Princípios de Parcerias para o Século 21



Baixar 15.75 Kb.
Encontro05.08.2016
Tamanho15.75 Kb.

Princípios de Parcerias para o Século 21

Introdução

Parceria vem direto do coração de Deus. Trabalhando em parceria refletimos a unidade que vemos entre Deus Pai, Filho e Espírito Santo desde antes da criação do mundo. A parceria é uma importante forma pela qual a unidade do Corpo de Cristo é demonstrada aos outros. Então, o desenvolvimento de parcerias é uma profunda atividade espiritual e deve ser conduzida de acordo com a Palavra de Deus. Os princípios que se seguem têm sido observados como importantes para o desenvolvimento de parcerias e são totalmente consistentes com as escrituras.




  1. Liderança


    1. Parcerias efetivas buscam a direção de Deus em tudo o que fazem.

      1. Os parceiros são renovados e revigorados por estarem orando uns pelos outros, tanto pelo trabalho quanto pelas necessidades pessoais. Compartilhar juntos, em comunhão, dá um poder especial de união também. A ministração do Espírito Santo capacita os parceiros a trabalharem melhor um conjunto.



    2. Parcerias efetivas têm um facilitador ou uma equipe de facilitadores.

      1. Parceria não acontece simplesmente. Necessita de uma pessoa ou de uma equipe de pessoas comprometidas com a parceria e aceitas por todos os parceiros. Eles servirão a toda a parceria, fazendo-a funcionar.



  1. Direção


    1. Parcerias efetivas têm um propósito claro.

      1. Somente uma parceria que é formada para cumprir uma visão específica dará certo. Parceria sem objetivos significa fracasso.




    1. Parcerias efetivas começam identificando as necessidades antes de pensar na estrutura.

      1. Uma parceria efetiva começa identificando barreiras para o progresso espiritual, e através delas, traçam prioridades para a ação ao invés de tentar estabelecer condições para novos membros ou escrever uma declaração de fé comum. A Função (o que a parceria pode fazer) deve vir sempre antes da Forma (como a parceria é estruturada). O consenso é sempre melhor que a Constituição.




    1. Parcerias efetivas têm objetivos claros e bem definidos.

      1. Em curto prazo, devem ser limitados e atingíveis. Devem ser também significativos o suficiente para promover motivação à parceria. À medida que a parceria avança no cumprimento dos objetivos, estes são incrementados, alterados, tornando-se mais desafiadores.



    2. Parcerias efetivas mantém os olhos no objetivo final.

      1. É mais fácil manter o foco no “meio” do que no “fim”. Uma parceria perfeita mantém seu foco, sua visão de longo prazo e não se distrai com as demandas operacionais do dia-a-dia.
  1. Trabalho


    1. Parcerias efetivas são construídas em relacionamentos de confiança, franqueza e de preocupação mútua.

      1. Parceria é mais que coordenação e planejamento. O cerne do Evangelho é a restauração de relacionamentos, na pregação e na prática. Desenvolver tais relacionamentos requer tempo e esforços. Parcerias perfeitas são especialmente sensíveis com aqueles que têm culturas e conhecimentos diferentes entre si.




    1. Parcerias efetivas focam no que os parceiros têm em comum e não nas suas diferenças.

      1. A unidade é encorajada pelo compartilhar das coisas do coração como visão, valores e ministério em comum. Discutir diferenças em doutrinas, história e experiência ministerial divide. De qualquer forma, é importante reconhecer – até mesmo celebrar-estas diferenças de tempos em tempos.



    2. Parcerias efetivas mantém um alto nível de participação pelos parceiros.

      1. A sociedade e o compromisso com o processo é incentivado pela grande participação de todos os parceiros nas tomadas de decisão.



    3. Parcerias efetivas passam a visão e as habilidades para o desenvolvimento de parcerias para todos os parceiros continuamente.

      1. É importante para os parceiros captar a visão de parceria e desenvolver habilidades para criar parceiros. Isso deve incluir treinamento para desenvolvimento de parcerias em ocasiões onde os parceiros se encontram. Uma parceria efetiva está preparada para os problemas, especialmente em tempos de mudança de liderança, e desenvolve procedimentos para gerenciá-los.



    4. Parcerias efetivas não são grátis.

      1. Só a participação envolve tempo e dinheiro, então, todos os parceiros estão investindo de alguma forma. Um compromisso mais profundo envolve um investimento ainda maior, mas os benefícios valerão muito mais que estes custos.




    1. Parceiros de verdade reconhecem que a parceria é um processo contínuo, não um evento.

      1. A primeira fase do desenvolvimento de uma parceria leva tempo. Marque um encontro antes da hora e é como se o processo fosse falhar. O desenvolvimento da confiança é essencial antes dos potenciais parceiros se associarem. Mais tarde, tempo para cultivar a confiança e processar os assuntos será igualmente importante. É mais desafiador manter uma parceria do que iniciar uma.



    2. Parceiros de verdade reconhecem que têm vários participantes que precisam ser conhecidos e cujas contribuições precisam ser valorizadas.

      1. Existem mais pessoas e interesses envolvidos em uma parceria do que aqueles sentados à mesa. Os participantes envolvidos incluem os líderes e a equipe das organizações parceiras, os mantenedores destes ministérios, as pessoas que procuramos alcançar para as próprias parcerias. Parceiros de verdade compreendem as necessidades de cada um destes grupos e procura encontrá-los. Eles também reconhecem e valorizam as contribuições de cada um.
  1. Parceiros


    1. Parceiros de verdade têm um defensor para a parceria em sua própria organização.

      1. Esta é a pessoa que vê como seu próprio ministério pode se beneficiar da cooperação e quem irá compartilhar esta visão com seus colegas. Sem tal pessoa, o compromisso da agência com a parceria é sem entusiasmo, na melhor das hipóteses.



    2. Parceiros de verdade têm identidades e visões claras.

      1. Parceiros que têm um forte senso de identidade e chamado têm uma possibilidade maior de darem certo. Se os parceiros não têm uma clara visão de seus próprios ministérios, terão dificuldade em ver onde eles poderão contribuir para o quadro global ou os benefícios do esforço conjunto.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal