Política Exterior dos Estados



Baixar 17.08 Kb.
Encontro05.08.2016
Tamanho17.08 Kb.
Política Exterior dos Estados

Propósito da política exterior dos Estados: representação do Estado diante dos demais sujeitos de direito internacional, com a adoção de princípios bem definidos. Cada política exterior é determinada por condicionantes especificas do Estado, como cultura, geografia, a economia, entre outros, que constituem os fatores que determinam a linha a ser seguida por um Estado e seu governo no meio internacional.

A política Exterior é um conjunto de decisões políticas e ações de um governo que criam uma doutrina especifica, coerente, e de certa forma permanente, que o projeta no meio internacional, para atender às necessidades do Estado e que reflete a estabilidade e a força do Estado.

A política exterior é o modo através do qual os Estados conduzem suas relações mútuas como parte integrante do sistema internacional, interagindo de diversos modos, tendo como marcos limites a cooperação e o conflito.

Características da política: é própria dos Estados e é parte integrante da política geral do estado.

A política exterior é própria dos Estados como atores privilegiados por constituir o conjunto de posições, atitudes, decisões e ações que adota um Estado além da sua fronteira.

A política é parte integrante da política geral dos Estados: seus destinatários são os Estados e os demais atores das relações internacionais. Está orientada para permitir a interação entre os demais atores da sociedade internacional.

Principais elementos da política exterior

Objetivos permanentes: é o que se deseja alcançar no longo prazo e as principais metas são: segurança nacional; proteção das condições de vida dos seus habitantes; manutenção de valores e princípios próprios dessa sociedade.

Os meios de ação da política exterior: constituem os instrumentos que um Estado tem para alcançar seus objetivos. Podem ser a diplomacia ou a guerra.

Meios pacíficos: diplomacia – promoção dos interesses nacionais por meios pacíficos; negociação- dois mais sujeitos desenvolvem ações para chegar a uma ação comum ou para resolver amistosamente as diferenças entre eles; e a propaganda – esforço de alterar a imagem.

Meios de pressão: medidas de caráter econômico- visam sufocar a economia do país, visando forçá-lo a uma determinada conduta; represálias – pode ser tanto no campo econômico, como no campo político, incluindo o rompimentos de relações e fechamento de fronteiras - e a subversão- busca influenciar por todos os meios possíveis grupos no interior de cada um Estado para derrubar ou manter governo.

Meio coercitivos: intervenção, sem a utilização direta da força e a guerra.

Política exterior e comportamento em política exterior: pode ser definida como resultado de um conjunto de decisões que respondem a fatores internos e externos concretos, que norteiam a ação externa de um Estado em suas relações internacionais com outros Estados ou organismos internacionais.

Política exterior: conjunto de prioridades que estabelecem as lideranças de um Estado para servirem como diretrizes ou linha de conduta a serem escolhidas entre diversas alternativas, em situações determinadas e buscando atingir os objetivos estabelecidos que se encontram reunidos em resumos sob a denominação de interesse nacional.

Interesses nacionais: sobrevivência física; liberdade e a sobrevivência econômica.

O conceito de agenda que tem substituído o de interesse nacional, que inclui um conjunto de interesses ou temas específicos, que podem ser operacionalizados.

Comportamento de política exterior: diretamente relacionado com as decisões que são tomadas pelos Estados entre si, levando-se em consideração que estão ligados a propósitos globais.

Padrões de comportamento: Alianças – caracterizam por serem grandes acordos formais; Área de atuação – contato de caráter internacional que realiza os Estados e Modus operandi – métodos para atingir seus objetivos em matéria de política internacional, classificando em categorias: multilateralismo e ativismo.



Fatores determinantes em política exterior: poder ser agrupados em três grupos – os sistêmicos; os atributos nacionais e a personalidade ou características pessoais dos seus governantes .

Fatores sistêmicos:estão relacionados com a argumentação em torno do que domina o interesse nacional e os desafios e oportunidades no cenário mundial.

Fatores mais significativos:

A geografia – condições ao longo de suas fronteiras; distancia a ser percorrida até se chegar a pontos estratégicos.

Vínculos internacionais – as distancias ou proximidades não medidas apenas em termos geográficos, mas principalmente em termos políticos, culturais e ideológicos, sendo fator determinante para o volume e a natureza do intercâmbio.

Estrutura do sistema internacional: as diferentes situações de unipolaridade , bipolaridade e multipolaridade afetam as situações de conflitos, guerras e cooperação.

Os atributos nacionais: a atuação de um país no cenário internacional pode ser determinada pela presença ou ausência de atributos nacionais.

Atributos Nacionais: os mais significativos:

Demográficos o tamanho, a motivação e a homogeneidade da população contribui para a sua política externa.

Econômicos – são três as características econômicas que afetam políticas externa: o tamanho e a taxa de crescimento de sua economia; o nível de sua riqueza e a natureza do seu sistema econômico.

Militares – um país quando não conta com recursos para se impor do ponto de vista militar, privilegiará a diplomacia.

Organização política – democracias ou ditaduras alteram as relações internacionais. À medida em que a democracia foi elevado a condição de valor universal, o pais democrático terá facilitada a sua relação com os demais estados.

A personalidade dos seus governantes: a conduta pessoal pode criar situações que prejudiquem ou ampliam as relações internacionais do Estado. Personalidades determinantes na política exterior dos seus países: Hitler, Stalin, Churchil, Peron Vargas entre outros.

O interesse nacional: evolução histórica: pode ser identificado com vontade do príncipe – absolutismo; com interesses dinásticos; com razão de estado; com honra nacional; com o interesse público e a vontade geral.

A razão de estado ainda é hoje utilizada como argumento para justificar a ação do Estado no cenário internacional.

O conceito de interesse nacional pode ser utilizado como ferramenta para a análise política do comportamento exterior de um determinado Estado, ou para orientar a ação política dos governos deste Estado.

Podem ser encontrados diferentes tipos de interesse nacional em função dos diferentes interesses representados.

Há uma tendência de substituição da expressão interesses nacionais por agenda nacional, considerando que esta última comporta com mais facilidade os crescentes interesses setoriais que aumentam devido à crescente complexidade e interdependência do sistema internacional.

Fatores condicionantes das relações internacionais

Fatores: conjunto de condições ou fatos que envolvem todas as formas de relação que podem ocorrer entre atores do sistema internacional.principais

Principais fatores: geográfico, demográfico, econômico, técnico – cientifico, jurídico, cultural e ideológico.

Fator geopolítico: geográfico, demográfico e de meio ambiente – delimitação e localização de território, a densidade demográfica, quantidade da população e seus deslocamentos, aquecimento global e os recursos naturais são fatores relevantes no sistema internacional.

A economia o direito os aspectos tecnológicos as questões culturais e ideológica estão cada vez mais presente e com uma relevância cada vez maior na relações internacionais

LIVRO: RELAÇÕES INTERNACIONAIS: INTRDUÇÃO AO ESTUDO DA SOCIEDADE INTERNACIONAL GLOBAL.



AUTOR: REINALDO DIAS

EDITORA ATLAS.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal