Plano de aula a contribuição da literatura no combate ao racismo e ao preconceito



Baixar 23.38 Kb.
Encontro03.08.2016
Tamanho23.38 Kb.


Universidade de São Paulo

Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo

Curso de Pedagogia
Plano de aula

A contribuição da literatura no combate ao racismo e ao preconceito

Aluna: Érika Carla Tavares de Andrade Perez

Nº USP 5725303

Turno: Noturno

Disciplina: Metodologia e fundamentos da alfabetização em países de língua oficial portuguesa: uma introdução

Profa. Dra. Nilce da Silva


São Paulo

2011
COMUNIDADE EM QUE ESTÁ INSERIDA A ESCOLA


A Escola está inserida no Bairro Jardim Antártica. A distância do bairro para o centro da cidade é de aproximadamente 20 km. A escola está situada próxima à estrada Santa Inês, que liga São Paulo à cidade de Mairiporã.

A população escolar do Bairro Jardim Antártica provém de famílias de uma classe pobre, compostas por pessoas sem atividade profissional definida. Moram em habitações populares e em outras habitações construídas de forma irregular. A faixa salarial dessas famílias fica em torno de um salário mínimo e o índice de natalidade na região é considerado alto1.

Devido ao elevado índice de natalidade, ao baixo salário e consequentemente à precária condição de higiene, os alunos geralmente apresentam-se subnutridos; o rendimento escolar é baixo e tampouco possuem aspirações para o futuro e as expectativas se resumem a conseguir um emprego de caixa, manicure ou ajudante de pedreiro. Poucos cogitam a possibilidade de ingresso no ensino superior.

O principal e mais preocupante problema dos alunos da escola Ministro Dilson Funaro é a falta de estrutura familiar, pois essas crianças, quando não ficam sozinhas em casa, ficam na creche da comunidade grande parte do dia. Os pais, por sua vez, acabam priorizando a alimentação sem se preocupar com a vida escolar de seus filhos. Cabe ressaltar que essas pessoas convivem diariamente com a marginalidade e, quando ameaçadas, fogem deixando tudo pra trás2.





  1. Plano de Aula:

Data da elaboração: 25 de agosto de 2011

Data da aplicação: 13 e 14 de outubro de 2011

Duração das atividades: duas horas e meia



  1. Dados de Identificação:

Escola Estadual Ministro Dilson Funaro

Professor (a): Silvia Ribeiro

Professora-estagiária: Érika Carla Tavares de Andrade Perez

Disciplina: Português / Artes

Série: 1º ano do Ensino Fundamental

A sala é composta por 28 alunos e uma professora, sendo 15 meninos e 13 meninas, na faixa etária dos sete anos.

Os alunos pertencem à família de baixa renda. A sala é composta por alunos brancos, negros e mulatos, na sala não possui alunos de origem oriental. E também não possui portadores de necessidades especiais.

Turma: A

Período: tarde

Local em que a aula será aplicada: sala de aula composta por 28 alunos e uma professora. A sala possui paredes claras e bem conservadas, possui também dos blocos de madeira para fixação de trabalho.




  1. Tema: A contribuição da literatura no combate ao racismo e ao preconceito

  2. Conteúdo: gêneros textuais (conto)




  1. Objetivos

Objetivo geral

  • Proporcionar às crianças um primeiro contato com o gênero textual (conto).

  • Fornecer aos alunos informações sobre a cultura negra.

  • Propor aos alunos mudanças de atitudes e pensamentos.


Objetivos específicos:

  • Estimular diálogo entre a professora-estagiária e os alunos.

Este diálogo será norteado por questionamentos, trocas de ideias, exposições de relatos e situações vividas.

Desenvolvimento do tema:

Primeiro dia (13/10/2011)

1º passo: cada aluno(a) receberá uma folha sulfite e apenas um lápis de cor. A professora-estagiária pedirá para cada aluno fazer um desenho bem bonito com esse material.

2º passo: A professora-estagiária pedirá para cada aluno fazer um segundo desenho, só que agora com várias cores.

3º passo: após a elaboração dos desenhos, a professora-estagiária iniciará um questionamento com as seguintes perguntas: Vocês gostaram dos desenhos? O desenho fica mais bonito com apenas uma cor ou com várias cores?
Segundo dia (14/10/2010)

1º passo: A professora-estagiária irá apresentar para sala um vídeo que narra e ilustra o livro “Romeu e Julieta” da autora Ruth Rocha (2000). O livro narra as aventuras de duas crianças-borboletas, elas vão mostrar que a amizade está além da cor.

2º passo: Ao termino do vídeo, a professora-estagiária dará inicio a um segundo questionamento com as seguintes perguntas: O que vocês acharam da história “Romeu e Julieta”? Qual era a regra? O que a borboleta azul fez? Porque a regra foi descumprida? Separar as pessoas por cor é certo ou errado? Porque isso ocorre? Vocês conhecem pessoas que sofreram algum tipo de preconceito?

3º passo: Por último, as crianças irão confeccionar uma linda borboleta utilizando materiais tais como: cartolina colorida, tintas, tubo de papel higiênico, etc.


  1. Recursos didáticos: revistas, papel sulfite, canetinhas, colas, cartolinas, tesoura, tintas, tubos de papel higiênico (para fazer o corpo das borboletas), barbante e computador com internet ou DVD/televisão.



  1. Avaliação:

  • participação dos alunos;

  • compreensão da história;

  • compreensão da interpretação da história;

  • atentar para possíveis manifestações de discriminação e,

  • refletir com os alunos a questão do preconceito.



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ESCOLA ESTADUAL MINISTRO DILSON FUNARO. Projeto Político Pedagógico. São Paulo, SP, 2011.

Geledés Instituto da Mulher Negra. Disponível em: http://www.geledes.org.br. Acesso em: 25 ago. 2011.

ROCHA, Ruth. Romeu e Julieta. São Paulo: Ática, 2000.

ROMEU E JULIETA RUTH ROCHA.wmv. Youtube. Enviado por Tabbia 01 em 02 de outubro de 2010.



1 Informação retirada do Projeto Político Pedagógico da Escola Ministro Dilson Funaro, 2011.

2 Ibid.



©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal