Presidência vereador josé carlos lourençÃO



Baixar 54.78 Kb.
Encontro02.08.2016
Tamanho54.78 Kb.




ATA DA SESSÃO SOLENE CONJUNTA COM A ACADEMIA BOTUCATUENSE DE LETRAS – COMEMORATIVA AOS 152 ANOS DE BOTUCATU E DE ENTREGA DA MEDALHA “CAPITÃO JOSÉ GOMES PINHEIRO” A VEREADORES DAS LEGISLATURAS DE 1989 A 1996, REALIZADA NO DIA 19 DE ABRIL DE 2007.

PRESIDÊNCIA VEREADOR JOSÉ CARLOS LOURENÇÃO

Aos dezenove dias do mês de abril do ano dois mil e sete, às dezenove horas e trinta minutos, nas dependências do Teatro Municipal “Camillo Fernandez Dinucci”, foi realizada a Sessão Solene Conjunta com a Academia Botucatuense de Letras, comemorativa aos 152 anos de Botucatu, e de entrega da Medalha”Capitão José Gomes Pinheiro” a Vereadores das Legislaturas de 1989 a 1996. A abertura da presente Sessão Solene foi feita pela Senhora ÉRIKA SVICERO MARTINS, DD. Assessora de Imprensa da Câmara Municipal de Botucatu, especialmente designada como Mestre de Cerimônia, que convidou o Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara Municipal, Vereador JOSÉ CARLOS LOURENÇÃO para ocupar lugar à Mesa Principal e, em seguida, os Vereadores da presente Legislatura: CARLOS TRIGO, CULA, CALDAS, PROF. GAMITO, PROF. VAROLI, JOSEY, LELO PAGANI, LUIZ RUBIO e REINALDINHO, presentes à referida Sessão Solene. A Mestre de Cerimônia informou que a referida solenidade iria respeitar a Lei nº. 3.784, de dezessete de junho de hum mil, novecentos e noventa e oito, que estabelece normas para cerimônias públicas e a ordem geral de precedência no Município.Convidados pelo Mestre de Cerimônia, fizeram parte da Mesa Principal, as seguintes autoridades: o Ilustríssimo Senhor EVANIL PIRIS DE CAMPOS, DD. Presidente da Academia Botucatuense de Letras; o Reverendíssimo Senhor DOM ANTONIO MARIA MUCCIOLO, DD. Arcebispo Emérito de Botucatu; o Excelentíssimo Senhor ANTONIO MÁRIO DE PAULA FERREIRA IELO, DD. Prefeito Municipal de Botucatu; o Ilustríssimo Senhor Dr. TADEU CAMPOS DE CASTRO, DD. Delegado Seccional de Botucatu; o Ilustríssimo Senhor Capitão PM MAURÍCIO JOSÉ RAIMUNDO, DD. Comandante da 1ª. Cia da Polícia Militar. Logo após, registrou a presença dos Vereadores das Legislaturas de 1989 a 1996, que já ocupavam a primeira fila de assentos do Teatro Municipal. São eles: ADEMIR PELÍCIA, ARTHUR SPERANDÉO DE MACEDO, EDNEI LÁZARO DA COSTA CARREIRA, FERNANDO APARECIDO CARMONI, HÉLIO MASCHETTI, JOSÉ BENEDITO VIEIRA, JUNOT DE LARA CARVALHO, MANOEL PATRÍCIO DO NASCIMENTO, MAURO KIOSHI KASSAMA, ORLANDO DE ALMEIDA, OSNI BERTOTTI LEME, SEBASTIÃO DE FIGUEIREDO TORRES, VALDEMAR PEREIRA DE PINHO e WALDIR DUARTE FLORÊNCIO. Informou que os Vereadores JAIRO JORGE GABRIEL, MANUEL MAURO BILÁ DA SILVA, PEDRO LOSI NETO, VALTER LECCIOLLI, EDVALDO ATÍLIO BORGATTO, MAURO MAILHO e NELSON NUNES justificaram suas ausências. Dando continuidade a solenidade o Senhor Presidente declarou aberta a presente Sessão Solene e convidou os presentes para em pé entoarem o Hino Nacional Brasileiro e, a seguir, a Canção Oficial do Município – “Saudades de Botucatu”. Logo após, a Mestre de Cerimônia passou a palavra ao Vereador JOSÉ CARLOS LOURENÇÃO que proferiu o seguinte discurso: “Seguindo a tradição, a Câmara Municipal conjuntamente com a Academia Botucatuense de Letras, mais um ano se reúne para saudar Botucatu pelo seu aniversário. Neste ano em que nossa cidade comemora seus 152 anos, vamos aproveitar para homenagear pessoas que atuaram junto ao Poder Legislativo e que hoje fazem parte da nossa história. No ano de 2001, a Câmara Municipal de Botucatu, numa noite como esta, de grande significado cívico e histórico para o povo e para o Poder Legislativo botucatuense, realizou duas solenidades, ocasião em que foi entregue a Medalha “Capitão José Gomes Pinheiro” aos ex-Vereadores das legislaturas compreendidas entre 1948 a 1988. Acredito que muitos dos que hoje aqui comparecem também estavam presentes em referidas solenidades, cujos eventos foram coroados de glória, emocionando a todos. Igualmente emocionados, nos reunimos novamente esta noite para dar continuidade a justa homenagem que a Câmara Municipal de Botucatu, em nome de seu povo, deliberou outorgar àqueles que participaram ativamente da construção da história de nossa cidade e de seu Poder Legislativo. Sinto-me honrado por estar presidindo ato tão solene. Em nome da Câmara Municipal de Botucatu desde já saúdo e agradeço a todos que aqui comparecem nesta noite. Dando seqüência a solenidade a Mestre de Cerimônia registrou a presença do Prof. Paulo de Tasso Pereira , representando Diretoria Regional de Ensino, bem como as correspondências recebidas alusivas a presente solenidade. Em seguida, passou a palavra ao Acadêmico EVANIL PIRES DE CAMPOS, que proferiu o seguinte discurso: “Senhores Edis, cumprimento-os pela justa homenagem que, hoje, recebem. Parabéns a Botucatu. A Educação Escolar, novamente evoluiu. Citarei: J. J. Rousseau: Educar é Inteirar: Preceptor/Aluno/Meio Ambiente/Natureza. O saneamento básico aprimorado, apropriado é fundamental a saúde pública, permitirá que a Medicina curativa ceda lugar à Prevenção real e ideal. Os bairros deveriam possuir: Centro Social e Cívico, quadras poli esportivas, basquete, natação, futebol de salão e de campo, voleibol, etc. e de lazer recreios, jardins, piscinas, matas nativas ou “pools”. Vias expressas e vias de interligação levariam para os diversos bairros.Vias expressas conduziriam à Perimetral, esta conteria a entrada e saída da cidade. Marginais com ciclovias, áreas esportivas, lazer ajudariam a preservar a natureza além de embelezarem a cidade. Divisões Administrativas: política, social, cultural, saúde, educacional, jurídico e industrial deveriam ser implantadas ligadas ao Município, Estado e/ou Federal. Fortalecer e inovar o presente ao restituir do passado: as Regionais Estaduais e Federais; inclusive Órgãos Rurais; Fazenda, Correios, Educação, etc.. Portanto, unificar as idéias, os sonhos e despertá-los, colocando-os em prática a fim de que Botucatu inove ao renovar e desenvolva alicerçada em base sólida. O Plano Diretor poderia ter sido há muito revisto, atualizado e aplicado. Isso teria beneficiado, melhorado, em muito, o presente dos jovens (20/25 anos) existentes e aos demais pela vida tão sonhada por todos que aqui viveram e vivem. Teria auxiliado e facilitado à ação da atual administração botucatuense. No entanto, o instituído dejá vu e laissez faire notáveis no Brasil notabilizam e notabilizaram nossa produtiva, sofrida e espoliada nação. A educação foi, é e será o alicerce de nossa cidade e do Brasil, certamente definirá o nosso futuro porque reconhece o vínculo indissolúvel e preceito irrefutável da tretalogia acima enunciada. Portanto, a educação nutre, cogita, investiga, intui e instiga a inteligência mercê disso, o aforismo de Descartes: Cogito Ergo Sum se consolidaria. Eis aí a pródiga e a ideal razão do verdadeiro ser humano”. Dando continuidade a Mestre de Cerimônia o orador designado para saudar Botucatu, o Acadêmico ANTONIO EVALDO KLAR que fez o seguinte discurso: “Inicialmente queremos agradecer a Academia Botucatuense de Letras, aqui representada pelo seu Presidente, Evanil Pires de Campos, e pela maioria dos confrades, por termos sido agraciados para homenagear a nossa Botucatu na data comemorativa dos 152 anos de emancipação política. Também, hoje são justamente homenageados importantes ex-Vereadores que se salientaram em gestões passadas. Os parabéns da Academia Botucatuense de Letras. Fazer analogias é um dos exercícios que nos trazem satisfação. Numa manhã apareceu um envelope grande por baixo da porta. Era propaganda política com vistas à Prefeitura da cidade. Entre as colocações da plataforma do candidato, uma nos chamou a atenção: “Trabalharei para não atrair indústrias, na tentativa de manter a qualidade de vida que nossa cidade usufrui”. Parecia uma sentença de morte às pretensões do candidato. Qual seria a explicação para tamanho contra-senso? Simples, estávamos a trabalho em Harpenden, pequena cidade ao norte de Londres, com cerca de vinte e cinco mil habitantes. E ele ganhou as eleições. A analogia com nosso país saltou a frente de qualquer explicação. Na Inglaterra (na época com cinqüenta e seis milhões de habitantes), houve um decréscimo populacional de cinqüenta e cinco mil no ano anterior. Em contrapartida, o Brasil dobrou a população em trinta anos, ou seja, houve um acréscimo de três milhões por ano. Conseqüentemente, salienta-se a necessidade de grande demanda e oferta de empregos. Aí vem o trabalho insano em ampliar o parque industrial, o terceiro setor, aumentar a infra-estrutura, além de construir escolas e até cadeias, etc.. Não há economia que acompanhe tal índice de aumento polulacional. Este grande descompasso dificilmente nosso país poderá ultrapassar na atual conjuntura, devido ao aumento constante de impostos, à sempre crescente máquina administrativa muito além do indispensável, incluindo a estabilidade funcional, etc.. Todavia este espaço não nos permite adentrar e avançar analiticamente neste problema asfixiante. Porém, nosso país é muito grande, com ilhas de prosperidade e pujança. Botucatu é um exemplo dignificante e significativo.Para se ter um exemplo, a cidade avançou dezoito posições no que corcerne ao do PIB dos Municípios do ano anterior, com uma renda per capita de cerca de R$14.000,00 (catorze mil reais), colocando-se entre as de melhor qualidade de vida do país.Permitam-nos relatar uma passagem. Há algum tempo, estávamos numa loja lá na baixada, quando entrou um moço acompanhado por um pequeno grupo e se apresentou como candidato a Prefeito, fazendo o “corpo a corpo”. Até então não o conhecia pessoalmente. Ele expôs um rápido resumo do que seria sua administração e pareceu convencer aos que ali estavam. Lembro-me do que lhe disse e o Prefeito não deverá se lembrar: “Democracia é alternância de poderes e parece ser esta a sua vez”. Pós um sorriso enigmático, lá se foi no seu “corpo a corpo” e foi eleito com boa votação. Sua eleição demonstrou o acerto e o amadurecimento de nosso eleitorado, tanto que sua reeleição foi consagradora. Temos certeza, Senhor Prefeito e Senhores Vereadores, de que muito mais gostariam de fazer em todas as áreas, segurança, saúde, educação, infra-estrutura, como avenidas sobre o Lavapés e o Tanquinho e outras obras de porte. Por outro lado, dentro das condições orçamentárias, obras significativas foram executadas e outras se encontram em andamento, como a necessária duplicação da José Barbosa de Barros. Temos notícia também dos “esforços” desenvolvidos para atingir a hoje estabilidade financeira, incomum, na maioria das vezes, nos Municípios do país. Conhecemos Botucatu na década de sessenta ao tomar posse como Professor regente na então FCMBB, vindo da USP, quando a cidade tinha pouco mais de quarenta e cinco mil habitantes e tivemos o ensejo de acompanhar sua expressiva evolução e o seu crescimento ininterrupto ao longo destes anos todos. Botucatu sempre foi uma cidade pujante, como que uma exceção dentre muitas outras. Não o fosse, não mereceria o “slogan” “Das boas escolas e das boas indústrias”. A quem deve tudo isso? Ao operoso trabalho da população original da cidade, sempre acolhedora e receptiva e também por aqueles que de outros pagos aqui vieram, se adptaram, colocaram e continuam contribuindo com seu quinhão de esforços para que mais evolua e continue sendo uma cidade bonita e agradável de viver. Parabéns Botucatu pelos seus 152 anos”. Após o brilhante discurso do Acadêmico Antonio Evaldo Klar, a Mestre de Cerimônia anunciou a apresentação do número musical “Minha Terra, Minha Vida” interpretado pela dupla Ramiro Viola e Pardini. Logo após, passou a palavra ao Vereador JOSÉ CARLOS LOURENÇÃO, DD. Presidente da Câmara Municipal de Botucatu para fazer sua saudação aos ex-Vereadores que estavam sendo homenageados. Com a palavra o Vereador JOSÉ CARLOS LOURENÇÃO, disse: “Em reconhecimento à decisiva participação do Capitão José Gomes Pinheiro, para o nascimento e desenvolvimento de nossa terra, a Câmara Municipal, no ano de hum mil, novecentos e noventa e sete, através da brilhante iniciativa do então Vereador Fernando Aparecido Carmoni, aqui presente, instituiu a Comenda que será outorgada, nesta noite, aos Vereadores das Legislaturas de hum mil, novecentos e oitenta e nove a hum mil, novecentos e noventa e seis. José Gomes Pinheiro, nascido na Província do Rio de Janeiro, doou as terras para a formação do patrimônio da Frequesia do Distrito de cima da Serra de Botucatu, em fevereiro de hum mil, oitocentos e quarenta e seis, data considerada como de fundação de Botucatu. O principal objetivo da iniciativa do Vereador Fernando Aparecido Carmoni foi o de reconhecer publicamente o trabalho dos ex-Vereadores que dedicaram anos de suas vidas a bem servir a população botucatuense. Essa homenagem simples, no entanto, se reveste da maior importância, pois bem sabemos as imensas dificuldades que os ex-Vereadores hoje homenageados, enfrentaram para desempenhar com nobreza sua missão. Ouvimos muito falar sobre a atuação de grandes nomes de nossa Câmara, todos pertencentes a essas legislaturas hoje mencionadas. Suas atuações na Tribuna, as constantes viagens a São Paulo, no empenho de trazer para nossa cidade as mais destacadas unidades da Administração Pública Paulista e fixar conquistas até hoje presentes. Gratos somos todos nós, atuais Vereadores e o povo de Botucatu, por tudo o que fizeram por nossa terra. Sabemos que o trabalho e a luta de homens como vocês e3 os demais companheiros de outras legislaturas, que lamentavelmente já nos deixaram, erigiu-se o pedestal sobre o qual se assenta a qualidade de vida e a democracia que podemos desfrutar nos dias de hoje. Por isso, em nome da Câmara Municipal de Botucatu, rendemos hoje, publicamente, nosso agradecimento e nossas homenagens aos homens que souberam honrar seu mandato e para os quais, peço uma calorosa salva de palmas”. Logo após, a Mestre de Cerimônia anunciou o momento magno da solenidade, a entrega da Medalha “Capitão José Gomes Pinheiro” aos ex-Vereadores das legislaturas compreendidas entre hum mil, novecentos e oitenta e nove a hum mil, novecentos e noventa e seis. Convidou o Vereador PROF. GAMITO para conduzir ao palco o ex-vereador:ADEMIR PELÍCIA. Natural de Botucatu, Ademir Pelícia é casado com Aparecida Sueli Silveira Pelícia. É pai de Kleber Pelícia e Clícia Roberta Pelícia. Ademir é formado em Administração de Empresas pela UNIFAC e pós-graduado pela FAAP de São Paulo. Trabalha na Duratex há 28 anos como chefe da Área de Produção. Participou como vereador da legislatura de 1992 a 1996, sendo que atuou como vice-Presidente da Mesa Diretora da Câmara Municipal e participou de diversas Comissões Permanentes. Apresentou diversos requerimentos, indicações e projetos entre os quais podemos destacar: Isenção de IPTU para quem adota uma criança, Escola para Deficientes Auditivos, entre outros projetos. Ademir Pelícia também foi fundador da Associação dos Moradores do Altos dos Pinheiros. Em seguida, convidou o Vereador CALDAS para conduzir ao palco o ex-vereador: ARTHUR SPERANDÉO DE MACEDO. Natural de Botucatu, Arthur de Macedo é casado com Renata Domingues de Macedo e pai de dois filhos Sophia e Rodrigo. Administrador, atualmente é diretor de relações institucionais da UNINOVE em São Paulo e assessor institucional da presidência da ANACEU (Associação Nacional dos Centros Universitários) em Brasília, além de mestrando na área de Educação. Arthur atuou como vereador na legislatura de 1992 a 1996, sendo autor de leis importantes como a que institui no município de Botucatu a “Semana da Ética Profissional” e a que proíbe fumar em recintos públicos fechados. Em seguida, convidou o vereador CULA para conduzir ao palco o ex-vereador: EDNEI LÁZARO DA COSTA CARREIRA. Ednei Carreira é casado com Lucélia Aparecida Carreira e pai de Vagner, Rodrigo e Danilo. Por muitos anos foi funcionário da UNESP de Botucatu, mais especificamente na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, aposentando-se como Auxiliar Acadêmico nível III. Elegeu-se pela primeira vez em 1988 quando foi Vice-Presidente Constituinte e participante ativo da elaboração da Lei Orgânica do Município. Foi eleito para integrar as legislaturas de 1992 a 1996, 1997 a 2000 e 2000 a 2004. Presidiu a Câmara Municipal no biênio 97/98 e no ano de 2004. Entre suas realizações estão projetos importantes como o que institui o Hino Oficial de Botucatu, o armazenamento de pneus inservíveis para reciclagem, o que institui a “Operação Cata-Treco” e foi responsável em sua última legislatura por coordenar a entrega de uma Câmara Municipal renovada, informatizada e com novas salas para atendimento da população. Dando continuidade a solenidade convidou o Vereador PROF. VAROLI para conduzir ao palco o ex-vereador: FERNANDO APARECIDO CARMONI. Natural de Botucatu, é casado com Márcia Helena dos Santos Carmoni e pai de Maria Fernanda e Letícia. Foi eleito pela primeira vez em 1988, tendo sido o vereador mais jovem da história de Botucatu. Neste mandato, foi vice-presidente da Câmara Municipal e chegou a assumir a presidência interinamente. Foi membro de todas as Comissões Permanentes do Poder Legislativo. Em 1992, foi reeleito como vereador com a maior votação entre os parlamentares. Assumiu a Presidência da Câmara Municipal na ocasião, abrindo as portas da Casa de Leis para a população e iniciando a sua modernização. Dentre as inúmeras conquistas realizadas como representante do povo, inclui-se a pavimentação de várias vias públicas, escolas e creches municipais, implantação da linha de ônibus de Botucatu a São Paulo, via Castelo Branco; integrou o movimento pró-duplicação da Rodovia Castelinho, ajudou na conquista de novas empresas para a cidade e é autor da lei que institui no município o “Dia da Itália”. Logo após a Mestre de Cerimônia convidou o Vereador PROF. GAMITO para conduzir ao palco o ex-Vereador HÉLIO MASCHETTI. Natural de Botucatu, é casado com Maria José Delego Maschetti e pai de Junior, Juliana e Luciana. Ferroviário, é dirigente sindical há 18 anos, atuando junto à categoria ferroviária até os dias atuais. Foi vereador por duas legislaturas: 1989 a 1992 e 1993 a 1996. Vereador polêmico, chegou a levar um carneiro na sessão ordinária da Câmara Municipal como forma de protesto pela conduta de 10 vereadores que votavam em projetos do então prefeito Jamil Cury. Hélio Maschetti já foi candidato a Prefeito e a Deputado Estadual e como vereador foi autor de projetos de destaque como o que institui o Passe do Idoso, o Sorteio de Casas Populares, Calçadão da Rua Amando de Barros, além de ser contra na época de projetos que aumentassem o IPTU. Em seguida, convidou o Vereador LOURENÇÃO para conduzir ao palco o ex-vereador JOSÉ BENEDITO VIEIRA – ZELÃO. Natural de Botucatu. É conhecido pelo apelido de Zelão, Viúvo, tem 2 filhas e 3 netos. Supervisor de Pedágio do Departamento de Estradas de Rodagem há 30 anos. Atuou como vereador na legislatura de 1993 a 1996. Participou de diversas Comissões Permanentes e atuou como 2o secretário da Mesa Diretora da Câmara Municipal. Zelão gosta de ser conhecido como vereador “caseiro”, como o vereador que lutou pelos interesses de seu bairro o Conjunto Habitacional Humberto Popollo, Cohab I. Para a Cohab, Zelão conseguiu em seu mandato, a implantação do 3o distrito policial, Posto de Saúde e a implantação da Escola Senai. Mora na Cohab I há 23 anos e é fundador da Sociedade de Bairro da Cohab I, sendo presidente da organização por cinco mandatos. Zelão também foi presidente da Escola de Samba da Cohab I “Estrela da Serra”. Atualmente ele é presidente da ONG “Crescer” da Cohab I que trabalha com crianças carentes e pessoas da terceira idade. Em seguida, convidou o Vereador JOSEY para conduzir ao palco o ex-Vereador JUNOT DE LARA CARVALHO. Natural de Botucatu, Junot foi vereador na legislatura de 1989 a 1992. Exerceu o cargo de Presidente Constituinte da Câmara Municipal de outubro de 1989 a abril de 1990, quando foi elaborada a primeira Lei Orgânica do Município de Botucatu. Foi autor do Projeto de Lei que denunciou o convênio firmado entre a Câmara Municipal de Botucatu e a Carteira de Previdência dos Vereadores e Prefeitos do Estado de São Paulo, administrada pelo Instituto de Previdência do Estado de São Paulo, o que culminou com o fim da imoral aposentadoria dos vereadores. É autor também da lei que instituiu o Hino Oficial de Botucatu, além também das leis que estabelecem a obrigatoriedade de facilitar o acesso aos prédios municipais aos deficientes físicos bem como a identificação em “Braille” nos prédios. Junot assinou também em sua legislatura como vereador, o projeto de lei que dispõe sobre a instituição da Cesta Básica para funcionários e empregados municipais. Em seguida, convidou o Vereador REINALDINHO para conduzir ao palco o ex-vereador MANOEL PATRÍCIO DO NASCIMENTO. Natural de Botucatu, Manoel Patrício é filho de Antônio Patrício Nascimento e Joana Torrente Sanches. Possui Licenciatura Plena em Pedagogia e três títulos de Pós-Graduação. Manoel Patrício atuou como vereador na legislatura de 1993 a 1996 e também já exerceu cargos como professor secundário, professor universitário, Diretor e Vice-Diretor de Escola, Inspetor de Ensino Médio, Supervisor de Ensino, Delegado de Ensino, Diretor de Educação dos municípios de Bofete e Areiópolis e Presidente do Centro Professorado Paulista-Regional de Botucatu. Como vereador, dentre as inúmeras conquistas, destacamos o empenho na construção da creche do Bairro Alto. Logo após, a Mestre de Cerimônia convidou o Vereador LUIZ RÚBIO para conduzir ao palco o ex-Vereador MAURO KIOSHI KASSAMA. Natural de Bauru, Mauro Kassama se mudou para Botucatu em 1970, com 8 anos de idade. Tem dois filhos: Bruna e Maurício. Se formou em tecnologia de dispositivos pela Faculdade da cidade de Sorocaba em 1982, aos 21 anos de idade e atualmente é empresário do ramo alimentício de atacado e varejo (Quitanda Dona Marina ). Atuou como vereador na legislatura de 1993 a 1996. Dando continuidade a solenida a Mestre de Cerimônia convidou o Vereador CALDAS para conduzir ao palco o ex-vereador ORLANDO DE ALMEIDA. Natural de Botucatu, Orlando é viúvo tem 2 filhas e três netos. Ferroviário aposentado, Orlando atuou como vereador por duas legislaturas: 1989 a 1992 e 1993 a 1996. Vereador atuante onde usava a tribuna com muito rigor para debater as questões da nossa cidade. Foi presidente da Comissão de Justiça e Redação por 4 anos. Orlando de Almeida atua efetivamente na área social há alguns anos. Ele já exerceu a presidência da Associação dos Ferroviários Aposentados e Pensionistas de Botucatu, também a presidência da Conferência Nossa Senhora de Fátima e, atualmente, é vice-presidente da Federação das Associações de Ferroviários Aposentados e Pensionistas do Estado de São Paulo e Diretor-Presidente do Clube da Melhor Idade da Associação Atlética Ferroviária. Logo após, convidou o Vereador LOURENÇÃO para conduzir ao palco o ex-vereador OSNI BERTOTTI LEME. Natural de Botucatu, Osni é casado com Clarice Buchler Leme e pai de três filhos: Eunice Elena, Osni Renato e Thiago. Obteve licenciatura em Geografia pela ITE, licenciatura em Estudos Socais e História pela UNIFAC e Licenciatura em Pedagogia pela FREA de Avaré. Osni atuou como professor primário na Escola Dom Lúcio Antunes de Souza e Fazenda Monte Alegre. Atuou como professor secundário nas Escolas EECA, Pedretti, Cevila, La Salle, Armando Salles, Industrial, Senac e Angelino de Oliveira. Foi ainda professor de ensino superior atuando na UNIFAC. Osni Leme também ficou muito conhecido como diretor das Escolas de Anhembi, Areiópolis e Botucatu. Aposentou-se, aliás, como diretor da Escola Dom Lúcio Antunes de Souza. Atualmente, Trabalha como promotor de vendas e distribuidor do Hopi Hari, é membro e presbítero emérito da Igreja Presbiteriana Monte Sião de Botucatu. Foi ainda sócio fundador do Lions Clube de Anhembi e é sócio do Lions Clube de Botucatu. Foi também treinador de Atletismo de Botucatu por 30 anos e há 48 anos participa do Canto Coral. Em seguida, convidou o Vereador LELO PAGANI para conduzir ao palco o ex-Vereador SEBASTIÃO DE FIGUEIREDO TORRES. Filho de Afonso de Figueiredo Torres e de Dona Maria do Carmo Silva de Figueiredo. Natural de Baependi – Minas Gerais. Formado em Direito pela USP, tendo realizado vários cursos de especialização, notadamente, Direito do Trabalho. É membro da OAB, decano nesta comarca, na área do Direito Penal. É tribuno e participou, como defensor, em mais de 800 Plenários do Júri. Em 2006, recebeu o Diploma de Honra ao Mérito, concedido pela OAB – SP. É casado há mais de 51 anos com a Professora Elza Judith Carmelo Torres. Tem 4 filhos, Dr. Fernando - médico, Dr. Carlos – advogado, Dr. Sérgio - Ortodontista, e Dr. Lourenço - Juiz de Direito Titular da Comarca de Piracicaba. Possui 5 netos. Eleito vereador, exerceu seu mandato de 1989 a 1992, sendo o Primeiro Secretário da Mesa Diretora no mesmo biênio. É vereador constituinte, pois, foi membro atuante na elaboração da Lei Orgânica do Município de Botucatu, sendo autor de todo o capítulo sobre Cultura. Se destacou como vereador atuante, sendo o primeiro colocado em número de projetos aprovados em seu mandato, principalmente, no ano de 1992. Foi representante da Câmara Municipal de Botucatu no Congresso de Vereadores realizado no município de Guarujá, quando foi aplaudido, de pé, pelo notável discurso na Assembléia de Vereadores do Estado de São Paulo, quando apresentou Moção ao Ex-Prefeito Emílio Peduti, com aprovação unânime de todo o plenário. Deu memória à História de Botucatu, dando nome a vários prédios públicos, como o de Abílio Dorini, ao Prédio da Câmara Municipal, de Vereador Progresso Garcia, ao Mercado Municipal, de Dr. José Faraldo, ao Prédio do Judiciário Trabalhista e nomeou, com nomes de vários professores eméritos desta cidade, a várias escolas públicas. Foi partícipe do Projeto de Extinção de Aposentadoria dos Vereadores e tantos outros. Dando continuidade a solenidade a Mestre de Cerimônia convidou o Vereador CARLOS TRIGO para conduzir ao palco o ex-Vereador VALDEMAR PEREIRA DE PINHO. Nasceu em Fuste – Vale de Cambra, Portugal, em 23 de julho de 1946. Veio para Presidente Prudente em 1950, aos 4 anos de idade. Em 1965 fez o “cursinho” em São Paulo e foi aprovado na Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (FCMBB), atual Faculdade de Medicina de Botucatu – Unesp, iniciando o Curso de medicina em 1966. Em 1967 e 1968 participou de duas greves que foram fundamentais para a sua formação, que duraram vários meses e conseguiram os recursos necessários para a efetiva implantação da FCMBB. Graduou-se em medicina em 1971. De 1973 a 1977 foi médico da Duratex, do Centro de Saúde Escola de Botucatu, da Misericórdia Botucatuense, do Hospital Sorocabana, do Posto de Assistência Médica (PAM) do Inamps de Botucatu, da Unimed e Hospital da Casa Pia São Vicente de Paula de São Manuel. Em dezembro de 1989 assumiu o cargo de docente do atual Departamento de Saúde Pública da Faculdade de Medicina de Botucatu/UNESP, cargo que ocupa até à presente data. Desde janeiro de 2001 até à presente data é Secretário Municipal de Saúde de Botucatu. Sua atuação político-partidária se iniciou no MDB, onde participou do último Diretório Municipal. Com a extinção do MDB e a criação de novos partidos foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT), sendo Presidente da primeira Comissão Provisória Municipal de Botucatu, Presidente do Diretório Municipal por vários mandatos e membro das duas primeiras diretorias do Diretório Regional do PT do Estado de São Paulo. Concorreu a diversos cargos eletivos em Botucatu: Vice-Prefeito em 1982, Deputado Estadual em 1986, Vereador em 1988 (eleito como o mais votado da legislatura 89/92), Prefeito em 1992 e eleito como Vice-Prefeito em 2000 e 2004. Logo após, convidou o Vereador CULA para conduzir ao palco o ex-Vereador WALDIR DUARTE FLORÊNCIO. Natural de Itatinga, Waldir Duarte mudou-se para Botucatu em 1967 e iniciou sua carreira de radialista na Rádio Emissora de Botucatu. Funcionário do Banco Banespa por muito anos, sendo, inclusive, presidente do Esporte Clube Banespa. Durante nove anos foi Coordenador Geral da Região de Botucatu que abriga 20 agências Banespa no maior evento esportivo-cultural do Banespa. Na Rádio Emissora PRF 8, atuou junto com os radialistas Plínio Pagani e Elias Francisco no tradicional programa “O Palanque”. Foi eleito Vereador em duas legislaturas: 1989 a 1992 e 1993 a 1996. Exerceu a Presidência da Câmara Municipal nos períodos de 1991 a 1992 e 1995 a 1996. Como presidente do Poder Legislativo, resgatou positivamente a imagem da Câmara Municipal, transportando a importância do Poder Legislativo a todos os eventos dos mais diferentes segmentos da Sociedade Botucatuense. Ainda na condição de presidente, denunciou o convênio com o IPESP, cessando a aposentadoria dos agentes políticos. Foi líder do Prefeito Jamil Cury em 1992. Foi relator do processo de elaboração da Constituinte - a Lei Orgânica do Município de Botucatu. Dentre as leis de sua autoria são destaque: a que proíbe a prática de nepotismo, a que institui o Feriado de Santana, a Criação da Olimpíada da terceira idade; a que estende o benefício do passe escolar a alunos da UNESP, entre muitos outros projetos. Após a entrega da Medalha “Capitão José Gomes Pinheiro aos ex-Vereadores das legislaturas compreendidas entre 1989 a 1996, a Mestre de Cerimônia anunciou o número musical “Tristezas do Jeca”, de Angelino de Oliveira, interpretada pela dupla Ramiro Viola e Pardini. Em seguida, a Mestre de Cerimônia informou que em consenso todos os ex-Vereadores elegeram o ex-Vereador SEBASTIÃO DE FIGUEIREDO TORRES, para fazer uso da palavra em nome de todos os homenageados. Com a palavra o ex-Vereador SEBASTIÃO DE FIGUEIREDO TORRES, proferiu o seguinte discurso: “Nesta Sessão Solene comemorativa aos cento e cinqüenta e dois anos de emancipação político-administrativa do Município de Botucatu/SP, a Colenda Câmara Municipal, pelo Decreto Legislativo nº. 235, de três de abril de dois mil e sete, e pela Resolução nº. 286, de seis de maio de hum mil, novecentos e noventa e sete, da mesma Câmara, o Senhor Vereador José Carlos Lourenção, aprovou e promulgou, por iniciativa do nobre Vereador Fernando Aparecido Carmoni, a Medalha “Capitão José Gomes Pinheiro”, conferida a ex-Vereadores da Câmara Municipal de Botucatu/SP.Indicado, por consenso, para falar em nome de todos os Vereadores homenageados, a honraria é tanta, não só por receber a Medalha do fundador desta cidade, mas, também, por representar tão nobres edis. De início, ressalte-se que a legislatura compreendida entre os anos de hum mil, novecentos e oitenta e nove a hum mil , novecentos e noventa e seis marcou, indelevelmente, os anais desta querida Botucatu/SP. Foi no interregno do referido quadriênio que se elaborou a Lei Orgânica do Município de Botucatu/SP, porque não dizer a Constituição Municipal, a par da “Constituição Cidadã”, a Constituição Federal de hum mil, novecentos e oitenta e oito, tendo à frente o inesquecível parlamentar Ulisses Guimarães que, pela grandeza de sua alma, teve como sepultura a imensidão do oceano, uma cova pequena era pouco para agasalhar tão nobre figura da política nacional. Foi também naquela legislatura que extinguimos a aposentadoria de Vereadores que, com quatro ou oito anos, poderiam receber aposentadorias vitalícias, quando tantos outros necessitam trabalhar trinta ou trinta e cinco anos para ter uma aposentadoria vulgar. Na mesma legislatura, instituímos o “Passe Livre” ao idoso, junto ao transporte público municipal, bem como, tantos outros projetos e leis, em prol de uma Botucatu sempre melhor. A cidade não reverenciava a sua memória, os prédios públicos não tinham nomes e, paulatinamente, denominou-se de Vereador Abílio Dorini o prédio da Câmara Municipal, de Vereador Progresso Garcia o Mercado Municipal. Muitas escolas também não possuíam os seus patronos e nós, Vereadores, em sessões solenes, nomeamos todas as escolas de Botucatu, com personagens, com nomes de professoras e professores, que legaram a cultura ao povo desta cidade. Inúmeras ruas eram conhecidas apenas por números, quando possuíamos tantos homens e mulheres, dignos de homenagens, e ao olharmos nestes mesmos logradouros, agora, com nomes outorgados, lembramos dos exemplos destas personagens, que dignificaram e exaltaram o nome de Botucatu/SP. O prédio onde funcionava o Poder Judiciário Federal, da Justiça do Trabalho, era penas conhecido como Junta do Trabalho e, por iniciativa daquela mesma Câmara, deu-se o nome do Advogado Dr. José Faraldo, àquele próprio do Poder Judiciário Federal da Justiça do Trabalho. Despisciendo enumar tão profícia gestão daquela legislatura. Contudo, basta lembrarmos que aqueles dezesssete Vereadores, constituintes municipais, tinham e têm a consciência do dever cumprido, dando algo de si para a grandeza do Município de Botucatu/SP. Foi um período difícil para a Nação, foi a “Era Color”, da Ministra Zélia, do “confisco” do dinheiro de tantos, com o engodo de empréstimo compulsório. O País, tão convulsionado, viveu a transição do Impeachment do jovem Presidente. Botucatu sempre esateve na trinccheira da legalidade, a Câmara MunicipaL, naquele quadriênio, contribuiu, de forma efetiva, altaneira e competente, para a estabilização da vida municipal, do Estado e da Nação, a par do que já o fizera, em tantas outras eras, quando filhos de Botucatu partiram para a Força Expedicionária Brasileira, a gloriosa FEB, alguns retornaram com Medalhas, outros sucumbiram no Monte Castelo. A legislatura de 1993-1996, da mesma colenda Câmara Municipal, composta por tão dignos edis, hoje também himenageados, meritoriamente, continuaram, com denodo, a árdua tarefa de legislar, apriomorando a Lei Orgânica Municipal, a par de inúmeros Projetos legisalativos, tudo em prol do povo de Botucatu e do progresso de nossa cidade. Hoje, coincidentemente, é o Dia Nacional do Índio, e Botucatu é palavra oriunda, etimologicamente, da língua indígena, pois, na preleção de Pinto Coelho, para a constituição de uma fazenda, era Ibytukatu ou Botucatuba, denominação esta na concessão da Sesmaria a Simião Leite. Todos os etimólogos dão o mesmo significado a esta terra tão grandiosa, ou seja, bons ares, tão próprio para a nossa topografia, serrana, aquele hálito vindo da serra, ameno, altaneiro, sempre a acariciar gerações e gerações, fortalecendo o povo desta terra, gente forte, inteligente, culta, e porque não dizer bela. A nossa urbe possui o melhor clima da região, água abundante e pura, boa gente, boas escolas. Aqui sempre estiveram e estão portugueses, italianos, árabes, brancos e pretos, asiáticos, gente de todas as nações, irmanados no amor comum. Lembremo-nos, com o máximo de reverenciamento, os ilustres vultos, como Emílio Pedutti, Antonio Delmanto, Plínio Paganini, Dr. João Reis, Renato de Barros, Francisco Marins, Hernani Donato, Lourenço Ferrari e tantos outros, dignos de homenagens. À imprensa, escrita e falada, que fizertam e são parte de nossa história, como a “Gazeta de Botucatu, O Jornal de Botucatu”, o “Jornal Serrana”, a “Radio PRF-8”, A “Municipalista” e demais meios de comunicação, as nossas mais elevadas homenagens. As nossas reverências, também, a Academia Botucatuense de Letras, composta por tão nobres imortais. Botucatu sempre merece um destaque no Estado de São Paulo, porém, necessário se torna olharmos para o futuro, meditando no passado e no presente, pois são imprescindíveis, desde já, a construção de marginais, com fluxo de trânsito e circulação de veículos condizentes com o engrandecimento da cidade, tanto no sentido horizontal como vertical, a edificação de um Fórum novo e de um Centro Cívico, de mais indústrias, mais escolas, um comércio mais pujante, da implanta~/ao do CDP, mais hospitais e trabalho digno para todos. Finalizando, agradecemos a comenda a nós outorgada, firmando compromisso de honrar a ilustre figura do Capitão José Gomes Pinheiro. Deus seja louvado”. Após o discurso do ex-Vereador Sebastião de Figueiredo Torres, a Mestre de Cerimônia anunciou o número musical “Fazenda Lageado”, também interpretado pela dupla Ramiro Viola e Pardini. Em seguida, passou a palavra ao Excelentíssimo Senhor ANTONIO MÁRIO DE PAULA FERREIRA IELO, DD. Prefeito Municipal de Botucatu, que com a palavra discursou parabenizando Botucatu pelos seus cento e cinqüenta e dois anos de emancipação político-administrativa, bem como os ex-Vereadores que naquela noite eram homenageados pela Câmara Municipal. Logo após, a Mestre de Cerimônia agradeceu a todos os que colaboraram com a realização da presente solenidade, especialmente os funcionários do Teatro Municipal “Camilo Fernandez Dinucci”, a Dupal Ramiro Viola e Pardini, os veículos de comunicação pela divulgação, as autoridades presentes e representadas, os Senhores Vereadores, os Acadêmicos, os homenageados, os funcionários da Câmara Municipal de Botucatu pelo trabalho e organização. Dando seqüência, passou a palavra ao Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara Municipal, Vereador JOSÉ CARLOS LOURENÇÃO que proferiu as seguintes palavras: Esta é mais uma noite de glória que a história do legislativo botucatuense eternizará. Quero mais uma vez agradecer aos que colaboraram para que este evento fosse coroado de êxito, Em especial, quero parabenizar nossos homenageados, seus amigos e familiares e a todos que nos honraram com suas presenças. Agradecemos aos membros da Academia Botucatuense de Letras, renovando aqui nosso compromisso pela manutenção da parceria em eventos culturais e educacionais”. Nada mais havendo para ser tratado, declarou encerrada a presente Sessão Solene. Eu, SÍLVIA GONZAGA PINTO VAROLI, Oficial Legislativo da Câmara Municipal, lavrei a presente Ata que vai assinada pelo Presidente da Câmara Municipal de Botucatu, Vereador...............................................................JOSÉ CARLOS LOURENÇÃO. O 1º. Secretário da Mesa da Câmara Municipal,...............................................................................Vereador ANTONIO LUIZ CALDAS JUNIOR.

SGPV/sgpv



Catálogo: camver -> ata
camver -> MOÇÃo nº 112 / 2006 Senhor Presidente, Considerando
camver -> Projeto de lei nº 056/2012 autoriza a concessão de contribuiçÃo financeira, em caráter especial ao centro de recuperaçÃo e integraçÃo do excepcional – crie. O prefeito do município de guararapes
camver -> Projeto de lei nº 060/2011
ata -> Ata da décima terceira sessão Extraordinária do Ano Dois Mil, Realizada aos vinte e sete dias do mês de novembro
ata -> Ata da sessão ordinária realizada a 17 de agosto de 2009
ata -> Ata da primeira (2°) sessão ordinária do terceiro (3°) ano da sexta legislatura da câmara municipal de engenheiro coelho, estado de são paulo, realizada no dia vinte e cinco do mês de fevereiro de 2015, quarta feira, com início àS 19H30M
ata -> Ao senhor nelson aparecido lopes de oliveira e do diploma de
ata -> Livro de atas
ata -> Ata da 2ª. Sessão solene da câmara municipal de
ata -> Botucatuense emérito


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal