RC (rc espada) e diesel hdi, para o rc



Baixar 23.61 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho23.61 Kb.




Os RC


A capacidade criativa dos estilistas e dos técnicos da Peugeot não é um dado recente, derivando da própria história da Marca, feita de elegância, de desporto e de inovações tecnológicas, numa palavra, de paixão.


Estes apaixonados do automóvel, alimentados pelas emoções mas sempre racionais, moldados pela competência e pela cultura, continuam a imaginar, a sonhar por vezes, a criar incansavelmente.
O fruto da sua inspiração pode assumir a forma de um Coupé desportivo 2+2, moderno e passional, que, por efeito de um desdobramento virtual, conduziu a dois veículos que apenas se distinguem pela respectiva motorização: gasolina, no caso do RC (RC Espada) e diesel HDi, para o RC (RC Ouro).
A arquitectura e a forma destes dois concept-cars são, portanto, comuns, com um grupo motopropulsor colocado na traseira em posição central e transversal.
A cor da carroçaria diferencia a sua apresentação: preta, no caso do RC equipado com o motor a gasolina 2,0 l de 133 kW, e vermelha para o RC equipado com o motor diesel 2,2 l (HDi + FAP) de 129 kW. Em qualquer dos casos, o comprimento total é de 4,30 m, a distância entre eixos de 2,80 m, a largura de 1,80 m e a altura de 1,15 m. As vias dianteira e traseira têm, respectivamente, 1,60 m e 1,50 m.
A estrutura dos RC é realizada em carbono pré impregnado directamente sobre painéis em ninho de abelha, formados e posteriormente cozidos num forno autoclave. Esta coque autoportante integra um arco de segurança em aço de elevado limite elástico, constituindo um conjunto rígido que inclui o tejadilho e ao qual se juntam os guarda lamas dianteiros, os capots e as duas portas.
A coque encerra o depósito de combustível e incorpora, à frente, os apoios da suspensão e da direcção e, atrás, as fixações de um berço realizado por um reticulado tubular que suporta o grupo moto-propulsor.
O ponto de fuga da carroçaria corresponde a um «aileron» móvel ao longo de um curso de 40 mm, dispositivo que permite ao condutor aumentar o apoio aerodinâmico sobre o trem posterior.
Ainda na traseira, os braços de suspensão são solidários com o berço, enquanto os amortecedores se ligam com a coque estrutural em carbono.
O pára-brisas panorâmico colado apresenta uma forma particular que oferece um largo campo de visão, apesar da sua posição muito avançada. Cada uma das duas escovas do limpa pára-brisas com sensor de chuva possui o seu próprio motor eléctrico, de modo a eliminar os elementos de transmissão do movimento que, por vezes, penalizam a visão. Estes motores dispõem de uma gestão electrónica comum, por forma a garantir uma sincronização dos dois braços, de tipo extra-plano e com a escova integrada.
Os grupos moto-propulsores apresentam uma concepção «de série», encontrando-se, no entanto, localizados em posição central, na vertical do trem traseiro, para permitir obter uma repartição de massas mais «desportiva». Para evitar a transmissão de vibrações parasitas à estrutura, os grupos moto-propulsores encontram-se suspensos por apoios filtrados.
O motor a gasolina é um quatro cilindros em linha, de dupla árvore de cames à cabeça e dezasseis válvulas. Com uma cilindrada de 1.997 cm3, desenvolve uma potência máxima de 133 kW e um binário máximo de 202 Nm.
A motorização HDi é, também, um quatro cilindros (2.168 cm3) com dupla árvore de cames à cabeça e dezasseis válvulas. Graças ao trabalho realizado ao nível do desenho das câmaras, das pressões de injecção e do reforço das bielas, para além da introdução de um novo turbocompressor, a potência máxima e o binário máximo deste motor «de série» atingem, respectivamente, 129 kW e 400 Nm. Como é evidente, a linha de escape integra um filtro de partículas.
O arrefecimento, ou permuta térmica, destas duas motorizações corresponde a uma escolha de implantação do equipamento na frente do veículo, o que favorece o balanço aerodinâmico, com um fluxo interno em que a extracção se situa ao nível das rodas dianteiras. No caso do motor diesel, o dispositivo é completado por um permutador «ar/água» que dispõe do seu próprio circuito de baixa temperatura ligado à frente do circuito principal. Estes circuitos passam no túnel central da estrutura monocoque. Com o veículo em andamento, a frente encontra-se em pressão e as saídas de ar em depressão, pelo que os radiadores necessitam de uma reduzida superfície frontal para cumprirem a sua função.
Para explorar completamente as características dos motores, a transmissão é assegurada por uma caixa mecânica de seis velocidades. A caixa de velocidades electro-hidráulica do tipo ML6 C apresenta relações adaptadas aos regimes de potência e de binário de cada uma das motorizações. A caixa dispõe de sistemas de selecção e de passagem comandados hidraulicamente. Uma alavanca de comando sequencial encontra-se implantada sobre o túnel central, dispondo paralelamente o condutor de dois botões de comando localizados no volante. Deste modo, a caixa de velocidades possui um modo de utilização inteiramente automático.
No que respeita às ligações ao solo, encontramos triângulos duplos de suspensão, quer na frente, quer na traseira. As fixações dos triângulos na coque são solidárias com articulações elásticas. Para dissociar os movimentos verticais «de bombagem», os quais podem induzir alterações no alinhamento das rodas, cada meio-trem dianteiro possui um pivot desalinhado, o que garante maior precisão de direcção e um acréscimo do conforto dinâmico.
Para não perturbar o fluxo de ar interno, os triângulos inferiores dianteiros são em aço, ocos e colocados de perfil. Todos os outros triângulos são em liga de alumínio.
Este tipo de montagem encontra-se também na retaguarda, com a única intenção de conservar o cubo e o pivot utilizados à frente. Cada um dos triângulos superiores traseiros corresponde a um balanceiro que suporta também a fixação inferior do amortecedor.
O sistema de travagem recorre a quatro discos monobloco em cerâmica, o que permite reduzir o peso e melhorar o rendimento térmico. As prensas de travagem, com identificação Peugeot, têm quatro pistões.
Os RC recebem jantes em liga de magnésio com 18 polegadas de diâmetro, equipadas com pneus Michelin Pilot Sport (245 / 45 R18), os quais apresentam uma banda de rolamento dotada de um anel central de cor vermelha.
As performances e os consumos calculados para os RC são os seguintes:





RC

RC

  • 0 - 100 (km/h)

6”

  • 0 - 1 000 m

26’’

  • Velocidade máxima

230 km/h

  • Misto (/100 km)

7,7

4,9

  • Emissão de CO2 (g/km)

183

132

  • Pesos estimados em vazio (kg)

de 900 a 950

O olhar felino do RC fica a dever-se, em grande parte, à presença de faróis «da casa», que empregam a tecnologia do vidro liso com parábolas de superfície complexa.


Os farolins traseiros possuem revestimentos interiores facetados; por seu turno, o vidro liso de cor vermelha deixa perceber três funções distintas nas superfícies oblíquas, um pouco como em 1969...
O estilo interior, idêntico nos dois RC, é, à semelhança do exterior, tratado de forma voluntariamente desportiva, sendo utilizados materiais como o inox e o alumínio. Os bancos, revestidos a tecido e couro, respeitam a alternância das cores vermelho e preto.
Nos primeiros esboços dos estilistas, surgiu um prolongamento para a traseira do túnel central, que sobe em seguida, cortando o óculo posterior, e continua sob o tejadilho, até ao pára-brisas. Esta «cauda de escorpião» tem a função adicional de conferir maior rigidez ao tejadilho.
O painel de bordo revestido a couro recebe um painel de instrumentos numérico (velocímetro) e analógico (conta-rotações).
A arquitectura eléctrica recorre à multiplexagem do 307, pelo que encontramos uma climatização com regulação automática, um sistema de acendimento automático dos faróis, um limpa-vidros automático, um computador de bordo, etc... Os RC são equipados com uma telemática que incorpora um radio CD telefone, um sistema de ajuda à navegação com écran colorido de 7” e todos os serviços da Marca (chamada de urgência, etc...).
Os bancos desportivos em carbono, revestidos com espuma coberta por couro, são rebatíveis e reguláveis em altura e em longitude. À frente, os cintos de segurança são do tipo «competição».

I
OC.COM.01.02a




Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal