Projeto Nacional phpb-equipe Regional de São Paulo



Baixar 1.56 Mb.
Página6/18
Encontro18.07.2016
Tamanho1.56 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   18

[fól. 2v]

Direito, que deve ser religiozamente mantida

entre os proprietarios; depois da localidade

e mais circunstancias das estradas, de que pas

so a tratar fazendo vos ver os motivos que

tenho para dar toda apreferencia amais

antiga, porem em abandono de tracto,

é axamada Caminho particular –

A estrada, que actualmente eiziste deste

Municipio ao de Itu he aque vai passar o –

rio Capivarÿ pela ponte dos particula

res Antonio Pires, Alferes Estanislaõ, eou

tros quando se derigem de seus sitios aVilla

de Jtú sem pasar por esta Villa. O Cami –

nho antrior, e velha estrada foi sempre

a seguida desde Araraquara Constitui

çaõ os moradores desta a Jtu, e desta a

outras, axamada da Forquilha, porem

Como aponte no rio Capivarÿ ficava –

a baixo deste logar, em que se veio a Eregir –

Capella, Freguezia depois Villa os Ca

minhantes procuravaõ nesta o pouzo on

de axavaõ recursos de vendar postos –

et cetera e no dia seguinte uns voltavaõ a

buscar aponte, e a maior parte naõ que

rendo voltar seguiaõ o caminho dos

habitantes de rio a cima epassavaõ pela

ponte do Pires, ou Ferrás, que conservavaõ

o dito Caminho para Itu muito frequente.

Por tanto é por que o penherinho na estra

da da Forquilha naquelle tempo se con

servava em mata Com muitos caldeiroSs,
[fól. 3r]

Caldeiroes, o que agora ja esta em Capoiens, eos

Caldeiroes enxutos, e eistinctos, apouco e

pouco se frequentou mais a atravesia,

que vae ter ao Caminho de Pires, e outros –

para Jtu por elle passaõ aponte particular,

e seguem por esta mudança senhores tra

tando Como enunciei aó prencipio, da

igoaldade de Dereito, devido aos propri –

etarios todos, vemos os Canaviaes de An

tonio Ferrás de Arruda, e de seu genrro, -

Ponpéo, e de Bento Dias Paxeco genrro, e

e filhos arrazados dos tropeiros, das bestas,

do gado vacum, porcos, que todos os dias –

tranzitaõ pelo meio dos mesmos, sepor ven

tura algum attaque sepode oppor a as –

diferentes gados, a distruiçaõ pela gente

hé sem cura. Quanto a localidade

a quem do rio passa um pequeno terreno –

de terra roxa, endigna para a servidaõ

de Caminhos no tempo da agoas, e alem

tem siguramente 200 = a 300 braças do mesmo,

muito ingreme, quazi intranzitavel, quanto

a ecconomia nas dispezas das rendas

Publicas salta aos olhos como a mais que

fica dito porisso que vem a serem endis

pensaveis duas pontes no Capivarÿ fei

tas pelos dinheiros publicos, quando pela

Forquilha serve a da estrada a Porto

Felis: o terreno he todo de lavouras Com


[fól. 3v]

Com o pouzo só da samambaia sem

agua da, a distancia hé igoal e se há

algua diferença, he muito pequena; o terre

no da forquilha he quaze todo arenozo,

plano, tem campos, agoadas, epoizos

Com moradores des de legoa emeia com

todos os Commodos naõ passa hum

só Canaveal, enem passara ja mais –

por que o terreno hé impropio para esta lavou –

ra, passando pelas pontas das terras

de senhores lavradores, Como passa, ficaõ estes

livres dos veixames nas lavoiras, epastos

feixados. Voltando hum pouco a

respeito da ecconomia, de que tam bem Vossas

Senhorias saõ emteressados, aCaba a Collectoria

de receber Ordem de 460$000 = para reidefica

saõ daquela ponte de Pires, e Ferrás, para

servir de estrada a Jtu senhores a quem deixara

depezar semente dispeza, ou disperdicio na no –

ssa Villa nascente sem Templo, sem

Cadéa, sem estradas; e Caminhos indes –

pençaveis nas quais objêctos sepodera –

bem aplicar esta, e outras quantias; nin

guem deixava de semtir pois que aque

la ponte eiziste feita e conservada pelos –

particulares de 30 – a 40 arrobas muito antes disto

ser Capela, e si pela mesma ponte da estra

da a Porto filis Com amesma distancia,

melhor solo, e sem prejuizo dos lavra

dores assim nas lavouras Como nos -
[fól. 4r]

Nos pastos, melhores Comodos aos que

veajaõ sevae Com a estrada a Jtu,

naõ sei mesmo atinar Com a razaõ

que motiva opor se a renda publica

com o onus de duas pontes no mesmo

rio em lugar de huma só, fas passar

uma estrada entre lavoiras, poden –

do passar entre Cattanduvas, e Campos,

por terreno esCabrozo, e escorregadio, des

prezando o plano, efirme. Quanto –

venho de eisporvar hé vezivel, e palpa

vel, e do vosso proprio Conhecimento, e saõ

os motivos, que me obrigaõ rogar a Vossas Senhorias

se dignem levar ao Conhecimento do Excellentissimo

Senhor Prezidente da Provincia para discidirem

sua sabedoria o nosso bem a cerca do

exposto. Deos Guarde a Vossas Senhorias Capivarÿ

7 de Setembro de 1841

Illustrissimo Senhores da Camara Municipal

Joaquim de Almeida Salez

agente daColectoria



Projeto Nacional PHPB-Equipe Regional de São Paulo

Século XIX - Documento oficial / Ofício

Edição: GARCIA, Rosicleide R.
1. Modalidade: Língua Escrita
2. Tipo de Texto: Ofício da Câmara Municipal ao Presidente da Província Miguel de Souza Melo e Alvim
3. Assunto: Carta com pedido de orientação para o problema de alinhamento que envolve a Igreja Matriz e um terreno particular
4. Data do documento: 15 de janeiro de 1842.
5. Local de origem do documento: Vila de Capivari
6. Local de depósito do documento: Arquivo do Estado de São Paulo – São Paulo – CO0980, caixa 185, pasta 3, documento 60.
7. Identificação do autor: Câmara Municipal de Capivari
8. Número de palavras: 360
9. Informações Levantadas: Documento escrito em dois almaços de folhas duplas cujas últimas folhas não foram utilizadas. O primeiro fólio, propriamente o ofício, mede 273 mm de altura e 214 mm de largura. O segundo, com o mapa da localidade da igreja, mede 278 mm de altura e 218 mm de largura. As filigranas de ambos almaços estão no canto superior esquerdo, em alto relevo, cuja representação é a inscrição Canson feita em linha reta, com 8 estrelas de tamanhos diversos em cima do nome, dentro de uma elipse cujas bordas apresentam linhas retas seguidas. O fólio 1r tem 42 mm de margem esquerda, 63 mm na superior e 5 mm na inferior. Há o reclame comprada e, como intervenções, temos o carimbo do arquivo posto na base superior acima da mancha, e há a inscrição na margem esquerda feita à tinta (em cima da filigrana): Respondido a 22 de Janeiro de 1842. O 1v tem 41 mm na margem direita, 70 mm na superior e 10 mm na inferior. Não há intervenções. A letra deste ofício, embora asseada, tende a subir de linha durante a escrita, e a tinta utilizada transpassa o papel. O fólio 2r, que apresenta apenas o mapa, tem 15 mm de margem esquerda, 17 mm de margem direita, 35 mm na superior e 54 mm na inferior. O carimbo está na base inferior, abaixo do mapa. O documento estudado abaixo traz-nos conhecimento acerca do posicionamento da igreja. Na região, há a história de que a Matriz havia sido construída propositadamente fora do alinhamento direcionada à cidade de Itu (município de origem dos capivarianos) de forma a prestar-lhes uma homenagem

(GRELLET, 1932, p. 40, 41). Entretanto, verificamos através deste fólio que tal história é apenas uma bonita lenda de exaltação e admiração pelos seus criadores”, confirmando que a construção da matriz fora feita antes do arruamento e ficou na transversal devido aos túmulos dos escravos que estavam em sua lateral. (CAMPOS, 1981, p. 193).


10. Editor do documento: GARCIA, R. R. Para o estudo da formação e expansão do dialeto caipira em Capivari. 2009. 667 p. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa. Área de concentração: Filologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

[fól. 1r]

A Camara Municipal désta Villa, expoem aVossa Excellencia

huma duvida emque está arespeito dehum terreno que

fás parte do Pateo da Igreja Matriz damesma Excellentissimo Senhor

havendo alguns particulares construido ésta Igreja;

5 naõ procuraraõ coloca-la no corrér doPateo, ficando

ella retorsida. [espaço] Assim feita hum deles julgou

conveniente comprar huma parte de bom terreno par –

ticular, elargar para servidaõ Publica. O que conseguio,

emotivou, que aquelle que vendia essa parte fizesse

o feixo do restante, naõ em linha recta, más sim

partindo domesmo ponto, edivergindo secenta palmos

mais oumenos nofim, que hé oterreno comprado, elar

gado para fazer parte do Pateo conforme o Mappa

incluzo. [espaço] Havendo Proprietario do restante do

terreno vendido aoutro, este quis levantar cazas,

eexigio alinhamento conforme o artigo 13 das Postu –

ras que dis = Todo oque dentro da Povoaçaõ começar

qualquer obra ou reedificaçaõ semque proceda alinhamento

feito pelo arruador com a distancia do Fiscal paga –

ra amulta de dous mil reis = Eprosedendo-se o =

alinhamento para seguir em linha recta confor

me o artigo 14 das mesmas que dis = O Arruador que in

tortar oalinhamento será obrigado ademolir ao =

bra, eapo-la assim certa na linha direita que

élla devia seguir = cortou aparte comprada


[fól. 1v]

Comprada, elargada para oseguimento do Pateo. Ime =

diatamente aparecéo hum requerimento do particu =

lar que fés acompra domesmo terreno, eo destinou para es =

se fim, dizendo naõ convir no alinhamento por ter

dado oterreno ao Publico: aCamara deliberou que oFis =

cal fizesse o alinhamento demaneira que naõ preju

dicasse a Servidaõ Publica, ao que o Fiscal seopóz di =

zendo que estaria emopoziçaõ com o citado artigo das =

Posturas. [espaço] Portanto amesma Camara consulta aVossa Excellencia

sedeve defundir aparte do Pateo fazendo torcér oalinha

mento, ouconsentir o alinhamento cortando essa parte

eentrega-la aquem fór seo dono. Deos guarde a Vossa Excellencia muitos

annos Villa deCapivary emSessaõ de 15 de Ianeiro de

1842

Illustrissimo e Excellentissimo Senhor Baraõ de



Montealegre e Prezidente désta Provincia

Iozé Martins Bonilha Prezidente

Joaquim Manoel Menezes

Jozé de Toledo Piza

Francisco Dias Pacheco

Joaõ Leite Ferraz de Arruda


[fól. 2r]

[ao centro]: Pateo

Matriz

[à direita]: quintaõ



[a lápis]: pateo

Projeto Nacional PHPB-Equipe Regional de São Paulo

Século XIX - Documento oficial / Ofício



Edição: GARCIA, Rosicleide R.
1. Modalidade: Língua Escrita
2. Tipo de Texto: Ofício de Fernando Paes de Barros ao Presidente da Província José Carlos Pereira Almeida Torres
3. Assunto: Informação com reclamação do inspetor porque as estradas passarem por suas terras de maneira particularmente indevida.
4. Data do documento: 06 de abril de 1843.
5. Local de origem do documento: Capivari
6. Local de depósito do documento: Arquivo do Estado de São Paulo – São Paulo – CO0980, caixa 185, pasta 3, documento 93.
7. Identificação do autor: Fernando Paes de Barros / brasileiro / inspetor de estradas
8. Número de palavras: 3187
9. Informações Levantadas: Informação com reclamação do inspetor porque as estradas passarem por suas terras de maneira particularmente indevida. Documento escrito em almaços de folhas duplas, postas de forma encadernada (um dentro do outro), cujas últimas páginas ficaram em branco e serão consideradas como 7r e 7v, 8r e 8v simplesmente para facilitação do entendimento quando forem descritas as filigranas que constam nelas, mas não há os seus fac-símiles por não serem relevantes. As páginas dos fólios estão escurecidas na parte superior, provavelmente ocasionada pela ação da água, dificultando a leitura devido às letras estarem mais claras. Os fólios 1r, 1v, 8r e 8v medem 310 mm de altura e 215 mm de largura. A filigrana em marca d’água está na 8r, sendo um brasão com a águia coroada sobre a inscrição Gior Magnani, e na 1r há o al masso escrito também no centro das folhas. Os 2r, 2v, 7r e 7v medem 311 mm de altura e 215 mm de largura. As filigranas são apresentadas como nos fólios descritos anteriormente, sendo que o brasão está no 2r e al masso na 7r. O mesmo se repete com o 3r, 3v, 6r e 6v, com a filigrana do brasão na 6r e a inscrição única no 3v; o papel mede 317 mm de altura e 214 mm de largura. Os 4r, 4v, 5r e 5v medem 317 mm de altura e 215 mm de largura, também com as filigranas descritas apresentando-se no 5r o brasão e no 4r o al masso. O 6v difere-se por ser o último fólio escrito, sendo: 43 mm na margem direita, 4 mm na superior e 97 mm na inferior (excetuando as assinaturas). Não há intervenções de terceiros, apenas a codificação do arquivo apresentando-se no topo do fólio 1r, de forma retilínea, acima da saudação, diferindo dos outros documentos pesquisados. Os carimbos do arquivo estão sempre nos rectos, no lado esquerdo das manchas, colocados na parte de superior, um pouco acima do que seria o meio da página. Há reclames expressos, mas não em todos os fólios, aparecendo a partir do 3v. São eles: enca (3v), assigna (4r), em (4v), se (5r), con (5v) e não (6r). A história do documento dá continuidade às construções das estradas na vila, demonstrando os hábitos dos moradores e particularidades da política regional.
10. Editor do documento: GARCIA, R. R. Para o estudo da formação e expansão do dialeto caipira em Capivari. 2009. 667 p. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa. Área de concentração: Filologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.
[fól. 1r]

Illustrissimo e Excellentissimo Senhor Prezidente da Provincia

Accaba de ser ouvido pelo delegado da Policia

desta Villa de Saõ Joaõ de Capivari acerca da

pretençaõ de Camillo de Campos Almeida para

mudança da estrada desta para Jtú, em conse –

quencia do despacho de Vossa Excellencia, sebem que na

resposta que despede odito delegado do que fizesse

lugar ao conhecimento de Vossa Excellencia aque respondi toda

via como isto depende davontade delle, eque

talvez naõ faça julguei que em qualidade

de Jnspector de estradas deste Municipio devia

por mim interpor derectamente aVossa Excellencia meo

parecer embora eu seja interessado nesse

negocio, certo que Vossa Excellencia pezando tudo na balan

ça da imparcialidade faz nula justiça

conhecendo a franqueza deminha expoziçaõ

tomara huma deliberaçaõ que livre damais

leve sombra defavor aeste, ou aquelle, corte pelo

justo seja lezado quem for. [espaço] Peço venia

aVossa Excellencia para taobem expor os fundamentos, eas

cauzas de empenho pela mudança da estrada,

esebem que tenhaõ todo o cuidado em naõ of –

fender apessoa alguma todavia pode ser

que minhas expreçoens offendaõ, sem eu

querer, mas ha verdades que precizaõ ap

parecer, eVossa Excellencia as relevara.

[espaço] Vareadas tem sido

as opinioens a cerca damudança de estrada

destas para Jtú, os mesmos que sustentaõ, e

promovem apretendida por Camillo de

Campos tem apoiado outras: Com missoens

nomeadas em consequencia de Ordens do Excellentissimo Gover –

no da Provincia tem informado descordar de

maneira que aproporçaõ dos interecesses, edo

modo de encarar os objectos tem vareado

a questam; por cujo motivo desde a Prezidencia do

Excellentissimo Dezembargador Jozé Cezario de Miranda

Ribeiro por vezes adiversos outros Excellentissimo Prezidente

tem se suscitado cita mudança, equaze que

nada setem feito, ven mais que ninguem
[fól. 1v]

dezeja aultimaçaõ della, por que afallar com

franqueza ella tem sido a Arena, ehum

vehiculo de intriga, com que se pretende en –

comodar porem quizera que para sua ul –

tima decizaõ se empregassem os meios condes –

centes alivrar damenor suspeita de vexame

quer amim, quer aoutrem; por ser duro que

sendo todos filhos damesma Naçaõ por conten –

tar ahuns se oprima aoutras de Caixa da

Capa de interesse publico; esem em

outros tempos cuidado devia ter para esca -

par de semelhante escolha de administrar,

hoje mais que nunca he elle indespen –

çavel attento o abalo; porque acaba de

passar esta Provincia.

[espaço] Vossa Excellencia / creio eu / mais do

que ninguem esta compenetrado destas ver –

dades, epor isso com socego, e confiança

venho pelo prezente ante Vossa Excellencia espor aque ha

a respeito.

[espaço] Cinco saõ as veredas indegetadas pa –

ra aestrada: aprimeira apicada pretendida

por Camillo de Campos Almeida, asegunda

hua outra que eufis per aminha custa aver

sepodia arredar devece fazer tanto mal a

pretendida por Camillo de Campos: a 3.ª

aestrada antiga, que actualmente serve: a 4.ª

aestrada velha pelo bairro da Furquilha, ea 5.ª

huma outra pelo sitio novo de Luciano Dias Pa –

checo. [espaço] Acerca daprimeira em

1839 a Commissaõ nomeada para o exame

dice que ella era mais curta que aactual

mil quinhentas e cincoenta braças, offere –

cendo bom local com dependencias de alguas

pontes, e aterradas, evitando se aponte

no Capivari

[espaço] A cerca desta mesma vereda

hua outra Comissam no anno de 1840 infor –

mou que ella naõ apresentava boa sede para

estrada que os inconvenientes de terra

argiloza, evermelha notadas na estrada

velha appareciaõ nesta damesma forma,
[fól. 2r]

dependendo de tres pontes pequenas, ehua gran

de no ribeiraõ da Furquilha, quaze como

aque tem na estrada velha no Capevari

porisso que no lugar, por onde deve pas –

sar aestrada he baixo, espraiado, e vezinho

dabarra, que faz no Capevari, enas enxen –

tes sofre reprezo aturado, accrescendo aterras

e grandes cavas por motivos de barrocas,

e dous atterrados em lugares alagadiços, e

pantanozos em qual quer estaçaõ do anno.

A cerca da segunda, cuja picada fis abrir

quaze na mesma dericçaõ da outra porem

mais retirada demeo citio notaraõ se taõ

bem defeitos, necessidade de duas pontes no

Capevari, e concluiraõ que naõ servia por

que tinhã os mesmos defeitos daprimeira

sebem que mais curta que aactual.

Aestrada actual quaze toda passa per

terreno plano, proprio para estrada,

so em pequena extensaõ tem terras ar

gilozas, e hum morro, que naõ he grande

tanto que geadas pequenas, eordinarias of –

fendem as plantasoens. tem húm ranxo

para tropeiros, com aqual dispendeo

R$ 600$000 mais oumenos: aponte no Ca –

pevari sempre sera conservada pela

dependencia que della tem diversos Pro –

prietarios, que naõ podem ficar sem

aestrada actual por ser por onde exportaõ

seos generos; edemais presentemente que ella

esta aruinada ja oCofre Provincial fes

adispeza de R$ 500$000 preço porque foi

Majusta com Manoel de Saõ Paio Ferraz

a qual ja tendo feito xegar as madeiras todas

só espera aestaçaõ propria para afazer

todas estas despezas, e comodo do ranxo per –

dese sefor mudada aestrada, e ainda ficara

anececidade defazerse naõ só outras pontes,

cuja despeza excederaõ aque cefaz com

aponte no Capevari, como ranxo. Hé

verdade que prezentemente ha offerta defazer-se

todo o caminho projectado seu despeza
[fól. 2v]

dos Cofres publicos; porem como seraõ todas

essas Obras ~ empregarseaõ madeiras dura –

veis sera a obra feita com segurança

eregularidade e acceio ~ de certo que naõ;

pois que as madeiras nas vizinhanças

saõ ja importantes. Farseha demaneira

que breve tera necessidade dereparos acusta

dos dinheiros publicos; e então adispeza

com 3 pontes; atterradas et cetera por certo que

muito excederaõ adespeza preciza para

aconservaçaõ da actual; com aqual segundo

minha lembrança só setem feito despeza com

aponte agora, e com oranxo; no entanto

que ella existe a 30 annos talves.

[espaço] A quarta vereda he antiga estrada

pela Furquilha, que Joaquim de Almeida

Sales no anno de 1841 lembrou a Camara

Municipal desta Villa pedindo que fizesse xe –

gar ao conhecimento de Excellentissimo Governo, eque

mostrou avantajem della ao publico, eao

particular, evetandose prejuizo demuitos

Proprietarios tanto com aestrada actual

como com apretendida por Camillo de

Campos Almeida, com effeito assim ao

Excellentissimo Governo informou a Camara Confir –

mando aque dezia Salvo mandandose me

informar com Jnspector afis taõ bem

Confirmando naõ obstante passarella

em grande parte por minhas terras;

porem o Excellentissimo Governo entendeo melhor

que se conservase a actual e ordenou-me

que continuou amandar fazer aponte

no Capivari, que ja entaõ estava contra

ctada oque fis.

[espaço] A quinta he hum novo ca –

minho aberto por Luciano Dias Pacheco

do seo Citio para esta Vila aqual sahe

pouco assima do ranxo da estrada actual,

ehe mais curto que aestrada actual;

se por elle epela ponte que Bento Dias

tem no seo Citio seguise direito asahir

na estrada este caminho apenas aberto
[fól. 3r]

Começam aser frequentado logo os propi

etarios temendo que da continuaçaõ

apparesecem pretençoens de seper ali aes –

trada impediraõ otranzito com hum

portaõ fexado.

[espaço] Aestrada pela picada

intentada per Camillo de Campos Almeida

corta opasto egramado de meo Citio; fi

cando eu privado de facilmente servirem delle,

equando oqueira tenho necessidade defazer

valor de ambos os lados depretendida estrada

afim de escapar do damno, que fazem os

passageiros; accrescendo ograu encomodo

denaõ ter aporta os Animaes precizos para

otrabalho: taõ bem aruina completamente

o citio daherença de Dona Andreza Paxeco

de Arruda, que fica tacado pelo meio, cor –

tando canaveaes terras lavradias, esequi –

zerem acautelar se dos passageiros teraõ

defazer pelo menos duas mil braças de valor,

alem de ficcarem privados dos carretos na –

turaes teraõ deprocurar os lugares de pas -

sagem nos vales conservando porteiras nas

estradas. [espaço] Ariqueza publica quaze

sempre he proveniente dariqueza dos par –

ticulares: deteriorarse huma, earuinar se ou –

tra propriedade, que produzem tanto

principalmente aminha que por vezes tem

produzido sete mil arrobas sem que esteja

atadas as luzes patente a necessidade

publica he sem duvida húm passo injusto.

[espaço] Excellentissimo Senhor, eu reconheço que os in –

teresses particulares naõ devem ser at

tendidos quando saõ oppostos os publicos,

eque hua estrada pelo melhor, emais curto

deve ser objecto degraude utelidade publica,

equando isto sedemostrar eu naõ me op –

porei; porem quando isto naõ esteja levado

aevidencia clamarei ainda que nada

obtenha. Eu tenho requerido omeio que

unicamente pode demostrar amelhor, e mais

curta estrada: tudo quanto tenho dito he

1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   18


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal