Projeto Nacional phpb-equipe Regional de São Paulo



Baixar 1.56 Mb.
Página16/18
Encontro18.07.2016
Tamanho1.56 Mb.
1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   18

[fól. 4v]

É o quanto posso informar a Vossa Excellencia

Deus Guarde a Vossa Excellencia

Illustrissimo Excellentissimo Senhor Doutor Henrique Joaõ Dodsworth

Mui Dignissimo Juiz de Direito da Comarca

O Promotor Publico interino

Nuno de Mello Vianna

Projeto Nacional PHPB-Equipe Regional de São Paulo

Século XIX - Documento oficial / Ofício

Edição: GARCIA, Rosicleide R.

1. Modalidade: Língua Escrita


2. Tipo de Texto: Ofício da Câmara Municipal ao Presidente da Província Senador Florêncio Carlos de Abreu e Silva
3. Assunto: Requerimento de verba para reparos na ponte.
4. Data do documento: 19 de abril de 1881.
5. Local de origem do documento: Capivari
6. Local de depósito do documento: Arquivo do Estado de São Paulo – São Paulo – CO0982, caixa 187, pasta 4, documento 58.
7. Identificação do autor: Câmara Municipal de Capivari
8. Número de palavras: 268
9. Informações Levantadas: Documento escrito em almaço com uma folha única, grossíssima, pautada, sem a presença de filigranas, medindo 220 mm de largura e 342 mm de altura. A caligrafia tem a característica de, ao final de cada “o” escrito, o escrivão puxava um traço que confunde-se com a grafia de um “s”. O fólio 1r tem 44 mm de margem esquerda, 83 mm na superior e 17 mm na inferior. O carimbo do arquivo está na parte inferior mediana do fólio, à esquerda do corpo do texto. Há a presença de intervenções de terceiros: a primeira no topo superior esquerdo da folha, escrito à tinta, lê-se:

Á repartiçaõ de Obras

Publicas para informar. Palacio

do Governo de Saõ Paulo, 22 de

Abril de 1881.

Florencio deAbreu

Logo acima dessa inscrição, há escrito bem fracamente à lápis:Á repartição de obras publi[ca] para informar. À lápis, na margem esquerda ao lado do corpo do texto, há:



Respondido 7-4-81

S4ac

E à tinta, no canto inferior esquerdo: n° 595. O 1v tem 48 mm de margem direita, 82 mm na superior e 20 mm na inferior, a partir da assinatura. Não há intervenções. Este documento se junta aos já editados sobre a construção e reparos na ponte, mas é importante notar que, dentre os sobrenomes relacionados na constituição da Câmara Municipal, pouca mudança houve desde os tempos de fundação até então.


10. Editor do documento: GARCIA, R. R. Para o estudo da formação e expansão do dialeto caipira em Capivari. 2009. 667 p. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa. Área de concentração: Filologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

[fól. 1r]

Illustrissimo Excellentissimo Senhor

A Camara Municipal de SJoaõ de

Capivary vem perante Vossa Excellencia reclamar

com urgencia, a quantia de R$ 1:500$000.

um conto e quinhentos mil réis de que

necessita para mandar proceder aos con –

certos da ponte sobre o rio Capivary,

junto d’Cidade. Aquella quantia

ja foi destinada o anno proximo pas –

sado para tal fim pelo Excellentissimo Senhor Con -

selheiro Laurindo Abelardo de Brito,

mas por falta de quem se encarregas

se dos serviços naõ s’o realizou. Hoje,

porem tendo sahido toda a grade de

um lado e ameaçando por isso perigos,

alêm d’outros desmanchos que já

tinha ella, torna-se urgentissima o

seo concerto. Ha cerca de dous mezes

aqui esteve os Engenheiros Doutor Euzebe

Stevaup, que juntamente com

o Prezidente da Camara procederam

á minunciozo exame na ponte,

e orçaram seo concerto n’aquella

quantia de R$ 1:500$000. Em bora

a Camara tenha reclamado Pos

10:000$000 d’Assembléa Provincial
[fól. 1v]

para reparos da Cadêa, e d’aquella

ponte, este naõ é motivo para

que naõ se nos dê ja a quantia

agóra pedida, fazendo-se em tem -

po de deduçaõ d’aquella pedida á

Assembléa Provincial. A Camara

pede, e espera que Vossa Excellencia dará as

necessarias providencias man

dando pôr a sua dispoziçaõ a

quantia exigida.

[espaço] Deus Guarde á Vossa Excellencia

Capivary 19 d’Abril de 1881.

Illustrissimo Excellentissimo Senhor Senador Florencio

Carlos de Abreu e Silva

Mui Dignissimo Presidente d’esta Provincia

Luiz Antonio deSouza Ferras

Pedro Antonio Ribeiro

Salvador de Toledo Piza

Joaõ Corrêa Leite de Moraes Junior

Jose Correa de Arruda

Manoel Ferras de Campos

Bernardino Jose de Barros

Manoel Anselmo de Souza.



Projeto Nacional PHPB-Equipe Regional de São Paulo

Século XIX - Documento oficial / Ofício

Edição: GARCIA, Rosicleide R.

1. Modalidade: Língua Escrita


2. Tipo de Texto: Ofício da Câmara Municipal ao Presidente da Província Francisco de Carvalho Soares Brandão
3. Assunto: Petição de sementes e instruções de plantio.
4. Data do documento: 13 de abril de 1882.
5. Local de origem do documento: Capivari
6. Local de depósito do documento: Arquivo do Estado de São Paulo – São Paulo – CO0982, caixa 187, pasta 4, documento 70.
7. Identificação do autor: Câmara Municipal de Capivari
8. Número de palavras: 782
9. Informações Levantadas: Caderno contendo: um documento autógrafo escrito em almaço de folhas duplas, sem a presença de filigranas, medindo 219 mm de largura e 343 mm de altura. O segundo caderno trata-se de um apógrafo escrito em almaço pautado comum sem filigranas, medindo 330 mm de altura e 216 mm de largura. A contagem de fólios será contínua. O fólio 1r tem 42 mm de margem esquerda, 85 mm na superior e 11 mm na inferior. O carimbo do arquivo está na parte mediana do fólio, à esquerda do corpo do texto. Há a presença duas intervenções de terceiros a lápis: uma no topo superior esquerdo escrito maço e a outra no lado esquerdo do texto, acima do carimbo, onde se lê:

Em 17-4-82

Alcance

O 1v possui exatamente as mesmas medidas do fólio anterior. Sem intervenções de terceiros ou reclames, dentre as palavras transcritas há a interessante aparição de calyssaia por “calísia”, que é uma designação comum às plantas do gênero Callisia, da família das commelináceas. O 2r tem 48 mm de margem esquerda, 82 mm na superior e 5 mm na inferior. As assinaturas dos presentes foram escritas com uma tinta de cor mais escura que a utilizada no documento. O 3r tem 42 mm de margem esquerda, 30 mm na superior e 19 mm na inferior. O carimbo está na parte mediana na margem esquerda ao lado do corpo do texto. Temos o reclame



Commercio e excesso de tinta no verbete concerne, provavelmente provocado para esconder um equívoco. O 3v tem 34 mm de margem direita, 55 mm na superior e 199 mm na inferior. No fólio de 1879, comenta-se sobre o uso do trabalho escravo, e o mesmo se percebe em 1882, devido às reclamações dos membros do Clube de Agricultura expressas no documento, de modo a concluirmos que a imigração estrangeira em Capivari se envolveu mais com o comércio, e não tanto com a agricultura. Ou seja, o documento em questão confirma parcialmente os relatos de Campos (1981, p. 149), afirmando que a partir de 1870 "(...) um operoso contingente de imigrantes italianos povoa a paisagem capivariana, luta nos cafezais e engenhos de açúcar, espalha-se pelo comércio, abre armazéns e restaurantes, (...) participa das associações religiosas da imprensa, do funcionalismo, da política, do magistério, das profissões liberais, dos transportes, das associações esportivas, literárias, recreativas e artísticas".
10. Editor do documento: GARCIA, R. R. Para o estudo da formação e expansão do dialeto caipira em Capivari. 2009. 667 p. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa. Área de concentração: Filologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

[fól. 1r]

Illustrissimo Excellentissimo Senhor

A Camara Municipal d’esta cidade reu

nida em sessaõ ordinaria, tem a honra

de responder a Circular de Vossa Excellencia, de

20 de Março proximo findo.

Nada pode dizer a camara a respeito

de plantas uteis, sementes e rezultado

obtido de suas plantaçoes por que nenhu =

ma semente ou planta lhe foi remetti

da para serem distribuidas no municipio

E como o Excellentissimo Senhor Ministro da Agricultu =

ra se mostra dezejoso de formentar propagaçaõ

de plantas uteis, aproveita esta camara a

opportunidade para rogar a Vossa Excellencia digne =

se fazer com que lhe sejam remettidas

sementes de café e mudas de cannas que

naõ existem no municipio, de modo a

poder-se reformar e melhorar sua cultura

pela troca de sementes e mudas, cuja

vantagem é encontestavel e demonstrada

pela que se dedicam aos estudos da agro =

nomia.

O municipio é requissimo de terras de



superior qualidade = roxa, massapés, ver =

melhas, barrentos, que daõ abundantemen =

te, todos os generos de cultura conhecidos
[fól. 1v]

na provincia, exportando já 1:800,000 kilos

de café commum e geralmente conhe =

cido, 1:125,000 kilos de assucar feitas, ain =

da pelos antigos e custozos processos, das

seguintes cannas = roxa, roza, branca e

canninha creoula.

Ora sendo assim, vê Vossa Excellencia que só pos =

suindo o municipio o café commum

e aquellas cannas, será de vantagem

para elle que algumas sementes de

café e mudas de canna aqui naõ

conhecidas lhe sejam remettidas.

Pedimos de preferencia sementes do

café bourbon, que naõ existe no mu =

nicipio e é considerado excellente.

Tambem pedimos sementes de quina

calyssaia cuja cultura alguns lavradores

dezejam iniciar aqui, e sementes de fu =

mo de Goiaz e Havana.

Aproveitamos a occasiaõ para, com este,

remetter copia de uma reprezentaçaõ

que, em igual sentido, foi dirigida

anteriormente ao Excellentissimo Ministro da

Agricultura pelo Club da lavoura

deste municipio.


[fól. 2r]

Agóra que a lavoura luta e se vê a bra =

ços com inumeras difficul[da]des rezultan =

tes da baixa inesperada dos preços do café,

da escassez de dinheiro, e da falta de

braços que se vai extinguindo, sem

a necessaria e gradual substituição,

é precizo, e esperamos dos Poderes Legis =

lativo e Executivo, nos venham medi =

das que, naõ podendo remover aque =

llas difficuldades, possam ao menos

diminuil-as para que o paiz proci =

ga sem abalo em sua evolução progre =

ssiva


[espaço] Deus guarde á Vossa Excellencia

Paço da Camara Municipal de Capivary

13 de Abril de 1882.

Illustrissimo Excellentissimo Senhor Conselheiro

Francisco de Carvalho Soares Brandaõ

Mui Dignissimo Prezidente d’esta provincia

Luiz Antonio DSouza Ferras

Joaõ Corrêa Leite de Moraes

Manoel Anselmo de Souza.

Bernardino Iose de Barros

Adolpho Martin Stein

Pedro Antonio Ribeiro

Manoel Ferras de Campos
[fól. 3r]

Cópia – Numero 8 - Illustrissimo Excellentissimo Senhor – O Club

de lavoura de Capivary, provincia de SPaulo, jus –

tamente compenetrado da situaçaõ cada vez maiz

afflictiva da primeira industria do paiz, prin –

cipalmente no que concerne aos principaes

ramos da agricultura, entre as quaes hoje se

vê o café em baixa continua que á todos, go –

vernantes e governados, deve inspirar a mais

triste impressaõ e os maiores cuidados no

intuito de removerem-se quanto possivel as

causas de taõ grande e estranha depreciaçaõ,

vêm pelo presente rogar á Vossa Excellencia que se digne

de remetter-lhe ou mandar remetter-lhe mu –

das e sementes de café e canna que naõ existaõ

no municipio e de modo á procurar-se pela

reforma da semente a reforma da agricultura,

como muito convêm, cumprindo, pois, aos abai –

xo assignados declarar que este municipio pro –

duz cerca de 100,000 arrobas do café commum

geralmente conhecido e adoptados no paiz e 70.000

arrobas de assucar das seguintes cannas: róza, ro –

xa, branca e creoula-canninha. – Aprovei –

taõ tambem os abaixo assignados a occasiaõ

para pedirem mudas ou sementes da quina

calyssaia, cujo plantio aqui, porêm, por

desconhecido depende de instrucçoes indispen –

saveis que igualmente solicitaõ. – S’Vossa Excellencia

effectuar as remessas pedidas o Club pagará

as despezas de conducçaõ, see Vossa Excellencia assim

determinar. – Os abaixo assignados preva –

lecem-se do ensejo para apresentarem á

Vossa Excellencia os protestos de alta estima e respeito

devidos á pessoa de Vossa Excellencia, a quem Deos Guarde. –

SJoaõ de Capivary, 1º de Novembro de 1881. –

Illustrissimo e Excellentissimo Senhor Conselheiro Ministro e Secretario

d’Estado dos Negocios da Agricultura, Com –

mercio
[fól. 3v]

Commercio e Obras publicas. – O presidente do

Club, Manoel Bernardino de Almeida Lima, -

Joaõ Baptista de Souza Ferraz, Secretario. – Uy -

guio Ferraz de Sampaio. – Delfino Antonio de Car –

valho. –


Está conforme. – Capivary,

9 de Abril de 1882.

O Secretario do Club

Joaõ Baptista deSouza Ferraz.



Projeto Nacional PHPB-Equipe Regional de São Paulo

Século XIX - Documento oficial / Ofício

Edição: GARCIA, Rosicleide R.

1. Modalidade: Língua Escrita


2. Tipo de Texto: Ofício da Câmara Municipal ao Presidente da Província Senador Francisco de Carvalho Soares Brandão
3. Assunto: Carta em resposta à circular sobre condições da agricultura e áreas verdes da região.
4. Data do documento: 04 de março de 1883.
5. Local de origem do documento: Capivari
6. Local de depósito do documento: Arquivo do Estado de São Paulo – São Paulo – CO0982, caixa 187, pasta 4, documento 78.
7. Identificação do autor: Câmara Municipal de Capivari
8. Número de palavras: 382
9. Informações Levantadas: Documento escrito em almaço pautado de folhas duplas, de textura grossa, de pautas azuis, sem a presença de filigranas, medindo 208 mm de largura e 271 mm de altura. O fólio 1r tem 49 mm de margem esquerda, 72 mm na superior e 12 mm na inferior. O carimbo do arquivo está na parte mediana do fólio, à esquerda do corpo do texto. Há a presença de três intervenções de terceiros, sendo uma escrita a lápis no canto superior esquerdo:

Capivary

4 de Março de 83

Abaixo, na margem esquerda, há:



Em 6-3-83

A4ac

e a outra a tinta no canto inferior também esquerdo com a inscrição 429 . O fólio 1v tem 17 mm de margem esquerda, 48 mm na direita, 18 mm na inferior e 43 mm na superior. O 2r tem 20 mm na margem esquerda, 64 mm na superior e 73 mm na inferior, e o carimbo do arquivo está ao lado esquerdo das assinaturas. Continuamos a observar através dos documentos a descrição de que por volta da década de 80 havia pouca presença de imigrantes na região de modo a auxiliar a agricultura. E com base no depoimento do fólio 1r, linha 19, onde diz que “(...) os gêneros alimentícios são consumidos no município”, confirmamos a afirmação de Cândido (1975, p. 36) de que "a sociedade caipira tradicional elaborou técnicas que permitiram estabilizar as relações do grupo com o meio, mediante o conhecimento satisfatório dos recursos naturais, a sua exploração sistemática com o mínimo vital – tudo relacionado a uma vida social de tipo fechado, com base na economia de subsistência".


10. Editor do documento: GARCIA, R. R. Para o estudo da formação e expansão do dialeto caipira em Capivari. 2009. 667 p. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa. Área de concentração: Filologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.
[fól. 1r]

Illustrissimo Excellentissimo Senhor

A Camara Municipal d’esta cidade dan –

do cumprimento aos determinados por Vossa Excellencia

em Circular de 16 de Fevereiro proximo pre

terito, vem prestar a informaçoes n’ella

exigidas:

O estado da agricultura deste municipio

é mais ou menos prospero, devido isto prin =

sipalmente a fertilidade admiravel das

terras que em sua maior parte saõ roxas

e de 1ª sorte, e ao espirito de iniciativa e

amor ao trabalho que destingue seus ha =

bitantes. Os prinsipaes rumos de cultu =

ra saõ – café, assucar, aguardente e ge =

neros alimenticios.

A produçaõ annual regula de café

1469:000 kilos, de assucar 1028:300 ki =

los, e de aguardente 8:000 cargueiros.

Os generos alimenticios saõ quase

todos consumidos no municipio, e só

algumas sobras dos ricos fazendeiros e

dos que fazem especial ramo de nego =

cios alguns pobres lavradores que é expor =

tado para outros municipios.

Naõ possue este municipio indus


[fól. 1v]

tria pastoril, serica e apicula, e jardins

botanicos, nem estabelecimentos ou

escolas agriculas, e seria muito van =

tajoso que possuisse uma escola agri =

cula pois que olugar muito se presta

a um nucleo de tal ordem.

Em concluzaõ diremos: que a la =

voura luta com a falta de braços que

se vai extinguindo vezivelmente e com

a falta de capitaes dados a juros

baixos e a longo prazo; pois que os

premios altos na prezente época

em que o prinsipal genero de nossa

exportaçaõ tem baixado consideravel

mente importa a ruina do lavrador.

Naõ pode-se remediar a falta de

braços por que naõ temos imigrantes,

e alguns braços que poderiaõ ser com

vantagem aproveitados na lavoura

naõ o saõ por naõ termos uma boa

lei de locaçaõ de serviços

Naõ pode o lavrador remediar a fal =

ta de dinheiro por naõ haverem

bancos em condicçoes favoraveis.

Saõ informacoes que esta

Camara pode dar em cumprimen =

to d’alludida Circular de Vossa Excellencia a quem


[fól. 2r]

[espaço] Deus guarde

Paço da Camara Municipal de Capi =

vary 4 de Março de 1883.

[espaço] Illustrissimo Excellentissimo Senhor

Senador Francisco de Carvalho Soares Bran

daõ

Mui Dignissimo Prezidente d’esta Provincia de SPaulo



Jose Rodrigues de Almeida Leite

Doutor Cesario Nazianzeno d’Azevedo Motta Magalhaes Junior

Antonio Jose de Souza

Antonio Marques d’Oliveira

André Teixeira Pintor Junior

Projeto Nacional PHPB-Equipe Regional de São Paulo

Século XIX - Documento oficial / Ofício

Edição: GARCIA, Rosicleide R.

1. Modalidade: Língua Escrita


2. Tipo de Texto: Ofício da Câmara Municipal ao Presidente da Província Baraõ de Guajará
3. Assunto: Informação sobre a construção do Colégio - apelidado de “Coleginho” - no Largo da Liberdade (hoje Praça Cesário Mota)..
4. Data do documento: 05 de fevereiro de 1884.
5. Local de origem do documento: Capivari
6. Local de depósito do documento: Arquivo do Estado de São Paulo – São Paulo – CO0982, caixa 187, pasta 4, documento 88.
7. Identificação do autor: Câmara Municipal de Capivari
8. Número de palavras: 1414
9. Informações Levantadas: Os fólios de 1r a 1v, 2r a 2v, e 3r a 4r foram escritos em almaços de folhas duplas (as últimas do 1r ao 2v não utilizadas), de texturas grossas, todas sem filigranas, com pautas cinzas, o primeiro medindo 341 mm de altura e 221 mm de largura, e o segundo e terceiro 342 mm de altura por 220 mm de largura. Os carimbos aparecem está na parte mediana superior do fólio 1r, 2r e 3r, à esquerda do corpo do texto. No 4r, ele está à esquerda do escatocolo, na parte mediana inferior. A única intervenção de terceiro está no canto esquerdo inferior do fólio 1r, o qual se lê: Lei sob n° 332. O fólio 5r foi escrito em almaço pautado, medindo 307 mm de altura e 215 mm de largura, esverdeado, com a filigrana no centro da folha, invertida, com a inscrição al masso. A margem esquerda tem 52 mm, a superior 47 mm e a inferior 121 mm. Na linha 7, em jun – há um traço arredondado à frente do J causado, possivelmente, por engano do autor, pois não representa nenhuma letra. Há nele um selo de papel, ao lado esquerdo da assinatura, com a figura do imperador ao centro circundada pelos escritos:

IMPERIO DO BRAZIL

200

REIS

*SELLO*

Também existem outras três intervenções, todas produzidas à tinta: uma da marcação do número do documento, Numero 6 outra sobre o selo de envio do ofício, na qual lemos:



Fazenda do Alto Retiro

25 dezembro de 1883

Lima

e a terceira refere-se à autenticação cartorial comprovando a validade do documento posta na parte inferior do fólio, após assinatura:



Reconheço Verdade a letra ascima

Sempre deque dou fé. Capivary

2 de Janeiro de 1884

Sam titulo de verdade

Tabeliam - Tabeliam

Vosso Tabeliam José Almeida Oliveira

D4

Segundo Campos (1981, p. 99), havia quatro escolas em Capivari: o internato e externato do professor Serafim José Horto e Melo - uma “excelente casa de ensino, o ‘Ateneu Capivariano’” (GRELLET, 1932, p. 59) - com 32 alunos matriculados e 20 frequentes; e as públicas do Professor Luiz G. de Campos Freitas, com 66 alunos matriculados e 30 frequentes, da Professora Fausta Isabel de Góis, com 62 matriculados e 38 frequentes, e da professora Maria do Carmo, que, segundo vemos neste documento (fólio 3v, linha 143) “naõ se deposita confiança alguma nas habilitaçoes da outra professora publica”, e, ainda conforme

Campos1 “na sua escola tudo ia mal, desfavorável a instrução, a ordem, o asseio e até a moralidade”. No caso da confusão descrita nos fólios a seguir, Campos informa (1981, p. 98) que (...) o Major enfurecido pleiteou e obteve a remoção de dona Fausta para Piracicaba, o que aconteceu em julho de 1884. A Câmara lavou as mãos da

embrulhada deixando ao Inspetor Escolar a solução da desagradável pendência. O caso foi então resolvido com a entrega do Coleginho ao Professor Freitas. Segundo Matos (2004, p. 30), o coleginho foi demolido na década de 1950.


10. Editor do documento: GARCIA, R. R. Para o estudo da formação e expansão do dialeto caipira em Capivari. 2009. 667 p. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa. Área de concentração: Filologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.
1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   18


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal