Quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra



Baixar 48.45 Kb.
Encontro20.07.2016
Tamanho48.45 Kb.
domingo da quaresma

Quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra” (Jo 8,7)



1. Refrão meditativo

Criai em mim um coração que seja puro. / Dai-me, de novo, um espírito decidido.

2. entrada (Hino CF/2013)

1- Sei que perguntas, juventude, de onde veio. Teu belo jeito sempre novo e verdadeiro. Eu fiz brotar em ti desde o materno seio essa vontade de mudar o mundo inteiro.



Estou aqui, meu Senhor, sou jovem, sou teu povo! Eu tenho fome de justiça e de amor, quero ajudar a construir um mundo novo.

Estou aqui, meu Senhor, sou jovem, sou teu povo! Para formar a rede da fraternidade, e um novo céu, uma nova terra, a tua vontade. Eis-me aqui, envia-me Senhor! (2x)

2- Levem a todos meu chamado à liberdade. Onde a ganância gera irmãos escravizados. Quero a mensagem que humaniza a sociedade falada às claras, publicada nos telhados.

3- Para salvar a quem perdeu a esperança serei a força, plena luz a te guiar. Por tua voz eu falarei, tem confiança, não tenhas medo, novo Reino a chegar!

3. ato penitencial

1- Senhor, que fazeis passar da morte para a vida quem ouve a Vossa Palavra, tende piedade de nós.



Senhor, tende piedade de nós.:/

2- Ó Cristo, que quisestes ser levantado da terra para atrair-nos a vós, tende piedade de nós.



Ó Cristo, tende piedade de nós.:/

3- Senhor, que nos submetestes ao julgamento da vossa cruz, tende piedade de nós.



Senhor, tende piedade de nós.:/

4. glória (omite-se)

oração da coleta

Senhor nosso Deus, dai-nos por vossa graça caminhar com alegria na mesma caridade que levou o vosso Filho a entregar-se à morte no seu amor pelo mundo. PNSJC.



T.: Amém!

5. primeira leitura

Is 43, 16-21

Leitura do Livro do Profeta Isaías

Isto diz o Senhor, que abriu uma passagem no mar e um caminho entre águas impetuosas; que pôs a perder carros e cavalos, tropas e homens corajosos; pois estão todos mortos e não ressuscitarão, foram abafados como mecha de pano e apagaram-se: “Não relembreis coisas passadas, não olheis para fatos antigos. Eis que eu farei coisas novas, e que já estão surgindo: acaso não as reconheceis? Pois abrirei uma estrada no deserto e farei correr rios na terra seca.

Hão de glorificar-me os animais selvagens, os dragões e os avestruzes, porque fiz brotar água no deserto e rios na terra seca para dar de beber a meu povo, a meus escolhidos.

Este povo, eu o criei para mim e ele cantará meus louvores”.



Palavra do Senhor!

T.: Graças a Deus!

6. Salmo 125 (126)

Maravilhas fez conosco o Senhor, exultemos de alegria!

1- Quando o Senhor reconduziu nossos cativos, * parecíamos sonhar; /encheu-se de sorriso nossa boca, * nossos lábios, de canções.

2- Entre os gentios se dizia: “ maravilhas * fez com eles o Senhor!”

Sim, maravilhas fez conosco o Senhor, *exultemos de alegria!

3- Mudai a nossa sorte, ó Senhor, * Como torrentes no deserto. / Os que lançam as sementes entre lágrimas, * Ceifarão com alegria.

4- Chorando de tristeza sairão, * Espalhando suas sementes; / Cantando de alegria voltarão, * Carregando os seus feixes!



7. segunda leitura

Fl 3, 8-14

Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses

Irmãos: Na verdade, considero tudo como perda diante da vantagem suprema que consiste em conhecer a Cristo Jesus, meu Senhor. Por causa dele eu perdi tudo. Considero tudo como lixo, para ganhar Cristo e ser encontrado unido a ele, não com minha justiça provindo da Lei, mas com a justiça por meio da fé em Cristo, a justiça que vem de Deus, na base da fé.

Esta consiste em conhecer a Cristo, experimentar a força da sua ressurreição, ficar em comunhão com os seus sofrimentos, tornando-me semelhante a ele na sua morte, para ver se alcanço a ressurreição dentre os mortos. Não que já tenha recebido tudo isso, ou que já seja perfeito. Mas corro para alcançá-lo, visto que já fui alcançado por Cristo Jesus.

Irmãos, eu não julgo já tê-lo alcançado. Uma coisa, porém, eu faço: esquecendo o que fica para trás, eu me lanço para o que está na frente. Corro direto para a meta, rumo ao prêmio, que, do alto, Deus me chama a receber em Cristo Jesus.



Palavra do Senhor!

T.: Graças a Deus!

8. canto de aclamação

Jesus Cristo, sois bendito, o ungido de Deus Pai! (bis)

Convertei-vos a mim, diz o Senhor:

“Pois sou bom, compassivo e clemente”.

9. evangelho

Jo 8, 1-11

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João

Naquele tempo, Jesus foi para o monte das Oliveiras. De madrugada, voltou de novo ao Templo. Todo o povo se reuniu em volta dele. Sentando-se, começou a ensiná-los.

Entretanto, os mestres da Lei e os fariseus trouxeram uma mulher surpreendida em adultério. Colocando-a no meio deles, disseram a Jesus: “Mestre, esta mulher foi surpreendida em flagrante adultério. Moisés na Lei mandou apedrejar tais mulheres. Que dizes tu?” Perguntavam isso para experimentar Jesus e para terem motivo de o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, começou a escrever com o dedo no chão. Como persistissem em interrogá-lo, Jesus ergueu-se e disse: “Quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra”. E tornando a inclinar-se, continuou a escrever no chão. E eles, ouvindo o que Jesus falou, foram saindo um a um, a começar pelos mais velhos; e Jesus ficou sozinho, com a mulher que estava lá, no meio do povo.

Então Jesus se levantou e disse: “Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?” Ela respondeu: ”Ninguém, Senhor”. Então Jesus lhe disse: “Eu também não te condeno. Podes ir, e de agora em diante não peques mais”.



Palavra da Salvação!

T.: Glória a vós, Senhor!

10. Oração do Dizimista

Recebei, Senhor, a minha oferta. Não é uma esmola, porque não sois mendigo; não é uma contribuição, porque não precisais; não é o resto que me sobra que vos ofereço. Esta importância representa, Senhor, minha participação na Comunidade, meu compromisso com a expansão do Evangelho, meu reconhecimento e agradecimento, pois se tenho é porque me destes. Amém!



11. oração cf/2013

Pai Santo, vosso Filho Jesus, conduzido pelo Espírito e obediente à vossa vontade, aceitou a cruz como prova de amor à humanidade.

Convertei-nos e, nos desafios deste mundo, tornai-nos missionários a serviço da juventude.

- Para anunciar o Evangelho como projeto de vida, enviai-nos, Senhor;

- Para ser presença geradora de fraternidade, enviai-nos, Senhor;

- Para ser profetas em tempo de mudança, enviai-nos, Senhor;

- Para promover a sociedade da não violência, enviai-nos, Senhor;

- Para salvar a quem perdeu a esperança, enviai-nos, Senhor.

- Para... (podem ser acrescentados outros pedidos)

T.: Amém!

12. canto das oferendas

1- Ofertar nossa vida queremos, / como gesto de amor, doação / Procuramos criar mundo novo, / trazer para o povo a libertação.



De braços erguidos a Deus ofertamos / aquilo que somos e tudo que amamos. / Os dons que nós temos compartilharemos, aqueles que sofrem, sorrir os faremos.

2- A injustiça que fere e que mata, / tanto homem, criança e mulher, / faz o jovem viver sem sentido, / frustrado, perdido, distante da fé.

3- Como o pão e o vinho se tornam / corpo e sangue de Cristo Jesus, / transformemos a realidade, / pra ser de verdade esperança e luz!

sobre as oferendas

Deus todo-poderoso, condedei aos vossos filhos e filhas que, formados pelos ensinamentos da fé cristã, sejam purificados por este sacrifício. PCNS.



T.: Amém!

13. Oração eucarística III

(prefácio da quaresma, II)



Pr.: Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso.

Para renovar, na santidade, o coração dos vossos filhos e filhas, instituístes este tempo de graça e salvação. Libertando-nos do egoísmo e das outras paixões desordenadas, superamos o apego às coisas da terra.

E, enquanto esperamos a plenitude eterna, proclamamos a vossa glória, cantando a uma só voz:

santo

Santo! Santo! Santo é o Senhor! (bis) / Ó Deus do universo, Deus nosso Criador! (bis) / No céu, na terra brilha o esplendor! (bis) / De tua imensa glória, ó Deus, nosso Senhor! (bis)

Bendito seja aquele que vem! (bis) / Aquele que vem vindo em nome do Senhor! (bis) / Hosana, hosana, hosana ao Salvador! (bis) / Ó vem nos perdoar no Teu imenso amor! (bis) / Ó vem nos consolar no Teu imenso amor! (bis)

Pr.: Na verdade, vós sois santo, ó Deus do universo, e tudo o que criastes proclama o vosso louvor, porque, por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e pela força do Espírito Santo dais vida e santidade a todas as coisas e não cessais de reunir o vosso povo, para que vos ofereça em toda parte, do nascer ao pôr-do-sol, um sacrifício perfeito.

T.: Santificai e reuni o vosso povo!

Pr.: Por isso, nós vos suplicamos: santificai, pelo Espírito Santo as oferendas que vos apresentamos para serem consagradas, a fim de que se tornem o Corpo e † o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que nos mandou celebrar este mistério.

T.: Santificai nossa oferenda, ó Senhor!

Pr.: Na noite em que ia ser entregue, ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: Isto é o meu corpo, que será entregue por vós.

Pr.: Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo:

Tomai, todos, e bebei: Este é o Cálice do meu Sangue, o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos, para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de mim.



Pr.: Eis o mistério da fé!

T.: Salvador do mundo, salvai-nos, vós que nos libertastes pela cruz e ressurreição.

Pr.: Celebrando agora, ó Pai, a memória do vosso Filho, da sua paixão que nos salva, da sua gloriosa ressurreição e da sua ascensão ao céu, e enquanto esperamos a sua nova vinda, nós vos oferecemos em ação de graças este sacrifício de vida e santidade.

T.: Recebei, ó Senhor, a nossa oferta!

Pr.: Olhai com bondade a oferenda da vossa Igreja, reconhecei o sacrifício que nos reconcilia convosco e concedei que, alimentando-nos com o Corpo e o Sangue do vosso Filho, sejamos repletos do Espírito Santo e nos tornemos em Cristo um só corpo e um só espírito.

T.: Fazei de nós um só corpo e um só espírito!

Pr.: Que ele faça de nós uma oferenda perfeita para alcançarmos a vida eterna com os vossos santos: a Virgem Maria, mãe de Deus, os vossos Apóstolos e Mártires, e todos os santos, que não cessam de interceder por nós na vossa presença.

T.: Fazei de nós uma perfeita oferenda!

Pr.: E agora, nós vos suplicamos, ó Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro. Confirmai na fé e na caridade a vossa Igreja, enquanto caminha neste mundo: o vosso servo o Papa (N.) e nosso Bispo (N.), com os bispos do mundo inteiro, o clero e todo o povo que conquistastes.

T.: Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja!

Pr.: Atendei às preces da vossa família, que está aqui, na vossa presença. Reuni em vós, Pai de misericórdia, todos os vossos filhos e filhas dispersos pelo mundo inteiro.

T.: Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos Filhos!

Pr.: Acolhei com bondade no vosso reino os nossos irmãos e irmãs que partiram desta vida e todos os que morreram na vossa amizade. Unidos a eles, esperamos também nós saciar-nos eternamente da vossa glória, por Cristo, Senhor nosso.

T.: A todos saciai com vossa glória!

Pr.: Por ele dais ao mundo todo bem e toda graça.

Por Cristo, com Cristo...



T.: Amém!

14. cordeiro

Solo: Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo.

Ass.: Tende piedade de nós!

Solo: Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo.

Ass.: Tende piedade de nós!

Solo: Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo.

Ass.: Dai-nos a paz!

15. comunhão I

1 - Ó Pai, teu povo busca vida nova

Na direção da Páscoa de Jesus. Em nossa fronte, o sinal das cinzas, na caminhada, vem ser força e luz!

Provai e vede como Deus é bom, feliz de quem no seu amor confia! Em Jesus Cristo se faz graça e dom, se faz Palavra e Pão na Eucaristia.

2- Por que ficar em coisas já passadas? O teu perdão liberta e nos renova. O teu amor nos abre nova estrada, traz alegria e paz, nos revigora.



16. comunhão II

1- Tanto que esperou pudesse um dia chegar bem perto, dizendo tudo! /Senão conseguiu como queria / o seu silêncio não ficou mudo.



Ela muito amou, / tem a minha paz; / Vai seguir caminho sem temor! / Sabe quem eu sou, e será capaz. / De espalhar na terra o meu amor!

2- Ela ultrapassou toda medida, não lhe bastando meros preceitos. / Lágrimas, perfume – que acolhida! / nem se importando com preconceitos.

3- Se ninguém ousou dizer bem claro o que pensava daquele gesto,/ Ele revelou como era raro esse carinho tão manifesto.

4. Ele é sempre mais que um convidado, se pôs á mesa, nutrindo a vida; / Olha os corações e põe de lado toda aparência cura a ferida!



17. Pós comunhão

Concedei, ó Deus todo-poderoso, que sejamos sempre contados entre os membros de Cristo cujo Corpo e Sangue comungamos. PCNS.



T.: Amém!

18. canto final

Oh, oh, oh, oh, oh! Oh, oh, oh!

Jovens somos nós! (2x)

Jovens somos nós! Jovens com milhares de perguntas, jovens á procura de respostas, jovens à procura de algo mais.

Não estamos satisfeitos com os rumos deste mundo, e é por isso que avançamos para as águas mais profundas. O que está bom deve ficar, o que não é tem que mudar.

Jovens somos nós! Jovem é a nossa voz, não sabemos tudo, mas sabemos que podemos ajudar.

Aprofundando a palavra
Neste quinto Domingo de preparação para a Páscoa do Senhor, a Palavra de Deus nos convida a celebrarmos também a nossa Páscoa por uma sincera conversão, deixando que o amor misericordioso de Deus nos recrie e nos faça novas criaturas.

O Profeta Isaías, dentro do contexto do exílio da Babilônia, exorta o povo de Israel a não se fixar nas coisas passadas, relembrando dos fatos antigos, mas a ter um olhar de esperança, pois Deus realizará coisas novas: “abrirei uma estrada no deserto e farei correr rios na terra seca” (Is 43,19).

Deus continua realizando coisas novas em nossas vidas, convidando-nos a uma sincera conversão. A exemplo de Paulo, devemos considerar tudo que é vantagem própria como lixo, para ganharmos Cristo, unindo-nos a Ele pela fé, que consiste em conhecê-lo, experimentar a força da sua ressurreição, deixando que Ele nos alcance com seu amor e sua graça. Esquecendo o que ficou para trás, corramos ao encontro de Cristo que nos amou e se entregou a si mesmo por nós (cf. 2a leitura).

Deixar-se encontrar pelo Cristo é experimentar a salvação, pois Ele não veio para nos condenar, mas para nos salvar. De fato, no Evangelho de hoje, Jesus é questionado pelos fariseus e mestres da Lei quanto à aplicação da Lei de Moisés ao apresentar-lhe uma mulher pega em flagrante adultério. Segundo a Lei, ela deveria ser apedrejada. No entanto, Jesus responde: “Quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra” (Jo 8,7). Como ninguém teve coragem de apedrejar e condenar a mulher, Jesus lhe disse: “eu também não te condeno. Podes ir, e de agora em diante não peques mais” (Jo 8,11).



Assim, o Senhor nos ensina a não condenarmos uns aos outros, pois Ele mesmo não veio para nos condenar, mas para nos salvar com sua infinita misericórdia, convidando-nos a uma vida nova.

Pe. Danival Milagres Coelho

Leituras da Semana: 18/3 Dn 13, 1-9.15-17.19-30.33-62; Sl 22; 1-6; Jo 8, 1-11: 19/3 2Sm 7, 4-16; Sl 88, 2-5.27.29; Rm 4, 13.16-18.22; Mt 1, 16.18-21.24a: 20/3 Dn 3, 14-20.91-95; Sl (Dn 3, 52-56); Jo 8, 31-42; 21/3 Gn 17, 3-9; Sl 104, 4-9; Jo 8, 51-59; 22/3 Jr 20, 10-13; Sl 17, 2-7; Jo 10, 31-42; 23/3 Ez 37, 21-28; Sl (Jr 31, 10-13), Jo 11, 45-56.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal