Pontos acordados



Baixar 47.65 Kb.
Encontro19.07.2016
Tamanho47.65 Kb.

Pontos acordados


Pontos em discussão

Argumentos

O fósforo é um elemento essencial à vida, não é tóxico aos seres vivos, porém é o nutriente mineral que mais limita a produtividade biológica nas águas e no solo, uma vez que contribui para o processo de eutrofização, contribuindo para a proliferação de organismos aquáticos, inclusive de algas produtoras de toxinas.










A biodisponibilidade do fósforo na água INDEPENDE da origem da fonte: dejetos humanos, fertilizantes, Detergentes, dentre outras. Cerca de 80 a 86 % de TODAS as formas de fósforo sofrem hidrólise em até 48 horas, tornando-se biodisponíveis.
As formas solúveis de fósforo presentes nas águas são as biodisponíveis aos organismos aquáticos das quais, inclui-se o STPP. As demais formas, em parte, tornam-se disponíveis, dependendo da escala de tempo que influencia o estado trófico e de outros fatores para serem incorporadas à cadeia trófica.
As formas solúveis de fósforo presentes nas águas são prontamente biodisponíveis aos organismos aquáticos, das quais inclui-se o STPP. As demais formas de fósforo, em parte, também tornam-se biodisponíveis, mas numa escala de tempo maior, não sendo dessa forma prontamente biodisponíveis para serem incorporados à cadeia trófica.
As formas solúveis de fósforo presentes nas águas são prontamente biodisponíveis aos organismos aquáticos, entre as quais inclui-se o fósforo do STPP. As demais formas de fósforo, em parte, também tornam-se biodisponíveis, mas numa escala de tempo maior. No entanto, a relação fósforo solúvel/fósforo total nos corpos d´água tende a manter-se, numa faixa entre 15 a 20 %, independentemente da maior ou menor carga de fósforo.

Proposta da ABIPLA para o consenso

Como não houve consenso, Patrícia irá enviar as referências por e.mail e haverá um sub-grupo para definir a idéia.
O íon polifosfato contribui significativamente com a manutenção das concentrações de fósforo solúvel reativo quando comparado com outras formas de fósforo normalmente encontradas nos corpos de água.

Explicação: nem todas as formas ingressantes de fósforo (Porg part., Porg col, Pino part.) se convertem em fósforo solúvel reativo na escala de tempo que influencia o estado trófico dos corpos de água.
A biodisponibilidade de fósforo é proporcional à contribuição de cada fonte na carga total de fósforo.

A biodisponibilidade do fósforo proveniente de detergentes em pó NÃO pode ser utilizada ISOLADAMENTE como argumento para o estimar os efeitos dessa fonte no ambiente aquático.


REFORMULAR PARA BUSCAR CONSENSO

CONFERIR AS REFERÊNCIAS – PATRÍCIA/E-MAIL



Davis e Wilcomb (1967) – nas primeiras 48 horas a 28oC – 80 a 86% de todas as formas de fósforo sofrem hidrólise.

INMAN, JAMES K. BEATTIE, DAVID R. JONES and DARREN S. DALDWIN – Wat. Res. Vol. 35, no. 8 pp, 1987-1993, 2001

WETZEL 1983 -


A relação de concentração de fósforo e de clorofila não é obrigatoriamente linear.

Exemplos: Reservatório de Salto Grande (Brasil) e Lagos Washington e Minnetonka (Estados Unidos)

fenômeno de eutrofização depende de: Profundidade média, tempo de retenção hidráulica, coeficiente de retenção, dentre outras variáveis (temperatura, luminosidade, etc.)
comportamento da relação P e eutrofização varia caso-a-caso. Não há constância entre causa e efeito.











Estimativa da ABIPLA sobre cargas potenciais de fósforo no país.

Dejetos - 27,3%

Estercos - 23,9%

Solos - 18,5%

Fertilizantes - 11,5%

Lixo domiciliar - 10,4%

Detergentes - 8,4%

A carga de fósforo proveniente de detergentes corresponde a menor contribuição em relação às outras fontes.





Procedimento de cálculo em anexo

CARGAS DE FÓSFORO

Guarapiranga - Área Crítica

62% - esgoto; 27% - Cargas Difusas Urbanas e 11% agrícolas.

Da carga total afluente ao reservatório (778 kg de P por dia)

ATUALIZAR COM DADOS DA APRESENTAÇÃO








CENÁRIO MAIS CRÍTICO - ESTIMATIVA DE CARGA

Reservatório de Guarapiranga

ATUALIZAR COM DADOS DA APRESENTAÇÃO








SIMULAÇÃO - Cargas de fósforo na Guarapiranga

Aplicação do Modelo de Dillon e Rigler

ATUALIZAR COM DADOS DA APRESENTAÇÃO
Os dados do Guarapiranga representam uma situação crítica em área metropolitana e não podem ser entendidos como sendo a realidade nacional. O melhor conhecimento do problema nacional exige a geração de maior número de dados qualitativos e quantitativos.








Não foram encontrados estudos realizados no Brasil, especificamente, sobre a contribuição do fósforo de detergentes para a eutrofização das águas

Existe sobre fósforo em geral.


REFORMULAR











A redução do fósforo na formulação dos detergentes em pó constitui uma das ações preventivas que contribui para a diminuição do aporte desta carga nos cursos de água do país,- estimados como sendo de 64 toneladas de fósforo por dia -, minimizando os impactos negativos dela decorrentes.
A redução do fósforo na formulação dos detergentes em pó constitui uma das ações preventivas que contribuirão para a diminuição do aporte desta carga nos cursos de água do país, reduzindo os impactos negativos dela decorrentes.

REVISAR





TRATAMENTO DE ESGOTOS

Política Nacional de Saneamento



“O tratamento de esgotos
é fundamental para qualquer programa de despoluição das águas”







O tratamento terciário de esgotos constitui a forma viável mais eficiente de remoção de fósforo de origem antrópica que aporta aos cursos d´água sendo recomendada para as bacias críticas (a remoção do fósforo total é superior a 85%) e já é adotada com sucesso em ETEs no país (ex.: Lago Paranoá) inclusive em caráter preventivo (Projeto Corumbá-IV). O país dispõe de projetos de políticas públicas de saneamento ambiental em andamento no âmbito dos Ministérios das Cidades e da Saúde, bem como programas como o PRODES, destinado despoluição de bacias.
A forma efetiva de gerenciamento da eutrofização envolve o estabelecimento de regulamentações na produção de cargas na fonte; de políticas de saneamento e de uso e ocupação do solo sendo um instrumento fundamental, em áreas críticas, o tratamento terciário de esgoto (ou a exportação dos esgotos) que elimina simultaneamente o fósforo de fontes industriais e domésticas (incluindo os detergentes.







Os benefícios da redução de fósforo em detergentes obtidos na Europa e EUA devem ser avaliados em relação ao contexto brasileiro respeitando suas especificidades, visando sua possível aplicação.
DIFERENÇAS NO OBJETIVO A SER ATINGIDO







Europa

Brasil







redução da carga total de fósforo em todo o continente

Resolver o problema da eutrofização em áreas críticas

DIFERENÇAS NOS CORPOS D’ÁGUA NO BRASIL E NA EUROPA (atualizar Nos)

Europa

Brasil

Água mais dura

Água menos dura

Lagos profundos (predominância)

Lagos rasos (predominância)

Áreas marinhas com problemas de eutrofização causado por P

Áreas marinhas sem problemas de eutrofização causados por P

DIFERENÇAS DA PARTICIPAÇÃO DO STPP NA CARGA NO BRASIL E NA EUROPA







Europa

Brasil







Maior nível de STPP na formulação (até 50%)

Menor nível de STPP na formulação (até 26,5%)







Maior consumo de detergentes (até 3X maior que no Brasil)

Menor consumo de detergentes







Resultado do controle de STPP: redução de 35% a 50% de P total no corpo d´água em alguns países

Resultado do controle de STPP: redução estimada de no máximo 15% a 18% de P total no corpo d´água (em revisão)







Não foram encontrados estudos realizados no Brasil, especificamente, sobre a contribuição do fósforo de detergentes para a eutrofização das águas.

Existe sobre fósforo em geral.

No Brasil, a eutrofização de mananciais ocorre em áreas críticas - e requer soluções específicas.








A solução do problema de eutrofização exige redução significativa do aporte de fósforo no corpo hídrico







Momento é oportuno para a solução efetiva do problema de eutrofização em áreas críticas, tendo em vista a política do Governo Federal de destinar recursos substanciais para o saneamento básico, inclusive atrelando-os à eficiência de remoção de cargas nos esgotos tratados.

PROPOSTA DE MOÇÃO








O incremento de fósforo proveniente de detergentes no custo operacional no tratamento de esgoto terciário não é significativo e sua implantação requer o investimento da ordem de 20 a 30% ,em média, superior a uma ETE de tratamento secundário.







©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal