Programação de Setembro/Outubro 26/09 a 11/10/2007 Espaço Cultural Casa do Lago



Baixar 66.15 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho66.15 Kb.
Programação de Setembro/Outubro - 26/09 a 11/10/2007
Espaço Cultural Casa do Lago
Programação de setembro 2007
4ª Mostra de Dança Contemporânea da Casa do Lago
De 24 a 28 de Setembro de 2007.

Curadoria:


Prof. Dra. Veronica Fabrini/ IA UNICAMP, Avelino Bezerra/ diretor do Espaço Cultural Casa do Lago/PREAC/UNICAMP e Juliana Hadler/ bailarina graduada na UNICAMP.
OBS: Todas as atividades são oferecidas gratuitamente à comunidade
Dia 26/09/2007 - Quarta - 12h

"PoCoCer"

Procedimento Organizado que conduz a um Certo Resultado

Duração: 7min

O estabelecimento de limites físicos e sonoros sobre o movimento, em uma crescente atuação corporal em oposição à submersão da necessidade da palavra, base de um jogo metódico e revelador.
_________________________________________________________________
Dia 27/09/2007 - Quarta - 12h

"Em Espera"

Martina Faccioli e Patrícia Aockio

Duração: 4min

Trabalho coreográfico desenvolvido a partir das relações da vida cotidiana com o tempo em que tudo ocorre e a maneira de ligar a dinâmica dos movimentos com as mesmas situações.
_________________________________________________________________
Dia 27/09/2007 - Quinta - 12h

"Até onde você vai quando anoitece"

Packer Cia de Dança

Duração: 45min

Release:" O conceito de 'sexualidade' teve de ser ampliado de modo a abranger muitas outras coisas que não podiam ser classificadas sob a função reprodutora, e isso provocou não pouco alarido num mundo austero, respeitável ou simplesmente hipócrita,"

Sigmund FREUD, Além do Princípio de Prazer, p.66


Neste trabalho a noite simboliza a escuridão que simultaneamente esconde e revela, subtraindo limites e gerando atitudes que talvez não se mostrariam frente às observações e julgamentos pré-concebidos.

Aspectos como a sexualidade, a violência física e psicológica, a busca por prazer, a loucura, o dominar e o ser dominado, a sedução e a entorpecência são explorados na criação de gestos e movimentos.

Quais seriam os seus limites quando não existisse ninguém influenciando as suas escolhas, impondo os seus limites e controlando para que eles fossem determinantes em suas decisões, até onde você experimentaria ir, sem medos e sem culpas. Como é perder o controle?

Até onde você iria se ninguém te observasse?


_________________________________________________________________
Dia 27/09/2007 - Quinta - 18h

"PoCoCer"

Procedimento Organizado que conduz a um Certo Resultado

Duração: 7min

O estabelecimento de limites físicos e sonoros sobre o movimento, em uma crescente atuação corporal em oposição à submersão da necessidade da palavra, base de um jogo metódico e revelador.
_________________________________________________________________
Dia 27/09/2007 - Quinta - 18h

"Ou Isto ou Aquilo "

Natália Alleoni, Nara Calipo e Camila Bronizeski

Duração: 4min

Ou isto ou aquilo

[Cecília Meireles]


[...]

Quem sobe nos ares não fica no chão,

Quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa

estar ao mesmo tempo em dois lugares!

[...]


Mas não consegui entender ainda

qual é melhor: se é isto ou aquilo.


_________________________________________________________________
Dia 27/09/2007 - Quinta - 18h

"Entre"


Leticia Oliveira

Nara Calipo

Duração: 6min
"Na casa de espelhos

Espalho os meus rostos

E finjo que finjo que finjo

Que não sei"

(A Mais Bonita - Chico Buarque)
_________________________________________________________________
Dia 27/09/2007 - Quinta - 18h

"Danae"


Criação e Interpretação: Juliana Schiel

Duração:12min


A coreografia “Danae” propõe contar uma história feita de imagens corporais, inspirando-se livremente em artistas plásticos (Gustav Klimt, Egon Schiele, Auguste Rodin e Camille Claudel), em trechos de histórias diversas - da mitologia grega e de contos de fadas –, e em lembranças pessoais.
_________________________________________________________________
Dia 27/09/2007 - Quinta - 18h

"Intenso"

Patrícia Leal

Duração: 20min


Intenso focaliza no paladar seu estímulo central à criação. Para o desenvolvimento dessa obra o vinho foi utilizado como referência gustativa, que aliou à percepção dos sabores, as possibilidades táteis.

A estrutura do espetáculo é inovadora por permitir uma interface de linguagens entre a dança e música, entre músico e bailarina, entre movimentos e sons.

Em termos poéticos, Intenso aborda o amor em suas polaridades. A solidão e o encontro. O desejo e a recusa. A intimidade e a distância. O medo do aproximar-se e o sentimento em carne viva. Uma entrega de dor e prazer. Intenso é um questionamento sobre os nossos próprios limites no amor. O que define os contornos da pele e se esvai nos braços do outro. Intenso, denso, lúcido.
_________________________________________________________________
Dia 28/09/2007 - Sexta - 12h

" Ou Isto ou Aquilo"

Natália Alleoni, Nara Calipo e Camila Bronizeski

Duração: 4min

Ou isto ou aquilo

[Cecília Meireles]

[...]

Quem sobe nos ares não fica no chão,



Quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa

estar ao mesmo tempo em dois lugares!

[...]


Mas não consegui entender ainda

qual é melhor: se é isto ou aquilo.


_________________________________________________________________
Dia 28/09/2007 - Sexta - 12h

"Passeio"

Criação: Jussara Miller

Interpretação: Jussara Miller e Bukke Reis

Duração: 10min

“Passeio” é um duo de dança que desenha um percurso de estórias e relações humanas que são explicitadas através de imagens poéticas contruídas na cadência da coreografia.

O trabalho é livremente inspirado no poema “Passeio” de Mário Quintana: “Oh! Não há nada como um pé depois do outro...” Nessa coreografia, o “Passeio” apresenta-se como uma metáfora da vida no tempo presente, que não busca um fim a ser alcançado, mas privilegia o meio a ser percorrido e vivenciado passo a passo.
_________________________________________________________________
Dia 28/09/2007 - Sexta - 12h

"Perseguir Desejos"

Grupo de Dança Corpo Cru

Coreografia e direção: Juliana Hadler

Intérpretes:Analu Hadler, Karen Polaz, Marcela Hernandez, Mariana Tamashiro

Duração: 15min

Perseguir desejos. É como se fosse um vasculhar quem sou, nem que seja nesse exato momento... Mostrar aquilo que carrego.

Contar alguma coisa sem ter a pretensão de se chegar até o final da frase. Contar sem ter razão. Contar só porque se quer.


_________________________________________________________________
Dia 28/09/2007 - Sexta - 18h

"Sentir é muito Lento "

Coreógrafa/bailarina: Juliana Hadler

Duração: 15min

Release: Essa minha secura/ essa falta de sentimento/ não tem ninguém que segure, vem de dentro./ Vem da zona escura/ donde vem o que sinto./ Sinto muito,/ sentir é muito lento. (Paulo Leminski)

qualquer silêncio

várias palavras sem sentido

no inexpressivo que sempre foi a minha busca cega e secreta a respiração do mundo, e a respiração contínua do mundo é aquilo que ouvimos e chamamos de silêncio se pode não escrever: é infinitamente mais ambicioso. É quase inalcançável minha secura essa falta de sentimento vem de dentro. Vem da zona escura sentir é muito lento.


_________________________________________________________________
Dia 28/09/2007 - Sexta - 18h

"Estranho, eu não sou Hamlet"

Interpretação: Flávio Rabelo

Duração: 30min

Agir, ou não agir? eis a questão.

Não mais apenas, ser ou não ser? e sim, e principalmente, como ser ou não ser?

Ator? Interprete? Performador?

O paradoxo invade a Ação e entre personagem, persona, pessoa não há mais certezas ou dúvidas; há certezas e dúvidas.

A partir dos (des)encontros entre Estranho e Hamlet, surge esta série de ações que situam no limite entre o cotidiano e o artístico, num jogo entre o visível e o invisível e algumas possibilidades de relação.

Esta série faz parte do trabalho em processo Estranho, um cara comum, do artista Flávio Rabelo sobre o corpo como paradoxo das ações cênicas na perspectiva de manipulação do eixo espaço tempo.


_________________________________________________________________
Dia 28/09/2007 - Sexta - 18h

"Duo Izabelle e Veronica"


_________________________________________________________________
Dia 28/09/2007 - Sexta - 18h

"L 12"


Bukke Reis

Duração: 12 minutos

A coreografia “L 12” é fruto de pesquisa com processo criativo orientado pela bailarina Jussara Miller. Em “L12” somo as técnicas corporais que modulam minha energia física: o butoh, Klauss Vianna e a dança do ventre. A coreografia “L 12” não se atém em narrar um contexto mas, e somente, em deleitar-se junto ao público, por meio da dinâmica do movimento.

Bukke Reis é artista plástico e em sua opção pelos tridimensionais prioriza a dança como canal de expressão artística.


_______________________________________________________________
Dia 28/09/2007 - Sexta - 18h

"Águas"


Diretor e bailarino: Luis cury

Duração: 25min

Moléculas trata-se de uma contribuição ao um trabalho do Dr. Masoto. Ele descobriu que a energia das palavras e do pensamento modificam as moléculas. Destroem ou potencializam.

A coreografia é um improviso só. Sentindo a energia do público e direcionando esta energia o solista Luís Cury improvisa brincando com garrafas que são modificadas energeticamente pelo público...ao final ele interage com o publico em uma sinergia mágica...


_______________________________________________________________
Dia 28/09/2007 - Sexta - 18h

"Só, Sozinho, Solidão "

Direção Luis Cury

Elenco:André Coins, Barbara Leite, Cristina Avila, Leo Oliveira, Orlando Dantas, Maercio Borges

Duração:15min

Quanto estamos ligados a nossa própria percepção ? Sentimos, ouvimos, enxergamos aquilo que está a nossa volta ? Ou estamos em um isolamento intrínseco dentro de nossa própria existência. Está obra trata desta questão, desta situação. É uma surpresa o que acontece, pois os bailarinos conhecem os caminhos da coreografia, mas sua nuanças eles que criam. A cada espetáculo é um surpresa....surpreendam-se.......


_______________________________________________________________
I Bienal de Arte Infantil
Abertura Oficial dia 1 de Outubro às 19h

O principal objetivo é o de incentivar ações e reflexões voltadas para a CULTURA DE PAZ, considerando que a primeira infância é o berço para iniciar tais iniciativas.


A paz se faz brincando é uma expressão significativa, pois para uma criança falar de paz pode ser algo abstrato, mas vivenciar a paz através de brincadeiras com colegas, brinquedos e também no âmbito da família é mais concreto, palpável, facilitador do processo de expressão artística.

Serão expostos painéis coletivos sobre o tema da paz, do brincar, dos brinquedos e também da família, temas estes retratados pelas crianças com espontaneidade, pois fazem parte de seu universo. O trabalho de criação coletiva possibilita também o olhar para o outro e estimula o consenso, a cooperação, a solidariedade, a tolerância, o sentimento de pertencimento a um grupo, entre outros aspectos tão importantes para a formação da ética e do convívio social.


_________________________________________________________________
Dia 01/10/2007 - Segunda - 19h30

Concerto de Abertura da I Bienal da Criança


Programa

1. Francisco Manuel da Silva - Hino Nacional Brasileiro


2. Peter Martin - Marcha Para Um Festival
3. Leroy Anderson - Sandpaper Ballet - Balé das Lixas

Solistas: Luana Oliveira Lima e Priscila Pereira de Andrade


4. Leroy Anderson - The Typewriter - A Máquina de Escrever

Solista: Luana Oliveira Lima


5. Villa-Lobos/Adap. João Stecca

Carneirinho, Carneirão p/ piano e cordas

Solista: Isabelle Zomignani Dumalakas (Belinha-10 anos)
Intervalo
6. Oscar Rieding/Adap. João Stecca

Concerto em Si Menor p/ violino e cordas

Solista: Ana Letícia Riffo Wechsler (Lelê-7 anos)

Participação Especial

Orquestra Infanto-Juvenil do Projeto Unicordas
Orquestra Aprendendo (6 a 10 anos)
7. Peças Folclóricas-Pastorzinho-Escravos de Jô-Passa, Passa Gavião
8. Tradicionais Americana-Good King Wenceslar-Hickory, Dickory, Dock
9. J.S. Monsell – In Praise We Sing

Regência – Cléo Branco


Orquestra Crescendo (10 a 14 anos)

10. Vivaldi/Arr.Hany A. Alshin – Outono


11. Pixinguinha – Carinhoso

Regência – Alexandre Chagas


12. Toquinho e Mutinho/Arr. Cláudio Alves/Adap. J. Stecca

O Caderno p/ voz e orquestra

Solista: Avelino Bezerra
13. Teddy Vieira e Luizinho/Adap. João Stecca

O Menino da Porteira

Participação Especial: Orquestra Mirim de Violeiros de Pedreira

Solo de Berrante: Giovanni Daldosso Belli (6 anos)


14. Alfredo Dias

Coletânea Cançonetas Folclóricas


Regência – João Stecca
Participações Especiais:
Orquestra Comunitária Unicamp

Fundada em 18 de julho de 2001, pelo Prof. João Bosco Stecca, a Orquestra Comunitária Unicamp é uma orquestra-escola de extensão sócio-cultural que oferece a toda comunidade de Campinas e região, sobretudo a carente, dos 15 anos até a terceira idade, a oportunidade de aprender a tocar um instrumento de orquestra sinfônica, tocar em conjunto, divulgar e executar composições e arranjos de músicos brasileiros, principalmente os desconhecidos do público, incentivar os alunos a atuarem como solistas e se expressarem através da música.


Orquestra Mirim de Violeiros de Pedreira

A Orquestra Mirim de Violeiros de Pedreira-SP foi criada em 2003 pelo Prof. Claudinho Cassiani, após o grande sucesso da Orquestra de Violeiros de Pedreira (adulta). É formada por crianças de 06 a 15 anos de idade, onde executam músicas do repertório clássico sertanejo, entre outras. Tem como objetivo principal ensinar às crianças a Cultura Caipira e o Folclore Brasileiro através do canto, da música e dos nossos costumes.

A orquestra já participou dos programas “Viola Minha Viola’ da TV Cultura e ‘Caminhos da Roça” da TV Globo e tem como patrocinadora a multinacional “Kraft Foods do Brasil”.
Orquestra do Projeto Unicordas

Fundada em fevereiro de 2006, pelo seu coordenador Prof. Alexandre Chagas, o Projeto Unicordas é um projeto de pesquisa que desenvolve uma metodologia específica de formação musical para crianças de 5 a 14 anos dentro de uma orquestra de cordas (violino, viola, violoncelo e contrabaixo).

Os objetivos principais são: a formação musical do aluno, a inclusão social da criança, para prepará-las quem sabe, para um futuro profissional, formação de público para crianças dessa faixa etária com apresentações de concertos didáticos em escolas públicas e privadas, teatros, igrejas, ginásios, etc.
Ana Letícia Riffo Wechsler

Solista-Violino

Natural de São Paulo-SP, iniciou seus estudos musicais aos 3 anos de idade com o seu pai, Sergio Wechsler e violino em março de 2006 com o Prof. Alexandre Chagas, no Projeto Unicordas.

Atualmente cursa a 1ª série no Colégio Rio Branco de Campinas-SP, onde faz flauta doce e faz também dança judaica aos finais de semana no Clube Hebraica de São Paulo.


Isabelle Zomignani Dumalakas

Solista-Piano

Natural de Jundiaí-SP, iniciou seus estudos musicais em 2001 com apenas 4 anos de idade, com o seu pai, o pianista Prof. Ulisses Vicente Dumalakas.

Já se apresentou na Sala Jayr Accioly de Souza (Solar do Barão), Sala Glória Rocha (Centro das Artes) e no Instituto Musical e Cultural “Dr. Gomes Cardim” de Jundiaí.

Atualmente cursa a 5ª série no Colégio São Vicente de Paulo de Jundiaí, onde faz dança irlandesa e tecido acrobático. No Instituto Musical e Cultural “Dr. Gomes Cardim” participa do Coral Infanto-Juvenil e é aluna do curso de piano, sob a orientação de seu pai.
Avelino Bezerra

Solista-Canto

Atualmente diretor da Casa do Lago, atua como músico em casas noturnas de São Paulo, Campinas e região. Na década de 80, sobreviveu cantando nas ruas de Paris, Amsterdam, Berlin, Estocolmo e Marrakech.

Hoje tem grande prazer em participar do concerto de abertura da I Bienal da Criança com a Orquestra Comunitária da Unicamp, sob a regência do maestro João Stecca.


_________________________________________________________________
Programação de Cinema
Bienal da Criança
Dia 01/10/2007 - Segunda - 14h e 16h30

O Melhor do Anima Mundi, vol. 1

Direção: Vários

Duração: 75 min

Origem/Ano: Vários
Sessão com premiados curtas de animação internacionais.
MONA LISA DESCEND A STAIRCASE - Joan Gratz, EUA, 1992

Oscar de Melhor Curta de Animação, 1993


BOB’S BIRTHDAY - Alison Snowden & David Fine, Canadá, 1993

Oscar de Melhor Curta de Animação, 1995


CRAC! - Frédéric Back, Canadá, 1981

Oscar de Melhor Curta de Animação, 1982


LE MOINE ET LE POISSON - Michael Dudok de Wit, França, 1995

Indicação ao Oscar de Melhor Curta de Animação, 1995


THE BIG SNIT - Richard Condie, Canadá, 1985

lndicação ao Oscar de Melhor Curta de Animação, 1986


JUKE BAR - Martin Barcy, Canadá, 1990

Indicação para o Oscar de Melhor Curta de Animação, 1991


OH WHAT A KNIGHT - Paul Driessen, Holanda, 1982

Melhor Filme, Festival Internacional de Ottawa 1982


HOW TO KISS - Bill Plympton, EUA, 1989

Melhor Curta, Festival de Aspen 1989


TIME FOR LOVE - Carlos Saldanha, EUA, 1994

Melhor Filme Artístico, Festival de Computação Gráfica de Genebra 1994


_________________________________________________________________
Dia 02/10/2007 - Terça - 14h, 16h30 e 19h

O Brasil em Curtas - Desenhos Animados

Direção: Vários

Duração: 38 min

Origem/Ano: Brasil/Vários
Espantalho

(1998, cor, 35mm, 10 min)As lembranças de uma velha confundem-se com as descobertas de uma menina apaixonada por um espantalho. Direção: Alê Abreu.


Pai Francisco Entrou na Roda

(1997, cor, 35mm, 6 min)Pai Francisco, personagem de canção infantil, hoje em dia não consegue encontrar sua turma. Direção: Marcos Magalhães.


Campo Branco

(1997, cor, 35mm, 11 min)De forma coreografada, a relação de amor do homem nordestino com a chuva numa linguagem poética. Direção: Telmo Carvalho de Bairros


Uma Casa Muito Engraçada

(1996, cor, 16mm, 3 min)O poema nos fala de uma casa que não tem teto, não tem nada. Mas há uma outra que tem isso tudo e muito mais. Direção: Toshie Nishio


O Nordestino e o Toque de sua Lamparina

(1998, cor, 35mm, 8 min) O homem nordestino, frente as adversidades do dia-a-dia, revela, com sua esperteza, a magia contida na realidade. Direção: Ítalo Maia.


_________________________________________________________________
Dia 03/10/2007 - Quarta - 14h, 16h30 e 19h

A Viagem de Chihiro

Direção: Hayao Miyazaki

Duração: 105 min

Origem/Ano: Japão/2001
Chihiro é uma garota de 10 anos que acredita que todo o universo deve atender aos seus caprichos. Após saber através de seus pais que estarão mudando de cidade ela fica furiosa, sem fazer nenhum esforço para esconder sua raiva. Em meio a lembranças de seus amigos que terá que deixar, Chihiro percebe que seu pai se perdeu no caminho para a nova cidade onde irão morar, indo parar defronte um túnel aparentemente sem fim que é guardado por uma estranha estátua. Curiosos, os pais de Chihiro decidem entrar no túnel. Apesar dos pedidos para voltarem ao carro, Chihiro acaba seguindo junto com eles para descobrir que ele leva a um mundo aparentemente deserto, onde existe uma cidade sem nenhum habitante. Famintos, os pais de Chihiro decidem comer a comida que está disponível em uma das casas, enquanto que a própria Chihiro decide explorar um pouco a cidade. En! tretanto, logo ela encontra com Haku, um garoto que lhe diz para ir embora da cidade o mais rápido possível. Ao reencontrar seus pais, Chihiro fica surpresa ao ver que eles se transformaram em gigantescos porcos, enquanto que misteriosos seres começam a surgir do nada. É o início da jornada de Chihiro em um mundo fantasma, povoado por seres fantásticos, no qual humanos não são bem-vindos.

_________________________________________________________________


Dia 04/10/2007 - Quinta - 14h, 16h30 e 19h

O Expresso Polar

Direção: Robert Zemeckis

Duração: 100 min

Origem/Ano: EUA/2004
É véspera de Natal e um garoto (Tom Hanks) está acordado. Sem acreditar mais em Papai Noel, ele espera por algo que faça com que sua crença na figura natalina retorne. De repente ele ouve um grande barulho, indo para fora de sua casa. O garoto então vê à sua frente um gigantesco trem negro com destino ao Pólo Norte, cujo condutor (Tom Hanks) o convida para embarcar. Após certa relutância, ele decide seguir viagem.
_________________________________________________________
Cinema e Psicanálise
Ao longo do mês de Outubro, exibiremos na Casa do Lago parte da obra de David Lynch. A cada sexta feira (dias 5, 19 e 26) contaremos com um filme diferente (Veludo Azul, Estrada Perdida e Cidade dos Sonhos) - e, após a sessão das 19h, bate papo com o Psicanalista João José R. L. Almeida e o Filósofo e Crítico de Cinema Humberto Pereira da Silva.
Dia 05/10/2007 - Sexta - 14h, 16h30 e 19h

Veludo Azul

Ciclo Cinema e Psicanálise

Direção: David Lynch

Duração: 121 min

Origem/Ano: EUA/1986


Sob a aparente serenidade de uma pequena cidade, existe um mundo obscuro no qual os inocentes não ousam se aventurar, e onde o imprevisto é normal. É o reino assustador de Veludo Azul. Obra de David Lynch. Veludo Azul é uma "mistura chocante, profundamente perturbadora e assustadora entre os sentimentos sinceros e os horrorizantes".

O inocente Jeffrey Beaumont (Kyle MacLachlan) percebe que sua perfeita cidade natal não é tão normal assim, quando ele descobre uma orelha humana em um terreno baldio. Sua investigação o leva a um tentador e erótico mistério envolvendo uma perturbada cantora de boate (Isabella Rossellini) e um sádico viciado (Dennis Hopper). Logo Jeffrey passa a fazer cada vez mais parte da depravada existência desse estranho par... até um ponto sem volta.


_________________________________________________________________
Realização:

Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários.

Espaço Cultural Casa do Lago

Informações: (019) 3521-7017

http://www.preac.rei.unicamp.br/casadolago/



casadolago@reitoria.unicamp.br


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal