Primeiros hospitais



Baixar 19.39 Kb.
Encontro26.07.2016
Tamanho19.39 Kb.



PRIMEIROS HOSPITAIS


  • as 1ª tentativas de colonização brasileira incluiram a abertura de Santas Casas – tipo de casa de caridade muito comum em Portugal e em outros países as quais recebiam denominações variadas




  • 1ª Santa Casa de Misericórdia  Rio de Janeiro, Vitória, Olinda e Ilhéus




  • José de Anchieta  não se limitava só à catequese, era professor, médico e enfermeiro; atendia às necessidades urgentes do povo: Educação e Saúde;




  • Deixou documentos importante sobre o clima, os costumes, a terapêutica utilizada, o poder das ervas para a cura e as doenças mais comuns;




  • Viveu intensamente a serviço dos silvícolas




  • Técnicas utilizadas para o tratamento dos doentes: antídoto contra veneno de cobra; plantas medicinais como o guaraná e a copaíba; nas cirurgias eram utilizadas talas de casca de árvore, ligaduras de cipó e ventosas de chifre de boi;




  • Anchieta menciona a ausência de defeitos físicos entre os selvagens




  • Faltam dados seguros a respeito da Enfermagem das primitivas Santas Casas




  • Frei Fabiano de Cristo  padre franciscano, exerceu por 40 anos as funções de enfermeiro no Convento de Santo Antonio do Rio de Janeiro




  • Além do auxílio dos voluntários, os religiosos utilizava os serviços de escravos




  • Qualquer pessoa podia iniciar-se no cuidado de doentes e após pequena experiência intitular-se prático;




  • Havia senhores que alugavam escravos peritos em enfermagem para servirem doentes particulares;




  • Geralmente eram analfabetos, outros mais educados, em lugares onde não existia médicos, se orientavam por livros de medicina popular e de enfermagem caseira editados em Portugal;




  • Um desses livros, escrito por Francisco Morato Roma, na cidade de Coimbra, datado de 1783, se intitulava: “Luz da medicina ou prática racional metódica, guia de enfermeiro, obra muito útil a todo o pai de família, de que poderão aproveitar pobres e ricos na falta de médicos doutos”;




  • As exigências eram extremamente simples para o desempenho da enfermagem, isto devido a falta de divulgação de conhecimentos científicos e da própria idéia que se fazia da Enfermagem;







  • Para a Santa Casa do Rio de janeiro vieram as Irmãs de Caridade;




  • Estabelecimentos que hoje pertencem à Santa Casa: Hospital São Zacarias (crianças), Hospital Nossa Senhora das Dores (tuberculose), Hospital Nossa Senhora da Saúde, Hospital São João Batista, Asilo Santa Maria e Fundação Romão Duarte de Matos (antiga Casa dos Expostos)



FRANCISCA DE SANDE


  • Viveu na Bahia no fim do século XVII

  • 1ª voluntária de Enfermagem no Brasil

  • dedicou sua viuvez ao cuidado dos doentes

  • improvisava hospitais e até no seu solar abrigava doentes pobres, quando não havia mais leitos nos hospitais

  • gastava sem contar no socorro dos pobres doentes



MATERNIDADE E INFÂNCIA


  • 1693- surge a 1ª manifestação oficial de proteção direta à infância do Brasil

  • uma carta régia sobre os expostos, dirigida ao governador da capitania do Rio de Janeiro – Antonio Paes de Sande – consta a recomendação de que os enjeitados fossem alimentados pelos bens do Conselho. Nada aconteceu;




  • 1738, Romão de Matos Duarte  por iniciativa própria funda no Rio a Casa dos Expostos, que desde o início foi ineficiente;




  • Em 3 de maio de 1823, em discurso na Assembléia Constituinte, D. Pedro I assim fala da Casa dos Expostos: “ A 1ª vez que fui à Roda dos Expostos, achei, parece incrível, sete crianças com duas amas, nem berço, nem vestuário. Pedi mapa e vi que em 13 anos tinham entrado 12.000 e apenas tinham vingado 1.000, não sabendo a misericórdia verdadeiramente onde elas se achavam”.




  • Em 1856 com a chegada das Irmãs de Caridade e com a fundação de Asilos Infantis, a mortalidade infantil teve diminuição considerável




  • O séc. XIX embora proveitoso no campo da medicina pouco se pode falar da enfermagem;


- ALGUNS FEITOS:

  • Introdução no Brasil da vacina antivariólica  Visconde de Barbacena




  • Fundação da Escola de Medicina da Bahia  Dr. José Correia Picanço



  • Já para a Enfermagem o principal progresso é registrado em 1830, na Obstetrícia, a Escola da Bahia iniciou cursos de parteiras, sendo o 1º diploma conferido à Ana Joaquina




  • 1822 1ª medidas de proteção à maternidade  José Bonifácio de Andrada e Silva, referem-se à mãe escrava e dizem: “A escrava, durante a prenhez e passando o 3º mês, não será obrigada a serviços violentos e aturados; no 8º mês só será ocupada em casa; depois do parto terá 1 mês de convalescença e passado este, durante1 ano não trabalhará longe da cria.”



  • Ainda neste ano, na Casa dos Expostos foi estabelecida a 1ª sala de partos;

  • 1847, 1ª obstétrica  José Clemente Pereira







  • no ano seguinte sua escola de parteiras diplomou Mmme. Durocher, tida como a 1ª parteira do Brasil;




  • Dr. Carlos Artur Moncorvo de Figueiredo – 1874 – lança o livro “Do exercício e do ensino médico do Brasil” onde relata medidas de grande importância que foram tomadas, como: melhora do ensino, criação de novas cadeiras e ampliações de outras, estabelecimento de clínicas e laboratórios; lutou pela criação de um serviço obstétrico e outro de assistência à criança, propôs um curso de 2 anos para formação de parteiras;



  • Deve-se também a ele a criação da cadeira de Pediatria e da respectiva Clínica




  • No começo do século XX foram evidenciados os resultados alcançados com a melhoria do ensino: surge inúmeras teses médicas sobre a Higiene Infantil e Escolar, abrindo horizontes para novas realizações;





ENFERMAGEM


  • Sem caráter técnico ou científico, as atividades de enfermagem eram relegadas a plano doméstico ou religioso




  • Os Psiquiatras sentiram a necessidade do preparo desses profissionais




  • Plano concretizado com a criação da Escola Alfredo Pinto










©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal