Plano de ensino departamento: engenharia sanitária disciplina



Baixar 43.17 Kb.
Encontro07.08.2016
Tamanho43.17 Kb.
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC

CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI




PLANO DE ENSINO



DEPARTAMENTO: ENGENHARIA SANITÁRIA
DISCIPLINA: TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS SIGLA: TAR


PROFESSOR: SUYANNE ANGIE LUNELLI BACHMANN

E-mail: suyanne.lunelli@udesc.br


CARGA HORÁRIA TOTAL: 54h TEORIA: 54h PRÁTICA: 0h
CURSO(S): ENGENHARIA SANITÁRIA
SEMESTRE/ANO: I/2015 PRÉ-REQUISITOS:
OBJETIVO GERAL DO CURSO:

O Curso de Engenharia Sanitária do Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí – CEAVI, da UDESC/ Ibirama, objetiva formar profissionais da engenharia habilitados à preservação, ao controle, à avaliação, à medida e à limitação das influências negativas das atividades humanas sobre o meio ambiente, de modo a atender as necessidades de proteção e utilização dos recursos naturais de forma sustentável, aliando novas metodologias e tecnologias na exploração, uso e tratamento da água, nos projetos de obras de saneamento, que envolvem sistemas de abastecimento de água, sistemas de esgotamento sanitário, sistemas de limpeza urbana, bem como no desenvolvimento de políticas e ações no meio ambiente que busquem o monitoramento, o controle, a recuperação e a preservação da qualidade ambiental e da saúde pública.



EMENTA:

Características das águas residuárias; Objetivo dos tratamentos; Fundamento da analise de processo: operações físicas unitárias; Processos químicos unitários; projetos de instalação de tratamento biológicos ; projetos de instalação de tratamento e disposição de lodo; Características das águas residuárias industriais; Pré tratamento e tratamento primário ; Coagulação e precipitação ;Aeração e transferência de massa; Princípios da oxidação biológica; Processos biológicos de tratamento de águas residuárias;


OBJETIVO GERAL DA DISCIPLINA:
Proporcionar ao aluno conhecimentos sobre métodos e técnicas de tratamento de águas residuárias, bem como apresentar parâmetros e critérios específicos para dimensionamento e projetos.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS/DISCIPLINA:
- Conhecer as características do esgoto sanitário;

- Estudar os princípios da cinética de reações e da hidráulica de reatores;

- Estudar os princípios da remoção da matéria orgânica;

- Estudar os princípios da aeração;

- Aprender os métodos e técnicas de tratamento da fase líquida e da fase sólida (lodo);

- Definir critérios para elaboração de projetos (dimensionamento);


CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES:




Data

Horário

H.A.

Conteúdo

01

20/02

09:20 – 11:50

03

Apresentação do Plano de Ensino e Aprendizagem

Esgoto sanitário



02

27/02

09:20 – 11:50

03

Princípios da cinética de reações e da hidráulica de reatores

Cinética de reações

Balanço de massa

Hidráulica de reatores



03

06/03

09:20 – 11:50

03

Princípios da remoção da matéria orgânica

Caracterização do substrato e dos sólidos

Processos de conversão de matéria carbonácea e nitrogenada

Processo temporal da oxidação bioquímica e da matéria carbonácea



04

13/03

09:20 – 11:50

03

Princípios da remoção da matéria orgânica

Cinética da oxidação da matéria orgânica

Princípios do crescimento bacteriano


05

20/03

09:20 – 11:50

03

Princípios de aeração

Fundamentos da transferência de gases

Cinética da aeração

Fatores de influência na transferência de oxigênio

Taxa de transferência de oxigênio em condições padrão

Coeficientes de aeração

Sistemas de aeração mecânica e por ar difuso


06

27/03

09:20 – 11:50

03

Primeira Avaliação – P1

07

03/04

09:20 – 11:50

03

(Feriado Nacional – Semana Santa) - Recuperada no dia (06/04 das 15:10-17:50h)

Métodos e técnicas de tratamento das águas residuárias

Objetivos do tratamento

Operações, Processos e Sistemas de Tratamento da Fase Líquida

Níveis de Tratamento: Preliminar, Primário, Secundário e Terciário.

Tratamento secundário


08

10/04

09:20 – 11:50

03

Lagoas de Estabilização

Funcionamento

Critérios de dimensionamento e projeto


09

17/04

09:20 – 11:50

03

Lagoas Aeradas

Funcionamento

Critérios de dimensionamento e projeto


10

24/04

09:20 – 11:50

03

Lodos Ativados

Funcionamento

Critérios de dimensionamento e projeto


11

01/05

09:20 – 11:50

03

Lodos Ativados – Continuação (Feriado Nacional – Dia do Trabalho) – Recuperada no dia (04/05 15:10-17:50 ou 05/05 das 18:30-21:00h)

12

08/05

09:20 – 11:50

03

Sistemas Aeróbios com Biofilme

Funcionamento



13

15/05

09:20 – 11:50

03

Segunda Avaliação P2

14

22/05

09:20 – 11:50

03

Sistemas anaeróbios

Funcionamento



15

29/05

07:30 – 12:00

03

Disposição no solo

Desinfecção de Efluentes das ETE’s

-

05/06

09:20 – 11:50

-

(Feriado escolar - Corpus Christi) – Recuperada no dia (19/06)

16

12/06

09:20 – 11:50

03

Visita Técnica a uma ETE – Avaliação: Relatório da visita.

17

19/06

09:20 – 11:50

03

Entrega do Relatório da Visita Técnica

Operações, Processos e Sistemas de tratamento do Lodo (Fase Sólida) Adensamento

Digestão


Remoção da umidade

Destino final do lodo



18

26/06

09:20 – 11:50

03

Terceira avaliação P3

Somatório das H.A.

54







03/07

09:20 – 11:50




Exame


METODOLOGIA PROPOSTA:
O programa será desenvolvido através de aulas expositivas dialogadas, utilização de vídeos e aulas de exercícios.

AVALIAÇÃO:
O aluno será avaliado através de 03 (três) provas escritas e de 01(um) Relatório que serão realizadas ao longo do semestre letivo, com média final calculada da seguinte forma:
MF=(P1+ P2+P3+R1)/4


BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
NUVOLARI, Ariovaldo. Esgoto sanitário: coleta, transporte, tratamento e reúso agrícola. São Paulo: E. Blücher, 2003. 520 p. (Número de chamada: 628.3 E75)
PROSAB. Uso e manejo do lodo de esgoto na agricultura.. 1 ed. Rio de Janeiro: ABES, 1999. 97 p. (Lodo). (Número de chamada: 628.38 U86)

SPERLING, Marcos Von. Lodos ativados. Belo Horizonte: UFMG/DESA, 2012. 428 p. (Princípios do tratamento biológico de água residuárias. (Número de chamada: 628.39 S749l 3.ed. 2012)



BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
ANDREOLI, Cleverson Vitório PROGRAMA DE PESQUISA EM SANEAMENTO BÁSICO. Alternativas de uso de resíduos do saneamento. Curitiba: Rio de Janeiro: ABES, 2006. 398 p. (PROSAB ; 4.). ISBN 8570221517 (broch.). (Número de chamada: 628 A466).
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Tanques sépticos: unidades de tratamento complementar e disposição final dos efluentes líquidos : projeto, construção e operação .Rio de Janeiro: ABNT, 1997. 60 p. (Número de chamada: 628.13 A849t 1997 N)
CHERNICHARO, Carlos Augusto de Lemos (Coord. ). Pós-tratamento de efluentes de reatores anaeróbios. Belo Horizonte: Finep, 2001. 3 v. (Esgoto). ISBN v.1-8590164020 (Broch.). (Número de chamada: 628.35 P858)
JORDÃO, E. P.; PESSSÔA, C. A. Tratamento de esgotos domésticos. 3.ed. – Rio de Janeiro: ABES, 1995 720p. (CCT - Número de chamada: 628.3 P475t)
SANTANNA JR, Geraldo Lippel. Tratamento biológico de efluentes – Fundamentos e aplicações. Interciência. Rio de Janeiro. 2010). (Número de chamada: 628.3 S232t 2.ed. 2013)
SANTOS, Maria de Lourdes Florêncio dos; BASTOS, Rafael Kopschitz Xavier; AISSE, Miguel Mansur PROGRAMA DE PESQUISA EM SANEAMENTO BÁSICO. Tratamento e utilização de esgotos sanitários. Recife: Rio de Janeiro: ABES, 2006. 403 p. (PROSAB ; 2). ISBN 8570221525 (broch.). (Número de chamada: 628 T776)
SPERLING, Marcos von. Introdução a qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 1 ed. Belo Horizontes: UFMG- Escola de Biblioteconomia, 1995. 240 p. (CCT - Número de chamada: 628.3 S749i)
SPERLING, Marcos Von. Princípios básicos do tratamento de esgotos. Belo Horizonte: UFMG/DESA, 1996. 211 p. (Princípios do tratamento biológico de águas residuais, 2) (CCT - Número de chamada: 628.3 S749p)


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal