Quarta-feira, 09/09 Quinta-feira, 10/09 Sexta-feira, 11/09



Baixar 33.46 Kb.
Encontro24.07.2016
Tamanho33.46 Kb.




Quarta-feira, 09/09

Quinta-feira, 10/09

Sexta-feira, 11/09



S

E

T

O

R

I

A

L

ARTES VISUAIS (14h30)

As Artes visuais no processo de transformação urbana

Veremos como as artes visuais estimulam e por sua vez refletem as transformações urbanas, direcionando o olhar para reflexões sobre a cidade e contribuindo para ampliação da análise crítica. O contraponto entre o projeto Idensitat e o contexto de Porto Alegre explicitarão modelos diferenciados de atuação, focado em parcerias e redes, no envolvimento da comunidade e na arte urbana, reforçando a ligação das pessoas com os espaços públicos.



Palestrantes:

- Ramón Parramón (Idensitat)

- Ana Albani de Carvalho (UFRGS)



Mediação: Lilian Amaral (USP)

AUDIOVISUAL (14h30)

O Audiovisual no processo de transformação urbana

Desde o início do século XX o audiovisual tem explicitado o diálogo entre cultura e economia no espaço urbano. Cultura, ao ser o espelho de uma sociedade e o ícone de seu estilo de vida; economia, ao gerar emprego, renda, negócios e turismo; urbano, ao revelar facetas e ângulos da cidade. Veremos como o estúdio espanhol Ciudad de La Luz tem fundido arte, indústria e entretenimento para o desenvolvimento regional, em um diálogo franco com a indústria audiovisual em Porto Alegre.



Palestrantes:

- Pepe Ferrándiz (Ciudad de la Luz)

- Rubens Luis Ribeiro Machado Jr. (USP)

Mediação: Cícero Aragon (Funcine)


DESIGN URBANO (14h30)

O Design urbano no processo de transformação da cidade

A análise do design urbano oferece um raio X da cidade. Ele explicita a relação entre o visível (arquitetura, equipamentos culturais, infraestrutura) e o invisível (memória, criatividade, tradições); mostra na relação entre o espaço público e o privado a que ponto a cidade pertence ou não a seus habitantes; e provoca o encontro entre capital cultural, capital financeiro e capital social. Veremos como essas relações se dão no planejamento urbano, na governança, no turismo e na arte pública de Barcelona, seguida da contextualização do tema em Porto Alegre.



Palestrantes:

- Lluís Bonet (Universidade de Barcelona)

- Carlos Eduardo Dias Comas (UFRGS)

Mediação: Luiz Antonio Custódio (SMC/POA)


T

R

A

N

S

V

E

R

S

A

L

ECONOMIA (19h30)

Encontrando vocações – do passado ao contemporâneo, a história econômica de Porto Alegre

A história econômica de Porto Alegre é um fio condutor para a compreensão do que a cidade é hoje: suas vocações, suas relações, as prioridades que regem a sociedade. É na análise desse processo de trocas e decisões, de investimentos e prioridades que se localiza o diálogo entre cultura e desenvolvimento. É sob o olhar das vocações e singularidades de Porto Alegre que se pode projetar seu futuro desejável.



Palestrantes:

- Luiz Fernando Cirne Lima

- Cristiano Tatsch (Sec. Mun. Fazenda)

Comentários: Lluís Bonet, Pepe Ferrándiz e Ramón Parramón

Mediação: Ana Carla Fonseca


MÍDIA E COMUNICAÇÃO (19h30)

Quem somos e como nos vemos –mídia e comunicação em Porto Alegre

Analisar a evolução histórica da mídia e das comunicações em Porto Alegre é analisar seu processo de formação e reconhecimento. São códigos de linguagem e de valores que pautam a sociedade, direcionam debates, suscitam análises, transformam ou não informação em conhecimento. Pensar a comunicação em Porto Alegre é entender como nos vemos.



Palestrante: Pedro Lopes
Comunicação, diversidade e criatividade

Do acesso a informação a modelos de gestão convergente da mídia, a comunicação é um dos pilares das cidades criativas. O tema embasa a formulação dos Indicadores de Desenvolvimento da Mídia e é elemento lapidar da Convenção sobre a Proteção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais da UNESCO. Mas como a pluralidade da comunicação favorece ou não a criatividade urbana?



Palestrante: Guilherme Canela (UNESCO)

Comentários: Lluís Bonet, Pepe Ferrándiz e Ramón Parramón

Mediação: Ana Carla Fonseca

CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO (19h30)

Porto Alegre das artes e dos negócios - um diálogo sem fronteiras

A criatividade urbana transborda limites. É no ambiente criativo que surge a inovação: no museu, no espaço público, na mesa de reuniões, no mobiliário urbano. Entender a criatividade de Porto Alegre é analisar os diálogos entre patrimônio e vanguarda; gestão empresarial e gestão cultural; público e privado.



Palestrante: Alfredo Fedrizzi
O Modelo econômico das artes em Porto Alegre

Pensar o desenvolvimento urbano contemporâneo tendo na arte o enlace decisivo da Porto Alegre como pólo do Mercosul, aberta a fluxos complexos no continente. Projeção atual pontuada por produtos criativos e equipamentos culturais que agenciam conceitos estéticos da cidade que se redesenha no dia-a-dia.

Palestrante: Afonso Luz (MinC)

Comentários: Lluís Bonet, Pepe Ferrándiz e Ramón Parramón

Mediação: Ana Carla Fonseca

CVs Palestrantes Internacionais

Lluís Bonet i Agustí é professor titular de economia aplicada. Diretor do Programa de doutorado em gestão da cultura e do patrimônio e dos cursos de pós-graduação em gestão cultura da Universidade de Barcelona. Foi investigador convidado do Massachusetts Institute of Technology e conferencista em mais de 30 países. É Vice-Presidente da cooperativa de educação e cultura ABACUS, membro do conselho da Associação Internacional de Economia da Cultura (ACEI) e jurado do Prêmio de Pesquisa em Política Cultural da Fundação Cultural Européia. Agraciado com vários prêmios de pesquisa, é um dos peritos mais renomados no entendimento do capital cultural como eixo estratégico de transformação urbana, social e econômica, tendo escrito inúmeros livros e artigos de circulação internacional sobre análises do setor cultural.

Pepe Ferrándiz - Produtor audiovisual, é fundador da Associação de Produtores da Comunidade Valenciana, da FAPAE (Federação de Associações de Produtores Audiovisuais Espanhóis) e da empresa AGUAMARGA, gestora dos Estudios de la Ciudad de la Luz e onde atua como Diretor Corporativo. Produziu mais de 15 longa-metragens e várias séries de televisão, incluindo ficções, animações e documentários.

Ramón Parramón dirige e coordena uma vasta gama de projetos de criação e arte contemporânea, tais como Territorios Ocupados, de 2000; Barcelonas, de 1999 e Visiones Periféricas, desenvolvido no período 1994-97. Seu trabalho incorpora projetos interdisciplinares e discute os vários papéis que a arte pode desempenhar em contextos sociopolíticos específicos. Desde 1998 dirige IDENSITAT, projeto que a partir de contextos de escalas opostas propõe um espaço de experimentação para criadores que trabalham a representação e a ação em contextos urbanos.

Cvs Curadores

Ana Carla Fonseca é administradora pública pela FGV; economista, mestre em administração e doutoranda em urbanismo pela USP, sócia-fundadora da Garimpo de Soluções – economia, cultura & desenvolvimento, consultora em economia criativa para a ONU (UNCTAD e PNUD), curadora de congressos nacionais e internacionais, professora de pós-graduação da FGV e da Universidade Candido Mendes (RJ), membro da Associação Internacional de Economia da Cultura (ACEI) e autora de diversos livros, entre os quais “Economia da Cultura e Desenvolvimento Sustentável” (Prêmio Jabuti 2007).

Cícero Aragon é cineasta formado em direção e roteiro de cinema pela New York Film Academy e em direito pela PUC/RS. É diretor e produtor executivo de cinema e publicidade há mais de 15 anos, com vasta filmografia. Presidente da FUNDACINE, vice-presidente do Sindicato da Indústria Audiovisual do RS, membro da diretoria do Congresso Brasileiro de Cinema e coordenador geral dos júris do Festival Mundial de Publicidade de Gramado há nove anos e profundo conhecedor das imagens e histórias de Porto Alegre.

Lilian Amaral é artista visual, graduada, mestre e doutoranda em artes, pela USP com ênfase em arte pública e museus urbanos contemporâneos. Pesquisadora da Universidade Complutense de Madrid, é Diretora do programa Museu Aberto: a cidade como museu e o museu como prática artística. Diretora do Museu da PUC/Campinas, é curadora de projetos artísticos e membro de diversas comissões de premiação e seleção, é representante brasileira do POCS - Project for Open and Closed Space Sculpture, em Barcelona, conferencista e possui vasta produção bibliográfica e filmográfica.

Luiz Antônio Custódio é arquiteto formado pela UFRGS, especialista em patrimônio cultural com cursos em Florença, Londres, Fulda e México. Mestre em planejamento urbano e doutorando da Universidad Pablo de Olavide de Sevilha. Especialista no tema da arquitetura das missões. É professor de urbanismo da Uniritter e Coordenador da Memória Cultural da Prefeitura de Porto Alegre. Foi diretor regional e nacional do IPHAN e representante do MinC na comissão do patrimônio do Mercosul. Foi presidente do ICOM-Brasil e é vice-presidente do ICOM-LAC.

PALESTRANTES NACIONAIS

Afonso Luz é crítico de arte, formado em filosofia pela USP, pesquisador em estética e história da arte. Colaborou nas revistas “Novos Estudos”, ”Concinnitas”, “Cult”, “Bravo” e foi editor de “Rapsódia” e “Número”. Consultor do programa Monumenta para “Economia da Cultura, Artes Visuais e Crítica Cultural” e assessor do Ministério da Cultura de 2005 a 2008, conceituou a participação brasileira na Feira ARCO08 de Madri e desenvolveu modelos de regulação e indução que culminaram no Programa “Brasil Arte Contemporânea” e no PSI da APEX/Fundação Bienal. É Diretor de Estudos e Monitoramento da Secretaria de Políticas Culturais do MinC.

Ana Maria Albani de Carvalho é doutora em Artes Visuais – História, Teoria e Crítica pela UFRGS, com estágio na École des Hautes Études em Sciences Sociales, em Paris e professora na mesma instituição, trabalhando com disciplinas nas áreas de Curadoria, Museografia e Arte Contemporânea. Curadora independente e consultora de ampla gama de projetos, possui rica bibliografia publicada sobre a arte brasileira contemporânea. Coordena a Galeria da Pinacoteca Barão de Sto. Ângelo do IA – UFRGS e o Projeto Uniarte e integra ainda a diretoria cultural e curatorial da Fundação Vera Chaves Barcellos.

Carlos Eduardo Dias Comas é doutor em arquitetura, professor titular da UFRGS e coordenador de publicações e eventos do PROPAR - Programa de Pesquisa e Pós- graduação em Arquitetura dessa universidade, editor-responsável da revista Arqtexto (UFRGS) e coordenador executivo do DOCOMOMO Brasil, o capítulo nacional de organização voltada para a documentação e conservação da arquitetura moderna do século XX.  Autor de vários projetos de arquitetura e urbanismo, entre os quais uma proposta de Passeio Público junto à Usina do Gasômetro em Porto Alegre, e de muitos textos sobre arquitetura e urbanismo, incluindo análise do Museu Iberê Camargo para a revista italiana Domus e "Arquiteturas Cisplatinas", sobre a CEASA e o Hipódromo do Cristal em Porto Alegre.

Guilherme Canela é graduado em Relações Internacionais pela UnB e mestre em Ciência Política pela USP. Coordena a área de Comunicação e Informação do Escritório da Unesco no Brasil. Coordenou, por oito anos, a área de pesquisa de mídia e jornalismo da Agência de Notícias dos Direitos da Infância (ANDI). É co-autor de 10 livros publicados, além de brochuras, revistas e cadernos de discussão. Foi consultor de pesquisa do Instituto Latino-Americano das Nações Unidades para a Prevenção do Delito e Tratamento do Delinqüente e do Grande Prêmio Ayrton Senna de Jornalismo.

Luiz Fernando Cirne Lima é engenheiro agrônomo, com livre docência e doutorado em Zootecnia pela UFRGS. Em sua rica e variada experiência profissional acumula posições lapidares para o desenvolvimento do país, como de professor de zootecnia na UFRGS, Ministro de Agricultura, Fundador da Embrapa e Diretor Superintendente da Copesul. É administrador de empresas rurais desde 1959, empresário rural e Membro do Conselho de Administração de diversas instituições, destacando-se Banco Icatu, ETH, Grupo Peixoto de Castro e SLC.

Rubens Machado Júnior é livre-docente em Teoria e História do Cinema na Escola de Comunicações e Artes da USP, onde também seguiu graduação em arquitetura e urbanismo, mestrado e doutorado em Cinema, Tv e Rádio. Foi pesquisador do Centro de Estudos da Metrópole - CEBRAP. Tem experiência na área de artes, com ênfase em história do cinema e representações urbanas, atuando principalmente em cinema brasileiro, análise de filmes, estética do cinema, relação arte cinema, representação do espaço urbano, cinema experimental, Super-8.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal