Pró-Reitoria de Extensão – ufal. Incubadora de Empreendimentos Solidários unitrabalho/ufal 2011 ementa: Curso de Extensão em Educação e Economia Solidária



Baixar 47.49 Kb.
Encontro26.07.2016
Tamanho47.49 Kb.

Pró-Reitoria de Extensão – UFAL.

Incubadora de Empreendimentos Solidários

UNITRABALHO/UFAL - 2011
EMENTA: Curso de Extensão em Educação e Economia Solidária


Anexo II


Realização

Pró-Reitoria de Extensão


Elaboração



Fundação Interuniversitária de Estudos e Pesquisas sobre o Trabalho

Incubadora de Empreendimentos Solidários UNITRABALHO/UFAL


APOIO





I.- IDENTIFICAÇÃO DO CURSO


Modalidade: À Distância

Carga Horária: 160 horas aulas

Público alvo: Pessoas que estão direta ou indiretamente envolvidas com a economia solidária, professores, coordenadores e gestores da EJA.

Período: fevereiro, marco, abril e maio de 2012.


II- CORPO DOCENTE




PROFESSOR

FORMAÇÃO /INSTITUIÇÃO.

CEZAR NONATO BEZERRA CANDEIAS

Dr. EM EDUCAÇÃO – UNITRABALHO/UFAL

TUTORES




ADELSON GOMES DA SILVA

PEDAGOGO – UNITRABALHO/UFAL

ADRIANA CLAUDINO

AGRÔNOMA – UNITRABALHO/UFAL

PAULO DOS SANTOS JÚNIOR

Estudante de Economia – UNITRABALHO/UFAL

AMÉLIA VIRGINA LUCENA OBA

Engenheira de Alimentos – UNITRABALHO/UFAL

MONALISA CORREIA

Estudante de Pedagogia – UNITRABALHO/UFAL




III – EMENTA




Estudo da economia solidária e da educação como processo da formação humana tendo como partida a temática do trabalho. A relação entre economia solidária, educação popular, EJA e desenvolvimento local a partir da contextualização da economia solidária na realidade socioeconômica do estado de Alagoas dentro de um modelo de produção capitalista, a relação do processo da educação/formação dos empreendimentos solidários com os princípios da educação popular.



IV – OBJETIVOS




GERAL:

  • Proporcionar que lideranças, assessorias, gestores públicos e professores da EJA que estão diretamente trabalhando com empreendimentos de economia solidárias no estado de Alagoas ou atuando na EJA se apropriem de conhecimentos básicos sobre os conceitos e a organização da economia solidária no estado bem como refletir sobre temas ligados ao mundo do trabalho e a educação, viabilidade, autonomia e sustentabilidade de atividades de geração de empregos e renda dentro dos princípios da economia solidária no atual contexto da realidade socioeconômica do estado.

ESPECÍFICOS:



  • Refletir sobre o conceito do Trabalho e sua organização no atual contexto.

  • Conhecer os conceitos da Economia Solidária e refletir sobre sua diversidade no contexto econômico brasileiro.

  • Contextualizar a Economia Solidária frente à fragilidade da economia alagoana e apontá-la como uma possível alternativa para a minimização das desigualdades sociais.

  • Estabelecer relações entre a Educação e o Trabalho (educação popular e economia solidária).

  • Discutir o Desenvolvimento Local e Comunitário como possibilidade de construção de um modelo de desenvolvimento mais participativo, mais justo e sustentável.

  • Estabelecer relações entre a Economia Solidária e EJA.




V – CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS




TEMA ITRABALHO ECONOMIA SOLIDÁRIA.


    1. ECONOMIA SOLIDÁRIA E O MODELO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA. O que é trabalho? (conceito ontológico)

    2. O que é a economia solidária? Conceitos e princípios – diferenças entre economia capitalista, economia popular e economia solidária.

    3. Sujeitos da economia solidária no Brasil e em Alagoas.

  • O que é um Empreendimento Solidário? Critérios.

  • Entidades de assessoria. Quem São?

  • Entidade Governamental.

  • Outros.

1.5. – Organização e articulação da Economia Solidária.

  • Mapeamento da economia solidário em Alagoas.

  • Categorias da organização: Associações, Cooperativas e Grupos Informais.

  • Organização da economia solidária

  • As políticas públicas vinculadas à economia solidária.

TEMA II – ECONOMIA SOLIDÁIRA E EDUCAÇÃO POPULAR
2.1. – A relação da economia solidária com a educação popular


  • PRÍNCIPIOS EDUCATIVOS DA ECONOMIA SOLIDÁRIA.

2.2. – Processo de incubação de empreendimentos solidários e educação popular.




  • A Incubação como processo educativo.

  • Conceito de incubação

  • Origem e tipos de incubadoras.

  • Metodologia “UNITRABALHO” de incubação


TEMA III – ECONOMIA SOLIDÁRIA, DESENVOLVIMENTO LOCAL E COMUNITÁRIO.
4.1. – Conceitos básicos sobre desenvolvimento comunitário e local.

4.2. – O desenvolvimento comunitário: estratégias e instrumentos.




  • O processo

  • Para desenhar um processo.

  • Desenho de um plano de desenvolvimento local.

  • Pontos para o êxito de um plano para o desenvolvimento local.



TEMA IV (para professores de EJA) ECONOMIA SOLIDÁRIA E EJA.
Tema: economia solidária e educação de jovens e adultos (para a turma formada pelos professores, coordenadores e gestores de EJA).


  1. Organização do Estado e suas implicações na realidade dos trabalhadores e trabalhadoras da Economia Solidária

  2. História do trabalho e as perspectiva do trabalho emancipatório na construção de uma sociedade justa e solidária.

  3. Organização e estratégias de resistência dos trabalhadores e das trabalhadoras e os movimentos sociais.

  4. Análise de conjuntura local, regional, nacional e internacional nos aspectos socioeconômico, e educacional. (as tendências da economia e da educação brasileira nas últimas décadas e suas respectivas crises).

  5. A importância da escolarização no processo de formação de Redes de cooperação e cadeias produtivas solidárias com o público da economia solidária.

  6. Processo de constituição de identidade do sujeito político, considerando gênero, geração, raça e etnia.




V – Capitação de recursos e Elaboração de projetos (para os atores dos empreendimentos e poder público).
Ciclo de projeto.

Elaboração de projetos


Diagnostico - metodologia DAFO

Identificação do problema central.

Elaboração da justificativa e dos objetivos do projeto.
Elaboração das metas, atividades e resultados do projeto.

Elaboração de cronograma físico e financeiro do projeto.

Avaliação do projeto.





VI – METODOLOGIA




Esta primeira edição deste curso será realizada na modalidade de educação à distância, seguido a algumas etapas.
A divulgação do curso se dará por meio eletrônico e impresso, definido período para inscrição dos candidatos, a seleção será feita por meio das comprovações exigidas no edital com atenção especial para a carta de motivação;
O curso terá uma dimensão presencial e outra à distância. Para a dimensão presencial teremos alguns encontros nas dependências do Polo de apoio da Universidade Aberta do Brasil de Maceió. O calendário desses encontros seré comunicado aos alunos no ato da matrícula. Para a dimensão à distância utilizaremos a ambiente de aprendizagem virtual Moodle, nesse espaço os alunos poderão interagir e acessar todo o material e as atividades do curso.

O material constará de textos para leitura, atividades sugeridas pelo professor, Slides dos principais temas e fóruns de debate. Postaremos também, no ambiente de aprendizagem, pequenos vídeos e gravações de áudio com os principais conceitos de cada tema.


O curso terá uma carga horária total de 160 horas, incluindo nessa carga horária tanto as atividades de caráter mais teórico quanto atividades práticas.







VII – AVALIAÇÃO




A avaliação consistirá na realização dos trabalhos sugeridos pelos professores levando em conta o cumprimento dos prazos pré-estabelecidos, a qualidade técnica do trabalho e a coerência do conteúdo com a temática relacionada. Será destinado a cada participante pelo menos um trabalho por cada tema e outro final que tenta abranger todos os objetivos do curso, esses trabalhos poderão ser realizados de forma individual ou coletiva a critério de cada professor/tutor.



VIII – BIBLIOGRAFIA BÁSICA



ARRUDA, Marcos. Redes, educação e Economia Solidária: novas formas de pensar a educação de jovens e adultos. In: Economia solidária e educação de jovens e adultos / Sonia M. Portella Kruppa, organização. – Brasília: Inep, 2005. p. 31-46. (link-http://www.inep.gov.br/download/cibec/2005/titulos_avulsos/econ_solidaria_educacao_JA.pdf)


BUARQUE, Sérgio C. Metodologia de planejamento do desenvolvimento local e municipal sustentável: Material para orientação técnica e treinamento de multiplicadores e técnicos em planejamento local e municipal. Brasília, junho de 1999. (link -http://www.apodesc.org/sites/documentos_estudos/arquivos/Planej-Metodologia%20de%20planejamento%20do%20desenvolvimento%20local%20e%20municipal%20sustentavel-Sergio%20Buarque.pdf)
CULTI, Maria Nezilda. O desafio do processo educativo em prática de incubação de Empreendimentos econômicos solidários. (tese de Doutorado) – Faculdade de Educação – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006. (VII Capítulo, p. 142-236). (link - http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-20062007-120131/pt-br.php)
GAIGER Luiz Inácio. A ECONOMIA SOLIDÁRIA DIANTE DO MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA. In: Economia Solidária I. p. 18 - 38. (link - www.uff.br/incubadoraecosol/docs/ecosolv1.pdf).
LECHAT, Noëlle Marie Paule. AS RAÍZES HISTÓRICAS DA ECONOMIA SOLIDÁRIA E SEU APARECIMENTO NO BRASIL. In: Economia Solidária I. p. 4-15. (link - www.uff.br/incubadoraecosol/docs/ecosolv1.pdf).
MELO NETO, José Francisco de. EDUCAÇÃO POPULAR EM ECONOMIA SOLIDÁRIA. Paraíba: UFPB - GT: Educação Popular / n.06 - (link - http://www.cultura.ufpa.br/itcpes/documentos/educacao_popular_economia_solidaria.pdf)
MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO - Secretaria Nacional de Economia Solidária. É possível levar o desenvolvimento para comunidades pobres?/ Paul Singer. Brasília, maio de 2004. ( link - http://www.mte.gov.br/ecosolidaria/prog_desenvolvimentocomunidadespobre.pdf)
SANTOS, Ana Maria Marques & DELUIZ, Neise. SABERES DO TRABALHO E EDUCAÇÃO POPULAR NA COOPCARMO: PROJETO LIXO E VIDA. UNESA. ( link - http://www.anped.org.br/reunioes/29ra/trabalhos/trabalho/GT06-1701--Int.pdf)
SILVA, Maria Teresa Ramos da & ARNS, Paulo Cesar. Desenvolvimento Comunitário. In: PROJETO BNDES – DESENVOLVIMENTO LOCAL COOPERAÇÃO TÉCNICA DO PNUD. (link - http://www.empreende.org.br/pdf/Programas%20e%20Pol%C3%ADticas%20Sociais/Desenvolvimento%20Comunitario.pdf)
SINGER, Paul. A Economia Solidária como ato pedagógico. In: Economia solidária e educação de jovens e adultos / Sonia M. Portella Kruppa, organização. – Brasília: Inep, 2005. p. 13-20. (link-http://www.inep.gov.br/download/cibec/2005/titulos_avulsos/econ_solidaria_educacao_JA.pdf)


REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES.

Alburquerque, F. Metodología para el desarrollo económico local. Serie Ensayos. LC/IP/G.105. ILPES-CEPAL, 1997.

Alburquerque, F.La importancia del enfoque del desarrollo económico local. In: Vásquez y Madoery: Transformaciones globales, instituciones y políticas de DLocal, Rosario Marcos Rodríguez. "De la Acción al Desarrollo Local". Fundación Nacional para el Desarrollo. El Salvador, 2001.

Arocena, J. El desarrollo local: un desafío contemporáneo, Centro Latinoamericano de Economía Humana (CLAEH). Caracas: Ed. Nueva Sociedad, 1995.
BURIN, David e HERAS, Ana Inés, compiladores. "Desarrollo Local" Ediciones Ciccus La Crujía, Buenos Aires. Argentina. 2001.

CAPUCHA, Luís, PEGADO, Elsa e SALEIRO, Sandra. Metodologias de Avaliação de Intervenções Sociais; PROFISSS; Lisboa, 1999.

CARVALHO, Cicero Péricles. Economia popular, Uma via de modernização para Alagoas; 3ª Edição; Editorial UFAL, 2008.
CATTANI, Antonio David. A outra Economia. Veraz Editores. 2005.

Comissão das Comunidades Europeias - Manual Gestão do Ciclo de Projecto: Abordagem Integrada e Quadro Lógico; Série Métodos e Instrumentos para a Gestão do Ciclo de Projecto; CE; Bruxelas, 1993.

COMISSÃO EUROPEIA - Gestão do Ciclo do Projecto: abordagem integrada e quadro lógico; CE; Bruxelas, 1993



Kraychete, Gabriel. Economia popular solidária: sustentabilidade e transformação social. In: Kraychete. Gabriel e Aguiar, Kátia. ECONOMIA DOS SETORES POPULARES: SUSTENTABILIDADE E ESTRATÉCIAS DE FORMAÇÃO. São Leopoldo: Oikos, 2007.

Milanez, Francisco. Desenvolvimento sustentável. In: CATTANI, Antonio David. A outra Economia. Porto Alegre: Veraz Editores, 2003.








©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal