R. Bruce Carlton



Baixar 0.74 Mb.
Página7/12
Encontro19.07.2016
Tamanho0.74 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   12

27

DISCIPULADO

ATRAVÉS DE NARRATIVAS BÍBLICAS

A Bíblia é essencialmente um livro de histórias. De Gênesis a Apocalipse, encontramos uma multidão de histórias que revelam o plano redentor de Deus. Na igreja primitiva, não havia Novo Testamento. o evangelho era compartilhado de cidade a cidade, de pessoa para pessoa e de igreja para igreja através de narrativas bíblicas. Aqueles que tinham andado com Jesus e o conheceram pessoalmente eram, naturalmente, as fontes mais confiáveis dessas narrativas.

A maioria das culturas no mundo de hoje são culturas orais, de narração de histórias. Este é especialmente o caso da Ásia. No entanto, a igreja esqueceu a arte de contar histórias. A maioria dos métodos de estudo bíblico e de discipulado se baseia na lógica e na racionalidade ocidental. Queremos comunicar as doutrinas bíblicas básicas aos crentes, mas os levamos a uma espécie de caça ao tesouro, saltando de versículo em versículo por toda a Bíblia e esperando que no fim eles consigam compreender o quadro geral. Logo descobriremos que essa caça ao tesouro bíblico mais confunde do que ajuda os novos convertidos! Se nós contássemos as histórias da Bíblia a eles, poderíamos descobrir que eles aprendem bem mais quando ouvem histórias e que podem até mesmo aprender doutrinas através das narrativas bíblicas.

Narrativas são um método maravilhoso para usar na evangelização. Também são uma maravilhosa ferramenta para o discipulado. As narrativas bíblicas têm sido usadas em muitos lugares do mundo, e milhares de igrejas têm sido plantadas por homens e mulheres que simplesmente ensinaram a verdade da Palavra de Deus através de histórias encontradas na Bíblia.

Nesta lição, começaremos a desenvolver um currículo para o discipulado com base em narrativas bíblicas. Após o desenvolvimento do currículo, demonstraremos como usar narrativas bíblicas no discipulado. Finalmente, nos três últimos encontros deste treinamento, nos dividiremos em grupos de três, e a cada encontro uma pessoa aprenderá uma história e a ensinará aos outros dois membros do grupo.
Pelo que deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até a perfeição, não lançando de novo o fundamento de arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, e o ensino sobre batismos e imposição de mãos, e sobre ressurreição de mortos e juízo eterno (Hebreus 6.1-2).

Enumere as seis doutrinas elementares mencionadas em Hebreus 6.1-2.















Enumere seis outras doutrinas que você gostaria de ensinar aos novos convertidos através do discipulado.













Agora você tem uma lista de 12 doutrinas que você pode usar para desenvolver seu currículo de narrativas bíblicas.

E agora você vai começar a desenvolver o seu currículo.

Funciona do seguinte modo. Selecione uma doutrina que você deseja ensinar. Depois, procure duas histórias do Antigo e duas do Novo Testamento para cada doutrina. Então, para cada história, escolha um versículo para ser decorado e que tenha relação com a doutrina que você vai ensinar aos seus discípulos. Nas próximas páginas, segue-se uma lista de 150 narrativas bíblicas com as respectivas referências, para ajudá-lo.

O motivo para se escolher histórias do Antigo e do Novo Testamento é porque queremos que os discípulos entendam que doutrinas se encontram por toda a Bíblia. Queremos que os discípulos aprendam que a história divina da redenção vai de Gênesis a Apocalipse.

O versículo-chave para cada narrativa pode vir da própria passagem que contém a história ou de outra passagem bíblica. O mais importante é que o versículo-chave esteja relacionado com a doutrina ensinada na narrativa. No primeiro exemplo abaixo, o versículo-chave para a história de Davi e Bate-Seba foi retirado do Salmo 51. Davi escreveu este salmo após se arrepender do pecado cometido com Bate-Seba. O versículo-chave para a história do Filho Pródigo vem da própria passagem que contém a narrativa.


Doutrina

Narrativa do AT

Narrativa do NT

Versículo-chave



Arrependimento

Histórias alternativas:
Sansão

(Juízes 16)
Saul

(1 Samuel 15)
A negação de Pedro

(Mateus 26)

Davi e Bate-Seba

(2 Samuel 11)
Jonas pregando em Nínive

(Jonas 3)




O Filho Pródigo

(Lucas 15.11-32)

Zaqueu

(Lucas 19.1-9)


Salmo 51.17

1 João 1.9

Lucas 11.32


Lucas 13.3




Nas tabelas abaixo, você deve indicar narrativas e versículos-chaves para 12 doutrinas diferentes. Tenha o cuidado de registrar a referência bíblica completa para cada narrativa.


Doutrina

Narrativa do AT

Narrativa do NT

Versículo-chave















Doutrina

Narrativa do AT

Narrativa do NT

Versículo-chave













Doutrina

Narrativa do AT

Narrativa do NT

Versículo-chave














Doutrina

Narrativa do AT

Narrativa do NT

Versículo-chave












Doutrina

Narrativa do AT

Narrativa do NT

Versículo-chave














Doutrina

Narrativa do AT

Narrativa do NT

Versículo-chave












Doutrina

Narrativa do AT

Narrativa do NT

Versículo-chave














Doutrina

Narrativa do AT

Narrativa do NT

Versículo-chave












Doutrina

Narrativa do AT

Narrativa do NT

Versículo-chave














Doutrina

Narrativa do AT

Narrativa do NT

Versículo-chave












Doutrina

Narrativa do AT

Narrativa do NT

Versículo-chave














Doutrina

Narrativa do AT

Narrativa do NT

Versículo-chave












150 narrativas bíblicas famosas
Antigo Testamento
A partir da Criação
A criação Gênesis 1.1-2.3

Adão e Eva Gênesis 2.15-3.24

Caim e Abel Gênesis 4.1-16

O Dilúvio Gênesis 6.9-9.17

A Torre de Babel Gênesis 11.1-9
Histórias dos patriarcas
O pacto de Deus com Abraão Gênesis 12.1-9; 17.1-8

Os três visitantes Gênesis 18.1-15

A destruição de Sodoma e Gomorra Gênesis 19.15-29

A expulsão de Agar e Ismael Gênesis 21.8-21

A provação de Abraão Gênesis 22.1-19

Isaque e Rebeca Gênesis 24

Jacó e Esaú Gênesis 25.19-34

Jacó consegue a bênção de Isaque Gênesis 27.1-40

O sonho de Jacó em Betel Gênesis 28.10-22

Jacó se casa com Léia e Raquel Gênesis 29.14-30

José e seus irmãos Gênesis 37

O copeiro e o padeiro Gênesis 40

Os sonhos de faraó Gênesis 41

Os irmãos de José vão ao Egito Gênesis 42-45


Libertação do Egito
O nascimento de Moisés Êxodo 1.8-2.10

Moisés e a sarça ardente Êxodo 3.1-15

As dez pragas Êxodo 7.6-11.10

A páscoa Êxodo 12

A passagem pelo Mar Vermelho Êxodo 13.17-14.31
Peregrinação pelo deserto
A água no deserto Êxodo 15.22-27; 17.1-7

Maná e codornizes Êxodo 16

Moisés no Monte Sinai Êxodo 19.1-20.21

O bezerro de ouro Êxodo 32

O tabernáculo Êxodo 40

Explorando a terra de Canaã Números 13.1-14.12

A jumenta de Balaão Números 22.1-38

Josué sucede a Moisés Deuteronômio 31.1-8

A morte de Moisés Deuteronômio 34
Na terra prometida
Atravessando o Jordão Josué 3

A queda de Jericó Josué 5.13-6.27

Débora Juízes 4-5

Gideão faz uma prova com Deus Juízes 6

Gideão derrota os midianitas Juízes 7

Sansão e Dalila Juízes 16

Noemi e Rute Rute 1-4

O Senhor chama a Samuel 1 Samuel 3

Israel pede um rei 1 Samuel 8
Os reis de Israel
Samuel unge a Saul 1 Samuel 9-10

Samuel unge a Davi 1 Samuel 16.1-13

Davi na corte de Saul 1 Samuel 16.14-23

Davi e Golias 1 Samuel 17

Saul tenta matar Davi 1 Samuel 19

Davi poupa a vida de Saul 1 Samuel 24, 26

Saul e a feiticeira de En-Dor 1 Samuel 28.4-25

Davi se torna rei de Israel 2 Samuel 5.1-12

Davi e Bate-Seba 2 Samuel 11

Natã repreende a Davi 2 Samuel 12.1-15

A morte de Absalão 2 Samuel 18

Davi faz rei a Salomão 1 Reis 1.11-40

Uma sábia decisão 1 Reis 3.16-28

Salomão constrói o templo 1 Reis 6

A rainha de Sabá visita Salomão 1 Reis 10.1-13

Israel se rebela contra Roboão 1 Reis 12.1-24


Elias e Eliseu
Elias alimentado por corvos 1 Reis 17.1-6

A viúva de Sarepta 1 Reis 17.7-24

Elias no Monte Carmelo 1 Reis 18.16-46

O Senhor aparece a Elias 1 Reis 19

A vinha de Nabote 1 Reis 21

A morte de Acab em Ramote-Gileade 1 Reis 22.29-40

Elias levado ao céu 2 Reis 2.1-12

Os milagres de Eliseu 2 Reis 2.13-25

A cura do leproso Naamã 2 Reis 5
Tempos difíceis
Jeú é ungido rei de Israel 2 Reis 9

Um rei de sete anos de idade 2 Reis 11

O livro da lei é encontrado 2 Reis 22.1-23.3

A vocação de Isaías Isaías 6.1-8

A profecia de Isaías Isaías 53

Jeoiaquim queima o rolo de Jeremias Jeremias 36

Jeremias lançado em uma cisterna Jeremias 38.1-13

Jonas e o grande peixe Jonas 1-4


Durante e depois do exílio babilônico
O vale de ossos secos Ezequiel 37.1-14

O sonho de Nabucodonosor Daniel 2

A imagem de ouro e a fornalha ardente Daniel 3

A escrita na parede Daniel 5

Daniel na cova dos leões Daniel 6

A reconstrução do templo Esdras 3.7-13

Neemias retorna a Jerusalém Neemias 2.1-18

Ester salva o seu povo Ester 2.5-18; 3.12-5.8; 7.1-10

Provações e bênçãos de Jó Jó 1,2,42
Novo Testamento
A vida de Jesus
O anúncio do nascimento de Jesus Lucas 1.26-38

O nascimento de Jesus Lucas 2.1-7

Os pastores e os anjos Lucas 2.8-20

A visita dos magos Mateus 2.1-12

Jesus é apresentado no templo Lucas 2.22-40

A fuga para o Egito Mateus 2.13-23

O menino Jesus no templo Lucas 2.41-52

João Batista prepara o caminho Mateus 3.1-12; Marcos 1.1-8; Lucas 3.1-18

O batismo de Jesus Mateus 3.13-17; Marcos 1.9-11; Lucas 3.21-22; João 1.29-34

A tentação de Jesus Mateus 4.1-11; Marcos 12-13; Lucas 4.1-13

A vocação dos primeiros discípulos Mateus 4.18-22; Marcos 4.16-20; Lucas 5.1-11; João 1.35-51

Jesus transforma água em vinho João 2.1-11

Jesus é rejeitado em Nazaré Lucas 4.14-30

Jesus cura muitos enfermos Marcos 1.21-34; Lucas 4.31-41

Jesus cura um paralítico Marcos 2.1-12; Lucas 5.17-26

Jesus se encontra com Nicodemos João 3.1-21

Jesus fala com uma mulher samaritana João 4.4-42

A fé do centurião Mateus 8.5-13; Lucas 7.1-11

Jesus acalma a tempestade Mateus 8.23-27; Marcos 4.35-41; Lucas 8.22-25

Jesus come com pecadores e cobradores

de impostos Mateus 9.10-13; Marcos 2.15-17; Lucas 5.29-32

Uma menina morta e uma mulher

enferma Mateus 9.18-26; Marcos 5.21-43; Lucas 8.40-56

João Batista é decapitado Mateus 14.1-12; Marcos 6.14-29

Jesus alimenta os cinco mil Mateus 14.13-21; Marcos 6.30-44; Lucas 9.10-17; João 6.1-15

Jesus anda sobre as águas Mateus 14.2-36; Marcos 6.45-56; João 6.16-24

A confissão de Pedro Mateus 16.13-20; Marcos 8.27-30; Lucas 9.18-27

A transfiguração Mateus 17.1-13; Marcos 9.2-13; Lucas 9.28-36

A cura de um menino epilético Mateus 17.14-21; Marcos 9.14-29; Lucas 9.37-43

Quem é o maior? Mateus 18.1-6; Marcos 9.33-37; Lucas 9.46-48

Jesus cura um cego de nascença João 9.1-34

A parábola do bom samaritano Lucas 10.25-37

Na casa de Maria e Marta Lucas 10.38-42

Jesus ressuscita a Lázaro João 11.1-46

Jesus e as criancinhas Mateus 19.13-15; Marcos 10.13-16; Lucas 18.15-17

O jovem rico Mateus 19.16-30; Marcos 10.17-31; Lucas 18.18-29

Zaqueu, o cobrador de impostos Lucas 19.1-10

Jesus ungido em Betânia Mateus 26.6-13; Marcos 14.3-9; Lucas 7.36-50; João 12.1-8

A entrada triunfal Mateus 21.1-11; Marcos 11.1-11; Lucas 19.28-44

Jesus no templo Mateus 21.12-13; Marcos 11.15-19; Lucas 19.45-46

A oferta da viúva Marcos 12.41-44; Lucas 21.1-4

O maior dos mandamentos Mateus 22.34-40; Marcos 12.28-34

A ceia do Senhor Mateus 26.17-30; Marcos 14.12-26; Lucas 22.7-34; João 13.1-30

O Getsêmane Mateus 26.36-56; Marcos 14.332-52; Lucas 22.39-54; João 18.1-12

O julgamento de Jesus Mateus 27.1-26; Marcos 14.53-65; Lucas 22.65-23.25; João 18.13, 19-24, 28; 19.6

Pedro nega a Jesus Mateus 26.69-75; Marcos 14.66-72; Lucas 22.54-62; João 18.15-18, 25-26

A crucificação Mateus 27.31-56; Marcos 15.20-41; Lucas 23.26-49; João 19.17-37

O sepultamento de Jesus Mateus 27.57-66; Marcos 15.42-47; Lucas 23.50-56; João 19.38-42

A ressurreição Mateus 28.1-15; Marcos 16.1-8; Lucas 24.1-12; João 20.1-18

No caminho de Emaús Lucas 24.13-35

Jesus aparece aos discípulos Mateus 28.16-20; Lucas 24.36-53; João 20.19-29

Jesus restaura Pedro João 21.1-25

Jesus é levado ao céu Atos 1.4-11
A igreja primitiva
Os primeiros dias da igreja cristã Atos 1.12-2.47

Pedro cura o mendigo coxo Atos 3.1-10

Os apóstolos são perseguidos Atos 5.17-42

O apedrejamento de Estevão Atos 6.8-7.1, 54-60

A conversão de Saulo Atos 9.1-19

Pedro é miraculosamente liberto

da prisão Atos 12.1-17

A igreja em Antioquia Atos 11.19-26

A primeira viagem missionária de Paulo Atos 13-14

Paulo e Silas na prisão Atos 16.16-40

Paulo prega em Atenas Atos 17.16-34

O tumulto em Éfeso Atos 19.1-20.1

O tumulto em Jerusalém Atos 21.27-22.30

O naufrágio Atos 27.1-28.10

Paulo prega em Roma Atos 28.11-31

A nova Jerusalém Apocalipse 21.1-22.6


_________________________________________________________________

Contando a história
Iremos agora testemunhar uma demonstração da narração de histórias bíblicas. Enquanto assistimos a essa demonstração, algumas coisas importantes devem ser relembradas.

Primeiro, a história bíblica é contada, e não lida diretamente da Bíblia. Não leia a história. Você terá que aprender bem a história antes de começar a ensiná-la. Sature a sua mente com a história. Ensaie antes de ensinar.

Segundo, depois que você contar a história, faça ao grupo perguntas específicas sobre ela para ajudá-los a aprender os nomes dos personagens e a seqüência dos acontecimentos.

Terceiro, depois de fazer perguntas sobre a história, peça a cada pessoa do grupo que reconte a história para os demais. Os membros do grupo podem se ajudar uns aos outros, mas é importante que cada pessoa seja capaz de contar a história novamente.

Quarto, depois que cada um mostrar que é capaz de recontar a história, faça um segundo conjunto de perguntas. Agora, as perguntas devem se concentrar na doutrina que você está ensinando através daquela narrativa específica. Essas perguntas devem ter o propósito de ajudar o grupo a compreender como a tirar lições da história.

Quinto, depois que você verificar que todos no grupo podem recontar a história e que todos perceberam as verdades apresentadas por ela, passe para o versículo-chave.

Sexto, para ajudar as pessoas a aprenderem o versículo-chave, diga-o frase por frase. Faça-os repetir cada frase até que sejam capazes de dizer de cor o versículo completo. O versículo-chave ajuda a reforçar as verdades ou doutrinas que a história ensina.

Por fim, diga ao grupo em que lugar da Bíblia a história se encontra. Se eles souberem ler, poderão rever a história mais tarde, na forma escrita. Se não souberem, você pode gravá-la em fita cassete para que eles possam voltar a ouvir a história depois que você se for. Cada vez que se encontrarem, reveja a história anterior – ou, às vezes, mais de uma das histórias anteriores – para ter certeza de que os discípulos estão relembrando as narrativas e as verdades ensinadas.

Conte uma história a cada encontro. Se você contar uma história por semana, após um mês o grupo terá aprendido quatro histórias e quatro versículos-chaves relacionados com a doutrina que você está ensinando. A essa altura, os discípulos já terão uma sólida compreensão daquela doutrina. Se você contar mais de uma história por encontro, é provável que as pessoas fiquem confusas.
ATIVIDADE DE FIXAÇÃO
No espaço abaixo, anote suas observações sobre a demonstração do método de narrativas bíblicas. Elas o ajudarão quando estiver se preparando para contar histórias aos seus discípulos.

Nos três espaços seguintes, escreva o que você aprendeu a cada encontro nas sessões de narrativas bíblicas que vocês terão em grupos de três. Quais foram os destaques em cada história? Qual foi a verdade ou doutrina principal ensinada pela narrativa?
Primeiro dia de narrativas bíblicas em grupo:

Segundo dia de narrativas bíblicas em grupo:

Terceiro dia de narrativas bíblicas em grupo:

28

CEM OPÇÕES DE MINISTÉRIO

Mas digo isto: Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e aquele que semeia em abundância, em abundância também ceifará (2 Coríntios 9.6).


Nossa tarefa é garantir que todas as pessoas de nosso grupo-alvo tenham a oportunidade de ouvir e compreender o evangelho. Nossa tarefa é garantir que a mensagem do evangelho seja semeada abundantemente no meio do grupo-alvo. A Bíblia diz que, se semearmos com abundância, colheremos com abundância.

O objetivo desta lição sobre “cem opções de ministério” é pensar em tantos métodos de comunicação do evangelho quando possíveis.

Nossa lista de atividades provavelmente incluirá diversos tipos de mídia usados para comunicar a mensagem do evangelho – folhetos, livros, fitas cassete, vídeos e pessoas! Devemos ser capazes de visualizar uma variedade de métodos para comunicar o evangelho com clareza. Esses métodos envolvem tanto aquilo que muitos chamam de atividades pré-evangelísticas como atividades diretamente evangelísticas.

ATIVIDADE DE FIXAÇÃO


Trabalhem em pequenos grupos de três pessoas, de modo que vocês possam compartilhar suas idéias, bem como recolher as idéias uns dos outros. O objetivo de vocês é enumerar a maior quantidade possível de idéias sobre como semear o evangelho no meio de seus grupos-alvos. Talvez vocês prefiram começar revendo sua lista de cristãos da Grande Comissão e citando idéias que, na opinião de vocês, as organizações, igrejas e indivíduos podem colocar em prática. Coloquem suas idéias da forma mais específica possível, tendo sempre em mente as seis áreas abrangidas pelos seus planos-mestres. Diversos exemplos são dados para ajudá-los a começar.


Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   12


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal