Projeto Nacional phpb-equipe Regional de São Paulo



Baixar 1.56 Mb.
Página9/18
Encontro18.07.2016
Tamanho1.56 Mb.
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   18

[fól. 1r]

Illustrissimo e Excellentissimo Senhor

A Camara Municipal da Villa de Capivary transmitte

a Vossa Excellencia o artigo de postura incluzo para ser approvado interina

mente dignando-se Vossa Excellencia remetter á Assembleia Legislativa para appro

var Deos Guarde a Vossa Excellencia Capivary 18 de Outubro 1851

Illustrissimo Excellentissimo Senhor Doutor José Thomaz Nabuco

de Araujo Presidente da Provincia de SPaulo

Manoel Ferras deSampayo Vice Presidente

José Custodio d’Assumpçaõ

Fernando Paes de Barros Iunior

André de Mello Almada

Francisco Ferras deCampos

Fernando de Almeida Leme


[fól. 2r]

Posturas da Camara Municipal da Villa deCapivary

Artigo unico. Ficaõ prohibidos os interramentos de

Cadavres nos Cemiterios particulares, que ex

istem dentro do Municipio, devendo ser

ointerramento, detaes Cadavres no Cemite =

rio Publico nésta Villa. Os contraventores

seraõ punidos com apena de desobediencia

segundo oCodigo penal eseraõ multados em

20$ reis eo duplo nas reencidencias.

Passo da Camara Municipal ema Villa de

Capivary aos 18 de Outubro de 1851

Manoel Ferras deSampaio Vice Presidente

Francisco Ferras deCampos

Fernando de Almeida Leme

Fernando Paes de Barros Iunior

André de Mello Almada

Jozé Custodio d’Assumpçaõ



Projeto Nacional PHPB-Equipe Regional de São Paulo

Século XIX - Documento oficial / Ofício

Edição: GARCIA, Rosicleide R.
1. Modalidade: Língua Escrita
2. Tipo de Texto: Ofício da Câmara Municipal ao Presidente da Província José Thomas de Araújo
3. Assunto: Requerimento de verbas para construção de novas estradas, escola e cadeia para o município.
4. Data do documento: 13 de março de 1852.
5. Local de origem do documento: Capivari
6. Local de depósito do documento: Arquivo do Estado de São Paulo – São Paulo – CO0981, caixa 186, pasta 2, documento 7.
7. Identificação do autor: Câmara Municipal de Capivari
8. Número de palavras: 516
9. Informações Levantadas: Documento escrito em almaço de folhas duplas, finas, de modo que quando o caderno está fechado, é possível ver no 1r a despedida do 2r. A filigrana está no canto esquerdo do fólio, oval, em alto relevo, com a interna inscrição Bath. O papel mede 267 mm de altura e 214 mm de largura. O fólio 1r tem 55 mm de margem esquerda, 45 mm de superior e 5 mm na inferior. Nele há duas intervenções externas: uma de lápis de cor azul registrando a data do documento abaixo da saudação (a codificação do arquivo está sobre o inscrito), e outra feita a lápis comum, um pouco à frente do registro a lápis colorido, escrito somente Municipio. O carimbo apresenta-se no topo da folha, entre o corpo do texto e a saudação. O 1v mede 55 mm de margem direita, 48 mm de margem superior e 5 mm na inferior. Não há intervenções. Em ambos, 1r e 1v, há os reclames: nesseci e calculada em, respectivamente. O 2r mede 58 mm de margem esquerda, 45 mm na superior e 30 mm na inferior. Ao lado das rubricas, na parte inferior, está o carimbo do arquivo. O documento relata a situação da cidade naquele período, descrevendo-a e deixando-nos um parecer da condição estrutural e da política da época.
10. Editor do documento: GARCIA, R. R. Para o estudo da formação e expansão do dialeto caipira em Capivari. 2009. 667 p. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa. Área de concentração: Filologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.
[fól. 1r]

Illustrissimo e Excellentissimo Senhor

ACamara Municipal daVilla d’Capi =

vary em solluçaõ a circular deVossa Excellencia dacta =

dada em 28 de Fevereiro do proximo passado, tem a responder

oseguinte = As Estradas deste Munici =

pio, são: uma dirije=se para Santos, por

Ittu, cujos melhoramentes ja foraõ propos =

tos a Vossa Excellencia em officio de 5 de Janeiro prete

rito; outra para aVilla de Porto feliz,

outra para Pirapora, outra para aVilla

da Constituicaõ: aestrada dabarreira de =

Cubataõ tem por Inspector Iozé Correa

daSilva, oqual cumpre oseo dever quando

seacha munido dedinheiro, eauthoriza

çaõ; adePirapora acha=se sem Ins =

pector oque ja communicou=se aVossa Excellencia

em Officio de 16 de Ianeiro proximo passado; bem como ome =

lhoramento Conveniente desta: Oestado

d’ellas é pessimo, dependendo demuitos

melhoramentos, mormente oque atravessa

esta Villa vindo daVilla daConstituiçaõ,

direjindo-se a de Porto feliz eSorocaba, a

qual amuitos annos nao tem recebido

reparo sufficiente. Este Municipio

tem tres pontes, que daõ servidaõ, uma

d’ellas preciza de reparo; para cujo

fim preciza-se da quantia de 30$ reis

tem tão bem um rancho Nacional,

que serve de abrigo aos Tropeiros, esea =

cha bastante detriorado, para Cujos

reparos Calcula-se gastar-se nella

a quantia de Cem mil reis / 100$000 / es

ta nessessidade é tam urgente naõ só

pella utilidade que vai dar como para

prevenir=se melhor prejuizo que ame

assa. Este Municipio tem nesceci
[fól. 1v]

Nescecidade de uma estrada de Commu

nicaçaõ d’esta Villa para a Freguezia d’A –

gua Choca para assim gozar naõ só d’esta

communicaçaõ como tam bem servir-se

doque d’ahi segue para aCapital, ea Cidade

de Campinas, oque athe opresente os que

querem sedirigir para as pontes mencio =

nadas servem-se de atravessias parti =

culares, onde muitas vezes saõ negados,

epor outros trancados ditos atravessias, dan =

do-se por isso grandes voltas, oque esta

Camara ja por muitas vezes tem leva

do ao Conhecimento dos Excellentissimos antecessores

de Vossa Excellencia. Hé de urgente necessidade

que secrie nesta Villa uma Cadeira de

gramatica Latina para instrucçaõ da =

Mocidade, pois que ao Contrario mui =

to peza sobre os Paes de familia man =

dar para fora, deixando por isso muitos

degozarem desta precioza educacçaõ.

[espaço] Este Municipio Naõ tem Cadeya

servindo-se de pena casa dealuguel, sen

do necessario quatro Contos de reis para

factura de uma Cadeya.

[espaço] Aexportaçaõ é Calculada em

116 a 120$ reis arrobas deassucar para

mais, tendo 72 Engenhos, algums

dos quaes plantaõ Café Cuja ex =

portaçaõ é calculada em 10$ arrobas.

Há 12 Fabricantes de Chá neste Mu =

nicipio cuja exportaçaõ é calcula

dada em 400 arrobas para mais

Cujos nomes Constaõ dalista nominal

inclusa. [espaço] Apopulaçaõ deste

Municipio é Calculada em


[fól. 2r]

Calculada em cinco mil etantas al =

mas, eentre as quaes seis Lazaros.

Deos Guarde aVossa Excellencia muitos annos. Capi =

vary em sessaõ extraordinaria de 13 de =

Março de 1852.

Illustrissimo e Excellentissimo Senhor Doutor Iozé Thomas

de Araujo Prezidente desta Provincia

Iozé d’Arruda Leite Penteado Prezidente

Fernando de Almeida Leme

Fernando Paes de Barros

Francisco Ferras de Campos

Manoel Ferras deSampayõ

Projeto Nacional PHPB-Equipe Regional de São Paulo

Século XIX - Documento oficial / Ofício

Edição: GARCIA, Rosicleide R.
1. Modalidade: Língua Escrita
2. Tipo de Texto: Ofício de João da Cruz Leite ao Presidente da Província Josino do Nascimento Silva
3. Assunto: Informação da quantidade de negros livres na região.
4. Data do documento: 6 de junho de 1853.
5. Local de origem do documento: Vila de Capivari
6. Local de depósito do documento: Arquivo do Estado de São Paulo – São Paulo – CO0981, caixa 186, pasta 2, documento 38.
7. Identificação do autor: João da Cruz Leite / brasileiro / Juiz Municipal suplente
8. Número de palavras: 102
9. Informações Levantadas: Documento feito em almaço de folhas duplas azuladas com somente a primeira página utilizada, de medidas 269 mm de altura por 210 mm de largura, apresentando uma pequena filigrana no canto esquerdo superior sob a inscrição Geneville. O fólio 1r tem 52 mm de margem esquerda, 80 mm de margem superior e 13 mm na inferior. Há uma única intervenção feita a lápis comum ao lado do filigrana, à margem superior esquerda, escrito Archivo. O carimbo está na parte inferior do fólio, entre a despedida e a rubrica. Segundo Campos (1982, p. 199), os negros compunham a população de Capivari desde 1790, e a região com eles cresceu. Vê-se, porém, que neste período não há alforria de nenhum deles.
10. Editor do documento: GARCIA, R. R. Para o estudo da formação e expansão do dialeto caipira em Capivari. 2009. 667 p. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa. Área de concentração: Filologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Illustrissimo e Excellentissimo Senhor

Em soluçaõ aCircular de Vossa Excellencia de dacta

de 21 de Maio proximo passado que os dera me a

enviar do Juizo dos feitos da Fazenda

todos os papeis e Livros tendentes a –

Salarios de Africanos livres: a o –

que dou a responder a Vossa Excellencia que

nesta Villa naõ existem Africa –

nos livres, epor isso naõ consta

neste meo Juizo papeis alguns em

rellaçaõ asemelhante respeito

Deos guarde aVossa Excellencia por muitos annos

Capivary 6 de Junho de 1853.

Illustrissimo e Excellentissimo Senhor Prezidente desta Provincia

Josino do Nassimento Silva

Ioaõ da Cruz Leite

Juiz Municipal Supplente



Projeto Nacional PHPB-Equipe Regional de São Paulo

Século XIX - Documento oficial / Ofício

Edição: GARCIA, Rosicleide R.
1. Modalidade: Língua Escrita
2. Tipo de Texto: Ofício do coletor Tristão Ferreira do Prado ao Presidente da Província Josino do Nascimento Silva
3. Assunto: Carta de informe de envio de documentos.
4. Data do documento: 16 de junho de 1853.
5. Local de origem do documento: Vila de Capivari
6. Local de depósito do documento: Arquivo do Estado de São Paulo – São Paulo – CO0981, caixa 186, pasta 2, documento 39.
7. Identificação do autor: Tristão Ferreira do Prado / brasileiro / coletor
8. Número de palavras: 108
9. Informações Levantadas: Documento feito em almaço de folhas duplas, utilizada somente a primeira, cujo fólio mede 310 mm de altura e 208 mm de largura, e não apresenta filigranas. As margens medem 54 mm na esquerda, 68 mm na superior e 72 mm na inferior. Há duas intervenções em conjunto, de punhos diferentes, parecendo uma conversa interna, feitas a lápis e provavelmente realizadas no próprio período. Na primeira há a seguinte inscrição:

Ja veio? Sim –

1853 – 21 – 6

Na segunda, temos:



Entaõ Archive-se

1853 – 9 –7

O carimbo está na parte inferior do fólio, ao lado da rubrica.


10. Editor do documento: GARCIA, R. R. Para o estudo da formação e expansão do dialeto caipira em Capivari. 2009. 667 p. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa. Área de concentração: Filologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Illustrissimo e Excellentissimo Senhor

Participo a Vossa Excellencia que as duas relaçoes dos testa

mentos que foraõ por Vossa Excellencia exejidas verbalmente

e depois novamente exejidas e a Circular de

primeiro de Iunho eu ja as remetti logo no dia 27 de

Maio do corrente anno portanto julgo que ja

xegariaõ as maõs de Vossa Excellencia e se por a cazo leva

raõ algum descaminho com novo avizo eu

serei pronto em remetter outros. Deos Guarde a

Vossa Excellencia muitos annos Collectoria da Villa de Capi

vary 16 de Iunho de 1853.

Illustrissimo e Excellentissimo Senhor Prezidente

da Provincia de SPaulo.

O Collector

Tristaõ Ferreira do Prado

Projeto Nacional PHPB-Equipe Regional de São Paulo

Século XIX - Documento oficial / Ofício

Edição: GARCIA, Rosicleide R.
1. Modalidade: Língua Escrita
2. Tipo de Texto: Ofício de José Vaz de Arruda Amaral ao Presidente da Província José Antônio Saraiva
3. Assunto: Informe sobre o fabrico de chá.
4. Data do documento: 12 de outubro de 1854.
5. Local de origem do documento: Capivari
6. Local de depósito do documento: Arquivo do Estado de São Paulo – São Paulo – CO0981, caixa 186, pasta 2, documento 78
7. Identificação do autor: José Vaz de Arruda Amaral / brasileiro / agricultor
8. Número de palavras: 545
9. Informações Levantadas: Documento feito em almaço de folhas duplas pautada, azulada, utilizada somente as primeiras páginas, com a presença da filigrana em alto relevo canto esquerdo superior sob a inscrição Bath. O papel mede 275 mm de altura e 217 mm de largura e está amassado no canto direito inferior. A tinta utilizada neste manuscrito é azul. O fólio 1r possui 42 mm de margem esquerda, 80 mm na superior, e 16 mm na inferior. O carimbo está entre a saudação e o corpo do texto. Apresenta o reclame de que e não há outras intervenções de terceiros. O 1v mede 35 mm na margem direita, 28 mm na superior e 19 mm na inferior. Há duas curiosidades nestes fólios: a primeira trata-se do fabrico do chá, confirmando que no período os capivarianos produziam, além de cana-de-açúcar e o café, o chá. E a outra é a variante fonética, a hipértese, muito comum entre os habitantes da cidade.
10. Editor do documento: GARCIA, R. R. Para o estudo da formação e expansão do dialeto caipira em Capivari. 2009. 667 p. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa. Área de concentração: Filologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.


[fól. 1r]

Illustrissimo e Excellentissimo Senhor Prezidente da Provincia

Tenho a honra de aprezentar a Vossa Excellencia essas amostras de

chá, para que Vossa Excellencia digne=se fazel=as examinar, e se merecer alguma

attençaõ desejarei saber o que se vereficar do exame.

[espaço] Excellentissimo Senhor constando-me que de Porto feliz se

tem feito remeças de chá para o Rio, e obtido hua vantagem de 50 á

60 por cento sobre outros donde este fôra extrahido, só por que este fora pre -

parado por hum cidadaõ Joaõ Maurecio, o qual fazendo mÿsterio do

modo de preparal=o, tem se negado adeclarar o meio; bem como

naõ querido por menos de 4 contos de reis ver mandar preparar os que nesta

Villa se fabrica: deliberei a fazer algumas experiencias com o inten =

to de quando naõ imettasse, ao menos aproximasse áquele do dito Mauricio

e na primeira experencia uzei lançar hua oitava de Magnezia

alva em hua libra de cha já torrado, e quando estivesse quentes / digo quente

por que aquele donde hia fazer a experencia era do já guardado / e mexel-a

por 5 minutos no forno, o fogo lento, depois do que abanami=o, eficou o

chá = Fino = Numero 1° =, do qual sahio o mais grosso, que he do mesmo numero em cujos [car =

tuxos fis a competente nota, sendo de hum só numero 3 cartuxos, que saõ,

1 do naõ preparado, hum do preparado fino, e outro do preparado

grosso: reconheço que naõ o emittei máz que consegui melhorar a côr que

tinha, e como naõ emittei deixei=me de escrever ao dito Maurecio a res

peito, por que se o tivesse emittado naõ queria desvanecer qualquer plano tal –

bem justo d’aquele Cidadaõ, fazendo vulgarizar hua preparaçaõ do qual


[fól. 1v]

do qual se diz ella fôra o premeiro que a fez. [espaço] Excellentissimo Senhor naõ queren

do de forma alguma fazer damno áquele Maurecio, ou a qual quer outro que in =

tentado seja na quele mÿsterio, rogo á Vossa Excellencia que quanto ás minhas declaraçoes

explicando com que e como dei a côr no chá que fiquem de baixo de

segredo; por que pode que mesmo a vurgarizaçaõ do modo dito faça com que ou -

tros descubraõ, e assim façaõ falhar a pretençaõ do dito Maurecio:

eu mesmo me recordo de certo objectos do reino vejectal donde sepode

extrahir certo suco que talves faça chegar a mesma preparaçaõ áquela do dito

Maurecio, tal como do mesmo chá, da couve #; porem de nenhua sorte

vurgarizarei qual quer descoberta sem que ella seja aprovada por aqueles a quem com –

pete zelar dos nossos interesses #. No entanto se Vossa Excellencia entender

que naõ faço damno áquele cidadaõ ou a qual quer outro interessado, poderá

considerar como pedido o sobredito segredo condeccionalmente e a sua despo =

ziçaõ podendo naõ retel=o. Excellentissimo Senhor só confiado na sua

bondade, Patriotismo, e honradez, he que tomei a deliberaçaõ de por mim

mesmo derigir-me a Vossa Excellencia, sem que procurasse alguma pessôa que mais [aptamente

esta fizesse e se deregisse com mais claresa, a certo, e civilidade.

[espaço] Deos guarde a Vossa Excellencia por muitos annos Capiva =

rÿ 12 de Outubro de 1854

De Vossa Excellencia seu respei =

tador, obreiro, criado

Joaõ Váz d’Arruda Amaral

Projeto Nacional PHPB-Equipe Regional de São Paulo

Século XIX - Documento oficial / Ofício

Edição: GARCIA, Rosicleide R.
1. Modalidade: Língua Escrita
2. Tipo de Texto: Ofício de José Vaz de Arruda Amaral ao Presidente da Província
3. Assunto: Carta para envio de amostras sobre experiências com o fabrico do chá.
4. Data do documento: novembro de 1854.
5. Local de origem do documento: Capivari
6. Local de depósito do documento: Arquivo do Estado de São Paulo – São Paulo – CO0981, caixa 186, pasta 2, documento 88.
7. Identificação do autor: José Vaz de Arruda Amaral / brasileiro / agricultor
8. Número de palavras: 1129
9. Informações Levantadas: Documento feito em almaço de folhas duplas de textura fina, sem pautas, com uma filigrana em alto relevo no canto esquerdo superior, cuja figura é constituída por uma coroa arredondada circundada com folhas de louro, mas a inscrição está ilegível. A tinta utilizada também é azul, porém, mais clara que a dos fólios anteriores. O papel mede 271 mm de altura e 220 mm de largura. O fólio 1r possui 60 mm de margem esquerda, 81 mm na superior e 3 mm na inferior (contando com a rubrica). O carimbo está entre a saudação e o corpo do texto. Há duas intervenções de terceiros: uma à margem superior esquerda, registrada a lápis com a transcrição:

Remmeti-o copo d’ cha com metade da amostra do Excellentissimo Ministro do Imperio e respondendo a 6 remette a o Ministro

A segunda está à margem esquerda posta verticalmente, feita à tinta, onde lemos:



Por copia ao Excellentissimo Guarde Ministro do Imperio

a 1° de Dezembro de 1856

O fólio 1v tem 59 mm de margem direita, 80 mm na superior e 13 mm na inferior. Na palavra incomodamente há uma correção feita pelo escrivão, denunciada pelo excesso de tinta no papel. O 2r tem 60 mm de margem esquerda, 80 mm na superior e 13 mm na inferior. O carimbo está na parte superior direita, acima do texto. Durante a redação, o autor oscilou entre o uso de “vurganizar” e vulgarizar, e poial e “poiá”: um fogão rústico construído com pedras. O 2v possui 59 mm de margem direita, 80 na superior e 6 mm na inferior. Também se verifica uma correção: em proporcionar há correção do escrivão. Os documentos que seguem são em resposta à carta recebida em relação ao ofício anteriormente enviado.


10. Editor do documento: GARCIA, R. R. Para o estudo da formação e expansão do dialeto caipira em Capivari. 2009. 667 p. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa. Área de concentração: Filologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

[fól. 1r]

Illustrissimo e Excellentissimo Senhor Prezedente da Provencia

Tive a honra de receber de Vossa Excellencia resposta da minha carta de 12

do proximo passado, dezendo=me que remettera metade das amostras do

meu chá ao Excellentissimo Senhor Ministro do Imperio, o que muito agrade

ço à Vossa Excellencia , por que me fiz essa honra, e assim terá hua soluçaõ

este negocio pelos meios mais conforme a razaõ.

[espaço] Disse me n’aquela dita minha carta que naõ tinha emitta –

do a côr do chá de Joaõ Mauricio; porem que preceguindo em novas

experiencias esperava conseguir: agora porem tenho-á dizer á Vossa Excellencia

que nesse mesmo dia consegui: verificando que com a flor d’anil e

a sinza azul preparaõ os confeitos; naõ puz duvida fazer a

experiencia, lancando flor d’anil em quantidade de huns grãos

por libra e depois cerca de meia oitava de magnezia alva: a sinza azul

tambem dá a mesma côr porem depende de maior quantidade porem dispensa a ma –

gnezia; a flor d’anil sem a magnezia dá a côr esverdeada porem

novamente tenho a honra de remetter á Vossa Excellencia diversas amostras

sendo, hua que foi a flor d’anil na proporçaõ dita mas que a magnezia

foi algo tanto álem da proporçaõ dita: outra que he com ambas as coisas

como acima fica dito: outra que só levou flôr d’anil más pouco: ou

tra que foi em maior quantidade epor conseguinte mais esverdeado e ambas es –

tas naõ levaraõ magnezia. [espaço] Excellentissimo Senhor por mais que achem

[muitos porem

aqui bôa esta invençaõ, a mim naõ me parece assim; por que se tem que

aflor d’anil vá em diminuta quantidade, toda via me parece melhor só a

da primeira remessa, que vai só a magnezia, embora em maior quantidade

attendendo as suas naturezas

[espaço] (segue)

1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   18


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal