Preparando-se para ensinar



Baixar 33.25 Kb.
Encontro28.07.2016
Tamanho33.25 Kb.
Lição 8 – Querer e Poder
PREPARANDO-SE PARA ENSINAR

I. SINOPSE



Texto Bíblico: Mateus 8:1-4; Marcos l :40-45; Lucas 5:12-28. Comentário: O Desejado áe Joáas as Nações, capítulo 27. Verso Bíblico: Marcos 1:41,42.

A lição desta semana enfoca a história im­pressionante do leproso que procura a Cristo para ser curado. A lepra era uma doença terrí­vel e muito comum nos tempos do Novo Tes­tamento. Qualquer pessoa que contraísse essa doença infecciosa de pele passava a ser dada como morta e era isolada da comunidade. Se o fato de ser isolado e rejeitado não fizesse com que a vítima entrasse em desespero, as consequências da doença se encarregariam de lembrá-la da morte certa. Além disso, a le­pra era vista como a execução do julgamento de Deus na vida do indivíduo. Nenhuma ou­tra doença representava o resultado do peca­do como a lepra no ser humano. Na história desta semana, o homem leproso ousa entrar na sociedade, porque ouviu que Cristo esta­va por perto e nunca tinha rejeitado ninguém que fosse em busca de Seu auxílio. O apelo feito por aquele homem e a resposta de Cris­to compõem a mensagem central da história: Deus está disposto e é capaz de nos salvar.

No livro O Desejado de Todas as Nações, Ellen White afirmou: "Quando pedimos bênçãos terrestres, a resposta a nossa oração tal­vez seja retardada, ou Deus nos dê outra coisa que não aquilo que pedimos; não assim, po­rém, quando pedimos livramento do pecado. É Sua vontade limpar-nos dele, tornar-nos Seus filhos, e habilitar-nos a viver uma vida santa" (p. 266). As palavras de Cristo: "Sim! Eu quero" e o toque de Suas mãos declaram que Deus deseja salvar Seus filhos mais do que qualquer coisa. A história apresentada na lição oferece dois pontos de vista que podem ser utilizados como um apelo aos jovens para aceitarem o presente de Deus, a salvação. O primeiro é o ponto de vista do leproso -aquele que procura e pede. O outro é o ponto de vista de Deus - Aquele que nunca rejeita ninguém que O busca com sinceridade. Uma outra opção é estudar a história sob um ponto de vista mais amplo, analisando o contexto histórico do ritual de purificação descrito no Antigo Testamento (ver a seção Apresentan­do o Contexto e o Cenário).

II.OBJETIVOS Os alunos deverão:

• Observar os elementos-chave para o pla­no da salvação. (Saber)


  • Sentir o grande desejo de Deus de nos perdoar e salvar. (Sentir)

  • Decidir aceitar o presente incomparável de Deus, a salvação. (Responder)

III. PARA EXPLORAR

  • O perdão de Deus

  • A experiência da salvação

  • O pecado

ENSINANDO

I. INICIANDO Atividade



Encaminhe os alunos à seção da lição intitulada O Que Você Acha? Depois que tiverem concluído a atividade, discuta suas respostas.

Convide os alunos para compartilhar com a classe as suas respostas da atividade da se­ção O Que Você Acha? da lição do aluno. É provável que a maioria dos alunos tenha ele­gido a resposta "receber o presente da salva­ção" como a opção número um. Mas pode ser que alguns tenham respondido diferente. De qualquer forma, é muito importante pedir que os alunos justifiquem as suas respostas. Al­guns podem ter escolhido "servir ao próximo com humildade" ou "viver em harmonia com os Seus mandamentos". A razão de acharem que essas coisas são importantes para Deus oferece um ótimo tema para discussão.



Ilustração

Conte esta ilustração em suas próprias palavras:

Em janeiro de 2008 a história sobre uma transformação inacreditável foi a manche­te de muitos jornais. Uma garota australia­na de 15 anos de idade chamada Demi-Lee Brennan foi a primeira pessoa no mundo a mudar de tipo sanguíneo. Demi-Lee era urna paciente transplantada do tipo sanguíneo O negativo, mas isso mudou quando o trans­plante fez com que ela assimilasse o sistema imunológico do doador, mudando assim ol seu tipo sanguíneo para O positivo. Inicial-1 mente, os médicos pensaram que deveria ha­ver algum engano, pois isso nunca aconteceu antes e tal transformação no sistema humane simplesmente não poderia ocorrer. Aparente­mente, as células-tronco do novo fígado d jovem paciente invadiram a medula óssea e assumiram o controle de todo o sistema imu­nológico de Demi-Lee. Hoje ela tem um tipi sanguíneo totalmente diferente. Em seu nove i sangue circulam vida e cura e ela tem se res-l taurado até hoje. Demi-Lee declarou: "É um segunda chance de vida."

O mesmo acontece conosco hoje ao con vidarmos Cristo para nos salvar de noss pecado. Ele nunca recusará esse pedido. N. verdade, essa é a razão dEle ter morrido: estar hoje intercedendo por nós no santuári celestial. Algumas mudanças ocorrem durar te o curso de uma vida inteira. O desenvolv: mento de hábitos saudáveis, por exemplo,: uma busca contínua. As qualidades positiva de caráter são desenvolvidas durante as pri-1 meiras fases de vida do ser humano e lapida das dia a dia. Mas o pedido de perdão e unJ nova atitude em Cristo estão simplesmente uma oração sincera de distância.

Por que você acha que é difícil pedir pé: dão e misericórdia a Deus? Alguém pode re^ ponder: Porque continuamos fazendo semprM a mesma coisa. Parece hipócrita. Afastanu nos de Deus facilmente, ficamos imaginana se o Seu perdão é real, pois não parece dure por muito tempo. Precisamos pedir que Jesi nos conceda o presente da salvação mais c uma vez? Se sim, com que frequência? Pç quê? Para o nosso bem, precisamos, porqt esquecemos com muita facilidade o que Dei fez por nós e pensamos que podemos fazer ú coisas por nossa própria conta.

II. ENSINANDO A HISTÓRIA Uma Ponte Para a História

Comente com os alunos em suas próprias palavras:

O tipo de transformação vivida por Demi-Lee Brennan foi uma mudança interna que, no entanto, se refletiu em sua nova vida. Na história dessa semana vemos uma pessoa que foi transformada de dentro para fora. Assim como uma pessoa que está morrendo de le­pra, você sabe que as mudanças que ocorrem em seu corpo não começam na pele, mas em algum lugar lá dentro. Ao analisar a cura operada por Cristo na vida daquele leproso, observe atentamente se a mudança começou interna ou externamente.



Aplicando a História (Para Professores)

Após ler com seus alunos a seção Estudando a História, use as perguntas a seguir, em suas próprias palavras, para discutir com eles.

Compare os pontos de vista da mesma cena e observe as diferenças e as semelhan­ças entre os relatos.

Que palavras e frases Marcos e Lucas uti­lizam e que não aparecem no relato de Ma­teus?

Que palavras ou frases Lucas utiliza e que não aparecem nos relatos de Marcos e Mateus?

Que palavras ou frases aparecem apenas no relato de Marcos?

De que maneira a lepra é como o pecado?

O leproso faz um apelo interessante, di­zendo: "Senhor, eu sei que o Senhor pode me curar se quiser." Na fala do leproso há algum sinal de -dúvida do poder de Jesus em curá-lo? Qual é o verdadeiro fundamento de seu apelo? Por que você acha que um leproso pensaria dessa forma? (Leia João 9:1-3; 5:13, 14; Marcos 2:3-5; Isaías 59:1, 2).

Por que você acha que essa história está na Bíblia? Qual é a mensagem que Deus quer lhe dar através dela hoje?

Explique a ordem de Jesus ao mandar que o leproso se apresentasse imediatamente ao sacerdote e oferecesse os sacrifícios ordena­dos por Moisés. Por que Jesus pediu que o leproso fizesse isso?

Quais outras histórias bíblicas essa histó­ria o faz lembrar?



Perguntas Adicionais para os Professores:

Em sua opinião, por que Jesus insistiu para que o homem se apresentasse ao sacer­dote? Leia Levítico 14:1-9 e tente imaginar o significado do ritual e a imagem final gravada na mente da pessoa curada.

Qual seria a versão atual dessa história? Alguns podem comparar essa história com alguém sendo curado miraculosamente da Aias ou do câncer. A Aids é provavelmente a doença que mais se compara com a lepra na época de Jesus, pois não há cura e as ví­timas que a contraem praticamente se pre­param para morrer. Além disso, assim que a Aids surgiu, as vítimas do vírus HIV também foram submetidas ao isolamento, pois não se sabia se era uma doença altamente conta­giosa. Todos esses elementos internos apenas compõem o impacto físico da doença.

Utilize as passagens a seguir como fontes alternativas relacionadas à lição desta se­mana: Êxodo 4:6, 7; Números 12:10; 2 Reis 5:1-10; Lucas 17:11-15.

Apresentando o Contexto e o Cenário

Use as informações a seguir para elucidar alguns aspectos da história para seus alunos. Explique em suas próprias palavras.

Não há nenhuma outra doença citada na Bíblia que retrata tão bem o resultado do pe­cado como a lepra. Na verdade, o termo "mor­te ambulante" captura a percepção popular dessa doença. Assim que um indivíduo era diagnosticado com lepra, era imediatamente excluído da sociedade. Em alguns casos, os nomes eram retirados dos registros públicos de cidadãos vivos, pois a morte era apenas uma questão de tempo. Mas muitos não sa­bem que a lepra atinge primeiro o sistema nervoso central e somente mais tarde atinge a pele. Jerry Vines descreveu a maneira terrível com que a lepra destrói sua vítima.

"Aparentemente sem motivo a vítima passa a sentir muito cansaço. Em seguida as juntas começam a doer. Um dia o indivíduo nota algumas manchinhas brancas por toda a pele. Mais tarde aquelas manchas brancas começam a endurecer e a virar nódulos. Pas­sam da cor branca para a rosa e depois para o marrom e em seguida começam a escamar. A aparência do rosto é alterada até ficar se­melhante à de um leão. Os nódulos supuram por todo o corpo, produzindo um odor terrí­vel. Eles cobrem as cordas vocais e à medida que a pessoa respira um chiado é emitido. A voz torna-se ruidosa. As sobrancelhas caem. O cabelo embranquece. Centímetro por cen­tímetro do corpo começa a apodrecer. Pelo caminho onde passar ficará os rastros pútri­dos do pus que escoa de seus pés. Os dedos das mãos e dos pés começam a cair." - Jerry Vines, Exploring the Gospels - Mark, p. 29.

Contudo, nessa história Jesus pediu que o homem curado se apresentasse ao sacerdote e oferecesse os sacrifícios ordenados por Moisés. Por quê? Qual é o significado desse ritual?



O Ritual de Purificação e a Lei do Leproso. Havia várias razões para apresentar-se diante do sacerdote assim que o indivíduo fosse cura­do. Primeiro, para ser reintegrada à sociedade, o sacerdote tinha que examinar a pessoa e de­clará-la limpa. Mas a ordem de Jesus teve um propósito maior do que simplesmente cumprir uma regra. A cerimónia de purificação para o leproso estava imbuída de uma experiência es­piritual profunda e duradoura. Levítico 14:2-7 44 descreve esse ritual. A ave que é sacrificada representa Cristo e a ave viva que é solta no campo sem dúvida alguma é o pecador que re­cebe a misericórdia de Deus.

Imagine a cena: Um leproso se apresen­ta ao sacerdote e o sacerdote deve cumprir essa cerimónia fora da cidade. Onde Cristo foi crucificado? Fora da cidade. Em seguida, o leproso observa duas aves serem trazidas. Uma delas é morta sob água corrente (ou como no hebraico, água viva). O sangue da ave mistura-se com a água viva e é colocado dentro de um pote de barro. O leproso cura­do observa atentamente a ave morta e o pote repleto de sangue e água. O que essa pessoa estaria pensando? Por que sangue? Por que uma ave - uma criatura viva? O que isso sig­nifica? O significado torna-se claro quando a pessoa curada assiste a ave viva ser mergu­lhada no sangue e na água e depois ser liber­tada num campo aberto. Imagine o homem ali em pé olhando para o céu enquanto a ave bate as asas livremente respingando o sangue e a água. Se a lepra representa o pecado, en­tão esse ritual é o mais importante de todos, pois simboliza a redenção. Essa cerimónia simboliza o Salvador e o pecador.

Não é de admirar que Jesus quisesse que o leproso se apresentasse ao sacerdote. Ele sabia que se o leproso curado se submetesse a esse ritual, o presente da salvação seria pro­fundamente gravado no coração e na mente.

III. ENCERRAMENTO Atividade



Encerre com uma atividade. Explic. suas próprias palavras.

Divida a classe em duplas ou trios e p para responderem às seguintes pergunt.

Diga: Pensem em alguns exemplos de pessoas hoje que são isoladas ou rejeitadas por terem feito alguma coisa ou porque algo a. teceu com elas. Certifiquem-se de fazer duas listas: A primeira lista para as escolhas e as decisões que podem gerar consequências negativas na vida de uma pessoa. A segunda para as coisas que podem acontecer na vida de alguém, mas que estavam fora do seu con­trole. (Alguém que contrai o vírus Hl V por promiscuidade é um exemplo de uma escolha que gera sérios resultados. Mas contrair essa doença através de uma transfusão de sangue é um exemplo de algo que acontece e que está fora do controle da pessoa. Outros exemplos são: gravidez na adolescência, ser condenado por um crime, ou ser marcado pelo vício das drogas ou do álcool.)

Peça para os grupos compartilharem suas ideias com a classe e utilize a seguinte per­gunta para encerrar: "Há algum pecado do qual Cristo não pode nos salvar, se pedir­mos?" Obviamente a resposta é "Não". Deus está sempre disposto e é capaz de nos salvar e nos purificar de qualquer pecado. Basta pe­dirmos com sinceridade.



Resumo

Compartilhe os seguintes pensamentos, usando suas próprias palavras:

Algumas vezes as histórias bíblicas, como a do leproso, podem parecer um conto de fa­das, algo tão irreal que poderia ser classifi­cado como um desenho animado. Mas elas são reais e essas experiências podem ser re­ais hoje também. Milhões de pessoas vão aos pés de Cristo e pedem uma vida nova. Alguns duvidam e pensam: "É muito bom para ser verdade." Porém, pedem assim mesmo, como o leproso fez há muito tempo: "Senhor, eu sei que o Senhor pode me curar se quiser." As coisas que o impedem de pedir a Deus de salvá-lo devem ser abandonadas. Deus não rejeita ninguém. A verdade maravilhosa e in­contestável é que Deus está disposto e é mais do que capaz de curar e restaurar sua vida por completo. Ele está disposto a fazer isso, se você assim o pedir.


Dicas Para um Ensino de Primeira Linha

Símbolos e Rituais

Os símbolos e os rituais são a chave desta lição, mas são também muito im­portantes no ministério de aprendizagem estabelecido por Deus desde o princípio. Os símbolos como a cruz, o pão e o suco de uva, o azeite, o cordeiro, o ramo de oli­veira e a pomba podem ser meios valiosos para a aprendizagem ou podem se tornar figuras vazias e sem sentido, dependen­do de como os aplicamos em nossa vida prática. É importante explicar os símbolos encontrados na Bíblia utilizando histórias vivas e chamando a atenção para o signi­ficado maior que representam. Os rituais do santuário estão repletos de significado que apontam para a história da redenção Muitos podem aprender o significado do castiçal, ou do altar de sacrifícios, ou da mesa dos pães sem fermento sem ouvir a história. O comentário da lição desta se­mana apresenta os detalhes do ritual de purificação e ensina seu significado dentro da história da redenção. Ensine os símbo­los e as histórias para os jovens e os ajude a relacioná-los com sua vida pessoal



Lembre os alunos so­bre o plano de leitura, em que eles estudarão, na sé­rie O Grande Conflito, o comentário inspirado da Bíblia. A leitura correspondente a esta lição é O Desejado de Todas as Nações, capítulo 27.


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal