R ppn rizzieri reserva Particular do Patrimônio Natural



Baixar 18.88 Kb.
Encontro26.07.2016
Tamanho18.88 Kb.
REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

MMA - MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE, DOS RECURSOS HÍDRICOS E DA AMAZÔNIA LEGAL

Ibama - INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS



R

PPN RIZZIERI

Reserva Particular do Patrimônio Natural


MMA/SNUC 9985/00; Ibama Dec. Fed. 1922/96; Portaria n.º 05/03-N de 06 de Fevereiro de 2003
HISTÓRICO E ANTECEDENTES DA RPPN RIZZIERI
A propriedade Sítio Cristina­1 foi adquirida nos anos 70, por João Baptista Baldini Rizzieri. Inicialmente, a propriedade prestava-se ao lazer; sua beleza e estado de conservação, porém, fizeram com que o proprietário a mantivesse preservada e com o mínimo de intervenções humanas (ações antrópicas). As construções existentes no local incluem uma casa de madeira (que hoje é um alojamento de visitantes), uma casa de alvenaria (atualmente, a sede), e, mais recentemente, uma terceira casa (que serve de portaria e alojamento de funcionários), em pontos distantes da propriedade.

Com o passar dos anos, a proximidade da civilização passou a ameaçar a preservação da área. A família do proprietário, então, começou a levantar informações do que poderia ser feito para protegê-la. Sabendo-se que governo federal estava reconhecendo RPPNs, esta pareceu ser a solução mais correta para garantir a preservação da propriedade e sua biodiversidade. Depois do tempo necessário para coletar informações e providenciar os documentos exigidos, parte da área foi finalmente reconhecida como “RPPN Rizzieri” através da portaria do Ibama 05/03-N de 06 de fevereiro de 2003. O restante da área encontra-se dentro dos limites do Parque Estadual da Serra do Mar.

Mesmo antes da área ser reconhecida como RPPN, várias iniciativas importantes foram tomadas para proteger a reserva. Entre elas, vale destacar: a) a reforma das construções supramencionadas para alojar funcionários, visitantes e pesquisadores; b) a compra de um veículo Toyota Bandeirante para transporte de pessoal e material; c) a contratação de um caseiro e de serviços de terceiros para proteção e manutenção; d) a instalação de sinalização básica e, e) a compra de materiais, ferramentas e utensílios.

Vários projetos voltados à preservação foram igualmente iniciados. Entre eles, podemos citar:



  • Disponibilização da área para o Projeto Matrizes da Rede Sementes do Governo Federal, através da equipe de pesquisadores da Esalq/USP2

  • Disponibilização da área para o Projeto Biota/Fapesp do Governo do Estado de São Paulo, através da equipe de pesquisadores da Unicamp, USP e Unesp3

Estas atividades incentivaram a criação de uma ONG (ainda em oficialização), denominada Pró-Verde, que veio ganhando a participação de várias pessoas dos mais variados níveis de formação profissional, ou leigos voluntários preocupados com a natureza e que reconhecem a importância de conservação da área. Esta ONG realizou diversas parcerias, tais como:

  • Fundação Animália. Esta fundação realiza reconhecidos trabalhos de proteção e reabilitação da fauna silvestre e possui um termo de cooperação com o Ibama, o qual estabelece sob responsabilidade da fundação um CETAS (Centro Especial de Triagem de Animais Silvestres). Esta parceria, em especial, gerou uma das mais belas realizações na RPPN, que foi a hospedagem de um animal encontrado na região de Maresias — o gato maracajá. Este animal encontra-se em vias de extinção (vide “Caderno de Ciência e Meio Ambiente”, Jornal A Tribuna, 14/10/02). Foi construído um recinto próprio para sua reintegração gradativa até a soltura, que ocorreu no interior da reserva, em segurança e em seu habitat natural.

  • Fundação Florestal, em parceria com a RENASP (Associação das Reservas Naturais do Estado de São Paulo). A RPPN participa de um projeto que visa ao estudo minucioso das possibilidades de práticas de ecoturismo nas RPPNs, seguindo conceitos de preservação mais elevados e na visão dos preceitos das novas legislações estaduais e federais que irão reger a matéria.

  • Núcleo de Pesquisa e Prática Jurídica da Universidade Santa Cecília, que possui o CEPEDA (Centro de Estudos e Pesquisa de Direito Ambiental). Deste núcleo receberemos apoio e assessoria jurídica e ofereceremos estágios e pesquisas na RPPN.

  • Professores e biólogos voluntários para o desenvolvimento de programas de Educação Ambiental, pesquisas de campo e monitoramento de estagiários, como os que já foram feitos na área da RPPN, pelos alunos do curso Técnico em Meio Ambiente do Colégio Positivus.

  • Colégio Lupe-Picasso (Santos, SP). Com esta instituição de ensino estamos realizando estudos para um programa de Educação Ambiental junto aos alunos dos ensinos Fundamental e Médio, com visitas à RPPN e aulas teóricas nas salas de aula.

Dentro da RENASP e da Confederação Nacional das RPPNs, os proprietários têm mantido atividades de apoio e incentivo à criação de novas RPPN´s junto a proprietários vizinhos da própria RPPN Rizzieri, e outros que possuem áreas tão preservadas quanto à reserva em questão. Esta iniciativa tem auxiliado o próprio Ibama no reconhecimento de RPPNs. Juntamente com todas estas iniciativas, estaremos iniciando novos projetos como o Programa de Guias-Mirim, que visa à formação dos jovens da comunidade local para realizarem trilhas ecológicas. Este programa tem como metas desenvolver a consciência ecológica e preservacionista, além de oferecer a possibilidade de rendimento extra para reforço da renda familiar.

A RPPN Rizzieri tem como objetivo geral tornar-se um Núcleo Regional de Expansão de Áreas Protegidas, com o fortalecimento de seu entorno. Este objetivo está inserido em sua proposta de Plano de Manejo, atualmente em pré-análise pelo FNMA (Fundo Nacional do Meio Ambiente). São objetivos específicos da RPPN Rizzieri:



  • concluir a infra-estrutura necessária e definitiva para a proteção e a sustentabilidade da RPPN Rizzieri

  • concluir a infra-estrutura necessária para a continuidade dos projetos já iniciados na RPPN e a extensão dos mesmos à área do entorno

  • atrair os proprietários e as comunidades vizinhas, através da educação e conscientização ambiental, tornando-os parceiros na proteção do meio ambiente

  • tornar a RPPN um modelo de desenvolvimento sustentável, influenciando a região do litoral norte do estado de São Paulo e fomentando o reconhecimento de outras RPPNs contíguas à RPPN Rizzieri4

MAPA DE LOCALIZAÇÃO DA RPPN RIZZIERI






1 Atualmente, RPPN Rizzieri, mantida pela Fundação Pró-Verde Projetos Ecológicos.

2 O levantamento florístico da reserva ainda está em fase de desenvolvimento.

3 Um levantamento preliminar de borboletas da reserva foi realizado pelo Dr. André Victor Lucci Freitas, pesquisador do Museu de História Natural da Unicamp e diretor de pesquisas da reserva.

4 Dados cadastrais da reserva: Entidade: Reserva Particular de Patrimônio Natural; Nome Jurídico: Pró-Verde Projetos Ecológicos Ltda.; Endereço: Estrada do Morrote, s/nº — Bairro de Barra do Una — São Sebastião-SP — 11600.000; Telefone: (013) 3225.3542; home: www.pverde.com.br; email: educacaoambiental@pverde.com.br; Ramo de atividade: pesquisas, projetos e educação continuada/permanente em meio ambiente; Diretorias: João Baptista Monteiro Rizzieri (gestor e diretor administrativo); Paulo Félix Monteiro Rizzieri (diretor de finanças): Alessandra Monteiro Rizzieri (diretoria de ecoturismo); Fernando Santiago dos Santos, MSc. (diretor de educação ambiental); André Victor Lucci Freitas, Dr. (diretor de pesquisas).





Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal