[Projeto de Pesquisa da disciplina de Pesquisa em Educação]



Baixar 55.8 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho55.8 Kb.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

FACULDADE DE EDUCAÇÃO

CURSO DE PEDAGOGIA – LICENCIATURA

[Projeto de Pesquisa da disciplina de Pesquisa em Educação]


CARINA DOMERCKE DIAS

Porto Alegre

2011

CARINA DOMERCKE DIAS




[Projeto de Pesquisa da disciplina de Pesquisa em Educação]

Projeto de pesquisa apresentado à Disciplina de Pesquisa em Educação. Com a orientação da Profa. Drª Liliana Passerino e do Mestre em Informática na Educação Lourenço de Oliveira Basso.

Porto Alegre

2011


PROJETO DE PESQUISA

HISTÓRIA E EDUCAÇÃO NO RIO GRANDE DO SUL




  1. IDENTIFICAÇÃO

1.1. Nome: Carina Domercke Dias, acadêmica do Curso de Pedagogia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Brasil.

1.2. Disciplina: Pesquisa em Educação.

1.3. Professora: Profa. Drª Liliana Passerino

Estagiário de Docência: Lourenço de Oliveira Basso

1.4. Local de execução: Faculdade de Educação.

1.5. Vigência: de setembro de 2011 a dezembro de 2013 (ano de conclusão do curso).

1.6. Tema da pesquisa: O poder do Estado Ditatorial nas páginas da Revista do Ensino no Rio Grande do Sul: construindo modos de ser professor.




  1. INTRODUÇÃO

A presente pesquisa tem como objetivo investigar as relações de poder, bem como as formas de “ser professor” veiculadas nas páginas da Revista do Ensino do Rio Grande do Sul durante os anos de acirramento político decorrentes dos Governos Militares, pois a revista, desde sua primeira fase, servia de guia aos professores em suas práticas de ensino.

No ano de 1964, o Golpe Militar instalava-se no Brasil restringindo o exercício da cidadania e utilizando a violência para reprimir os movimentos de oposição ao governo, deste modo, o governo colocou em prática os projetos de desenvolvimento econômico nacional resultando em intensas contradições sociais, políticas.

A partir de 1964, a educação brasileira também passou a ser controlada e vigiada pelos poderes do exército com maior rigor, sendo importante analisar e investigar a educação planejada durante os governos militares.

Deste modo, busco analisar os discursos políticos presentes nas páginas da Revista do Ensino durante os anos de 1964-1969, datas que abrangem o golpe instituído pelos militares até o Ato Institucional nº 5, considerado o momento mais rígido da ditadura, no qual os poderes passaram a estar concentrados no Executivo, visto que o AI-5 constituiu-se em uma represália ao discurso do deputado Márcio Moreira Alves, que solicitou ao povo brasileiro o boicote as comemorações do 7 de setembro de 1968.

A Revista do Ensino esteve dividida em duas fases: 1939-1942 compreendendo o seu primeiro momento e, posteriormente, retorna sua publicação em 1951, sendo publicada até 1992 constituindo-se em um periódico respeitado pelo magistério gaúcho e com grande influência na educação servindo de aparato de veiculação das ideias político-pedagógicas da Secretária de Educação do Rio Grande do Sul.

Em 1951, a “Revista do Ensino” após um período de interrupção volta a ser reeditada e com forte orientação didático pedagógica para os professores de ensino primário e pré-primário sugerindo a eles planos de aula, atividades práticas, trabalhos manuais, poesias, recursos de ensino. Deste modo, a revista procurava auxiliar o professor no cotidiano de sua sala de aula trazendo em suas páginas os dias comemorativos, os fatos históricos, as riquezas do Brasil.

Ao refletir sobre a imprensa pedagógica Maria Helena Câmera Bastos coloca que a imprensa pedagógica – jornais, boletins, revistas – feita por professores para professores, feita para alunos por seus pares ou professores, feita pelo Estado ou outras instituições como sindicatos, partidos políticos, associações de classe, Igreja – contém e oferece muitas perspectivas para a compreensão da história da educação e do ensino. Sua análise possibilita avaliar a política das organizações, as preocupações sociais, os antagonismos e filiações ideológicas, as práticas educativas. (BASTOS, 1997)

Em primeira analise identifica-se que a Revista do Ensino passou a fornecer material pedagógico aos professores dando suporte aos conteúdos nas diversas áreas de ensino estando vinculada a Secretária de Educação do Rio Grande do Sul.

Busca-se com a presente pesquisa investigar as relações de poder veiculadas pelo material pedagógico da Revista do Ensino do Rio Grande do Sul nos anos de acirramento político dos governos militares, visto que a política educacional militar constituiu-se como uma das formas de dominação utilizadas para a manutenção do poder atuando como atenuante nos conflitos e tensões que dificultavam a obtenção de uma política hegemônica.




  1. PROBLEMÁTICA DE PESQUISA

Uma vez delimitado o tema da pesquisa estabelecendo sua interface entre a História e a Educação, elaborou-se dois questionamentos. Como a Revista do Ensino serviu de instrumento para o discurso político estatal durante os anos de acirramento político e controle da população por meio da imprensa e da propaganda.

A partir de meu questionamento inicial elaborei o segundo questionamento da pesquisa: como a imprensa pedagógica (Revista do Ensino) veiculava em suas páginas os modos de “ser professor”.

Deste modo, busca-se analisar como os modos de ser professor eram articulados com os discursos de poder vinculados pela Revista do Ensino, referencial para a elaboração de práticas educativas de uma época e instrumento de veiculação da intenção político-pedagógica da Secretária de Educação do Rio Grande do Sul.



  1. MATERIAL E MÉTODO

A pesquisa terá como base metodológica as concepções construídas pela Nova História, visto que para esta corrente historiográfica toda produção cultural humana possui valor para a pesquisa científica, assim ampliando o conceito de fontes de pesquisa e investigação. Para Peter Burke, a Nova História centra sua análise nas estruturas superando o conceito de história como narrativa dos fatos, pois os registros visuais, orais, estatísticas passam a constituir-se em materiais e evidências científicas.

Com base na ampliação de fontes promovidas pela Nova História busca-se utilizar para a presente pesquisa as metodologias e métodos empregados pela pesquisa documental, visto a riqueza de informações que podem ser encontradas com a análise documental na tentativa de investigar, organizar informações, categorizar e analisar os dados extraídos nos documentos.

Assim, entendendo a pesquisa documental como método de compreensão e produção do conhecimento científico relacionado-a com a realidade sócio-educacional na investigação das concepções de poder veiculadas pela Revista do Ensino.




  1. OBJETIVOS

Partindo da análise documental da Revista do Ensino do Rio Grande do Sul entre os anos de 1964-1969 busca-se traçar os seguintes objetivos:



  • Compreender o Estado e a sociedade brasileira no seu contexto histórico dos Governos Militares visando interpretar os projetos de educação deste período como parte integrante do projeto político e educacional que se instalava com a ditadura militar.

  • Analisar o contexto educacional do Rio Grande do Sul durante os governos militares no período de 1964-1969, visto que a educação passou a ser foco dos interesses prioritários do governo gaúcho como parte integrante do processo civilizatório.

  • Analisar como o projeto educacional do Estado de Segurança Nacional atingiu os indivíduos, os setores sociais, bem como a imprensa pedagógica entre o período de 1964-1969 relacionando com os materiais veiculados pela Revista do Ensino no Rio Grande do Sul.

  • Refletir sobre os mecanismos e os discursos de poder veiculados nas páginas da Revista do Ensino tendo como eixo teórico a conceitualização formulada por Michel de Foucault registradas nas obras “A Arqueologia do Saber” e “Microfísica do Poder”, assim entendendo a revista citada como uma das formas de controle e divulgação de ideias político-pedagógicas.




  1. JUSTIFICATIVA

A presente pesquisa busca refletir o contexto educacional gaúcho durante o período dos governos militares o relacionando com o discurso político-pedagógico veiculado na Revista do Ensino destinada ao magistério local. Assim, parto da compreensão que a imprensa pedagógica fornece perspectivas para a análise e compreensão da história da educação possibilitando realizar estudos interdisciplinares ao propor o diálogo entre as fontes factuais e documentais promovendo interlocuções entre a Educação, a História e as Ciências Sociais.

Deste modo, no presente estudo busco analisar na Revista do Ensino as relações políticas e educacionais estabelecidas nas páginas do material pedagógico, citado, destinado aos professores, bem como analisar os discursos mantenedores do poder estabelecidos no projeto educacional dos governos militares o relacionando com a imprensa pedagógica.


  1. ETAPAS PREVISTAS




  1. Leitura e análise do material bibliográfico referentes aos governos militares e o seu projeto educacional no contexto gaúcho realizando os seus respectivos fichamentos.

  2. Realizar pesquisa referente ao referencial teórico para a construção da pesquisa documental.

  3. Analisar os conceitos de Estado Ditatorial e Poder, tendo como base para este último as obras de Michel de Foucault (“Arqueologia do Saber” e “Microfísica do Poder”).

  4. Realizar a pesquisa documental referente à segunda fase da “Revista do Ensino” coletando e analisando os dados pertinentes ao estudo.

  5. Estabelecer o diálogo das fontes da pesquisa.




  1. INSTRUMENTOS UTILIZADOS

Fichamentos de documentos e livros.


Modelo de Fichamento:



BASTOS, Maria Helena Camara. A Revista do Ensino do Rio Grande do Sul (1939-1942): o novo e o nacional em revista. Pelotas: Seiva, 2005. 381 p.

Pg. 26

“A imprensa periódica pedagógica é um instrumento de pesquisa que se apresenta como importante fonte de informação para a história da educação. Deve, como tal, submeter-se ao crivo de uma adequada crítica documental. As representações de vida escolar veiculadas pela imprensa pedagógica interessam, sobretudo, neste estudo pelo que indicavam em termos dos projetos de intervenção nela articulados. Prescrevendo determinadas práticas de conduta, construindo e elaborando representações do social”.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979. 295 p.

Pg. 209

Michel de Foucault coloca que as mudanças econômicas do século XVIII fizeram tornar necessário circular os efeitos do poder por canais cada vez mais sutis chegando ao indivíduo, ao corpo, aos gestos, assim o poder tornou-se cada vez mais eficaz ao gerir homens.

Obra

Pg.

Citação (literal ou paráfrase).




  1. REVISÃO DE LITERATURA

No decorrer da pesquisa percebeu-se que os impressos, as revistas e os periódicos direcionados para o magistério constituem fontes importantes e privilegiadas do campo de pesquisa em História da Educação, visto serem uma das formas de compreender modos de funcionamento da cultura escolar, modos de ser professor e aluno ligados a determinados contextos históricos, culturais, políticos.

Assim, busco em Maria Helena Bastos e Denise Barbara Catani respaldo teórico e metodológico para a pesquisa sobre a imprensa periódica pedagógica, visto que para ela a imprensa pedagógica regula as práticas escolares e os modos de funcionamento do campo educacional. Ainda, Catani coloca, juntamente, com Cynthia Pereira de Sousa que o trabalho com a imprensa periódica educacional pode ser norteado por duas diretrizes.

A primeira refere-se ao estabelecimento de repertórios, “destinados a informar sobre o conteúdo dos periódicos, classificando-os, registrando seu ciclo de vida, predominância ou recorrências temáticas e informações sobre produtores, colaboradores e leitores”. A outra diretriz refere-se ao estudo específico do periódico e sua produção, que possibilita a reconstrução dos “estágios de funcionamento e estruturação do campo educacional, (...) e o conjunto de prescrições ou recomendações sobre formas ideais de realizar o trabalho docente”, esta última que irá nortear minha análise da Revista de Ensino em relação aos modos de ser professor veiculados em suas páginas.

Adotando como eixo teórico e metodológico as contribuições dos autores da História Nova busco, também, em Roger Chartier suas contribuições para a pesquisa em História Cultural partindo da compreensão de que a educação dialoga com a cultura de cada sociedade e tempo. Assim, Chartier coloca que é importante identificar o modo como em diferentes lugares e momentos uma realidade social é construída, pensada, dada a ler. Em Chartier, a História Cultural deve ser entendida como o estudo dos processos com os quais se constrói um sentido, uma vez que as representações podem ser pensadas como esquemas intelectuais, que criam figuras graças às quais o presente pode adquirir sentido.

Em Michael de Foucault busco a compreensão teórica referente aos mecanismos de poder, visto que para o teórico as sociedades modernas criaram novas formas de controle dos indivíduos abrangendo formas de pensar, sentir, organizar. Ainda, o teórico coloca que para a compreensão do poder é importante entendê-lo como prática social historicamente construída tendo muitas formas de exercício na sociedade, inclusive, na educação. Assim busco em minha pesquisa compreender os efeitos do poder no campo educacional e mais, especificamente, nos materiais da imprensa pedagógica.




  1. ESTADO DA ARTE




AUTOR

TÍTULO

ANO

RELAÇÃO COM A PESQUISA

Maria Helena Camara Bastos

A Revista do Ensino do Rio Grande do Sul (1939-1942): o novo e o nacional em Revista.

2005

A autora analisa em sua tese de doutorado o projeto educacional nacionalista elaborado pelo Estado Novo, a proposta político pedagógica da renovação educacional gaúcha e as interlocuções com a Revista do Ensino nos anos de 1939-1942 enfatizando que a revista funcionou como dispositivo de organização do sistema escolar, de modelização das práticas pedagógicas. Em minha pesquisa, o estudo de Maria Helena torna-se essencial, visto que a autora realiza uma análise profunda da primeira fase da revista.

Maria Helena Camara Bastos

Elomar Tambara

Lúcio Kreutz

(organizadores)



Histórias e Memórias da Educação do Rio Grande do Sul

2002

O livro reúne estudos e pesquisas de diferentes universidades oferecendo um panorama geral sobre temas diversos da história da educação rio-grandense. Os estudos presentes na coletânea abarcam pesquisas sobre educação rural e imigrante, os cursos normais, a feminilização da profissão docente. Ainda, na coletânea Maria Helena Camara Bastos elabora um artigo sobre o estado da arte nas pesquisas de história da educação.

Analete Regina Schelbauer

José Claudinei Lombardi

Maria Cristina Gomes Machado

(organizadores)



Educação em debate: perspectivas, abordagens e historiografia.

2006

Os estudos reunidos no livro oferecem para minha pesquisa aporte metodológico referente à pesquisa em história da educação utilizando a imprensa periódica pedagógica. O livro, além de trazer pesquisas sobre educação e imigração, possui artigos referentes aos métodos de pesquisa em educação utilizando documentos, bem com as atuais tendências nas pesquisas e suas perspectivas.

Denice Barbara Catani

Maria Helena Camara Bastos



Educação em Revista: a Imprensa Periódica e a História da Educação.

1997

O livro traz diferentes pesquisas sobre a formação de professores utilizando como objeto de pesquisa a imprensa periódica pedagógica.

Maria Helena Bastos escreve para o livro um artigo sobre a Revista do Ensino nos anos de 1951-1992, todavia centra sua analise nos editoriais da revista não especificando modos de ser professor e relações de poder, questionamentos que pretendo especificar em minha pesquisa.



René Gertz

(organizador)



República: da Revolução de 1930 à Ditadura Militar (1930-1985)

2007

O livro reúne pesquisas de diversos historiadores sobre o Rio Grande do Sul durante os anos de 1930-1985. Assim, fornece para minha pesquisa parte da contextualização necessária para entender os discursos presentes na Revista do Ensino do RS. Ainda, o livro possui um capítulo dedicado a educação primária como parte integrante do projeto estatal gaúcho.

Claudia Panizzolo Batista da Silva.

Doutoranda do Programa de Educação: História, Política, Sociedade da Pontifícia Universidade Católica de São

Paulo – PUC – SP


Imprensa Periódica Educacional: entre roteiros e compêndios; um estudo sobre a revista

Atualidades Pedagógicas (1950-1962).

S/data

Claudia Panizzolo em seu artigo realiza a pesquisa sobre a revista Atualidades Pedagógicas entre 1950-1962 fornecendo para minha pesquisa aporte metodológico para a realização de minha análise, pois na introdução de seu artigo expõe métodos para a pesquisa documental. O artigo oferece para mim boas referências de autores que poderei utilizar no decorrer de minha pesquisa.

Denice Barbara Catani

A imprensa periódica educacional: as revistas de ensino e o campo educacional.

1996

A artigo descreve e analisa as potencialidades das revistas especializadas em educação como fonte de estudo para a constituição do campo educacional na perspectiva histórica















  1. REFERÊNCIAS

BASTOS, Maria Helena Camara. A revista do Ensino do Rio Grande do Sul (1939-1942): o novo e o nacional em revista. Pelotas: Seiva, 2005.


____________; TAMBARA, Elomar; KREUTZ, Lúcio (orgs.). Histórias e Memórias da Educação do Rio Grande do Sul. Pelotas: Seiva, 2002.
CATANI, Denice Barbara; BASTOS, Maria Helena Camara. Educação em Revista: a imprensa periódica e a história da educação. São Paulo: Escrituras, 1997.
FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. São Paulo: Graal, 2007.
GERTZ, René (org.). Republica: da Revolução de 1930 à diatdura militar (1930-1985). Passo Fundo: Méritos, 2007. Volume 4.
SCHELBAUER, Analete Regina; LOMBARDI, José Claudinei; MACHADO, Cristina Gomes. Educação em Debate: perspectivas, abordagens e historiografia. Campinas: Autores Associados, 2006.



Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal