Prefeitura do Município de São Paulo



Baixar 167.02 Kb.
Página1/4
Encontro21.07.2016
Tamanho167.02 Kb.
  1   2   3   4





Prefeitura do Município de São Paulo

Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente - SVMA

Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - CADES






Ata da 171ª Reunião Plenária Ordinária

Aos 19/08/2015, sob a presidência do Senhor Secretário José Tadeu Candelária, realizou-se a 171ª Reunião Plenária Ordinária do Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - CADES, convocada com a seguinte Pauta:



Expediente:

1. Discussão e votação da Ata da 170ª Reunião Plenária Ordinária do CADES.

2. Posse do senhor Wanderley Pires, como conselheiro titular, representante do Departamento de Parques e Áreas Verdes – DEPAVE.

3. Posse da senhora Kátia Bastos Florindo, como conselheira suplente, representante do Departamento de Parques e Áreas Verdes – DEPAVE.

4. Posse da senhora Anita Correia de Souza Martins, como conselheira suplente, representante do Departamento de Planejamento Ambiental – DEPLAN.

5. Posse da senhora Lygia Cecília Cunha, como conselheira titular, representante da Secretaria Municipal da Saúde – SMS.

6. Posse da senhora Sueli Rodrigues, como conselheira suplente, representante das Organizações Não Governamentais: Macro Região Leste 1 (Cidade Tiradentes, São Mateus, Itaquera), Entidade: Centro de Estudo de Meio Ambiente e Interação Social – CEMAIS.

7. Sugestões para inclusão na pauta desta reunião.



Ordem do dia

1. Exposição sobre o tema “Objetivos do Milênio – ODM e Desenvolvimento Sustentável.

2. Exposição sobre o Fundo Municipal de Saneamento Ambiental e Infraestrutura (FMSAI) junto à Secretaria Municipal de Habitação (SEHAB), destinado a apoiar e suportar ações de saneamento básico e ambiental e de infraestrutura no Município, pela Engenheira Denise Lopes de Souza.

3. Exposição sobre a Compensação ambiental referente aos trechos norte e sul do Rodoanel e da Marginal Tietê.

4. Sugestões para Pauta da próxima reunião e Assuntos Gerais.

Anexos:
- Ata da 170ª Reunião Plenária Ordinária do CADES.
José Tadeu Candelária

Secretário Municipal do Verde e do Meio Ambiente e


Presidente do Conselho Municipal do Meio Ambiente e
Desenvolvimento Sustentável – CADES

Secretário José Tadeu Candelária: Vamos dar início aos trabalhos de hoje, da nossa reunião. Primeiramente, quero agradecer a presença de todos por estarem aqui conosco, participando dessa importante reunião. Hoje nós vamos realizar a 171ª Reunião Plenária Ordinária do CADES. Hoje nós temos uma pauta muito importante, interessante. A gente não vai ter nenhuma discussão em relação a algum projeto ou obra, mas temos uma pauta que vai ser, como disse, importante para todos nós e que é um pleito já do Conselho, feito anteriormente. Então eu quero aproveitar essa oportunidade também para agradecer, já de início, a Secretária de Estado do Meio Ambiente, doutora Patrícia Iglesias, por ter aceitado o convite, e autorizado a Conselheira Aline Pacheco, e mais os técnicos Iracy e o Camilo, ambos funcionários da companhia ambiental Cetesb, para falar sobre as questões referentes aos trechos norte e sul do rodoanel. Quero também aproveitar para agradecer a participação importante, e a presença também de mais duas palestras que nós vamos ter aqui. E a primeira exposição versará sobre o tema Objetivos do Milênio. A exposição será feita pela Nina, que já está a postos ali. Já no seu lugar. Muito obrigado, Nina, pela sua participação. Nós vamos ter outra colega nossa, e companheira também, aqui do Fundo Municipal de Saneamento Ambiental e Infraestrutura, engenheira Denise Lopes de Souza, que também fará uma apresentação aqui para nós também, sobre esse fundo. E por último a apresentação do Rodoanel. Então eu quero reiterar os meus agradecimentos, meus cumprimentos a todos. Vou passar a palavra para a Julie, para que ela dê continuidade aos trabalhos de hoje, e dizer que nós estamos aqui também com um colega nosso que é o Paulo Ricardo Garcia, e que responde hoje, interinamente, pelo Departamento de Participação e Fomento – DPP,. E está conosco aqui. Agradecer a presença dele também, nos prestigiando aqui, e que em breve deverá assumir efetivamente o Departamento. O nosso Secretário Adjunto, doutor Romildo, e vários outros conselheiros que vão tomar posse aqui também, e que a Julie vai, na continuidade, passar os nomes a todos, aqui. Muito obrigado, e uma boa reunião para todos.

Secretária Executiva Julie Reiche: Bom dia a todos. Passamos para o nosso primeiro item do expediente. É a discussão e votação da Ata da 170ª Reunião Plenária Ordinária do CADES. Alguma observação dos Conselheiros? Sim, já temos quórum. Os Conselheiros que aprovam a ata permaneçam como estão. A Ata da 170ª Reunião Plenária Ordinária do CADES está aprovada por unanimidade. Dando continuidade à nossa pauta, passamos à posse dos novos Conselheiros. Posse do senhor Wanderley Pires, como Conselheiro Titular, representante do Departamento de Parques e Áreas Verdes, DEPAVE. Posse da senhora Kátia Bastos Florindo, como Conselheira Suplente Representante do Departamento de Parques e Áreas Verdes, DEPAVE. Posse da senhora Anita Correia de Souza Martins como Conselheira Suplente, representante do Departamento de Planejamento Ambiental, DEPLAN. Posse da senhora Lygia Cecília Cunha, como Conselheira Titular, representante da Secretaria Municipal de Saúde. E posse da senhora Sueli Rodrigues como Conselheira Suplente das organizações não-governamentais. Macro Região Leste 1, Cidade Tiradentes, São Mateus e Itaquera, representando a entidade Centro de Estudos de Meio Ambiente e Interação Social, CEMAIS. As posses estão acolhidas. Os Conselheiros considerem-se empossados, e sejam bem-vindos. Vamos então passar para o primeiro item do dia. Desculpa. A gente vai pedir ainda, sugestão para inclusão da pauta, no final dessa reunião. Algum Conselheiro gostaria de incluir algum tema para discutirmos no final da reunião? Pois não, dona Cecília? A gente vai discutir no final, mas a senhora inclui agora, por favor.

Conselheira Cecília: Pois não. Bom dia a todos. Sou Cecília, do Morro do Querosene. E eu queria que a gente refletisse sobre a situação dos Conselheiros. Duas situações: sempre tivemos um carrinho que trazia a gente do portão 10 até aqui, à UMAPAZ. E hoje, já não tive esse carrinho, e já tive que vir a pé, lá do portão 10. E no mínimo, tem um carrinho do parque, eu gostaria que todos refletissem sobre isso. Porque quem é funcionário público está aqui trabalhando. Mas quem é da Sociedade Civil está deixando de trabalhar, não ganha nada para vir aqui, e ainda, gastei mais de meia hora do portão 10 até aqui. E o segundo ponto que eu queria colocar também, é que, na semana passada, houve eleição para os Conselheiros do CONFEMA, que é o nosso Fundo Especial, que trabalha com muito dinheiro. Eu já fui Conselheira do CONFEMA. E não houve divulgação. As ONGs não ficaram sabendo. E eu entrei no site da Secretaria, e lá, só constavam informações da eleição para 2013. Então é necessário que a gente reflita. Às vezes, a gente deixa passar certas situações, dizer que quer a participação da sociedade civil, e precisa ser coerente com isso. Ou seja, há a necessidade que sejam divulgadas as eleições. Eu sou da Comissão para eleição dos novos representantes do Cades Butantã, que é da área onde eu resido. E não havia uma pessoa da Secretaria do Verde. Também quero que conste isso. Como é que a gente vai valorizar um Cades Regional dessa forma? Só isso.

Secretária Executiva Julie Reiche: Obrigada, Conselheira. Por favor, Conselheira Sueli.

Conselheira Sueli: Bom dia a todos. Eu gostaria de trazer uma solicitação, senhor Secretário, da comunidade do Jardim 9 de Julho, de uma área de preservação permanente, e que tem o projeto da construção de uma CEI, e essa área vai ser desmatada. Não foi ainda, porque intercedemos, e tivemos que fazer a denúncia junto à promotoria de meio ambiente. E eu trouxe o processo, e gostaria de entregar ao senhor para que, com muito carinho, reveja essa questão dentro do Jardim 9 de Julho. É a única área de preservação com várias nascentes. Então eu trouxe o documento. Eu gostaria de entregar. Muito obrigada pela oportunidade.

Secretária Executiva Julie Reiche: Obrigada. Conselheira Célia, por favor.

Conselheira Célia: Bom dia a todos. Complementando o que a senhora Cecília falou, acho que esse pessoal do Cades recentemente eleito, precisa ser valorizado também. E precisa haver uma articulação entre o CADES Central com esses Cades Regionais. Então eu sugiro que sejam convidados para um dia virem aqui. A gente fazer um seminário ou alguma coisa juntos, porque é indispensável essa interlocução. Eles podem trazer questões regionais para cá, e nós levarmos decisões daqui para lá. Então é imprescindível esse convite. Por favor, coloquem em pauta. Obrigada.

Secretária Executiva Julie Reiche: Obrigada. Estão anotadas as sugestões. Vamos aproveitar para registrar a chegada da senhora Lygia Cecília, para que ela possa tomar posse como Conselheira Titular, representando a Secretaria Municipal de Saúde, SMS. Seja bem-vinda. A posse está acolhida, Conselheira. Por favor, Maria Cristina.

Conselheira Maria Cristina: Maria Cristina, da OAB. Eu quero deixar para a próxima reunião do CADES, agendado, a seguinte temática: a Resolução 124 de 2008, que foi revogada pela 154 de 2013. Isso é importante. Próxima pauta. Obrigada.

Secretária Executiva Julie Reiche: Bom, vamos chamar para apresentação dos Objetivos do Milênio, a senhora Nina Orlow. Por favor, Nina.

Nina Orlow: Bom dia ao Secretário, bom dia aos Conselheiros e Conselheiras. Amigos e amigas. Porque nós temos aqui pessoas de longas caminhadas, já em defesa da questão da sustentabilidade nessa cidade. Eu vim aqui falar hoje, a convite da Secretaria. Agradeço essa oportunidade, e especialmente que nós gostaríamos muito de ter a presença da representante do PNUD. Porém, não foi possível ela ter vindo para cá no horário que acontece essa reunião. Então o Secretário Romildo, trocamos várias conversas e chegamos à conclusão de que, pelo menos, falar sobre o estado de São Paulo, especialmente a cidade de São Paulo, eu poderia fazer parte do grupo estadual pelos objetivos de desenvolvimento do Milênio. E ter trabalhado agora, na cidade de São Paulo. E a pauta é muito extensa, sempre, dos CADES. Então resolvemos que hoje eu faria essa apresentação, e a senhora Ieva ou a senhora Aidé, que trabalham junto ao PNUD, e que são os nossos interlocutores para esse programa, virão, oportunamente, com o maior prazer, combinando. Então elas estarão presentes só estabelecendo a agenda aqui, comum. Então eu vou falar rapidamente. São muitos assuntos. Mas acredito que todos vocês que já trabalharam com a Agenda 21, especialmente, muitos daqui presentes, estavam nesse processo. As pessoas da Secretaria do Verde fizeram grandes ações também junto às nossas iniciativas da Agenda 21. Então só para estabelecer um pouco essa continuidade que a ONU propôs, com os objetivos de desenvolvimento do Milênio, e os objetivos de desenvolvimento sustentável, que entram o ano que vem, na pauta, até 2030. Por isso que essa ansiedade nossa e a pressa, da gente estar bem integrado, e por dentro de um programa que será aprovado agora em setembro, na ONU, em Nova Iorque. Muitos estarão lá, presentes. Será a maior conferência que já houve. Vamos confirmar em setembro, mas estão dizendo que será a maior conferência que já houve, pela presença confirmada de representantes de países. Mais de 200 já confirmados. Disse que a segurança em Nova Iorque está assim: você não vai conseguir nem andar lá em setembro. Então a gente sabe como foi a ECO 92, como foi a Rio+20. São momentos importantes da humanidade, e nós temos que estar bem por dentro, e acompanhar esses assuntos. E é isso que a gente gostaria. Muito bem. Então coloquei aqui dois slides só para reforçar o trabalho que todos a grande parte já acompanhou, já praticou. A gente tinha uma cartilha do passo a passo da Agenda 21 Local, elaborada pela própria Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, em parceria com o Ministério do Meio Ambiente. E nós fizemos um grande esforço comum, sociedade civil e prefeituras e governo, em implantar este programa, este processo, nas subprefeituras, especialmente da cidade de São Paulo, e muitas cidades ainda estão, assim, com muito vigor, nas Agendas 21 locais. Muito bem. Quando foi em 1992, nós aprovamos vários documentos, entre eles, a Agenda 21. As pessoas assinaram, os governos voltaram para casa, e cada um praticou da sua maneira. O Brasil criou esse documento do passo a passo da Agenda 21, porque entendeu que a questão socioambiental acontece no local onde a pessoa mora, obviamente. Então nós passamos a praticar isso. Só que tinha um problema. A Agenda 21, para a ONU poder acompanhar. Então tinha ações desde: ah, eu abraço árvore, eu pratico a Agenda 21, até questões mais complexas, aonde as pessoas realmente trabalhavam os 40 capítulos. É complexo mesmo. A pessoa tem que ter essa compreensão, da integração da questão da moradia, da saúde, dos sindicatos, dos Conselhos. Enfim, está tudo lá na Agenda 21. Se a gente conseguisse colocar, realmente, em prática, nós estaríamos muito melhor na humanidade, hoje. Então, eu coloquei aqui, porque então, no ano de 2000, a ONU aprovou a Declaração do Milênio, que resultou nesses oito objetivos do Milênio. E essa Declaração do Milênio, documento, se a gente entra lá no site, conhece, ela diz aqui no artigo 22, reafirmamos o nosso apoio aos princípios da Agenda 21. Então só para dizer que tudo isso, a Agenda 21, ela é sempre a nossa cartilha base, assim, porque a gente pode sempre recorrer. Ela tinha problemas, sim, porque ela não foi um processo muito participativo da Sociedade Civil, lá em 1992, quando ela foi criada. Então a gente tem a integração com a Carta da Terra também. O outro documento muito importante, nosso, da sociedade. Então a gente aqui, só trouxe isso para reforçar. E aqui, nós tivemos também aqui, como base, a Agenda 21, e os Objetivos do Milênio, documento que também serviu como base para a gente. Aqui, enquanto nós tivemos, por exemplo, a nossa Agenda 21 de Santo Amaro, eu trouxe só como uma referência, porque a Zona Leste também tem, a Zona Norte também tinha iniciativas, e na Zona Sul, um exemplo que quando trabalhávamos com a Agenda 21, já depois de 2000, a gente incorporou aqui os oito objetivos. O Adelino Ozores, que criou esse logo. A gente usava esse logo para Santo Amaro. Muito bem. Então quando a ONU aprovou esse documento, eu não vou entrar neste caminho todo, como foi. Já estou querendo chegar na cidade de São Paulo, que é de maior interesse de vocês, é que nós, então, passamos a trabalhar no Brasil, com o estabelecimento do procedimento de como implantar os objetivos de desenvolvimento no Milênio no Brasil. É um processo muito parecido com o da Agenda 21. Chegou-se obviamente, à conclusão que tem que criar um núcleo estadual em cada um dos estados. Então, todos os estados têm um núcleo estadual pelos objetivos de desenvolvimento do milênio. Então tivemos o privilégio de fazer parte da Secretaria Executiva, Secretário Romildo. Então bem no comecinho dos trabalhos daqui, ajudou bastante no processo de enraizamento desse núcleo estadual do qual também eu faço parte. Esse núcleo estadual, então, tem o desafio de criar um núcleo pelos objetivos do milênio em cada um dos municípios do estado de São Paulo. E é o que nós estamos fazendo, levando para os municípios, estabelecendo um novo. Ontem mesmo, estivemos no Guarujá, eles já instituíram o seu núcleo. Foi muito interessante. Muita polêmica, muita dinâmica. E já está funcionando. Amanhã tem outra etapa do Guarujá. E a cidade de São Paulo criou seu núcleo, pelos objetivos do milênio. Foi o ano passado, então o prefeito assinou. Essa pessoa que vocês devem saber, é o Giorgi Chediek, é o Gilberto Carvalho, enfim, por que o que acontece? Os objetivos do Milênio, assim como a Agenda 21, eu acho que diferente, um pouco, de como foi a Agenda 21, mas os objetivos do Milênio, eles têm três pilares. Quais são os três pilares? A gente se apóia no programa da ONU, do PNUD, que é o nosso interlocutor. A consultora Aidé, que esteve na reunião passada aqui, para conversar um pouco com o Secretário, tem a Ieva, e o chefe dessa toda sessão da ONU, PNUD Brasil, é o senhor Giorgi Chediek. Então nós temos o pilar do PNUD. Tem outro pilar que está no gabinete da presidência da república. Vocês lembram que a Agenda 21 ficava... a gente se apoiava no Ministério do Meio Ambiente? E era o nosso interlocutor. A gente sempre questionou muito isso. Porque passando para o gabinete central do executivo, é muito mais fácil falar com os outros ministérios, certo? Então ficou com essa veia assim, do meio ambiente. No estado e no município. No entanto, o PNUD estabeleceu isso. Que tem que ficar no Gabinete da Presidência da República. Então lá temos uma equipe, que trabalha com os objetivos do Milênio, que é a Dória, que já esteve aqui também, a Mirian, e é coordenado pelo senhor Vagner Caetano. Eles ficam na Secretaria Geral da Presidência da República. Então eu já falei de dois pilares. O terceiro pilar é o vamos dizer, ponto org, que é a parte da sociedade civil. Essa parte é coordenada pelo Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade, cujo presidente é o senhor Rodrigo Loures. E por que o senhor Rodrigo Loures é o presidente desse Movimento da sociedade civil? Primeiro, porque ele foi presidente da federação das indústrias do Paraná, e o Paraná foi exemplar no cumprimento dos objetivos do Milênio. Então, como ele foi uma pessoa muito atuante, então ele foi convidado e aceitou. Então ele é o nosso coordenador da parte ponto org, aí, da sociedade civil. E tem o Odilon Passo que é o seu adjunto. Então só para uma... É muita informação, que eu acho que nem requer muito assim, mas... se vocês não tiverem entendimento de como funciona fica difícil entender. Então como que nós trabalhamos nos municípios? Primeiro é feito um seminário de mobilização. Essa tecnologia social, nós fomos capacitados pelo PNUD. Então cada estado foi capacitado pelo Programa do PNUD para fazer um passo a passo que fica muito mais fácil para a gente conferir. E qual é o diferencial desse programa em relação à Agenda 21? Primeiro que focou nos oito objetivos de desenvolvimento do Milênio, que são as questões mais graves da sociedade, a nível mundial. E estabeleceu um diferencial que vocês devem trabalhar muito fortemente, que hoje a gente já trabalha com isso direto, metas e indicadores de avaliação. Então todas as cidades do Brasil estão sendo acompanhadas para ver se cumpriram ou não, o programa da ONU. Esse está em um portal que eu vou passar para vocês, se vocês tiverem interesse. Então a cidade de São Paulo também está sendo acompanhada. Se está cumprindo ou não, o programa que assinou o Brasil. O Brasil, na média, está sendo a maior referência mundial, porque está cumprindo praticamente todos os oito objetivos estabelecidos, as metas. Com algumas dificuldades ainda, porque as metas foram muito altas, também. As questões de indicadores e metas têm muitos percalços ali, que a gente precisa se aprofundar. Então é feito um seminário de mobilização em prol dos objetivos de desenvolvimento do Milênio, na municipalização. Então o prefeito assinou um programa junto ao governo. Depois, no dia 26 de agosto, nós tivemos o evento do seminário de mobilização, que é onde a sociedade civil, os governos, podiam estar participando. Então esse foi o evento, que foi no gabinete do prefeito. Tivemos uma grande participação aqui das pessoas. Tinha mais de 300 pessoas no local. Aqui vocês, que trabalharam com as Agendas 21 vão reconhecer muitas pessoas que realmente se envolveram e participaram. Então, já nesse seminário da cidade de São Paulo, quem representou o prefeito foi o senhor Artur Henrique, que é o Secretário de Desenvolvimento do Trabalho e Empreendedorismo, e aqui, só coloquei uma frase que ele disse: 32 subprefeituras e a tarefa de alcançar essas metas no município, iniciando o debate do desenvolvimento sustentável. Então já em 2014, em agosto, nós colocamos a importância de levar isso para as 32 subprefeituras. Bem, eu vou correr aqui com as fotos, as pessoas que estavam presentes. Aqui é a equipe que se envolve diretamente do estado. Então nós temos assim, pessoas muito diferentes, de locais diferentes. E participam da Secretaria Estadual. Então colaboraram para organizar. Têm pessoas que trabalham no governo do estado, têm pessoas que são da prefeitura de São Paulo, do Sindicato dos Comerciários, que é a nossa instituição âncora, enfim, está aqui, e vamos passando. Várias reuniões preparatórias são feitas. Por quê? O PNUD estabelece que a gente tem que organizar esses eventos com check list. O check list tem que correr um... todos se envolvendo na organização do evento. Tem um processo de termo de adesão, que é um processo livre, completamente voluntário, aonde as pessoas colocam que projeto que ela executa, baseado em qual objetivo do Milênio, e a gente já envia para a ONU, para o PNUD, essas instituições que se comprometem a fazer a diferença. Então nós temos esses termos de adesão, pessoa física e pessoa jurídica. Então várias reuniões. Aqui a importância da missão e da visão. Então foram feitas várias oficinas, conforme essa orientação do PNUD, que eu estava falando. Então todo o ano passado. Então aqui a gente fez as oficinas, que são de planejamento, de desenvolvimento. No CADES, em outubro de 2014, a Dorian veio falar um pouco desse processo. As oficinas sobre indicadores, que são muito importantes. O que acontece? Nós não temos indicadores da ONU por subprefeitura. Então a gente criou um grupo de economistas jovens, ligados a várias universidades. Eles estão ajudando a fragmentar, a segmentar estes indicadores por subprefeitura. Esse portal que é importante, que se vocês tiverem mais interesse, vocês podem acessar. Então a gente usa os indicadores do ODM e os do Portal Observa Sampa, que são muito importantes. Acredito que vocês também estão se utilizando muito disso para conhecer a realidade local de cada um de vocês. Então os meninos jovens, daí, fizeram uma apresentação sobre o conceito de indicadores, e como trabalhar os indicadores em cada uma das localidades. Então aqui depois, terminado esse processo de cinco oficinas que nós fizemos, passamos a nos reunir, e planejar. Então fizemos um amplo planejamento aqui de como vai funcionar aqui, Centro, Sul, Norte, Leste. Convidamos o Secretário das Subprefeituras Adjunto. Ele estava participando das nossas reuniões ativamente, o Miguel Reis. Só que teve a mudança de Secretário, e agora nós estamos, de novo, dialogando, para poder integrar. Então nós dividimos por 32 subprefeituras, e já trabalhando com o novo programa, que vai ser apresentado agora, em setembro. As oficinas de... como eu falei, primeiro o seminário de mobilização, depois as oficinas, tudo isso, a gente leva para as 32 subprefeituras. Foram feitas oficinas de capacitação dos integrantes. E agora, já estamos indo nas subprefeituras. Então semana passada, eu só coloquei...nós estávamos no Campo Limpo, com os DGDs atuantes. Então parabéns à Secretaria do Verde, porque aqui, no caso, o CADES e a Agenda 21 funcionam juntos. E as pessoas da zona Sul estão conseguindo participar. E eu achei que a Cecília colocou uma questão muito fundamental da gente se integrar, e dá uma outra categoria quando a Secretaria do Verde, com a valorização dos trabalhos. Inclusive eles fizeram amplo projeto lá no Campo Limpo. Mas a gente viu que eles têm um projeto maravilhoso de hortas nas escolas, nas UBSs, e tem até o problema da dificuldade do carro que a gente resolveu lá na hora, o subprefeito vai ceder o carro, tal. A gente sabe desse probleminha que está sendo agora, enfrentado pela Secretaria do Verde. Mas é isso. Achar soluções. Sociedade civil, os técnicos da região, o subprefeito estava presente aqui no encontro, atuante, no CADES, Agenda 21. Aqui nós já estamos marcados o seminário de Mobilização da Sé. Então tem o subprefeito da Sé, essa é a Dora Lima, que foi da Agenda 21, sempre atuante, e agora está nos ODM e ODS, e a Cleonice, que é a nossa instituição âncora, sindicato dos comerciários. Esse já é o convite. É sempre um convite padrão do PNUD, que a gente sempre se utiliza desse... Aqui, dia 28 de agosto, sexta-feira, das 8h00 ao meio-dia. Tem aqui a informação. E aqui é a nova etapa dos ODS. Eu queria passar para vocês, mas deixo depois, com o pessoal da organização, o site, para vocês acessarem esse vídeo muito importante, que já trata desta passagem, ODM-ODS. Objetivos de Desenvolvimento Sustentável tem tudo a ver com o Conselho que trata da sustentabilidade da cidade, certo? Então eu acho que a gente aqui, todos nós que trabalhamos com essa questão, a gente se reconhece muito. Eles são muito parecidos com os objetivos do Milênio. Vejam que o primeiro é o combate à pobreza. A mesma coisa. É o primeiro ODM. Só que expandido para questões mesmo de sustentabilidade. Aqui algumas questões de sustentabilidade que a gente trabalha. Como eu falei a presidência, o movimento nacional, e a ONU. Aqui são alguns dos trabalhos que a gente reforça que a gente já vinha trabalhando pela Agenda 21. A importância das escolas sustentáveis. Você tem que se integrar nisso, apoiar a Secretaria da Educação. A gente bolar... Eu sei que aqui está em transformação para melhor. Escolas sustentáveis. Aqui a questão da gestão. Aqui um outro programa que também a gente está levando, que é a Aliança Resíduo Zero. Colocar a compostagem como uma questão fundamental para a alimentação. Hortas. A gente tem um programa chamado composta e cultiva. Porque às vezes, as pessoas que querem fazer as hortas esquecem da compostagem. E a gente tem que alimentar a terra, têm vários sites aqui. A doutora Ana Primavesis será homenageada esse ano, não sei se vocês sabem. Nós queríamos muito que ela fosse homenageada pelo sistema (incompreensível). Está tendo a conferência da alimentação, da nutrição lá, que está tendo essa conferência aqui na cidade de São Paulo, e do estado. E a nível nacional fizemos uma moção para que a professora Ana Primavesis fosse homenageada. Mas ela, agora, já será homenageada mundialmente, como uma guerreira, uma pessoa que trouxe conceitos da alimentação à terra que nos alimenta. Então a compostagem é fundamental que a gente dê um gás nesse programa da Secretaria de Serviços. Aqui estão os nossos nomes. É sempre organizado dessa forma. Tem uma executiva, tem uma Secretaria de Mobilização, tem uma Secretaria de Comunicação, e os apoios. E aqui estão os nossos contatos. Os vários sites que vocês podem entrar, então vejam, tem o www.nospodemos.org, que é o da sociedade civil, junto com o portal que têm muitas informações, vídeos, cartilhas. Usem tudo o que vocês puderem. ODM Brasil, PNUD, enfim, eu posso deixar também o pessoal da organização, para passar para vocês conhecerem. Está terminado. Estou aqui à disposição. Não vou conseguir ficar até o fim. Peço muitas desculpas. A gente tem uma reunião hoje, em seguida. Eu vou ter que me ausentar. Mas eu gostaria muito que vocês se integrassem nesse processo dos objetivos do Milênio. Por que a gente está trazendo Objetivos do Milênio no último ano do programa, 2015? No entanto, nós estamos entrando como se a gente estivesse em 1999, que é o ano que em 2000 começou o programa em relação aos objetivos de desenvolvimento sustentável. Então todo mundo está falando, está falando muito. Mas vocês aqui, que inclusive, eu achei perfeita a fala da Cecília, é nos CADES Regionais, nos CADES... o Alessandro fazendo parte lá da Vila Mariana, junto com a gente. Quer dizer, é nos CADES Regionais que acontecem as coisas. Então vocês aqui, ajudem os CADES Regionais a colocar isso em pauta. Mesmo por que, os seminários, em todas as subprefeituras já estão sendo discutidos. Então o CADES, entrando ou não entrando, nós tivemos uma reunião com os 32 subprefeitos. Apresentamos isso. A vice-prefeita esteve presente também, apoiou muito. Esse processo de descentralização. Então por isso que, um pouco, a nossa ansiedade e do Secretário Romildo de que vocês têm que se integrar e saber das coisas que estão acontecendo nas subprefeituras, para não ficar à deriva de um processo tão bonito, tão importante, tão a ver com a nossa questão aqui. E como nós podemos trabalhar isso, acredito que os CADES Regionais podem ser esse locus, porque tem que criar 32 núcleos, com Secretaria Executiva, Comunicação e Mobilização em cada uma das subprefeituras. Mas não vamos trazer para essas pessoas, mais uma coisa que: ai meu Deus, vou ter que participar, mais um negócio. Estão criando... Não. Vamos aproveitar que a gente já está lá. O CADES bem que pode ser essa relação com o PNUD. E é uma relação direta. Vamos valorizar os projetos relacionados com o do ODM, e dos ODS, que acontece, já, nas regiões. Muito obrigada.



Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal