Pluralidade das existências baseada em fatos



Baixar 92.46 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho92.46 Kb.
PLURALIDADE DAS EXISTÊNCIAS BASEADA EM FATOS

Pesquisa realizada por Waleska Borges Vasconcelos

Fevereiro 2009



E de onde viemos? ...

Todo mundo já se perguntou um dia.



Se a Bíblia diz que vamos para o céu, inferno, ou purgatório porque ainda fazemos essa pergunta? ...

Não satisfeitos com as respostas?



Também não houve um momento em nossas vidas, em que nos perguntamos como as pessoas podiam ACREDITAR em REENCARNAÇÃO numa época moderna e científica como a nossa?

Por que tantas dúvidas?...

Por que tantas resistências?...

O QUÉ REENCARNAÇÃO ?

Chamada também de Palingenesia, do grego , Palin, (de novo) e gênese, (nascimento). Assim como nos desfazemos de uma roupa usada para pegar uma nova, a alma se descarta de um corpo usado para se revestir de novos corpos. A alma (princípio espiritual) arquiva as experiências mesmo após a morte biológica. Ao renascer, este "espírito" munido desta experiência influencia, a mutação genética; buscando a adaptação crescente às dificuldades do meio.



PORQUE SOMOS EDUCADOS PARA REPUDIAR A REENCARNAÇÃO ?

1. A Igreja aproveitando-se do fato da teoria da reencarnação ser muito antiga, a classifica pejorativamente de primitiva ou seja, “coisa que só ignorantes” acreditam. Nasce então o preconceito, que gera egoísmo, que gera a indiferença, que difunde o materialismo, que se transforma na maior chaga da humanidade. (Estratégia da inversão de valores)

2. Tudo que não tem explicação, é creditado à ela. (A reencarnação cai no descrédito)

3. Se não lembramos da vida anterior, para que reencarnar? (Rejeição de um passado ruim)



QUE DIFERENÇA VAI FAZER PARA MIM ACREDITAR ?

Quando “compreendi” e não apenas acreditei no sentido da reencarnação, um revelador horizonte se descortinou à minha frente. Aprendi que não posso mais perder tempo com indagações acerca dos sofrimentos que padeço, pois agora “entendo” que faz parte de um planejamento educativo. Tentando descobrir qual o projeto tramado para mim no plano espiritual, com o fim de tomar uma diretriz mais objetiva na minha vida atual, vasculhei minha consciência, tomei um distanciamento das minhas emoções que é defesa natural e influenciadora, para observar meu perfil psicológico, e percebi que também faz parte do “projeto” este auto-descobrimento. Passei então não só a contribuir na aceleração do dever de casa como em seu êxito - (meu depoimento).

Segundo Adenaer em seu livro Reencarnação processo educativo, “...reencarna-se para aprender e não para pagar”.



E quem diz não acreditar na reencarnação?

Seria porque tem medo de descobrir um passado cheio de conflitos, se ver mergulhado em trevas? ..

E nós que acreditamos, não seria porque achamos fascinante descobrirmos que fomos alguém interessante ainda que menos evoluído ?

Será que acreditamos?... Será que duvidamos?...



PORQUE acreditar Nº 1:
Evidente é que quanto mais se lê a respeito da reencarnação, mais razões encontra-se para acreditar. Embora na Bíblia encontremos algumas evidências, a origem dessa idéia, data de alguns milênios na história, quando o assunto em questão era comentado naturalmente.



ENTÃO, UM DIA COMEÇAMOS COM NOSSOS QUESTIONAMENTOS:


  1. Por que algumas pessoas já nascem defeituosas ou doentes e outras não? Seria justo Deus permitir pessoas sofrerem, desde o nascimento, por algo que outras pessoas fizeram?  
      2. Deus poderia ser considerado perfeito, se Ele mesmo, deixasse de praticar uma das virtudes mais importantes, o perdão, condenando milhões de pessoas ao "inferno"?     

3. Seria justo uma pessoa que cometeu crimes durante toda sua vida, matou, estuprou, etc; ser totalmente perdoada mas não pagar por seus crimes porque se arrependeu nos últimos minutos de sua vida e diz aceitar Jesus?    
4. O que acontece com os que morrem ainda criança? Seria justo eles irem para o  "céu" sem nada terem feito para merecer, enquanto milhões têm que enfrentar uma vida  inteira para conseguir tal benefício? 

    5. Acreditando na Ressurreição, e, sabendo que temos uma alma e vamos viver no Plano espiritual após a morte, por que precisaríamos do corpo material? 



PORQUE ACREDITAR Nº 2 FONTES HISTÓRICAS SOBRE A REENCARNAÇÃO

Historicamente falando, a teoria da reencarnação é tão antiga como a história do próprio homem. O Hinduismo ou Bramanismo, é considerada a religião mais antiga do mundo. Os fundamentos desta religião estão contidos nos 4 livros sagrados, os Vedas, que em sânscrito quer dizer conhecimento. São eles: - Rigveda, - o mais antigo e importante deles, ( 10.000 a.c.) - Samaveda, - Vajurveda, e Atharaveda. Nos Upanichades - os mais sagrados pois tem a essência original dos Vedas) encontramos referência à Reencarnação, como esta:

"Dentro do útero da mulher o homem obtém um corpo, seja ele bom ou mau. A alma, porém, é a semente de todos os seres, e pela alma é que as criaturas existem..." "... E sejam quais forem as ações que eles pratiquem, tudo quanto foi feito num corpo anterior deve, sem dúvida alguma, ser gozado ou sofrido..."

Nas atuais correntes do judaísmo, o que se diz sobre o que acontece após a morte são postulados e não afirmações. A maioria das correntes crê em uma ressurreição, enquanto outra pequena parcela crê na reencarnação, e o sentido das duas varia de acordo com a ramificação, mas há indícios no Talmude de que o assunto não era desconhecido dos iniciados:

"A alma de Abel passou ao corpo de Set e mais tarde ao de Moisés."

Com o nome de Transmigração de Almas (em hebraico Guilgul Neshamot), praticantes do judaísmo, especialmente as correntes ortodoxas - como o hassidismo (aqueles caras que andam de casacos e chapéus pretos) - e cabalistas acreditam que, após a morte, a Alma reencarna numa nova forma física. O conceito da reencarnação consta nos livros Sefer-Há-Bahir (Livro da Iluminação) e no Zôhar (Livro do Esplendor).



PORQUE ACREDITAR Nº 3
Não existe nenhum manuscrito bíblico anterior ao século IV d.C. Toda a dificuldade existente em torno da compreensão da bíblia está em que os manuscritos originais, perderam-se.
Os existentes, além de se tratar de cópia da cópia dos manuscritos, sujeitos a desgaste de leitura e reprodução difíceis, expostos a omissões, alterações, interpolações e até a falsificações - atravessando os séculos, contando com a interferência natural e conveniente dos poderosos da época - havia a extrema dificuldade de interpretação e tradução do hebraico.
Yhvhthstsrcdmndknntm significa "Yaveh, tu procuraste-me e conheceste-me". Imagine-se o que não seria o trabalho de cópia e interpretação de um livro assim constituído! Até mesmo um pesquisador que conheça bem o hebraico, sabe o risco que corre, ao pesquisar manuscritos com letras falhadas devido ao desgaste pelo tempo do material, e, é aí que entra o bom senso.

PORQUE ACREDITAR Nº 4 FONTES BÍBLICAS SOBRE A REENCARNAÇÃO
Aos Cristãos que hoje não crêem na reencarnação porque não está na Bíblia

Nicodemos imaginava que se Jesus era um ser enviado por Deus, Jesus já existia antes do próprio nascimento. Nesse caso, era verdadeira a idéia da reencarnação. Então lhe perguntou:

- “Mestre, sabemos que vieste da parte de Deus para nos instruir como um doutor, porquanto ninguém poderia fazer os milagres que fazes se Deus não estivesse com ele. (v.2)



Jesus lhe respondeu:

- Em verdade, em verdade, digo-te: Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo.(v.3)
Nicodemos: - Como pode nascer um homem já velho? Pode tornar a entrar no ventre de sua mãe para nascer segunda vez? (v. 4)

Jesus, que sabia disso, explicou: - “Em verdade, em verdade, digo-te: Se um homem não renasce da água e do espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do espírito é espírito. Não te admires de que eu te haja dito ser preciso que nasças de novo. O espírito sopra onde quer e ouves a sua voz, mas não sabes donde vem ele, nem para onde vai; o mesmo se dá com todo homem que é nascido do espírito”. (v. 5-8)

Após os ensinamentos de Jesus, Nicodemos perguntou: - Como pode isso se fazer? (v.9)


Jesus lhe respondeu: - Pois quê! És mestre em Israel e ignoras tais coisas? (v. 10)
Jesus demonstra conhecer suas dúvidas. Nicodemos tinha conhecimento da reencarnação. Embora não lhe faltassem estudos para compreende-la, havia “resistência em aceitá-la”.

PORQUE acreditar Nº 5: FONTES HISTÓRICAS SOBRE A REENCARNAÇÃO O budismo, fundado por Siddharta Gautama, (Buda - 563-483 a.C.), revela grande preocupação em COMO atravessar o “rio” que separa a samsara (o ciclo interminável de renascimentos) do moksha (a libertação final).

Pitágoras, (570ac.) o grande matemático afirmava ter sido Euforbos, filho de Pantos em outras encarnações. Sócrates (470ac.) e Platão, (428ac.) filósofos da velha Grécia, admitiam a tese da reencarnação.

No Tibet, o Dalai Lama é considerado a reencarnação do seu antecessor.



Origenes, (184-254) - nascido em Alexandria/Egito; teólogo, exegeta, fundador da ciência bíblica, considerado o maior erudito de todos os Padres da Igreja antiga, foi o primeiro a criar um sistema de Doutrina Cristã cuja orientação incluía a doutrina da reencarnação.

No seu livroSobre Os Primeiros Princípios ele cita:

cada alma . . . vem a este mundo fortalecida pelas vitórias ou enfraquecida pelas derrotas de sua vida anterior ...

Suas ações determinam seu lugar nesse mundo (na terra) o qual deve seguir a este . . .”

Existiam porém, dentro da Igreja, os que não acreditavam ou consideravam perigosa essa doutrina. Em nome de caprichos justificados pela vaidade ou jogo do poder, após a morte de Orígenes, atacaram suas doutrinas.



PORQUE ACREDITAR Nº 6

Alguns livros mencionam que Constantino o Grande, (272-337 - 1º imperador cristão do Império Romano de 306 a 337), decidiu o nº de livros que devia conter a Bíblia. Outros negam, embora reconheçam que o caráter do imperador era caprichoso, violento e sem dúvida deu liberdade à Igreja e favoreceu a sua unidade.

Seja como for, no século VI, ano de 553, o também Imperador Justiniano mantém prisioneiro o Papa Virgílio em Roma durante oito anos para que excluísse o princípio da préexistência da alma dentro da igreja. Convoca um concílio (só o Papa poderia convocar) e força o Papa a assinar o documento.
É conhecido também que sua esposa Teodora, que fora ex-cortesã, tentando libertar-se de seu passado, mandou matar cerca de 500 antigas "colegas“. É então alertada de que deverá quitar tal débito em outras encarnações.

Temendo reencarnar em situação inferior, empenha-se em eliminar da exegese católica, a crença na reencarnação, suprimindo essa magnífica Doutrina, como se estivesse eliminando de fato, as vidas sucessivas e, por extensão, o seu débito. O Concílio de Constantinopla, (Istambul), resolve abolir o princípio da preexistência da alma, substituindo-a pela palavra ressurreição, que ataca toda ordem natural do processo da vida neste planeta.



A Igreja declara: “Todo aquele que ensinar esta fantástica preexistência da alma e sua monstruosa renovação, será condenado” – como parte das conclusões do Concílio. É rejeitado todo o pensamento de Orígenes e execrado nessa assembléia dos bispos o princípio da reencarnação.
Esta atitude da Igreja levou tempos depois, o Cardeal Nicolau de Cusa a sustentar, em pleno Vaticano, a pluralidade das vidas e dos mundos habitados, seguido mais tarde do Papa Eugênio 4º (1.431 – 1.447), contrariando influentes cléricos da Cúria Romana.


Precisamos esclarecer que o que fizeram naquele concílio foi enfraquecer as bases da pluralidade das existências. Como a doutrina da Reencarnação pressupõe a da preexistência do espírito, Justiniano e Teodora ao desestruturarem a da preexistência, consequentemente desestruturam a da reencarnação.


  • Paul Brunton (1898 – 1981) foi considerado pelo meio acadêmico, como o maior sábio inglês do Século 20. Sua Obra “Verdades em Perspectivas”, relata a morte, no Oriente Médio, de mais de um milhão de pessoas, logo após o Concílio de Constantinopla (553), porque não aceitaram a condenação da reencarnação.

Traga sempre à lembrança o fato de que você é um peregrino, que o mundo não é mais que um lugar, e que as situações em que você se encontra, ou cria para si, devem ser consideradas não somente do ponto de vista mundano, mas de uma busca por nós mesmos”.

NOTA: Segundo Edward Gibbon, em seu livro Declínio e queda do Império Romano, Cap. XV, Teodora não matou mas transforma um palácio em mosteiro chamado Arrependimento, para forçar as prostitutas a mudarem de vida. Algumas delas, porém, tentavam fugir outras suicidavam-se.

Uma pesquisa realizada na Argentina em 2007 pela empresa Gallup revelou que 33% dos entrevistados acreditam na Reencarnação. Na Europa, 40% da população aceitam esta crença. E, no Brasil, nada menos de 70% dos brasileiros são reencarnacionistas. E mais: 34% dos católicos, 29% dos Protestantes e 20% dos sem religião admitem a Reencarnação.



PORQUE ACREDITAR Nº 7 OUTRAS EVIDÊNCIAS

De onde certos teólogos da Igreja tiraram essas citações?

São Jerônimo: “a transmigração (reencarnação) das almas foram ensinadas há muito tempo entre os primeiros Cristãos e faz parte dos ensinamentos revelados para um pequeno número de eleitos “

Santo Agostinho, no seu livro Confissões, chegou a interpelar a si mesmo: "não vivi em outro corpo antes de entrar no ventre de minha mãe?” "Minha infância não sucedeu a um idoso morto antes dela?... Mesmo antes desse tempo, tinha já estado em qualquer parte? Fui alguma pessoa qualquer?"

São Gregório Bispo de Nyssa acreditava que “é absolutamente necessário que a alma seja curada e purificada; e que se isso não ocorresse durante a vida na terra, deveria ser realizada em vidas futuras”.

O Pe. Didon, em sua Vida de Jesus, diz o seguinte: "Então se crê, entre o povo (judeu) e mesmo nas escolas, no retorno à vida da alma dos mortos.“

O sábio beneditino Dom Calmet se exprime assim em seu Comentário: "Vários doutores judeus crêem que as almas de Adão, Abraão e Phinées animaram sucessivamente vários homens de sua nação."

PORQUE ACREDITAR Nº 8

Hippolyte Léon-Denizard Rivail – (03/10/1804 –31/03/1869) Lyon, França - Allan Kardec – nome utilizado em uma encarnação anterior como Druida. Dedicou-se ao estudo da comprovação da pluralidade das existências e consequentemente a REENCARNAÇÃO.

No LE, diz que Deus criou os Espíritos simples e ignorantes, para que se processe o adiantamento moral e intelectual dos mesmos. É imperioso a sua união com a carne, através da reencarnação. Dá-se o encontro do Espírito com a matéria por essa ocasião e o ser volta ao mundo da forma material mais intensiva, para intelectualizar a matéria e fazer progredir o Espírito (evolução).



"Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sempre, tal é a Lei", disse Allan Kardec”.

JESUS E O CONSOLADOR - "E eu rogarei ao Pai e ele lhes dará outro CONSOLADOR...


...”Não os deixarei órfãos, voltarei para vocês outros. Tenho ainda muito que lhes dizer, mas vocês não o podem suportar agora; quando vier, porém, o
Espírito da Verdade, ele os guiará a toda verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e lhes anunciará as coisas que hão de vir!" (João, 14, 15, 16)

A reencarnação fortalece os laços de família; a unicidade de existência os rompe. Graças a Kardec, a crença nas vidas sucessivas da alma tem sido divulgada pelo mundo até hoje.



CITAÇÕES DE PESO a favor da reencarnação:

Benjamim Franklin (1706 – 1790), norte americano escreveu: "Quando vejo que nada é aniquilado nos trabalhos de Deus, e nem uma gota d’água é desperdiçada, não posso supor que haja o aniquilamento das almas ... Assim, vendo que existo no mundo, acredito que, sob uma forma ou outra, sempre existirei. E, com todos os inconvenientes que a vida humana tende a oferecer, não farei objeções a uma nova edição da minha, esperando, contudo, que a errata da última seja corrigida..."
Johann Wolfgang Von Goethe (1749 – 1832), poeta, dramaturgo e filósofo alemão, respondeu a alguém, por ocasião do funeral do poeta Wieland: "Estou certo de que estive aqui como estou agora, mil vezes antes, e espero retornar mil vezes ..."
Henri Ford (1863 - 1947), industrial norte americano, disse numa entrevista: "Adotei a Teoria da Reencarnação quando tinha vinte e seis anos...Quando descobri a reencarnação foi como se tivesse encontrado um plano universal... A descoberta da reencarnação tranqüilizou a minha mente. Se vai registrar essa conversa, escreve-a de forma a tranqüilizar a mente dos homens. Eu gostaria de comunicar a outros a calma que a visão de uma longa vida nos dá".
Mohandas Karamchand Gandhi (1868 – 1948), líder nacionalista hindu, conhecido como Mahatma Gandhi, afirmou: "Não posso pensar em inimizade permanente entre homem e homem, e, acreditando, como acredito, na teoria do renascimento, vivo na esperança de que, se não nesta existência, mas em alguma outra, poderei abrir os braços a toda a Humanidade, num amplexo amigo."

PORQUE ACREDITAR Nº 9 (O espírita 1) CASOS COMPROVADOS

Francisco de Paula Cândido, nasce em 02 de abril de 1910, em Pedro Leopoldo -Uberaba, conhecido como Chico Xavier. Sua mediunidade foi manifestada pela primeira vez aos quatro anos de idade, quando ele respondeu ao pai sobre ciências, durante conversa com uma senhora sobre gravidez. Ele dizia ver (clarividência) e ouvir (clariaudiência) os espíritos e conversava com eles. Aos 5 anos conversava com a mãe, já desencarnada.

Psicografou 412 livros. Nunca admitiu ser o autor dessas obras. Reproduzia apenas o que os espíritos lhe ditavam, por isso não aceitava o dinheiro da venda dos livros. Vendeu mais de 20 milhões de exemplares, cedendo os direitos autorais para organizações espíritas e instituições de caridade, desde o primeiro livro.

Psicografou, em Braille, nos dias 6 e 17 de maio de 1977, e l6 de novembro de 1978, 3 mensagens da sra. Engrácia Ferreira, pioneira do alfabeto dos cegos no Brasil e falecida no dia 21/04/1977. Psicografou ainda um grande número de mensagens de jovens tragicamente falecidos, cujas informações foram reconhecidas como autênticas por seus familiares.

Outra história comprovadora é a do jovem que foi morto pelo amigo, enquanto brincava de roleta russa, e que se comunicou via  psicografia do querido Francisco Cândido Xavier, a fim de testemunhar em foro judicial pelo réu, seu amigo, afirmando que este não era culpado de sua morte. Tal testemunho foi aceito pelo juiz da côrte, liberando o réu. E muitos outros casos...



PORQUE ACREDITAR Nº 10 (O espírita 2) CASOS COMPROVADOS

UM MÉDIUM, UM ORADOR, UM EDUCADOR

 Divaldo P. Franco, apóstolo do espiritismo, nasceu em 05/05/1927, em Feira de Santana/ Bahia. Formou-se na Escola Normal Rural como professor primário, em 1943. Devotado educador com mais de 600 filhos adotivos, atendendo atualmente cerca de 3.000 crianças e jovens na mansão do caminho fundada por ele em 1952. Orador com mais de 11.000 conferências, em mais de 2.000 cidades no Brasil e em 62 países. Publicou 202 livros, com mais de 8 milhões de exemplares, apresentando 211 Autores Espirituais.

Divaldo, desde a infância se comunica com os espíritos e relata casos comprovadores.“Aos 4 anos, estava brincando na sala e uma senhora chegou e disse que queria falar com minha mãe. Eu a chamei e, quando ela chegou na sala, não havia ninguém. A senhora voltou a dizer que queria falar com minha mãe e contou que era a minha avó. Eu não sabia o que era avó porque, quando nasci, meus quatro avós já tinham falecido”.

Outro caso conhecido. Divaldo há cerca de 40 anos atrás foi à Paris. Pediu permissão ao casal anfitrião que lhe hospedara para sair, tranquilizando-os pois levaria consigo o endereço deles e o telefone. Pegou o metrô, depois um ônibus que começou a levá-lo para fora da cidade. Chegou a um monastério mas não podia entrar pois era proibido. Pediu para chamar a abadessa e ela o recebeu. Se identificou como o fundador daquela Instituição e desejou rever a cela em que havia falecido no mesmo. Explicou o caminho que deveriam percorrer até ela, de forma a não perturbarem as enclausuradas. Ambos ficaram emocionados ao entrar na cela. Um por reencontrar antigo ambiente em que viveu em outras vidas e a outra, por testemunhar as evidências reveladas.

PORQUE ACREDITAR Nº 11 TVP (A ciência) CASOS COMPROVADOS



DR.BRIAN WEISS

Psiquiatra e pesquisador consagrado, viu suas crenças e sua carreira virarem pelo avesso ao tratar de Catherine, uma paciente com fobias e ataques de ansiedade. Durante uma sessão de hipnose, ela falou de traumas sofridos em vidas passadas que pareciam ser a origem de seus problemas.



Cético, o Dr. Weiss não acreditou até que Catherine (na sua 86ª vida), começou a narrar fatos da vida dele que ela jamais poderia conhecer como a informação de que o filho dele já desencarnado, tinha o coração “invertido” como o de uma galinha (ocorre a cada 10 milhões de crianças). Transmitiu mensagens de espíritos altamente desenvolvidos, os Mestres, sobre a vida e a morte no espaço entre vidas; e, seu pai, desencarnado, revelou que tinha o mesmo nome que ele dera a sua filha Avrom (nada comum) e que sua morte havia quitado débito dos pais.

Transformado por essa experiência, coloca sua carreira em jogo ao surpreender a comunidade científica publicando o livro “Muitas Vidas, Muitos Mestres”, demonstrando o potencial curativo da TVP - terapia de vidas passadas, tornando-se a REFERÊNCIA MUNDIAL deste tratamento.

Segundo Milton Menezes, psicólogo, terapeuta e crente na reencarnação, há situações onde o tipo de sofrimento (enfermidades, influência espiritual obsessiva), justifica a utilização da Terapia de Vida Passada e as conseqüências desse tratamento ratifica sua necessidade.

************



PORQUE ACREDITAR Nº 12 CASOS COMPROVADOS

Ian Stevenson

Enfim, não se pode esquecer do Dr. Ian Stevenson, quando o assunto diz respeito a reencarnação. Nascido em 31 de outubro de 1918, Montreal/Canadá, estudou nas universidades de St. Andrews (Escócia) e McGill (Montreal). Nesta última, graduou-se em medicina como o primeiro da turma. Psiquiatra da Universidade de Virgínia (EUA) que na década de 60 já havia investigado mais de 600 casos – hoje 1600 -, pesquisas essas publicadas no livro VINTE CASOS SUGESTIVOS DE REENCARNAÇÃO. Dedicou mais de 40 anos à pesquisa da reencarnação e escreveu mais de 200 artigos e livros fundamentais sobre o tema.

Chester F. Carlson, o inventor da máquina Xerox, foi uma pessoa fundamental para inserir Stevenson nesse campo de pesquisas. Passou a fazer doações anuais para as viagens e, ao morrer, em 1963, deixou US$ 1 milhão para a Universidade de Virgínia criar uma cátedra de psiquiatria a ser ocupada por Stevenson e mais US$ 1 milhão para ele continuar suas pesquisas. Foi com esse dinheiro que o pesquisador criou a Divisão de Estudos da Personalidade, o único departamento acadêmico no mundo voltado para o estudo da reencarnação, de experiências de quase-morte e de outros fenômenos paranormais.

Stevenson nunca afirmou a comprovação da reencarnação mesmo tendo em mãos suas cautelosas e reveladoras pesquisas, pois sabia que a ciência ainda não dispunha de mecanismos que comprovassem tal fenômeno. Observador, prestava muita atenção às críticas dirigidas ao seu trabalho – insinuações como metodologia sujeita a falhas, fraude, fantasia, distorções de significado, serviam para refinar sua investigação. Ele dizia que os casos estudados, “sugeriam” reencarnação. O fato é que tais evidências constituem um ótimo ponto de partida para se refletir a esse respeito.

O PONTO DE PARTIDA – A primeira monografia de Stevenson sobre esse assunto, de 1961, foi The Evidence for Survival from Claimed Memories of Former Incarnations, na qual examinava 44 casos publicados de memórias de vidas passadas. O texto rendeu-lhe um prêmio e foi publicado pela American Society for Psychical Research em homenagem ao filósofo William James, um dos primeiros presidentes da entidade. A repercussão não parou aí: depois de ler o trabalho, a famosa médium norteamericana Eileen Garrett, co-fundadora da Parapsychology Foundation, contatou o autor e pediu-lhe para investigar o caso de uma criança indiana que dizia ter vivido antes, sob o patrocínio de sua organização. Stevenson aceitou e viajou à Índia durante as suas férias para fazer a pesquisa. (Revista Planeta/2007).

Em 1997 publicou em dois tomos, (ingles) BIOLOGY AND REINCARNATION, tendo como base pesquisas sobre marcas de nascença. Nesse livro Dr. Stevenson afirma que até o ano 2010 a ciência concluirá que a reencarnação é lei biológica;



Suas pesquisas com crianças são minuciosas e de grande autênticidade. Cauteloso, Stevenson, não se prendia apenas nas vagas lembranças mas, em dados precisos com datas, nomes e locais, relatando incidentes e descrevendo cenas detalhadas, que outra pessoa mesmo da família não poderia saber.

Em suas pesquisas revelou-se que é possível reencarnar logo em seguida ou após alguns séculos. Que a personalidade humana deixa um corpo e reencarna mais tarde num outro, trazendo consigo a memória da vida anterior. Indica também que escolhem a família que querem conviver e as vezes a rejeitam depois.

Alguns escritores o atacam por considerarem insuficientes as provas apresentadas em certos casos. Céticos, não levam em consideração todos os casos comprovados, e perseguem aqueles que ainda estão em processo de investigação.

As descobertas que fez, o imenso acervo que coletou de casos que sugerem reencarnação, o fizeram chegar a poucos passos das provas definitivas.



O engenheiro e psicobiofísico Guimarães Andrade (no centro) foi quem introduziu a metodologia de Stevenson para o estudo de casos sugestivos de reencarnação no Brasil.

Pioneiro na pesquisa do efeito Kirlian e da transcomunicação instrumental em nosso país, o engenheiro e psicobiofísico Hernani Guimarães Andrade foi também o introdutor no Brasil da metodologia de Ian Stevenson para o estudo de casos sugestivos de reencarnação. Os dois, aliás, se conheciam pessoalmente – o pesquisador canadense veio a São Paulo em 1972, e seus arquivos abrigam casos brasileiros estudados pelo Instituto Brasileiro de Pesquisas Psicobiofísicas (IBPP), presidido por Andrade. Os estudos do IBPP feitos segundo o modelo elaborado por Stevenson renderam os livros Reencarnação no Brasil – Oito Casos que Sugerem Renascimento (Ed. O Clarim, 1988) e Renasceu por Amor – Um Caso que Sugere Reencarnação: Kilden & Jonathan (Ed. Folha Espírita, 1995).

Em 8 de fevereiro/2007, o estudo científico da reencarnação sofreu uma perda pesada, dessas que demoram a ser substituídas. Aos 88 anos, após um longo tratamento contra a pneumonia, morre Ian Stevenson.

COMPLEXIDADE DA REENCARNAÇÃO

CASOS CURIOSOS

Gabriel Dellane relata que, no dia 21 de agosto de 1972, a Sra. Hardinge Britten, numa sessão da Sra. Corwin, em Siracusa, personificou uma pessoa surda e muda já falecida, a qual, utilizando o alfabeto dos surdos-mudos, comunicou-se com o seu marido ali presente. Encontramos em seu livro A Reencarnação, exemplos como: Mozart, Beethoven, Paganini, (músicos); Giotto, Michellangelo, Rembrandt, (pintores); Hermógenes, Victor Hugo, (sábios, literatos e poetas), que desde cedo demonstram suas habilidades conquistadas em reencarnações passadas. O assunto está no cap. VIII, de A Hereditariedade e as Crianças-prodígio.

Durante anos, “Lady Nona", transmitiu, também, por psicografia, uma enorme quantidade de mensagens sobre fatos da vida egípcia, no tempo em que ali vivera e na linguagem da época. O egiptólogo Howard Hulme, que pesquisou o fenômeno, confirmou a autenticidade das informações e do idioma utilizada pela personificação.

Lanore Pearl Curran, de St. Louis, Missuri, incorporando o espírito de “Patience Worth”, escreveu, no espaço de 35 horas, o poema intitulado “Telka”, com 75.000 palavras em linguagem anglo-saxônica do século XVII. A personificação dizia ter nascido, naquele século, em Dorset, na Inglaterra.

O parapsicólogo indiano Hamendra Banerjee catalogou mais de 3.000 casos de pessoas que lembravam desde o local onde tinham vivido no passado até nomes de parentes, passando por seus próprios nomes, apelidos e fatos acontecidos com elas. Esses dados foram checados e comprovados. Outro fato observado trata-se de Gnana, com três anos de idade, afirmava ter sido o menino Tiillekeratne, que morrera aos 11 anos. Quando levada a casa em que morara na outra vida, a menina ficou contente ao reconhecer a irmã e manifestou aversão ao irmão com quem brigara pouco antes de morrer. ... E muitos outros...



MARCAS DE NASCENÇA - LEMBRANÇAS NA INFÂNCIA - COMPORTAMENTOS INEXPLICÁVEIS

1. No Alasca, Victor Vincent, um idoso pescador disse a sua sobrinha senhora Choktin que gostaria de renascer como seu filho e que ela poderia reconhecê-lo por uma cicatriz cirúrgica no nariz e outra nas costas que esperava trazer consigo como forma de comprovação. Um ano e meio depois a senhora Choktin a luz a Corliss Choktin Jr. Mais tarde, ao tentar ajudá-lo a pronunciar seu nome ele respondeu:

“Você não me conhece? Sou Kahkody” (nome adotado por ele na aldeia em que vivia na vida anterior)


  1. Duminda Bandara revela que foi um abade no templo de Asgiriya, um dos mais antigos e maiores do Sri Lanka;

  2. Aos quatro anos Dorothy Eady pede para ficar com seu povo ao entrar na galeria egípcia do Museu Britânico;

  3. Um menino druso que mora em Beirute pede aos pais para o levarem de volta para sua casa nas montanhas de Choueifate;

5. Nesta foto que foi reproduzida por vários jornais da América do Norte e também do Brasil (Brasília, Pernambuco, etc.), aparece o menino mexicano de 6 anos, Maximiliano Arellano, fazendo uma palestra (durou 45 minutos) sobre Osteoporose, na Universidade Autônoma do México, para os médicos (roupa branca).

Como o púlpito era muito alto, ele teve que subir numa cadeira. Sua prematura memória e conhecimento eclodiram aos 2 anos, já fez palestra sobre Anatomia Cardiovascular e o diretor da Faculdade reconheceu que Maximiliano usa o linguajar de um residente.



PORQUE ACREDITAR Nº 13 - PESQUISAS QUE COMPROVAM: RVP

Um recente trabalho científico veio a comprovar que as recordações não são "fantasias":

O Dr. Julio Peres, em parceria com a Universidade da Pensilvania, realizou uma pesquisa séria, utilizando várias pessoas, no qual monitorou o fluxo sanguíneo cerebral das pessoas no momento da regressão, utilizando um tomógrafo, e constatou que as áreas do cérebro ativadas não eram as áreas da imaginação, mas sim as áreas responsáveis pela memória!

Se o paciente estivesse criando uma história, o lobo frontal seria acionado e a carga emocional não seria tão intensa”, explica Peres.



OUTRAS PESQUISAS QUE ESTÃO COMPROVANDO

1. Cientistas ex-soviéticos, demonstrando com a fotografia kirliana que possuímos mais dimensões do que supúnhamos;
2. O físico francês Dr. Patrick Drouot, e suas pesquisas sobre reencarnação à luz da física moderna;
3. Dr. Robert Crookal, autoridade mundial em Experiências Fora-do-Corpo, afirmando a existência dos corpos espiritual e etérico;
4. Equipe do médico Dr. Raymond Moody Jr., nos EUA, sobre EQM (Experiências de Quase Morte), nas quais o paciente desdobra-se para uma outra dimensão, da qual observa o próprio corpo e relata fatos dos quais não poderia ter tomado conhecimento através dos sentidos físicos;
5. Instituto Brasileiro de Pesquisas Psicobiofísicas de S. Paulo, sobre Modelo Organizador Biológico (corpo espiritual), reencarnação e poltergeist;
6. Dra. Barbara Ann Brennan, cientista pesquisadora da NASA, Mestrado em Física Atmosférica, com estudos e experiências no campo da energia humana e no conhecimento dos corpos sutis do ser, relacionados com enfermidades e curas, com diversas publicações, entre elas MÃOS DE LUZ;
7 . No Brasil Universidades, como a de S. Paulo (USP), incluindo em seu currículo o curso de Medicina e Espiritismo - Integração Cérebro, Mente, Corpo e Espírito;
8 . A Associação Médico-Espírita de S. Paulo (30 anos de existência), realiza Congressos, Seminários e Jornadas sobre as questões da saúde sob ótica espírita. Exemplos:
- Interação Cérebro-Mente - Dr. Nubor Facure -  As Operações Espirituais - Dr. Ary Lex.
- Regressão de Memória para fins terapêuticos - Dra. Maria Julia Prieto Peres.*
- TCI (comunic. dos espíritos através de aparelhos eletrôn.) e a Física Moderna - Dr. Ney Prieto Peres.
- Psicografia à Luz da Grafoscopia - Dr. Carlos Augusto Perandréa* - comprovando através da grafoscopia a escrita de espíritos, através de médiuns (psicografia).
- Física Moderna e o Novo Paradigma - Dr. Valdyr Rodrigues. -   A Síndrome da Personalidade Múltipla - Hermínio C. Miranda. - Limites entre Processo Obsessivo e Doenças Mentais - Dr. Jorge Andréa

EVIDÊNCIAS UTILIZADAS COMO CAMPOS DE PESQUISA PELOS PESQUISADORES

  1. Crianças com recordações espontâneas que perduram até a puberdade

  2. Recordações em adultos (memória extracerebral)

  3. Recordações em adultos e crianças com marcas de nascença

  4. Sonhos recorrentes, anunciadores que desencadeiam a memória pretérita

  5. Visões espirituais

  6. O Déjà vu

  7. Vivência de episódios semelhantes

  8. Doenças com delírios, alucinações

  9. Conhecimento direto paranormal

  10. Desdobramentos, viagens astrais

  11. Informações de espíritos que estão fora do corpo

  12. Informações de sensitivos, ditados paranormais, videntes etc...

  13. Informações do próprio reencarnante antes/depois de morrer prometendo voltar

  14. Características e aptidões inatas: defeitos congênitos ou morais, genialidade, embora sem recordações

  15. Psicanálise ou análise terapêutica muito profunda

  16. TVP ou TRVP

  17. Casos de obsessão espiritual

  18. Hipnose com regressão

  19. Ação de drogas diversas, inclusive anestésicos

  20. Traumas violentos

  21. Lembranças durante a gestação

  22. Meditação, êxtase religioso, transe com emersão de personalidade anterior

INÍCIO - MEIO - FIM...?

  1. O INÍCIO - ENFIM , O PROCESSO DE REENCARNAÇÃO

Depoimento de um espírito, momentos antes da reencarnação:

"Já estive mais animado — disse ele, triste —; entretanto, agora, falece-me a energia... Sinto-me fraco, incapacitado... Enquanto lutei por obter a transformação de meu futuro pai, experimentava mais confiança e serenidade... agora, porém..., que consegui a dádiva do retorno à luta, tenho receio de novos fracassos... Dentre todos os irmãos que me assistem agora, Herculano me acompanhará com desvelo e constância... Bem sei. No entanto, o renascimento na carne, com os valores espirituais que já possuímos, representa um fato gravíssimo em nosso processo de elevação... Ai de mim, se cair outra vez!..."



O espírito entra em processo de ligação fluídica com os futuros pais, especialmente na última semana antes da concepção. Ele é primeiro adormecido e vai sofrendo lentamente um processo de "rejuvenescimento". A organização do feto, é feita pela mente da mãe e pelos (amigos espirituais). A magnetização do perispírito é executada até que ele adquira a aparência de bebê. Em essência o perispírito é o mesmo mas aos poucos ele vai perdendo a sensibilidade com os corpos sutis que estruturou no astral, ao contato dos planos vibracionais mais densos da Terra.

Isso é necessário para recuperar sua plasticidade característica e, entrar com êxito, na matéria física. Esse conflito é doloroso e desgasta-lhe as energias, equivalentes a uma morte física natural no mundo terrestre. Os espíritos designam um amigo, que acompanhará a criança até ela completar 7 anos de vida, quando o processo de reencarne estará completo. ("anjo da guarda”)

O perispírito, que serve de molde às células, está profundamente enraizado na circulação sangüínea. No feto, o sangue provém da mãe. Logo depois do nascimento, o "eu" reencarnado começa a consolidar suas novas experiências. Aos 7 anos, já comanda sozinho o processo de formação do sangue, (elemento básico de equilíbrio para o perispírito), no novo físico. Quando ele não circula livremente, surgem os distúrbios e as doenças. Interessante é que o desencarne na Terra obriga o corpo físico ao mesmo tipo de modificações.



O PROCESSO DE DESENCARNE

À medida que os órgãos perdem suas vibrações, pés, pernas, coxas etc. vão esfriando e entram em catalepsia. Quando o corpo está totalmente cataléptico, a energia retirada acomoda-se momentâneamente na cabeça fazendo uma pressão forte causando um zumbido. Apesar desse estado, a consciência permanece intacta e ainda somos capazes de pensar e tomar decisões. Sabendo que o perispirito sairá do corpo é possível planejar para onde ir. É através desse processo que o espírito das pessoas que acabaram de desencarnar aparecem na mesma hora em que morreram para parentes e amigos.



Senti e ouvi o romper de inumeráveis diminutos fios. Lentamente comecei a retirar-me a partir dos pés em direção à cabeça e saí pelas suturas do crânio. Eu parecia ter a cor e forma de uma água-viva...” “...tentei falar que estava vivo mas não me ouviam. Achei tudo engraçado e comecei a rir”. (“Quem é vivo nunca desaparece”).

  1. O MEIO, PROCESSO DE EVOLUÇÃO 1: RESGATE/EXPIAÇÃO / APRENDIZADO


1 . Não podendo o Espírito adquirir, numa só existência corporal, todas as qualidades morais e intelectuais que devem conduzi-lo à evolução, ele o alcança por uma sucessão de existências. A palavra Evolu(a)ção já traz em si o objeto da nossa Prosperidade: a Ação. Não existe Prosperidade para quem não aceita a mudança

2 . A cada existência, o Espírito traz o que adquiriu em inteligência e em moralidade das vidas anteriores, assim como os germes das imperfeições que ainda não se despojou.

3 . Uma existência sem nenhum progresso no caminho do bem, é sem proveito para o Espírito. Deve recomeçá-la em condições mais ou menos penosas, em razão de sua negligência e de sua má vontade.

4 . O nº das existências corpóreas é indeterminado . O tempo de vida de cada criatura é resultado das suas necessidades evolutivas para a ascensão espiritual. O perispírito traz energias pesadas, negativas, que no processo de higienização pessoal arremessa no corpo carnal todas as dores e angústias daquele ser. Por isso que o espiritismo não aprova a eutanásia.

O desligamento dos aparelhos alivia os padecimentos corporais mas não os do espírito, interrompendo assim, o processo de desintoxicação psíquica cármica, colados ao perispírito, resultantes das falhas em vidas passadas e da atual. Pode parecer que a Lei Divina, no seu objetivo maior, serve-se de uma didática cruel, mas proporciona à pessoa um retorno mais rápido à escalada evolutiva (na maioria das vezes em comum acordo com a própria). A lei não pune, reeduca…



Evoluir no sentido vertical NOSSO LAR

O FIM? PROCESSO DE EVOLUÇÃO 2: MISSÃO/PROGRESSO/FELICIDADE


5. No intervalo das existências corpóreas, o Espírito está errante e vive a vida espiritual. A erraticidade não é de duração determinada.

6. O Espírito, após muitas encarnações, se depurará e chegará ao estado de Espírito puro.
7. Quando os Espíritos adquirem, sobre um mundo, a soma do progresso que o estado desse mundo comporta, eles encarnam num outro mais avançado, onde adquirem novos conhecimentos, até que a encarnação em um corpo material, não sendo mais útil, vivam exclusivamente a vida espiritual, progredindo num outro sentido e por outros meios.

Atingindo a culminância do progresso, gozam suprema felicidade; admitidos nos conselhos do Onipotente têm o seu pensamento e se tornam seus mensageiros, ministros diretos para o governo dos mundos, tendo sob as suas ordens os Espíritos de diferentes graus de adiantamento.

Um dia os homens haverão de assumir o compromisso com a verdade e a reencarnação deixará de ser suposição, para ser enfim encarada como fato natural do processo evolutivo. Neste dia revolucionário, religiosos, cientistas e neutros se enxergarão verdadeiramente como seres privilegiados da criação divina.

Entenderão como cada um de nós é senhor relativo do próprio destino, pois fora da caridade não há salvação. Entenderão que ao aparar as arestas dos erros cometidos, comprovam o bem semeado que ao longo das vidas sucessivas abrirão searas antes nunca vistas. As guerras, discriminação social e racial, não farão mais sentido, já que saberão poder reencarnar em qualquer país, com etnias e status diversos, conforme a sua necessidade evolutiva. Os homens terão novos olhos de ver, um olhar ampliado, voltado para o coletivo, em que se enxerga o outro.


Tal transformação promoverá um salto moral gigantesco para a humanidade que acredito eu, ao atingir esse estágio, quem sabe , estejamos dignos de reencarnar no planeta de Regeneração.



BIBLIOGRAFIA

ADOLFI, A. Costantino tra paganesimo e cristianesimo, Laterza, Bari, 1976.

Brunton, Paul . Verdades em Perspectivas

DELANNE, Gabriel - A Reencarnação, Cap. I e XIV

DÊNIS, Leon, O Problema do Ser, do Destino e da Dor

ESPIRITISMO, Revista Cristã de. nº 08, pág. 34-35 - IPPB – Instituto de Pesquisas Projeciológicas e Bioenergéticas

FERREIRA , Cláudia Andréa Prata. Artigo A Reencarnação no judaísmo. -

GANDRES, Doris Madeira. Tesouro maior, Revista Internacional do Espiritismo, Jan. 1999

KARDEC, Allan. O Evangelho segundo o espiritismo, Cap. IV, 77

KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos, Parte Segunda, Cap. II, III, V

KARDEC, Allan - O Céu e o Inferno, 1.ª Parte, Cap. III

KARDEC, Allan - A Gênese, Cap. I e XI

MENEZES, Milton. Terapia de vida passada e EspiritismoDISTÂNCIAS E APROXIMAÇÕES

NOVAES, Adenauer. Reencarnação, processo educativo.

ROCHA, Alberto de Souza. Além da matéria densa

STEMMAN, Roy. Reencarnação

XAVIER, Chico. O Consolador, psicografia de EMMANUEL - , questão n.º 148

XAVIER, Chico. Missionários da luz, Cap. 12, 13 e 14

Site da radioriodejaneiro.am.br/anx/imprensa/GM_AsProvasDaReencarnacao



Site www.casadeemmanuel.org.br


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal