Programa Florestas do Futuro – edição Itu – fase II relatório Técnico de Atividades de Reflorestamento – Agosto/05



Baixar 21.73 Kb.
Encontro24.07.2016
Tamanho21.73 Kb.


Programa Florestas do Futuro – edição Itu – fase II

Relatório Técnico de Atividades de Reflorestamento – Agosto/05

É um programa voltado ao reflorestamento e a recuperação de áreas, preferencialmente aquelas protegidas por lei e que contribuem para a conservação da água e incremento de biodiversidade. Visa também apoiar ações sócio-ambientais e capacitação técnica por meio de atividades sustentáveis que auxiliem na conservação da Mata Atlântica.


O Programa Florestas do Futuro reúne a sociedade civil organizada, proprietários de áreas, iniciativa privada e o Poder Público em um programa participativo de reflorestamento.
Graças a bem sucedida versão piloto realizada em Itu – SP, resultado da parceria entre a Fundação SOS Mata Atlântica, Rodovias das Colinas, SAEE – Serviço Autônomo de Água e Esgoto e Prefeitura Municipal de Itu, com o plantio de 80 mil mudas de árvores nativas da Mata Atlântica em áreas estratégicas para conservação de biodiversidade e bacias de abastecimento público do município de Itu, esforços da aposta, confiança e investimentos dos parceiros que culminou com o lançamento público do Programa Florestas do Futuro em junho de 2.004.
A Rodovias das Colinas reafirmando sua confiança na parceria assinou em maio/2005 um novo contrato para ações de reflorestamento de conservação com mais 100 mil mudas de árvores nativas.
Igualmente os recursos prevêem a continuação de investimentos na melhoria da infra-estrutura da sede da Estrada-parque de Itu, administrada pela SOS Mata Atlântica, para que nesta desenvolvam-se atividades de educação ambiental.

Para execução das atividades de plantio a empresa contratada Beta Empreendimentos Agroflorestais, especializada na produção e mais recentemente na implantação de reflorestamentos de conservação, realizará as atividades de campo, sendo responsável por todos os processos de execução e manutenção dos plantios, sob supervisão de técnicos da Fundação.


A seguir relataremos o andamento das atividades dentro da primeira área contemplada com o plantio de 14 mil mudas na Fazenda Capoava município de Itu – SP, bacia do rio Piraí.
Fazenda Capoava – Itu – SP – ribeirão da concórdia - Bacia do Pirai.
A Fazenda Capoava situa-se no bairro Pedregulho no município de Itu – SP, tendo dentro dos seus domínios parte das cabeceiras do ribeirão da concórdia pertencente a bacia do Rio Pirai.
A propriedade dedica-se a atividade de turismo rural, oferecendo serviços de hospedagem, alimentação e passeios eqüestres.
Para tanto, para a manutenção dos animais (cavalos) que são utilizados nas atividades, necessita da manutenção de áreas para pastagens. Tal fato, implicou na necessidade de instalação de diversos “bebedouros”, que são acessos para os animais aos cursos d´água, aumentado significativamente os custos na instalação de cercas para o isolamento das áreas de plantio.
O total de área a ser revegetado é de 8,24ha/84.048m2. Porém devido a forte presença de matacões e trechos rochosos, esta área será possivelmente ampliada para que se possa implantar o volume previsto.
Até o momento as seguintes atividades foram desenvolvidas no local:
Área I - À direita do curso d´água sentindo jusante com área total de 2,17ha. Foram executados e concluído o plantio de 4.623 (quatro mil seiscentos e vinte e três) mudas especificadas no projeto exarado, com o adjacente de 1.187m (um mil cento e oitenta e sete) lineares de cercas com arames “farpados”, subdivididos com espaçamentos de três fios, apoiados em palanques que possuem a média de 2.20m de altura (Eucalyptus "tratados").
Área II - À esquerda do curso d´água sentido jusante com área inicial de 1,4 ha, sendo ampliada para uma área continua a está e lindeira a cerca na divisa da propriedade, apresentada no relatório anterior como “Área II – complementar”. A necessidade de ampliação desta foi devido a dificuldade de abrir covas em algumas áreas por conta dos matacões, perda para abertura de bebedouros e diminuição da área III, inicialmente proposta, a pedido do proprietário.
Foram executados e concluídos o plantio de 3.975 (três mil novecentos e setenta e cinco) mudas e não 4.400 (quatro mil e quatrocentos) como havíamos informado no relatório anterior. Além da instalação de 1.023m (um mil e vinte e três) lineares de cercas com arames “farpados”, sendo que: deste total de isolamento, 618m foram executados com espaçamentos de cinco fios, e, 405m foram executados com espaçamentos de três fios, apoiados em palanques que possuem a média de 2,20m (Eucalyptus “tratados”).

Área III – Á esquerda do curso d´água sentindo jusante com área total de 1,4 ha. Houveram algumas mudas na distribuição do plantio nesta área que serão retificadas tão logo se conclua todo o plantio.
Plantio de 5.402 (cinco mil quatrocentos e dois) mudas, com necessidade de isolamento da área com 1.300m (um mil e trezentos) lineares de cercas com arames “farpados”, subdivididos com espaçamentos de três fios, apoiados em palanques com a média de 2.20m de altura (eucalyptus “tratados”).
Esta área teve alterações na sua distribuição/formato original por orientação do administrador da propriedade, devido a necessidade conservar áreas de pastagens dos animais que são criados na fazenda.
Nas atividades de implantação quanto nas de manutenção das áreas estão sendo utilizadas roçadeiras-costais, enxadas, cavadeiras, foices, perfurador de solo - semi-mecanizados (brocas), bomba para Irrigação-(combustão) e bombas para aplicação de herbicida
Para o manejo do plantio, estão sendo realizadas correções das carências nutricionais apresentadas pelo solo, a partir de insumos agrícolas, atendendo as condições particulares de cada massa de terreno.
Na abertura de cova, utilizou-se 50g de adubo NPK 04-14-08 por cova/muda. Na adubação de manutenção ou cobertura, estão sendo utilizados 50g de adubo NPK 10-10-10 por cova/muda, a partir de 40 dias do plantio, devendo se processo estender-se por todo o período a partir das necessidades identificadas no plantio.
O uso de herbicida (ROUNDUP) está sendo utilizado após as operações de roçadas nas áreas. Sua aplicação e realizada de forma seletiva, eliminando-se apens as herbáceas infestantes, conservando as mudas e demais materiais resultado da regeneração natural.
Nos locais onde o solo se mostrou compactado, foram realizados trabalhos de descompactação, no sentido vertical da superfície ao "horizonte", em média de 40cm. As covas, atingiram em alguns casos, o mínimo esperado de 30cm de diâmetro por 40cm de profundidade (solo raso, pedregoso e seco), assim sendo; quando aberta as covas, as mesmas recebiam uma mistura da terra retirada, com a mesma proporção de adubos recomendados.
As mudas foram provenientes de matrizes, cuja procedência fora observada pela qualidade total, descartando-se mudas doentes ou mal formadas, aumentando assim; as possibilidades de terem sido utilizadas mudas de material genético compatível com a região, incluindo no controle de qualidade total, o controle de pragas, a irrigação em situações limites, e podas em épocas adequadas. Ressaltamos ainda que: as mudas seguiram acondicionadas em tubetes, cujas raízes são fixadas ao material orgânico (substrato), melhorando assim; o seu desempenho revegetativo.
Fora mantido um monitoramento inicial e que será constante para com os controles das infestações por formigas cortadeiras, de maneira que: para a prevenção, fora aplicado iscas (regente 800), dentre outros, observadas as especificações do produto, técnicas de aplicação e dosagens recomendadas, cujo controle, deverá se estender pelo prazo contínuo de 2 anos após sua implantação, quando então; as mudas já terão porte suficiente para suportar os eventuais desfolhamentos.
Trabalhando com as informações passadas pelo Sr. Samuel Rossini, sobre os volumes de mudas compromissadas na forma de TCRA´s, o total que corresponde ao DEPRN de Sorocaba é de 11.066 mil mudas. Assim, enquanto não recebemos uma manifestação formal e positiva do DEPRN de Jundiaí, sobre a continuidade das ações de reflorestamento nas cabeceiras do Rio Piraí, ainda que fora da administração desta regional, estaremos trabalhando apenas com as 11.066 mil mudas da regional de Sorocaba para atendimentos a outras fazendas no entorno da Fazenda Capoava.
Sendo o que tínhamos para o momento colocamo-nos a inteira disposição para quaisquer esclarecimentos que se fizerem necessários.

São Paulo, agosto/2005.


Nilson Máximo - Gestor Ambiental

Coordenador de Fomento Florestal

Fundação SOS Mata Atlântica

Programa Florestas do Futuro

Tel.: (11) 30557885



Florestas do Futuro – edição Itu – fase II - parceria Rodovias das Colinas – Projeto Colinas de Ecologia





Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal