Professor: adriano jardim



Baixar 84.89 Kb.
Encontro07.08.2016
Tamanho84.89 Kb.
PSICOLOGIA JURÍDICA
PROFESSOR: ADRIANO JARDIM

DIA 04/08/2011

PASSAR NA XEROX E TIRAR CÓPIA.

DIANA BOCH AS PSICOLOGIAS
AVALIAÇÃO
Prova1 = 7,0

Trabalho1 = 3,0


Prova2= 7,0

Trabalho2 = 3,0


T1 E T2:

RESUMO CRÍTICO: resenha crítica com regras mais flexíveis do que os trabalhos acadêmicos tradicionais (pode escrever em primeira pessoa, pode fazer perguntas sem responder, etc).

PODE FAZER UM RESUMO DE UM TEXTO: avisar o professor no início do texto que se trata de um resumo.

ESCOLHER UM TEMA, um assunto, um texto, um livro.

CRITÉRIOS: forma (como vc está se expressando), conteúdo, originalidade (buscar coisas para acrescentar o tema)

DATA: UMA AULA ANTES DA PROVA

ATÉ 3 LAUDAS

DIGITADO
MANUAL DE NORMAS DA FACULDADE (ABNT, APA)


SPA (Segundo professor Adriano)

TIMES NEW ROMAN

TAMANHO 12

ESPAÇO ENTRE LINHAS DE 1,5

JUSTIFICADO

Perdi a explicação se é pra dar espaço antes de começar o parágrafo.


PLANO DE ENSINO


INTRODUÇÃO À PSICOLOGIA:

Concepção de homem

Instituições

Grupos sociais e socialização

PSICOLOGIA APLICADA ÀS QUESTOES DO DIREITO
INTERDISCIPLINARIEDADE

O PROFESSOR PASSOU UM VIDEO DO YOUTUBE DO BOX 1824

WE ALL WANT TO BE YOUNG

http://www.youtube.com/watch?gl=BR&v=ZidBmzFFSyk

- Ligação com o direito: padrão de comportamento



DIA 11/08/2011

OBJETO DA PSICOLOGIA: SUBJETIVIDADE

E A CIENTIFICIDADE? TIJOLOS DO SUJEITO

CIÊNCIA FILOSOFIA ARTE RELIGIÃO

Método Reflexão Estética Ética

Questionamento Fé


Senso comum é um conhecimento cotidiano, sem base cientifica, sem grandes reflexoes. O conhecimento científico tem que ter:
objeto específico (só daquela ciência) algo que se estuda é claramente identificável,

linguagem rigorosa,

métodos e técnicas específicas,

processo cumulativo do conhecimento: vc consegue testar certos enunciados e comprová-los e descartá-los. Numa ciência exata vc consegue fazer isso claramente, nas humanos é mais complicado. No direito tem a cumulatividade mas não por meio do descarte da exata. No direito ao passar do tempo vão se acumulando teorias e leis vão sendo descartadas por estarem ultrapassadas

Objetividade: nas ciências humanas esse tópico é complicado, tem pessoas que afirmam que direito e psicologia e humanas não são ciências.
Ciência é a mesma coisa que filosofia? A filosofia não tem as amarras que requer a ciência. Na filosofia existem certos pontos que não conseguem ter comprovação.
A arte possui elemento pessoal. A obra precisa ser interpretada. Deve propor um olhar novo, diferente, para ser arte.
A religião não precisa de comprovação. Um cientista precisa ser questionador, um religioso tem que ser pessoa com convicções fortes.
A psicologia “passeia” por esses campos de conhecimento, mas em se tratando de estudo, a psicologia é uma ciência.
Obs.: Ética fornece as regras gerais e a moral é a aplicação.
Objeto da psicologia: Subjetividade: pensamento individual. Não é possível fazer uma ciência para cada pessoa individualmente.
Para formar um conceito sobre psicologia, é necessário

- Atenção aos detalhes pois não é possível falar sobre alguma coisa sem percebe-lo/vê-lo

- Sensações ao entrar em contato com aquilo

- Percepções: organizações das sensações em algo.

- pensamento para dar um nome aquilo.

- Aprendizagem: você sabe o nome das coisas pq algum dia você aprendeu.

- Memória: o sujeito tem que guardar na memória os nomes que ele aprendeu para as coisas

- Motivação: ligado à atenção. São 4 motivações: comer, beber, equilíbrio homeostático controle da temperatura (dormir), sexo.




DIA 18/08/2011
1) OBJETO DA PSICOLOGIA

- MÚLTIPLO: várias correntes psicológicas, pois o objeto de estudo é muito complexo. Ao memso tempo que é único, é muito complexo. Da mesma maneira que a mente é única, é múltipla, na medida que cada pensamento é um pensamento.

Existem subjetividades individuais, mas os processos mentais são os mesmos.
A psicologia é subjetiva, mas não é arbitrária, pois nem sempre as pessoas definem sozinhas o que irão pensar, alguns processos mentais são “automáticos”.

2) A PSICOLOGIA ESTUDA OS FENÔMENOS PSICOLÓGICOS E PERCEPÇÃO: SUBJETIVIDADE

Fenômeno: algo que pode ser percebido. Minha percepção do mundo.

A percepção das pessoas dos fenômenos são diferentes. Todos que trabalha com ser humanos é necessário entender essas percepções diferentes da realidade.

Subjetividade múltipla e complexa: constatação de que muitas vezes o comportamento humano (as causas) vão nos escapar, e não vão ser tão racionais assim. Os comportamentos humanos muitas vezes não tem motivação racional.
3) PSICOLOGIA – MISTICISMO

Limites entre psicologia e misticismo. A psicologia, na sua aplicação, deve ser uma ciência e não um misticismo. Não deve usar o conteúdo religioso. Entretanto a psicologia não tem total controle sobre sua ciência, pois a coisa mais imprevisível que existe é o comportamento humano.

TEXTO 2
1) OBJETO DA PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO

Existem dois tipos de evolução que a psicologia estuda:


- D. FILOGENÉTICO: evolução a partir da teoria da evolução, os primeiros hominídeos, para o homo-sapiens, ou seja, o desenvolvimento da espécie.
- D. ONTOGENÉTICO: o desenvolvimento do indivíduo, do ser. Desenvolvimento do indivíduo quer dizer que os seres humanos estão sempre em evolução, nascem, crescem, ficam adultos, e morrem. Não se pode tratar as pessoas de uma faixa etária com critérios de outra faixa etária. Até pouco tempo não existia um conceito de infância.
A psicologia do desenvolvimento vai ter como objetivo de estabelecer as regras das diferentes etapas do desenvolvimento do ser humano.
Os valores do direito evoluem conforme a evolução da sociedade.
Não existe somente uma teoria do desenvolvido.
2) HÁ VÁRIAS TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO

PSICANÁLISE – FREUD:

COGNITIVISMO – PIAGET: a autora do texto adotou essa corrente. Piaget era um matemático, que queria descrever o pensamento, como se formam os raciocínios nas diferentes idades. O texto vai mostrar como as estruturas trabalham. O professor falou que não precisa saber isso decorado.
3) ESTRUTURAS MENTAIS
DIA 25/08/2011
Antes de entrar no assunto do texto 2, o professor falou de um livro de Eduardo O Chaves: autor que escreve sobre filosofia

ALTERIDADE: capacidade de aceitar o outro, o diferente. Perceber o outro, compreender o outro, relativizar seu próprio ponto de vista, para enxergar o mundo a partir do olhar do outro.

- FÁCIL DE ENTENDER, DIFÍCIL DE APLICAR
- ARGUMENTO LÓGICO (cogente, imperativo, forte, que se sustenta)

- UMA OU MAIS PREMISSAS E

- CONCLUSÃO

- DUAS FORMAS DE VALIDADE

- FORMALMENTE VÁLIDO: estrutura lógica, válida.

- VALIDADE DE CONTEÚDO: o que importa não é a forma, e sim se o argumento usado é aceitável na época em que é apresentado. O critério psicológico é importante, pois dependendo da época, da classe, da região, uma coisa é aceitável ou não.


1) SE A=B OS HOMENS INFERIORES DEVEM SER ELIMINADOS

2) E B=C JUDEUS SÃO HOMENS INFERIORES

LOGO: LOGO:

A=C JUDEUS DEVEM SER ELIMINADOS



DIA 00/00/2011
FALTEI
DIA 15/09/2011
Teoria de Personalidade mais aceita na sociedade é “big 5”, ou CGF (cinco grande fatores). Fazem pesquisas perguntando para pessoas de determinados grupos quais as suas características de personalidades. Após, pegam essa lista de características (descritores) e fazem análise fatorial (agrupar coisas semelhantes), até chegar a 5 características principais. Não é possível reduzir mais do que cinco. Em todos os países sempre se chegou aos mesmos 5 fatores.
Para fazer o teste do CGM, basta digitar no Google “outofservice personality test”.
No CGF não se escolhe ou exclui características, e sim atribui graus para cara um dos cinco fatores:
1 – Extroversão: sociabilidade,
2 – Amabilidade: preocupada com os sentimentos dos outros e de si mesmo
3 – Abertura: Pessoa que gosta de novidades, se aborrece em fazer sempre as mesmas coisas
4 – Neuroticismo (instabilidade emocial): facilidade de sair de uma condição calma para uma nervosa.
5 – Consciência: metódico, gosta de organizar as coisas. Pessoa alta em conscienciosidade é aquela que tem padrões. Não se atrasa, tem roteiros para tudo, fica ansioso com as coisas imprevisíveis. AA pessoa baixa em conscienciosidade é bom de improviso, não gosta de deixar as opções fechadas.
Outro teste é o MBTI, com quatro itens

- EI / NS / FT / JP



DIA 06/10/2011

TEXTO 4
PSICOLOGIA SOCIAL


Professor começou a aula passando um vídeo de Steve Jobs.
A nossa espécie é a única que cria teorias sobre o mundo. Olha para o mundo e atribui significados. Alguns entendem que no mundo animal uma gradação de nível de consciência. As pessoas aceitam que se faça manipulação genética com uma mosca mas com um macaco não.
- Um dos argumentos de que o homem tem consciência e os outros animais não, é a Capacidade de identificar a forma de se comunicar daquele animal e tentar reproduzir essa forma de comunicação e tentar se comunicar com eles. Os homens fazem isso com os outros animais, mas os outros animais não fazem isso com os homens.
- Os animais parecem ter menos capacidade para se colocar contra o impulso biológico. O homem consegue fazer essa contraposição aos seus impulsos biológicos, fazendo com que a cultura influencie nas suas atitudes.
- Isso não quer dizer que o homem é melhor, mais adaptado ou mais evoluída do que as outras espécies. Existem bactérias que são muito mais evoluídas e adaptadas que nós.

PSICOLOGIA SOCIAL


- estuda quando o impulso biológico não é o principal motivador, e sim os aspectos culturais e sociais.
- guerra do esperma: ao estudar os chimpanzés e gorilas e verificaram que os chimpanzés possuem o pênis muito grande em relação ao seu corpo. As fêmeas copulam com vários machos e os chimpanzés que tem o maior pênis conseguem procriar, pois seu esperma chega antes ao óvulo. Os gorilas tem o pênis pequeno em relação ao tamanho do seu corpo. Os gorilas só fazem uma parceria a vida toda, quando sua parceira morre ele não tem outra parceira. Os homens estão no meio do caminho, podem apresentar tanto um comportamento promiscuo quanto um monogâmico.
- A nossa espécie faz predominantemente sexo para outros objetivos que não procriar.
- A psicologia social estuda quando o comportamento se torna coletivo. Quando há influência do pensamento coletivo, as atitudes ficam muito mais previsíveis.
- Quando você examina a atitude de uma pessoa em um determinado contexto social, uma pena a ser aplicada pode ser aumentar ou diminuir por causa desse contexto.
DIA 13/10/2011
FUI EMBORA PQ PASSEI MAL
DIA 20/10/11
ATIVIDADE EM SALA SOBRE O TEXTO 4
DIA 27/10/11

Texto 5 – Psicologia jurídica


- Seria a psicologia atual uma ciência?

- Sim, tanto quanto disciplinas biológicas. É uma colocação polêmica. Ele trás duas grandes ciências: física (quântica e newtoniana) e biologia ().

- Aplicações confiáveis da psicologia a outros saberes: medicina, arte, sociologia, política, religião, biologia, etc. Essas ciências se beneficiam com o saber psicológico

- Medicina: avanço do tratamento, tempo de internação, efeito dos remédios, dependem muito da questão psicológica. O estado emocional influencia direta e indiretamente na saúde das pessoas

- Robótica: o que tem que ter um robô nos moldes da consciência humana, sempre tem um psicólogo nas equipes de robótica.

- O autor do texto defende que a psicologia clássica estudava a alma, o que era muito impreciso, metafísico, intangível. A alma é um item não pesquisável.

- A psicologia atual estuda os fenômenos psíquicos. Fenômeno é o que se mostra. O que a psicologia não estuda a coisa ,estuda como a coisa aparece para nós. Assim, os estados emocionais internos, por mais internos que são, têm manifestações comportamentais visíveis (exemplo: pessoa que está muito angustiado pode sofrer uma crise nervosa). Essas manifestações são visíveis. Ciência aplicada às manifestações psíquicas.

- Fenômenos psíquicos: processos psicológicos: processos mentais:

- atenção

- sensação

- percepção

- memória

- aprendizagem

- motivação

- emoção

- conação


Estado atual da jovem ciência (psicologia começou no final do séc XIX)

- Existência simultÂnea de escolas de pensamento

- Uma ciência jovem possui uma certa empolgação, e todos querem fazer teorias, e como ela é jovem, ainda não há tempo de descartar as idéias ruins. A psicologia ainda não avançou o suficiente para fazer uma síntese dos pensamentos.

- O autor faz a seleção de 9 principais escolhas

- Condutivismo

- Psicanálise

- Personalogia

- Psicologia da forma

- psicoloogia genético-evolutiva

- psicologia neuro-


O autor resolveu abordar essas escolas pois são as que atendem aos requisitos de cientificidade. Dão uma contribuição direta para o direito e embasam a psicologia jurídica.
Condutivismo:

- principais autores: Watson, Becheterew

- Watson: precursos do Behevarismo. Associavam um estímulo e associava a uma resposta.

- Psicologia objetiva, tenta fugir da subjetividade. A vida psíquica internra se traduz em moviemntos e ações devendo ser estudada “de fora”. Alguma coisa que aconteceu fora está provocando algo interno.

- Estímulo x resposta

- interesse do jurista: entender como determinadas respostas podem ser explicadas por determinados estímulos. Determinação de causas objetivas que motivaram determinados comportamentos.

- Estuda as regras e lei de comportamento

- Aplicações ao campo jurídico: testes de detecção de indicadores comportamentais de mentira, testes de aptidões intelectuais ou motoras, técnica de registro de alterações emocionais, eficiência de punições e reforçamentos, valorização de influências externas (do meio) nos delitos, reconhecimento objetivo de criminosos, etc


1 ponto trabalho em sala de aula

2 pontos de resenha, 3 a 4 páginas, (pode fazer em grupo de até 5 pessoas) qualquer tema do segundo bimestre. Para entregar uma aula antes da prova. Ultima aula de novembro.

7 pontos na prova

O trabalho também pode ser um julgamento do homem: é bom ou mal?


DIA 03/11/2011
Psicanálise

- Pai da psicanálise: Freud

- Nasceu em Viena

- Se interessou no início em estudar o funcionamento do cérebro, mas nessa época não havia muitos estudos sobre assunto.

- A família dele não era muito rica, então eles não tinham recursos para seguir uma carreira acadêmica. Então ele clinicava. Ele atendia os pacientes e ia escrevendo suas teorias.

- Antes dele começar a atender, ele tentou uma outra coisa: tentou um tratamento através da cocaína, que era recém descoberta, receitou para toda a família, mas descobriu os efeitos ruins e foi um fiasco.

- Ele foi assistir uma apresentação que estava chocando muito os médicos, que eram sessões de hipnose, feitas por Sharcoau (??), que tratava pessoas com histeria (transformar problemas psíquicos em problemas biológicos). Nessa época, muitas pessoas possuíam esse problema, por causa da rigidez da sociedade.

- Freud começou a trabalhar sobre esse assunto, e chegou a uma conclusão de que todas essas pessoas que sofriam de histeria tinham sofrido abuso sexual na infÂncia. Ele chega a essa conclusão pois após a visita ao necrotério, onde descobre que haviam muitas crianças mortas com sinais de abuso. Entretanto isso não provaria a grande quantidade de pessoas com histeria.

- Freud levanta a hipótese de que as crianças possuíam sexualidade, diferente dos adultos, e choca a sociedade.

- Mesmo que não tivesse havido abuso sexual das pessoas com histeria, Freud tenta provar que essas pessoas tiveram algum tipo de trauma sexual na infância.

- Cura pela fala: conversando com a pessoa que está com problemas, poderia tentar encontrar a fonte dos conflitos que levaram ao problema.

- O grande conceito da psicanálise é o conceito do inconsciente.

- Pessoas que aplicam o raciocínio ao direito (psicanálise com abordagem jurídica): Alexander e Staub, Ferenczi, Reik, Camargo Marin e Jimenez de Asúa.

- Seis princípios da psicanálise ortodoxa freudiana:

1) Determinismo psíquico (todo ato psíquico tem intenção, motivação e significação).

2) Princípios da transferência (mecanismo que transfere modelo de relações primárias para outras pessoas). Quando você começa a se relacionar com seu chefe, você pode estar tratando como se ele fosse seu pai.

3) Princípio do pandinamismo psíquico (não há nada morto no âmbito do aparelho psíquico). Não há no inconsciente a mesma medida de tempo que no mundo. Posso também ter dois sentimentos opostos ao mesmo tempo (amar e odiar alguém). A pessoa pode ter uma crise independente do que está acontecendo dentro ou fora dele.

4) Princípio de regressão ou censura (conteúdos psíquicos sofrem ação repressiva, censora, distorsiva.

5) Princípio da tripartição da personalidade: id – ego – superego. Existem níveis de consciência, que são o Consciente, pré- consciente (não está muito claro, mas com algum esforço eu posso descobrir esse sentimento), ou inconsciente (funcionamento caótico). No inconsciente, todo mundo quer matar todo mundo e fazer sexo com todo mundo. Depois de definir isso, evoluiu para a teoria da tripartição da personalidade:

Id – fonte dos conteúdos inconscientes

Ego – A consciência, que regula como fará para controlar os impulsos do id

Superego – censura rigorosa que manda não fazer as coisas tidas como erradas socialmente.

- Para que haja evolução, é preciso que saibamos como reprimir nossos impulsos animais.

- Mecanismos de defesa: válvulas para controlar a pressão: modificam a realidade das coisas e contamos mentiras para nós mesmos. Ao invés de resolver um problema, vai encher a cara.

- Mecanismo de defesa que é considerado saudável: sublimação: sujeito admite que tem um conflito, frustração, e sua isso como combustível para fazer uma coisa construtiva, como escrever um livro, fazer uma atividade social.
PERSONALOGIA

- Buscar as causas do comportamento na característica da personalidade. Você tem uma característica específica, e ela determina seu comportamento

- exemplo: CGF. Extroversão, amabilidade, etc.

- Determinado tipo de personalidade pode desenvolver um tipo de patologia. Paralelo com a psiquiatria – DSM-IV.


PSICOLOGIA DA FORMA (GESTALT)

- Percepção – atribuição de significados que seguem uma estrutura global formal ou regras gerais e universais

- Exemplo: palavras com letras trocadas, mas entendemos a palavra como um todo.

- No estudo do direito a gestalt é importante saber: ato delituoso deve ser estudado em sua globalidade dinâmica como um ato significativo original. Tem que fazer uma imersão no caso, para entender o que aconteceu. Você tem que analisar esse caso individualmente, pq é um caso original, não da pra aplicar a lógica de outro crime.

PSICOLOGIA GENÉTICA-EVOLUTIVA

- Recolhe o que sobrevive da obra de C. Lombroso – sinais físicos do criminoso nato.

- A maioria dessas associações não se mostraram eficazes

- Mas as pessoas herdam tendências e comportamentos, que podem demonstrar características de risco

- Estuda a herança genética que predispõe a comportamentos de risco, agressivos, impulsivos, etc,
PSICOLOGIA NEURO-REFLEXÓLOGIA

- Sherrington, Becheterew e Pavlov

- Estudo dos reflexos condicionados

- Experimento do cachorro que via um bife e uma campainha várias vezes. Depois qnd ouve só a campainha salivava igual

- Explica todas as reações pessoais como derivadas da interação entre dois processos fundamentais, que atuam sobre o sistema nervoso e o córtex cerebral.

- excitação e a inibição

- Imprevisibilidade de comportamentos pode ser explicada devido a influências do tempo e da repetição (ritmo de estimulação)

- Contribuição : sanções são ineficazes para evitar a reincidência – a sanção é sempre a posteriori (devendo ser a priori para provocar o reflexo neuro-condicionado).


PSICOLOGIA CONSTITUCIONAL, TIPOLÓGICA OU CARACTEROLÓGICA

- Estudo do aspecto psicossomático (integrador das condições morfo-funcionais (visíveis, corpóreas e mensuráveis) e as condições psico-reacionais (invisíveis, incorpóreas ...........

- Baseada no trabalho de Sheldon e Stevens classifica a persinalidade conforme ..............
PSICOLOGIA ANORMAL

- Psiquiatria define padrões de comportamento desviantes e os relacoina com circunstâncias da história de vida do indivíduo.

- Anormal = atípico

- Situações definidoras da delinqüência:

- mentes normais em circunstâncias anormais

- mentes anormais em situações normais

- mentes anormais em situações anomais

- Não separar pessosas normais mais em que classese em que grau de normalidade ............


PSICOLOGIA SOCIAL

Professor correu com a matéria, impossível de copiar.


PSICOLOGIA JURÍDICA

- a psicologia jurídica é a psicologia aplicada ao melhor exercício do direito

- limitada a sua aplicação as seguintes campos:

- psicologia do testemunho

- obtenção de evidência delituosa

- compreensão do delito

- informação forense a seu respeito

- reforma..........

- .........
MEIOS E MÉTODOS

-

-



-

- Ler pá gina 22



DIA 10/11/11
FAMÍLIA (texto 6)
PERSPECTIVA SISTÊMICA
- a família não é um fim, como um valor em si, mas é um microcosmo ....

- a família pode ser uma influência positiva ou negativa.


PONTO DE VISTA JURÍDICO
- FAMÍLIA NATURAL: é a que encontra seu ponto de partida na família biológica, ou seja, na família unida por laços de consanguininidade
- Entende-se por família natural a comunidade formada pelos paiso u qualquer deles e seus descendentes.
- essas visões são extremamente ultrapassadas, pois a família é muito mais do que isso, é o que tem a relação do cuidar.
- Abordagem família sistêmica

- Família é um grupo sociocultural, uma matriz social, um sistema evolutivo que desempenha funções e papeis no aspecto psicoafetivo, o qual pode potencialmente (pois nem sempre o faz) oportunizar espaço de desenvovlimento relacional, psicológico, afetivo, através da interrelação que se estabelece entre seus membros

- Sistêmica: é uma pequena sociedade humana englobando pelo menos 3 a 4 gerações

- sendo um sistema:

- envolve valores, hábitos, práticas, crenças, esquemas, padrões, funcionando de forma dinâmica na condução expressiva das relações entre seus membros – e entre os membros internos e a sociedade “fora da família”

- engloba as vivências do ciclo vital familiar e das tarefas evolutivas, cumprindo uma função filo e ontogenética.

- a família pode se tornar uma influência negativa quando passa a ser condicional. “Eu te amo se você agir da forma como eu entendo ser a correta”. Quando o indivíduo é uma criança, ela é totalmente dependente dos pais. Quando os pais desempenham bem o seu papel, mas rapidamente o filho vai precisar depender dele. Esse é o problema, pois normalmente não é assim, os pais deixam os filhos dependentes por muito tempo, principalmente em famílias italianas.

- Novas configurações familiares exigem novas legislações.

PESQUISA

- levantamento de dados estatísticos junto a dois abrigos infantis

- resultados:

- em torno de 50% das crianças firam menos de 1 mês

- restante fica 2 anos e 1 ano (minoria): risco de institucionalização e dificuldade de reinserção na família de origem.

- em torno de 50% foram reinseridos na casa dos pais

- 2º lugar: adoção (22% a 37% dos casos). Problema: trauma com a devolução quando não da certo.

- adoção pelos avós.

- intervenções psicológicas parecem insuficientes: não há acompanhamento e bem intervenções suficientes para garantir que os problemas que geraram o abandono.

REFLEXOES

- devemos estar vivendo de uma maneira muito equivocada, como sociedade, pois as crianças são abandonadas, com fome, maltratadas. Existe alguma coisa em desequilíbrio para isso ocorrer.

- deveria ser uma responsabilidade do Estado zelar pelo melhor interesse da criança. Estaria o Estado brasileiro dando conta da tarde?

- como lidar com a família de origem, de forma a modificar as suas condições patogênicas?

- o que fazer quando a reinserção familiar fracassa?

- porque a nossa sociedade não está conseguindo resolver esses problemas?

DIA 24/11/2011

PSICOLOGIA DO DELITO


- No direito, o delito tem que ser estudado, entendido, classificado, e o indivíduo, julgado.

- Na psicologia, o delito é estudado, analisa-se o porque daquele acontecimento, entende ser um incidente na vida daquela pessoa, etc

- Para os juristas delito é: transgredir, voluntariamente, alguma lei de caráter penal.

-
RESUMO DO TEXTO 1


CIÊNCIA E SENSO COMUM
Usamos o termo psicologia com vários sentidos. A psicologia usada no dia a dia pelas pessoas em geral é denominada psicologia do senso comum.

O SENSO COMUM: CONHECIMENTO DA REALIDADE
É no cotidiano que sentimos a realidade. Nos eventos do dia a dia nos sentimos vivos. Já a ciência é uma atividade eminentemente reflexiva. Ela procura compreender, elucidar e alterar esse cotidiano, a partir de seu estudo sistemático.
Cotidiano e o conhecimento científico que temos da realidade aproximam-se e se afastam: aproximam-se porque a ciência se refere ao real; afastam-se porque a ciência abstrai a realidade para compreende-la melhor, ou seja, a ciência afasta-se da realidade, transformando-a em objeto de investigação.
Na dinâmica do cotidiano são criadas “teorias” a partir das teorias científicas como forma de “simplificá-las”. Ninguém precisa realizar cálculos complexos o tempo todo no dia a dia para chegar a conclusão de quanto tempo uma panela deve ficar no fogo. Esse tipo de conhecimento que vamos acumulando no nosso cotidiano é chamado de senso comum. Sem esse conhecimento intuitivo, espontâneo, nossa vida cotidiana seria muito complicada.

Senso comum: uma visão de mundo
O senso comum mistura e recicla outros saberes, muito mais especializados, e os reduz a um tipo de teoria simplificada, produzindo uma determinada visão de mundo.
O senso comum integra, de um modo precário, o conhecimento humano.
Conhecimentos mais especializados são absolvidos pelo senso comum (leva certo tempo), mas nunca consegue absorver totalmente.


ÁREAS DO CONHECIMENTO
Somente com conhecimento de senso comum não seria possível alcançar o que o homem alcançou. O conhecimento mais especializado e complexo é chamado de ciência.
O senso comum e ciência não são os únicos modos de conhecimento que o homem possui para descobrir e interpretar a realidade. Desde os povos antigos já é possível identificar:

- Filosofia: origem do homem e seu significado.

- religião: mistérios, princípios morais.

- arte: desenhos das cavernas que expressavam emoção e sensibilidade.




PSICOLOGIA CIENTÍFICA
O que é ciência
- Objeto específico. Objeto de estudo: conjunto de conhecimentos sobre fatos ou aspectos da realidade.

- Linguagem precisa e rigorosa.

- Métodos e técnicas específicas. Conhecimentos obtidos de maneira programada, sistemática e controlada, para verificação sua validade.

- Processo cumulativo de conhecimento



- Aspira à objetividade. Suas conclusões devem ser passíveis de verificação e isentas de emoção, para tornarem-se válidas para todos.
Objeto de estudo da psicologia
Falar que o objeto da psicologia é o homem não é muito específico, pois as demais ciências humanas também têm o homem como objeto (filosofia, antropologia, etc).
Um psicólogo comportamentalista dirá que é “o comportamento humano”. Um psicanalista: “o inconsciente”. Outro podem dizer: Consciência humana, personalidade humana...

Diversidade de objetos da Psicologia
A psicologia é uma área do conhecimento nova, portanto isso pode explicar a dificuldade de definição do objeto de estudo, pois não deu tempo de ser formado.
Outra dificuldade para definir o objeto de estudo é que o objeto se confunde com o pesquisador, uma vez que o pesquisador é um homem e tem seu “olhar” comprometido.
Simplificadamente, diríamos que o objeto de estudo da psicologia são os “diversos homens” concebidos pelo conjunto social, com diversidade de objetos de estudo.
Alguns defendem que não existe a psicologia como ciência, e sim as Ciências Psicológicas.

Os fenômenos psicológicos
O autor do texto decidiu escolher uma linha de raciocínio para seguir para conseguir explicar tudo.
A matéria prima da psicologia é a vida dos seres humanos. É a partir desse material que a psicologia construirá todo o seu saber. A psicologia contribui com o estudo dos fenômenos psicológicos para a compreensão da totalidade da vida humana, isso que a diferencia das outras ciências humanas.
Os fenômenos psicológicos são processos que acontecem em nosso mundo interno e que são construídos durante a nossa vida. Esses processos constituem a nossa subjetividade.
A subjetividade é, portanto, o mundo construído internamente pelo sujeito, a partir de suas relações sociais, de suas vivências no mundo e de sua constituição biológica. É também fonte de suas manifestações afetivas e comportamentais.

A psicologia e o misticismo
O conhecimento místico, que seria campo de estudo da Teologia, enquanto conhecimento religioso (pode ser da Antropologia, como expressão cultural de um povo, mas a sua avaliação enquanto juízo de valor será papel da Teologia), pode em muitos momentos ser confundido com o conhecimento psicológico.
O tarô, a astrologia, a quiromancia, a numerologia, entre outras, são práticas adivinhatórias que podem ser confundidas com o campo de trabalho da Psicologia. Algumas pessoas procuram tais práticas para compreender melhor seu estado psicológico, e aqueles que trabalham com esta prática, muitas vezes não se furtam a aconselhar o paciente sobre aspectos de sua personalidade, de seu caráter ou de seus supostos problemas mentais.
É possível estudar as práticas adivinhatórias e descobrir o que elas têm de eficiente, de acordo com critérios científicos, e aprimorar tais aspectos para um uso eficiente e racional. Algumas pessoas não fazem esse estudo a contento e acabam por empregar essas técnicas sem observar os métodos científicos. Aquele que usa a prática mística como acompanhamento psicológico, pode ser acusado de charlatanismo; e o psicólogo que usa tais práticas sem critério científico comprovado, pode ser acusado de desempenho inadequado da profissão (os dois previstos no código de ética do psicólogo).
Entretanto, não se sabe muita coisa sobre o psiquismo humano, e muitas vezes novas descobertas seguem estranho e insondáveis caminhos e o verdadeiro cientista deve ter os olhos abertos para o novo.


TEXTO 02
A PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
Uma área da psicologia

Esta área do conhecimento da psicologia estuda o desenvolvimento do ser humano em todos os seus aspectos:

- físico-motor

- intelectual

- afetivo-emocional

- social


- desde o nascimento até a vida adulta.

Existem algumas teorias para a psicologia do desenvolvimento, e o livro utilizou a do psicólogo e biólogo suíço Jean Piaget (1896-1980).



O desenvolvimento humano

Desenvolvimento: mental e crescimento orgânico.

Desenvolvimento mental: construção contínua, que se caracteriza pelo aparecimento gradativo de estruturas mentais.

Estruturas mentais: são formas de organização da atividade mental que vai se aperfeiçoando até o momento que ficam plenamente desenvolvidas.

Algumas estruturas permanecem ao longo de toda a vida (ex: motivação), outras são substituídas a cada nova fase da vida.

Importância do estudo do desenvolvimento humano

Estudos e pesquisas de Piaget demonstraram que existem formas de perceber, compreender e se comportar diante do mundo, próprias de cada faixa etária. Uma criança não é um adulto pequeno.

Estudar o desenvolvimento humano significa conhecer as características peculiares de cada faixa etária, individualizando, criando métodos apropriados de ensino para cada uma. A linguagem usada para uma criança não é a mesma para um adolescente.
Os fatores que influenciam o desenvolvimento humano

- Hereditariedade: a carga genética estabelece o potencial do indivíduo, que pode ou não desenvolver-se. No entanto, a inteligência pode desenvolver-se menos ou mais do que seu potencial, dependendo das condições do meio.

- Crescimento orgânico: Aspecto físico. Aumento da altura, estabilização do esqueleto. Pense na diferença de descoberta do mundo de uma criança que começa a andar em comparação a uma com poucos dias de vida.

- Maturação neurofisiológica: desenvolvimento neurológico ligado à coordenação motora. Existe um equipamento neurofisiológico de base, cujo processo de evolução da maturação desse equipamento é fortemente determinado por fatores biológicos. Exemplo: desenvolvimento neurológico do adulto para segurar uma caneta é mais desenvolvido do que de uma criança.

- Meio: Influências e estímulos do ambiente, que alteram os padrões de comportamento do indivíduo.

ASPECTOS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO

O desenvolvimento humano é uma globalidade, mas para efeito de estudo, tem quatro aspectos. Todos esses aspectos se relacionam permanentemente.


- Aspecto físico-motor: crescimento orgânico, maturação neurofisiológica, coordenação motora, exercício do próprio corpo.

- Aspecto intelectual: capacidade de pensamento, raciocínio.

- Aspecto afetivo-emocional: É o sentir. Modo particular de o indivíduo integrar suas experiências.

- Aspecto social: maneira como o indivíduo reage diante das situações que envolvem outras pessoas.



A TEORIA DO DESENVOLVIMENTO HUMANO DE JEAN PIAGET

Todos os indivíduos passam por todas essas fases, nessa seqüência, porém o início e o término de cada uma delas dependem das características biológicas do indivíduo e de fatores educacionais, sociais.

1º período: Sensório-motor (0 a 2 anos)

2º período: Pré-operatório (2 a 7 anos)

3º período: Operações concretas (7 a 11 ou 12 anos)

4º período: Operações formais (11 ou 12 anos em diante)



1º período: Sensório-motor (0 a 2 anos)


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal