Planejamento anual



Baixar 40.37 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho40.37 Kb.


COLÉGIO ESTADUAL “JOÃO XXIII”
Disciplina: História Profº Givaldo Santos de Jesus1

Série: 1ª do Ensino Médio Ano letivo: 2011

PLANEJAMENTO ANUAL




I – APRESENTAÇÃO:
A disciplina História na 1ª Série do Ensino Médio permite aos alunos, o estudo das ações humanas estabelecendo uma relação do passado com o presente e um olhar para o futuro. Os objetivos gerais são baseados nos princípios norteadores estabelecidos pelos PCN’s (Parâmetros Curriculares Nacionais) para o ensino de História no nível Médio. Espera-se que ao longo desta série os alunos possam ampliar a compreensão de sua realidade, relacionando-a com outras realidades históricas; abrir a discussão do conhecimento histórico possibilitando o debate e questionamentos das relações econômicas, políticas, sociais e culturais em diferentes tempos e espaços. Dessa forma, espera-se que a disciplina História colabore na construção da cidadania e que leve os alunos a pensarem de forma autônoma e crítica, a sociedade global em que estão inseridos, além de prepará-los para o vestibular.
II – OBJETIVOS:

2.1 - OBJETIVOS GERAIS: O ensino de História na 1ª Série do Ensino Médio atende à necessidade de desenvolver competências intelectuais quanto à tarefa de formar cidadãos para uma vida solidária e democrática, trabalhando além do conteúdo programático de História, temáticas importantes como: Letramento, Direitos humanos; Meio ambiente; Diversidade cultural e étnico-racial, e Saúde e prevenção na escola. Nesse sentido, apresentam-se como objetivos gerais:

- Compreender as características da sociedade atual, identificando as relações sociais e econômicas, os regimes políticos, as questões ambientais, comparando-as com as características de outros tempos e lugares;

- Valorizar o patrimônio sociocultural e respeitar as diferenças entre as pessoas, os grupos e os povos, considerando-as um elemento importante da vida democrática;

- Desenvolver uma atitude de solidariedade e compromisso social, valorizando a justiça e os direitos fundamentais do ser humano;

- Desenvolver a competência leitora, aprendendo a observar, interpretar e emitir opiniões sobre diferentes tipos de textos, contínuos ou descontínuos.

- Entender a importância da pesquisa como instrumento para o conhecimento do passado e o entendimento do presente;

- Construir e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para a compreensão de fenômenos naturais, de processos histórico-geográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas;

- Construir a identidade pessoal e social na dimensão histórica, a partir do reconhecimento do papel do indivíduo nos processos históricos simultaneamente como sujeito e como produto dos mesmos;

- Conhecer e valorizar a pluralidade do patrimônio sociocultural brasileiro, bem como aspectos socioculturais de outros povos e nações, posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social, de crenças, de sexo, de etnia ou outras características individuais;

- Compreender que a saúde é um direito de todos e uma dimensão essencial do crescimento e desenvolvimento do ser humano.
2.2 – OBJETIVOS ESPECÍFICOS: Os objetivos específicos do ensino de História nesta série atende à necessidade de desenvolver habilidades e competências intelectuais quanto à tarefa de formar cidadãos para uma vida solidária e democrática. Nesse sentido, apresentam-se como objetivos:

- Construir uma idéia clara dos acontecimentos e de sua sucessão no tempo;

- Localizar os acontecimentos no tempo e relacioná-los segundo critérios de anterioridade, posterioridade e simultaneidade;

- Questionar a realidade atual, identificando os principais problemas e apresentando propostas de solução, considerando seus próprios limites e possibilidades;

- Utilizar fontes históricas em suas pesquisas escolares;

- Desenvolver iniciativas e autonomia na realização de trabalhos individuais e coletivos;

- Valorizar a paz como forma de solução dos conflitos.

- Aperfeiçoar o uso das tecnologias como ferramentas importantes para o processo ensino-aprendizagem;

- Compreender a cidadania como um processo em construção através da participação social e política, exercendo direitos e deveres, e adotando no dia-a-dia atitudes de solidariedade e repúdio às injustiças;

III – CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA UFS:

* PRIMEIRO BIMESTRE:

- Introdução à História: Conceitos, Funções, Fontes. Relações da História com as demais Ciências Humanas. A Questão do Patrimônio Cultural;

- A Hominização. A Revolução Neolítica. Pré-História Americana, Brasileira e Sergipana;

- As Civilizações do Oriente: Egípcios, Povos Mesopotâmicos, Hebreus e Persas;

* Objetivos:

- Perceber que a História é a ciência que estuda as ações humanas no tempo, destacando a importância da relação presente/passado para o estudo da história;

- Compreender como atuam os historiadores, como examinam as fontes e como o presente orienta o trabalho que realizam;

- Analisar conceitos como sujeito histórico, tempo histórico e os diferentes tipos de fontes históricas;

- Comparar diferentes visões a respeito da origem da vida no planeta;

- Constatar que o ser humano é o resultado de um longo processo evolutivo;

- Comparar o modo de vida do homem do Paleolítico com o do Neolítico e destacar as mudanças que a revolução agrícola trouxe para as sociedades humanas e a natureza;

- Reconhecer e diferenciar as principais hipóteses e teorias sobre a chegada dos primeiros seres humanos à América;

- Entender a importância da invenção da escrita para o desenvolvimento das atividades comerciais nas civilizações fluviais da Antiguidade;

- Conhecer a importância do Rio Nilo para a civilização egípcia e reconhecer na religiosidade uma das formas de manifestar essa importância;

- Comparar o modo de vida no Egito com o da Mesopotâmia;

- Reconhecer a Bíblia como principal fonte de estudo do povo hebreu, percebendo, diante disso, as dificuldades encontradas pelos historiadores;
* SEGUNDO BIMESTRE:

- As Civilizações Clássicas: Grécia e Roma;

- O Império Bizantino. O Islão e os povos que o difundiram;

- A Igreja Medieval;

- A Sociedade Medieval;

* Objetivos:

- Entender a importância da configuração natural grega para o desenvolvimento de uma civilização de navegadores;

- Compreender os conceitos de democracia e oligarquia e diferenciá-los, a partir das experiências históricas de Atenas e Esparta;

- Comparar a experiência democrática de Atenas com aspectos da democracia vigente no Brasil atual;

- Identificar aspectos da vida privada, da produção artística, do comportamento e da linguagem dos antigos gregos;

- Localizar aspectos históricos e geográficos relacionados à origem de Roma, destacando a importância dos etruscos no processo de formação da cidade;

- Compreender a importância do trabalho escravo na sociedade romana e reconhecer a revolta liderada por Espártaco;

- Caracterizar o grupo social dos patrícios e o dos plebeus, explicando os fatores que geraram os conflitos entre eles;

- Estabelecer semelhanças e diferenças entre a monarquia e a república romana, identificando as conquistas dos plebeus nesse processo;

- Perceber a importância política da oferta de alimentos e diversões em Roma (política do pão e circo);

- Sintetizar os principais fatores que levaram à queda do Império Romano do Ocidente;

- Identificar, geograficamente, o Império Romano do Ocidente e o do Oriente, destacando os fatores e os efeitos dessa divisão;

- Identificar as principais características da civilização árabe e perceber que o mundo islâmico representa, atualmente, um contraponto importante aos valores da civilização ocidental;

- Perceber que a sociedade feudal se formou a partir da desintegração do Império Romano do Ocidente e das invasões bárbaras, combinando elementos de origem romana e germânica;

- Identificar as principais características da economia feudal, voltada para a subsistência, e compará-la com aspectos da sociedade atual;

- Reconhecer na igreja católica a instituição feudal mais importante na organização da vida cultural e social na Idade Média;

- Entender a importância das atividades comerciais e agrícolas para a retomada da vida urbana na Europa a partir do século XI e identificar os grupos sociais que então se desenvolveram.

* TERCEIRO BIMESTRE:

- Transição do Feudalismo para o Capitalismo;

- O Renascimento e as Reformas Religiosas;

- Os Estados Nacionais, o Mercantilismo e a Expansão Marítima Européia;

- A Situação Mundial nos séculos XV e XVI: África, Ásia e América;

* Objetivos:

- Identificar as principais características da política mercantilista;

- Explicar as principais razões do pioneirismo ibérico nas Grandes Navegações;

- Perceber as principais características das viagens marítimas portuguesas e diferenciá-las das espanholas;

- Perceber que o Renascimento representou não só uma nova manifestação estética, mas também novas visões do mundo e do homem, e que suas conquistas perduram até hoje;

- Reconhecer a Reforma como um movimento de duplo caráter: como uma resultante política do conflito entre a igreja Católica e a emergência do poder real e como a expressão religiosa das mudanças que ocorriam nas outras instâncias da sociedade;

- Identificar na burguesia e nos setores emergentes da cidade a base social que sustentou a nova arte e a nova maneira de se relacionar com o mundo terreno e o mundo espiritual;

- Diferenciar a doutrina católica das doutrinas calvinista e luterana.
* QUARTO BIMESTRE:

- Conquista e Colonização de Sergipe;

- Povos Indígenas e Africanos no Brasil Colonial;

- O Estado Colonial Português;

- A Economia do Brasil Colonial;

- O Brasil Holandês e o papel de Sergipe;

- Cultura Popular no Brasil Colonial.

* Objetivos:

- Identificar as principais características da colonização espanhola e portuguesa na América, do ponto de vista social, econômico e político;

- Apontar como viviam os tupis antes da chegada dos portugueses;

- Compreender e respeitar a diversidade cultural dos povos indígenas americanos;

- Citar a diversidade da economia colonial;

- Identificar os fatores da escravização dos africanos e o processo de obtenção dessa mão-de-obra;

- Apontar as principais características da vida nos engenhos, diferenciando as modalidades de fazendeiros de cana da época colonial;

- Analisar as diferenças entre duas abordagens historiográficas sobre as relações entre senhores e escravos;

- Compreender as principais características da conquista e colonização de Sergipe;

- Identificar os principais aspectos da presença holandesa no Brasil e em Sergipe;

- Compreender os objetivos das expedições paulistas na exploração do interior e reconhecer o seu papel na escravização dos indígenas;

- Caracterizar as missões jesuíticas como aldeamentos destinados à conversão do indígena;

- Identificar e ordenar os principais acontecimentos que marcaram o aumento do controle português sobre sua colônia americana, a partir da segunda metade do século XVII;

- Compreender a educação brasileira atual com a existente no período colonial;

- Valorizar o patrimônio cultural construído no Brasil por diferentes povos.


IV – METODOLOGIA:
O processo de ensino-aprendizagem será desenvolvido a partir das experiências e do conhecimento prévio dos alunos para chegar à sistematização do conhecimento científico. O trabalho privilegiará aulas expositivas e a prática dialógica, levando em conta o contexto em que estão inseridos os alunos, a produção historiográfica referente ao conteúdo programático e o professor que proporcionará a exposição do conteúdo e o debate de forma articulada entre a História econômica, política, social e cultural, possibilitando o surgimento de vozes de grupos e classes sociais antes silenciadas e relacionando a História com as demais ciências Humanas. O conhecimento histórico deve ser trabalhado de forma que desenvolva nos alunos a autonomia intelectual e o pensamento crítico, bases importantes da formação da cidadania, preparando os alunos para viver em sociedade e para o vestibular.

Conhecer o passado nos permite compreender melhor a realidade em que vivemos. Para facilitar este estudo empregaremos diferentes linguagens: o cinema, a música, a televisão, a internet, etc. O professor deve ser autônomo em seu planejamento, utilizando textos, imagens, livros didáticos e paradidáticos, ou seja, atividades correspondentes ao cotidiano dos alunos e aos objetivos de trabalho estimulando o conhecimento de novas realidades e a produção de textos, pesquisas históricas, murais explicativos, entre outros.




V – PROCEDIMENTOS DIDÁTICOS:
- Aulas expositivas;

- Aulas multimídias (filmes históricos, documentários, TV escola, slides, sites de pesquisa, blogs, músicas, dentre outros);

- Utilização do livro didático adotado pela escola como texto base;

- Leitura de textos complementares através de autores diversos;

- Organização de exposições e debates;

- Simulados, exercícios e pesquisas;

- Trabalhos individuais, em dupla ou em grupos;

- Trabalhos com a compreensão/interpretação de textos históricos e outros;

- Painel de curiosidades;

- Palestras, debates e dramatizações;

- Trabalhar com temas transversais e interdisciplinares;

- Análise de músicas;

- Confecção de painéis e cartazes;

- Aulas práticas sobre Introdução ao estudo da História, Feudalismo; Renascimento e Economia Colonial;

- Resolução de questões de diversas Universidades do Brasil e de Sergipe, revisando o conteúdo trabalhado;

- Painel de informações sobre o vestibular;

- Sugestões de filmes e documentários: Guerra do Fogo; O Gladiador; Germanos; Coração Valente; Mentalidades na Idade Média; A Conquista do Paraíso; Vista minha pele, entre outros.
VI – RECURSOS DIDÁTICOS:
- Quadro, pincel e apagador;

- Apostilas, resumos, dicionários;

- Textos complementares;

- Retroprojetor e transparências;

- Tv e vídeo, equipamentos de som, data-show;

- Livros didáticos, paradidáticos e revistas;

- Utilização de mapas, globos, bolas e materiais concretos;

- Acervo da biblioteca pública municipal e biblioteca da escola.

- Computador, internet (sites de pesquisa) – Laboratório de informática;

- Jogos educativos, entre outros.



VII – PROJETOS:

1. Direitos Humanos: É hora de refletir e agir – O projeto visa desenvolver atividades pedagógicas que proporcionem mudanças de postura de alunos e professores na direção de uma educação voltada para os direitos humanos e de inclusão social e cultural.

2. Diagnóstico Ambiental de Ribeirópolis-SE – Diagnosticar as áreas ambientais degradadas e vulneráveis no município de Ribeirópolis-Se, a fim de conhecer melhor o meio ambiente e trabalhar a Educação Ambiental de forma global e local, propondo mudanças de comportamento, usando os recursos naturais de forma equilibrada e correta.

3. Saúde e prevenção na escola – O projeto visa compreender que a saúde é um direito de todos e uma dimensão essencial do crescimento e desenvolvimento do ser humano.

4. Relações étnico-raciais – O projeto visa construir uma identidade pessoal e social na dimensão histórica, valorizando a diversidade dos povos e nações, posicionando-se contra qualquer forma de discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social, de crenças, de gênero e de etnia.
5. Excursão com projeto definido e autorização dos pais:

* Excursão para Xingó – Tem como objetivo facilitar o processo ensino-aprendizagem através das disciplinas História, Geografia, Física e Biologia de forma interdisciplinar, mostrando na prática a teoria trabalhada em sala de aula, combatendo a evasão, a repetência e promovendo mudanças de postura na direção de uma educação menos excludente.



VIII – ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES PEDAGÓGICAS:

O acompanhamento e avaliação visam identificar o desenvolvimento das atividades planejadas durante as aulas e o desenvolvimento das atividades propostas. A avaliação deve abranger não apenas as atividades, mas também a própria estratégia, sem com tudo perder de vista a meta a ser alcançada. Através da avaliação qualitativa podemos identificar os acertos a as insuficiências, norteando e reconstruindo as atividades de forma que atinjam os objetivos propostos. Dessa forma, a avaliação representa um momento de reflexão sobre a prática das atividades, servindo de indicadores para o bom desenvolvimento do processo ensino-aprendizagem e para a construção de uma escola melhor e menos excludente.



IX – AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM:
No processo de avaliação é importante considerar o conhecimento prévio dos alunos e relacioná-los com as mudanças que ocorreram no processo de ensino e aprendizagem. Deve-se identificar a apreensão dos conteúdos, conceitos, procedimentos e atitudes dos alunos comparando o antes, o durante e o depois. A avaliação deve também contemplar uma auto-avaliação do docente refletindo sobre as intervenções didáticas e os seus resultados possibilitando o replanejamento ou não das atividades. Os instrumentos de avaliação serão: participação oral dos alunos durante as aulas; atividades extraclasse; produções individuais, em dupla ou em grupos; provas de v ou f, múltipla escolha, dissertativas, simulados, entre outras.


X – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ARRUDA, José Jobson de A e PILETT, Nelson. Toda a História: História Geral e do Brasil. 8ª ed. São Paulo: Ática, 1999.
BRASIL, Ministério da Educação/Secretaria de Educação Média e Tecnologia. Parâmetros

Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, 1999.


BRASIL, Ministério da Educação/Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana. Brasília: Ministério da Educação, 2005.
COTRIM, Gilberto. História Global: Geral e do Brasil. São Paulo: Saraiva, 1999.
CORRÊA, Antônio Wanderley de Melo e ANJOS, Marcos Vinícius dos. História de Sergipe para Vestibulares e outros concursos. Aracaju: Infographic’s Gráfica e Editora, 2003.
FIGUEIRA, Divalte Garcia. História: Série Novo Ensino Médio. Vol. Único. São Paulo: Ática. 2002.
MELLO, Leonel Itaussu Almeida e COSTA, Luís César Amad. História Antiga e Medieval. São Paulo: Scipione, 1999.
___________________________________. História Moderna e Contemporânea. São Paulo: Scipione, 1999.

____________________________________, História do Brasil. São Paulo: Scipione, 1999.


MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO/Secretaria da Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Orientações e Ações para a Educação das Relações Étnico-raciais. Brasília: SECAD, 2006.
PETTA, Nicolina Luiza de. e OJEDA, Eduardo Aparício Baez. História: Uma Abordagem Integrada. 1ª ed. Vol. Único. São Paulo: Moderna, 2001.

SANTOS, Lenalda Andrade e OLIVA, Terezinha Alves. Para Conhecer a História de Sergipe. Aracaju: Opção Gráfica, 1998.


SERIACOPI, Gislaine Campos Azevedo e SERIACOPI, Reinaldo. História: Volume Único. 1ª Ed. São Paulo: Ática, 2007. (Livro adotado pela escola).
VICENTINO, Cláudio e DORIGO, Giannpaolo. História Geral e do Brasil. Vol. Único. São Paulo: Scipione, 2001. (Série Parâmetros).



1 Graduado em História, Pós-graduado em Educação e Gestão, e Mestre em Geografia Agrária pela Universidade Federal de Sergipe.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal