Pronunciamento proferido pelo deputado federal Guilherme Campos Junior, no dia 14 de agosto de 2009, na Câmara dos Deputados sobre o sesquicentenário da Igreja Presbiteriana do Brasil em solo pátrio



Baixar 14.62 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho14.62 Kb.

Pronunciamento em homenagem ao sesquicentenário da IPB proferido em 14/08/2009


GUILHERME CAMPOS JUNIOR
Partido: DEM - SP - Titular
Gabinete: 367 - Anexo: III  - Telefone:(61) 3215-5367 - Fax:(61) 3215-2367
E-mail: dep.guilhermecampos@camara.gov.br
Pronunciamento proferido pelo deputado federal Guilherme Campos Junior, no dia 14 de agosto de 2009, na Câmara dos Deputados sobre o sesquicentenário da Igreja Presbiteriana do Brasil em solo pátrio.

Senhor Presidente,

Senhoras e Senhores Deputados,
O ano de 2009 marca os 150 anos da presença da Igreja Presbiteriana do Brasil em terras brasileiras, por isso, venho a esta Tribuna me reportar sobre a belíssima história e relevante contribuição desta sesquicentenária Igreja para o desenvolvimento integral do povo brasileiro.
Permitam-me, Senhoras e Senhores Deputados, fazer aqui um breve relato sobre a Igreja Presbiteriana do Brasil:
As origens históricas do presbiterianismo remontam aos primórdios da Reforma Protestante do século XVI e tem em João Calvino (1509-1564), francês de Noyon, no nordeste da França, radicado na cidade de Genebra, na Suíça francesa, a partir de 1541, o seu mais importante fundador. Dada a importância desse reformador, um novo termo surgiu para designar os reformados: “calvinistas.”

Atualmente existem no Brasil várias denominações de origem reformada ou calvinista. A maior e mais antiga denominação reformada do país é a Igreja Presbiteriana do Brasil. Os primeiros calvinistas chegaram ao Brasil ainda no começo da nossa história. No dia 10 de março de 1557 um grupo de colonos e pastores reformados enviados pelo próprio João Calvino, na época da invasão francesa à baía da Guanabara, realizou o primeiro culto protestante do Brasil, e possivelmente do Novo Mundo. Essa primeira tentativa de introdução do calvinismo no Brasil não logrou êxito.

A segunda tentativa ocorreu em meados do século XVII, no nordeste brasileiro por vinte e quatro anos (1630-1654), por meio dos holandeses, sob a liderança do Conde João Maurício de Nassau. A igreja oficial da colônia era a Igreja Reformada da Holanda, que realizou uma grande obra pastoral e missionária. Ao longo dos anos foram criadas 22 igrejas e congregações, dois presbitérios (Pernambuco e Paraíba) e até mesmo um sínodo, o Sínodo do Brasil (1642-1646). Além da assistência aos colonos europeus, a igreja reformada fez um notável trabalho missionário com os indígenas. Com a expulsão dos holandeses, as igrejas nativas vieram a extinguir-se e por um século e meio desapareceram os vestígios do calvinismo no Brasil.

O protestantismo em geral e o presbiterianismo em particular puderam estabelecer-se definitivamente no Brasil somente após a chegada da família real, especialmente, após a assinatura do Tratado de Comércio e Navegação, firmado entre Portugal e Inglaterra, em 1810, que pela primeira vez em nossa história, concedeu liberdade religiosa aos imigrantes protestantes. Logo, muitos deles começaram a chegar de diversas regiões da Europa, entre eles reformados franceses, suíços e alemães. Em 1827, por iniciativa do cônsul da Prússia, foi fundada no Rio de Janeiro a Comunidade Protestante Alemã-Francesa, que congregava luteranos e calvinistas.

Durante várias décadas, o calvinismo ficou restrito às comunidades imigrantes, sem atingir os brasileiros.

Finalmente, o presbiterianismo foi implantado entre os brasileiros pelo Rev. Ashbel Green Simonton, que chegou ao Rio de Janeiro em 12 de agosto de 1859, aos 26 anos de idade.

Em abril de 1860, Simonton dirigiu o seu primeiro culto em português. Em janeiro de 1862, recebeu os primeiros conversos, sendo fundada a Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro. No breve período em que viveu no Brasil, Simonton, auxiliado por alguns colegas, fundou o primeiro periódico evangélico do país (Imprensa Evangélica, 1864), criou o Presbitério do Rio de Janeiro (1865) e organizou um seminário (1867). O Rev. Ashbel Simonton morreu vitimado pela febre amarela aos 34 anos, em 1867.

Nestes 150 anos em solo brasileiro, a IPB pautou a sua existência sobre os valores inegociáveis da Soberania de Deus, da absoluta autoridade e inerrância das Escrituras Sagradas. Assim sendo, sempre entendeu e entende que a sua missão é: Adorar a Deus em Espírito e em verdade; proclamar o evangelho todo para o homem todo e todos os homens; ensinar a Palavra com acurado zelo; amar verdadeiramente e servir altruísticamente.

A Igreja Presbiteriana do Brasil sempre teve e tem a consciência de Mordecai (personagem bíblico citado no livro de Ester), de sempre fazer o possível pelo bem estar e progresso do seu povo (Ester 10:3). Assim sendo, entende que faz parte de sua missão holística, lutar pelo desenvolvimento, bem-estar e pela prosperidade de todo o povo.

Em todos os seus 150 anos, a Igreja Presbiteriana sempre esteve presente nos mais diversos momentos históricos de nossa amada nação, contribuindo para a construção de uma pátria cidadã, sempre atuando com dignidade e ética, cumprindo a sua missão precípua de anunciar o Evangelho de Jesus Cristo, sem perder a sensibilidade e a responsabilidade social. Por meio de seus quase 1 milhão de membros e de suas inúmeras organizações (escolas, faculdades, universidade, hospitais, entidades sociais, etc), a Igreja tem semeado as sementes da dignidade e da verdadeira cidadania.

Os presbiterianos do Brasil têm se mostrados contemporâneos e atuantes, com respostas e propostas atuais para a sociedade, contudo, sem negociar a sua bela e riquíssima tradição histórica.

A Igreja Presbiteriana do Brasil com suas mais de 5 mil Igrejas e Congregações estabelecidas em todas as unidades da federação e com um vasto trabalho missionário fora do País, além da missão precípua da evangelização, tem cumprido relevantemente o seu compromisso social e, desta forma, contribuído enfaticamente para o desenvolvimento integral da sociedade brasileira. Já são mais de 500 (ONGs) entidades operantes, eficientes e eficazes; Mais de 1000 projetos nas áreas de: Combate à pobreza; Políticas Sociais – Direitos humanos e Ambientalismo; Gestão social – Planejamento; Capacitação; Assessoria; Recursos Humanos e “Fund-Raising”; Inúmeros programas nas áreas de: Atenção à Educação e Saúde; Complementação de Renda; Geração de Empregos; Erradicação do trabalho Infantil, etc. Obras e Ações em todos os Estados do Brasil. Mais de 400 leitos hospitalares, com média de 5.000 atendimentos por mês; Mais de 210 escolas ensinando com eficiência e qualidade; Cerca de 115.000 alunos da pré-escola à pós-graduação; Inúmeras classes de alfabetização de jovens e adultos; e, campanhas emergenciais, mutirões e clínicas de curta duração.

Estou certo de que, mesmo diante da gravidade da crise e da urgência de se enfrentar os seus efeitos e causas, a IPB tem cumprido a sua missão e não tem perdido sua capacidade de indignar-se e de reagir diante dos problemas e das injustiças que afetam os setores vulnerabilizados da sociedade brasileira.

Estou certo também, de que os presbiterianos do Brasil continuarão a cumprir, fielmente, a sua sublime missão de justiça e paz e serão cada vez mais, instrumentos de bênçãos para o Brasil e para o Mundo.



Concluo reiterando o meu profundo apreço pela Igreja Presbiteriana do Brasil, instituição ilibada e digna das mais sinceras reverências e, ao ensejo das comemorações do seu sesquicentenário em solo pátrio, consigno os meus respeitosos votos de sucesso e, na pessoa do reverendíssimo Sr. Rev. Roberto Brasileiro Silva, mui digno Presidente do Supremo Concílio da Igreja, cumprimento os nobres colegas deputados presbiterianos, destacados e honrados membros desta casa de leis, bem como a todos os cidadãos presbiterianos do Brasil. Parabéns pelo verdadeiro testemunho cristão ao longo destes 150 anos.
O Brasil e povo brasileiro agradecem!


Catálogo: sileg -> integras
integras -> Pronunciamento do Deputado Edinho Bez (pmdb-sc), em de abril de 2011 na Câmara dos Deputados sobre Reforma Tributária dando ênfase, nesta oportunidade, sobre a desoneração da folha de pagamentos
integras -> O sr. José pimentel – pt-ce (Pronuncia o seguinte discurso)
integras -> CÂmara dos deputados projeto de lei n.º 502, de 2003
integras -> Pronunciamento do deputado luiz moreira na sessão ordinária da câmara, em 24 de abril de 2002
integras -> A diversidade cultural brasileira sob o olhar de um deputado federal
integras -> Discurso proferido pelo deputado Sérgio Caiado
integras -> SR. carlos de souza
integras -> SR. giacobo (bloco pl/ pr) pronuncia o seguinte discurso Sr. Presidente, Sras e Srs. Deputados
integras -> Pronunciamento do deputado manato, pdt/ES, na tribuna da câmara, em sessão do dia 22 de outubro de 2003
integras -> Deputado vitor penido


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal