Profº osman valdés pinto slid-1 Haribol



Baixar 26.68 Kb.
Encontro05.08.2016
Tamanho26.68 Kb.
PROFº OSMAN VALDÉS PINTO

Slid-1 Haribol

Slid-2 Estrutura e Essência do Hinduísmo

Slid-3 Vale do Rio Indo

Slid-4 Trimurthi

Slid-5 Os Dez Avatares e Sucessão Discipular

Slid-6 Obras Védicas

Slid-7 Seis Darsanas (escolas filosóficas)

Slid-8 Hierarquia Vertical

Slid-9 As Etapas da Yoga

Slid-10 Os Sete Chakras Principais

Slid-11 Correspondências Gunas e Varnas

Slid-12 Atitudes para Elevação da Consciência

02-Estrutura e Essência do Hinduísmo

O Hinduísmo é a terceira maior religião do mundo, com mais de 800 milhões de adeptos; é, provavelmente, a religião mais antiga e é conhecida como a religião eterna: sanatana dharma.

O Hinduísmo é tão vasto em conteúdo que possui centenas de conceitos importantes, tais como Absoluto, Samsara, Karma, Mocsa, Atma e Brahman. E também PARAMPARA, que significa sucessão discipular. Este conceito é útil para facilitar uma compreensão lógica das idéias, porque inicia no Todo que se desdobra em partes. O Deus Supremo emana toda a criação de si mesmo, mas por amor, ensina aos humanos o caminho que conduz o pensamento relativo à consciência do absoluto, assim como um colar de pérolas é perpassado por um fio que os une. Através das sagradas palavras registradas nas escrituras pode ser orientado o conhecimento humano, e deste modo o conhecimento verdadeiro pode ser transmitido do mestre para o discípulo de modo fidedigno.

03-Vale do Rio Indo Cidades: Harappa e Mohenjo-Daro

O termo Hinduísmo deriva de Indo ( rio sagrado que passa pelo vale do Indo, Paquistão) e somente a pouco tempo passou a ser usado pelos indianos, não corresponde, portanto, a uma única religião, este termo nomeia apenas um conjunto de tradições, crenças e práticas religiosas que tem origem nas antigas escrituras e civilizações védicas por volta de 1600 a.C. Para alguns historiadores o Hinduísmo tem sua origem a mais de 2500 a.C.



04- Trimurth

Krishna emana de Sua personalidade três formas pessoais, que são também princípios cósmicos e aspectos do mesmo ser primordial:

1- o mantenedor, 2 - o criador, 3 - o transformador.

O mantenedor ou preservador dos Universos visíveis e invisíveis é denominado Sri Vishnu. O criador do Universo material é denominado Sri Brahma e o transformador do universo material é denominado Sri Shiva.Este último também é conhecido como o deus destruidor, ao mesmo tempo que é considerado o devoto mais puro de Krishna. Para os vários universos existem Senhores Brahmas diferentes. Para os Vaishnavas o centro da trimurthi ( divina trindade indiana), cuja unidade é Krishna, é Sri Vishnu.

Algumas religiões surgiram na Índia em decorrência da trimurthi, entre as quais: o Brahmanismo, o Shivaísmo e o Vaishnavismo, segundo a importância atribuída aos vários aspectos da Trimurthi. Atualmente podemos citar alguns movimentos religiosos importantes: Brahma Kumaris, Sociedade Satya Sai Baba ( Satya Sai Baba é considerado uma encarnação de Shiva ) e a ISKON, Sociedade Internacional para a Consciência de Krishna ( Movimento Hare Krishna). Deste modo são constituídas as hierarquias que conduzem à pessoa absoluta que é o próprio Krishna. Este, por sua vez, nunca desiste de procurar eternamente por sua felicidade e auto-realização, personificada através de sua eterna amante e consorte Sri Radha. Esta não é diferente Dele mesmo. Sri Radha é a Sua manifestação feminina.

05-Os Dez Avatares e Sucessão Discipular

Sucessão discipular ( 0 Parampara )

O primeiro na sucessão discipular é Sri Krishna; atualmente, o mais importante avatar para os hinduístas e também o mestre de todos os mestres. Krishna é considerado o mais importante por ser o avatar mais completo.

Avatar é o representante de Deus na Terra, ou o próprio Deus manifestado através de determinada encarnação terrena. Os avatares podem ser classificados segundo critérios estabelecidos pela sabedoria sagrada. Entre as centenas de nomes de Deus aceitas pela tradição indiana, o nome Krishna é o mais reverenciado. Krishna é considerado o próprio Deus absoluto personificado, não havendo diferença entre Krishna e o seu nome.

06-Obras Védicas



O Bhagavatam e os Puranas

O relacionamento amoroso da golpi chamada Radharani e Krishna é descrito nos poemas do livro Srimad-Bhagavatam. Esta é a principal obra dos Puranas.

O número total de todos os Puranas é de 400 mil versos, sendo que o Srimad-Bhagavatam tem 18 mil versos

O serviço devocional amoroso é considerado pelo próprio Krishna a essência da yoga ( entre os vários métodos para a prática da yoga, a que determina como objetivo supremo o amor incondicional e o serviço devocional ao Deus Supremo é considerada a prática mais elevada ). Isto está confirmado no capítulo XII do Livro Bhagavad-Gita , que significa Canção do Senhor. Este livro é a essência do épico Mahabharata. Este Épico descreve a luta entre o bem e o mal, ou seja, entre dissidentes de uma mesma dinastia que governava o mundo em sua época: a dinastia dos Kúrus. O bem está associado aos seguidores dos princípios sagrados que ensinam a prática correta de todas as virtudes, a dinastia Solar dos Pândavas , cujos valores são espirituais; enquanto que o mal está associado aos materialistas , iludidos pelos prazeres transitórios consequentes do desfrute descontrolado dos cinco sentidos. Isto acontece quando os humanos se tornam escravos do psiquismo e dos desejos fomentados pela mente iludida. ( A deusa responsável por esta ilusão é conhecida como Maya, uma devota pura de Krishna). Assim era a dinastia Lunar dos Kauravas. Estes baseavam-se na falsa realidade produzida pelos fenômenos visíveis desligados pela ignorância e esquecimento de sua fonte invisível, inteligente, justa e eterna, da qual tudo provém : Deus). Krishna tanto pode se manifestar sob Suas formas particulares como através de Sua forma universal. Porém, mostra-se apenas para quem Ele quer e quando quer. O seu devoto Arjuna (guerreiro líder dos Pândavas) teve o privilégio de conhecê-lo sob estas duas formas, durante a Batalha de Kurukshetra, cenário dos eventos descritos no Bagavad-Gita. Para o historiador Mircea Eliade, as quatro coletâneas ( samhitas) dos Vedas, que datam mais ou menos de 1000 a.C

Os quatro sacerdotes védicos, cercados de assistentes, têm a função de executar perfeita e minunciosamente o ritual, que começa com o acendimento cerimonial dos três fogos sobre o altar que simboliza o cosmo e termina com o sacrifício( yajna).

No agnihotra, a oferenda ao fogo, o adhvaryu e o beneficiário limitam-se a oferecer leite a Agni (Fogo).

Nota do Prof. Osman: atualmente, durante a cerimônia de fogo, o sacerdote brâmane derrama manteiga clarificada ou ghi sobre o fogo para alimentar suas chamas. É deste modo que os brâmanes Vaishnavas conduzem suas cerimônias atualmente. Normalmente, nesta cerimônia são feitas “consagrações” referentes ao nascimento, à primeira iniciação ( quando o adolescente ou adulto é apresentado ao seu guru brâmane), ao casamento e ao desaparecimento ou morte. A segunda iniciação acontece quando o guru aceita o seu discípulo, responsabilizando-se pelo mesmo e assumindo seu Karma, enquanto que o iniciado promete não praticar jogos de azar e sexo ilícito. Também promete não comer carne, nem peixe, ave e ovos; bem como não se intoxicar.

Para conhecer o hinduísmo é indispensável também conhecer o épico Ramayana de Valmiki. A narrativa conta a história de Rama ( Avatar de Vishnu anterior à Krishna), que, com a ajuda do deus-macaco Hanuman, liberta sua mulher Sita de Lanka,o reino de seu raptor, o demônio Rávana



07-Seis Darsanas (escolas filosóficas)

Além das obras já citadas, existem outras de grande importância para o entendimento do Hinduísmo. Para facilitar a compreensão da complexidade do que seja o Hinduísmo, classificaremos suas principais escolas filosóficas detalhando alguns de seus aspectos.

A síntese hinduísta, ou a ordenação dos conceitos fundamentais ainda vigentes hoje em dia, ocorreu depois do fim do período dos Upanisads, de 500 a. C. até 500 d.C. Nessa época são definidos os seis darsanas (“opiniões”) ou escolas filosóficas tradicionais. Mais próximos do smarta(tradição) estão o samkya e a yoga. O primeiro, cujo aparecimento é impossível datar com precisão, é uma filosofia “emanacionista” cujos 24 princípios (tattvas) formam uma hierarquia vertical desde o par primordial Purusa/Prakrti até as cinco qualidades materiais (tanmatras) e os elementos (bhutas).O sistema Samkhya é a variante hindu do que os estudiosos chamaram “esquema alexandrino”, que culminará nas filosofias gnósticas e neoplatônicas: o mundo visível, parcialmente ilusório, provém de um descenso de princípios que se vão distanciando cada vez mais das essências situadas no alto.



Jnanendriyas :visão,audição, olfato, paladar, tato

Karmêndryas: fala, manipulação, locomoção, excreção, geração.

Os cinco órgãos dos sentidos (jnanendriyas) vêm com os cinco órgãos da ação (Karmendriyas) e as projeções materiais (tanmatras) que formam o mundo. Nosso interior foi fabricado antes do nosso exterior, que dele depende. Através dos princípios circulam três “estados” (gunas) de todas as coisas.



08-Hierarquia Vertical



09-As Etapas da Yoga

A yoga é um conjunto de técnicas, codificadas pela primeira vez por Patanjali em época desconhecida (Yogasutra, do séc. II a. C.ao séc.V d.C.), que permitem ao praticante subir de volta a escada da descida dos princípios.



10-Os Sete Chakras Principais

As técnicas corporais da yoga têm o objetivo de canalizar corretamente as energias (pranas) a fim de que estas circulem em certo rítmo pelos canais principais (nádis) do organismo sutil, para despertar a formidável energia serpentina kundalini enrodilhada no centro (chacra, “roda”) basal (muladhara) e fazê-la subir através dos outros chacras até o “lótos de mil pétalas” (sahasrara) da abóbada craniana.



07- Continuidade da consciência. Completa e aperfeiçoa as faculdades.

06- Clarividência

05- Clariaudiência

04- Compreensão das vibrações astrais

03- Sensibilidade às influências astrais. Viagens astrais, vitaliza o corpo astral.

02- Purificação do sangue

01-Kundalini ( fogo serpentino ). Função: vai a cada centro e vivifica-o. Vitaliza os órgãos sexuais e sangue. Sua energia emana do sol e é diferente do Prana (energia vital). Ver símbolo da medicina.

Obs.: Glândulas na cabeça:

Hipófise ( pituitária ), é o único elo direto entre o corpo físico e os planos superiores. Pineal, é a ponte de comunicação direta com o plano mental inferior.

11-Correspondências Gunas e Varnas



Asramas (etapas)



12-Atitudes para Elevação da Consciência



Cap. XI do Bagavad-Gita (2 min e 30 seg)



Cap. XII do Bagavad-Gita (2 min)



©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal