTUDAR NOSSA DISCIPLINA


A Física tem a Matemática como sua principal ferramenta de trabalho. Sendo assim é fundamental uma base de Matemática bem consolidada.

Como toda matéria exata, é necessária uma prática regular de exercícios que envolvem a teoria estudada em sala de aula.

Em seu estudo diário, o aluno deve revisar a teoria seguindo-se a resolução de exercícios.

Procurar associar o conhecimento adquirido em sala com suas respectivas explicações no seu cotidiano também é uma forma de ajuda.





©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal