Plano de curso



Baixar 1.05 Mb.
Página1/10
Encontro05.08.2016
Tamanho1.05 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   10




INSTITUTO
FEDERAL
PARANÁ Campus Curitiba
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO






PLANO DE CURSO


1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO

PROCESSO

NÚMERO:



NOME DO CURSO: TÉCNICO EM RADIOLOGIA




EIXO TECNOLÓGICO: SAÚDE, AMBIENTE E SEGURANÇA




COORDENAÇÃO
Coordenador: Marinei Rocio Pacheco do Santos
E-mail: radiologia@ifpr.edu.br Vice-Coordenador: Marcos Otaviano da Silva
E-mail: marcos.silva@ifpr.edu.br

LOCAL DE REALIZAÇÃO/CAMPUS: CAMPUS CURITIBA



TEL: 3595-8804

HOME-PAGE:

E-MAIL:




www. curitiba. ifpr. edu. br

direcao.ensino.curitiba@ifpr.edu.br























RESOLUÇÃO DE CRIAÇÃO: Resolução 05/03 do Conselho Diretor da ETUFPR convalidada pela Resolução 42/10 do Conselho Superior



2. CARACTERÍSTICAS DO CURSO
































































NÍVEL

FIC







TÉCNICO

x




SUPERIOR
























































































OFERTA

PRESENCIAL x










A DISTÂNCIA




















































MODALIDADE

INTEGRADO













PROEJA







TECNOLÓGICO








































SUBSEQUENTE










x

BACHARELADO







LICENCIATURA














































CONCOMITANTE












































































PARCERIA COM OUTRAS INSTITUIÇÕES:

ESPECIFICAR:

























Nome:
















SIM

NÃO

x

Endereço:





































Telefone:













E-mail:


































PERÍODO DO CURSO: manhã




INÍCIO: Março




TÉRMINO: Dezembro do ano




























subsequente




























CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS: 1246 h

NÚMERO DE VAGAS:




ESTÁGIO SUPERVISIONADO: 600 h






















CARGA HORÁRIA TOTAL: 1846 h
















MÍNIMO 20

MÁXIMO 30











































3. ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO
3.2 Objetivos
OBJETIVO GERAL
- Formar profissionais habilitados a manipular e processar imagens radiológicas, otimizando o uso das tecnologias disponíveis e diminuindo as perdas operacionais na realização de exames radiológicos, bem como, reduzir os custos impróprios, o acúmulo da dose de radiação e principalmente o diagnóstico errôneo que pode trazer como consequência desde repetições indesejáveis de procedimentos até a adoção de condutas clínicas e cirúrgicas impróprias para a saúde do paciente.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
São objetivos específicos do curso formar profissionais capazes de:


  • Compreender as atividades de seleção da técnica a ser utilizada, a partir dos pedidos de exames e o preparo específico do paciente de acordo com o método de visualização de imagem;

  • Posicionar o paciente corretamente e submetê-lo ao exame solicitado operando com precisão o aparelho e/ou equipamento utilizados em radiodiagnóstico, seguindo protoco-los pré-estabelecidos;

  • Processar filmes radiológicos convencionais, bem como imprimir filmes com tecnologia digital.

  • Manipular, reconstruir e processar imagens utilizando-se de metodologias digitais;

  • Compreender as atividades de processamento químico dos filmes radiográficos através de diferentes métodos.

  • Auxiliar na administração dos meios de contraste químico para estudo de processos fisi-ológicos ou patológicos de exames radiológicos dinâmicos observando os princípios de biossegurança.

  • Realizar as atividades prescritas no tratamento de acordo com as especificidades da fi-cha técnica e a rotina do atendimento estabelecido, buscando o aprimoramento das téc-nicas radiológicas.

  • Compreender os efeitos deletérios da radiação ionizante e as normas de proteção radio-lógica.

  • Utilizar os métodos corretos de controle e proteção radiológica para o profissional, o pa-ciente e o ambiente.

  • Avaliar as possíveis reações adversas do paciente na realização do exame, agindo em situações de urgência, sob supervisão profissional competente;

  • Prover a formação de um profissional capacitado e que atue dentro dos preceitos éticos possibilitando assim um atendimento humanizado.




    1. Requisitos de acesso

O acesso ao Curso Técnico em Radiologia, na modalidade subsequente será realizado através de processo seletivo regulamentado pela Pró-Reitoria de Ensino, Pesquisa e Pós-Graduação da Instituição, sendo que a idade mínima dos candidatos deverá ser de 18 anos.

O ingresso deverá, obrigatoriamente, apresentar exame de sanidade e capacidade física, o qual incluirá um exame hematológico, de acordo com a Lei nº 7394/85 e Decreto nº 92790/86 que regula o exercício da profissão, apresentando-o no ato da matrícula, sob a pena de perder a vaga.


3.4 Perfil profissional de conclusão
O técnico em radiologia faz parte de uma equipe multidisciplinar de saúde e deve ter uma postura ética e humanizada, buscando um padrão de qualidade para a imagem que seja ideal para o diagnóstico preciso, ou seja, expondo o paciente ao mínimo de dose de radiação possível para a obtenção de um bom exame radiológico.

Além disso, o profissional regulamentado por lei, deve ser possuidor de competências que lhe permitam desenvolver sua profissão em centros de diagnósticos, clínicas, pronto-socorros, unidades de saúde, sejam nos setores privado ou público.


Os discentes ao término do curso deverão ser capazes de:


  • Conhecer as formas contemporâneas de linguagem, com vistas ao exercício da cidadania e à preparação básica para o trabalho, a formação ética e o desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico;

  • Possuir compreensão de anatomia e fisiopatologia humana, bem como na formação de imagens e nas medidas de proteção radiológica;

  • Desenvolver técnicas de enfermagem para prestar pequenos atendimentos e realizar exames contrastados sob supervisão médica, tomando as medidas de primeiros socorros quando for necessário;

  • Zelar pelo conforto dos pacientes, transmitindo-lhes segurança acerca dos procedimentos clínicos a serem realizados;

  • Aplicar normas técnicas de saúde, segurança do trabalho e meio ambiente;

  • Operar os equipamentos radiológicos satisfatoriamente e com a otimização de recursos;

  • Identificar os determinantes e condicionantes do processo saúde-doença;

  • Identificar a estrutura e organização do sistema de saúde vigente;

  • Interpretar e aplicar normas do exercício profissional e princípios éticos que regem a conduta do profissional de saúde, assim como a legislação vigente;

  • Interpretar e aplicar a legislação referente aos direitos dos usuários;

  • Avaliar riscos de iatrogenias, ao executar procedimentos técnicos;

  • Utilizar recursos e ferramentas de informática específicas da área;

  • Identificar formas de contaminação e infecção hospitalar, visando a prevenção do choque pirogênico na administração intravenosa de meios de contraste radiológico;

  • Identificar, avaliar e aplicar corretamente as rotinas e/ou protocolos de trabalho;

  • Registrar ocorrências e serviços prestados de acordo com exigências do campo de atuação;

  • Prestar informações ao paciente e aos demais profissionais do setor sobre os procedimentos realizados;

  • Saber os limites de dose de radiação a qual o trabalhador e o público em geral podem ser expostos;

  • Aplicar os conhecimentos adquiridos em benefício de seu trabalho, pesquisando novas tecnologias de mercado;

  • Desenvolver as atividades com competência usando as habilidades adquiridas pela sua formação.




  1. Organização curricular a. Matriz Curricular

A organização curricular do Curso Técnico em Radiologia, na modalidade subsequente, está amparada nas determinações legais presentes nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional de Nível Técnico, nos Referenciais Curriculares Nacionais da Educação Profissional e no Decreto 5.154/2004.

A organização do curso está estruturada em regime semestral com uma matriz curricular definida por disciplinas, dividida em quatro períodos letivos diurnos, acrescido de uma Prática Profissional na forma de Estágio de 600 horas. O primeiro semestre do curso compreende disciplinas de formação geral voltadas para uma compreensão crítica da profissão, subsidiando uma formação técnica/cidadã do aluno. Os três períodos seguintes se constituem de disciplinas de formação técnica, específicas da área de Saúde.



b. Práticas Pedagógicas Previstas
A organização do Curso Técnico em Radiologia, na modalidade subsequente tem como eixo norteador da aprendizagem a relação teoria-prática, dessa forma o processo pedagógico estará centrado em seminários, visitas técnicas, pesquisas, práticas laboratoriais, estudos de caso, desenvolvimento de projetos, entre outros.

c. Prática Profissional
A prática profissional permeará todo o curso, no entanto, como uma forma de propiciar uma convivência mais consistente com a área que o aluno deverá atuar, este realizará a prática profissional de 600 h (seiscentas horas), na forma de estágio supervisionado, a fim de concluir sua formação.
3.6 Critérios de avaliação de aprendizagem
A avaliação da aprendizagem nas disciplinas do curso técnico em Radiologia será realizada de forma contínua, cumulativa e sistemática. Dessa forma, a avaliação assume as funções diagnóstica, formativa e integradora, tendo como princípio fundamental o desenvolvimento da consciência crítica e constituindo instrumento colaborador na verificação da aprendizagem, com o predomínio dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos.

Diante desta perspectiva, a avaliação deverá contemplar os seguintes critérios:




  • Diagnóstico e registro do progresso do aluno e suas dificuldades;

  • Orientação ao aluno quanto aos esforços necessários para superar suas dificuldades;

  • Utilização de seus resultados para planejar e replanejar os conteúdos curriculares;

  • Inclusão de tarefas contextualizadas;

  • Utilização funcional do conhecimento;

  • Divulgação das exigências da tarefa antes da sua avaliação;

  • Exigência dos mesmos procedimentos de avaliação para todos os alunos;

  • Divulgação dos resultados do processo avaliativo;

  • Apoio disponível para aqueles que têm dificuldades;

  • Discussão e correção dos erros mais importantes sob a óptica da construção de conhecimentos, atitudes e habilidades.

Em termos quantitativos, a avaliação do desempenho escolar é feita por disciplinas semestrais, considerando -se os aspectos de assiduidade e aproveitamento, ambos eliminatórios. A assiduidade diz respeito à frequência às aulas teóricas, aos trabalhos escolares, aos exercícios de aplicação e atividades práticas, que não deve ser inferior a 75% das aulas dadas. O aproveitamento escolar é avaliado através de acompanhamento contínuo do estudante e dos resultados por ele obtidos nas atividades avaliativas, que são traduzidos em conceitos que variam de A a D, sendo que os conceitos A, B e C indicam, respectivamente, aproveitamento pleno, parcialmente pleno e satisfatório e o conceito D, aproveitamento insuficiente no componente curricular. A recuperação dos conteúdos e conceitos será realizada de forma concomitante, isto é, ao longo do período letivo, não havendo limites de componentes avaliativos.

Em suma, o conceito mínimo para aprovação na disciplina é C e a frequência mínima é de 75% sobre o total das aulas dadas, estando este em consonância com a Portaria 120/09 do Instituto Federal do Paraná.



  1. Catálogo: wp-content -> uploads -> 2010
    2010 -> Qual a contribuições da Terapia Familiar na Síndrome da Alienação Parental? 26/05/2010 Virgínia Buarque c cabral
    2010 -> Família, comunidade e desenvolvimento local
    2010 -> Por que e como formar professores/as em história e cultura afro-brasileira e africana
    2010 -> Unidade 19 – contribuiçÃO SINDICAL contribuiçÃo dos empregados
    2010 -> Gestão democrática e interaçÃo entre escolas e comunidade local
    2010 -> Dinâmica demográfica no brasil
    2010 -> FederaçÃo espírita brasileira conselho Federativo Nacional Comissões Regionais Organização e Funcionamento da Reunião Mediúnica Espírita sumário
    2010 -> Coleção ‘Imigrantes no Rio de Janeiro’ destaca chegada de judeus ao Brasil
    2010 -> Conferência IdA/Cirad-Embrapa Territórios das Américas, uma contribuição metodológica
    2010 -> Agendamento de missões – comunidade sede santos instruçÕes gerais


    Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   10


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal