Primeiros socorros



Baixar 222.64 Kb.
Página1/6
Encontro06.08.2016
Tamanho222.64 Kb.
  1   2   3   4   5   6
Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia

FAETEC- Fundação de Apoio à Escola Técnica

CETEP- Centro de Educação Tecnológica e Profissionalizante



ETESC - Escola Técnica Estadual Santa Cruz

APOSTILA

PRIMEIROS SOCORROS



2010

PRIMEIROS SOCORROS

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

UNIDADE I -


Princípios gerais sobre Primeiros Socorros. Ação do socorrista na prevenção de acidentes e em situações de emergência.

UNIDADE II-


Exame e avaliação das condições físicas do acidentado. Sinais Vitais.

UNIDADE III-


Primeiros Socorros em ferimentos, queimaduras e hemorragias.
Curativos de emergência.

UNIDADE IV -


Primeiros Socorros em convulsão, vertigens, desmaios, insolação, intermação.

UNIDADE V -


Primeiros Socorros em fraturas, luxações e entorses.
Imobilizações.

UNIDADE VI -


Transporte de acidentados.

UNIDADE VII-


Primeiros Socorros em parada cárdio-respiratória
Em casos de afogamento
Em caso de choque elétrico
Em caso de corpos estranhos

UNIDADE VIII -


Primeiros Socorros em intoxicações, envenenamentos e picadas de animais peçonhentos.

UNIDADE IX -

Montagem de caixa de Primeiros Socorros.

UNIDADE I

PRIMEIROS SOCORROS

Prevenir emergências é essencial. Grande parte das atitudes em primeiros socorros são cuidados simples: lavar uma ferida, parar uma hemorragia secundária, ou aplicar uma bandagem. Em uma emergência, porém, pode ser exigida a execução de procedimentos mais complexos, como ajudar uma pessoa que não está respirando.

Em qualquer emergência, é essencial telefonar para o número local de emergências para obter assistência especializada. Você também deve manter o número local de sua assistência médica prontamente acessível para membros da família, convidados, babás, etc.

Os Primeiros Socorros constituem-se no primeiro atendimento prestado à vítima em situações de acidentes ou mal-súbito, por um socorrista, no local do acidente.


Mas lembre-se, a função do socorrista é:



  • Manter a vítima viva até a chegada do socorro

  • Evitar causar o chamado 2º trauma, isto é, não ocasionar outras lesões ou agravar as já existentes.

  • Providenciar ajuda especializada

ORIENTAÇÕES GERAIS EM CASO DE ACIDENTES

Esta lista descreve algumas prioridades em uma situação de emergência:



  1. Avalie a cena para se proteger e proteger a outros de danos ou perigo;

  2. Mantenha-se calmo e tranqüilo;

  3. Não remova uma pessoa acidentada a menos que ela, ou ele esteja em perigo iminente, ou a menos que você não possa dar assistência sem movê-la;

  4. Peça ajuda. Peça a alguém para telefonar para o número de emergências local ou, se a pessoa não necessitar de assistência imediata, faça a ligação você mesmo;

  5. Olhe, ouça e sinta a respiração;

  6. Sinta a pulsação para verificar se o coração está batendo;

  7. Controle a hemorragia com pressão direta;

  8. Trate do desfalecimento;

  9. Se a pessoa estiver inconsciente, mova-a para a posição de recuperação;

  10. Afaste os curiosos;

  11. Quando aproximar-se, tenha certeza de que está protegido (evitar ser atropelado);

  12. Faça uma barreira com seu carro, protegendo você e a vítima de um novo trauma;

  13. Chame uma ambulância;

  14. Evite movimentos desnecessários da vítima, para não causar maiores e/ou novas lesões, ex. lesões na coluna cervical , hemorragias ,etc;

  15. Utilize luvas, para evitar contato direto com sangue ou outras secreções.(luvas descartáveis).

È IMPORTANTE OBSERVAR QUE:

  • É fundamental que a vítima chegue ao hospital sem 2º trauma e, preferencialmente, com as possíveis situações de risco estabilizadas (ex. obstrução das vias aéreas).

  • Sabendo disso, preocupe-se com as prioridades, mantenha a calma, aja coerentemente e tenha a certeza de que o socorro está a caminho.

  • O socorrista é o primeiro a atender a vítima, outros o sucederão, dando continuidade a manutenção da vida e evitando complicações como 2º trauma.

  • O transporte deve ser realizado pela ambulância, evite carregar a vítima em outro transporte, pois isso interfere no atendimento. Transporte inadequado causa 2º trauma ou a morte da vítima.

  • Em locais onde não haja ambulância, a vitima deve ser transportada somente após avaliada, estabilizada e imobilizada adequadamente.

  • Não retire a vítima do local do acidente, salvo se o local em que ela seencontra possa causar risco de vida para ela e para o socorrista. Ex.: carro que tenha risco de explosão, pista perigosa e que não tenha como sinalizar com o carro, faróis e sem triângulo, podendo vir outro veículo e ocorrer outro acidente.

  • Vítimas presas em ferragens devem ser retiradas por pessoas especializadas (ex:. bombeiros). Evite movimentos desnecessários



UNIDADE II

AVALIAÇÃO DA VÍTIMA

A avaliação da vítima pode ser dividida em primária e secundária. É através dela que vamos identificar as condições da vítima e poder eliminar ou minimizar os fatores causadores de risco de vida.



Atenção

  • Durante o atendimento, deve-se reavaliar a vítima (avaliação primária e secundária) sempre que possível, pois o quadro pode agravar-se. Ex.: a vítima parar de respirar ou entrar em estado de choque.

  • Interrompe-se a avaliação e começa-se os procedimentos imediatamente, quando detectado que a vítima encontra-se em parada respiratória ou parada cárdiorrespiratória

AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

A avaliação primária deve ser cuidadosa e respeitar uma rotina, como podemos ver abaixo:



  • Respiração e manutenção da coluna cervical

  • Circulação / hemorragias

  • Avaliação neurológica



A) RESPIRAÇÃO E MANUTENÇÃO DA COLUNA CERVICAL:







  1. Abra a boca da vítima para retirada de prováveis corpos estranhos (secreções, pedaços de alimentos,

dentes quebrados), tendo o cuidado de não fazer movimentos desnecessários com a coluna cervical.







  1. Faça esta manobra: firme a cabeça da vítima com os joelhos ou solicite auxílio.







  1. Projete o maxilar para a frente, agarrando-o firmemente e logo após para baixo. Esta manobra fará com a

boca se abra e possa ser visualizada seu interior, sem causar trauma de coluna cervical.















  1. Retire da boca os objetos e prótese dentária se houver.







  1. Imobilize a coluna cervical, tendo o cuidado de não elevá-la e não colocando nada em baixo (proteja-a

com uma roupa dobrada) improvise um colar cervical.




 









  1. Se a vítima não estiver respirando após a retirada do corpo estranho, mas está com os batimentos cardíacos

presentes, comece a respiração boca a boca.




  1. Observe se há elevação do tórax ou abdômen quando você não está soprando ar para dentro dos Pulmões

da vítima.

B) CIRCULAÇÃO



  1. Verifique se o coraão da vítima está batendo.

  2. Se ausente os batimentos , proceda a proceda a ressuscitação cárdio pulmonar (RCP)

  3. Verifique se há hemorragias ou presença de sinais e sintomas que indiquem uma hemorragia interna.


C) AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA:

Se ela estiver consciente, pergunte nome, telefone para contato, endereço.

  1. Faça também perguntas que você possa avaliar se ela está respondendo com coerência.

  2. Caso esteja inconsciente, abra os olhos dela e verifia que as pupilas.


MIDRÍASE – MIOSE – ANISOCORIA - ISOCORIA


  1   2   3   4   5   6


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal