Programa curricular – Facilitadores de Historias digitais para idosos: Terceira idade ou idosos ativos



Baixar 52.9 Kb.
Encontro30.07.2016
Tamanho52.9 Kb.




Programa curricular – Facilitadores de Historias digitais para idosos: Terceira idade ou idosos ativos

Designação

Histórias digitais para facilitadores que pretendam trabalhar com idosos da terceira idade

Contexto

Workshops sobre historias digitais para formandos que pretendam trabalhar com idosos ativos: Terceira idade, a realizar em estabelecimentos de ensino (universidades ou politécnicos), bibliotecas; centros de arte, estruturas residenciais para idosos ou na comunidade.

Finalidade

A finalidade dos workshops consiste em desenvolver habilidades, conhecimentos e experiencia nos formados necessárias para treinar idosos ativos em histórias digitais e capacitá-los para usarem as TICs, incluindo a internet.

Objetivos

Capacitar os formandos com competências para planear, desenvolver e avaliar workshops em histórias digitais com idosos ativos. O workshop permitirá aos formandos desenvolver as competências necessárias para trabalhar com os idosos ativos na produção de histórias digitais.

Descrição

O programa é dividido em cinco elementos
i) Introdução que inclui histórias digitais e trabalho criativo com adultos/idosos ativos;

ii) Circulo de historias – experienciando o circulo de historias e explorando formas como o modelo clássico pode ser adaptado às necessidades e capacidades de cada contador de historias/storyteller,

iii) Produção das histórias digitais – Como gravar a voz, scannar e manipular as imagens e edição da história;

iv) Visualização

v) Avaliação reflexiva

As atividades serão criativas e técnicas e serão realizadas em sala de aula requerendo também trabalho independente em cada um dos elementos.



Resultados de aprendizagem

No final do workshop o participante deverá ser capaz de:

1. Compreender o processo de produção das histórias digitais;

2. Criar histórias digitais em software de edição de vídeo, incorporando e/ou transferindo imagens;

3. Compreender/ser capaz de adaptar o modelo "clássico" das histórias digitais para permitir que os idosos sejam capazes de participar;

4. Articular o conhecimento entre os conteúdos e a prática/aplicação prática das histórias digitais;

5. Analisar a utilidade e os benefícios das histórias digitais com idosos;

6. Refletir criticamente sobre os princípios/pressupostos éticos relativos à utilização de material autobiográfico


Recursos

Facilitador (s) – um facilitador para 8 formandos.

Sala de informática ou um computador por formando, scanner, acesso à internet, câmara de vídeo, dispositivo de gravação de áudio

Sala para a atividade do círculo de histórias.

Zona tranquila para gravação de som.

Materiais de arte e de papelaria


Horário

40 horas presenciais mais 160 horas de trabalho independente

Estrutura/planificação

Cada sessão tem uma panificação que inclui horários com as respetivas pausas.
O workshop deve ocorrer em aproximadamente 30 horas e pode incluir um exame; 16 horas para as fases anteriores ao elemento dois, 32 horas de contacto durante o elemento dois e três e 120 horas no elemento quatro

Resultados do workshop

  • Aumento dos conhecimentos e habilidades na utilização das TICs;

  • Desenvolvimento de competências de facilitador para apoiar idosos na criação de uma história digital;

  • Criação da sua história digital;

  • Compreensão da prática reflexiva.

Workshop outputs

Cada participante produzira uma história digital e fará uma avaliação reflexiva.

Avaliação

O módulo será avaliado de acordo com as normas da instituição.

Progressão

O módulo poderá fazer parte da qualificação de profissionais de saúde ou de serviço social ou como formação ao longo da vida para os profissionais que já trabalham com idosos



Programa curricular detalhado:

 


Contexto:

Este módulo de histórias digitais é para profissionais e/ou voluntários que trabalham ou podem vir a trabalhar com idosos em instituições de ensino, museus, centros comunitários ou Estruturas residenciais para idosos ou outros locais onde os idosos se sintam seguros e num ambiente que seja motivador de um processo criativo e seguro.

 Objetivos:

A frequência deste módulo formará profissionais com as habilidades, conhecimentos e experiência necessária para treinar idosos no processo das histórias digitais.

O objetivo é capacitar os formandos para que envolvam os idosos e os motivem para o mundo da tecnologia digital. O resultado do workshop de histórias digitais será uma história digital de dois a três minutos onde será utilizado texto e imagens para contar uma história pessoal. Os idosos que não cresceram na era da tecnologia digital irão encontrar uma forma criativa para a sua utilização.


O formando irá adquirir habilidades e conhecimentos necessários para a utilização de histórias digitais como um meio que permita aos idosos:

  • Adquirir competências digitais

  • Encontrar pontos fortes pessoais

  • Desenvolver habilidades de narrativa

  • Desenvolver habilidades de escrita

  • Saber mais sobre a narrativa visual

  • Desenvolver habilidades técnicas

  • Interagir socialmente

  • Aprender novas habilidades transmitindo-as através da internet

  • Preservar e contar histórias e histórias de vida

  • Desenvolver habilidades para outas aprendizagens futuras

  • Partilhar histórias e experiências

  • Partilhar conhecimentos e follow-up através de grupos sociais on-line

Descrição:

Conteúdo do curso é dividido em quatro elementos:

 

Introdução (16 horas). Duas sessões introdutórias de quatro horas cada irão fornecer uma visão geral das histórias digitais e as questões que elas levantam.

Na primeira sessão serão mostradas aos formandos diferentes histórias digitais para que possam ter uma ideia da qualidade, variedade e número de histórias realizadas em todo o mundo.

Na segunda sessão introdutória será explorada a origem das histórias digitais e serão abordadas algumas questões praticas (por exemplo, direitos de autor, questões éticas, pausas, etc). Será ainda realizada uma introdução sobre como trabalhar com os idosos, sobre o contexto, questões éticas, exemplos de boas práticas e introdução ao processo das historias digitais – os 'clássicos' sete passos do processo e como este modelo dos sete passos pode ser adaptado para responder às necessidades dos idosos. Exemplos de histórias Digitas deverão proporcionar aos futuros formandos uma diversidade de histórias, incluindo mas não exclusivamente do grupo-alvo (idosos) realizadas em várias partes do mundo. É importante a discussão de questões fundamentais incluindo questões éticas acerca do consentimento informal sobre esta prática com idosos.



Formação da história / círculo de histórias (workshop de 8 horas).

Experimentando o círculo de histórias, os “sete passos' e produzindo a sua história digital. Para os formandos é importante que produzam a sua própria história digital para que possam experimentar em primeira mão, o processo e possam compreender as exigências físicas, cognitivas e emocionais do mesmo.

Durante o processo, os formandos irão explorar formas de adaptar o modelo do círculo de história clássica para satisfazer as necessidades e as capacidades de cada contador de histórias.

Durante o workshop serão demonstradas algumas técnicas, nomeadamente como utilizar fotografias, objetos, histórias ou fragmentos de história para desenvolver uma história digital com o participante e se for caso disso, sobre o seu cuidador.


O formando deverá focar-se na mudança da abordagem coletiva para a do círculo de histórias; método de trabalho um a um; desenvolvimento e escrita da história; reflexão sobre as formas de desenvolver a história de acordo com as necessidades dos idosos, pois estes podem não ter a capacidade para escrever um roteiro
É fundamental que o workshop com idosos, seja planeado e desenhado cuidadosamente colocando as necessidades individuais de cada um no centro, sendo que os formandos deverão refletir sobre isso durante este processo. É importante garantir que os idosos sintam que são valorizados, produtivos e respeitados e que sua história é importante.
Produção de histórias digitais (20 horas). Como gravar voz, digitalizar e manipular imagens, editar uma história. Como capacitar um contador de histórias para construir uma história e ser capaz de aprender como faze-lo sozinho.

 

Partilhar histórias (4 horas). As histórias realizadas pelos formandos serão visualizadas e partilhadas com o grupo.

 

Avaliação reflexiva do processo das histórias digitais.

Os formandos deverão refletir sobre a adaptação do processo para atender às necessidades dos idosos vulneráveis e sobre impacto do processo e partilha da história sobre os indivíduos e suas famílias.


Deverão utilizar um modelo reflexivo considerando a sua experiência durante workshop, analisando como poderá ser adaptado ou usado para facilitar um workshop com idosos. Esta sessão deverá ter lugar aproximadamente uma semana após o término do workshop e os participantes deverão ser incentivados a partilhar as suas reflexões utilizando um recurso partilhado da web. Será solicitado aos participantes para escreverem uma reflexão de aproximadamente 2.500 palavras, explorando o uso das histórias digitais com idosos


Atividades de aprendizagem

Primeiro elemento: introdução

Palestras, workshops e seminários sobre a origem e divulgação das histórias digitais.

Visualização e análise de histórias digitais; como trabalhar com idosos – abordagens e considerações sobre os direitos de autor, uso de imagem e de som.

 

Segundo elemento: História

Os formandos irão definir as suas próprias histórias através da atividade do círculo de história, no entanto, devem considerar, em todos os momentos, como adaptar estas técnicas para trabalhar com os idosos. No final do segundo elemento, os formandos devem ter selecionado as suas imagens e escrito o seu roteiro/história.
Várias são as técnicas que se podem utilizar com os idosos durante o círculo de histórias:

 

A) Estímulos de conversação



 

Reflexões sobre a minha vida” (Pode falar me sobre o tempo em que se …..casou; teve o seu primeiro emprego……..os seus filhos eram pequenos, etc. o que gostava de fazer no trabalho? Que trabalho/emprego mais gostou? Gosta de desporto?” A minha família e a minha casa” (pode dizer me quem é esta pessoa?" (use um álbum de família). Fale me da sua casa, o que gosta mais na sua casa? Você gosta de animais? Você tem animais de estimação?"

Eu gostaria de...' (sonhos e esperanças)”

 

B) Exercícios criativos para estimular a memória:



  • Utilização de fotografias pessoais do passado e do presente;

  • Utilização de um gravador de voz ou música com canções favoritas, poemas etc.

  • Utilização de objetos ou imagens (pinturas ou fotografias) para incentivar respostas às mesmas;

  • Exercícios de associação de palavras

C) Criando histórias através do diálogo:

Use perguntas de resposta aberta e registe as respostas. Transcreva-as e apresente as mesmas aos participantes;

Combine elementos da história da pessoa com imagens; Se for necessário junte-lhe outras imagens adicionais.

 

Terceiro elemento: Produção das suas próprias histórias

Use o círculo de história para partilhar a história que escreveu e obter feedback do grupo

Faça todas as alterações e grave a narração (voz)

Selecione o software de edição (iMovie, Movie Maker ou WeVideo) e veja as instruções de utilização

Edite a historia, faça a correspondência de imagens com a gravação adicionando som adicional, transições e títulos.

Exporte o filme para a web, salve numa pen e grave em DVD.

Publique os filmes.
Quarto elemento –– Partilha das historias

 Apresentação pública das histórias digitais

A partilha das histórias com os seus pares e com o grupo mais amplo (família, amigos, comunidade) é um elemento importante do processo das histórias digitais.

 

Quinto elemento- Reflexão

Considerações e discussão do impacto do processo das histórias digitais. Como pode o processo ser adaptado a diferentes situações quando se trabalha com pessoas mais velhas? Que problemas podem surgir e como podem ser resolvidos? Que questões éticas precisam de ser consideradas?


Recursos:

Espaço: É útil organizar três salas para o workshop. Para o elemento um e três será utilizada a sala de aulas base.

1. Sala para produção: isto é onde serão efetuadas as histórias digitais. A sala necessita de ter bastante espaço, mesas e cadeiras para acomodar todos os equipamentos e pessoas.

É importante que a sala seja confortável, bem como garantir que haja luz natural e com boa ventilação

Deve ser possível tornar o quarto escuro o suficiente para a projeção de imagens. Deve existir uma casa de banho e um refeitório junto à sala.

A sala pode ser dividida em partes onde os participantes podem sentar-se a trabalhar em grupos menores. No último dia colocar as cadeiras em fila – frente para a tela.

 A sala deve ser grande o suficiente para acomodar o equipamento adicional (scanners, impressora, carregadores de câmara, etc.)

Deve haver espaço suficiente para permitir que os formadores se possam mover confortavelmente entre os formandos. A sala será também o local onde se realizará o círculo de histórias pelo que deve ser possível colocar as cadeiras em círculo.

2. Sala de áudio

A sala de gravação de som necessita de ser uma sala silenciosa com boa acústica, onde a porta possa ser fechada e trancada. Deve se certificar que os computadores, impressora, ventiladores ou ar-condicionado estão desligados para evitar qualquer ruído que possa interferir com a gravação. Janelas devem ser fechadas e a sala deve estar disponível durante todo o workshop.


Tenha disponível um computador, um microfone e cadeiras confortáveis. 

3. Espaço para relaxamento

Esta terceira sala é importante, porque os participantes precisam ter um espaço para relaxar e descansar durante o workshop.

 

Tecnologia:

Computador com um software de edição, por exemplo, o Windows Movie Maker, Imovie

Microfone

Headfones e Pen USB

Camara digital fotográfica

Scanner ou impressora

Projetor


Alto-falantes
Materiais:

Fotos/postais para escolher

Pedaço de papel para escrever ou desenhar

Canetas de cor

Calendário e um relógio para o círculo de histórias

 

Os participantes precisam trazer:



20-30 fotos do álbum de família ou fotos digitais

Um objeto favorito

(USB)


Horário: (* Dever ser adequado ao local e aos participantes)

O módulo será realizado em sessões de quatro horas cada, tendo presente todos os elementos das histórias digitais. Isso totaliza 44 horas de contato com os participantes.

Os formandos devem gerir o tempo, incluindo o estudo independente lendo, tomando notas, agrupando materiais, redigindo a história, preparando os seminários e conclusão das tarefas de avaliação para compensarem a quantidade de tempo de contato.



Avaliação




A avaliação consiste num portfólio composto por três partes:

Uma história digital curta (3 minutos) e participação e contribuição para o seminário reflexivo.

Uma reflexão escrita em 2.500 palavras contextualizando o processo do workshop de histórias digitais e explorando o uso desta metodologia em subsequentes workshops


Progressão:

As histórias digitais são simplesmente um meio para que os cuidadores formais e informais, profissionais de serviço social, voluntários, famílias, etc. apoiem os idosos na utilização das TICs e aprendam com as suas histórias. Após a conclusão do módulo formandos terão as habilidades, conhecimentos e experiência necessárias para organizar e oferecer workshops de histórias digitais aos idosos.

Após a conclusão do workshop a partilha das histórias e atividades é importante tanto para os participantes como para outras pessoas. Fazer com que o contador de histórias tenha orgulho na sua história, é uma das questão-chave para envolver outras pessoas idosas, tornando-as embaixadoras desta metodologia promovendo-a junto de outros idosos motivando-os para fazer o mesmo.

Pode haver sessões públicas das histórias digitais, exposições ou festivais onde os idosos poderão partilhar as suas histórias. As histórias digitais poderão ser também utilizadas em diversos contextos políticos, sociais e de cuidados de saúde.


Bibliografia /Materiais:

Livros
Hartley, John and McWilliam, Kelly (2009) Story Circle Digital Storytelling Around the World (Wiley Blackwell)

Lambert, Joe, (2013): 4th Edition – Digital Storytelling, Capturing Lives, Creating Community, Routledge.

Lundby, Knut (2008): Digital Storytelling, Mediatized Lived (Peter Lang)

Plummer, Ken (2001) documents of life 2: an invitation to critical humanism (Sage)

Thumim, Nancy (2015) self representation and popular culture (Palgrave Macmillan)
Websites
http://www.storycenter.org

http://www.bbc.co.uk/wales/audiovideo/sites/galleries/pages/capturewales.shtml



http://www.acmi.net.au/collections-research/community-engagement-projects/digital-storytelling/



©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal