Projeto de pesquisa



Baixar 63.32 Kb.
Encontro19.07.2016
Tamanho63.32 Kb.
Centro de Educação a Distância Universidade Anhanguera - Uniderp

Curso de Pedagogia

6º Semestre


PROJETO DE PESQUISA


1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO
1.1 TÍTULOS DO PROJETO

A INFLUÊNCIA DA LITERATURA INFANTIL PARA O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA DOS ESTUDANTES DO 1º E 2º ANOS DO ENSINO FUNDAMENTAL


1.2 DADOS DO ACADÊMICO NOME/RA

ANA CLÁUDIA ROCHA ZARAMELLO - RA: 181444

CLAUDIA BERNARDO - RA: 173560
1.3 POLO:

IVINHEMA/MS


1.4 TIPOS DE PESQUISA:

(x) Bibliográfica

( ) Estudo de Caso

( x ) Exploratória

( ) Pesquisa-Ação

( ) Pesquisa Participante

( ) Outras Citar: ___________________________________
2 INTRODUÇÃO
A literatura infantil constitui-se num dos momentos mais ricos e significativos dentro das instituições de ensino, e não se entende uma proposta pedagógica que não inclua em seu currículo o contato das crianças com os maravilhosos livros da literatura infantil. Este é o tema que procuramos enfatizar a literatura infantil como elemento fundamental para o desenvolvimento da imaginação e fantasia.

A aproximação da criança com a Literatura Infantil é algo mágico e transformador, pois esta é um universo artístico incomensurável, capaz de levar os pequenos para um mundo mágico e fantástico, mas sem deixar de conectá-los com a realidade. As histórias proporcionam curiosidade, aguça a criatividade, o desejo pelo novo, pelos mistérios e fantasias... Todo este mundo deve ser apresentado à criança em pequenas doses, cuidadosamente para que estas percebam como a leitura pode lhes proporcionar prazer.

Quando possibilitamos às crianças um contato agradável com os livros infantis, estamos ampliando seu leque de idéias e conhecimento, fazendo fluir sua criatividade e promovendo a formulação de idéias próprias, estimulando a atenção, a observação, a memória, a reflexão e o desenvolvimento das linguagens.

A pesquisa que se pretende realizar tem por objetivo, verificar a contribuição da literatura infantil no desenvolvimento social, emocional e cognitivo da criança. Ao longo dos anos, a educação preocupa-se em contribuir para a formação de um indivíduo crítico, responsável e atuante na sociedade. Isso porque se vive em uma sociedade onde as trocas sociais acontecem rapidamente, seja através da leitura, da escrita, da linguagem oral ou visual

Atualmente a Literatura Infantil é tida como uma grande aliada do processo educacional e esta possuem uma infinidade de autores preocupados com o desenvolvimento infantil, sendo que os textos abordam temas que digam respeito à sociedade e ao nosso tempo, contribuindo para a formação de um leitor crítico e atuante que se identifica como um ser social transformador.

O referido projeto visa evidenciar a importância da contribuição da Literatura Infantil para o desenvolvimento da leitura nos anos iniciais do ensino fundamental, bem como compreender como o mundo literário participa de nossas vidas transvestido de diferentes formas.

Daremos ênfase à utilização da Literatura Infantil no trabalho pedagógico realizado dentro da sala de aula para a aquisição da linguagem oral da criança, expressão de ideias e críticas, bem como relacionamento em grupo.

É de fundamental importância que os educadores selecionem e busquem textos que possam contribuir para a formação de leitores, este processo não é fácil já que as crianças vivem múltiplas realidades numa mesma sociedade e a diversidade é latente no ambiente escolar, desta forma o olhar pedagógico ampliou-se e tornou-se um olhar de respeito às características individuais e um aprimoramento do trabalho docente.

Cabe ressaltar, a relevância que o tema tem para se pensar a construção de uma ação pedagógica mais qualitativa, fazendo da instituição escolar um lugar onde as crianças passam a vivenciar e apreciar suas diversas formas de criação e expressão, pois educar e aprender não cessam, são momentos fascinantes, infinitos e cheios de magia e prazer.


3 JUSTIFICATIVA
Muito se tem comentado sobre a importância da Literatura Infantil como um dos fundamentos da educação de crianças, porém sabemos que a literatura para crianças antes do século XVIII possuía um seleto público, pois somente as crianças das altas classes sociais possuíam o privilégio de conhecerem os clássicos da literatura; já as crianças das classes populares tomavam conhecimento desta apenas de forma oral, já que lhes era negado o direito de ler e escrever.

Durante muito tempo a criança foi vista apenas como um pequeno indivíduo, sendo a infância um simples período a ser ultrapassado para que a criança chegasse à vida adulta e se tornasse um ser produtivo. A Literatura para crianças e adultos era a mesma, pois estes universos não eram distinguidos por faixa etária ou etapa de amadurecimento psicológico, mas sim em função de classe social.



Na segunda metade do século XVIII, a sociedade passou por várias transformações e novos valores surgiram, bem como uma nova classe social: a burguesia. A sociedade tornou-se sedenta de novidades e no final do século XX uma infinidade de contos foram reeditados para crianças e estas passaram a ser vistas através de uma nova perspectiva. No Brasil, a Literatura Infantil só chegou no final do século XIX. A literatura oral prevaleceu até esse período com o misticismo e o folclore das culturas indígenas, africanas e européias.

Neste contexto, pode-se afirmar que durante muito tempo a infância foi sabotada, sendo vista apenas como uma etapa a ser rapidamente ultrapassada para que a criança se tornasse um adulto produtivo socialmente. Somente as crianças das altas classes sociais possuíam o direito da leitura e escrita, bem como da Literatura transmitida por seus preceptores. Atualmente a infância é uma das etapas mais importante e significativa do desenvolvimento humano.

Atualmente, é lei: todas as crianças na escola, independente de sua classe social, a escola recebe uma grande diversidade cultural. Segundo Gregorin Filho (2009, p 42),

A escola se torna um espaço de convergência de todas essas realidades, necessitando o professor de uma preparação cada vez mais sólida para o desenvolvimento do seu trabalho nessa sociedade em processo visível de metamorfose social, econômica e cultural.

Após a promulgação da Lei nº 9.394/96 que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, os textos produzidos para a infância trazem à preocupação de interagirem assuntos pertinentes a realidade em que vive. Desta forma a leitura proporciona a formação de um indivíduo atuante e participativo, capaz de interagir com a realidade que o rodeia.

A Literatura Infantil não possui objetivos meramente pedagógicos e não pode ser considerada apenas para despertar o gosto pela leitura, mas também proporcionar prazer. Durante muito tempo esta era apenas para adultos e hoje o universo infantil é algo infinito e maravilhoso.

A Literatura Infantil é capaz de levar ao mundo da fantasia, mais de forma a conectar a realidade vivida pela criança, fazendo-a refletir sobre o mundo que a cerca, pois Miguez (2009, p. 17) diz que “a leitura é um processo de percepção da realidade envolvendo, entre outros fatores, a visão do mundo do leitor”.

Pretendemos destacar a importância de a criança ser inserida no mundo literário, sendo este um importante colaborador para a formação de um indivíduo crítico e atuante, segundo os PCNs – Parâmetros Curriculares que traz os Temas Transversais, que abordam assuntos como ética, pluralidade cultural e diversidade, os textos trabalhados em sala de aula devem proporcionar para a criança e o jovem a discussão de assuntos pertinentes ao momento social, político e cultural nos nossos dias, tornando-os verdadeiros leitores e não meros decodificadores de códigos.

Segundo Miguez (2009, p.17) “a importância da literatura tanto para a conquista da leitura, quanto para o desenvolvimento do leitor em potencial”, assim percebemos o quanto esta expressão de arte pode contribuir para a formação de indivíduos críticos e atuantes.

Para Lobato (1964, p. 250), “quem começa pela menina da capinha vermelha pode acabar nos Diálogos de Platão, mas quem sofre na infância a ravage dos livros instrutivos e cívicos, não chega até lá nunca. Não adquire o amor da leitura”.

Já que o tema do referido projeto é importante e todos possuem tal consciência, talvez o projeto não fosse tão interessante ou até um tema cansativo e batido, mas não vemos de tal forma, pois apesar de se ter consciência de tais afirmações, muitos professores e pais não dão aos pequenos a oportunidade de conhecerem e fazerem parte do fabuloso mundo da Literatura Infantil, pois se fosse diferente não teríamos tantas reclamações quanto à falta de leitura e a grande dificuldade de se interpretar um texto e muitas vezes se tornando um jovem universitário que foge da leitura acadêmica e se torna um profissional por conveniência alienada da realidade que o cerca, sendo apenas aquele leitor de códigos.

O gosto pela Literatura inicia-se muito cedo, seja em casa ou na escola, mais se os pais e até alguns professores não são leitores como este “gosto” poderia ser despertado e incentivado nos pequenos?

Coelho (2000, p. 15) afirma que “é ao livro, à palavra escrita, que atribuímos à maior responsabilidade na formação da consciência de mundo das crianças e dos jovens”. Vivemos em uma sociedade super informatizada em que o livro se tornou um mero e simples objeto, sem atrativo, pois as tentações eletrônicas são muito mais atraentes aos olhos dos pequenos, desta forma devemos nos valer de artifícios que façam com que a literatura Infantil não seja esquecida pela escola, seja transmitida através da leitura e das histórias orais que tanto encantam as crianças e adultos.

A leitura deve ser apresentada a criança como algo longe de ser enfadonho e mecânico, esta deve ser dinâmica e contextualizada, fazendo com que, a criança, como leitor viva e sinta a história, pois como diz Clarice Lispector (2008, p. 224) “o melhor da história não está escrito, está nas entrelinhas do texto”, ou seja, está na mágica de ser um verdadeiro leitor que sabe ler e viver uma história.

Assim, a Literatura Infantil estimula vários sentidos: seu estilo singular pode mostrar a criança uma nova gramática da comunicação sem regras fixas unindo, dessa forma, o verbal, o imagético, e o sensorial. É partindo da premissa que a Literatura Infantil contribui diretamente para o desenvolvimento da leitura nos anos iniciais que se justifica a pesquisa que se pretende desenvolver.



4 PROBLEMA DA PESQUISA
Como a Literatura Infantil pode contribuir no Processo de Leitura dos Estudantes do 1º e 2º anos do Ensino Fundamental?

5 OBJETIVOS

5.1 Geral

O referido projeto visa evidenciar a importância da contribuição da Literatura Infantil para o desenvolvimento da leitura nas séries iniciais do ensino fundamental, bem como compreender como o mundo literário participa de nossas vidas transvestido de diferentes formas.



5.2 Específicos
• Evidenciar como a literatura infantil pode contribuir no desenvolvimento da leitura das crianças;

• Detectar aspectos relevantes que comprovem a importância da Literatura Infantil inserida nas séries iniciais do Ensino Fundamental;

• Apontar alternativas metodológicas para o desenvolvimento e incentivo da leitura

6 METODOLOGIA

O referido projeto de pesquisa implica no levantamento de dados metodológicos: realização de entrevistas com as crianças participantes do projeto, observando seus contatos com os livros infantis; pesquisa de campo, procurando analisar como o mundo literário é apresentado às crianças; análise dos dados coletados durante a pesquisa de campo relacionando-os com o estudo teórico, visando contribuir para a implantação da literatura infantil no processo pedagógico.

A partir da escolha do tema “A Influência da Literatura Infantil no desenvolvimento do processo de Leitura dos estudantes do 1º e 2º anos de Ensino Fundamental da Escola Estadual Senador Filinto Muller”. Será realizada uma pesquisa bibliográfica para conhecimento teórico do assunto e uma pesquisa de campo com os estudantes, para verificar como o mundo literário lhes é apresentado.

Ressalta-se que as fontes a serem utilizadas para a pesquisa bibliográficas serão livros e sites da internet.



7 CRONOGRMA



Ações/Etapas

Meses/Ano

Set/11

Out/11

Nov/11

Jan/12

Fev/12

Mar/12

Abr/12

Escolha do Tema

x



















Delimitação do Tema

x



















Pesquisa Bibliográfica

x

x
















Elaboração do Projeto







X













Pesquisa Bibliográfica

X

X

X

x

x







Pesquisa de Campo













x

x




Organização e Analise dos dados













x

x




Versão final do Artigo



















x

Apresentação do Artigo



















x

8 REFERENCIAS

BARBOSA, José Juvêncio. Alfabetização e Leitura _ São Paulo: Cortez, 2008_ (Coleção Magistério. Série formação do professor).


BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.
COELHO, Nelly Novaes. Literatura Infantil: teoria, análise, didática _ 1. Ed _ São Paulo: Moderna, 2000.
CHIAPPINI, Ligia. Aprender e ensinar com textos / coordenadora geral/ Ligia Chiappini._ 6. Ed. - São Paulo: Cortez, 2004.
GREGORIN FILHO, José Nicolau. Literatura infantil: múltiplas linguagens na formação de leitores _ São Paulo: Editora Melhoramentos, 1. Ed. 2009
LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, Regina, Literatura Infantil brasileira, São Paulo: Ed. Ática 2. Ed. 1985
SARAIVA Juracy Assmann. Literatura e alfabetização: do plano do choro ao plano da ação/ organizado por Juracy Assmann Saraiva. - Porto Alegre: Artmed, 2001.
MIGUEZ, Fátima. Nas arte-manhas do imaginário infantil: o lugar da literatura na sala de aula - Rio de Janeiro: Singular, 2009.
REGO, Lúcia Lins Browne. Literatura Infantil: uma nova perspectiva da alfabetização na pré-escola. _ 2. Ed. _ São Paulo: FTD, 1995.
SOLÉ, Isabel. Estratégias de leitura - trad. Cláudia Schilling - 6. Ed. - Porto Alegre: Artmed, 1998


ANEXO O1

Abaixo segue um grupo de oito perguntas feitas aos alunos, no entanto, vale lembrar que serão feitas algumas perguntas de caráter informal aos professores da unidade de ensino, essas perguntas não foram inclusas porque o objeto da pesquisa eram os alunos e não os professores.


1) Você costuma freqüentar a Biblioteca de sua escola?
2) Qual o tipo de livro você costuma ler?
3) Dos livrinhos que você mais gosta de ler, algum deles já foram lidos em sala de aula por sua professora?
4) Quais livros você lembra de ter lido?
5) Você gosta de ler livros ou histórias em quadrinhos? Por quê?
6) Alguém já leu histórias de livros pra você? Quem?
7) O que você mais gosta em um livro. As histórias ou as figuras?
8) Você se imagina nas histórias que lê?


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal