Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Faculdade de Psicologia



Baixar 195.39 Kb.
Página1/6
Encontro19.07.2016
Tamanho195.39 Kb.
  1   2   3   4   5   6

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Faculdade de Psicologia

A contribuição da utilização dos recursos artísticos e lúdicos pelo psicólogo hospitalar no tratamento de pacientes renais no Hospital do Rim e Hipertensão.

Thaís Petroff Garcia

Orientadora: Márcia Bittencourt


Trabalho de Conclusão de Curso como requisito para a obtenção do título de Graduação em Psicologia.

São Paulo

2004
São Paulo, 03 de novembro de 2004.

Área de conhecimento: 7.07

Thaís Petroff Garcia

Título: A contribuição da utilização dos recursos artísticos e lúdicos pelo psicólogo hospitalar no tratamento de pacientes renais no Hospital do Rim e Hipertensão. 2004.

Orientadora: Márcia Bittencourt

Palavras chaves: arte terapia, recursos artísticos, psicologia hospitalar.
Resumo
O objetivo deste estudo foi refletir sobre a possível contribuição do psicólogo hospitalar aos pacientes internados, através dos recursos artísticos.

O processo desta investigação desenvolveu-se em 13 fases: um breve histórico sobre a utilização dos recursos artísticos como auxiliares no processo de cura através das diferentes épocas, uma discussão sobre o significado atribuído ao termo “arte terapia”, uma caracterização da importância do lúdico na infância e adolescência, uma descrição de diferentes técnicas artísticas e sua contribuição aos pacientes, a caracterização da doença renal e seus tratamentos, os aspectos psicológicos do paciente renal, um breve histórico sobre a construção da instituição hospitalar desde a antiguidade até a atualidade, o papel do psicólogo hospitalar, a descrição do hospital onde o estudo ocorreu, a caracterização da oficina de artes do Hospital, a descrição de dois atendimentos com um paciente renal através da utilização de recursos artísticos, a análise e a conclusão.

A análise dos atendimentos, embasada em todo o estudo realizado anteriormente, permitiu a identificação da importância da intervenção do psicólogo hospitalar, através dos recursos artísticos, para o processo de internação hospitalar e, para a relação estabelecida com a doença pelo paciente renal.

Índice



1-Introdução p.4

2-Problema p.6

3-Metodologia p.7

4-Histórico da utilização de recursos artísticos no processo de cura p.8

4.1-Internacional p.8

4.2-No Brasil p.11

5-A arte terapia p.12

6-A utilização do lúdico: arte e brincadeira na infância e adolescência p.15

7-A arte como facilitadora p.19

7.1-Diferentes técnicas p.20

8-O paciente renal p.22

8.1-Os rins p.22

8.2-Insuficiência renal p.23

8.2.1-Insuficiência renal aguda p.23

8.2.2-Insuficiência renal crônica p.24

8.3-O tratamento dialítico p.26

9-Aspectos psicológicos do paciente renal p.27

10-A instituição hospitalar p.30

11-O psicólogo no hospital p.32

12-O hospital do Rim e Hipertensão p.41

13-A oficina do Hospital p.43

14-Atendimento psicológico ao paciente renal através de recursos artísticos p.44

15-Análise p.49

16-Conclusão p.51

17-Bibliografia p.53

“A arte é a emoção recapturada em estado de tranqüilidade”.


William Wordsworth

1-Introdução

“Percebi que o simples ato de riscar um papel tem um sentido e descobri em meus desenhos algumas verdades que o meu pensamento discursivo tinha sido incapaz de captar”.(Pereira, 1976, p.9)


Sempre acreditei que o auxílio do profissional de psicologia em momentos de crise era algo de muito positivo e que muito teria a contribuir para a busca da resolução do problema. No entanto, para muitos, não é fácil compartilhar idéias e sentimentos com outra pessoa, ou por resistência ou pela dificuldade em verbalizar essas questões. Além disso, quando se é criança, isso se torna ainda mais difícil, uma vez que esta ainda não tem acesso há um amplo vocabulário para ajudá-la nesta tarefa.

Baseando-me nesta condição iniciei uma busca à recursos que pudessem auxiliar o psicólogo na relação com seu paciente. Sendo a psicologia de base majoritariamente verbal, sentia necessidade de subsídios que pudessem preencher as lacunas às quais o atendimento psicoterapêutico tradicional não dava conta.

Como o currículo da Faculdade de Psicologia em sua maior parte dispunha de matérias com o foco no atendimento verbal, procurei suprir esta falta fazendo matérias em uma outra faculdade que me dispusesse outros recursos.

Descobri assim a Faculdade de Comunicação e Artes do Corpo. Nesta pude participar de disciplinas nas quais obtive aulas como: clown, mímica, metonímia, dentre outras. A partir desta experiência comecei a me interessar mais e mais pelos recursos “alternativos” que poderiam ser utilizados em atendimentos psicoterapêuticos.

Nesta jornada descobri a arte terapia permanecendo aí algum tempo, procurando compreendê-la. Senti alguma dificuldade, uma vez que este ainda não é um campo bem delineado, mas, de forma geral, a arte terapia é uma linha de terapia que utiliza recursos artísticos como base de seu trabalho. Há também uma grande discordância com relação aos profissionais que podem dela se utilizar e com qual intuito.

Entra-se assim em uma discussão do que é o processo terapêutico e quem faz uso deste. Como uma questão introdutória, pode-se perguntar se a arte terapia pode ser utilizada por diversos profissionais com diferentes objetivos.

Seguindo em frente, deparei-me com diversos outros recursos, dentre estes: ludoterapia, ecoterapia, sand play, musicoterapia, imaginação ativa, contar histórias etc.

No presente trabalho procuro agrupá-los como facilitadores do processo psicoterapêutico e proporcionadores de ludicidade para os pacientes.



2-Problema

Como auxiliar os pacientes internados em hospitais para que possam compreender sua doença, de modo a aceitar o tratamento e, vir a enfrentar não só o período pré-operatório, como também o pós-operatório e sua recuperação. Esta obra busca mostrar a contribuição dos recursos artísticos e da ludicidade como auxiliares no trabalho do psicólogo hospitalar com pacientes do Hospital do Rim e Hipertensão. Procura descrever a importância que estes recursos oferecem para a possível superação de problemas e conflitos assim como também na adaptação do paciente a este. O papel do psicólogo hospitalar dentro deste contexto é também abordado.

Há também a dificuldade em encontrar um consenso sobre o que é exatamente a “arte terapia” e quem faz uso desta. O presente trabalho procura abordar esta questão, discutindo o significado dessa expressão e sua utilização no contexto psicoterapêutico.

Tal abordagem se faz necessária, pois essa expressão usualmente, é utilizada indiscriminadamente por muitos profissionais, quando se referem ao trabalho que fazem utilizando a arte. Acredito ser assim importante esclarecer como essa prática à de utilizar-se da arte e, que benefícios pode trazer para pacientes internados, além de poder ampliar a visão desses benefícios para outros contextos.



3-Metodologia

O presente trabalho utiliza-se de uma pesquisa de campo e de revisão teórica como método de pesquisa para a verificação do problema exposto acima. Primeiramente faz-se uma explanação sobre a utilização da arte como auxiliar no processo de cura, desde os seus primórdios até a atualidade. Busca-se ao final desta analisar o termo “arte terapia” com o intuito de cercear melhor o seu sentido e utilização. É explicado também, de forma sucinta, alguns recursos artísticos que podem ser utilizados pelo psicólogo em seu trabalho.

Através de um levantamento bibliográfico, analiso a função do psicólogo hospitalar, dentro de seu contexto, demonstrando todas as peculiaridades dessa profissão em relação ao psicólogo clínico. Busca-se também demonstrar e descrever diferentes recursos e meios que podem ser utilizados pelo psicólogo no hospital, além do atendimento tradicional.

A descrição e análise de um atendimento realizado através do lúdico e dos recursos artísticos, com uma paciente do Hospital do Rim e Hipertensão, busca exemplificar a importância da utilização dessas técnicas, pelo psicólogo hospitalar.



  1   2   3   4   5   6


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal