R. Bruce Carlton



Baixar 0.74 Mb.
Página9/12
Encontro19.07.2016
Tamanho0.74 Mb.
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   12

Quem evangelizará?
A Grande Comissão não foi dada apenas a missionários, plantadores de igrejas e evangelistas, mas a todos aqueles que seguem a Cristo. Todo aquele que se torna um discípulo de Cristo deve compartilhar sua fé. Muitas vezes, em nossas igrejas, nós na verdade desencorajamos os novos crentes de se envolver com a evangelização. Eles demonstram grande zelo e animação, mas a nossa resposta para eles é: “Calma, jovem. Você ainda tem muito a aprender antes de sair para evangelizar.” Na realidade, isso arrefece o seu zelo e animação, pois mostramos e ensinamos a eles que devem primeiramente passar por um “treinamento especial” antes de poderem evangelizar.

No Novo Testamento, Jesus às vezes dizia às pessoas que simplesmente testemunhassem sobre o que Deus fez por elas. Precisamos encorajar os novos crentes a compartilhar a sua fé, e precisamos servir de exemplo para eles, mostrando que a evangelização é uma parte natural do estilo de vida dos seguidores de Cristo.

No livro de Atos, vemos que todos os crentes pregavam ativamente a Palavra. “No entanto os que foram dispersos iam por toda parte, anunciando a palavra” (Atos 8.4).
Quem pode evangelizar?


Como você exemplificar isso para as novas igrejas?
Quem dará treinamento?
Nós ensinamos e mostramos que somente professores de seminários ou institutos bíblicos são capacitados para treinar pessoas? Mostramos que a pessoa precisa concluir um curso de seminário para estar adequadamente treinada? O padrão que o nosso Senhor Jesus Cristo nos deu era simples. Ele escolheu homens para estar com Ele, e então incutiu sua vida na vida deles. Todo crente em Jesus Cristo tem condições de compartilhar o que aprendeu. Devíamos encorajar os novos convertidos a compartilhar com outros o que aprenderam e proporcionar-lhes a experiência de treinar e preparar outros discípulos. Aprender um pouco, praticar muito e compartilhar com outros. Este modelo simples resultará em discípulos de Cristo produtivos e frutíferos.

Paulo disse a Timóteo: “E o que de mim ouviste de muitas testemunhas, transmite-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros” (2 Timóteo 2.2). Quando plantamos uma igreja, precisamos buscar constantemente aqueles que serão fiéis. Então, ensinaremos a eles, para que possam voltar e ensinar a outros.

As principais qualificações para a liderança no Novo Testamento dizem respeito mais ao bom caráter moral e à maturidade espiritual do que a realizações acadêmicas. Hoje em dia, infelizmente, enfatizamos demasiadamente a qualificação acadêmica. Precisamos ser exemplos para os novos crentes em mostrar que líderes são pessoas moralmente íntegras e dispostas a crescer na fé.

Lembre-se de que nosso alvo é facilitar um movimento de plantação de igrejas autóctones que possam se reproduzir em outras igrejas, de modo que todo o grupo-alvo seja alcançado com as Boas Novas. Para isso, precisamos prestar atenção na maneira como treinamos pessoas.

Se atentarmos para a vida de Cristo, veremos que Jesus reuniu em torno de si homens em quem Ele podia incutir a sua vida. Jesus gastou tempo com esses homens. Jesus viajou com eles. Ele aproveitava todas as oportunidades para ensinar-lhes enquanto estavam com Ele. Jesus os enviou em missão e, quando retornaram, prestaram relatório ao seu “professor”. Jesus praticou o treinamento em serviço, e assim devíamos fazer, se queremos um movimento de plantação de igrejas. Precisamos redescobrir a arte perdida do discipulado. Precisamos descobrir a arte perdida de mentorear pessoas para que elas possam treinar e mentorear outras.
Quem pode treinar líderes?
Como podemos exemplificar isso para as novas igrejas?

Quem terá o controle?
Se eu sou um plantador de igrejas, isso não faz com que a igreja plantada por mim pertença à minha organização? Se eu plantei a igreja, não deveria eu ser o líder? Estas são duas perguntas que freqüentemente fazemos a nós mesmos e às pessoas. Embora possamos ter sido os instrumentos usados por Deus para a plantação da igreja, a verdade é que não temos nenhum direito de exercer controle sobre a igreja de fora para dentro. O plantador de igrejas é um pai e mentor espiritual dos novos crentes, mas não deve ser um “inspetor”.

O plantador da igreja deve ajudar a nova igreja a formar líderes quase imediatamente, e as responsabilidades diárias pela supervisão da congregação devem ser confiadas a esses líderes. Enquanto for controlada por gente de fora, a igreja será impedida de crescer e se reproduzir.

Se o plantador da igreja tentar fazer tudo sozinho – evangelizar, discipular, treinar líderes e além disso ainda supervisionar o ministério e o trabalho da igreja – o exemplo que ele estará dando não será saudável. O exemplo do plantador da igreja deve permitir que cada membro da nova igreja se envolva no ministério.
Quem controlará as novas igrejas?

Como você exemplificará isso para as novas igrejas?

Exemplifique em que consiste o ministério
Conduza pessoas à fé
O âmago do que fazemos é levar pessoas a seguir a Jesus Cristo. O plantador de igrejas deve poder servir de exemplo para os novos crentes no processo de conduzir pessoas à fé em Jesus Cristo. Desde o início, o plantador de igrejas deve encorajar e preparar os novos crentes para evangelizar. A evangelização por todos os membros da igreja deve fazer parte de seu código genético; do contrário, a igreja provavelmente não se reproduzirá em gerações futuras.
Quem pode levar os perdidos à fé em Jesus?
Como você exemplificará isso para as novas igrejas?
Prepare pessoas para liderar
Jesus tomou um grupo de doze homens e os preparou para continuar a obra após o seu retorno à casa do Pai. Paulo viajava com companheiros e constantemente preparou pessoas para assumir a liderança das igrejas plantadas. Um bom plantador de igrejas dará o exemplo para os novos crentes de que uma das coisas que a igreja precisa fazer é preparar pessoas para a liderança. Assim, quando essa igreja plantar outra igreja, eles também prepararão o povo local para a liderança.
Quem é que pode preparar pessoas para a liderança?

Como você exemplificará isso para as novas igrejas?
Funde novas igrejas
Fundar novas igrejas é responsabilidade da igreja. De onde a igreja tirou a idéia de que a tarefa de fundar igrejas pertence apenas ao missionário ou plantador de igrejas? Quando alguém entra em um povoado para pregar o evangelho, deve fazê-lo com a intenção definida de plantar uma igreja naquele local. Não devemos entrar em um povoado e evangelizá-lo, se não tivermos um plano de reunir os novos crentes em uma comunidade. Se não temos a intenção de formar uma igreja naquele local, da mesma forma, nenhum crente jamais pensará em plantar uma igreja. Eles não compreenderão a importância de começar novos grupos.

Da mesma forma, se o plantador de igrejas reúne os novos crentes em congregações já existentes em outras localidades, em vez de plantar uma igreja nova naquela comunidade, então os novos crentes seguirão o seu exemplo. O plantador de igrejas deveria entrar na comunidade, pregar o evangelho e reunir os crentes em uma nova igreja no próprio local. Desta forma, estará exemplificando para o povo daquela nova igreja que, quando pregamos o evangelho, devemos reunir as pessoas em uma igreja no local em que pregamos.


Quem pode fundar novas igrejas?
Como você exemplificará isso para as novas igrejas?
Ajude as outras igrejas
O exemplo encontrado no Novo Testamento é que as igrejas ajudam umas às outras. Paulo coletou uma oferta financeira junto às igrejas para ajudar os crentes pobres da igreja de Jerusalém. Neste aspecto, a igreja de Tessalônica tornou-se um exemplo para as demais.
E vós vos tornastes imitadores nossos e do Senhor, tendo recebido a palavra em muita tribulação, com gozo do Espírito Santo. De sorte que vos tornastes modelo para todos os crentes na Macedônia e na Acaia. Porque, partindo de vós fez-se ouvir a palavra do Senhor, não somente na Macedônia e na Acaia, mas também em todos os lugares a vossa fé para com Deus se divulgou, de tal maneira que não temos necessidade de falar coisa alguma (1 Tessalonicenses 1.6-8).
Como você poderia dar o exemplo para as novas igrejas em ajudar umas às outras?
Seja responsável por e com as pessoas
Na igreja, precisamos ser um exemplo de mútua responsabilidade em relação aos novos crentes. Paulo ensinou e deu o exemplo neste sentido para as igrejas que plantou.

Por exemplo, Paulo escreveu as seguintes mensagens às igrejas na Galácia, Tessalônica e Corinto:


Irmãos, se um homem chegar a ser surpreendido em algum delito, vós que sois espirituais corrigi o tal com espírito de mansidão; e olha por ti mesmo, para que também tu não sejas tentado. Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo (Gálatas 6.1-2).
Ora, rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós, presidem sobre vós no Senhor e vos admoestam; e que os tenhais em grande estima e amor, por causa da sua obras. Tende paz entre vós. Exortamo-vos também, irmãos, a que admoesteis os insubordinados, consoleis os desanimados, ampareis os fracos e sejais longânimos para com todos. Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui sempre o bem, uns para com os outros, e para com todos (1 Tessalonicenses 5.12-15).
Todas as coisas são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas são lícitas, mas nem todas as coisas edificam. Ninguém busque o proveito próprio, antes cada um o de outrem (1 Coríntios 10.23-24).
A responsabilidade e o cuidado mútuo são um dever da igreja. Quando passamos a fazer parte do corpo de Cristo, não nos pertencemos mais a nós mesmos, mas nos tornamos servos de Cristo. Dessa forma, somos responsáveis pelos demais membros do corpo, assim como eles são responsáveis por nós. De acordo com Paulo, nossa atitude deve ser de submissão “uns aos outros no temor de Cristo” (Efésios 5.21).
Como você pode ser exemplo de responsabilidade mútua para os novos crentes e os novos líderes?

Exemplifique como o ministério deve ser exercido
Trabalhe em equipe
O ministério deve ser um trabalho de equipe. Jesus enviou os discípulos em equipes.
Depois disso designou o Senhor outros setenta, e os enviou adiante de si, de dois em dois, a todas as cidades e lugares aonde ele havia de ir (Lucas 10.1).
Saulo e Barnabé foram enviados da igreja de Antioquia como uma equipe (Atos 13.2-3). Quando Paulo e Silas estavam viajando juntos, Timóteo uniu-se a eles (Atos 16.1-5). Através do Novo Testamento, o exemplo encontrado é o ministério como trabalho de grupo. O ministério não deve ser um trabalho solitário. O plantador de igrejas deve sempre levar outras pessoas consigo quando sai para ministrar. Ele deve dar o exemplo para os novos crentes de que o ministério é um trabalho de equipe.
Como você pode dar o exemplo para as novas igrejas de que o ministério deve ser um trabalho de equipe?

Empregue múltiplas formas de liderança
O modelo do Novo Testamento é a liderança múltipla na igreja:
E ele deu uns como apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas, e outros como pastores e mestres, tendo em vista o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo (Efésios 4.11-12).
De modo que, tendo diferentes dons segundo a graça que nos foi dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; ou que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com zelo; o que usa de misericórdia, com alegria (Romanos 12.6-8).
Ao escolher a liderança de uma igreja nova, o plantador da igreja deve ter o cuidado de não designar ou não permitir que o povo escolha apenas um líder. O modelo de liderança baseado somente na figura do pastor, praticado por muitas igrejas evangélicas, contraria o ensino do Novo Testamento. Paulo designou e orientou Timóteo e Tito para que apontassem presbíteros (plural) em cada igreja, indicando que as igrejas não deviam ser postas sob a autoridade de uma única pessoa.
Como você mostrará para as novas igrejas que elas devem ter múltiplos líderes para si e para as outras igrejas que plantarem?
Delegue autoridade ao invés de controlar
O líder da igreja de Cristo em primeiro lugar deve saber como servir. Jesus deu o exemplo de líder como alguém que capacita e confere autoridade em vez de controlar.
Levantou-se também entre eles contenda, sobre qual deles parecia ser o maior. Ao que Jesus lhes disse: Os reis dos gentios dominam sobre eles, e os que sobre eles exercem autoridade são chamados benfeitores. Mas vós não sereis assim; antes o maior entre vós seja como o mais novo; e quem governa como quem serve (Lucas 22.24-26).
Quanta diferença entre o modelo de liderança acima e o que vemos em muitas igrejas de nossos dias. Com muita freqüência, os líderes querem ser vistos e tratados como “benfeitores”, à semelhança de certos políticos!

O plantador da igreja deve ser um exemplo em delegar autoridade. Ele deve delegar responsabilidades para os membros da nova igreja. Quando se delega responsabilidade, também se deve delegar a autoridade para agir. O plantador da igreja deve dar o exemplo mostrando que veio para servir as pessoas.


Como você exemplificará para as novas igrejas que líderes devem delegar e não controlar?
Use um estilo participativo de ensino e adoração
O padrão do Novo Testamento é permitir que cada pessoa participe quando a igreja se reúne, não só na adoração, mas em qualquer ocasião em que isso acontece. Paulo escreveu aos crentes de Corinto e de Éfeso:
Que fazer, pois, irmãos? Quando vos congregais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação (1 Coríntios 14.26).
E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós em salmos, hinos, e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração, sempre dando graças por tudo a Deus, o Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo (Efésios 5.18-20).
Quando o plantador da igreja se reúne com os novos crentes, deve permitir que todos os membros participem do estudo de alguma forma. Normalmente, o plantador de igrejas, pastor ou líder abre a Bíblia, lê a passagem e fala sobre ela, enquanto os crentes escutam. No entanto, em um ambiente participativo, os crentes abrem a Bíblia conjuntamente e compartilham as lições que o Espírito Santo concede a cada um deles durante o estudo de uma determinada passagem. O plantador de igrejas, pastor ou líder deve se lembrar de que o mesmo Espírito Santo que age em sua vida também está agindo na vida dos crentes. O líder não detém o monopólio da verdade que Deus revela em Sua Palavra.

O mesmo deve acontecer quando a igreja se reúne para adorar. Os crentes devem ser incentivados a compartilhar um salmo, uma palavra de louvor, um hino, um testemunho, etc. O foco deve ser permitir a participação do maior número possível de pessoas. A reunião deve ser “centrada no crente” e não “centrada no líder”.


Como você exemplificará para as novas igrejas a eficácia do ensino e adoração participativa?


Mentoreie através de cadeias de discipulado
Quando um líder – plantador de igrejas ou outro crente – discipula novos convertidos, o costume é reuni-los em torno de si e ensinar a eles. Quando crentes mais novos chegam ao grupo, eles simplesmente são convidados a se integrar no discipulado juntamente com os demais. Entretanto, isso traz problemas para o plantador da igreja.

Caso esteja discipulando um pequeno grupo há vários meses e então convide crentes mais novos a se unirem a eles, o líder terá que ou reiniciar o processo de discipulado ou simplesmente continuar o treinamento.

Se o líder reiniciar o processo de discipulado para se adaptar aos novos participantes, então os crentes que vinham sendo discipulados há meses podem ficar entediados e perder o interesse.

Se o líder continuar com o processo de discipulado, os crentes novos perderão as doutrinas importantes ensinadas ao grupo inicial nos meses passados. Os crentes mais novos podem ficar confusos.

A fim de evitar essas situações, o líder deve começar a dar o exemplo para os novos crentes de que eles também são responsáveis por discipular outros. O Princípio 222 é válido tanto para os crentes novos como para os mais experimentados: “E o que de mim ouviste de muitas testemunhas, transmite-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros” (2 Timóteo 2.2).

Como fazer isso? A resposta é simples.

Se o líder vem discipulando dois crentes há vários meses e agora tem mais quatro novos crentes prontos para serem discipulados, ele pode designar cada um dos dois discípulos para ensinar a dois crentes novos tudo que aprenderam até aquele momento. O líder dá assistência aos discípulos enquanto eles ensinam aos novos crentes, mas permite que eles assumam a responsabilidade pelo processo de discipulado. Quando crentes novos entram na comunidade, os que estão sendo discipulados recebem a responsabilidade de ensinar a eles tudo que aprenderam. Deste modo, formam-se cadeias de discipulado, e os crentes aprendem que são responsáveis por discipular outros, bem como por serem eles próprios discipulados.

Se estiver comprometido em capacitar, e não em controlar, o líder deverá ter poucas dificuldades em servir de exemplo para os novos crentes neste aspecto. Se estiver comprometido em reproduzir discípulos, líderes e, finalmente, igrejas, o líder exemplificará, ensinará e promoverá a verdade de que cada discípulo é um discipulador.


Como você mostrará para as novas igrejas que o discipulado deve ser feito através de cadeias de discipulado?
O que você pode fazer para garantir a eficiência dessas cadeias de discipulado?


Exemplifique quando o ministério é exercido
Avalie o momento quando os discípulos devem ser batizados
O plantador de igrejas enfrenta dois perigos com relação ao batismo.

Primeiro, alguns batizam cedo demais. As pessoas são convidadas a aceitar a Cristo e incentivadas a se batizar antes de realmente compreenderem o que significa seguir a Cristo. Jesus nos ensina que devemos desafiar as pessoas a refletir no significado de seguir a Cristo.


Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se senta primeiro a calcular as despesas, para ver se tem com que a acabar? Para não acontecer que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a zombar dele, dizendo: Este homem começou a edificar e não pode acabar (Lucas 14.28-30).
Em nossa corrida por “números”, a igreja freqüentemente comete o equívoco de convidar pessoas a tomarem uma decisão e a se submeterem ao batismo sem primeiramente desafiá-las a refletir seriamente no que significa ser um seguidor de Cristo.

O segundo perigo é exigir dos novos crentes uma longa espera antes de serem batizados. Algumas denominações exigem que os crentes passem por um rigoroso programa de discipulado antes de serem tidos como aptos para o batismo. Esse equívoco muitas vezes esfria o entusiasmo do novo convertido.


O batismo, tal como é praticado nas igrejas dentro do seu grupo-alvo, está ajudando ou prejudicando o crescimento das igrejas? Explique.

Como você poderia mostrar para as igrejas novas quando o batismo deve ser realizado?

Transfira a liderança rapidamente
Um dos maiores equívocos que um plantador de igrejas pode cometer é permanecer por um tempo muito prolongado no papel de líder da nova igreja. Na igreja primitiva, os presbíteros eram rapidamente designados para assumir a responsabilidade de liderança na igreja.

Freqüentemente ouço missionários e plantadores de igrejas observarem o seguinte: “Eu gostaria de passar a liderança para os líderes locais, mas não tenho certeza se eles estão prontos para assumir a responsabilidade.” Confesso que já tive esse tipo de atitude quando comecei a trabalhar transculturalmente em plantação de igrejas. Contudo, Deus logo me fez compreender minha atitude paternalista e condescendente. A compreensão me veio quando li o primeiro capítulo de Filipenses. Paulo escreve o seguinte à igreja de Filipos:


Dou graças ao meu Deus todas as vezes que me lembro de vós, fazendo sempre, em todas as minhas orações, súplicas por todos vós com alegria pela vossa cooperação a favor do evangelho desde o primeiro dia até agora; tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus (Filipenses 1.3-6).
A falta de confiança nos crentes na realidade revela uma falta de confiança em Deus! Deus começou a boa obra nas vidas dos crentes; Deus a aperfeiçoará à medida que eles tentam segui-lo sob a direção e o poder do Espírito Santo.

O plantador de igrejas deve preparar, capacitar e incentivar os novos crentes. Não deve continuar exercendo o controle até quando achar que os crentes estão capacitados. A verdade é que a maioria dos plantadores de igrejas na realidade jamais confiará que precisam permitir que os novos crentes assumam a liderança, pois o plantador de igrejas, em sua humanidade, sempre tende a achar que pode fazer melhor.

Para ajudar as igrejas a se multiplicarem rapidamente, o plantador de igrejas precisa dar o exemplo da rápida transferência de liderança para o povo local. Permanecer na liderança por muito tempo cria dependência e esfria o entusiasmo dos novos crentes.
Como você pode exemplificar para as novas igrejas que é necessário transferir a liderança rapidamente?

Envolva imediatamente os crentes novos no ministério
Desde o início, os plantadores de igrejas devem dar o exemplo de que os novos crentes devem ser incentivados a participar no ministério. Quando entrarem numa comunidade para exercer o ministério, devem levar crentes novos consigo. O plantador de igrejas deve incentivá-los a compartilhar seu testemunho. Deve encorajá-los, como Jesus muitas vezes encorajou os que Ele tinha curado a ir e contar “tudo quanto Deus te fez” (Lucas 8.39).

Muitas vezes, queremos dar aos novos crentes uma grande quantidade de ensino antes de permitir sua participação no ministério. Isso esfria rapidamente o entusiasmo deles. O plantador de igrejas deve levar os novos crentes consigo para orar pelos doentes ou pelos que precisam de livramento dos espíritos malignos. Deve incentivá-los a ajudar os necessitados. O envolvimento dos crentes novos no ministério fortalecerá a igreja e a ajudará a se reproduzir mais rapidamente.


O que você pode fazer para mostrar às pessoas que o crescimento da igreja ocorre com rapidez quando os crentes novos são imediatamente envolvidos no ministério?

Organize igrejas novas quando houver crentes novos
Muitos plantadores de igrejas pensam que devem plantar uma única igreja e procurar fazer com que ela alcance o maior número possível de membros. Por quê? Porque pensam que toda igreja, para ser reconhecida como tal, deve dispor de um pastor remunerado, de tempo integral, e de um templo. Para cumprir essa exigência, o plantador de igrejas sente-se pressionado a reunir o maior número possível de crentes em uma só congregação, para que as ofertas sejam suficientes para sustentar um pastor e construir um edifício.

Se o plantador de igrejas enfatizar a liderança leiga em contextos de igreja simples, o problema do que fazer com crentes novos se resolverá por si mesmo. Não haverá a tentação de formar uma igreja enorme para sustentar um pastor remunerado de tempo integral e um edifício, pois nada disso será necessário!

Além disso, através da criação de novos grupos em casas onde existem crentes novos, o plantador de igrejas demonstra um padrão simples de reprodução da igreja que pode se expandir por todo o grupo-alvo.
Como você mostrará que novas igrejas devem ser organizadas sempre que houver crentes novos?

1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   12


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal