Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2011 Ficha de Inscrição



Baixar 118.23 Kb.
Encontro22.07.2016
Tamanho118.23 Kb.

Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social - 2011

Ficha de Inscrição






1. Dados Cadastrais da Instituição e do Proponente
a) Instituição:
Razão social: CARPIL – COOPERATIVA AGROPECUARIA REGIONAL DE PALMEIRA DOS INDIOS LTDA

CNPJ: 12.497.210/0001-16

Natureza Jurídica: JURIDICA

Instituição sem fins lucrativos – Sim ( X ) Não ( )

Endereço: RUA MAJOR CICERO DE GOES MONTEIRO, 78.

Bairro: CENTRO

Cidade: PALMEIRA DOS INDIOS

UF: ALAGOAS

CEP: 57.600.050

Telefone : 82 9910 1513

Site: www.carpil.org.br

E-mail: lucianmonteiro@yahoo.com.br


Área da instituição responsável pelo desenvolvimento/execução da Tecnologia

Social:

Nome da área: Assistência Técnica, Pedagógica e Diretoria

Telefone: 82 – 8138 5706

E-mail: carpilalagoas@yahoo.com.br - lucianmonteiro@yahoo.com.br (Diretoria) - drica333@hotmail.com (Josefa Adriana Cavalcante Ferro - Pedagógica)


b) Representante Legal da Instituição:
Nome Completo: LUCIANO MONTEIRO DA SILVA

Cargo: DIRETOR - PRESIDENTE

Sexo: (M)

CPF: 445.138.104 - 59

Vigência do mandato: Março de 2012
c) Responsável pela Tecnologia Social:
Nome Completo: Luciano Monteiro da Silva

Sexo: (M)

Telefone: 82 9986 0747

E-mail: lucianmonteiro@yahoo.com.br

CPF: 445.138.104-59

Contatos por meio de redes sociais: twitter, facebook.


Se desejar, informe os dados de outros responsáveis pela tecnologia:
Nome Completo: JOSEFA ADRIANA CAVALCANTE FERRO DE SOUZA

Sexo: (M) ou (F) F

Telefone: 82-99098584

E-mail: drica333@hotmail.com

CPF:758200564-34

Contatos por meio de redes sociais: twitter, facebook, orkut, skype, msn etc.


Nome Completo: JESIVAL CLEMENTE DOS SANTOS

Sexo: (M)

Telefone: 82 - 96709452

E-mail: jesivalcompetec@yahoo.com.br

CPF: 403.620.944-20

d) Como soube do Prêmio?
Superintendencia do Banco do Brasil X

Amigos


Folders

Mala direta

Rádio

Revista (Globo Rural) X



Site da Fundação Banco do Brasil X

Site do Banco de Tecnologias Sociais x

Site do Banco do Brasil X

Outros Sites



2. Dados da Tecnologia Social:
Conceito de Tecnologia Social
Tecnologia Social compreende produtos, técnicas ou metodologias reaplicáveis, desenvolvidas na interação com a comunidade e que representem efetivas soluções de transformação social.”
Se sua tecnologia já foi apresentada alguma vez no Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, informe o ano: ___ Não ____



  1. Título da Tecnologia: (até 80 caracteres)

PROGRAMA SOMBRA E AGUA VIVA

(Recuperação de Nascentes, Reflorestamento e aproveitamento de parte do excedente hídrico para produção de hortifrúti (Projeto Quintais Produtivo) ervas medicinal (Projeto Quintais Medicinal)


  1. Sinopse (Resumo da tecnologia): (Descreva a tecnologia em até 300 caracteres. O resumo deve, de forma simples e rápida, oferecer informações gerais sobre a tecnologia)

A tecnologia é aplicada para a recuperação de nascentes, reflorestamento e aproveitamento de parte do excedente hídrico para produção de hortifrúti e ervas medicinal nas propriedades dos agricultores familiares, indígenas, Quilombolas e mini agricultores na região de atuação da CARPIL – Cooperativa Agropecuária Regional de Palmeira dos Indios LTDA – vem sendo aplicada no Estado de Alagoas, principalmente no município de Palmeira dos Índios – AL, onde priorizamos o uso da tecnologia na revitalização das nascentes nas propriedades do alto Rio Coruripe ( único rio alagoano), as quais encontram-se degradadas, devido as ações antropicas e, em alguns casos a falta de conhecimento dos moradores sobre os mananciais e sua permanência.

Na referida região tem várias comunidades, que apresentavam um quadro preocupante, no que diz respeito a saúde, com altos índices de verminose, especificamente a esquistossomose, que tem a água como veiculadora, neste cenário as nascentes visitadas no local, encontravam-se cheias de caramujos e matéria orgânica decomposta, apresentando uma qualidade de água indesejada ou imprópria para o consumo humano, além da falta de ocupação e renda das famílias e moradores.

A Tecnologia foi implantada neste momento para intervenção com uso da técnica de solo e cimento, lonas plásticas, canos, pedras, com o objetivo de proteger as nascentes, a partir da limpeza das minas, onde e retirada toda matéria orgânica e dejetos até encontrar os minadouros e deixar que a água flua livremente, o local recebe a proteção de pedras, as quais tem função de filtro, coberta com lona e a massa de solo e cimento, a saída da água passa a ser por um metro de cano de 0,25mm direto para uma caixa, onde os usuários, animais, insetos e restos de materiais orgânicos não terão mais contato direto com a nascentes (minadouros). São usados ainda, um metro de cano de 0,25mm com tampão na parte superior da nascente recuperada por onde mensalmente será feita a desinfecção da mesma com um litro água sanitária. Na parte mais baixa das nascentes usamos um metro de cano de 100 mm com tampão para a realização da limpeza e esgotamento mensal da agua acumulada, na saída da água colocamos a 30 cm do chão dois ou mais canos de 0,45 mm com um metro de comprimento sem tampão para saída permanente do excesso de água das nascentes que alimentarão os córregos, riachos e rios. Dessa forma efetiva-se a recuperação de nascentes.



  1. Tema principal, tema(s) secundário(s) e sub-temas:

Selecione, dentre as seguintes opções, o tema principal a que sua tecnologia se refere e, se houver outros temas abordados pela tecnologia, selecione-os como secundários:



  • Alimentação

  • Educação

  • Energia

  • Habitação




  • Meio ambiente X

  • Recursos Hídricos

  • Renda

  • Saúde




Selecione, dentre as opções constantes no Anexo 1 desta ficha, até 3 sub-temas, de cada tema, a que a tecnologia se refere.


  1. Problema solucionado: (Descreva o problema que existia na comunidade e que motivou a criação e/ou implementação da Tecnologia Social – até 1.200 caracteres)

A região que iniciamos o Programa Sombra e Agua Viva possui um vasto lençol freático, com um volume relevante de água, que aflora a superfície, favorecendo aos moradores o desenvolvimento de hortaliças, prática centenário na área. Com esta abundância de água havia uma situação adversa ao meio ambiente, provocada pelas ações dos moradores, desmatamento, assoreamento das nascentes, lixo doméstico, além do hospedeiro inconveniente - grande quantidade de caramujos.

A problemática era gritante no que tange a saúde, com o consumo da água com tal situação, era corriqueiro entre as famílias visitas constantes ao médico o qual sempre prescrevia uma medicação para solucionar os sintomas apresentados, mas o consumo da água continuava do mesmo local, portanto, tornava-se insuficiente a forma de tratamento imposta, pois, o grande veiculador não permitia que currassem suas verminoses, por isso sempre estavam com dores de barriga, principalmente as crianças e os idosos, como também apresentavam um quadro preocupante de óbitos causados pela esquistossomose.

Outro ponto crucial destes moradores era a prática produtiva de hortaliças, o processo de irrigação utilizava a água contaminada (comprovada por analise), deixando as folhosas com a qualidade duvidosa. Além de existirem muitas famílias que tinham a vocação para a referida atividade, mas não possuía terra para desenvolvê-la.





  1. Objetivos da tecnologia social: (Relacione os objetivos geral e específicos – até 300 e 1.000 caracteres, respectivamente)

Objetivo Geral


Promover a recuperação da qualidade de água de nascentes à montante da região de drenagem do rio Coruripe.

Objetivos Específicos



  • Fazer um levantamento, através de georeferenciamento, e posterior mapeamento na região hidrográfica do alto rio Coruripe, das comunidades rurais que possuem nascentes que as utilizam como fonte de abastecimento;

  • Reverter por meio da recuperação, preservação e reflorestamento de nascentes, os impactos ambientais encontrados na região,

  • Combater as doenças provocadas pela contaminação da água, que é utilizada pelos habitantes da comunidade, proporcionando assim uma melhor qualidade de vida;

  • Promover mobilizações envolvendo as famílias, visando à adesão dos mesmos às atividades do projeto;

  • Elencar áreas de nascentes que são utilizadas pelas comunidades da região, e que estão apresentando alto grau de degradação /contaminação para a implantação do projeto;

  • Capacitar os atores participantes para os mesmos atuem como multiplicadores das ações previstas no projeto;

  • Promover a sensibilização das comunidades das áreas selecionadas para que atuem como gestoras das “obras” instaladas, mantendo e monitorando as nascentes recuperadas, evitando sua degradação, bem como incentivando atividades paralelas em educação ambiental.

Solução adotada: (Descreva como funciona a tecnologia e a metodologia adotada, enfatizando como a comunidade foi envolvida no processo – até 4.000 caracteres)


A efetivação da técnica inicia com a sistematização do processo, primeiramente a realização do trabalho de campo, essencial para a coleta de dados, a partir das informações obtidas com as entrevistas, conseguiu montar o panorama sócio ambiental das comunidades onde estavam inseridas as nascentes, dentre elas as aldeias indígenas da Mata da Cafurna, Fazenda Canto, Cafurna de Baixo e Boqueirão além das áreas não indígenas como a serra da Mandioca, serra do Candará, serra das Pias e a serra do Amaro, após todo esse levantamento, iniciaram-se as mobilizações as quais eram necessárias para mostrar aos moradores a situação em que se encontravam as nascentes, os prejuízos para eles e como resolver o problema, dessa forma as palestras e os seminários propostos contribuíram para despertar nos moradores e usuários a relevância do projeto para o meio ambiente consequentemente os mesmos seriam beneficiados.



  1. Resultados alcançados: (Relacione os resultados quantitativos e qualitativos alcançados com a implementação da tecnologia – até 2.500 caracteres)

Após a implantação do projeto já foram grandes os ganhos nas comunidades beneficiadas, tem-se um total de 39 nascentes recuperadas com um volume de 299.240 litros-dia de água límpida, que abastecem as comunidades favorecidas para consumo humano, uso doméstico, abastecimento dos rebanhos, para irrigação e manutenção dos córregos, que antes desapareciam devido o baixo volume de água.

É visível nas comunidades onde foram implantadas a técnica, melhor qualidade de vida, autoestima, ampliação da geração de renda, despertaram para a conscientização ambiental no que tange aos cuidados com as minas, protegendo-as, fazendo os plantios de árvores nativas no entorno, como também resultados significados nas mudanças na qualidade da saúde, já não visitam o médico com tanta frequência, nem reclama mais com dores de barriga. Assim, com a recuperação das nascentes as comunidades, especificamente o Povoado Amaro, Candara, Serra da Boa Vista, Aldeia da Cafurna de Baixo e Aldeia Fazenda Canto, sentem-se incluída no processo de direito a água de qualidade, para ter uma vida saudável, as demais comunidades também tem nas recuperações grande contributo para melhoria na qualidade sócio ambiental do local.


  1. Profissionais necessários para a implementação de uma unidade da tecnologia social (Relacionar os profissionais e a quantidade de pessoas necessárias para a implantação de uma unidade da tecnologia social. Pode ser uma estimativa. Assim, quem não conhece a tecnologia terá uma ideia aproximada em termos de pessoal do que é necessário para a sua reaplicação – até 400 caracteres).

Para montar uma unidade desta tecnologia social necessita de um grupo com 07 pessoas as quais desenvolverão as seguintes atividades



  • Trabalho de campo – levantamento de dados - Georeferenciamento

  • Analise dos dados coletados - Relatórios

  • Mobilizações nos locais em que desenvolverão a ação

  • Técnico em recuperação de nascentes

  • Auxiliares

  • Coordenação geral do projeto

  • Coordenação pedagógica – ações educacionais



  1. Recursos materiais necessários para implementação de uma unidade da tecnologia social (Informe os recursos materiais necessários para a implantação de uma unidade da tecnologia social. Assim, quem não conhece a tecnologia terá uma ideia aproximada do que é necessário em termos de materiais e equipamentos para sua reaplicação. – até 1.200 caracteres)

Material necessário para uma nascente recuperada




  • Transporte

  • Combustível

  • Alimentação

  • Kit de ferramentas (enxada 02, enxadeco 02, pá 02, picareta 02, carrinho de mão 01)

  • Cimento – 01 (um) saco

  • Pedras diversas da região – 3,0 metros

  • Cano 0,25 mm com tampão – 01 (um) metro

  • Cano 0,50 mm sem tampão – 01 (um) metro

  • Cano 100 mm com tampão – 01 (um) metro

  • Adaptador de registro

  • Caixa d água 3.000 litros – 01 (uma)

  • Lona plástica de 200 micras de 6,0 metros de largura – 4,0 metros



  1. Valor estimado para a implementação de uma unidade da tecnologia social

(Informe um valor total estimado necessário para implantar uma unidade da tecnologia social. Este valor pode mensurado a partir dos profissionais e recursos materiais necessários, informados acima. – até 400 caracteres)

Necessário ver valor de diárias e material



  1. Locais e ano de implementação da Tecnologia: (informe os dados conforme abaixo)

    1. Cidade (UF): PALMEIRA DOS INDIOS - AL

    2. Comunidade ou bairro: REGIAO SERRANA e Aldeias Indígenas.

    3. Ano de implementação: 2010

    4. Se souber, informe, também, a latitude e longitude do local de implementação para que possamos, futuramente, georreferenciar sua tecnologia no site. (Este campo é opcional)

LOCALIZAÇÃO DE ALGUMAS NASCENTES

PALMEIRA DOS ÍNDIOS AL


LOCAL

COORDENADA GEOGRÁFICA

Serra do Candará




Elevação: 562m

24L – 0762573

UTM- 8962268


Fazenda Canto

Elevação: 454m

24L 0765945

UTM-8961986


Fazenda Canto

Elevação: 404m

24L 0765837

UTM 8961892


Fazenda Canto

Elevação: 455m

24L 07662287

UTM – 3961252


Fazenda Canto

Elevação: 444m

24L 0766304

UTM 8961302


Olho d água do Pinto

Elevação:417m

24L 0764530

UTM- 8961872


Olho d água do Pinto

Elevação: 368m

24L 0764554

UTM-8961914


Serra das Pias

Elevação: 385m

24L 0757515

UTM - 8960914


Olho d água do Saco

Elevação: 535m

24L 0760916

UTM - 8963214


Olho d água do Saco

Elevação: 549m

24L 760970

UTM - 8962786


Povoado Amaro

Elevação: 554m

24L 0757374

UTM - 8964244


Povoado Amaro

Elevação: 556m

24L 0757403

UTM - 8963950


Povoado Amaro

Elevação: 540m

24L 0758431

UTM - 8962236


Povoado Amaro

Elevação: 540m

24L 0757596

UTM - 8963146


Povoado Amaro

Elevação: 551m

24L 0758427

UTM 8962640




  1. Público-alvo: (Selecione, dentre os públicos constantes no Anexo 2 desta ficha, quais foram atendidos por sua tecnologia, com a respectiva quantidade de pessoas beneficiadas, considerando todas as unidades já implementadas por sua instituição)

Segundo o (anexo 2) o público-alvo



  • Agricultores - 39

  • Agricultores familiares - 123

  • Alunos do ensino básico (ver os da serra da boa vista) - 700

  • Alunos do ensino superior - 10

  • População geral – 300 famílias

  • Povos indígenas - 60 famílias

  • Produtores rurais pequenos - 45

  • Professores do ensino básico – 04 + 15 = 19

  • Professores do ensino superior - 04




  1. Parcerias envolvidas (Relacione os nomes e a atuação dos parceiros envolvidos nesta tecnologia – Campo com preenchimento opcional)




  • Prefeitura Municipal de Palmeira dos Índios

  • Secretaria Municipal de Agricultura e Desenvolvimento Agrário

  • Secretaria Municipal de Meio Ambiente

  • Secretaria Municipal de Educação

  • Universidade Estadual de Alagoas – UNEAL

  • Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos - SEMARH

  • Cooperativa de Cascavel – Paraná – COOPAVEL

  • Centro Educacional Cristo Redentor - CECR

  • COMPETEC – Cooperativa Mista de Profissionais em Educação Tecnológica


  1. Impactos ambientais proporcionados com a implementação da tecnologia social: (Informe os impactos positivos e/ou negativos proporcionados com a implementação da tecnologia social. Campo com preenchimento opcional - até 500 caracteres).

Com a implantação da tecnologia o meio ambiente foi privilegiado nos aspectos de conservação e preservação ambiental como também recuperação de áreas degradadas das nascentes e as mobilizações ambientais que foram fortes contributos para as mudanas de atitudes de muitas famílias que estão inseridas no projeto.




  1. Formas de acompanhamento: (Descreva os meios utilizados para monitorar e avaliar se a tecnologia social atingiu os resultados esperados – Campo com preenchimento opcional – até 500 caracteres)

Os trabalhos são acompanhados pela coordenação geral e pedagógica, nas visitações são realizadas entrevistas avaliando a implantação da tecnologia e ao mesmo tempo enfocando a relevância da conservação para a manutenção da água em busca do equilíbrio ambiental, são realizadas analises da água, através da coleta de amostras de água das nascentes antes e depois do procedimento de recuperação,como também o acompanhamento técnico realizado pelos agrônomos e técnicos agrícolas da Secretaria Municipal de Agricultura e Desenvolvimento Agrário, que dão suporte aos produtores de hortaliças nos aspectos fundamentais ao bom desenvolvimento do plantio – analise de solo, orientação para o plantio e acompanhamento de todo processo produtivo até o escoamento do produto final que tem diferentes destinos no município – Compra Direta da Agricultura Familiar (CDLAF) e merenda escolar. Desta forma o grupo gestor do projeto tem um amplo acompanhamento de todas as atividades em curso, contribuindo com a maior segurança e melhor produtividade nas localidades beneficiadas.




  1. Forma de transferência: (Descreva como o conhecimento sobre a tecnologia social pode ser disseminado, difundido, transmitido, ensinado a ponto de ser reaplicado por outras comunidades. Informe a existência de manuais, vídeos de instrução e formas de capacitação (cursos, oficinas, centros de referência, multiplicadores – Campo com preenchimento opcional – até 800 caracteres).

A técnica pode ser aprendida através de cursos e oficinas ministrados por nossos técnicos, nos locais onde as recuperações são realizadas os moradores são capacitados para posteriormente dar continuidade ao processo em sua região.

  1. Anexos não eletrônicos (vídeos, publicações, matérias jornalísticas, fotos com legenda, dentre outros) que complementem a inscrição realizada na web, deverão ser encaminhados à Fundação Banco do Brasil, identificados claramente com o título da tecnologia inscrita e o número atribuído no ato da inscrição eletrônica, com data de postagem até 05 de julho de 2011, acompanhado de aviso de recebimento, conforme item 3.4 do regulamento, para o endereço abaixo:

Fundação Banco do Brasil

Prêmio Tecnologia Social

SCN - Quadra 1 - Bloco A - Ed. Number One - 10º andar

CEP 70711-900 – Brasília (DF)


SELECIONAR O MATERIAL PARA ENVIO



  1. Depoimento livre (Escreva informações relevantes que não foram contempladas nas questões anteriores. Pode ainda escrever depoimentos de pessoas envolvidas a tecnologia social. Campo com preenchimento opcional - até 800 caracteres)

Para enriquecer o texto, menciono o depoimento de alguns moradores das localidades onde foram realizados os trabalhos.


O Sr. Laércio morador do Povoado Amaro, recebeu a equipe do projeto com o seguinte depoimento –
`Aqui todos bebem dessa água suja, cheia de caramujos, todo mundo tem verme, a mãe leva pro doutor, eles dão remédio, mas cotinuam bebendo dessa água, num tem jeito. Em mesmo já perdi minha filha e minha mulher com essa doen;a do caramujo`.
Outro depoimento e de dona Marinete, moradora antiga do povoado que afirma

` nunca bebi uma água tão limpa, só quando chovia, agora depois desse trabalho, a agua sai cristalina, nem precisa coar, foi uma maravilha pra nós, depois que a gente pssou a beber dessa água da nascentes tratada, não se reclama mais de dor de barriga, os meninos vão pouco pro doutor, foi um benção`.


O Sr. Nicacio, indígena da residente na aldeia Fazenda Canto, no município de Palmeira dos Índios contribui com os resultados da tecnologia implantada em sua comunidade dizendo que.

`Aqui na aldeia tínhamos dificuldade em buscar água nos barreiros depois dessa tecnica aplicada nas nascentes, eles fizeram duas e eu aprendi como fazer e como ajuda da comunidade fiz mais duas e canalizei água pra uma caixa perto de casa e mais de quinze famílias usam dessa água. Foi muito bom pra nós`.



Estes são alguns depoimentos entre tantos outros existentes sobre o trabalho realizado, no que diz respeito a recuperação de nascentes, portanto, os produtores de hortaliças, que formam o Núcleo Societário do Povoado Amaro (NSPA), discorre sobre as mudanças positivas que aconteceram no local e em especificamente em suas familias.

O Sr. Junior enaltece o texto quando afirma ter conseguido através do Projeto Quintais Produtivos, aquisição de terra para ampliar seus canteiros de verduras e adquirir maior renda para manter sua família.

Dessa forma, o Sr. Edvaldo também menciona a relevância da ação na localidade que corrobora dizendo - `esse projeto foi muito bom pra nós, vamos plantar mais e viver melhor, esse lugar sempre foi esquecido, nunca vieram aqui pra trazer nada, esse trabalho de recuperação de nascentes e essas terra arrendadas pela Prefeitura foi a melhor coisa que chegou pra nós, é preciso que continuem.

Esses depoimentos refletem a satisfação das famílias produtoras que estão inseridas no NSPA, que juntamente com a outras famílias (aquelas que trabalham em terra própria) recebem orientação sobre solo, conservação, culturas adaptáveis, diversificação de produtos e melhor mercado.

Anexo 1 - Tabela de Temas e Sub-Temas


Alimentação

Alimentação escolar

Higienização dos alimentos

Produção de alimentos X

Produção orgânica

Reaproveitamento alimentar

Redução do uso de agrotóxicos

Segurança alimentar




Educação

Analfabetismo

Conscientização ambiental X

Conscientização política

Cursos preparatórios para o vestibular

Cursos profissionalizantes

Defasagem escolar

Desenvolvimento cognitivo e lingüístico

Educação no trânsito

Educação sexual

Evasão escolar

Exploração infantil

Exploração sexual

Inclusão cultural e artística na grade curricular (teatro, dança, música, entre outras)

Inclusão digital

Inclusão social do portador de necessidades especiais

Interação escola, família e comunidade X

Melhoria da qualidade de ensino

Multi-repetência

Oficinas de arte

Orientação social

Promoção da leitura

Reciclagem de professores

Resgate/preservação de culturas

Utilização da mídia no ensino X




Energia

Acesso e distribuição de energia

Economia de energia

Fontes alternativas

Fontes renováveis

Geração de energia




Habitação

Desenvolvimento de sistemas construtivos

Habitações populares

Prevenção contra deslizamentos

Utilização de produtos alternativos

Utilização de produtos recicláveis




Meio ambiente

Biodesenvolvimento

Coleta seletiva

Controle ambiental

Despoluição ambiental X

Formação de agentes ambientais

Preservação dos recursos naturais e ambientais X

Reciclagem

Recuperação do solo

Reflorestamento X

Resíduos sólidos




Recursos Hídricos

Gestão de água

Abastecimento de água X

Armazenamento de água X

Bombeamento de água

Captação de água X

Dessalinização

Distribuição X

Irrigação X

Racionalização do uso da água

Saneamento

Tratamento e purificação da água X




Renda

Agronegócio

Artesanato

Aumento da renda familiar X

Comercialização de produtos

Cooperativismo X

Desenvolvimento sustentável X

Geração de trabalho e renda X

Inclusão do deficiente físico no mercado de trabalho

Microcrédito

Qualificação ou capacitação profissional

Reciclagem de lixo

Turismo




Saúde

Acuidade visual

Combate à violência (doméstica, infantil, social etc.)

Controle de natalidade

Dependência química

Desnutrição

Doenças cardíacas

Doenças congênitas

Doenças contagiosas

Doenças hidrotransmissíveis X

Doenças hospitalares

Doenças infecciosas

Doenças oncológicas

Doenças sexualmente transmissíveis

Fitoterapia

Homeopatia

Medicina alternativa

Mortalidade infantil

Mortalidade neonatal

Recuperação (física ou psicológica) de mulheres violentadas

Saúde bucal

Trabalho com gestantes

Zoonoses (doenças transmitidas por animais)

Anexo 2 - Tabela de Públicos


Adolescentes

Adultos

Agricultores X

Agricultores familiares. X

Alunos do ensino básico X

Alunos do ensino fundamental

Alunos do ensino médio

Alunos do ensino superior X

Analfabetos

Artesãos

Assentados rurais x

Avicultores

Caminhoneiros

Catadores de material reciclável

Crianças

Desempregados

Diretor de escola

Empreendedores

Famílias de baixa renda

Gestantes

Gestores Públicos

Idosos

Jornalistas

Lideranças Comunitárias

Médicos

Operários da Construção civil

Organização não Governamental

Pescadores

População em geral X

Portadores de necessidades especiais

Povos indígenas X

Produtores rurais - Grandes

Produtores rurais - Médios

Produtores rurais – Pequenos X

Professores do ensino básico X

Professores do ensino fundamental

Professores do ensino médio

Professores do ensino superior X

Profissionais de saúde

Profissionais do Sexo

Quilombolas

Recém-nascidos

Seringueiros

Trabalhadores autônomos

Trabalhadores rurais

Turistas

Outros (Especificar)












Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal